Você está na página 1de 12

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO - EXERCÍCIO DE 2007

Senhores Acionistas, • Companhia Força e Luz do Oeste (“CFLO”) atende o município de Guarapuava 2007, a REDE S.A. detinha diretamente 61,7% do capital total e 100,0% do capital
no interior do Estado do Paraná. Em 31 de dezembro de 2007, a REDE S.A. detinha votante da TANGARÁ.
A Administração da Rede Empresas de Energia Elétrica S.A, em conformidade com 97,7% do capital total e 97,7 do capital votante da concessionária.
as disposições legais e estatutárias, submete à apreciação de Vossas Senhorias, Juruena Energia S.A. (“JURUENA”) cujos ativos são as Pequenas Centrais
as Demonstrações Contábeis relativas ao exercício social findo em 31 de dezembro Geração Hidrelétricas Juína (“PCH JUÍNA”) e Aripuanã (“PCH ARIPUANÔ), localizadas
de 2007, compostas pelo Balanço Patrimonial, Demonstração do Resultado, nos Municípios de Juína e Aripuanã, Estado de Mato Grosso, com potência total
Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos e das Mutações do Patrimônio Rede Lajeado S.A. (“REDE LAJEADO”) detém 38,2% do capital total da Investco instalada de 6,1 MW, respectivamente, 5,3 MW e 0,8 MW. Em 31 de dezembro de
Líquido, acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes e do Conselho S.A. (“INVESTCO”), empresa que exerce a atividade de geração por meio da 2007 a REDE S.A. detinha diretamente e indiretamente 100,0% do total de ações
Fiscal. Usina Hidrelétrica Luiz Eduardo Magalhães (“UHE LAJEADO”), localizada nos da JURUENA.
municípios de Lajeado e Miracema do Tocantins, no Estado do Tocantins, nos
Mensagem da Presidência termos do Contrato de Concessão nº 05/1997 - Agência Nacional de Energia
Comercialização e Serviços
Elétrica (“ANEEL”). A usina é composta por 5 turbinas, cada uma com uma
O ano de 2007 foi marcado por vitórias. Ficará registrado na história da REDE potência de 180,5 MW, representando uma capacidade total instalada de 902,5
como um período de crescimento e conquistas. O mercado consumidor do Grupo, MW. Em 31 de dezembro de 2007, a REDE S.A. detinha direta e indiretamente Rede Comercializadora de Energia S.A. (“REDECOM”) atua na área de
por exemplo, registrou um expressivo aumento de 7,3% em relação ao ano anterior, 53,7% do total de ações da REDE LAJEADO, que por sua vez detinha 38,2% do comercialização de energia, atendendo ao grupo de consumidores que optaram
superior à média nacional de 5,4%, a maior desde o racionamento de energia. Esse capital total e 45,4% do capital votante da INVESTCO. pela condição de livres (“Consumidores Livres”), estejam eles instalados nas áreas
incremento foi influenciado principalmente pela recuperação e expansão do agro- de concessão das distribuidoras da REDE S.A. ou fora delas. Em 31 de dezembro
negócio nos estados do Mato Grosso e Tocantins, regiões com imenso potencial de Tangará Energia S.A. (“TANGARÁ”) é uma sociedade que tem por objetivo a de 2007, a REDE S.A detinha 99,6% do capital total da REDECOM.
desenvolvimento, e onde atuam duas de suas principais distribuidoras: a Centrais construção e exploração da Usina Hidrelétrica Guaporé (“UHE GUAPORÉ”), nos
Elétricas Matogrossenses - CEMAT e a Companhia de Energia Elétrica do Estado do termos do Contrato de Concessão nº 15/2000 - ANEEL. A usina está localizada Rede Eletricidade e Serviços S.A. (“REDESERV”) fornece serviços relacionados a
Tocantins - CELTINS. nos municípios de Vale de São Domingos e Pontes e Lacerda, no Estado do projetos de engenharia, construções de subestações e outros ativos relacionados
Mato Grosso e é composta por três turbinas, cada uma com potência de 40 MW, ao setor de energia elétrica. Em 31 de dezembro de 2007, a REDE S.A. detinha
A REDE encerrou o exercício de 2007 com 196 mil novos clientes, perfazendo um representando uma capacidade total instalada de 120 MW. Em 31 de dezembro de 99,5% do capital total da REDESERV.
total de 3,3 milhões, em sua maioria pertencentes à classe residencial. No entanto, a
classe de consumo que adicionou mais clientes foi a rural, apresentando a maior taxa
percentual de crescimento no período. Essa classe agregou 60 mil novos clientes,
fruto de um investimento de mais de R$ 533 milhões, durante o ano de 2007, em
programas sociais como o “Luz Para Todos”, gerando desenvolvimento às áreas rurais,
bem como inclusão social e cidadania aos moradores dessas regiões. Para financiar
parte desse Programa, bem como promover a expansão, melhoria e modernização
do sistema de distribuição do Estado do Tocantins, a CELTINS captou US$ 55 milhões
junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), a exemplo do que fizeram
as companhias Centrais Elétricas do Pará - CELPA e a CEMAT, em 2006.

O ano de 2007 também foi marcado pelo foco mais acentuado na qualidade dos
serviços prestados pelas empresas do Grupo. Com efeito, a partir do segundo
semestre do ano, imprimiu-se um forte e contínuo esforço no sentido de promover
a melhoria dos indicadores operacionais, com destaque para a redução das perdas
não técnicas em todas as empresas, resultado do expressivo nível de investimento
realizado, fazendo jus ao espírito empreendedor que norteia o Grupo.

Outro importante aspecto diz respeito à questão ambiental. Em 2007 foram


desativadas mais 2 usinas térmicas movidas a diesel, nos Estados de Mato Grosso e
Pará, e substituídas por energia hidráulica, por meio da interligação do sistema. Com
isso, 2,3 mil toneladas de dióxido de carbono deixarão de ser lançadas anualmente na
atmosfera. Essa decisão é parte de uma Política de Sustentabilidade da REDE que,
dentre outras ações, tem por objetivo promover o controle da emissão de poluentes e
a preservação do meio ambiente em todas as suas formas.

A REDE também teve um foco mais acentuado em seu colaborador. Alinhado com
seus objetivos estratégicos de capacitar e reter pessoas e de adotar as melhores
práticas de gestão, o Grupo vem promovendo a capacitação e valorização dos seus
executivos, através de um programa de desenvolvimento gerencial realizado pela
Fundação Dom Cabral. Outras ações para benefício dos colaboradores incluem
políticas de bolsa de estudos; planos de saúde e odontológico; cuidados com
a segurança; apoio às associações recreativas dos colaboradores; incentivo ao
voluntariado; respeito à diversidade; condições de trabalho; plano de previdência
privada; plano de participação nos lucros; seguro de vida; condições de trabalho e
participação na gestão do negócio.

Com o objetivo de melhorar o perfil de seu endividamento financeiro e concluir a


reorganização financeira, o Grupo alongou prazos e reduziu custos. Durante o ano,
foram realizadas diversas operações financeiras bem sucedidas, como a captação de
US$ 575 milhões por meio de duas emissões de Perpetual Bonds; a recompra parcial
das Notes Units emitidas pelas companhias CEMAT e CELPA; e a liquidação do
FIDC pela Caiuá Distribuição de Energia S.A. - CAIUÁ. Vale ressaltar que a segunda
emissão dos Perpetual Bonds, em setembro, reabriu os mercados emergentes da
América Latina em emissão de dívida, durante a crise do mercado imobiliário Norte
Americano. Esse foi mais um motivo de orgulho, para todos aqueles que trabalham
em um Grupo comprometido com o desenvolvimento socioeconômico das regiões
onde atua e do país.

É por todos esses aspectos que nós, Colaboradores, Diretores e Conselheiros, temos
“Orgulho de Ser REDE”.

Carmem Campos Pereira


Diretora Presidente, Administrativa e Financeira e de Relação Com Investidores

A Companhia

A Rede Empresas de Energia Elétrica S.A. (“REDE S.A.”) é uma empresa holding onde Eventos Relevantes
são consolidadas as informações financeiras das companhias do Grupo. A REDE S.A.
encerrou o exercício de 2007 controlando direta e indiretamente oito distribuidoras de O ano de 2007 foi marcado por diversos eventos que, pela importância e relevância,
energia elétrica, quatro geradoras, uma comercializadora de energia, uma prestadora merecem ser destacados:
de serviços e três holdings.
• Em 29 de junho, foram convertidas as duas emissões de debêntures conversíveis
Distribuição da REDE S.A. com a BNDES Participações S.A. (“BNDESPAR”). Na 1ª emissão foram
convertidas 1.867.490 ações preferenciais (1 ação = 1 debênture) e na 2ª emissão
As oito distribuidoras controladas pela REDE S.A., juntas, atendem a uma área de foram convertidas 18.674.655 ações preferenciais. Com a isso, a participação da
concessão de 2.458.751 km2, que representa cerca de 30% do território nacional BNDESPAR no capital total da REDE S.A. passou de 16,18% (45.993.430 ações
e abrange 505 municípios, proporcionando atendimento a mais de 3,3 milhões de preferenciais) para 21,83% (66.535.575 ações preferenciais).
unidades consumidoras, cadastradas até 31 de dezembro de 2007.
• Em 31 de outubro, a Assembléia Geral Extraordinária aprovou aumento de capital
Centrais Elétricas Matogrossenses S.A. (“CEMAT”) é a única distribuidora de energia social da CEMAT, de R$ 589,9 milhões para R$ 710,2 milhões, o que representa um A classe residencial, responsável por 33,8% do total da energia fornecida e 82,4%
elétrica do Estado do Mato Grosso, o terceiro maior estado do Brasil em área, cobrindo aumento de R$ 120,3 milhões, realizado mediante a emissão de um total de 13.318.452 do número total de consumidores, apresentou um crescimento de 6,9%, passando
aproximadamente 10,6% do território nacional, o que equivale a 903.358 km2. Em 31 ações, sendo 4.596.365 ações ordinárias e 8.722.087 ações preferenciais. de 4.431 GWh em 2006 para 4.738 GWh em 2007, influenciado principalmente pelo
de dezembro de 2007, a REDE S.A. detinha 39,9% do capital total e 61,8% do capital crescimento vegetativo e expansão do número de ligações, especialmente, na área
votante da concessionária. • Em 21 de novembro, por meio dos Despachos do Superintendente nºs 3.456, de concessão da CELPA, subclasse normal, que apresentou um crescimento de
13,6%, no período.
3.457 e 3.458, publicados no Diário Oficial da União em 23 de novembro de 2007,
Centrais Elétricas do Pará S.A. (“CELPA”) é a única distribuidora de energia elétrica do a ANEEL aprovou a redução das taxas de juros dos “Instrumentos Particulares de
A classe industrial, responsável por 24,9% do total da energia fornecida e 0,9%
Estado do Pará, o segundo maior estado do Brasil em área, cobrindo aproximadamente Venda e Compra de Ações” celebrados entre cinco empresas relacionadas do Grupo
do número total de consumidores, apresentou um crescimento de 7,9%, passando
14,7% do território nacional, o que equivale a 1.247.690 km2. Em 31 de dezembro de e decorrentes do processo de desverticalização de ativos ocorrido em 2005. Com
de 3.244 MWh em 2006 para 3.501 MWh em 2007, especialmente motivado pela
2007, a REDE S.A. detinha direta e indiretamente 43,4% do capital total e 45,9% do isso, as taxas de juros desses Instrumentos passaram de CDI + 2% a.a. para IGPM + retomada dos investimentos em agronegócio e mineração; ampliação do consumo
capital votante da concessionária. 2% a.a, reduzindo custos financeiros de um saldo total, em 31 de dezembro de 2007, nos setores de abate de animais; expansão das atividades de extração/fabricação de
de R$ 131,2 milhões. produtos minerais não metálicos; e aumento da produção da indústria alimentícia.
Companhia de Energia Elétrica do Estado do Tocantins (“CELTINS”) é a única
distribuidora de energia elétrica do Estado do Tocantins, cobrindo uma área de • A partir de 2007, a INVESTCO passou a integrar as demonstrações consolidadas A classe comercial, responsável por 20,1% do total da energia fornecida e 8,3% do
aproximadamente 3,3% do território nacional, o que equivale a 277.621 km2. Em 31 da REDE S.A., na proporção de sua participação direta e indireta de 39,64% no número total de consumidores, apresentou um crescimento de 7,5%, passando de
de dezembro de 2007, a REDE S.A. detinha 50,9% do capital total e 70,0% do capital 2.625 GWh em 2006 para 2.822 GWh em 2007, devido à expansão dos principais
capital social da INVESTCO.
votante da concessionária. ramos de atividade do comércio varejista e atacadista, especialmente nas áreas de
• Durante o ano, o Grupo realizou diversas operações financeira de grande concessão da CELTINS e CELPA, na Região Norte do país.
REDE SUL / SUDESTE é como denominamos a nossa unidade de negócio composta
importância como as duas emissões de Bônus Perpétuos (“Perpetual Bonds”), pela
por um grupo de cinco concessionárias, que atuam em diversos municípios localizados A classe rural, responsável por 6,7% do total da energia fornecida e 7,4% do número
REDE S.A.; captação de recursos junto ao BID, para investimentos na CELTINS
nas Regiões Sul e Sudeste do país, cobrindo uma área de 30.082 km2. total de consumidores, apresentou um significativo crescimento de 16,3%, passando
de 810 GWh em 2006 para 941 GWh em 2007, influenciado pela implantação dos
Desempenho Operacional
• Empresa de Distribuição de Energia Elétrica Vale Paranapanema S.A. (“EDEVP”) projetos ligados ao “Programa Luz Para Todos”.
atende a 27 municípios no Oeste do Estado de São Paulo. Em 31 de dezembro de
2007, a REDE S.A. detinha 100,0% do capital total e 100,0% do capital votante da Mercado Consumidor
concessionária.
O mercado consumidor da REDE S.A. CONSOLIDADO apresentou um crescimento
• Caiuá Distribuição de Energia S.A. (“CAIUÁ”) atende a 24 municípios no interior do de 7,3%, passando de 13.081 GWh em 2006 para 14.038 GWh em 2007,
Estado de São Paulo. Em 31 de dezembro de 2007, a REDE S.A. detinha 100,0% do impulsionado por diversos fatores. Na Região Norte destaca-se a retomada dos
capital total e 100,0% do capital votante da concessionária. investimentos em agronegócio e mineração; ampliação do consumo nos setores
de abate de animais; ampliação dos canteiros de obras de usinas no Estado do
• Companhia Nacional de Energia Elétrica (“CNEE”) atende a 15 municípios no Tocantins; e expansão das atividades de extração/fabricação de produtos minerais
interior do Estado de São Paulo. Em 31 de dezembro de 2007, a REDE S.A. detinha não metálicos e produtos alimentícios. No Centro-Oeste destaca-se também a
98,7% do capital total e 100,0% do capital votante da concessionária. retomada dos investimentos em agronegócio e, na Região Sudeste, a expansão da
indústria alimentícia. O aumento das vendas foi ainda influenciado pelo crescimento
• Empresa Elétrica Bragantina S.A. (“EEB”) atende 15 municípios no interior dos vegetativo populacional e implantação dos projetos ligados ao “Programa Luz Para
Estados de São Paulo e Minas Gerais. Em 31 de dezembro de 2007, a REDE S.A. Todos”. De 2003 a 2007, o mercado consolidado da REDE S.A. cresceu em média
detinha 91,5% do capital total e 96,4% do capital votante da concessionária. 7,1% ao ano.
____________________________________________________________________

2.007 2.006
____________________________________________________________________

Consumidor por empregado 605 566


Consumo (MWh) por empregado 2.537 2.348
Consumo (MWh) por consumidor 4,2 4,1
Receita bruta (R$ mil) por empregado 936 857
Receita bruta (R$ mil) por consumidor 1,5 1,5
____________________________________________________________________

Número de consumidores: passou de 3.152.354 em 2006 para 3.348.414 em 2007;


Empregados (próprios): de 5.572 em 2006 para 5.534 em 2007;
Lucro Líquido
O número de consumidores atendidos pelas subsidiárias da REDE S.A. aumentou Consumo (MWh): de 13.081.079 para 14.038.393;
6,2%, passando de 3.152.354 em 2006 para 3.348.414 em 2007, devido ao Receita bruta: de R$ 4.775.073 mil para R$ 5.179.668 mil.
O lucro líquido do exercício da REDE S.A. CONSOLIDADO passou de R$ 88,5 milhões
crescimento vegetativo e ampliação do número de ligações, influenciada, dentre em 2006 para R$ 51,5 milhões em 2007. O resultado financeiro apresentou uma
outras razões, pela implantação dos projetos ligados ao “Programa Luz Para Todos”, Investimentos
expressiva melhora, passando de uma despesa de R$ 491,6 milhões em 2006 para
que afetou principalmente a classe rural. De 2003 a 2007 o número de consumidores
uma despesa de R$ 376,3 milhões em 2007, o que representa uma redução de 23,5%,
cresceu a uma média anual de 6,1%. ____________________________________________________________________
devido ao resultado positivo da variação cambial. O lucro líquido do exercício de 2007
foi menor, em razão de um ganho extraordinário, não recorrente, em 2006, no valor de Em milhares de R$ 2.007 2.006
R$ 152,1 milhões, referente ao resultado de equivalência patrimonial da Rede Lajeado. ____________________________________________________________________

Programa Luz Para Todos (LPT) 501.735 514.176


Endividamento Financeiro
Universalização / Luz No Campo / Outros
Programas Sociais 32.255 10.268
Durante o ano de 2007, o Grupo realizou diversas operações financeiras que, pela
Sub-rogação CCC 94.040 11.111
importância e relevância, merecem ser destacadas:
Redução de perdas 137.023 32.012
Outros 283.024 244.334
• 1ª Emissão de bônus perpétuos (Perpetual Bonds) em 28 de março, pela REDE
____________________________________________________________________
S.A. (com entrada dos recursos em 02 de abril de 2007), no valor total de US$ 400,0
milhões e custo de 11,125% ao ano. O principal não possui data de vencimento mas, Total Aquisições do Imobilizado 1.048.077 811.901
por opção da Companhia, poderá ser resgatado a partir de 02 de abril de 2012. ____________________________________________________________________

• Captação de recursos junto ao BID, no valor de US$ 55 milhões, para investimentos PROGRAMA LUZ PARA TODOS (“LPT”) Os investimentos das controladas da REDE
em expansão e melhoria do sistema de distribuição da CELTINS. O contrato no valor S.A., juntas, totalizaram R$ 501,7 milhões em 2007. Os recursos para atendimento
Indice de Perdas a esse programa são provenientes da Reserva Global de Reversão (“RGR”), Conta
de US$ 80 milhões foi assinado em 24 abril de 2007.
de Desenvolvimento Energético (“CDE”), Estados e Fonte Própria (esta última,
No final de 1998, as perdas da REDE S.A. CONSOLIDADO atingiam a marca de 23,2%, correspondente a 15% do total do programa).
• Liquidação antecipada do FIDC pela CAIUÁ, em 30 de julho, no valor de R$ 110
chegando ao índice de 15,3% no final de 2003. Após esse período e, influenciado pelo
racionamento de energia elétrica, os investimentos em perdas foram reduzidos. Em milhões, que venceria em 24 de janeiro de 2011 e cujo custo era de CDI + 2,25% ao
decorrência disso, o percentual de perdas chegou a 19,7% no final de 2007. ano. Essa operação foi liquidada com uma captação junto ao Banco Real ABN AMRO SUB-ROGAÇÃO CCC em conformidade com a Resolução ANEEL nº 784 de 24 de
BANK S/A, a um taxa menor de CDI + 1,597% a.a. e a um prazo de vencimento maior: dezembro de 2002, e Resolução Autorizativa ANEEL nº 81 de 9 de março de 2004,
Comparando-se os índices apurados no final dos exercícios de 2006 e 2007, 04 de agosto de 2014. a controlada CEMAT foi enquadrada na sub-rogação do direito de uso da Conta de
constata-se um aumento de 0,6 pontos percentuais. Esse percentual é menor do que Consumo de Combustíveis Fósseis CCC, para subsidiar a implantação de projetos
o incremento de perdas registrado entre 2005 e 2006, de 2,1%. Isso significa que os • Pagamento antecipado, em 09 de agosto, de parte do saldo devedor das NOTES que visam a interligação do sistema e desativação da geração térmica. Com esses
investimentos e as medidas implementadas durante o ano de 2007 resultaram na UNITS da CEMAT e CELPA, no valor total de R$ 138,0 milhões, sendo R$ 69,0 recursos foram investidos R$ 94,0 milhões em 2007.
contenção da elevação dos percentuais, com tendência de queda. O Grupo continuará milhões na CEMAT e R$ 69,0 milhões na CELPA.
realizando investimentos e implementando diversas ações, com o propósito de reduzir
esse índice. As principais ações estão relacionadas a seguir: PROGRAMA DE REDUÇÃO DE PERDAS são verbas destinadas exclusivamente para
• 2ª Emissão dos Perpetual Bonds em 20 de setembro pela REDE S.A. (com entrada
o programa de combate às perdas técnicas e comerciais. Em 2007 foram investidos
dos recursos em 02 de outubro de 2007), no valor total de US$ 175,0 milhões, nas
Na Rede Sul / SE: R$ 137,0 milhões.
mesmas condições da 1ª emissão.
• Criação da “Área de Gestão de Perdas de Energia” em março de 2007; e
• Realização de estudos e implantação da padronização dos processos de OUTROS são investimentos vegetativos para manutenção e ampliação do sistema
• Liquidação das Debêntures Simples de Mercado, em 03 dezembro, pela REDE
fiscalização, que culminou em 152 constatações de fraudes e 1.200 substituições de elétrico. Esses investimentos totalizaram R$ 283,0 milhões em 2007.
S.A., no valor de R$ 62,6 milhões.
medidores danificados;

Na Celtins: • Liberação em 24 de dezembro, do 2º desembolso do BID, no valor total de US$ 20,0


Ambiente Regulatório
• Intensificação das fiscalizações e combate a fraude de energia elétrica. Em 2007, milhões, sendo US$ 10,0 milhões para a CEMAT e US$ 10,0 milhões para a CELPA.
foram realizadas mais 52 mil fiscalizações e 83 mil cortes; e
Indicadores O quadro abaixo destaca os índices de reajustes tarifários homologados pela ANEEL
• Continuidade e fortalecimento da parceria com a Secretaria de Segurança Pública
do Tocantins, para instalação de Delegacias Especializadas na Repressão ao Furto em 2007, às distribuidoras controladas pela REDE S.A.. Vale ressaltar que a CELPA
de Água e Energia - DERFAE. A produtividade da REDE S.A. CONSOLIDADO pode ser avaliadas pelos indicadores passou pelo processo de Revisão Tarifária Periódica e as demais, pelo processo de
abaixo, cabendo acrescentar que todos os indicadores registraram melhora de 2006 Reajuste Tarifário Anual. Os índices homologados vigorarão por um ano a contar da
Na Cemat: para 2007: data da publicação especificada na linha “Vigência”.
• Inspeções e fiscalizações sistemáticas, o que permitiu a identificação de 13.239
irregularidadas.; e ___________________________________________________________________________________________________________________________________________
• Substituição de 11.494 medidores eletromecânicos, por eletrônicos.
Caiuá Edevp Eeb Cnee Celtins Cflo Cemat Celpa
___________________________________________________________________________________________________________________________________________
Na Celpa:
Anexo I -0,51% 3,40% 3,17% 0,49% 7,99% 1,89% 8,84% -9,65%
• Intensificação das ações de fiscalização;
Anexo II 0,36% 1,74% 0,07% 0,63% 5,31% 1,50% 2,75% -7,88%
• Financiamento junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (“BID”). Parte
Fator X 2,46% 1,87% 1,83% 2,08% 2,24% 1,20% 3,3412% 0,6100%
do recurso desse financiamento, cujo 1º desembolso ocorreu em 2006, está sendo
Nº Resolução 460 462 461 463 499 427 444 527
destinado à projetos de redução de perdas; e
Vigência 10/05/07 10/05/07 10/05/07 10/05/07 04/07/07 03/02/07 08/04/07 07/08/07
• Implantação do Projeto de Recuperação de Perdas, que consiste na modificação das
___________________________________________________________________________________________________________________________________________
redes de distribuição e implantação de SMC - Sistemas de Medição Centralizada.
Próxima Revisão Tarifária Periódica 10/05/08 10/05/08 10/05/08 10/05/08 04/07/08 03/02/08 08/04/08 07/08/11
A evolução dos índices de perdas poderá ser observada no gráfico abaixo: ___________________________________________________________________________________________________________________________________________

Anexo I - vigência da data do reajuste até o dia que antecede o próximo período – REDE Atletismo que, a partir de abril de 2008, irá preparar atletas em pista de
tarifário. última geração, fornecendo para isso, toda a infra-estrutura, através de um Centro de
Musculação e Fisioterapia, além do auxílio financeiro e premiações por desempenho,
Anexo II - vigência a partir do próximo período tarifário. Esse índice fará parte da base moradia, transporte, alimentação e incentivo ao estudo e formação profissional, por
de cálculo para o novo reajuste. meio de convênios e bolsas de estudo.

