Procedimentos de auditoria de uso de energia em instalações comerciais e

industriais

OBJETIVOS  Desenhos técnicos;
 Políticas de manutenção;
Os objetivos desta análise energética ou auditoria são
 Projetos de conservação de energia anteriores; e
identificar e desenvolver modificações que reduzirão o
 Horários de funcionamento das instalações.
uso da energia e/ou o custo operacional das instalações
de um prédio ou sítio. As informações levantadas visam
O que o cliente precisa conhecer:
ajudar o proprietário ou operador a decidir quais das
modificações recomendadas devem ser  Exemplos de outras instalações;
implementadas.  Como os dados serão usados;
 A existência de eventuais programas de incentivo
à eficiência e à geração de energia renovável no
PROCEDIMENTOS
local;
Diferentes níveis de análise da energia podem ser  As vantagens de implantar um software de gestão
executados, para prover informações que podem ser de energia; e
usadas para os mais variados propósitos. Um  Nossa página na internet.
proprietário que planeja investir para obter grande
economia de energia precisará de uma análise com nível A ANÁLISE NÍVEL I inclui:
• A análise do uso de energia preliminar descrito
de confiança muito mais significante do que um
acima;
administrador que apenas quer comparar o nível de
• A visita de um engenheiro às instalações e um
eficiência de seu prédio em relação a outros prédios
relatório detalhando medidas de baixo ou nenhum
similares.
custo; e
Para se obter a informação necessária para cada • Potenciais melhorias de capital para estudo
necessidade, a análise da energia pode ser conduzida posterior.
em até quatro níveis: • A auditoria se concentrará nos principais
equipamentos / sistemas consumidores de
• Análise preliminar do uso da energia
energia tais como sistemas de ar condicionado
• Análise Nível I—Inspeção Visual
e de tratamento de ar, ou itens comuns com
• Análise Nível II—Questionário e análise da energia
Medidas de Conservação de Energia (MCEs)
• Análise Nível III—Análise detalhada de modifi-
tais como espaços super refrigerados e
cações intensivas em Capital
sistemas de iluminação. Referências a registros
A ANÁLISE PRELIMINAR envolve: de operação e manutenção, catálogos e
• Analisar o histórico do uso da energia nas manuais técnicos ajudam a determinar quais
instalações (de 1 a 3 anos); equipamentos ou sistemas estão operando
• Avaliar comparativamente o prédio (intensidade eficientemente. Quantificamos as economias
de uso de energia, $/m² no setor); e alcançáveis com as MCEs identificadas.
• Conduzir uma análise de desempenho das • A auditoria será executada em um dia,
instalações, ambientes e procedimentos de dependendo do tamanho, da complexidade da
manutenção para indicar quaisquer instalação, ou do escopo, usando instrumentos
oportunidades de redução de custos. simples como termômetros, multímetros e
luxímetros.
Informações a coletar:
 Estrutura gerencial;
 Objetivos do atual mandato no tocante à gestão
da energia e a outros objetivos concorrentes;
A ANÁLISE NÍVEL II inclui: 6. Preparar um relatório para documentar e
• A Análise Preliminar e a Análise de Nível I acima comparar resultados.
descritas;
 A identificação do máximo de MCEs possíveis; Essa auditoria possibilita um entendimento mais real
dos benefícios financeiros de instalar as MCEs, esboça
 A classificação das MCEs em categorias;
os objetivos e o escopo da auditoria, decreve as
 Sugestões de estudos posteriores se soluções mais
características e condições operacionais do equipa-
complexas forem consideradas;
mento / sistema auditado, os achados, as MCE
 A análise financeira ou a Análise do Ciclo de Vida
identificadas, as economias correspondentes e os
das MCEs propostas;
custos de implementação, as recomendações e
 A formulação de um plano de implementação; e
programas para implementação, e quaisquer ações de
 Apresentar o estudo ao gerente das instalações.
acompanhamento posteriores.
Para tanto, a análise completa da energia pode incluir os
seguintes passos: A ANÁLISE NÍVEL III, também identificada como auditoria
1. Coletar e analisar o histórico do uso da energia. energética de grau de investimento, é uma expansão
dos níveis de esforço anteriores, e se baseia na análise
2. Estudar o prédio / as instalações e suas
aprofundada de uma solução escolhida. Em geral, para
características operacionais.
a maioria dos projetos, a Auditoria Nível II é considerada
3. Identificar potenciais soluções que reduzirão o uso
como suficiente para a execução. Para uma visão mais
e/ou o custo da energia. geral, apenas uma Auditoria Nível I pode ser realizada.
4. Conduzir uma análise de engenharia e econômica
das potenciais modificações.
5. Preparar uma lista ordenada de modificações
apropriadas.
• Envelope predial (telhados, paredes, janelas, etc.);
• Iluminação;
• Aquecimento, refrigeração, ar condicionado e
tratamento de ar;
• Produção de água quente para uso pessoal;
• Sistemas de gestão predial;
• Automação de processos;
• Tecnologias de informação e comunicação;
• Lavanderia;
• Preparo de alimentos;
• Sistemas de transporte (elevadores, esteiras,
bombas d´água, etc.);
• Cargas plugáveis; e
• Etc.

Essas análises também podem incluir sistemas de
geração de energia no local ou nas proximidades das
instalações, como:

• Energia térmica solar
• Energia fotovoltáica solar
• Energia geotérmica
As análises, em quaisquer dos níveis acima • Aquisição de energia renovável de empresas
considerados, devem produzir observações, medições geradoras independentes
ou cálculos de engenharia em áreas como: • Aproveitamento de calor liberado de processos

__________

Dr. Energia – Procedimentos de auditoria – Versão 0 – 16/05/2017 – Responsável: Eng. Eduardo Farias

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful