Você está na página 1de 2

RESPONSABILIDADE SÓCIO-AMBIENTAL

GERENCIAMENTO AMBIENTAL DA COMPANHIA

Aspectos Gerais

As atividades da Companhia estão sujeitas a um conjunto de leis, decretos, regulamentos e resoluções


federais, estaduais e municipais relativas à gestão ambiental e à proteção do meio ambiente. A inobservância
dessas normas poderá resultar, independentemente da obrigação de reparar danos ambientais que
eventualmente sejam causados, na aplicação de sanções de natureza penal e administrativa.

Licenciamento Ambiental

A Companhia possui 3 PCHs instaladas na Bacia do Rio Juruçu, localizada no Estado da Bahia. A PCH
Cachoeira da Lixa, localizada nos municípios de Itamaraju e Jucuruçu, e a PCH Colino II, localizada nos
municípios de Vereda e Jacuruçu, possuem Licença de Operação válida, devidamente concedida pelo CRA. A
PCH Colino I, também localizada nos municípios de Vereda e Jacuruçu, possui Licença de Instalação válida e
já requereu a autorização para o início de suas operações.

No âmbito do processo de licenciamento esses empreendimentos foram objeto de EIA/RIMA. Neste concluiu-
se que a localidade em que foram instaladas as PCHs Cachoeira da Lixa, Colino I e Colino II é caracterizada
pela (i) baixa riqueza de espécies da flora e fauna; (ii) ausência de atividade minerária; (iii) ausência de fontes
poluidoras; (iv) existência de barreiras naturais à atividade migratória da ictiofauna; e (v) reduzido número de
propriedades e benfeitorias vizinhas.

Além disso, outras 6 PCHs, quais sejam as PCHs Canta Galo, Juracitaba, Mascote, Pau Ferro e Vereda,
também localizadas no Estado da Bahia, já iniciaram os respectivos processos de licenciamento junto ao órgão
estadual ambiental competente, a fim de obterem a Licença Prévia para os empreendimentos.

A Companhia executou também atividades relacionadas com a transmissão de energia por meio da operação
da linha de transmissão de LT 138 KV. No entanto, essa atividade, de acordo com o Decreto Estadual nº 8.398
de 19 de dezembro de 2002, não está sujeita ao licenciamento ambiental no Estado da Bahia.

Compensação Ambiental

Em atendimento à Lei Federal nº 9.985/00, que instituiu o Sistema Nacional de Unidades de Conservação, a
Companhia investiu na criação e gestão de Unidades de Conservação como forma de compensar os impactos
causados pela implantação e operação das PCHs Cachoeira Lixa, Colino I e Colino II.

Para viabilizar a implantação e gestão destas, a Companhia elaborou o Programa de Implantação e


Consolidação de Unidades de Conservação e estima-se dispensar o montante de R$935 mil.

Proteção da Flora

Os empreendimentos da Companhia não estão localizados em proximidade a Unidades de Conservação ou


Áreas Ambientalmente Protegidas.

Não obstante, o Código Florestal Brasileiro determina que algumas áreas, como a margem de rios e o topo de
morros, são consideradas Áreas de Preservação Permanente, onde qualquer influência somente é permitida em
caso de utilidade pública ou interesse social. Em casos excepcionais, é exigida uma autorização prévia de
intervenção por parte da autoridade ambiental competente.

Para a instalação das PCHs Cachoeira da Lixa, Colino I e Colino II, a supressão em Áreas de Preservação
Permanente realizada foi devidamente autorizada pelo IBAMA
Igualmente, a localização das áreas mantidas à título de Reserva Legal nas propriedades em que se encontram
as PCHs Cachoeira da Lixa e Colino I foram devidamente aprovadas pela SEMARH.

Utilização de Recursos Hídricos

A Companhia possui outorga de utilização de recursos hídricos para a PCH Cachoeira da Lixa deferida pela
SRH, autorizando a captar e utilizar água à montante do empreendimento para fins consumíveis.

Gerenciamento Ambiental

A Companhia realiza um constante trabalho de monitoramento ambiental e adota uma série de medidas de
prevenção, mitigação e compensação de eventuais impactos ambientais decorrentes das atividades da
Companhia.

Nesse sentido, efetuamos uma Análise Preliminar de Riscos a fim de estabelecer medidas e procedimentos que
harmonizem a operação dos empreendimentos com as medidas de segurança e preservação ambiental.

A Companhia obteve também a aprovação do CRA para implantar um Programa Sedimentológico, por meio
do qual adotará medidas para evitar o desenvolvimento de processos erosivos que culminem com o
assoreamento dos rios nos quais estão instalados seus empreendimentos.

A Companhia monitora constantemente a qualidade das águas, sem que qualquer inconformidade fosse
constatada.

Executa ainda um Programa de Recuperação de Áreas Degradadas, nos termos definidos pelo órgão ambiental
competente, e um Programa de Prospecção e Resgate do Patrimônio arqueológico, histórico e cultural das
áreas de influência das PCHs instaladas.

Processos de Natureza Ambiental

Não estamos atualmente no pólo ativo ou passivo de qualquer ação judicial envolvendo questões ambientais.

Do mesmo modo, também não somos parte de qualquer procedimento administrativo em decorrência de autos
de inspeção, autos de infração ou eventuais compromissos firmados.

RESPONSABILIDADE SOCIAL

Consideramos que a transparência e responsabilidade são a chave para a condução dos da Companhia
negócios e a relação harmoniosa com as comunidades onde os negócios da Companhia estão localizados.

Deste modo, a Companhia enfatiza a transparência em suas relações com entidades governamentais e com as
comunidades onde opera ou planeja operar realizando uma “cidadania empresarial” positiva. Essa cidadania
empresarial inclui o respeito pelo meio-ambiente e pelas pessoas nas áreas abrangidas por seus atuais e
futuros projetos. Espera-se que os seus projetos de geração de energia elétrica criem empregos e desenvolvam
a atividade econômica em regiões muitas vezes marcadas pela pobreza.