Fator X - é um redutor que visa compartilhar com os consumidores os ganhos de O consumidor foi outro segmento com o qual a REDE trabalhou. A empresa
produtividade. desenvolveu diversas atividades de consumo consciente e de uso seguro de energia
elétrica. Em 2007, o projeto Residencial Baixa Renda beneficiou mais de 56 mil
Responsabilidade Sócioambiental famílias carentes, por meio da substituição de 112.292 lâmpadas incandescentes,
por lâmpadas fluorescentes compactas, mais econômicas. Ainda substituiu o sistema
Em 2007, o Grupo REDE consolidou sua política de sustentabilidade ao incluir a questão elétrico pelo aquecimento solar, dos chuveiros nas Santas Casas de Presidente
socioambiental no Planejamento Estratégico da empresa. O foco de investimentos Prudente e de Adamantina, ambas no interior de São Paulo. Na busca de um serviço
Desempenho Econômico-Financeiro
sócioambientais foi definido e sua política de sustentabilidade publicada. Através de cada vez melhor, as empresas do grupo ampliaram os indicadores de qualidade e
____________________________________________________________________ projetos próprios ou de parcerias com a sociedade civil organizada, gestores públicos, confiabilidade e receberam a Certificação da Qualidade.
colaboradores, fornecedores e setor privado, vários projetos socioambientais foram
Valores em R$ mil 2.003 2.004 2.005 2.006 2.007
____________________________________________________________________ desenvolvidos durante o ano. Benefícios aos Colaboradores
Vendas em GWh 10.659 11.292 11.617 13.081 14.038
Receita operacional bruta 3.176.147 3.830.912 4.219.862 4.775.073 5.179.668 Presente em regiões ricas em biodiversidade como a floresta amazônica, o pantanal A REDE também voltou seus olhos para o seu colaborador. Criou o Programa
Receita operacional líquida 2.266.130 2.650.946 2.796.539 2.900.879 3.300.191 e o cerrado, a empresa realizou projetos de educação ambiental visando manter o Liderar, a fim de capacitar e valorizar seus executivos, alinhando-os ao planejamento
EBITDA (1) 569.084 639.460 823.590 905.418 1.105.036
equilíbrio do ecossistema. Além de educar as comunidades nesse sentido, a REDE estratégico da empresa. A valorização dos colaboradores se deu não só por meio
Margem Ebitda (%) (2) 25,1% 24,1% 29,5% 31,2% 33,5%
Lucro (prejuízo) líquido (189.486) (199.449) (22.612) 88.518 51.454 incentivou e patrocinou estudos de impacto ambiental nas diversas regiões onde atua. da capacitação profissional, mas também através de políticas de bolsa de estudos;
Dívida financeira líquida (3) 1.968.202 1.409.518 1.434.156 2.282.172 2.867.453 Bons exemplos são os projetos de Reflorestamento, através dos quais foram plantadas planos de saúde e odontológico; cuidados com a segurança; apoio às associações
Dívida financeira líquida
610 mil árvores, e o Nego d’Água, um barco escola onde se promove a educação recreativas dos colaboradores; incentivo ao voluntariado; respeito à diversidade;
/ EBITDA 3,5 2,2 1,7 2,5 2,6
Patrimônio líquido 318.365 113.389 590.635 682.079 786.652 ambiental e a pesquisa junto às comunidades ribeirinhas de seis municípios. condições de trabalho favoráveis; plano de previdência privada; plano de participação
Índice de endividamento (4) 86,1% 92,6% 70,8% 77,0% 78,5% nos lucros; seguro de vida e participação na gestão do negócio.
____________________________________________________________________ A empresa intensificou e ampliou sua participação em redes de articulação, para
influenciar na elaboração de políticas públicas coerentes com o desenvolvimento Evento Subseqüente
(1) EBITDA: resultado antes dos juros, impostos, depreciação e amortização
(2) Margem EBITDA: EBITDA dividido / receita operacional líquida sustentável. Com essa postura pró-ativa, a REDE participou do Grupo de Trabalho
(3) Dívida financeira líquida: empréstimos, financiamentos, debêntures ( - ) Ethos da ISO de Responsabilidade Social; do Comitê de Bacias; da Comissão • Por meio da Resolução Homologatória nº 609 de 29 de janeiro de 2008, publicada
disponibilidades Interinstitucional de Educação Ambiental e do Conselho de Responsabilidade Social em 1º de fevereiro de 2008, a ANEEL fixou, provisoriamente, o reposicionamento
(4) Índice de endividamento: dívida financeira líquida / (dívida financeira líquida +
patrimônio líquido) Empresarial. Essas ações reafirmam o compromisso do Grupo com a sustentabilidade tarifário da CFLO em -4,96%, sendo -5,81% relativos ao reposicionamento tarifário e
do negócio, através do equilíbrio das dimensões econômica, social e ambiental. 0,85% relativos aos componentes financeiros externos à revisão tarifária periódica. As
Receita Operacional Bruta novas tarifas entram em vigor a partir de 03 de fevereiro de 2008.
A REDE tem o cuidado de inserir a comunidade em suas ações e de ajudar os
A receita operacional bruta da REDE S.A. CONSOLIDADO, composta pela receita de
fornecimento ao consumidor final, fornecimento de energia para revenda (suprimento) cidadãos a conquistar um modo de vida sustentável. Por isso, a empresa foi uma das Auditores Independentes
e receita do uso do sistema de distribuição (“TUSD”), aumentou em 8,5%, passando primeiras a aderir ao Compromisso Todos Pela Educação, aliança entre representantes
de R$ 4.775,1 milhões em 2006 para R$ 5.179,7 milhões em 2007, principalmente da sociedade civil, iniciativa privada, organizações sociais, educadores e gestores Os serviços executados pelos auditores externos, ao longo do exercício social,
devido ao crescimento do mercado em 7,3%, pelas razões já expostas no tópico
“Mercado Consumidor”; e aumento da tarifa média anual em 1,7%. públicos de Educação, que tem como objetivo garantir Educação Básica de qualidade referem-se somente à auditoria das demonstrações contábeis.
para todos os brasileiros até 2.022. Através de seus investimentos socioambientais,
EBITDA a REDE tem colaborado com o Brasil no cumprimento das Metas do Milênio visando Agradecimentos
melhores condições para o desenvolvimento sustentável do planeta, até 2015.
O EBITDA da REDE S.A. CONSOLIDADO, que representa o resultado operacional
calculado a partir do resultado do serviço das demonstrações do resultado, acrescido Nossos agradecimentos aos Senhores Acionistas, Conselheiros, Clientes, Governos
da depreciação e amortização das demonstrações das origens e aplicações Desde 2001, o Grupo desenvolve seus próprios projetos nas áreas de educação, Federal, Estadual e Municipais, Fornecedores, Prestadores de Serviços, Credores e
dos recursos, foi de R$ 1.105,0 milhões em 2007 e R$ 905,4 milhões em 2006, o
saúde, esporte e cultura. A Fundação Aquarela, que tem como principal missão a em especial aos colaboradores, por mais um ano de realizações.
que representa um crescimento de 22,0% (ou R$ 199,6 milhões), influenciado
principalmente pelo aumento da receita operacional líquida em 13,8% e redução formação do cidadão brasileiro, beneficiou 460 crianças em 2007.
das despesas operacionais em 12,2%. De 2003 a 2007, o EBITDA da REDE S.A.
CONSOLIDADO cresceu em média 18,0% ao ano. No decorrer desse ano, foi construído o Centro Nacional de Excelência Esportiva A Administração
DEMONSTRAÇÕES DOS VALORES ADICIONADOS - DVA DEMONSTRAÇÕES DO BALANÇO SOCIAL
Para os Exercícios findos em 31 de dezembro de 2007 e de 2006 (Valores expressos em milhares de reais - R$) Para os Exercícios findos em 31 de dezembro de 2007 e de 2006 (Valores expressos em milhares de reais - R$)

CONSOLIDADO 2007
____________ %
________ 2006 _________
_____________ % CONSOLIDADO 2007
_____________________________ 2006
_______________________________
Reclassificado R$
________ R$
________ Reclassificado
1. GERAÇÃO DO VALOR ADICIONADO 1. Base de cálculo
Receitas de vendas de energia elétrica, serviços e outras ......... 5.179.668 4.775.073 Receita Líquida ( RL )............................................ 3.300.191 3.216.731
Provisão p/ créditos de liquidação duvidosa ................................ 3.817 (18.315) Resultado Operacional ( RO ) ............................... 383.748 300.139
Resultado não operacional .......................................................... (25.516)
____________ 97.107
_____________ Folha de Pagamento Bruta ( FPB ) ....................... 273.773 216.136
Total .................................................................................................. 5.157.969
____________ 4.853.865
_____________
% sobre
__________________ % sobre
___________________
2. ( - ) INSUMOS R$
________ FPB ________
________ RL R$
________ FPB ________
________ RL
Energia elétrica comprada p/ revenda ......................................... (1.361.594) (1.116.328) 2. Indicadores sociais internos
Serviços de terceiros ................................................................... (423.961) (398.163)
Alimentação ............................................................ 20.475 7,5 0,6 18.502 8,6 0,6
Materiais ...................................................................................... (45.709) (52.396)
Matéria-prima e insumo p/ prod. de energia elétrica ................... (239.950) (238.933) Encargos sociais compulsórios .............................. 54.011 19,7 1,6 52.775 24,4 1,6
Quota - CCC ................................................................................ 255.896 251.474 Previdência privada ................................................ 2.969 1,1 0,1 6.775 3,1 0,2
Outros custos operacionais ......................................................... (90.836) (31.625) Saúde ..................................................................... 13.244 4,8 0,4 12.914 6,1 0,4
____________ _____________
Total .................................................................................................. (1.906.154) (1.585.971) Segurança e medicina no trabalho ......................... 2.991 1,1 0,1 3.335 1,5 0,1
____________ _____________
Educação................................................................ 1.269 0,5 - 1.902 0,9 0,1
Capacitação e desenvolvimento profissional.......... 2.951 1,1 0,1 1.536 0,7 0,1
3. VALOR ADICIONADO BRUTO ( 1-2 ) ........................................ 3.251.815
____________ 3.267.894
_____________ Auxílio creche ......................................................... 233 0,1 - 795 0,4 -
Participação dos empregados nos
4. RETENÇÕES
lucros ou resultados ............................................. 3.432 1,3 0,1 2.341 1,1 0,1
Quotas de reintegrações ( Depreciação e amortização) ............. (231.913)
____________ (285.783)
_____________ Participação dos administradores no resultado...... 4.673 1,7 0,1 1.170 0,5 -
Incentivo à aposentadoria e demissão voluntária .. 2.013 0,7 0,1 1.094 0,5 -
5 . VALOR ADICIONADO LÍQUIDO GERADO ................................. 3.019.902
____________ 2.982.111
_____________ Vale transporte - excedente.................................... 1.610 0,6 - 1.735 0,8 0,1
Outros benefícios ................................................... 1.838
________ 0,7
________ 0,1
________ 365
________ 0,2
________ ________-
6 . VALOR ADICIONADO RECEBIDO EM TRANSFERÊNCIA
Resultado de equivalência patrimonial ........................................ (23.496) 173.981 111.709
________ 40,9
________ 3,3
________ 105.239
________ 48,8
________ 3,3
________
Receitas financeiras..................................................................... 443.839
____________ 296.478
_____________
% sobre
__________________ % sobre
___________________
Total .................................................................................................. 420.343
____________ 470.459
_____________
R$
________ RO ________
________ RL R$
________ RO ________
________ RL
7. VALOR ADICIONADO A DISTRIBUIR ( 5+6 ) ............................ 3.440.245
____________ 100,0
________ 3.452.570 _________
_____________ 100,0 3. Indicadores sociais externos
Educação - Fundação Aquarela ............................. 2.531 0,7 0,1 2.175 0,7 0,1
8. DISTRIBUIÇÃO DO VALOR ADICIONADO Cultura .................................................................... 2.837 0,7 0,1 1.093 0,5 -
Esporte e lazer ....................................................... 255 0,1 - 539 0,2 -
Do Trabalho: Combate à fome e segurança alimentar................. 18 - - - - -
Remunerações............................................................................. 176.255 5,1 151.855 4,4 Doações / contribuições ......................................... 10.634
________ 2,8
________ 0,3
________ 3.278
________ 1,1
________ 0,2
________
Encargos Sociais (exceto INSS) .................................................. 13.123 0,4 13.191 0,4
Subtotal .................................................................. 16.275 4,3 0,5 7.085 2,5 0,3
Entidades de previdência privada ................................................ 2.961 0,1 5.379 0,2
Programas Sociais:
Indenização s/ o saldo do FGTS.................................................. 5.333 0,2 4.021 0,1
Programa incentivo à aposentadoria e demissão voluntária ....... 2.011 0,1 1.094 - Programa Social de Eletricidade Rural
Programa de alimentação ao trabalhador - PAT .......................... 16.855 0,5 15.094 0,4 - Luz no Campo .................................................... - - - 70 - -
Convênios assistenciais e outros benefícios ............................... 16.222 0,5 16.221 0,5 Programa Nacional de Universalização
Diversos ....................................................................................... 2.662 0,2 1.275 - - Luz para Todos ................................................... 501.735 130,8 15,2 514.176 171,3 16,0
Custo dos serviços prestados...................................................... 2.259 0,1 49 - Programa Universalização...................................... 26.223 6,8 0,8 8.853 2,9 0,3
Transferências p/ Ordens ............................................................. (28.452)
____________ (0,8)
________ (8.240) _________
_____________ (0,2) Outros ..................................................................... 6.032
________ 1,6
________ 0,2
________ 1.345
________ 0,4
________ ________-
209.229
____________ 6,4
________ 199.939 _________
_____________ 5,8 Subtotal .................................................................. 533.990
________ 139,2
________ 16,2
________ 524.444
________ 174,7
________ 16,3
________
Total de contribuições para a sociedade ........... 550.265
________ 143,5
________ 16,7
________ 531.529
________ 177,2
________ 16,6
________
Do Governo:
Imposto de renda e Contribuição Social ...................................... 148.522 4,3 193.242 5,6 Tributos (excluídos encargos sociais) ..................... 1.903.069
________ 495,9
________ 57,7
________ 1.735.448
________ 578,2
________ 54,0
________
Pis/Cofins s/ faturamento ............................................................. 541.966 15,8 524.913 15,2 Total Indicadores Sociais Externos .................... 2.453.334
________ 639,4
________ 74,4
________ 2.266.977
________ 755,4
________ 70,6
________
INSS (sobre folha de pagamento) ............................................... 39.262 1,1 39.339 1,1
ICMS ............................................................................................ 1.067.846 31,0 993.479 28,8 % sobre
__________________ % sobre
___________________
RGR ( quota p/ reserva global de reversão ) ............................... 37.655 1,1 36.908 1,1 R$ RO ________
RL R$ RO ________RL
CCC - Conta de consumo de combustíveis ................................. 121.061 3,5 199.976 5,8 ________ ________ ________ ________
CDE - Conta de desenvolvimento energético .............................. 79.207 2,3 71.513 2,1 4. Indicadores ambientais
Outras obrigações intra-setoriais ................................................. 34.930 1,0 44.305 1,3 Estação ecológica - Fauna / Flora .......................... 322
________ 0,1
________ ________- 308
________ 0,1
________ ________-
Outros encargos .......................................................................... 63.206
____________ 1,8
________ 52.434 _________
_____________ 1,5 Relacionamento com a operação da empresa ....... 322 0,1 0,0 308 0,1 0,0
2.133.655
____________ 61,9
________ 2.156.109 _________
_____________ 62,5 Investimentos relacionados com
a produção/operação da empresa
Do Capital de Terceiros: Fundo Nacional de Desenv.Científico
Encargos de dívidas e variações monetárias .............................. 428.578 12,5 381.798 11,1 e Tecnológico - FNDCT ........................................ 8.638 2,3 0,3 9.754 3,2 0,3
Aluguéis e arrendamentos ........................................................... 117.171 3,4 110.972 3,2 Estudo de Pesquisa Energética - EPE (MME) ....... 3.987 1,0 0,1 5.257 1,8 0,2
Outras despesas financeiras ....................................................... 313.997
____________ 9,1
________ 374.579 _________
_____________ 10,8 Programa de eficiência energética - PEE............... 14.177 3,7 0,4 11.075 3,7 0,3
859.746
____________ 25,0
________ 867.349 _________
_____________ 25,1 Programa de pesquisa e desenvolvimento - P&D .. 8.191
________ 2,1
________ 0,2
________ 16.089
________ 5,4
________ 0,5
________
Total de investimentos relacionados com
Do Capital Próprio: a prod./operação da empresa .............................. 34.993
________ 9,1
________ 1,0
________ 42.175
________ 14,1
________ 1,3
________
Dividendos ................................................................................... 152.931 4,3 262.321 7,6
Total de indicadores ambientais e invest.
Juros sobre o capital próprio........................................................ 36.200 1,1 10.372 0,3
relac. com a prod./op. da empresa.................... 35.315
________ 9,2
________ 1,0
________ 42.483
________ 14,2
________ 1,3
________
Realização de reservas ............................................................... (8.665) (0,3) 54.119 1,5
Lucros retidos .............................................................................. 199.964 5,8 26.388 0,8
Participação dos minoritários....................................................... (142.815) (4,2) (124.027) _________
(3,6) Quanto ao estabelecimento de “metas anuais” (X) não possui ( ) cumpre de (X) não possui ( ) cumpre de
____________ ________ _____________
para minimizar resíduos, o consumo em geral metas 51 a 75% metas 51 a 75%
237.615
____________ 6,7
________ 229.173 _________
_____________ 6,6
na produção/operação e aumentar a eficácia ( ) cumpre de ( ) cumpre de ( ) cumpre de ( ) cumpre de
na utilização de recursos naturais, a empresa 0 a 50% 76 a 100% 0 a 50% 76 a 100%
TOTAL ............................................................................................... 3.440.245
____________ 100,0
________ 3.452.570 _________
_____________ 100,0
____________ ________ _____________ _________
5. INDICADORES DO CORPO FUNCIONAL(*) 2007
_________ 2006
_________
Demonstração complementar ao Relatório da Administração. (em (em
unidades)
_________ unidades)
_________
Nº. de empregados no final do período .................. 5.534 5.572
DEMONSTRAÇÕES DOS FLUXOS DE CAIXA Escolaridade dos empregados:
Superior e extensão universitária ........................... 1.285 1.571
Para os Exercícios findos em 31 de dezembro de 2007 e de 2006 (Valores expressos em milhares de reais - R$)
2º. grau ................................................................... 3.514 3.527
Notas _________________
________ Companhia _________________
Consolidado 1º. grau ................................................................... 735 474
ATIVIDADES OPERACIONAIS 2007 ________
2006 ________
2007 ________ 2006 Faixa etária dos empregados:
________
reclassi- Abaixo de 30 anos .................................................. 1.693 1.808
ficado De 30 até 45 anos (exclusive) ................................ 2.799 2.725
Lucro do exercício .................................................................................... 51.454 88.518 51.454 88.518 Acima de 45 anos ................................................... 1.042 1.039
Despesas (receitas) que não afetam o caixa: Nº. de admissões durante o período ...................... 543 419
Provisão para créditos de liquidação duvidosa ........................................ - - (3.817) 18.451 Nº. de empregados desligados no período ............ 581 551
Depreciação e amortização ..................................................................... - - 323.843 287.635 Nº. de mulheres que trabalham na empresa .......... 1.407 1.355
Despesas com juros, variações monetárias e cambiais - líquidas........... 82.423 144.210 313.377 412.276 % de cargos gerenciais ocupado por mulheres
Resultado de participações societárias .................................................. (83.239) (293.996) 23.496 (173.981) em relação ao nº. total de mulheres .................... - -
Provisão para contingências .................................................................... - - (1.569) (10.305) % de cargos gerenciais ocupado por mulheres
Baixa de imobilizado ................................................................................ - - 195.520 109.257 em relação ao nº. total de gerentes ..................... - -
Tributos sobre a realização da reserva de reavaliação ............................ (9.047) (9.116) (56.793) (58.596) Nº. de negros que trabalham na empresa .............. 250 244
(Ganho) / perda na alienação de bens e direitos do ativo permanente ... - 3.005 (2.963) (133.407) % de cargos gerenciais ocupado por negros
Ativo (líquido) regulatório ......................................................................... - - (41.223) (56.783) em relação ao nº. total de negros ........................ - -
Créditos tributários diferidos .................................................................... - 49.178 15.773 31.832 % de cargos gerenciais ocupado por negros
Capitalização de gastos administrativos/operacionais............................. - - (105.264) (32.517)
em relação ao nº. total de gerentes ..................... - -
Participação dos minoritários no resultado .............................................. - - 186.162 124.027
Nº. de empregados portadores de deficiência física 220 212
Outras ...................................................................................................... (3.137) ________
________ 4.588 ________
13.964 ________
12.949
Nº. de dependentes ................................................ 10.601 13.147
Sub - Total ................................................................................................ 38.454 ________
________ (13.613) ________
911.960 ________
619.356 Nº. de estagiários ................................................... 227 161
(Aumento) redução nas contas do ativo circulante e realizável a longo prazo Nº. de empregados terceirizados / temporários ..... 4.472 4.346
Consumidores, concessionários e permissionários ................................. - - (58.857) (75.092)
Estoques .................................................................................................. - - 10.377 (15.194) 6 - Informações relevantes quanto
Serviços em curso ................................................................................... (337) (1.754) (7.491) (6.890) ao exercício da cidadania empresarial 2007 Metas 2008
_______________________________ ________________________________
Rendas a receber .................................................................................... 91.243 (161.820) 11.312 -
Cauções e depósitos vinculados a litígios ............................................... (31.395) - (41.753) (6.630) Relação entre a maior e a menor
Despesas pagas antecipadamente e ativos regulatórios......................... (71.901) (51) 67.142 92.138 remuneração na empresa 27,06
_______________________________ ND
________________________________
Créditos compensáveis em recolhimentos futuros .................................. - - (445.040) (379.345) Número total de acidentes de trabalho 168
_______________________________ 148
________________________________
Outros Créditos ........................................................................................ - - (40.505) 35.020 Os projetos sociais e ambientais desenvol- ( ) direção
(X) direção ( ) todos(as) ( ) direção (X) direção ( ) todos(as)
Serviços prestados, rendas a receber, devedores diversos vidos pela empresa foram definidos por: e gerências empre- e gerências empre-
e aumento do ativo (líquido) pelas aquisições e inserção de controladas (4.229) ________
________ 4.112 ________
(51.149) ________
(26.184) gados(as) gados(as)
(16.619) ________
________ (159.513) ________
(555.964) ________
(382.177) Os padrões de segurança e salubridade no ( ) direção ( ) todos(as) (X) todos(as) ( ) direção ( ) todos(as) (X) todos(as)
Aumento (redução) nas contas do passivo circulante e não circulante ambiente de trabalho foram definidos por: e gerências empre- + Cipa e gerências empre- + Cipa
Fornecedores ........................................................................................... (404) 398 3.894 (143.276) gados(as) gados(as)
Consumidores ......................................................................................... - - 13.410 (1.107) Quanto à liberdade sindical, ao direito de ( ) não se (X) segue ( ) incentiva ( ) não se (X) seguirá ( ) incentivará
Folha de pagamento e provisões trabalhistas ......................................... - - 1.679 (1.096) negociação coletiva e à representação in- envolve as normas e segue envolverá as normas e seguirá
Impostos, contribuições sociais e parcelamentos .................................... 3.053 (17.653) 288.010 31.685 terna dos(as) trabalhadores(as), a empresa: da OIT a OIT da OIT a OIT
Taxas regulamentares .............................................................................. - - (387) 1.286 A previdência privada contempla: ( ) direção ( ) direção e (X) todos(as) ( ) direção ( ) direção e (X) todos(as)
Dividendos e Juros sobre o capital próprio .............................................. - - 99.686 18.571 gerências empre- gerências empre-
Outros credores ....................................................................................... (8.841) 4.732 (118.062) (55.878)
gados(as) gados(as)
Obrigações estimadas ............................................................................. - - (977) (5.045)
A participação dos lucros ou ( ) direção ( ) direção e (X) todos(as) ( ) direção ( ) direção e (X) todos(as)
Resultado de exercício futuro .................................................................. (56.000) 60.000 (56.000) 60.000
resultados contempla: gerências empre- gerências empre-
Variação na participação de controlada ................................................... - - (181.638) (183.878)
Entidade previdência privada, e outras obrigações ................................ 2 ________
(10) ________
(47.396) ________
48.903 gados(as) gados(as)
________
Na seleção dos fornecedores, os mesmos ( ) não são (X) são ( ) são ( ) não serão (X) serão ( ) serão
(62.190) ________
________ 47.467 ________2.219 ________
(229.835)
padrões éticos e de responsabilidade conside- sugeridos exigidos conside- sugeridos exigidos
Total das Atividades Operacionais ....................................................... (40.355) ________
________ (125.659) ________
358.215 ________7.344 social e ambiental adotados pela empresa: rados rados
ATIVIDADES DE INVESTIMENTO Quanto à participação de ( ) não se (X) apóia ( ) organiza ( ) não se (X) apóiará ( ) organizará
Alienação de bens e direitos do Ativo Permanente ................................. - 19.989 12.230 502.741 empregados(as) em programas envolve e incentiva envolverá e incentivará
Em Investimento ...................................................................................... (93.992) (183.991) (21.945) (78.492) de trabalho voluntário, a empresa:
No Imobilizado ........................................................................................ (9) - (1.048.077) (811.901) Número total de reclamações e na empresa no Procon na Justiça na empresa no Procon na Justiça
No diferido ................................................................................................ ________- ________- ________(3.376) ________
(6.520) críticas de consumidores(as): 7.238 1.566 2.040 6.511 1.551 1.960
Total das Atividades de Investimentos................................................. (94.001) ________
________ (164.002) (1.061.168) (394.172)
________ ________ % de reclamações e críticas atendidas na empresa no Procon na Justiça na empresa no Procon na Justiça
ATIVIDADES DE FINANCIAMENTO ou solucionadas: 100% ND ND
_______________________________ 100% ND ND
________________________________
Integralização de capital .......................................................................... 61.324 - 61.324 - Valor adicionado total a
Empréstimos com partes relacionadas .................................................... (450.963) (230.230) (29.036) (308.063) distribuir (em mil R$): Em 2007: 3.440.245 Em 2006: 3.452.570
Novos empréstimos e financiamentos ..................................................... 22 1.515.058 133.710 2.542.535 1.672.522 _______________________________ ________________________________
Pagamentos de empréstimos e debêntures- principal .......................... 22 e 23 (852.338) (264.623) (1.695.721) (1.186.245) Distribuição do Valor Adicionado (DVA): 61,9 % governo; 6,4 % colaborado- 62,5 % governo; 5,8 % colaborado-
Pagamentos de empréstimos - encargos .............................................. 22 e 23 (186.088) (94.199) (419.897) (274.111) res(as); 0,9 % acionistas; 25,0 % ter- res(as); 5,8 % acionistas; 25,1 % ter-
Obrigações vinculadas............................................................................. 355.573 278.794 ceiros; 5,8 % retido ceiros; 0,8 % retido
Assunção de dívidas - principal e juros .................................................. - 604.767 - 504.519
Cessão de créditos .................................................................................. - (60.870) - (60.870) 7- Outras informações
Juros sobre capital próprio e dividendos ................................................. 182.961 ________
________ 202.466 ________- ________- a) “Nos dados referentes a reclamações e críticas “Na Empresa”, foram considerados aqueles que entraram via ouvidoria e, no
Total das Atividades de Financiamento ............................................... 269.954 ________
291.021 ________
814.778 ________
626.546 percentual de críticas atendidas ou solucionadas, considerou-se aquelas que foram atendidas e respondidas ao consumidor.”
________ b) Visando aprimorar a qualidade das informações apresentadas no Balanço Social, algumas informações adicionais foram incluídas
TOTAL DOS EFEITOS NO CAIXA E EQUIVALENTES .......................... 135.598 ________
________ 1.360 ________
111.825 ________
239.718 para aprimoramento deste demonstrativo, assim, quando aplicável, os valores e dados de 2006 foram reclassificados para melhor
Caixa e equivalentes no inicio do exercício ............................................. 2.970 1.610 500.484 260.766 comparabilidade, seguindo o padrão do IBASE sugerido pela ANEEL.
Caixa e equivalentes no final do exercício ............................................... 138.568 ________
________ 2.970 ________
612.309 ________
500.484 c) (*) Informações não auditadas
VARIAÇÃO NO CAIXA E EQUIVALENTES ............................................ 135.598 ________
________ 1.360 ________
111.825 ________
239.718 d) No item 5 não inclui informações da controlada indireta Investco.
________ ________ ________ ________
Demonstração complementar ao Relatório da Administração. Demonstração complementar ao Relatório da Administração.
BALANÇOS PATRIMONIAIS
Para os Exercícios findos em 31 de dezembro de 2007 e de 2006 (Valores expressos em milhares de reais - R$)

