Você está na página 1de 10

Universidade de Itaúna

Faculdade de Engenharia

Faculdade de Arquitetura e Urbanismo

EXEMPLO DE UTILIZAÇÃO DO PROGRAMA FTOOL

ANÁLISE ESTRUTURAL DE TRELIÇAS PLANAS

José Felipe Dias

Itaúna, setembro de 2002

2

1. INTRODUÇÃO

Neste exemplo vamos utilizar o programa Ftool 1 – versão 2.11 de autoria do Prof. Luiz Fernando Marta, para determinar as forças normais nas barras, os deslocamentos nodais e as reações nos apoios de uma treliça isostática (estaticamente determinada).

Agradecemos antecipadamente as sugestões e correções que forem enviadas ao Prof. José Felipe Dias, pessoalmente ou pelo correio eletrônico 2 .

As informações básicas sobre o programa estão disponíveis no manual do programa Ftool.

2. EXEMPLO SELECIONADO

Utiliza-se como exemplo uma treliça triangular tipo Howe, apresentada na figura 1, juntamente com o sistema estático, as dimensões e as numerações de nós e barras.

A treliça está sujeita a três tipos de ações (classificadas quanto à variabilidade com o tempo):

permanente;

sobrecarga;

vento.

10 9 10 9 11 17 11 8 8 12 16 18 7 21 12
10
9
10
9
11
17
11
8
8
12
16
18
7
21
12
14
15
19
1
7
13
22
1
2
3
4
5
6
2
3
4
5
6
4 m
24 m
9 m

Figura 1 - Sistema estático da treliça, dimensões e numerações de nós e barras

1 www.tecgraf.puc-rio.br/ftool 2 jfelipe@uai.com.br

3

Os valores dos carregamentos, provocados pelas ações citadas, são apresentados na figura 2, já devidamente combinados . No entanto, o procedimento usual é analisar separadamente cada ação e em seguida fazer as combinações de carregamento, como veremos no próximo exemplo.

1

16 kN

9,6 kN 2,4 kN 10 16 kN 9,6 kN 4,8 kN 9 16 kN 11
9,6 kN
2,4 kN
10
16 kN
9,6 kN
4,8 kN
9
16 kN
11
4,8 kN
4,8 kN
8 kN
8
12
2,4 kN
7

Figura 2 - Carregamentos combinados: carga permanente, sobrecarga e vento

3. Criação e manipulação da estrutura

Para facilitar a entrada de dados e evitar erros recomendada-se construir uma tabela com as coordenadas dos nós e os nós iniciais e finais de cada barra, como exemplificam as tabelas I e II. É importante ressaltar que o programa Ftool poderá alterar a numeração dos nós e/ou das barras.

Tabela I - Coordenadas cartesianas dos nós, considerando a origem no nó 1

Coordenadas [m]

X

Y

1

 

00

2

 

40

3

 

80

4

12

0

5

16

0

6

20

0

7

24

0

8

 

43

9

 

86

10

12

9

11

16

6

12

20

3

4

Tabela II – Identificação das barras

 

Barra

inicial

final

11

 

2

22

 

3

33

 

4

44

 

5

55

 

6

66

 

7

71

 

8

88

 

9

9 9

 

10

10 10

 

11

11 11

 

12

12 12

 

7

13 2

 

8

14 8

 

3

15 3

 

9

16 9

 

4

17 4

 

10

18 4

 

11

19 11

 

5

20 5

 

12

21 12

 

6

3.1. Criação dos nós

a) Seleção do sistema de unidades e do formato dos números

Vamos utilizar o sistema internacional de unidades, SI, e o formato “default” para os números.

Options => Units & Number Formatting => SI => Ok

b) Ajuste da dimensão da janela

Para ajustar a janela às dimensões da estrutura, execute:

File => Limits => Set window data limits => Maximum X = 26 => Ok

c) Criação dos nós através do teclado

O manual descreve com detalhes a criação de nós através do teclado. Mostraremos apenas a seqüência utilizada para criação dos 12 nós, o ajuste do modelo à tela e a gravação do arquivo:

Select mode => keyboard mode => Insert node => digite coordenadas nó 1=> Ok => digite coordenadas nó 2=> Ok (repetir as operações para os nós 3 a 11) => digite coordenadas nó 12=> Cancel =>Fit word on screen => save as =>trelica_1=>save ou salvar

5

d) Criação das barras através do mouse

Para desativar o modo teclado e iniciar o processo de criação das barras, siga a seqüência e a tabela II ou a figura 1:

keyboard mode =>Insert member => posicione o cursor sobre o nó 1=> “clique” =>arraste o cursor até o nó 2 => “clique” => posicione o cursor sobre o nó 2=> “clique” =>arraste o cursor até o nó 3 => “clique” => posicione o cursor sobre o nó 3=> “clique” =>arraste o cursor até o nó 4 => “clique” (repetir o processo até a criação da barra 21) =>Select Mode => “clique” => save

4. Propriedades do Material

Vamos selecionar como material das barras o aço (steel), através da seqüência de comandos:

Materials Parameters => Create new material parameters =>Steel=>Apply current materials to all members => save

5. Propriedades Geométricas da Seção Transversal

Como ainda não se sabe o valor do esforço em cada barra, as propriedades geométricas informadas constituem um pré-dimensionamento. Neste exemplo, a propriedade geométrica importante é a área da seção transversal porque considera-se que as barras são biarticuladas, no entanto, o programa necessita do valor do momento de inércia, da altura da barra e da localização do centro de gravidade (centróide de área). Iniciaremos a análise com uma seção transversal com as seguintes propriedades:

A (área) = 1.1 x 10 3 mm 2

I (momento de inércia) = 2.6 x 10 5 mm 4

D

(altura da barra) = 50 mm

y

(altura do centro de gravidade) = 15 mm

É

importante ressaltar que neste exemplo o valor da área não interfere nos resultados das forças nas

barras, mas influencia no valor dos deslocamentos nodais. Utilizaremos a seqüência abaixo para

aplicar às barras as propriedades geométricas acima.

Section properties => Creat new section properties => New label => “Digite” Seção1 => Section type => Generic => Done => “complete o quadro” A = 1.1e3 mm 2 ; I = 2.6e5 mm 4 ; D = 50 mm; y = 15 mm => Apply current section to all members => save

6. Restrições de Apoio

Primeiramente vamos ativar a visualização dos apoios para que os mesmos apareçam na tela, logo que sejam criados:

Display => supports => “clique” com o mouse para ativar

Agora podemos restringir o movimento dos apoios:

Apoio esquerdo (articulado fixo)

6

Coloque o cursor (select mode) sobre o nó 1 e “clique” com o mouse, em seguida siga a seqüência:

Support conditions => Displac. X: Fix => Displac. Y: Fix => Rotation Z: Free => Aplly support conditions to selected nodes

Observe que surgirá na tela, no nó selecionado, o tipo de apoio com a simbologia adequada.

Apoio direito (articulado móvel)

Coloque o cursor (select mode) sobre o nó 7 e “clique” com o mouse, em seguida siga a seqüência:

Support conditions => Displac. X: Free => Displac. Y: Fix => Rotation Z: Free => Aplly support conditions to selected nodes

Verifique se o apoio apareceu na tela com a simbologia adequada e então grave o arquivo.

7. Articulação das barras

Uma das hipóteses básicas do projeto de treliças é a consideração de que as barras são articuladas nas extremidades das mesmas. No entanto, o Ftool cria as barras considerando que elas não são articuladas. Observe na tela a simbologia utilizado pelo programa Ftool para nó não articulado. Portanto, para nosso exemplo devemos tornar todos os nós articulados, executando a sequência:

tornar todos os nós articulados, executando a sequência: Rotation Release => Clique sobre o íc one

Rotation Release => Clique sobre o ícone

a sequência: Rotation Release => Clique sobre o íc one =>Select me mber by hinge configuration

=>Select member by hinge configuration => Clique

sobre o ícone

=> Aplly hinge configuration to selected member

o ícone => Aplly hinge configuration to selected member Observe que todas as barras agora são

Observe que todas as barras agora são articuladas e os nós apresentarão a seguinte simbologia se você executou os comandos corretamente; estando tudo correto salve o arquivo.

8. Aplicação das Cargas

Vamos ativar a visualização das cargas e dos valores das mesmas:

Display => Loading while Editing => “clique” => Load Values => “clique”

8.1. Força concentrada no nó 1

Coloque o cursor (select mode) sobre o nó 1 e “clique” com o mouse, em seguida siga a seqüência:

Nodal forces => Create new nodal forces => New label => “Digite” P1=> Done => Fy = - 4.8 kN => Aplly nodal forces to selected nodes

Verifique se a força surgira na tela, no local, na direção, no sentido e com o valor corretos; em seguida salve o arquivo.

7

Coloque o cursor (select mode) sobre o nó 8 e “clique” com o mouse, em seguida siga a seqüência:

Nodal forces => Create new nodal forces => New label => “Digite” P89 => Done => Fy = -9.6 kN Aplly nodal forces to selected nodes

Coloque o cursor (select mode) sobre o nó 9 e “clique” com o mouse, em seguida siga a seqüência:

Aplly nodal forces to selected nodes

Confira na tela como recomendado anteriormente e salve o arquivo.

8.3. Força concentrada no nó 10

Coloque o cursor (select mode) sobre o nó 10 e “clique” com o mouse, em seguida siga a seqüência:

Nodal forces => Create new nodal forces => New label => “Digite” P10 => Done =>Fx = -2.4 kN, Fy = -9.6 kN => Aplly nodal forces to selected nodes

Confira na tela como recomendado anteriormente e salve o arquivo.

8.4. Forças concentradas nos nós 11, 12 e 7

Aplique as cargas concentradas nos nós 11, 12 e 7. Você verá na tela o que mostra a figura 3; confira e salve o arquivo.

na tela o que mostra a figura 3; confira e salve o arquivo. Figura 3 –

Figura 3 – Tela apresentada pelo programa Ftool

9.