Companhia
______________________ Consolidado
_____________________ Companhia
______________________ Consolidado
_____________________
ATIVO Notas _________
_______ 2007 ____________
2006 2007 ___________
________ 2006 PASSIVO Notas _________
_______ 2007 ____________
2006 ________
2007 ___________
2006
ATIVO CIRCULANTE Reclassificado Reclassificado PASSIVO CIRCULANTE Reclassificado Reclassificado
Numerário disponível................................................................ 1.436 1.590 224.051 86.527 Fornecedores ........................................................................... 20 7 411 424.859 380.543
Aplicações no mercado aberto ................................................. 6 137.132 1.380 388.258 413.957 Folha de pagamento ................................................................. 12 11 6.609 5.089
Consumidores .......................................................................... 7 - - 871.607 797.335 Tributos, contribuições sociais e parcelamentos ..................... 21 8.453 2.580 349.150 295.528
(-)Provisão para créditos de liquidação duvidosa ..................... 8 - - (66.599) (58.405) Dividendos propostos ............................................................... - 452 149.114 43.924
Dividendos e juros sobre capital próprio a receber .................. 15 104.489 195.748 8.069 - Participações nos lucros........................................................... - - 9.787 5.286
Tributos e contribuições sociais a compensar .......................... 9 12.504 3.390 88.598 147.553 Empréstimos, financiamentos e encargos................................ 22 32.310 175.581 343.432 657.979
Títulos a receber....................................................................... 13 5.767 5.734 25.832 36.597 Debêntures e encargos ............................................................ 23 14.740 143.276 29.661 143.276
Estoque .................................................................................... - - 35.239 45.616 Taxas regulamentares .............................................................. 24 - - 136.288 137.079
Serviços em curso .................................................................... 2.091 1.754 50.126 45.058 Indenização Trabalhista - Plano Bresser .................................. 26 - - 49.304 39.872
Redução de receita - baixa renda ............................................ 10 - - 41.042 17.429 Obrigações estimadas .............................................................. - - 31.993 31.088
Aquisição de combustível - conta CCC .................................... - - 75.926 20.004 Passivos regulatórios................................................................ 12 - - 41.378 24.627
Ativos regulatórios .................................................................... 12 - - 96.274 95.673 Tributos a reembolsar ............................................................... 22.535 6.433 - -
Despesas pagas antecipadamente .......................................... 11 15.055 51 18.271 2.852 Outros ....................................................................................... 27 _________- ____________
1.611 ________
69.987 ___________
101.450
Outros ....................................................................................... 14 8.821 ____________
_________ 4.209 77.013 ___________
________ 97.997 TOTAL DO PASSIVO CIRCULANTE ....................................... 78.057 ____________
_________ 330.355 ________
1.641.562 ___________
1.865.741
TOTAL DO ATIVO CIRCULANTE ............................................ 287.295 ____________
_________ 213.856 1.933.707 ___________
________ 1.748.193 PASSIVO NÃO CIRCULANTE
Exigível a longo prazo
ATIVO NÃO CIRCULANTE Fornecedores ........................................................................... 20 - - 34.350 62.508
Realizável a longo prazo Tributos, contribuições sociais e parcelamentos ..................... 21 3.625 17.147 968.345 1.050.036
Consumidores ......................................................................... 8 - - 316.750 305.062 Empréstimos, financiamentos e encargos................................ 22 1.336.654 545.147 3.068.232 1.966.769
(-)Provisão para créditos de liquidação duvidosa ..................... 8 - - - (16.790) Debêntures e encargos ............................................................ 23 - 14.632 38.437 14.632
Empresas relacionadas ............................................................ 15 617.291 564.141 264.650 215.711 Empresas relacionadas ............................................................ 15 566.496 932.469 206.425 191.188
Cauções e depósitos vinculados .............................................. 25.999 - 61.408 49.326 Plano de aposentadoria e pensão ............................................ 39 - - 15.846 15.721
Depósitos judiciais .................................................................... 25 1.243 - 49.300 33.074 Indenização Trabalhista - Plano Bresser .................................. 26 - - 261.113 297.260
Impostos e contribuições sociais diferidos ............................... 16 - - 565.741 579.010 Provisão para passivos contingentes ....................................... 25 - - 20.406 22.100
Tributos e contribuições sociais a compensar .......................... 9 - - 175.253 87.116 Encargos tributários sobre reserva de reavaliação .................. 16 58.880 67.927 604.281 670.449
Ativos regulatórios .................................................................... 12 - - 136.044 112.443 Passivos regulatórios................................................................ 12 - - 92.330 38.599
Despesas pagas antecipadamente .......................................... 11 48.072 - 53.877 5.421 Outros ....................................................................................... 27 _________- ____________- ________
385.437 ___________
206.945
Títulos a receber....................................................................... 13 46.825 52.071 394.645 176.838 Total do exigível a longo prazo ............................................. 1.965.655 ____________
_________ 1.577.322 ________
5.695.202 ___________
4.536.207
Outros ....................................................................................... 14 _________- ____________- ________
32.311 ___________
18.456 Resultado de exercícios futuros
Total do realizável a longo prazo .......................................... 739.430 ____________
_________ 616.212 ________
2.049.979 ___________
1.565.667 Receita recebida antecipadamente .......................................... _________- ____________
59.000 ________- ___________
59.000
TOTAL DO PASSIVO NÃO CIRCULANTE .............................. 1.965.655 ____________
_________ 1.636.322 ________
5.695.202 ___________
4.595.207
Ativo permanente PARTICIPAÇÃO DE ACIONISTAS NÃO CONTROLADORES - - 1.817.041 1.764.394
Investimentos............................................................................ 17 1.877.998 1.891.684 766.639 1.135.178 PATRIMÔNIO LÍQUIDO E RECURSOS DESTINADOS
Imobilizado - líquido.................................................................. 18 9 - 5.153.437 4.475.613 PARA AUMENTO DE CAPITAL
Intangível - líquido .................................................................... 19 - - 36.157 28.694 Capital social ........................................................................... 28 599.376 538.052 599.376 538.052
Diferido - líquido ....................................................................... _________- ____________- ________
3.460 ___________
5.120
Reservas de capital .................................................................. 28 4.458 4.458 4.458 4.458
Total do ativo permanente ..................................................... 1.878.007 ____________
_________ 1.891.684 ________
5.959.693 ___________
5.644.605 Reservas de reavaliação .......................................................... 18 619.465 687.855 619.465 687.855
TOTAL DO ATIVO NÃO CIRCULANTE ................................... 2.617.437 ____________
_________ 2.507.896 ________
8.009.672 ___________
7.210.272 Prejuízos acumulados .............................................................. (362.279) ____________
_________ (475.290) ________
(436.647) ___________
(548.286)
Total do patrimônio líquido ................................................... 861.020 755.075 786.652 682.079
Recursos destinados para aumento de capital ........................ - - 2.922 51.044
Total do patrimônio líquido e recursos destinados _________ ____________ ________ ___________
para aumento de capital ...................................................... 861.020 ____________
_________ 755.075 ________
789.574 ___________
733.123
TOTAL DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO, RECURSOS
DESTINADOS PARA AUMENTO DE CAPITAL E DE _________ ____________ ________ ___________
_________ ____________ ________ ___________ ACIONISTAS NÃO CONTROLADORES ............................ 861.020 ____________
_________ 755.075 ________
2.606.615 ___________
2.497.517
ATIVO TOTAL ........................................................................... 2.904.732 ____________
_________
_________ 2.721.752 ________
____________ 9.943.379 ___________
________ 8.958.465
___________ PASSIVO TOTAL ...................................................................... 2.904.732 ____________
_________ 2.721.752 ________
9.943.379 ___________
8.958.465

As notas explicativas são parte integrante das demonstrações contábeis.

DEMONSTRAÇÕES DO RESULTADO DEMONSTRAÇÕES DAS ORIGENS E APLICAÇÕES DE RECURSOS


Para os Exercícios findos em 31 de dezembro de 2007 e de 2006 Para os Exercícios findos em 31 de dezembro de 2007 e de 2006 (Valores expressos em milhares de reais - R$)
(Valores expressos em milhares de reais - R$, exceto lucro (prejuízo) líquido por lote de mil ações)
Companhia
______________________ Consolidado
_____________________ Companhia
______________________ Consolidado
_____________________
Notas 2007 2006 2007
_______ _________ ____________ ________ ___________ 2006
Notas _________
_______ 2007 ____________
2006 ________
2007 ___________
2006
Reclassificado Reclassificado
RECEITA OPERACIONAL BRUTA ORIGENS DE RECURSOS
Fornecimento de energia elétrica ............................................. 29 - - 4.974.913 4.614.388
Das operações
Suprimento de energia elétrica ................................................ 29 - - 113.987 100.262
Outras receitas ......................................................................... 29 _________- ____________- ________
90.768 ___________
60.423 Lucro do exercício .................................................................... 51.454 88.518 51.454 88.518
_________- ____________- 5.179.668 4.775.073
________ ___________ Participação dos minoritários no resultado .............................. - - 186.162 124.027
DEDUÇÕES DA RECEITA OPERACIONAL BRUTA
ICMS ........................................................................................ - - (1.063.280) (991.330) Receitas (despesas) que não afetam o capital circulante:
PIS - Corrente........................................................................... - - (92.450) (84.011) Depreciação e amortização (imobilizado e diferido)................. - - 321.456 287.635
PIS - Diferido ........................................................................... - - 5.775 (4.776)
COFINS - Corrente ................................................................... - - (427.960) (391.599) Despesas (receitas) financeiras do realizável e do
COFINS - Diferido .................................................................... - - (27.331) (47.982) exigível a longo prazo - líquidas ............................................. (79.767) 62.730 (24.499) 180.240
Quota para a reserva global de reversão - RGR ...................... - - (37.655) (36.909)
Quota - Conta de Consumo de Combustível - CCC ................. - - (121.061) (199.976) Baixas do ativo imobilizado ...................................................... - - 195.520 109.257
Quota - Conta de Desenvolvimento Energético - CDE............. - - (79.207) (71.513) Provisão (líquida das reversões) para contingências ............... - - (1.570) (10.305)
Outras ....................................................................................... _________- ____________- ________
(36.308) ___________
(46.098)
Resultado de participações societárias .................................... (83.239) (293.996) 23.496 (173.981)
_________- ____________- (1.879.477) (1.874.194)
________ ___________
Tributos sobre a realização da reserva de reavaliação ............ (9.047) (9.116) (56.793) (58.596)
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA ....................................... _________- ____________- 3.300.191 2.900.879
________ ___________ (Ativo) / passivo regulatório ...................................................... - - 17.507 (56.783)

CUSTO DO SERVIÇO DE ENERGIA ELÉTRICA (Ganhos)/perdas nas alienações de bens


Energia elétrica comprada para revenda.................................. 30 e 31 - - (1.202.242) (899.944) e direitos do Ativo Permanente ............................................. - 3.005 (2.963) (133.407)
Encargo de uso do sistema de transmissão e distribuição ...... _________- ____________- ________
(159.352) ___________
(216.384)
Créditos tributários diferidos ..................................................... - 49.178 15.773 31.832
_________- ____________- (1.361.594) (1.116.328)
________ ___________
CUSTO DE OPERAÇÃO Capitalização de gastos administrativos/operacionais ............. - - (105.264) (32.517)
Pessoal ..................................................................................... - - (138.202) (110.761) Outras ....................................................................................... (3.138) ____________
4.588 ________
(7.670) ___________
24.959
Material ..................................................................................... - - (31.306) (27.165) _________
Matéria prima e insumos para produção de energia elétrica ... - - (239.950) (231.610) Total originado das operações .............................................. (123.737) ____________
(95.093) ________
612.609 ___________
380.879
_________
Serviços de terceiros ................................................................ - - (207.944) (169.499)
Depreciação e amortização...................................................... - - (307.778) (275.802)
Arrendamento e aluguéis ......................................................... - - (19.068) (92.083) Dos Acionistas:
Subvenção - CCC ..................................................................... - - 255.896 251.474
Outras despesas ...................................................................... Aumento de capital ................................................................... 61.324 - 61.324 -
_________- ____________- ________
(31.458) ___________
(17.032)
_________- ____________- ________
(719.810) ___________
(672.478)
Custo do serviço prestado a terceiros ...................................... _________- ____________- ________
(10.312) ___________
(10.094) De outras fontes
Redução do realizável a longo prazo ....................................... 94.201 4.246 275.387 218.714
LUCRO OPERACIONAL BRUTO ............................................ _________- ____________- 1.208.475 1.101.979
________ ___________ Adição (líquida) de mútuos passivos ........................................ - 286.884 - -
DESPESAS OPERACIONAIS Alienação de bens e direitos do Ativo Permanente .................. - 19.989 12.230 502.741
Despesas com vendas ............................................................. 32 - - (162.606) (145.118) Aumento do passivo exigível a longo prazo ............................ 16.214 241.482 83.480 354.833
Despesas gerais e administrativas ........................................... 32 (6.337) (4.757) (237.131) (321.914)
Empréstimos, financiamentos e debêntures .......................... 22 e 23 1.385.673 74.163 2.320.049 1.351.928
Outras despesas operacionais ................................................. 32 2.640 ____________
_________ (72) ________
(25.158) ___________
(17.164)
(3.697) ____________
_________ (4.829) ________
(424.895) ___________
(484.196) Assunção de dívidas com controladoras .................................. - 412.182 - 412.182
RESULTADO DO SERVIÇO .................................................... (3.697) ____________
_________ (4.829) ________
783.580 ___________
617.783 Impostos, contribuições e parcelamentos ................................ - - 2.914 154.004
Redução (líquida) de mútuos ativos ......................................... 21.985 - - -
RESULTADO DE PARTICIPAÇÕES SOCIETÁRIAS ............... 17 83.239 293.996 (23.496) 173.981
Obrigações vinculadas à concessão ........................................ - - 452.077 278.794
RESULTADO FINANCEIRO Dividendos e Juros sobre o capital próprio .............................. 182.961 202.466 - -
Receitas financeiras Outras ....................................................................................... 1.542 ____________- ________- ___________-
_________
Renda de aplicações financeiras ............................................. 17.809 496 53.227 53.060
Juros ativos............................................................................... 112.014 61.762 92.752 139.795 TOTAL DAS ORIGENS ............................................................ 1.640.163 ____________
_________ 1.146.319 ________
3.820.070 ___________
3.654.075
Acréscimos moratórios - Energia vendida ................................ - - 51.546 46.582
Variação monetária - moeda nacional ...................................... - - 1.671 (7.713)
Variação monetária - moeda estrangeira ................................. 120.541 - 205.870 41.645 APLICAÇÕES DE RECURSOS
Outras ....................................................................................... 33 9.420 ____________
_________ (864) ________
38.773 ___________
23.108
259.784 ____________
61.394 ________
443.839 ___________
296.477 Aumento do ativo realizável a longo prazo ............................... 168.261 191 406.457 132.460
_________
Despesas financeiras Adição (líquida) de mútuos ativos ............................................ - 517.114 18.051 41.624
Encargos de dívidas ................................................................. (258.342) (187.460) (377.034) (332.036) Em Investimento .................................................................... 93.992 183.991 21.945 78.492
Variação monetária - moeda nacional ...................................... (6.433) (12.804) (32.656) (14.375)
Variação monetária - moeda estrangeira ................................. (5.101) - (12.457) (18.736) No Imobilizado ....................................................................... 9 - 1.048.077 811.901
Acréscimos moratórios - Energia comprada ............................ - - (14.944) (29.143) No diferido ............................................................................. - - 3.376 6.520
Juros e multas .......................................................................... (3.057) (8.487) (183.205) (317.385)
Aumento do ativo líquido não circulante pelas
Juros sobre o capital próprio .................................................... - - (39.201) (10.372)
Outras ....................................................................................... 33 (24.306) ____________
_________ (10.149) ________
(160.678) ___________
(66.055) aquisições e inserções de controladas.............................. - - 72.566 168.801
(297.239) ____________
_________ (218.900) ________
(820.175) ___________
(788.102) Redução (líquida) de mútuos passivos.................................. 472.949 - 10.985 266.439
Resultado financeiro .............................................................. (37.455) ____________
_________ (157.506) ________
(376.336) ___________
(491.625) Redução do passivo não circulante ....................................... 579.215 411.741 1.659.882 1.367.100
RESULTADO OPERACIONAL ................................................ 42.087 131.661 383.748 300.139 Cessão de créditos com controladora ................................... - 55.541 - 55.541
Variação (líquida) de participação em controlada ................. _________- ____________- ________
181.638 ___________
183.878
RESULTADO NÃO OPERACIONAL
Receita não operacional ........................................................... 34 376 5 11.264 146.248 TOTAL DAS APLICAÇÕES ..................................................... 1.314.426
_________ 1.168.578 3.422.977 ___________
3.112.756
_________ ____________
____________ ________
________ ___________
Despesa não operacional ......................................................... 34 (31) ____________
_________ (3.086) ________
(36.780) ___________
(49.141)
345 ____________
_________ (3.081) ________
(25.516) ___________
97.107 AUMENTO (REDUÇÃO) DO CAPITAL CIRCULANTE LÍQUIDO 325.737
_________ (22.259) 397.093 541.319
_________ ____________
____________ ________
________ ___________
___________
LUCRO ANTES DO IMPOSTO DE RENDA
E DA CONTRIBUIÇÃO SOCIAL ............................................. 42.432 ____________
_________ 128.580 ________
358.232 ___________
397.246 VARIAÇÃO DO CAPITAL CIRCULANTE LÍQUIDO
IMPOSTO DE RENDA E CONTRIBUIÇÃO SOCIAL Ativo circulante:
Corrente.................................................................................... 16 (25) (1.815) (184.780) (220.442)
Diferido ..................................................................................... 16 9.047 ____________
_________ (38.247) ________
36.258 ___________
30.655 No início do exercício ............................................................. 213.856 41.955 1.760.791 1.383.842
9.022 ____________
_________ (40.062) ________
(148.522) ___________
(189.787)
No final do exercício ............................................................... 287.295 ____________
_________ 213.856 1.933.707 1.760.791
________ ___________
LUCRO ANTES DAS PARTICIPAÇÕES E DA
REVERSÃO DOS JUROS SOBRE O CAPITAL PRÓPRIO.... 51.454 ____________
_________ 88.518 ________
209.710 ___________
207.459 73.439 ____________
171.901 ________
172.916 ___________
376.949
_________
Participações dos administradores........................................... - - (4.673) (1.170)
Participações de partes beneficiárias....................................... _________- ____________- ________
(6.622) ___________
(4.116) Passivo circulante:
LUCRO ANTES DA REVERSÃO DOS JUROS
No início do exercício ............................................................. 330.355 136.195 1.865.740 2.030.110
SOBRE O CAPITAL PRÓPRIO, E DA
PARTICIPAÇÃO DE MINORITÁRIOS ................................. 51.454
_________ 88.518
____________ 198.415
________ 202.173
___________ No final do exercício ............................................................... 78.057 ____________
_________ 330.355 1.641.563 1.865.740
________ ___________
Reversão dos juros sobre o capital próprio .............................. _________- ____________- 39.201
________ 10.372
___________
LUCRO ANTES DA PARTICIPAÇÃO DOS MINORITÁRIOS . 51.454
_________ 88.518
____________ 237.616
________ 212.545
___________ (252.298) ____________
_________ 194.160 ________
(224.177) ___________
(164.370)
Participação minoritária nos resultados das controladas ......... _________- ____________- (186.162)
________ (124.027)
___________ _________ ____________ ________ ___________
LUCRO LÍQUIDO DO EXERCÍCIO .......................................... 51.454
_________ 88.518
____________ 51.454
________ 88.518
___________
AUMENTO (REDUÇÃO) DO CAPITAL CIRCULANTE LÍQUIDO 325.737
_________ (22.259) 397.093 541.319
Lucro líquido por lote de mil ações - R$ .............................. 168,81
_________ 311,39
____________ 168,81
________ 311,39
___________ _________ ____________
____________ ________
________ ___________
___________
As notas explicativas são parte integrante das demonstrações contábeis. As notas explicativas são parte integrante das demonstrações contábeis.
DEMONSTRAÇÕES DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO (COMPANHIA)
Para os Exercícios findos em 31 de dezembro de 2007 e de 2006 (Valores expressos em milhares de reais - R$)
Total do
Capital Reservas Reservas de Prejuízos patrimônio
social
_____________ de capital
_____________ reavaliação
_____________ acumulados
_____________ líquido
____________
Notas 28 28 18
SALDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2005 ................................................................................................................................................................................................ 538.052 4.458 750.874 (626.827) 666.557
Realização de reserva de reavaliação em controladas .............................................................................................................................................................................. - - (63.019) 63.019 -
Lucro líquido do exercício ............................................................................................................................................................................................................................ _____________- _____________- _____________- 88.518
_____________ 88.518
____________
SALDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2006 ................................................................................................................................................................................................ 538.052 4.458 687.855 (475.290) 755.075
Aumento de capital conforme AGE de 29 de junho de 2007....................................................................................................................................................................... 61.324 - - - 61.324
Reversão de reserva de reavaliação em controladas ................................................................................................................................................................................. - - (6.833) - (6.833)
Realização de reserva de reavaliação em controladas .............................................................................................................................................................................. - - (61.557) 61.557 -
Lucro líquido do exercício ............................................................................................................................................................................................................................ _____________- _____________- _____________- 51.454
_____________ 51.454
____________
SALDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2007 ................................................................................................................................................................................................ 599.376
_____________ 4.458
_____________ 619.465
_____________ (362.279)
_____________ 861.020
____________
As notas explicativas são parte integrante das demonstrações contábeis.

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS CONSOLIDADAS


Para os Exercícios findos em 31 de dezembro de 2007 e de 2006 (Valores expressos em milhares de reais - R$)

1. CONTEXTO OPERACIONAL Companhia ____________________


__________________ Consolidado Estimativas: A preparação de demonstrações financeiras, de acordo com as prá-
A Rede Empresas de Energia Elétrica S.A. (Companhia), sociedade de capital aberto, Reclassi- Reclassi- ticas contábeis adotadas no Brasil, requer que a Administração da Sociedade e de
controlada pela Empresa de Eletricidade Vale Paranapanema S.A., atua exclusivamen- Publicado ________
ficado _________
Publicado _________
ficado suas controladas se baseiem em estimativas para o registro de certas transações
_________
te como “holding” controladora de participações societárias, tendo como objetivo prin- que afetam seus ativos, passivos, receitas e despesas, bem como a divulgação de
Quota-Conta de Desenvolvimento
cipal a participação acionária em empresas controladas e coligadas diretas e indiretas, informações sobre dados das suas demonstrações financeiras. Os resultados finais
Energético-CDE ............................ - (71.513)
vinculadas à,atividade de geração, transmissão, distribuição e comercialização de ener- dessas transações e informações, quando de sua efetiva realização em períodos sub-
Outros encargos .............................. - (46.098)
gia elétrica, bem como atividades necessárias ou úteis à consecução do seu objeto seqüentes, podem diferir dessas estimativas.
Total de deduções
social ou com ele rerlacionadas. Informações sobre quantidade de ações e resultado por ação: conforme reque-
da receita operacional ................ (1.558.342) (1.874.194)
rido pelas práticas contábeis adotadas no Brasil, informações sobre quantidade de
Receita Operacional Líquida ........ 3.216.731 2.900.879
2. DAS CONCESSÕES ações e resultado por ações consideram a quantidade histórica de ações efetivamen-
Custo do Serviço de Energia Elétrica
As áreas da concessão legal nas atividades de distribuição de energia elétrica de te em circulação na data do balanço. O prejuízo por ação corresponde à razão entre
Energia elétrica comprada
suas controladas diretas e indiretas são as seguintes: o prejuízo líquido da Companhia no exercício e a quantidade de ações em circulação
para revenda ................................. (897.998) (899.944)
Número no final deste exercício.
Total do custo do serviço
aproximado de Número de Em virtude do processo de desverticalização da Companhia, e em atendimento à
de energia elétrica ....................... (1.114.382) (1.116.328)
Área em consumidores municípios legislação pertinente, a demonstração do resultado apresentado em 2005 refere-se à
Custo de Operação
Controladas diretas: _________________
_________________ Áreas de concessão ________ km2 _____________
atendidos __________
abrangidos atividade de distribuição de energia elétrica do período de janeiro a outubro de 2005,
Pessoal ............................................ (97.282) (110.761)
(*) (*) (*) enquanto que do período de novembro e dezembro de 2005, como holding.
Matéria prima e insumos para
Caiuá - Distribuição Região de Presidente produção de energia elétrica ......... (231.612) (231.610)
de Energia S.A. Prudente no Oeste do 5. DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS CONSOLIDADAS
Serviços de terceiros ....................... (178.241) (169.499)
Estado de São Paulo As demonstrações contábeis consolidadas da Companhia apresentam os saldos das
Outros .............................................. (25.744) (17.032)
(SP) 9.149 198.184 24 contas de todas as suas controladas diretas e indiretas. Para as controladas em con-
Lucro operacional bruto
Empresa de Região de Assis no junto, mediante acordo de acionistas, a consolidação incorpora as contas de ativo,
Despesas Operacionais
Distribuição de Oeste do Estado passivo e resultado, proporcionalmente à participação total detida no capital social da
Despesas gerais e administrativas .. (4.574) (4.757) (317.934) (321.914)
Energia Vale de São Paulo respectiva controlada em conjunto. Os saldos e as transações intercompanhias, assim
Outras despesas operacionais ........ (75) (72) (334.965) (17.164)
Paranapanema S.A. (SP) 11.780 150.113 27 como os lucros não realizados, foram eliminados na consolidação.
Total das despesas operacionais (798.017) (484.196)
Empresa Elétrica Região de Bragança Todos os saldos e transações entre a Companhia e suas controladas são eliminados
Lei nº. 11.638/07
Bragantina S.A. Paulista no Estado de na consolidação incluindo investimentos, contas a receber, dividendos a receber, re-
Em 28 de dezembro de 2007 foi aprovada a Lei nº. 11.638/07 que introduz alterações
São Paulo (SP) e ceitas e despesas entre as companhias consolidadas e resultados não realizados.
relevantes na Lei das Sociedades Anônimas no que tange à preparação e divulgação
Cambuí no Estado de Transações e saldos com partes relacionadas, principalmente acionistas e investidas,
das demonstrações contábeis a partir de 1 de janeiro de 2008.
Minas Gerais (MG) 3.493 115.061 15 estão descritas em notas explicativas.
Essa nova Lei representa um grande avanço no processo de harmonização das normas
Cia. Força e Luz do Município de Guarapuava A controlada em conjunto Investco S.A., foi consolidada na proporção de participação
contábeis brasileiras em relação às normas internacionais de contabilidade (IFRS).
Oeste no Estado do Paraná societária da Companhia e da controlada Rede Lajeado Energia S.A., em 39,64%.
Dentre as principais alterações introduzidas, destacamos os seguintes assuntos que na
(PR) 1.200 46.067 1 Não há participação societária recíproca entre as Companhias, e a participação nas
avaliação de nossa Administração poderão modificar a forma de apresentação de nos-
Cia. Nacional de Região de Catanduva demonstrações contábeis do exercício findo em 31 de dezembro de 2007 dos acionis-
sas demonstrações financeiras e os critérios de apuração de nossa posição patrimonial
Energia Elétrica e Novo Horizonte no tas não controladores está destacada em conta específica denominada “participações
e financeira e do nosso resultado a partir do exercício a findar-se em 2008:
Estado de São Paulo minoritárias”.
• Obrigatoriedade da apresentação da demonstração dos fluxos de caixa em substi-
(SP) 4.500 92.926 15 O ágio apurado na aquisição dos investimentos nas controladas incluídas na consoli-
tuição a demonstração das origens e aplicações de recursos;
Cia. de Energia dação está registrado em conta destacada do ativo permanente - investimentos.
• Inclusão da demonstração do valor adicionado;
Elétrica do Estado As demonstrações contábeis consolidadas abrangem as da Companhia e das suas
• Distingue as demonstrações contábeis daquelas elaboradas para fins de atendimen-
do Tocantins - Estado do Tocantins controladas diretas e indiretas da seguinte forma:
to a legislação tributária;
CELTINS (TO) 277.621 372.546 139 Percentual de
• Foi criada a rubrica “ajustes de avaliação patrimonial” no Patrimônio Líquido.
Participação %
_______________
• Itens de ativo e passivo provenientes de operações de longo prazo, bem como ope-
Centrais Elétricas rações relevantes de curto prazo, serão ajustados a valor presente. Empresas Controladas:
______________________________________ Atividade _______
____________ 2007 _______
2006
Matogrossenses Estado do Mato • Instrumentos financeiros “disponíveis para venda” ou “destinados à negociação” pas- Empresa Elétrica Bragantina S.A. ..................... Distribuição 91,45 91,45
S.A. - CEMAT Grosso (MT) 903.358 875.348 141 sam a ser avaliados a valor de mercado; Cia. Nacional de Energia Elétrica ...................... Distribuição 98,69 98,69
Controlada Indireta: • O valor de recuperação dos bens e direitos do imobilizado, intangível e diferido deverá Cia. Força e Luz do Oeste ................................. Distribuição 97,70 97,70
Centrais Elétricas ser periodicamente avaliado para que se possa efetuar o registro de perdas potenciais Cia. de Energia Elétrica do Estado
do Pará S.A. ou uma revisão dos critérios de e taxas de depreciação, amortização e exaustão; do Tocantins - CELTINS .................................. Distribuição 50,86 50,86
- CELPA Estado do Pará (PA) 1.247.690
________ 1.498.154
_____________ 143
__________ • Os incentivos fiscais não serão mais classificados como reserva de capital, passan- Centrais Elétricas Matogrossenses S.A. - CEMAT Distribuição 39,92 37,54
Soma 2.458.791 3.348.399 505 do a fazer parte do resultado do exercício; Centrais Elétricas do Pará S.A. - CELPA ........... Distribuição 43,43 43,43
________ _____________ __________
• Na operação de Transformação, Incorporação, Fusão ou Cisão, entre partes inde- QMRA Participações S.A................................... Holding 65,00 65,00
Rede Comercializadora de Energia S.A. ________- 15
_____________ __________-
pendentes e em que ocorra a efetiva transferência de controle, a avaliação a valor de Rede Lajeado Energia S.A. ............................... Geração 53,69 59,84
TOTAL 2.458.791
________ 3.348.414
_____________ 505
__________ Tangará Energia S.A.......................................... Geração 70,78 67,32
________ _____________ __________ mercado dos ativos e passivos será obrigatoriamente a valor de mercado;
(*) Informações não auditadas. • Torna obrigatória a manutenção de escrituração e preparação das demonstrações Rede Power do Brasil S.A.................................. Prest. Serviços 99,98 99,80
As principais concessões nas atividades de geração de energia elétrica da Compa- contábeis de sociedades de grande porte com observância as disposição da lei so- Caiuá Distribuição de Energia S.A. ................... Distribuição 100,00 100,00
nhia e de suas controladas diretas e indiretas, consolidadas, são as seguintes: cietária e exige a auditoria independente dessas demonstrações por auditores regis- Empresa de Distrib. de Energia
Capaci- Capaci- trados na Comissão de Valores Mobiliários Vale Paranapanema S. A ................................ Distribuição 100,00 100,00
dade dade Data Data de No momento não é possível determinar os efeitos decorrentes da entrada em vigor Rede Comercializadora de Energia S. A . ......... Comerc. Energia 99,60 99,60
instalada utilizada da con- venci- da referida Lei nas demonstrações contábeis da Companhia. Rede de Eletricidade e Serviços S. A . .............. Serviços 99,50 99,50
Companhia/UHE Rio ________
MW _______ MW _______
cessão _______
mento Vale do Vacaria Açucar e Álcool S. A ................ Agrícola 50,98 -
_________________ ________________
4. PRINCIPAIS PRÁTICAS CONTÁBEIS ADOTADAS Investco S. A . .................................................... Geração _______
39,64 _______-
Cia. Nacional de
Aplicações no mercado aberto e títulos e valores mobiliários: são registrados Investimento em Controladas indiretas:
Energia Elétrica:
ao valor de custo, acrescido dos respectivos rendimentos auferidos até a data das Ipueiras Energia S.A. ......................................... Geração 50,72 99,30
UHE Reynaldo Ribeirão
demonstrações contábeis. Juruena Energia S.A.......................................... Geração 99,98 99,80
Gonçalves dos Porcos ________1,00 _______
0,70 _______
1/12/98 _______
7/7/15
Consumidores: incluem o fornecimento de energia elétrica faturado e a faturar a con- Tocantins Energia S.A. ...................................... Transmissão _______
50,87 _______
99,60
Juruena
sumidores finais, uso da rede, serviços prestados, acréscimos moratórios e a outras A conciliação do patrimônio líquido e do resultado líquido da Companhia, em relação
Energia S/A:
concessionárias pelo suprimento de energia elétrica conforme montantes disponibili- ao consolidado, está demonstrada a seguir:
UHE Juína Aripuanã 5,10 4,36 11/12/97 11/12/27
zados pela CCEE e saldos relacionados a ativos regulatórios de diversas naturezas, Lucro Líquido
UHE Aripuanã Aripuanã ________0,80 _______
0,80 11/12/97
_______ 11/12/27
_______ registrados de acordo com o regime de competência. do Exercício ______________________
_____________________ Patrimônio Líquido
Provisão para créditos de liquidação duvidosa: constituída por montante considerado __________ 2007 __________ 2006 __________2007 __________
2006
Tangará suficiente pela administração da Companhia para cobrir as possíveis perdas que possam Saldos na Companhia ........... 51.454 88.518 861.020 755.075
Energia S/A: ocorrer na realização das contas a receber, cuja recuperação é considerada improvável. Lucros não realizados ........... __________ __________ __________ (74.368) __________
(72.996)
UHE Guaporé Guaporé ________
124,20 _______
48,83 _______
13/3/00 _______
7/7/25 Estoque (Inclusive do Ativo Imobilizado): os materiais em estoque classificados no Subtotal ................................. 51.454 88.518 786.652 682.079
Rede Lajeado ativo circulante (almoxarifado de manutenção e administrativos) e aqueles destinados Recursos destinados para
Energia S/A: a investimento classificados no Ativo não Circulante – Imobilizado (depósito de obra) aumento de capital .............. __________- __________- __________ 2.922 __________
51.044
UHE Luiz Eduardo estão registrados ao custo médio de aquisição.
Saldos consolidados........... __________ 51.454 __________
__________ 88.518 __________
__________ 789.574 __________
__________ 733.123
__________
Magalhães Tocantins ________
902,50 _______
421,68 16/12/97
_______ 16/12/33
_______ Investimentos: inclui as participações societárias permanentes em controladas e coli-
Capaci- Capaci- gadas avaliadas pelo método de equivalência patrimonial. As demais participações estão
Concessão/ dade dade Data Data de registradas ao custo de aquisição, deduzidas de provisões para redução ao valor de mer- 6. APLICAÇÕES NO MERCADO ABERTO
Usinas instalada utilizada da con- venci- cado, quando aplicável. Inclui também os ágios registrados na aquisição de subsidiárias, Companhia ______________________
_____________________ Consolidado
Companhia Termelétricas ________
MW ________MW _______
cessão _______
mento decorrentes da diferença entre o preço de aquisição pago e o valor do patrimônio contábil Tipo de Aplicação
________________ 2007 __________
__________ 2006 __________
2007 __________
2006
_________________ _________________
da empresa adquirida, amortizados proporcionalmente às curvas do lucro líquido projeta- CDB ....................................... 101.069 1.380 319.605 224.248
Centrais Elétricas Concessão de
do para o período remanescente do contrato de concessão de cada investida. CDI ........................................ - - - 163.979
Matogrossenses 25 Usinas Termelétri-
Imobilizado: Está registrado ao custo de aquisição ou construção, corrigido monetaria- Debêntures ............................ 36.063 - 68.233 -
S.A. - CEMAT cas, sendo as mais
mente até 31 de dezembro de 1995 e reavaliado em agosto de 2001, com revisão em FAQ DI ................................... - - 161 65
representativas, com
maio de 2005, exceto para os grupos de automóveis, caminhões e móveis e utensílios. A Fundo Renda Fixa ................. - - - 23.980
capacidade instalada
depreciação dos bens é calculada pelo método linear, às taxas médias anuais de acordo Outros .................................... __________- __________- __________
259 __________
1.685
acima de 5 MW: Vila Rica,
com a Resolução Normativa da ANEEL nº. 240 de 5 de dezembro de 2006. 137.132 __________
Total ...................................... __________
__________ 1.380 __________
__________ 388.258 __________
__________ 413.957
__________
Querência e Nova
Reserva de reavaliação: é realizada em proporção à depreciação e alienação dos
Monte Verde ________
61,95 ________
28,19 10/12/97
_______ 10/12/27
_______ As aplicações financeiras podem ser resgatadas a qualquer momento pela Compa-
ativos imobilizados reavaliados, sendo transferida para a conta de lucros acumulados,
Centrais Elétricas Concessão de líquida dos efeitos do imposto de renda e da contribuição social. nhia e suas Controladas.
do Pará S/A/ - 16 Usinas Termelétricas, Custos indiretos de obras em andamento: parte dos gastos da administração cen-
CELPA sendo as mais represen- tral é apropriada às imobilizações em curso. Essa apropriação é feita mensalmente 7. CONSUMIDORES
tativas, com capacidade com base em critérios adequadamente fundamentados. Composição: Consolidado
__________________
instalada acima de 1 MW: Empréstimos, financiamentos e debêntures: estão atualizados pela variação mo- 2007 ________
________ 2006
Castelo dos Sonhos Novo netária e/ou cambial, juros e encargos financeiros, determinados em cada contrato, Faturados................................................................................ 652.734 585.482
Progresso e Santana do Araguaia ________
34,05 ________
15,83 _______
28/7/98 _______
28/7/28 incorridos até a data de encerramento do balanço. Esses ajustes são apropriados ao Não faturados ......................................................................... ________
153.082 ________
160.171
A geração própria de energia elétrica das Controladas consolidadas representa apro- resultado do período em despesas financeiras, exceto pela parte apropriada ao custo 805.816 ________
________
________ 745.653
________
ximadamente 23,39% da energia distribuída, sendo a parcela remanescente forneci- do ativo imobilizado em curso. Saldos Vencidos
_______________
da substancialmente pela Duke Energy e AES Tietê, no Estado de São Paulo, CEMIG Provisão para passivos contingentes: as provisões para contingências são cons-
Classe de Saldos Até Mais de
no Estado de Minas Gerais, ELETRONORTE, Furnas e CHESF nos Estados de Mato tituídas mediante avaliações dos riscos em processos cuja probabilidade de perda
Consumidores
___________________ vincendos
_________ 90 dias _______
_______ 90 dias _______ 2007 _______
Total _______ 2006
Grosso, Tocantins e Pará, e COPEL, no Estado do Paraná. é provável e quantificadas com base em fundamentos econômicos, na avaliação da
Para a prestação dos serviços objeto das concessões supramencionadas, suas con- administração e dos assessores legais em pareceres jurídicos sobre os processos Ativo circulante:
troladas possuíam, em 31 de dezembro de 2007, um quadro próprio de 5.534 (*) existentes e outros fatos contingenciais conhecidos nas datas dos balanços. Residencial .................. 144.520 98.663 63.191 161.854 306.374 282.739
funcionários, 4.472 (*) prestadores de serviços e 227 (*) estagiários. Contratos de arrendamento mercantil: as operações decorrentes de contratos de Industrial ...................... 84.633 24.752 41.682 66.434 151.067 141.324
(*) Informações não auditadas. arrendamento mercantil, com características de leasing financeiro, não são registra- Comércio, serviços
das como se fosse uma compra financiada. O valor das contraprestações, excluindo e outras atividades .... 91.556 43.139 34.319 77.458 169.014 161.171
3. ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS o montante da antecipação do valor residual, se houver, é apropriado ao resultado do Rural ............................ 19.099 8.483 5.983 14.466 33.565 28.214
As demonstrações contábeis foram elaboradas e estão sendo apresentadas de acor- exercício, em despesas de arrendamento, em função da fluência do prazo contratual. Poder público:
do com as práticas contábeis estabelecidas pela Lei das Sociedades Anônimas (Leis O valor residual antecipado, se houver, é registrado no ativo imobilizado à medida que Federal ........................ 3.337 1.988 396 2.384 5.721 8.211
nos. 6.404/76, 9.457/97 e 10.303/01), pela deliberação CVM nº. 488 e 489 de 03 forem efetuados os pagamentos. Estadual....................... 9.718 2.485 1.331 3.816 13.534 24.052
de outubro de 2005 e disposições complementares da CVM - Comissão de Valores Imposto de renda e contribuição social: a provisão para imposto de renda e contribui- Municipal ..................... 31.714 12.179 5.270 17.449 49.163 40.549
Mobiliários e normas aplicáveis às empresas concessionárias do serviço público de ção social é calculada com base no lucro tributável e na base de cálculo da contribuição Iluminação pública ....... 15.843 4.422 1.410 5.832 21.675 22.290
energia elétrica, estabelecidas pelo Poder Concedente, ANEEL. social, de acordo com as alíquotas vigentes na data do balanço. Sobre as diferenças tem- Serviço público ............ 18.077 9.381 7.310 16.691 34.768 33.762
Algumas informações adicionais estão sendo apresentadas em notas explicativas e porárias, prejuízo fiscal e base negativa de contribuição social são constituídos impostos Redução de Tarifa -
quadros suplementares em atendimento às instruções contidas no Ofício Circular nº. diferidos, de acordo com as respectivas alíquotas vigentes na data do balanço. Os preju- Irrigação e
2.409/2007 - SFF/ANEEL, de 14 de novembro de 2007. ízos fiscais e base negativa de contribuição social podem ser compensados anualmente, Aquicultura (b) ........... 5.658 - - - 5.658 3.341
O Balanço Patrimonial e a Demonstração do Resultado do exercício findo em 31 de observando-se o limite de até 30% do lucro tributável para o exercício. Fornecimento não
dezembro de 2006, foram reclassificadas, quando aplicável, para fins de comparabi- Registro das operações de compra e venda de energia na CCEE - Câmara de Faturado Programa
lidade, conforme segue: Comercialização de Energia Elétrica: as compras (custo de energia comprada) e as Luz P/Todos (c) ......... _________ 15.277 _______- _______- _______- _______
15.277 _______-
Companhia ____________________
__________________ Consolidado vendas (receita de suprimento) são registradas pelo regime de competência de acor- Subtotal - consumidores 439.432 205.492 160.892 366.384 805.816 745.653
Reclassi- Reclassi- do com as informações divulgadas pela CCEE, entidade responsável pela apuração Participação financeira
Publicado ________
ficado _________
Publicado _________
ficado das operações de compra e venda de energia. Nos meses em que essas informações do consumidor ........... 14.628 603 2.212 2.815 17.443 18.960
BALANÇO PATRIMONIAL _________
não são disponibilizadas em tempo hábil pela CCEE, os valores são estimados pela Comercialização
ATIVO NÃO CIRCULANTE administração da Companhia, utilizando-se de parâmetros disponíveis no mercado. na CCEE (a) .............. 17.227 - - - 17.227 6.146
Ativo Permanente Plano de suplementação de aposentadoria e pensão: os custos, as contribuições Programa emergencial
Imobilizado - líquido......................... 4.519.957 4.475.613 e o passivo atuarial são determinados, na data do balanço, por atuários independen- redução do consumo . - - 513 513 513 559
Total do ativo permanente ............ 5.688.949 5.644.605 tes. A partir de 31 de dezembro de 2001, esses valores são apurados e registrados de Encargo de uso
TOTAL DO ATIVO acordo com a Deliberação CVM nº. 371/00. da rede elétrica.......... 7.447 - - - 7.447 5.282
NÃO CIRCULANTE ...................... 7.242.017 7.197.573 Outros direitos e obrigações: demais ativos e passivos circulantes e não circulantes Encargos de capacidade
TOTAL DO ATIVO ........................... 9.002.808 8.958.464 que estão sujeitos a variação monetária ou cambial por força de legislação ou cláu- emergencial ............... - 1 4.019 4.020 4.020 4.358
PASSIVO NÃO CIRCULANTE sulas contratuais, estão atualizados com base nos índices previstos nos respectivos Energia livre (*) ............ 497 - - - 497 109
Sub-rogação - CCC ......................... 44.344 - dispositivos, de forma a refletir os valores na data das demonstrações contábeis. Concessionárias
Total do passivo não circulante ... 4.580.551 4.536.207 Derivativos: A Companhia e suas controladas firmaram contratos derivativos com e permissionárias ...... 677 - - - 677 595
TOTAL DO PASSIVO o objetivo de administrar os riscos associados a variações nas taxas cambiais e de Outros .......................... _________
6.581 6.531 _______
4.855 _______
11.386 _______
17.967 _______
15.673
NÃO CIRCULANTE ...................... 4.639.551 4.595.207 _______
juros. Os Referidos contratos derivativos são contabilizados pelo regime de compe- 486.489
Total ............................ _________ 212.627 _______
172.491 _______
385.118 _______
871.607 _______
797.335
TOTAL DO ATIVO ........................... 9.002.808 8.958.464 tência. Os ganhos e perdas auferidos ou incorridos em função desses contratos são _________ _______
_______ _______ _______ _______ _______
DEMOSTRAÇÃO DO RESULTADO reconhecidos como ajustes em receitas ou despesas financeiras. Os contratos deriva- Ativo não circulante:
Deduções da Receita Operacional Bruta tivos da Companhia são com instituições financeiras de grande porte e que apresen- Consumidores ............. 154.977 - 74.370 74.370 229.347 196.758
Quota-Conta de Consumo tam grande experiência com instrumentos financeiros dessa natureza. A Companhia Recomposição
de Combustíveis-CCC ................... (1.735) (199.976) não tem contratos derivativos com fins comerciais e especulativos. de receita (*) .............. - - - - - 16.790