Resultados

Para visualizar os resultados de reações de apoio e de esforços internos deve-se ativar cada um deles no menu “Display” como fizemos anteriormente; consulte o manual para maiores detalhes, pois o programa oferece várias opções.

O programa utiliza uma convenção dos sinais dos esforços internos; sugerimos que você veja qual é a convenção “default” e compare com a convenção apresentada em sala de aula:

8

File => Sign Convention

Para visualizar os resultados númericos juntamente com os diagramas de esforços internos, siga a seqüência de comandos:

Display =>Result Values => “clique”

Se desejarmos saber o valor da força que atua na barra, devemos “clicar” com o mouse sobre esta barra

e ler na lateral direita da tela o valor desta força (lembre-se que neste caso as forças externas serão

iguais às forças internas); consulte o manual para maiores detalhes. Para saber os valores das reações de apoio, devemos “clicar” com o mouse sobre o nó que está o apoio e ler na lateral direita da tela os valores das reações.

9.1. Númeração de nós e barras, reações de apoio, ausência de momento fletor nas barras

Vamos ativar no menu “Display” a opção de visualizarmos na tela as reações de apoio e os seus valores e também a numeração de nós e barras:

Display =>Reactions => “clique” => Reaction Value => “clique” Display =>Node Number => “clique” => Member Number => “clique”

Coloque o cursor (Select Mode) sobre a opção “Bending Moment” e “clique” com o mouse. Surgirá na tela o que se apresenta na figura 4. É importante ressaltar que ao tornar as barras articuladas nas extremidades, o momento fletor deverá ser nulo em todas as barras como pode ser verificado na figura 4. Note que o programa alterou a numeração dos nós e das barras.

que o programa alterou a numeração dos nós e das barras. Figura 4 – Reações de

Figura 4 – Reações de apoio com numeração de nós e de barras. Note que o momento fletor nas barras

é nulo.

9

9.2. Força Normal

Coloque o cursor (Select Mode) sobre a opção “Axial Force” e “clique” com o mouse. Surgirá na tela o diagrama de força normais, como mostra a figura 4. Lembre-se que a aparência de sua tela depende das opções ativadas do menu “Display”.

tela depende das opções ativadas do menu “Display”. Figura 4 – Diagrama de forças normais Como

Figura 4 – Diagrama de forças normais

Como já comentamos, o valor da força normal em cada barra pode ser obtida, clicando com o botão direito do mouse e as informações serão apresentadas na lateral direita da tela. Por exemplo, se você clicar sobre a barra 1 você verá o que mostra o quadro abaixo, isto é, o valor da força que atua na barra 1 é 29,7 kN, sendo um força normal de tração.

Axial Force

Diagram Results

Init: 29.7 kN End: 29.7 kN

10. Estrutura na configuração deformada

A visualização da estrutura na configuração deformada proporciona muitos conhecimento sobre o seu comportamento estrutural, auxiliando o aprendizado dos métodos de análise estrutural. Portanto, mesmo que você não esteja interessado nos valores quantitativos dos deslocamento e rotações, recomendamos que você visualize a estrutura na posição deformada e observe a influência das cargas, dos tipos de apoio e do tipo de ligação entre as barras.

10.1.1. Estrutura na configuração deformada

Para visualizar a treliça na configuração deformada, coloque o cursor (Select Mode) sobre a opção Deformed Configuration” e “clique” com o mouse. Surgirá na tela o que mostra a figura 5. É interessante observar que o programa permite que alteremos o fator de escala com o cursor do mouse, proporcionando uma “animação” do carregamento.

10

10 Figura 5 – Estrutura na configuração deformada 10.1.2. Deslocamentos e Rotações Dois parâmetros importantes no
10 Figura 5 – Estrutura na configuração deformada 10.1.2. Deslocamentos e Rotações Dois parâmetros importantes no
10 Figura 5 – Estrutura na configuração deformada 10.1.2. Deslocamentos e Rotações Dois parâmetros importantes no

Figura 5 – Estrutura na configuração deformada

10.1.2. Deslocamentos e Rotações

Dois parâmetros importantes no projeto estrutural e mecânico são os deslocamentos e as rotações. Para obtermos os deslocamentos em um ponto arbitrário da estrutura, devemos “clicar” com o mouse sobre o ponto e ler os valores no canto superior esquerdo da tela. Os valores dos deslocamentos horizontais e verticais e da rotação são apresentados na lateral direita da barra. Se fizermos o procedimento citado para a barra 5 da viga obteremos:

Member Displacements and Rotations Init: Dx: 1.055e+000 mm Dy: -8.143e+000 mm Rz: -1.418e-004 rad End:
Member
Displacements
and Rotations
Init:
Dx: 1.055e+000 mm
Dy: -8.143e+000 mm
Rz: -1.418e-004 rad
End:
Dx: 1.469e+000 mm
Dy: -8.710e+000 mm
Rz: -1.418e-004 rad
Max. Transv.
Displ.:
8.710e+000 mm
At local pos.:
x: 4.00 m
L: 4.00 m