Saldos Vencidos
_______________ Esse dispositivo legal ampliou o horário, estabelecido na Portaria DNAEE 105, de 3 de A atualização monetária dos valores registrados nessa conta vem sendo apurada
Classe de Saldos Até Mais de abril de 1992, das 23h às 5hs do dia seguinte, em que eram concedidos descontos es- com base na taxa de juros SELIC/BACEN.
Consumidores
___________________ vincendos _______
_________ 90 dias _______
90 dias _______ 2007 _______
Total _______ 2006 peciais para consumidores do Grupo A (alta tensão) e para o Grupo B (baixa tensão). (b) PIS e COFINS
Participação financeira A Resolução Normativa nº. 207, de 9 de janeiro de 2006, que “estabelece os proce- Pelas Leis Federal nº. 10.637, de 30 de dezembro de 2002, 10.833, de 29 de dezem-
do consumidor ........... 71.026 - - - 71.026 77.766 dimentos para aplicação de descontos especiais na tarifa de fornecimento relativa ao bro de 2003, 10.865, de 30 de abril de 2004 e 11.196/05 de 21 de novembro de 2005,
Comercialização consumo de energia elétrica da atividade de irrigação e na aqüicultura”, dispôs no arti- foram alteradas as bases de cálculos e majoração das alíquotas do PIS e da COFINS.
no CCEE (a) .............. 14.146 - - - 14.146 13.150 go 6º. que “o valor financeiro resultante dos descontos estabelecido nesta Resolução, Em função dessas alterações, as concessionárias distribuidoras de energia elétrica
Energia livre (*) ............ - - - - - 16.709 configura direito da concessionária a ser compensado no primeiro reajuste ou revisão tiveram um acréscimo nas despesas com PIS e COFINS.
Provisão para perdas .. - - - - - (16.709) tarifária após a correspondente apuração”. A ANEEL reconheceu o direito da CEMAT ao ressarcimento das despesas adicionais
Outros .......................... _________
2.231 _______- _______- _______- _______
2.231 _______
598 Subsídios a Irrigantes
____________________________________________________________________ com o PIS incorridas a partir de dezembro de 2002 e a partir de fevereiro de 2004 para
242.380 _______
Total ............................ _________ Contro- Resolução Nota Processo Valor a COFINS, sem cobertura tarifária.
_________ _______- _______
74.370 _______
_______ 74.370 _______
_______ 316.750 _______
_______ 305.062
_______
lada
_________ Homolog _______
________ Data ___________
Técnica ___________
Data ____________
48500. _____R$ De acordo com os procedimentos definidos pela ANEEL no Ofício Circular nº. 190,
(*) vide nota explicativa nº. 12 de 1 de fevereiro de 2005, ratificado pelo Ofício Circular nº. 302, de 25 de fevereiro de
CEMAT 444 03.04.07 71 e 75/2007 26 e 29/03/07 98/2007-86 2.168
(a) Comercialização na CCEE 2005, a CEMAT apurou créditos relativos aos custos adicionais incorridos nos respec-
CAIUÁ 460 08.05.07 95/2007 30.04.07 1751/2007-70 13
O saldo da conta de consumidores no consolidado inclui o registro dos valores tivos períodos no montante de R$ 37.444, os quais foram consignados contabilmente
EEB 461 08.05.07 96/2007 30.04.07 1752/2007-52 1
referentes à comercialização de energia de curto e longo prazo no montante de em rubricas específicas do Ativo.
EDEVP 462 08.04.07 97/2006 30.04.07 1753/2007-03 54
R$ 31.373, com base em cálculos preparados e divulgados pela CCEE até o mês de No reajuste tarifário ocorrido em 08 de abril de 2005, que esteve em vigência até 07
CNEE 463 08.05.07 98/2007 30.04.07 1754/2007-68 235
dezembro de 2007. De acordo com a Resolução ANEEL nº. 552, de 14 de outubro de de abril de 2006, a CEMAT recuperou parte dos custos diferidos com PIS e COFINS,
CELTINS 499 03.07.07 179/2007 22.06.07 1741/2007-16 868
2002, os valores das transações de energia de curto prazo não liquidados nas datas por meio de um adicional tarifário de 1,3770% concedido pela ANEEL conforme Re-
CELPA 527 06.08.07 234/2007 01.08.07 4293/2006-12 _____ 25
programadas deverão ser negociados bilateralmente entre os agentes de mercado. solução Homologatória 84 de 06 de abril de 2005. Este procedimento está embasado
As operações de compra e venda de energia elétrica praticadas no período de setembro de TOTAL
______ 3.364
_____
_____ na Nota Técnica ANEEL nº. 77/2005-SER/ANEEL, de 07 de março de 2005 Processo
2000 a dezembro de 2002, após os ajustes divulgados pela CCEE, tiveram seu processo de Saldo em 31 de dezembro de 2006 ......................................................... 3.341 48500.000388/05-02.
liquidação concluído em julho de 2003. As demais operações de compra e venda de energia Apropriado no ano ...................................................................................... 4.336 No reajuste tarifário ocorrido em 8 de abril de 2006, que esteve em vigência até 07
elétrica praticadas no exercício de 2004 estão sendo liquidadas mensalmente. Amortizado no ano ..................................................................................... (2.275) de abril de 2007, a CEMAT recuperou mais uma parte dos custos diferidos com PIS
Os valores da energia no curto prazo e da energia livre estão sujeitos a modificação, Atualizado no ano ....................................................................................... ________
256 e COFINS, por meio de um adicional tarifário de 1,6153%, concedido pela ANEEL
dependendo de decisão dos processos judiciais em andamento, movido por determi- Saldo em 31 de dezembro de 2007 ......................................................... ________ 5.658 conforme Resolução Homologatória 312 de 06 de abril de 2006. Este procedimento
nadas empresas do setor, relativos a interpretação das regras do mercado em vigor. ________
(c) Fornecimento não Faturado - Programa Luz para Todos: está embasado na Nota Técnica ANEEL nº 129/2006-SER/ANEEL de 28 de março de
(b) Subsídio a Irrigantes: Pelas Resoluções Homologatórias, Notas Técnicas e Processos, que homologam as 2006, Processo 48.500.000508/2006-35.
A Resolução Normativa nº. 540, de 1 de outubro de 2002, implementou a Lei nº. tarifas de fornecimento de energia elétrica de suas Controladas, ficam reconheci- Por meio do Memorando nº 158/2007-SFF/ANEEL, de 23 de março de 2007, a SFF
10.438, de 26 de abril de 2002, que estendeu os descontos especiais nas tarifas de das as despesas realizadas com o Programa Luz para Todos. A Superintendência de levando em considerações a evolução das analises constantes da Nota Técnica 554
energia elétrica de irrigantes ao consumo verificado no horário compreendido entre Regulação Econômica – SRE, analisou os dados informados pelas Concessionárias recalculou em definitivo os impactos econômicos e financeiros do PIS/PASEP e CO-
21h30 e 6h do dia seguinte. Controladas e decidiu considerar neste reajuste o que segue: FINS relativos ao período de dezembro de 2002 a junho de 2005, onde a ANEEL
Resolução Percentual Nota Processo Valor Percentual considerou algumas diferenças que foram atualizadas até abril 2007.A ANEEL definiu
Controlada Homolog ____________ Data ____________ Médio Técnica ____________ Data ____________ 48500. ____________ R$ ____________ % e divulgou através do reajuste tarifário ocorrido em 8 de abril de 2007, que estará em
______________________ ____________ ____________
vigência até 07 de abril de 2008, a CEMAT está recuperando mais uma parte dos cus-
CFLO 427 01.02.07 1,89% 017/2007 30.04.07 6336/2006-02 158 33,94
tos diferidos com PIS e COFINS, por meio de um adicional tarifário de 0,365%, con-
CEMAT 444 03.04.07 8,84% 71 E 75/2007 26 E 29/03/07 98/2007-86 16.548 70,00
cedido pela ANEEL conforme Resolução Homologatória 444 de 03 de abril de 2007.
CAIUÁ D 460 08.05.07 -0,51% 95/2007 30.04.07 1751/2007-70 1.532 67,99
Este procedimento está embasado na Nota Técnica ANEEL nº 71 e 75/2007-SER/
EEB 461 08.05.07 3,17% 96/2007 30.04.07 1752/2007-52 1.779 70,82
ANEEL de 26 de março de 2007, Processo 48500.000508/2006-35.
EDEVP 462 08.04.07 3,40% 97/2006 30.04.07 1753/2007-03 1.317 72,62
c) ACORDO GERAL DO SETOR ELÉTRICO
CNEE 463 08.05.07 0,49% 98/2007 30.04.07 1754/2007-68 587 77,46
O Governo Federal, através da Câmara de Gestão da Crise de Energia Elétrica – CG-
CELTINS 499 03.07.07 7,99% 179/2007 22.06.07 1741/2007-16 11.901 63,70
CEE, e as concessionárias distribuidoras e geradoras de energia elétrica celebraram,
CELPA 527 06.08.07 -9,65% 234/2007 01.08.07 4293/2006-12 ____________ 6.321 26,37
em dezembro de 2001, o Acordo Geral do Setor Elétrico, definindo os critérios para a
TOTAL
______ ____________ 40.143 recomposição das receitas e perdas extraordinárias relativas ao período de vigência
____________
Mutação - Renda não faturada - Programa Luz para Todos do Programa Emergencial de Redução do Consumo de Energia Elétrica, que se dará
Saldo em 31 de dezembro de 2006 ......................................................... - 10. REDUÇÃO DE RECEITA - BAIXA RENDA através de adicional tarifário nas contas de fornecimento de energia, sendo 2,9% nas
aproriado no exercício ................................................................................ 40.143 Subvenção à Baixa Renda - Tarifa Social: o Governo Federal, por meio da Lei nº. contas faturadas aos consumidores da classe residencial (exceto subclasse baixa ren-
atualizado no exercício ............................................................................... - 10.438, de 26 de abril de 2002, determinou a aplicação da tarifa social de baixa ren- da), iluminação pública e rural, e de 7,9% para as demais classes de consumidores.
amortizado no exercício ............................................................................. ________
(24.866) da, o que causou uma redução na receita operacional das controladas, que foram A ANEEL, através do Ofício Circular nº. 2.212, de 20 de dezembro de 2005; e 074,
compensadas por meio do Decreto Presidencial nº. 4.538, de 23 de dezembro de de 23 de janeiro de 2006, estabeleceu os seguintes procedimentos para o cálculo da
Saldo em 31 de dezembro de 2007 ......................................................... ________ 15.277 2002, em que foram definidas as fontes para concessão e subvenção econômica
________ remuneração:
com a finalidade de contribuir para a modicidade da tarifa de fornecimento de energia • Para o item Recomposição Tarifária Extraordinária – RTE, a incidência da remunera-
8. PROVISÃO PARA CRÉDITOS DE LIQUIDAÇÃO DUVIDOSA elétrica aos consumidores finais integrantes da subclasse residencial baixa renda, ção deverá ser: (i) sobre o montante financiado, que corresponde a 90% dos valores
Composição: Consolidado
_________________ com consumo mensal inferior a 80 KWh ou com consumo entre 80 e 220 KWh, neste homologados pela ANEEL, taxa SELIC (BNDES), acrescida de juros de 1% a.a.,
2007 ________
________ 2006 último caso desde que atendam a alguns critérios, conforme estabelecido no artigo 5º proporcionalmente aos desembolsos recebidos; e (ii) sobre os 10% não financiados,
Residencial ............................................................................. (43.041) (36.102) da Lei nº. 10.604, de 17 de dezembro de 2002. taxa SELIC (BACEN);
Industrial ................................................................................. (5.777) (4.927) Segue abaixo a movimentação no exercício: • Para o item Energia Livre, para o caso em que a Geradora obteve o financiamento
Comércio, serviços e outras atividades .................................. (9.963) (10.050) BAIXA RENDA Consolidado
____________ junto ao BNDES, calcular a remuneração pela taxa SELIC (BNDES), acrescida de
Rural ....................................................................................... (1.037) (751) Saldo em 31 de dezembro de 2006 .................................................. 17.429 juros de 1% a.a., proporcionalmente aos desembolsos recebidos; e para as Gerado-
Outras receitas ....................................................................... ________(4.240) ________
(4.033) Valor provisionado ............................................................................... 81.462 ras que não obtiveram financiamento a remuneração deverá ser calculada somente
Subtotal de consumidores ...................................................... (64.058) (55.863) Valor recebido...................................................................................... ____________
(57.849) pela taxa SELIC (BACEN);
Diversos créditos .................................................................... ________ (2.541) ________
(2.542) Saldo em 31 de dezembro de 2007 .................................................. ____________ 41.042 • Para o item “Parcela A “ (parcela de custos componentes da tarifa de energia não
____________ gerenciáveis pela concessionária), a remuneração deverá ser apropriada utilizando
(66.599) ________
________ (58.405)
a taxa SELIC (BACEN)
Provisão P/Perda de margem RTE......................................... ________- ________ (16.790) 11. DESPESAS PAGAS ANTECIPADAMENTE As informações do exercício findo em de 31 de dezembro de 2007 contemplam os
Total ....................................................................................... (66.599) (75.195) Saldos seguintes ajustes decorrentes do Acordo:
Movimentação: __________________
Consolidado: 2007 ________
2006 No resultado do exercício findo
2007 ________
________ 2006 ___________ ________
em 31 de dezembro de 2007
___________________________
Saldo no início do exercício .................................................... 75.195 51.237 Ativo Circulante
Prêmios de seguros................................................................ 815 1.526 Resul- Resul-
Aquisição EDEVP S.A - 6/2006 .............................................. - 930
Encargos financeiros .............................................................. 2.520 - tado Repasse tado
Perdas no exercício ................................................................ (6.988) (5.445)
Gastos com emissão de debêntures ...................................... 163 - Saldo opera- aos finan- Saldo
Recuperação de perdas ......................................................... 2.846 2.881
Gastos com emissão de Unit Notes ....................................... 1.223 1.156 Consolidado 2006 _______
_______ Transf. ______
cional agentes ceiro _______
______ ______ 2007
Complemento de provisão...................................................... ________ (4.454) ________
25.592
Saldo no final do exercício .................................................. ________ 66.599 ________
75.195 Gastos com emissão de Bonus Perpétuos ............................ 13.380 - Ativo circulante:
Diversos.................................................................................. 170 ________
________ 170 Energia livre ............ 109 378 - 2.029 (2.018) 498
Total ....................................................................................... 18.271 ________
2.852 Ativo não
A provisão para créditos de liquidação duvidosa foi constituída considerando os cri- ________
________ ________ circulante:
térios a seguir: Ativo não Circulante Recomposição
• Consumidores residenciais vencidos há mais de 90 dias. Prêmios de seguros................................................................ - 59 de receita............... 16.790 - (16.790) - - -
• Consumidores comerciais vencidos há mais de 180 dias. Encargos financeiros .............................................................. 9.202 - (-) Provisão para
• Consumidores industriais, rurais, poderes públicos, iluminação pública e serviços Gastos com emissão de debêntures ...................................... 561 - devedores
públicos e outros, vencidos há mais de 360 dias. Gastos com emissão de Unit Notes ....................................... 683 5.362 duvidosos .............. (16.790) - 16.790 - - -
• Após análise criteriosa efetuada pela administração da Companhia, foram excluídas Gastos com emissão de Bonus Perpétuos ............................ 43.431 ________-
________ Energia livre ............ 16.709 - (16.709) - - -
contas vencidas que estão negociadas. Total ....................................................................................... 53.877 ________
5.421 (-) Provisão para
A Companhia e a Administração de suas controladas possuem um grupo de profissionais ________
________ ________
devedores
com o propósito de avaliar a qualidade e a possibilidade de recuperação dos créditos em duvidosos .............. (16.709) - 16.709 - - -
atraso referente ao fornecimento de energia para os diversos segmentos de clientes. 12. ATIVOS E PASSIVOS REGULATÓRIOS Passivo
A redução da provisão para crédito de liquidação duvidosa, ocorrido no exercício a. Conta de Compensação de Variação de Custos da “Parcela A” - CVA circulante:
de 2007, correspondem as perdas constituídas de créditos em atraso com as clas- Conforme disposições contidas na Medida Provisória nº. 14, de 21 de dezembro de Energia livre ............ (16.951) (385) - 1.013 (165) (16.488)
ses consumidoras, e a reversão da provisão de perdas constituída na Controlada 2001, convertida na Lei nº 10.438, de 26 de abril de 2002, Portarias Interministeriais Passivo não
CELPA, da Perda de Receita (RTE e Energia Livre ) não recuperado no prazo nº. 296, de 25 de outubro de 2001, e nº. 25, de 24 de janeiro de 2002 e nº. 116 de 4 circulante:
estabelecido pela ANEEL e o saldo do passivo regulatório da RTE não faturado de abril de 2003, e resoluções complementares da ANEEL, a Companhia registrou Energia livre ............ (35.469) 7 21.488 - (480) (14.454)
no prazo de recuperação estabelecido pela ANEEL (Energia Livre) constituída em como despesas antecipadas a variação dos valores de itens denominados de “Parce- (-) Provisão para
dezembro/06, em atendimento ao Oficio Circular 2.409/2007-SFF/ANEEL de 14 la A” (custos não gerenciáveis) que serão recuperados através de aumentos tarifários perdas ................... _______
21.488 _______- (21.488)
de novembro de 2007. futuros. ______ ______- ______- _______-
Os administradores, com base naqueles estudos e na posição dos seus consultores ju- Total líquido ............. _______
(30.823) _______- ______- 3.042 ______
______ (2.663) _______
(30.444)
Saldos
__________________ _______ _______ ______ ______ ______ _______
rídicos, entendem que os procedimentos de cobranças atualmente praticados, os parce- Descrição de Ativos e Passivos Regulatórios 2007 ________
2006 A ANEEL, por meio da Resolução Normativa ANEEL nº. 1, de 12 de janeiro de 2004,
lamentos, as diligências de cobranças e os acordos realizados com os diversos órgãos ________
retificou os montantes que haviam sido homologados pelas Resoluções 483, de
governamentais e de serviços públicos somados aos procedimentos judiciais, que com- Contas de compensação variação de custos da Parc.A-CVA:
29/8/2002, relativos à Energia Livre, e alterou os prazos máximos de permanência
preendem, entre outros, a constituição de precatórios judiciais como garantia dos créditos CVA2001 - Período de 2001 ................................................... 776 1.542
da RTE - Recomposição Tarifária Extraordinária nas tarifas de fornecimento de ener-
e a aplicação dos termos previstas na legislação de responsabilidade fiscal vigente, mini- CVA2003 - Período Tarifario de 2002 a 2003 ......................... - 252
gia elétrica, excluindo desse prazo a recuperação dos valores financeiros de itens
mizam potencialmente os riscos de incertezas dos recebimentos dos créditos. CVA2003 - Período Tarifario de 2003 a 2004 ......................... - 2.363
da Parcela A e, por meio da Resolução nº. 45, de 3 de março de 2004, alterou o
CVA2005 - Período Tarifario de 2004 a 2005 ......................... (46) 3.632
percentual a ser aplicado à arrecadação da RTE a título de repasse de energia livre,
9. TRIBUTOS E CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS A COMPENSAR CVA2006 - Período Tarifario de 2005 a 2006 ......................... (3.317) 29.566
cabendo a suas controladas Caiuá Distribuição 63,5851%, Bragantina 85,4207%, Na-
CVA2007 - Período Tarifario de 2006 a 2007 ......................... 57.709 32.609
cional 43,7283%, a controlada CELTINS utilizou o percentual de 92,3270% conforme
Companhia ____________________
Consolidado CVA2008 - Período Tarifario de 2007 a 2008 ......................... ________ 13.972 ________
39.053
____________________ determina a Resolução 89 de 25 de fevereiro de 2003, até janeiro de 2004, quando
Subtotal ................................................................................. 69.094 109.017 encerrou seu repasse, CEMAT 46,1021% e CELPA com 46,4669%.
2007 _________
_________ 2006 _________
2007 _________
2006
Majoração das Alíquotas de PIS/COFINS.............................. ________ 29.516 ________
35.873 De acordo com estudo detalhado preparado pela administração das Companhias,
Ativo Circulante: Total de Ativos e Passivos Regulatórios ............................ ________ 98.610 144.890
Imposto de renda....................... 12.494 3.387 26.476 63.089 ________ ________
________ o prazo determinado pela ANEEL é suficiente para a recuperação desses valores
Contribuição social .................... 2 - 3.358 19.827 A Companhia através das suas Controladas, iniciou a compensação dos valores das empresas(CEMAT, Caiua, EDEVP, CELTINS, Nacional e Bragantina), sendo que
ICMS.......................................... - - 53.393 39.821 reconhecidos na “CVA” no período entre fevereiro de 2006 a julho de 2007, denomi- a CELPA devido alteração na metodologia de amortização o prazo de 52 meses foi
PIS não cumulatividade ............. - - 1.674 2.051 nada “CVA 2007”. insuficiente para recuperação dos valores de Perda de Receita e Energia Livre.
COFINS não cumulatividade ..... - - 651 2.634 Os valores que estão sendo compensados por meio da “CVA”, impactam em au- A Administração da Companhia reverteu a provisão para perdas dos valores constitu-
Finsocial .................................... - - - 11.202 mentos, bem como reduções, que serão percebidos nas tarifas de fornecimento de ídos em 31 de dezembro de 2006, referente ao saldo do ativo regulatório da RTE não
INSS .......................................... - - 1.603 8.522 energia elétrica de suas controladas no período de fevereiro de 2007 a agosto de recuperado no prazo estabelecido pela ANEEL (Energia Livre e Perda da Receita) e
Diversos..................................... _________ 8 3 _________
1.443 _________
407 2008, conforme demonstrado abaixo: o saldo do passivo regulatório da RTE não faturado no prazo de recuperação estabe-
_________ lecido pela ANEEL
Total .......................................... _________
12.504 3.390 _________
88.598 _________
147.553 Controladas
________________________________________ Nota Técnica ________
____________ Data _______%
_________ _________
_________ _________ _________ CELPA ............................................................... 234/2007 1.8.07 -1,95 13. TITULOS A RECEBER Companhia Consolidado
Ativo não Circulante: ________________ ________________
CEMAT .............................................................. 071/2007 26.3.07 0,384
INSS. ......................................... - - 17.550 - 2007 _______
_______ 2006 _______
2007 _______
2006
CELTINS ............................................................ 179/2007 22.6.07 -0,688
ICMS.......................................... - - 102.166 87.116 Ativo circulante
Imposto de renda....................... - - 44.008 - CAIUÁ D ............................................................ 095/2007 26.3.07 -2,03
EDEVP .............................................................. 097/2007 30.4.07 0,097 Itamarati Norte S.A. Agropecuária (b) ......... 5.767 5.734 5.767 5.734
Contribuição social .................... - - 11.388 - Outros títulos a receber ............................... _______- _______- _______
20.065 _______
30.863
ICMS demanda.......................... _________- EEB ................................................................... 096/2007 30.4.07 0,714
_________- _________
141 _________-
5.767 5.734 25.832 36.597
CNEE................................................................. 098/2007 30.4.07 -1,11
Total .......................................... _________- _________- _________
175.253 _________
87.116 Ativo não circulante
_________ _________ _________ _________ CFLO ................................................................. 017/2007 17.1.07 -0,664
Créditos adquiridos de terceiros (a) ............ - - 371.638 371.638
O quadro a seguir demonstra a movimentação dos ativos e passivos regulatórios no exercício de 2007: (-) Deságio (a) ............................................. - - (264.119) (264.119)
Saldos Saldos Itamarati Norte S.A. Agropecuária (b) ......... 46.825 52.071 46.825 52.071
Descrição 2006 ____________
Adições ____________
Baixas ____________
Atualiz. Amortiz. Transf. 2007 Sub-rogação - CCC (c) ................................ - - 225.695 -
_________ ____________ ____________ ____________ ____________
Outros títulos a receber ............................... _______- _______- _______
14.606 _______
17.248
Ativo
46.825
_______ 52.071 394.645 _______
176.838
Conta de Consumo Combustível - CCC ............... 28.218 23.655 (19.743) 1.855 (12.549) - 21.436 _______ _______
_______ _______
_______ _______
Comp. Financ. Utiliz. Recursos Hídricos ............... 27 3 - 2 (30) - 2 (a) Refere-se ao valor de créditos de terceiros, adquiridos nos exercícios de 2003 e
Transporte Energia Elétrica Rede Básica............. 9.708 4.655 (4.827) 601 (6.115) - 4.022 2004, com a finalidade de compensação com tributos e contribuições federais, sendo
Encargo de Serviços de Sistemas - ESS ............. 4.633 1.478 (943) 214 (4.905) - 477 (i) créditos de origem em ação indenizatória com julgamento favorável e transitado
Repasse de Potencia Itaipú .................................. 13 59 - 3 (42) - 33 em julgado, ora em fase de liquidação judicial, que condenou a União Federal ao
Conta de Desenvolv Energético - CDE ................ 6.653 285 - 350 (4.963) - 2.325 pagamento de indenização por danos causados aos antigos detentores desses cré-
Programa de Incent. Fontes Alt. - Proinfa ............. 4.179 4.309 - 519 (5.716) - 3.291 ditos, bem como (ii) créditos representados em “Cautelas de Obrigações” emitidas
Custo de Aquisição de Energia ............................ 78.466 69.486 (7.036) (3.122) (40.403) - 97.391 pela Centrais Elétricas Brasileiras S.A. – Eletrobrás, com laudos de autenticidade e
Transporte de Energia Elétrica - Itaipú ................. 202 (13) (96) 6 (96) - 3 de cálculo do valor. Com a adesão ao Parcelamento Excepcional – PAEX, nos termos
Reserva Global de Reversão - RGR .................... - 46 - 19 - - 65 da Medida Provisória nº 303/2006, em 15.12.2006, a Companhia desistiu da compen-
Custo Aquisição Energia - Contr. Iniciais.............. 363 - - (1) - - 362 sação tributária de referidos créditos e pretende obter judicialmente sua satisfação.O
Majoração de Aliquota PIS/COFINS .................... 36.601 14.935 - 449 (22.468) - 29.517 deságio verificado à época das aquisições desses créditos pela Companhia, será
Diferimento de Repos. Tarifária Rede Básica ....... ____________ 39.053 ____________
82.320 ____________- ____________8.258 (56.237)
____________ ____________- 73.394
____________ refletido ao resultado no momento em que houver a satisfação dos créditos, como
Total no Ativo ...................................................... ____________
208.116 ____________
201.218 ____________
(32.645) ____________
9.153 (153.524)
____________ ____________- 232.318
____________ resultado dos procedimentos judiciais.
____________ ____________ ____________ ____________ ____________ ____________ ____________
(b) Refere-se aos créditos recebidos da Denerge Desenvolvimento Energético S.A.
Parcelas classif. no Circulante .............................. 95.673 97.960 104 5.839 (153.524) 50.222 96.274
(vide nota explicativa nº. 15 item a).
Parcelas classif. no Real. Longo Prazo................. ____________ 112.443 ____________
103.258 ____________
(32.749) ____________
3.314 ____________- (50.222)
____________ 136.044
____________
____________ ____________ ____________ ____________ ____________ ____________ ____________ (c) Vide nota explicativa nº. 18.
Passivo
Conta de Consumo Combustível - CCC ............... (14.417) (44.745) 19.743 (3.409) 15.623 - (27.205) 14. OUTROS ATIVOS Ativo Ativo
Comp. Financ. Utiliz. Recursos Hídricos ............... (234) (285) - - 235 - (284) circulante
________________ não circulante
________________
Transporte Energia Elétrica Rede Básica............. (30.021) (13.360) 4.827 (2.147) 24.888 - (15.813) 2007 _______
_______ 2006 _______
2007 _______
2006
Encargo de Serviços de Sistemas - ESS ............. (851) (3.645) 943 (239) 1.259 - (2.533) Consolidado
Repasse de Potencia Itaipú .................................. (194) (8.822) - (619) 6.899 - (2.736) Dispêndios a reembolsar ............................... 957 2.079 - -
Conta de Desenvolv Energético - CDE ................ (19) (78) - (5) 75 - (27) Desativação em curso ................................... 14.519 5.961 12.221 -
Programa de Incent. Fontes Alt. - Proinfa ............. (79) (13) 10 (6) 78 - (10) Convênios de arrecadação ............................ 1.771 3.654 - -
Custo de Aquisição de Energia ............................ (11.554) (40.315) 7.026 (1.073) 6.277 - (39.639) Tributos e contribuições sociais a compensar - - 7.735 6.801
Transporte de Energia Elétrica - Itaipú ................. (148) (221) 96 (22) 144 - (151) Recolhimento a maior PIS ............................. 200 134 - -
Reserva Global de Reversão - RGR .................... (4.980) (29) - (265) 40 - (5.234) Recolhimento a maior Cofins ........................ 1 8.476 - -
Custo Aquisição Energia - Contr. Iniciais.............. - (46) - (2) 31 - (17) Recolhimento a maior IRRF .......................... 1.633 1.478 - -
Majoração de Aliquota PIS/COFINS .................... (728) - - (7) 735 - - Recolhimento a maior IOF............................. 3.010 1.122 - -
Diferimento de Repos. Tarifária Rede Básica ....... ____________- ____________ (34.336) ____________- ____________
(5.725) ____________2 ____________- (40.059)
____________ IOF a recuperar ............................................. 24.272 19.667 - -
Total no Passivo ................................................. ____________
(63.225) ____________
(145.895) ____________
32.645 ____________
(13.519) 56.286
____________ ____________- (133.708)
____________ Rendas a receber .......................................... 8.069 6.717 - -
____________ ____________ ____________ ____________ ____________ ____________ ____________
Títulos a receber............................................ - 7.670 1.227 1.227
Parcelas classif. no Circulante .............................. (24.626) (25.575) (104) (3.663) 56.286 (43.696) (41.378)
Alienações de bens e direitos........................ 8.202 11.252 6.604 6.622
Parcelas classif. no Exigível Longo Prazo ............ ____________ (38.599) (120.320) 32.749 (9.856) - 43.696 (92.330)
____________ ____________
____________ ____________
____________ ____________
____________ ____________
____________ ____________
____________ ____________
____________ Cauções e depósitos vinculados ................... 239 66 - -
Ativo Ativo 31 de Março de 2006, assumiu as dívidas e os créditos a receber perante terceiros, Consolidado
____________________________________
circulante
________________ não circulante
________________ empresas controladas e instituição financeira existentes nas empresas controladoras Base de cálculo dos créditos Imposto Contribuição _______________ Total
2007 _______
2006 _______
2007 _______
2006 EEVP e Denerge. tributários diferidos: de renda ___________ Social _______2007 _______
2006
_______ ________
O saldo apurado neste contrato deverá ser quitado no prazo máximo de até dez anos,
Contratos de Venda ....................................... 477 813 - - Prejuízos fiscais e base negativa
devidamente atualizado pelo CDI acrescido de juros 2% a.a., vencendo em 31 de de-
Adiantamento a fornecedores ....................... 4.198 5.674 - - de contribuição social ......................... 2.330.315 2.491.196
zembro de 2016.
Cheques em cobrança .................................. 3.770 4.964 - - Provisão para passivos
Em 29 de dezembro de 2006 a Companhia assumiu, através de instrumento particular
Créditos Contas de Energia Elétrica Mês...... 4.720 4.214 - - trabalhistas e cíveis ............................ 20.556 20.556
de assunção de dívidas e outras avenças, a dívida da QMRA Participações S.A. junto ao
Devedores diversos ....................................... - 4.506 637 637 Provisão para devedores duvidosos..... 66.554 66.554
BNDES no valor de R$ 101.408 a ser quitada em 60 parcelas mensais com carência de
Outros ............................................................ _______
977 _______
9.550 _______
3.887 _______
3.169 Ajuste de plano de aposentadoria ........ 15.721 15.721
36 meses vencendo a 1ª parcela em 30/12/09, e a dívida da Ipueiras Energia S.A. junto a
77.015 97.997 32.311 18.456 Receita estimada - Irrigação
_______
_______ _______
_______ _______
_______ _______
_______ Cia de Energia Elétrica do Estado do Tocantins - CELTINS no valor de R$ 10.748 quita-
e Aqüicultura ...................................... (13.249) (13.249)
do antecipadamente, sendo ambos os saldos atualizados pelo CDI acrescido de 2% a.a.
Reposicionamento tarifário ................... (585) (585)
15. TRANSAÇÕES E SALDOS COM EMPRESAS RELACIONADAS (b) Contrato de mútuo
Amortização de ágio............................. ________ 62.333 ___________-
Companhia Refere-se a contratos firmados entre a Caiuá, CELPA, CELTINS, QMRA e a Controla-
_________________ Base de cálculo dos impostos
dora Indireta - Denerge, em condições de comutatividade, em função de assunção de
2007 ________
________ 2006 diferidos .............................................. 2.481.645 2.580.193
Transações: dívidas perante ao BNDES nas seguintes condições:
• Prazo: até 62 meses. Alíquotas............................................... 25% 9%
Receitas financeiras ............................................................. 75.135 47.026
• Vencimento 1ª parcela: 15/11/2005. Subtotal ................................................ 620.411 232.217
Despesas financeiras ........................................................... 106.975 96.617
• Remuneração: TJLP mais 5% a.a. Créditos tributários não diferidos .......... (207.567) ________ ___________ (79.320)
SALDOS ATIVOS:
Circulante Essa repactuação foi aprovada pela ANEEL por meio dos Ofícios nos 2.230, 2.231 e subtotal (a) .......................................... ________
412.844 ___________ 152.897 _______
565.741 _______
579.010
Valores a recuperar 2.232/2003-SFF/ANEEL, de 26/12/2003. Passivo Diferido - Controladas
Empresa de Eletricidade Vale Paranapanema S.A .............. 187 186 Em Março/2006, através de instrumento particular de cessão de créditos e assunção de Celtins e Rede Lajeado
Denerge Desenvolvimento Energético S.A .......................... 4 19 dívidas entre a Rede Empresas e a Denerge, a Rede Empresas assumiu os créditos do Reposicionamento tarifário ................... 21.370 21.370
QMRA Participações S.A ..................................................... 6.572 3.895 contrato de mútuo com a CELPA, QMRA e CELTINS. Alíquotas............................................... 25% 9%
Centrais Elétricas do Pará S.A - Celpa ................................ 14 19 Em Dezembro/2006 estes contratos foram repactuados adotando-se as mesmas condi- Passivo Diferido - Circulante (b) ........... 5.343 1.923 _______
7.266 _______-
Ipueiras Energia S.A ............................................................ 15 5 ções da renegociação dos contratos junto ao BNDES.
Encargos tributários sobre reserva
Rede Comercializadora de Energia S.A. .............................. 2 - Forma de Pagamento :
de reavaliação
Rede Power do Brasil S.A. ................................................... 12 5 6,3% em 40 parcelas trimestrais, com vencimento da 1ª parcela para 15/12/2006.
Reserva de reavaliação ........................ 3.399.525 3.399.525
Caiuá Distribuição de Energia S.A ....................................... 11 11 93,7% em 05 parcelas trimestrais, com vencimento da 1ª parcela para 15/12/2007.
(-) Terrenos ........................................... (56.444) (56.444)
Tangará Energia S.A............................................................. ________- ________ 3 Remuneração TJLP mais 2 % a.a.
(-) Reversão reavaliação anterior ......... (819.533) (819.533)
Em 2007 foram quitados antecipadamente os contratos com a Celpa e a Celtins e parte
6.817 ________
________ 4.143 (-) Depreciação/baixas ......................... (746.251) ________ (746.251)
________
________ ________ do contrato com a QMRA.
Dividendos Base de cálculo .................................... 1.777.297 1.777.297
(c) Conta corrente 31/10/2005
Empresa Elétrica Bragantina S.A. ........................................ 5.581 - Alíquotas............................................... ________ 25% ___________ 9% _______ _______
Refere-se à movimentação financeira efetuada entre as empresas do Grupo Rede com
Cia de Energia Elétrica do Estado do Tocantins - Celtins .... - 2.692
prazo de vencimento de 24 meses, nos termos de contratos de mútuo na modalidade de Encargos tributários sobre
Centrais Elétricas Matogrossenses S.A. - Cemat................. 816 -
conta corrente, podendo ser prorrogado por iguais e sucessivos períodos. reserva de reavaliação (c)................ ________ 444.324 159.957 604.281 _______ 670.449
Cia Nacional de Energia Elétrica.......................................... 13.856 4.590 ________ ___________
___________ _______ _______ _______
• Contrato Multilateral de Mútuo entre as Holdings e Demais Empresas
Cia Força e Luz do Oeste .................................................... 3.666 2.125 Efeito dos encargos sobre o estorno da
Na medida de suas necessidades, tomarão ou darão em empréstimos, recursos fi-
Centrais Elétricas do Pará S.A - Celpa ................................ - 603 reserva de reavaliação em controlada (d) 9.376
_______ -
nanceiros, de forma sucessiva e contínua, assumindo , respectivamente, a posição de _______ _______
_______
Rede Lajeado Energia S.A. .................................................. 12.126 8.573
devedora ou credora conforme o caso, com a remuneração sobre o saldo devedor cal- Efeitos tributários líquidos no resultado ( b+c+d-a) 55.182 _______
_______ 91.439
Tangará Energia S.A............................................................. - 1.911 _______ _______
culada com base em 100% do CDI mais 2% de juros anuais.
Rede Comercializadora de Energia S.A. .............................. 8.732 14.683 Para fins do impairment test anual dos créditos tributários diferidos, a Companhia e
A partir de 31/10/2007 o contrato foi prorrogado com renegociação da remuneração que
Rede Power do Brasil S.A. ................................................... 45.056 151.866 Controladas contrataram empresa a especializada Moore Stephens Lima Lucchesi
passou a ser de 100% do CDI + 1% de juros anuais.
Rede Eletricidade e Serviços S.A......................................... 1.997 320 Auditores Independentes. Essa empresa elaborou estudos dos lucros tributáveis
(d) Conta corrente 1/9/2006
Empresa de Distribuição de Energia Vale Paranapanema... ________ 2.063 ________- futuros da Companhia e Controladas, os quais serviram de base para os impairment
• Contrato multilateral de mútuo entre as empresas Geradoras Transmissoras e Não
93.893 187.363 test realizado no exercício de 2006. Conforme requerido pela Deliberação CVM
Concessionárias (Anuência ANEEL conforme despacho n° 2.767 de 27 de novembro
Juros sobre capital próprio nº.273/98 e Instrução CVM nº. 371/02, os estudos preparados por área especializada
de 2006)
Investco S/A ............................................................................. 238 - da referida empresa foram submetidos à apreciação dos Conselhos de Administração
Na medida de suas necessidades, tomarão ou darão em empréstimos, recursos finan-
Empresa de Distribuição de Energia Vale Paranapanema....... 3.400 - e Fiscal da Companhia e Controladas e devidamente aprovados. Com base nos
ceiros, de forma sucessiva e contínua, assumindo , respectivamente, a posição de de-
Cia de Energia Elétrica do Estado do Tocantins - Celtins ........ - 3.026 estudos realizados para o exercício de 2007, a estimativa de realização dos créditos
vedora ou credora conforme o caso, com remuneração sobre o saldo devedor calculada
Empresa Elétrica Bragantina S.A. ............................................ - 399 tributários está detalhada a seguir:
com base em 100% do CDI mais 2% de juros anuais, no período de 1° de setembro de
Cia Nacional de Energia Elétrica.............................................. - 2.541 Anos de realização
_________________ Montante a realizar
_________________
2006 a 31 de agosto de 2008. Cada empresa tem um limite máximo para o saldo credor
Cia Força e Luz do Oeste ........................................................ - 415 e serão atualizados na data base de Reajuste das Tarifas de Fornecimento de acordo 2008............................................................................................ 72.531
Centrais Elétricas do Pará S.A - Celpa .................................... - 1.368 com o índice de Reajuste Tarifário (ITR) médio fixado pela ANEEL, para cada parte. 2009............................................................................................ 71.850
Centrais Elétricas Matogrossenses S.A. - Cemat..................... ________ 6.958 ________
636 (e) Conta corrente 31/12/2006 2010............................................................................................ 99.482
10.596 8.385 Refere-se a consolidação e repactuação dos saldos dos contratos denominados “Conta 2011............................................................................................ 98.604
TOTAL ........................................................................................ ________
104.489 195.748 Corrente até 31/8/2004” que seriam pagos em 120 meses com carência de 18 meses 2012............................................................................................ 70.631
________ ________
________ de 2013 a 2014........................................................................... 66.817
e remunerados a taxa de 100% CDI; do contrato denominado “Conta Corrente após
Não Circulante de 2015 a 2017........................................................................... _________________ 85.826
01/09/04” que permitia a movimentação financeira entre empresas do grupo com remu-
Assunção de dívida, cessão de crédito
neração de CDI mais 2% de juros a.a., com prazo de vencimento de 24 meses e ainda 565.741
_________________
e outras avenças (a): _________________
os saldos dos referidos contratos assumidos através de assunção de dívidas e cessão
Empresa de Eletricidade Vale Paranapanema S.A. ................. 180.196 157.940
de créditos das controladoras Denerge Desenvolvimento Energético S.A. e Empresa de 17. INVESTIMENTOS
Denerge Desenvolvimento Energético S.A .............................. 40.441 35.446
Eletricidade Vale Paranapanema S.A., repactuados nas seguintes condições: Os investimentos estão representados da seguinte forma:
QMRA Participações S.A ......................................................... 115.698 101.408
• Carência de 24 meses Companhia
________________ Consolidado
________________
Ipueiras Energia S.A ................................................................ ________- ________ 10.748
• Prazo 86 meses 2007 _______
2006 2007 _______
2006
336.335 305.542 • Remuneração 100% CDI mais 2% Juros a.a. _______ _______
Contrato de mútuo (a) e (b): Esta repactuação foi aprovada pela ANEEL por meio do Despacho nº. 181 da Superin- Participações em controladas:
QMRA Participações S.A ......................................................... 3.793 63.863 tendencia de Fiscalização Econômica e Financeira de 29/01/2007. Empresa Elétrica Bragantina S.A. 91.936 118.193 - -
Centrais Elétricas do Pará S.A - Celpa .................................... - 39.059 (f) Contrato venda e compra de ações Companhia Nacional de
Cia de Energia Elétrica do Estado do Tocantins - Celtins ........ ________- ________ 8.005 Como parte do processo de reorganização societária a Companhia adquiriu e alienou Energia Elétrica ........................ 79.724 104.154 - -
3.793 110.927 participações societárias através de instrumentos particulares de venda e compra de Companhia de Energia Elétrica do
Conta corrente 31/10/05 (c): ações conforme abaixo: Estado do Tocantins - CELTINS 239.194 284.225 - -
Empresa de Eletricidade Vale Paranapanema S.A. ................. 24.851 4.764 • Denerge Desenvolvimento Energético S.A. Companhia Força e Luz do Oeste 22.306 28.964 - -
QMRA Participações S.A (a) .................................................... 236.116 127.656 Alienação: Centrais Elétricas
Ipueiras Energia S.A (a) ........................................................... - 656 Rede Peixe Energia S.A - 60 parcelas mensais e sucessivas com carência de três anos
Matogrossenses S.A. - CEMAT 571.755 533.632 (a) (e) 126.269 129.262
Denerge Desenvolvimento Energético S.A .............................. ________ 3.432 ________
3.083 vencendo a 1ª parcela em 03/04/09 acrescidas de 100% do CDI mais 2% a.a
Aquisição: QMRA Participações S.A............ 100.775 125.686 (b) (e) 154.144 158.452
264.399 136.159
Rede Comercializadora de Energia S.A e Rede Eletricidade e Serviços S.A - Entrada Centrais Elétricas do
Contrato de venda e compra de ações (f):
em 3 parcelas anuais com vencimentos e 30/6/06; 30/6/07 e 30/6/08 e mais 84 parcelas Pará S.A. - CELPA .................... 97.934 115.387 - -
Denerge Desenvolvimento Energético S.A. ............................. 12.764 11.187
mensais vencendo a 1ª em 30/7/08 todas acrescidas de 100% CDI mais 2% a.a. Rede Lajeado Energia S.A. ........ 240.583 236.276 - -
Outros contratos • Empresa de Eletricidade Vale Paranapanema S.A. Tangará Energia S.A................... 59.218 61.404 - -
Cia Geral .................................................................................. - 324 Aquisição: Rede Power do Brasil S.A........... 70.785 587 - -
Adiantamento ........................................................................... ________- 2 Empresa de Distribuição de Energia Vale Paranapanema S.A. - Entrada em 3 parcelas Caiuá Distribuição de Energia S.A. 98.825 98.451 - -
________
anuais com vencimentos e 30/6/06; 30/6/07 e 30/6/08 e mais 84 parcelas mensais ven- Empresa de Distribuição de Ener-
________- 326
________ cendo a 1ª em 30/7/08 todas acrescidas de 100% CDI mais 2% a.a.
TOTAL ........................................................................................ ________
617.291 564.141 gia Vale Paranapanema S.A. .... 124.617 124.546 (c) (g) 8.370 9.945
________ ________
________
SALDOS PASSIVOS: Rede Comercializadora
16. IMPOSTO DE RENDA, CONTRIBUIÇÃO SOCIAL E CRÉDITOS TRIBUTÁRIOS
Circulante DIFERIDOS de Energia S.A. ........................ 34.551 40.938 (d) (g) 33.953 40.341
Valores a reembolsar O imposto de renda e a contribuição social são calculados com base nas alíquotas Rede de Eletricidade
Centrais Elétricas do Pará S.A. - Celpa.................................... 6.660 3.637 vigentes nas datas dos balanços. Os impostos diferidos relativos às diferenças tem- e Serviço S.A............................ 16.124 19.138 (d) (g) 16.005 19.016
Empresa Elétrica Bragantina S.A. ............................................ 3.418 1.117 porárias, prejuízos fiscais e base negativa da contribuição social são registrados em Vale do Vacaria
Cia Nacional de Energia Elétrica S.A. ...................................... 1.662 505 contas patrimoniais. Açucar e Álcool S.A.................. _________5.037 _________- (h) ________
5.037 _________-
Centrais Elétricas Matogrossenses S.A. - Cemat..................... 1.124 498 Demonstramos a seguir a composição da base de cálculo e dos saldos desses impos- 1.853.364 _________
_________ 1.891.581 343.778 _________
________ 357.016
Cia de Energia Elétrica do Estado do Tocantins - Celtins ........ 548 158 tos em 31 de dezembro:
Empresa de Distribuição de Energia Vale Paranapanema S.A. 174 36 Companhia
____________________________________ Participações em coligadas:
Caiuá Distribuição de Energia S.A ........................................... 106 106 Imposto Contribuição _______________
Total Investco S.A................................ 23.930 - (f) 409.648 761.705
Empresa de Eletricidade Vale Paranapanema S.A. ................. 38 - de renda ___________
________ Social _______
2007 _______
2006 Outros investimentos .................. _________ 704 _________
103 13.213 _________
________ 16.457
Cia Força e Luz do Oeste ........................................................ 29 12 Composição da despesa com impostos: 1.877.998 _________
_________ 1.891.684 766.639 _________
________ 1.135.178
_________ _________ ________ _________
Rede Lajeado Energia S.A. ...................................................... 534 159 Impostos correntes ............................... (14) (11) (25) (1.815)
a) Centrais Elétricas Matogrossenses S.A. - CEMAT. No exercício findo em 31 de de-
Tocantins Energia S.A. ............................................................. 421 42 Impostos diferidos - variação líquida .... ________ 6.652 ___________
2.395 _______
9.047 (38.247)
_______ zembro de 2007, foi amortizado o montante de R$2.993 (R$ 2.994 em 2006). A amor-
Tangará Energia S.A................................................................. 154 50 6.638 ___________
________ 2.384 _______
9.022 (40.062)
_______ tização do ágio é registrada pelo prazo de concessão, utilizando o método não linear
Rede Eletricidade e Serviços S.A............................................. 9 14 Conciliação da despesa com impostos: (até 2026).
Rede Power do Brasil S.A. ....................................................... 676 26 Lucro antes dos impostos .................. 42.432 42.432 b) QMRA Participações S.A.: esse valor refere-se ao ágio na aquisição da controlada
Rede Comercializadora de Energia S.A. .................................. ________ 153 72
________ Adições (exclusões) permanentes: indireta Centrais Elétricas do Pará S.A. - CELPA. No exercício findo em 31 de dezembro
15.706
________ 6.432
________ Equivalência patrimonial .................... (97.204) (97.204) de 2007, foi amortizado o montante de R$ 4.308 (R$4.296 em 2006). A amortização do
________ ________
SALDOS PASSIVOS: Amortização de ágio em controlada... 13.966 - ágio é registrada pelo prazo de concessão, utilizando o método não linear (até 2028).
Não Circulante Efeito da realização da CME c) Empresa de Distribuição de Energia Vale Paranapanema S.A., a amortização do ágio
Conta corrente 31/10/2005 (c): - Lei nº 8200 é registrada pelo prazo de concessão utlizando o método não linear (até 2015)
Rede Power do Brasil S.A. ....................................................... ________- 120.199
________ Efeito da realização da Reserva d) Rede Comercializadora de Energia S.A. e Rede Eletricidade e Serviços S.A., a amor-
Conta corrente 01/09/2006(d): de Reavaliação em controladas ....... 326 326 tização do ágio é registrado pelo método linear pelo prazo máximo de 10 anos por não
Rede Comercializadora de Energia S.A. .................................. ________ 100 Outras................................................. ________
1.028 ___________
(159) se tratar de concessão de serviço público em consonância com a legislação vigente.
________-
Base de cálculo dos impostos: ............. (39.452) (54.605) e) Os ágios estão fundamentados como rentabilidade futura dessas controladas. Estu-
Conta corrente 31/12/2006 (e):
Alíquotas............................................... 25% 9% dos realizados por empresas especializadas acerca de suas recuperações ao longo do
Centrais Elétricas do Pará S.A. - Celpa.................................... 99.239 212.561
Subtotal ................................................ 9.863 4.914 período de concessão concluíram que as “curvas” de amortização dos ágios adotadas
Empresa Elétrica Bragantina S.A. ............................................ 143.872 157.032
Reversão de créditos tributários estão adequadas, significando que, para cada parcela de ágio amortizado, haverá uma
Cia Nacional de Energia Elétrica S.A. ...................................... 62.506 83.520
de períodos anteriores ....................... (14) (11) adequada contraposição com os resultados positivos obtidos pelas Controladas.
Centrais Elétricas Matogrossenses S.A. - Cemat..................... - 59.739
Créditos tributários não diferidos .......... ________ (3.211) ___________
(2.519) f) A Investco exerce a atividade de geração de energia elétrica por meio da Usina Hi-
Cia de Energia Elétrica do Estado do Tocantins - Celtins ........ 16.887 28.071
Empresa de Distribuição de Energia Vale Paranapanema S.A. 11.838 13.074 Receita (Despesa) com os impostos ________ 6.638 ___________
2.384 _______
9.022 (40.062)
_______ drelétrica Luiz Eduardo Magalhães, composta por cinco turbinas, com potência total
Cia Força e Luz do Oeste ........................................................ - 1.955 Base de cálculo dos ativos instalada de 902,5 MW.
Rede Lajeado Energia S.A. ...................................................... 12.215 23.986 e passivos diferidos: A energia elétrica produzida por essa usina está sendo utilizada ou comercializada na
Tocantins Energia S.A. ............................................................. 13.414 26.041 Prejuízos fiscais e base negativa condição de “produtor independente”, nos termos do contrato de concessão, pelas con-
Tangará Energia S.A................................................................. - 8.736 de contribuição social ....................... 767.932 810.132 cessionárias CEB Lajeado Energia S.A., EDP Lajeado Energia S.A., Paulista Lajeado
Rede Comercializadora de Energia S.A. .................................. ________- 5.846 Amortização de ágio .......................... ________ 29.328 ___________- Energia S.A. e pela controlada Rede Lajeado Energia S.A.
________ g) Aquisições e alienações de participação decorrente da reestruturação societária
Base de cálculo dos impostos
359.971 620.561 adotada pela Companhia no processo de desverticalização. Vide nota explicativa nº.
diferidos .............................................. 797.760 810.132
Alíquotas............................................... 25% 9% 14 item “f”.
Adiantamentos............................................................................ ________- ________ 521 h) Empresa em fase pré-operacional, que exercerá a atividade de cultivo, industrializa-
Subtotal ................................................ 199.315 72.912
Contrato de venda e compra de ações (f): Créditos tributários não diferidos .......... (199.315) (72.912)
________ ___________ ção, produção, comercialização, importação e exportação de álcool, açúcar e todos os
Empresa de Eletricidade Vale Paranapanema S.A. ................. 142.083 127.676 Subtotal (a) .......................................... ________- ___________- _______- _______- seus produtos/subprodutos.
Denerge Desenvolvimento Energético S.A. ............................. ________ 64.342 ________
63.512 Encargos tributários sobre O resultado do ajuste da equivalência patrimonial nas controladas é o seguinte:
206.425 ________
________ 191.188 reserva de reavaliação Companhia
_______________ Consolidado
_________________
TOTAL ........................................................................................ ________
566.496 ________
932.469 Reserva de reavaliação ........................ 394.199 394.199 2007 _______
_______ 2006 _______
2007 2006
_______
________ ________
Consolidado (-) Terrenos ........................................... (7.167) (7.167) Controlada:
_________________ (-) Reversão reavaliação anterior ......... (110.148) (110.148)
2007 ________
2006 Empresa Elétrica Bragantina S.A. .............. 3.578 (4.292)
________ (-) Depreciação/baixas ......................... (103.708) (103.708)
________ ___________
SALDOS ATIVOS: Companhia Nacional de Energia Elétrica ... 10.651 960
Base de cálculo .................................... 173.176 173.176
Não Circulante Companhia Força e Luz do Oeste .............. 3.091 1.387
Alíquotas............................................... 25% 9%
Assunção de dívida, cessão de crédito e outras avenças (a)
Encargos tributários sobre ________ ___________ _______ _______ Companhia de Energia Elétrica do
Empresa de Eletricidade Vale Paranapanema S.A .................. 180.196 157.940
Denerge Desenvolvimento Energético S.A. ............................. ________ 55.543 ________
48.682 reserva de reavaliação (b) ............... ________ 43.294 ___________
15.586 _______
58.880 _______
67.927 Estado do Tocantins - CELTINS ............... 9.404 28.722 - (a) 7.893
Efeitos tributários líquidos Centrais Elétricas Matogrossenses
235.739 206.622
no resultado ( b-a) ............................ ________ ___________ _______ 58.880 _______
67.927 S.A. - CEMAT ........................................... 50.145 55.250 - (a) 24.175
Conta corrente após 31/10/05 (c):
Empresa de Eletricidade Vale Paranapanema S.A .................. 24.851 5.667 Consolidado
____________________________________ QMRA Participações S.A............................ (24.910) (30.631)
Denerge Desenvolvimento Energético S.A. ............................. ________ 3.432 ________
3.083 Composição da despesa Imposto Contribuição _______________
Total Centrais Elétricas do Pará S.A. - CELPA .... 7.406 6.963
28.283 8.750 com impostos: de renda ___________
________ Social _______
2007 _______
2006 Rede Lajeado Energia S.A. ........................ 16.149 85.312 - (b) 152.062
Conta corrente 01/09/06(d): Impostos correntes ............................... (137.312) (47.468) (184.780) (220.442) Tangará Energia S.A................................... (2.186) (7.429)
Rede Comercializadora de Energia S.A. .................................. ________ 626 ________- Impostos diferidos - variação líquida .... ________ 26.182 ___________
10.076 _______
36.258 _______
30.655 Rede Peixe Energia S.A. ............................ - (147)
Adiantamento (111.130) (37.392) (148.522)
________ ___________ _______ (189.787)
_______ Quatiara Energia S.A. ................................. - 20
Cia de Energia Elétrica do Estado do Tocantins - Celtins ........ 1 5 Conciliação da despesa com impostos:
Outros....................................................................................... ________
1 ________
334 Rede Power do Brasil S.A........................... 7.234 151.866
Lucro antes dos impostos..................... 361.232 361.232
Adições (exclusões) permanentes: Caiuá Distribuição de Energia S.A. ............ 352 (6.650)
2 339
TOTAL ........................................................................................ ________
264.650 ________
215.711 Equivalência patrimonial .................... (3.000) (3.000) Empresa de Distribuição de Energia
________ ________ Correção monetária complementar .... - 7.118 Vale Paranapanema S.A. .........................
3.709 6.050
SALDOS PASSIVOS: Efeito da realização da CME
Não Circulante Rede Comercializadora de Energia S.A. .... 10.563 9.559
- Lei nº 8200 ..................................... 1.508 1.508 Rede de Eletricidade e Serviço S.A. ..........1.995 49
Contrato de venda e compra de ações (f) Amortização de ágio em controladas . 23.496 -
Empresa de Eletricidade Vale Paranapanema S.A. ................. 142.083 127.676 Outras................................................. ________
1.253 ___________
(22.860) Investco S.A ...............................................
23 -
Denerge Desenvolvimento Energético S.A. ............................. ________ 64.342 ________
63.512 Outras .........................................................
_______- _______- _______- 4.248
_______
Base de cálculo dos impostos: ............. 384.489 343.998
206.425 191.188 Alíquotas............................................... 25% 9% Subtotal .....................................................
97.204 296.989 - 188.378
TOTAL ........................................................................................ ________
206.425 191.188 Subtotal ............................................... (96.122) (30.960) Amortização de ágio...................................
(13.965) (2.993) (23.496) (14.397)
________ ________
________ _______ _______ _______ _______
Reversão de créditos tributários Total ...........................................................
83.239 _______
_______ 293.996 (23.496)
_______ 173.981
_______
de períodos anteriores ....................... (1.251) (118) _______ _______ _______ _______
(a) Assunção de dívida, cessão de crédito e outras avenças (a) Lucro apurado em 2005,na venda das geradoras, de propriedades destas contro-
Créditos tributários não diferidos .......... ________ (13.757) ___________
(6.314)
Como parte do processo de reorganização societária a Companhia, através de ins- ladas, para a Tocantins Energia S/A e Rede Power do Brasil S/A, realizado em outubro
trumento particular de assunção de dívidas, cessão de créditos e outras avenças de Receita (Despesa) com os impostos (111.130) (37.392) (148.522)
________ ___________ _______ (189.787)
_______ de 2006 pela alienação das respectivas geradoras à ENEL Brasil Participações Ltda.
(b) Valor representado pelo ganho líquido da Companhia e suas controladas árias, pelo valor de R$ 266.798, adquiridas pela Centrais Elétricas Brasileiras ram numa elevação de R$ 225.696 mil referente aos subsídios já aprovados e ainda
Rede Power do Brasil S/A e Tocantins Energia S/A de R$ 74.464, R$ 44.834 e - ELETROBRÁS, conforme AGE de 15 de fevereiro de 2006. Valores ajustados não recebidos.
R$ 32.764, respectivamente, apurado na alienação de 10.000 partes benefici- direto ao patrimônio. A CEMAT tem registrado os valores referentes a esse subsídio da seguinte forma:
Valor
Informações sobre investimentos relevantes avaliados pelo método da equivalência patrimonial OBRA
____________________________ Status __________
_________ Subrogado _________
Recebido _________
a receber
E.E.B.
____________________________ C.N.E.E.
____________________________ C.F.L.O.
_____________________________ Sistema Brasnorte/Jurua/Juína-
2007 2006 2007 2006 2007 2006 Trecho Campo Novo/Brasnorte ... em serviço 9.071 9.071 -
____________ ____________ ____________ ____________ ____________ ____________
Sistema Brasnorte/Jurua/Juína-
Quantidade de ações do capital social ........................... 1.172.355 1.172.355 2.365.176 2.365.176 346.455.428 346.455.428 Trecho Juara/Juína ...................... em serviço 42.172 42.172 -
Quantidade de ações possuídas .................................... 1.072.117 1.072.117 2.334.173 2.334.173 338.492.582 338.492.582 Sistema de Transmissão Sapezal.. em serviço 19.246 3.008 16.238
Percentual de participação direta ................................... 91,45% 91,45% 98,69% 98,69% 97,70% 97,70% Sistema de Transmissão Tabaporã em serviço 2.132 2.132 -
R$
____________ R$
____________ R$
____________ R$
____________ ____________R$ ____________R$ Sistema de Transmissão Nova
Valor do capital social ..................................................... 40.948 40.948 28.000 28.000 11.500 11.500 Monte Verde ................................ em curso 56.542 - 56.542
Valor do patrimônio líquido ajustado .............................. 100.532 129.243 80.782 105.537 22.831 29.646 Sistema de Transmissão
Resultado do exercício ................................................... 4.400 (4.693) 11.868 934 3.668 1.421 Baixo Araguaia ............................ em curso __________ 152.916 _________- _________
152.916
Valor do investimento ..................................................... 91.936 118.193 79.724 104.154 22.306 28.964 Total .............................................. 282.079 _________
56.383 _________
225.696
__________
__________ _________ _________
Resultado da equivalência patrimonial ........................... 3.578 (4.292) 10.651 960 3.091 1.387
Do montante pendente de recebimento apenas as obras do sistema Sapezal en-
CELTINS CEMAT QMRA contra-se em serviço, enquanto os sistemas do Baixo Araguaia e Nova Monte Verde
____________________________ ____________________________ _____________________________
encontram-se em andamento, e pela regra estabelecida pela ANEEL, os valores do
2007
____________ 2006
____________ 2007
____________ 2006
____________ 2007
____________ 2006
____________ benefício só serão repassados à Concessionária após a sua efetiva energização.
Quantidade de ações do capital social ........................... 378.733.957 378.733.957 118.853.305 105.534.853 225.265.000 225.265.000 As obras em andamento encontram-se na seguinte situação:
Quantidade de ações possuídas .................................... 192.631.908 192.631.908 47.442.678 39.622.185 146.422.247 146.422.247 OBRA
____________________________________ Subsídio
________ Valor Aplicado ______
_____________ Saldo
Percentual de participação direta ................................... 50,86% 50,86% 39,92% 37,54% 65,00% 65,00% Sistema de Transmissão Nova Monte Verde . 56.542 8.372 48.170
R$
____________ ____________R$ R$
____________ R$
____________ ____________R$ R$
____________ Sistema de Transmissão Baixo Araguaia ...... ________ 152.916 _____________
118.062 ______
34.854
Valor do capital social ..................................................... 189.367 189.367 710.196 589.891 225.265 225.265 Total .............................................................. ________
209.458 _____________
126.434 ______
83.024
Valor do patrimônio líquido ajustado .............................. 470.298 558.839 1.111.949 884.887 155.038 193.362 ________ _____________ ______
Resultado do exercício ................................................... 38.486 40.340 147.143 82.779 (38.324) (47.125) Encargos financeiros e efeitos inflacionários
Lucro realizado (não realizado) ...................................... - 7.893 - 24.175 - - Em virtude do disposto na Resolução ANEEL nº. 001, de 24/12/97, e Deliberação
Valor do investimento ..................................................... 239.194 284.225 445.486 332.187 100.775 125.686 CVM nº. 193, de 11/7/96, os juros e demais encargos financeiros em relação aos
Adiantamento para aumento de capital .......................... - - - 72.183 - - financiamentos obtidos de terceiros para aplicação no imobilizado em curso, estão
Ágio a amortizar ............................................................. registrados como custo desses ativos, como segue: Atividade
____________- ____________- 126.269
____________ 129.262
____________ ____________- ____________- Distri- Comer- não _______________
Total
Total do investimento ................................................... 239.194 284.225 571.755 533.632 100.775 125.686
Resultado da equivalência patrimonial ........................... 9.404 28.722 50.145 55.250 (24.910) (30.631) Geração _______
_______ buição _______ cializ. _________
vinculadas _______
2007 _______
2006
Renda de aplicações
financeiras ............... 876 8.511 14.502 - 23.889 41.681
CELPA
____________________________ Rede Lajeado
____________________________ Tangará
_____________________________ (-) Transferência para
2007
____________ 2006
____________ 2007
____________ 2006
____________ 2007
____________ 2006
____________ o imobilizado em curso_______ (18) _______
(3.502) _______ (644) _________- _______
(4.164) _______
(4.668)
Quantidade de ações do capital social ........................... 63.850.937.020 63.850.937.020 132.793.454 132.793.454 78.271.000 78.271.000 Líquido........................ _______ 858 _______ 5.009 _______13.858 _________- _______19.725 _______
37.013
Quantidade de ações possuídas .................................... 6.452.992.384 6.452.992.384 39.350.358 39.350.358 48.270.992 48.270.992 _______ _______ _______ _________ _______ _______
Encargos financeiros
Percentual de participação direta ................................... 10,11% 10,11% 29,63% 29,63% 67,32% 67,32% apropriados
R$
____________ R$
____________ R$
____________ R$
____________ ____________ R$ ____________R$ no resultado ............. 3.561 91.210 108.723 46.855 250.349 234.683
Valor do capital social ..................................................... 518.932 518.932 513.810 513.810 78.271 78.271 (-) Transferência para
Valor do patrimônio líquido ajustado .............................. 1.108.599 1.281.227 811.957 797.421 81.940 89.397 o imobilizado em curso_______ (332) _______
(33.416) _______ (9.794) _________- _______
(43.542) _______
(28.794)
Resultado do exercício ................................................... 114.217 64.359 59.598 35.970 3.479 (1.167) Líquido........................ _______ 3.229 _______ 57.794 _______ 98.929 _________
46.855 _______
206.807 _______
205.889
_______ _______ _______ _________ _______ _______
Valor do investimento ..................................................... 112.079 129.532 240.583 236.276 59.218 61.404 Outras despesas
Adiantamento para aumento de capital .......................... - - 1.224 1.224 financeiras ............... 8.784 170.392 148.291 179 327.646 255.361
Deságio .......................................................................... (14.145)
____________ (14.145)
____________ ____________- ____________- ____________- ____________- (-) Transferência para
Total do investimento ................................................... 97.934
____________ 115.387
____________ 240.583
____________ 236.276
____________ 60.442
____________ 62.628
____________ o imobilizado em curso_______- (121.512) _______ _______- _________-(121.512) _______ _______-
Líquido........................ _______ 8.784 48.880 _______ 148.291 179 206.134 _______
255.361
Resultado da equivalência patrimonial ........................... 7.406 6.963 16.149 85.312 (2.186) (7.429) _______ _______ _______ _______ _________ _________ _______
_______ _______
Variações monetárias
Rede Power Caiuá Distribuição E. D. E. Vale líquidas ..................... 854 74.252 29.208 - 104.314 31.750
____________________________ ____________________________ _____________________________
(-) Transferência para
2007
____________ 2006
____________ 2007
____________ 2006
____________ 2007
____________ 2006
____________ o imobilizado em curso_______- _______ (52.476) _______- _________- _______ (52.476) _______
(6.532)
Quantidade de ações do capital social ........................... 97.508 10.000 111.651.370 98.825.770 115.905.275 115.905.275 Líquido........................ _______ 854 _______21.776 _______ 29.208 _________- _______51.838 _______
25.218
Quantidade de ações possuídas .................................... 97.488 9.980 111.651.366 98.825.766 115.905.271 115.905.271 _______ _______ _______ _________ _______ _______
Percentual de participação direta ................................... 99,98% 99,80% 100,00% 100,00% 100,00% 100,00% Reavaliação
R$ R$ R$ R$ R$ R$ Em atendimento à Deliberação CVM 183/95 - item 15, a Companhia e suas Controla-
____________ ____________ ____________ ____________ ____________ ____________
das procederam a uma nova avaliação dos bens reavaliados em 2001, como forma de
Valor do capital social ..................................................... 65.178 1.860 111.267 111.267 115.905 115.905
dar continuidade à prática contábil estabelecida para os bens do imobilizado.
Valor do patrimônio líquido ajustado .............................. 70.799 566 98.825 98.451 116.224 114.578
A reavaliação abrangeu as usinas hidrelétricas, usinas térmicas, linhas e redes de
Resultado do exercício ................................................... 7.263 152.170 352 (6.650) 7.709 2.888
transmissão, linhas e redes de distribuição, subestações e equipamentos em geral.
Valor do investimento ..................................................... 70.785 565 98.825 98.451 116.224 114.578
A Assembléia Geral Extraordinária realizada em 29 de julho de 2005 aprovou a nome-
Ágio a amortizar ............................................................. - - 8.370 9.945 ação das empresas especializadas Moore Stephens Lima Lucchesi Auditores Inde-
Adiantamento para aumento de capital .......................... ____________- 22
____________ ____________- ____________- ____________23 23
____________ pendentes e Stima Engenharia Ltda e o respectivo Laudo de Avaliação apresentado
Total do investimento ................................................... 70.785
____________ 587
____________ 98.825
____________ 98.451
____________ 124.617
____________ 124.546
____________ pelas empresas, em que constam os novos valores dos bens do imobilizado na data-
Resultado da equivalência patrimonial ........................... 7.234 151.866 352 (6.650) 3.709 6.050 base de 31 de maio de 2005.
A seguir detalhamos os montantes do incremento ao Imobilizado e ao Patrimônio
Rede Com Rede Serv Vale do Vacaria líquido consolidados: Laudo de Valor
____________________________ ____________________________ _____________________________
reavaliação __________
__________ residual ____________
Incremento
2007
____________ 2006
____________ 2007
____________ 2006
____________ 2007
____________ 2006
____________ Geração .................................................... 11.851 4.011 7.840
Quantidade de ações do capital social ........................... 1.000 1.000 1.000 1.000 20.409 - Distribuição ............................................... 274.534 162.182 112.352
Quantidade de ações possuídas .................................... 996 996 995 995 10.405 - Comercialização ....................................... 4.691 3.665 1.026
Percentual de participação direta ................................... 99,60% 99,60% 99,50% 99,50% 50,98% - Administração ........................................... 5.955 2.637 3.318
R$
____________ R$
____________ R$
____________ R$
____________ R$
____________ ____________- Transmissão ............................................. __________ 335 __________ 69 ____________ 266
Valor do capital social ..................................................... 500 500 100 100 20.510 - Total de incremento ao Imobilizado ...... __________ 297.366 __________
172.564 ____________
124.802
Valor do patrimônio líquido ajustado .............................. 600 600 120 122 5.047 - Impostos diferidos .................................... (41.280)
Resultado do exercício ................................................... 10.606 14.742 2.015 282 - Reavaliações anteriores ........................... 390.719
Valor do investimento ..................................................... 597 597 119 122 1.028 - Equivalencia patrimonial sobre
Ágio a amortizar ............................................................. 33.954
____________ 40.341
____________ 16.005
____________ 19.016
____________ 4.009
____________ ____________- nova reavaliação .................................... 423.257
Total do investimento ................................................... 34.551
____________ 40.938
____________ 16.124
____________ 19.138
____________ 5.037
____________ ____________- Realização da reserva de reavaliação
Resultado da equivalência patrimonial ........................... 10.563 9.559 1.995 49 - líquida de impostos diferidos
(depreciação e baixas) ........................... (278.033)
____________
Investco S/A - 2007 * Dos Bens Vinculados À Concessão Reserva de reavaliação registrada no
______________________________ De acordo com os artigos 63 e 64 do Decreto n°. 41.019, de 26 de fevereiro de 1957, patrimonio líquido em 31/12/2007 ....... 619.465
____________
Balanço Saldos
_________ Consolidados
__________________ os bens e instalações utilizados na geração, transmissão, distribuição e comercializa- O efeito no resultado do exercício findo em 31 de dezembro de 2007, oriundo das
Ativo Circulante ............................................... 25.976 10.297 ção, são vinculados a esses serviços, não podendo ser retirados, alienados, cedidos depreciações, baixas e alienações, foi de R$ 17.562 (companhia) e de R$ 50.807, no
Ativo não circulante ......................................... 1.409.970 558.912 ou dados em garantia hipotecária sem prévia e expressa autorização do Órgão Re- (consolidado), deste montante ocorreu a reversão da reavaliação das usinas térmicas
Passivo Circulante ........................................... 133.045 52.739 gulador. A Resolução ANEEL n° 20/99, regulamenta a desvinculação de bens das em agosto de 2007, na Controlada CEMAT, o reflexo na Rede foi de R$ 6.831.
Passivo não Circulante .................................... 312.043 123.694 concessões do Serviço Público de Energia Elétrica, concedendo autorização prévia Universalização
para desvinculação de bens inservíveis à concessão, quando destinados à alienação, A ANEEL, por meio da Resolução nº. 223, de 29 de abril de 2003, alterado pela Resolu-
Patrimônio Líquido........................................... 990.858 392.776
determinando que o produto da alienação seja depositado em conta bancária vincu- ção nº. 52 de 25 de março de 2004, estabeleceu as condições gerais para a elaboração
Receita Líquida................................................ 205.492 78.020 lada para aplicação na concessão.
Resultado operacional ..................................... 61.337 23.043 dos Planos de Universalização de Energia Elétrica, visando ao atendimento de novas
Obrigações Vinculadas à Concessão do Serviço Público de Energia Elétrica unidades consumidoras, ou aumento de carga, regulamentando o disposto nos arti-
Lucro Líquido ................................................... 61.455 23.401 São obrigações vinculadas à concessão do serviço público de energia elétrica gos 14 e 15 da Lei nº. 10.438, de 26 de abril de 2002, e fixou as responsabilidades das
* Participação consolidada proporcionalmente - nota 5 e representam os valores da união, dos estados, dos municípios e dos consu- concessionárias e permissionárias de serviço público e distribuição de energia elétrica.
midores, bem como as doações não condicionadas a qualquer retorno a favor Programa Nacional de Universalização do Acesso e Uso da Energia Elétrica
18. IMOBILIZADO Consolidado
____________________ do doador, e as subvenções destinadas a investimentos no serviço público de “Luz para Todos”
2007 _________
_________ 2006 energia elétrica na atividade de distribuição, cuja quitação ocorrerá ao final da O Decreto Presidencial nº. 4.873, de 11 de novembro de 2003, instituiu o Programa
Em serviço............................................................................ 5.752.463 4.812.329 concessão. Essas obrigações estão registradas em grupo específico no Passivo Luz para Todos, destinado a propiciar, até o ano de 2008, o atendimento em energia
Em curso .............................................................................. _________
1.213.180 _________
882.183 Não Circulante, e estão sendo apresentadas como dedução do Ativo Imobilizado, elétrica à parcela da população do meio rural brasileiro que ainda não tem acesso a
dadas suas características de aporte financeiro com fins específicos de financia- esse serviço público.
6.965.643 _________
_________ 5.694.512 mentos para obras.
_________ _________ De acordo com o artigo 2º do Decreto, os recursos necessários para o custeio do
Obrigações especiais vinculadas à concessão A Resolução Normativa ANEEL nº. 234, de 31 de outubro de 2006, estabelece os Programa serão oriundos da Conta de Desenvolvimento Energético - CDE, instituída
do serviço público de energia elétrica ................................ (1.812.206) (1.218.899) conceitos gerais, as metodologias e os procedimentos iniciais para realização do se- como subvenção econômica pela Lei nº. 10.438, de 26 de abril de 2002, da Reserva
_________ _________ gundo ciclo de revisão tarifária periódica, que na Companhia ocorrerá em abril de
5.153.437 _________
4.475.613 Global de Reversão - RGR, instituída pela Lei nº. 5.655 de 20 de maio de 1971, de
_________
_________ _________ 2008 e altera o tratamento das obrigações especiais, que passarão a ser amortizadas agentes do setor elétrico, da participação dos Estados, Municípios e outros destina-
Taxas pela taxa média de depreciação dos ativos. dos ao Programa. O Programa será coordenado pelo Ministério de Minas e Energia
anuais A partir de 1°. de janeiro de 1996, estas obrigações não estão sendo mais atualizadas - MME e operacionalizado com a participação das Centrais Elétricas Brasileiras S.A.
Médias de Depre- pelos efeitos da inflação, tendo a seguinte composição em 31 de dezembro: - ELETROBRÁS e das empresas que compõem o sistema ELETROBRÁS.
depreci- ciação 2007 _________
_________ 2006 Através de suas controladas, foram firmados contratos de financiamentos e conces-
ação (*) ________
_______ Custo acumulada
_________ ________ 2007 ________
2006 Participação da União .......................................................... 31.566 108.012 são de Subvenções junto a Eletrobrás no âmbido do Programa Luz para Todos para
Geração: _______% Participação dos Estados ..................................................... 159.742 162.967 atendimento de 235.225 novos consumidores, a composição da realização do Progra-
Custo ................................... 2,75 893.442 (135.712) 757.730 240.989 Participação dos municípios ................................................. 86.311 89.497 ma até dezembro de 2007 estão da seguinte forma:
Correção monetária especial 0,24 533 (466) 67 69 Participação do consumidor ................................................. 636.696 406.547 O valor total dos Programas em suas Controladas é de R$ 1.511.660, com o objetivo
Reavaliação ......................... _______ 2,4 ________
10.322 _________ (1.414) ________8.908 ________
42.288 Doações e subvenções destinadas de ligar 235.225 novos consumidores e instalar uma Usina Térmica de 500KW na Co-
investimento no serv. Concedido ........................................ 132.150 406.948 munidade do Distrito de Guariba, no Município de Colniza, Mato Grosso, o montante
Transmissão:
Universalização do Serviço Publico de E/E.......................... 764.473 44.344 dos investimentos realizados até dezembro de 2007 é de R$ 1.170.740, o saldo a ser
Custo ................................... 3,74 38.606 (7.361) 31.245 6.443
Outros ................................................................................... _________
1.268 _________
584 investido em 2008, é de R$ 348.583.
Correção monetária especial 3,58 (22) 12 (10) (10)
As Controladas CELPA, CEMAT e CELTINS, possuem projetos sendo analisados jun-
Reavaliação ......................... _______ 4,49 ________8.994 _________ (1.037) ________7.957 ________
8.361 1.812.206 _________
_________ 1.218.899
_________ _________ to a ELETROBRÁS para uma nova etapa do Programa.
Distribuição: Em conformidade com as disposições da Resolução ANEEL nº. 784, de 24 de de-
Custo ................................... 4,31 4.301.943 (1.360.954) 2.940.989 2.345.164 zembro de 2002, e resolução autorizativa - ANEEL nº. 81, de 9 de março de 2004, a 19. INTANGÍVEL Consolidado
____________________
Correção monetária especial 2,6 74.618 (62.150) 12.468 14.529 Controlada Centrais Elétricas Matogrossenses S.A. – CEMAT, foi enquadrada na sub- 2007 _________
2006
_________
Reavaliação ......................... _______ 5,52 2.209.131
________ _________ (330.376) 1.878.755
________ 2.034.514
________ rogação do direito de uso da Conta de Consumo de Combustíveis Fósseis - CCC, de- Em serviço............................................................................ 23.773 18.251
Comercialização: vido á implantação de projetos elétricos que proporcionaram a redução do dispêndio Em curso .............................................................................. _________
12.384 _________
10.443
Custo ................................... 6,52 22.020 (11.961) 10.059 10.312 da CCC, que contribui para a modicidade das tarifas aos consumidores finais, relativo 36.157 _________
28.694
Correção monetária especial 0,42 542 (509) 33 36 _________
_________ _________
ao sistema de transmissão Brasnorte / Juara / Juína.
Reavaliação ......................... _______ 4,38 ________
20.992 _________ (1.741) ________
19.251 ________
20.045 Para fins de cálculo do benefício, o empreendimento foi dividido em 2 fases distintas Depreciação
Administração: Na 1ª Fase denominada de Transmissão Campo Novo / Brasnorte, foram aplicados Custo ____________
________ acumulada _______ 2007 _______
2006
Custo ................................... 5,75 94.388 (55.252) 39.136 38.133 recursos na ordem de R$ 12.094, fiscalizada e aprovada pela ANEEL, a Companhia INTANGÍVEL EM SERVIÇO:
Correção monetária especial 0,15 2.501 (2.334) 167 177 recebeu como sub-rogação o valor de R$ 6.026 em 2005 e R$ 3.045 em 2004, o que Geração:
Reavaliação ......................... _______ 3,08 ________
53.198 _________ (7.490) ________
45.708 ________
51.279 equivale a 75% do custo da obra; Servidões ........................................ 437 - 437 57
Na 2ª Fase denominada Linha de Transmissão Juara / Juína foi aplicado o montante Software .......................................... 26 (12) 14 134
Subtotal ................................ 7.731.208 (1.978.745)
________ 5.752.463 ________
_________ ________ 4.812.329
de R$ 55.904 para a conclusão da obra, o valor de sub-rogação desta obra é de Distribuição:
Imobilizado em curso: R$ 41.928, dos quais R$ 32.623 foram recebidos em 2006 e R$ 9.306 previstos para Servidões ........................................ 10.947 (31) 10.916 10.893
Geração............................... 49.512 - 49.512 49.448 2007, o que corresponde a 75% do investimento; Software .......................................... 9.357 (5.757) 3.600 4.674
Distribuição.......................... 1.149.707 - 1.149.707 817.976 Foram ainda, homologados os seguintes projetos : Direito Uso Linha Telefonica ............ 4 - 4 -
Transmissão ........................ 303 - 303 - • Sistema de Transmissão Sapezal, aprovado pela resolução autorizativa n.º. 320 de Comercialização:
Comercialização .................. 11.364 - 11.364 2.263 19.9.2005, num investimento total de R$ 25.661 e sub-rogação de R$ 19.246 a ser Servidões ........................................ 1 - 1 122
Administração...................... 2.294 _________- ________
________ 2.294 ________
12.496 recebido em 153 parcelas a partir de janeiro de 2006, recebido em 2006 o montante Software .......................................... 975 (236) 739 1.280
1.213.180 _________- ________
________ 1.213.180 ________
882.183 de R$ 549 e R$ 2.459 em 2007, totalizando R$ 3.008 já recebidos; Direito Uso Linha Telefonica ............ 86 - 86 -
8.944.388 • Sistema Tabaporã, aprovado pela resolução nº. 512 de 11.4.2006, num investimento Administração:
Total ...................................... ________ (1.978.745)
________
6.965.643 ________
_________ ________
_________ ________ 5.694.512
________ total de R$ 3.078 e valor sub-rogado de R$ 2.101 recebido integralmente em 2006. Servidões ........................................ - - - 18
(*) A taxa média é calculada considerando a despesa de depreciação do exercício • Sistema de Transmissão Nova Monte Verde, com subsídio aprovado de R$ 56.542 Software .......................................... 18.712 (10.786) 7.926 1.073
dividida pelo saldo médio anual do imobilizado. mil através da resolução autorizativa nº. 897 de 2 de maio de 2007, com previsão de Direito Uso Linha Telefonica ............ ________ 50 ____________- _______ 50 _______-
As principais taxas anuais de depreciação por macroatividade, de acordo com a Re- início do recebimento ainda em 2008 em 48 parcelas; Subtotal .......................................... 40.595 (16.822) 23.773 18.251
solução ANEEL nº. 240/06, são as seguintes: • Sistema de Transmissão Baixo Araguaia, com subsídio aprovado no valor de R$ INTANGÍVEL EM CURSO
Taxas anuais Taxas anuais 152.916 mil através da resolução autorizativa nº. 906 de 2 de maio de 2007 com Geração:
de depre- de depre- previsão de recebimento a partir do final de 2008 em 48 parcelas; Software .......................................... 63 - 63 22
ciação %
___________ ciação %
___________ Para o ano de 2008, existem estudos em andamento de projetos por parte da diretoria Distribuição:
Geração: Comercialização: corporativa de engenharia a serem enquadrados na sub-rogação da CCC. Servidões ........................................ 3.487 - 3.487 2.162
Equipamento geral ............... 10,00 Equipamento geral .... 10,00 O Ofício de encerramento ANEEL 2.409/07 para aplicação nas publicações do exer- Software .......................................... 4.111 - 4.111 551
Reservatórios, barragens ..... Edificações................ 4,00 cício de 2007 trata no item 48 a respeito da Contabilização do subsídio recebido pela Comercialização:
e adutoras .......................... 2,00 concessionária da ELETROBRÁS, oriundo do fundo da CCC em virtude de obras que Software .......................................... 230 - 230 5.554
visam à desativação de usinas térmicas e conseqüente redução de óleo diesel no Administração:
Turbina hidráulica ................. 2,50
processo de geração de energia em nosso país. Software .......................................... ________
4.493 ____________- _______ 4.493 _______
2.154
Distribuição: Administração central: O Mencionado ofício determina que todos os valores já recebidos ou aprovados sejam 12.384 ____________- _______
________ 12.384 _______
10.443
Barra de capacitores ............ 5,00 - 6,70 Veículos .................... 20,00 registrados no grupo de contas 223 - Obrigações Especiais Vinculadas à Concessão
Chave de distribuição ........... 3,30 - 6,70 Equipamento geral .... 10,00 52.979 ____________
________ (16.822) _______
36.157 _______
28.694
do Serviço Público de Energia Elétrica. Dentro desse grupo é feita a segregação dos ________ ____________ _______ _______
Condutor do sistema ............ 2,50 - 5,00 valores já efetivamente recebidos e dos valores pendentes de recebimento que já As faixas de Servidões são direitos de passagem para linhas de transmissão associa-
Estrutura do sistema ............ 2,50 - 5,00 foram aprovados pelo órgão regulador. das à distribuição na área de concessão da Companhia, e em áreas urbanas e rurais
Regulador de tensão ............ 3,50 - 4,80 Além disso, o referido ofício determinou a provisão de todos os valores já aprovados particulares, constituídos por indenização em favor do proprietário do imóvel. Como
Transformador de distribuição 5,00 pelo órgão regulador ainda não efetivamente recebidos. Essas modificações resulta- são permanentes, não há amortização.
Direitos de Uso - são licenças de direito de propriedade intelectual, constituídos por O saldo da dívida consolidada do PAEX pela companhia diverge em R$ 45.882 do c. Os indexadores, base de atualização dos empréstimos, financiamentos apre-
gastos realizados com a aquisição das licenças e demais gastos com serviços com- saldo consolidado pela RFB em 31 de dezembro de 2007. A companhia entrou com sentaram as seguintes variações durante o exercício:
plementares à utilização produtiva de softwares. contestações com relações às divergências através de solicitação de revisão dos dé- Variação %
_________________
bitos consolidados no PAEX-SRDC. Moeda/indexador
_______________ 2007 ________
________ 2006
20. FORNECEDORES Consolidado
_________________ O débito consolidado em 130 parcelas mensais de acordo com o disposto no artigo US$(dólar norte-americano) ................................................... (17,15) (8,66)
2007 ________
2006 1º da Medida Provisória nº. 303, de 29 de junho de 2006, está sendo pago desde de URTJLP (Unidade de Referência - Taxa de
________
CIRCULANTE setembro de 2006 , as parcelas do débito consolidado pagas no exercício findo em Juros de Longo Prazo) ......................................................... 0,36 1,54
Suprimento de energia elétrica: 31 de dezembro de 2007, montam em R$ 2.260 (principal de R$ 2.119 e encargos CDI (Certificado de Depósito Interbancário) .......................... 11,81 15,04
Arapucel Indiavaí ...................................................................... 48 323 de R$141) na companhia e R$ 27.140 (principal R$ 25.703 e encargos de R$1.437) TJLP (Taxa de Juros Longo Prazo) ........................................ 6,37 7,86
Arapucel Ombreiras S.A. .......................................................... - 129 no consolidado. Finel (Fundo de Financiamento da Eletrobrás) ...................... 1,51 0,57
Araputanga ............................................................................... - 483 Sobre o saldo devedor incidem juros mensais equivalentes à variação da TJLP. IGP-M (Índice Geral de Preços do Mercado) ......................... 7,75 3,85
Cemig ....................................................................................... 2.867 3.690 O valor total referente ao PAEX 130 meses é composto por: Poupança................................................................................ 7,70 7,54
Cia de Geração de Energ Elétrica Tiete ................................... 16.703 16.902 Companhia
______________ Consolidado
______________ d. Detalhamento dos empréstimos e financiamentos:
CHESF ..................................................................................... 15.399 12.807 En- _______
2007 _______
2006 En- _______
2007 _______
2006 Companhia:
Companhia Energética de São Paulo - CESP ......................... 10.371 10.696 Tributos Principal
_______ cargos _______
________ ______ Total _______
Total Principal cargos _______
________ ______ Total _______
Total Moeda nacional
Copel Distribuição S.A.............................................................. - 2.260 PIS 713 58 771 3.063 38.855 3.178 42.033 40.795 1. BNDES –Contratos para investimentos em geração, transmissão, distribuição e co-
Copel Geração S.A................................................................... 9.672 5.359 COFINS 4.917 397 5.314 6.501 112.933 9.300 122.233 117.140 mercialização de energia elétrica, sobre os quais incidem juros à taxa de 4% ao ano
Duke Energy............................................................................. 2.978 962 IRPJ - - - 5.249 30.242 2.446 32.688 31.061 acima da TJLP, com vencimento final em agosto de 2010.
Eletram ..................................................................................... 930 932 CSLL 1.448 117 1.565 1.914 12.885 1.041 13.926 13.318 a. Contrato de confissão, reescalonamento e consolidação de dívidas junto ao BN-
ELETROBRÁS ......................................................................... 19.257 13.724 CPMF - - - - - - - 14.958 DES (Vide item b detalhamento dos empréstimos e financiamentos consolidado)
ELETRONORTE....................................................................... 11.568 4.649 PGFN - - - - 66 5 71 76 2. Capital de giro diversos - Contratos com taxas de juros entre 1,50% a.a. e 6,17%
Furnas ...................................................................................... 21.728 23.769 INSS a.a. acrescidas de CDI e com vencimento da última parcela ocorrendo em 29 de
________- ______- _______- _______- ________
7.577 ______
613 _______
8.190 _______
8.523
Global Energia Elétrica............................................................. 1.166 926 dezembro de 2014.
Total 7.078 ______
________ 572 _______
7.650 _______
16.727 ________
202.558 ______
16.583 219.141 225.871
_______ _______
Guarantã Energética ................................................................ 2.210 958 3. A Assunção de dívida da controlada indireta Centrais Elétricas Matogrossenses
O débito consolidado em 120 parcelas mensais de acordo com o disposto no artigo S.A. -CEMAT junto a Enermat Investimentos e Participações S.A. conforme instru-
Itamarati Norte ......................................................................... 6.877 6.264
8º da Medida Provisória nº. 303, de 29 de junho de 2006, está sendo pago desde mento de Assunção de Dívida firmado em 12 de agosto de 2004, decorrente da ope-
Rede Comercializadora Energia S.A. ....................................... - 505
setembro de 2006 , as parcelas do débito consolidado pagas no exercício findo em 31 ração de alienação da controlada indireta Itamarati Norte S.A. – Agropecuária, com
Rosal Energia S.A. ................................................................... 3.134 2.728
Apiacas Energia S.A................................................................. 2.538 2.811 de dezembro de 2007, montam em R$ 90.002 (principal de R$ 81.979 e encargos de amortização em 6 parcelas anuais, vencimento final em julho de 2010 e à taxa de
Enerpeixe Energia S.A. ............................................................ 2.238 1.650 R$ 8.023 )no consolidado. IGPM mais 6% ao ano.
Rio do Sangue Energia S.A...................................................... 2.818 1.735 Sobre o saldo devedor incidem juros mensais equivalentes à variação da SELIC. Moeda Estrangeira
Socibe Energia S.A. ................................................................. 2.048 2.473 O valor total referente ao PAEX 120 meses é composto por: 1. Bônus Perpétuos- Emissão no valor de US$575.000 ( quinhentos e setenta e cinco
Isamu Ikeda Energia S.A. ......................................................... 2.243 3.361 Companhia
______________ Consolidado
______________ milhões de dólares norte-americanos ), sendo a primeira emissão no montante de
Primavera Energia S.A. ............................................................ 1.467 1.533 En- _______
2007 _______
2006 En- _______
2007 _______
2006 US$400.000 ( quatrocentos milhões de dólares norte-americanos ) e a segunda no
Outras....................................................................................... 13.074 12.788 Tributos Principal
_______ cargos _______
________ ______ Total _______
Total Principal cargos _______
________ ______ Total _______
Total montante de US$175.000 ( cento e setenta e cinco milhões de dólares norte-america-
Parcelamentos: PIS 1.606 233 1.839 1.802 81.595 11.445 93.040 91.835 nos ) para colocação no mercado internacional junto a investidores institucionais es-
ELETRONORTE (a) ................................................................. - 27.068 COFINS 18.206 2.642 20.848 20.441 367.730 53.409 421.139 416.556 trangeiros qualificados, em conformidade com isenções estabelecidas de acordo com
ELETROBRÁS ......................................................................... - 834 IRPJ - - - - 85.131 12.409 97.540 102.192 o Securities Act of 1933, conforme alterado, dos Estados Unidos da América, sem a
Furnas (b) ................................................................................. ________
55.732 ________
62.938 CSLL - - - - 29.427 4.300 33.727 34.539 necessidade, portanto, da solicitação e obtenção de qualquer registro de distribuição
CPMF - - - - 10.943 1.592 12.535 17.359 no exterior, inclusive perante a Securities Exchange Commission dos Estados Unidos
207.066 ________
________ 225.257
________ ________ Multa - - - (8) - - - 19.650 da América ( SEC ) (os “Bônus” ). Os bônus foram emitidos a uma taxa de 11,125% ao
Consolidado
_________________ PGFN - - - - 190.685 27.793 218.478 219.713 ano, com pagamentos trimestrais, não possuem data de vencimento e poderão, por
2007 ________
2006 INSS opção da Companhia, serem resgatados a partir de 02 de abril de 2.012, em qualquer
________ ________- ______- _______- _______- ________
6.212 ______
901 _______
7.113 _______
7.147
data de pagamento de juros. Com esta emissão de “Bônus Perpétuos”, a companhia
CIRCULANTE: Soma 19.812 ______
________ 2.875 _______
22.687 _______
22.235 ________
771.723 111.849
______ 883.572 908.991
_______ _______ altera a sua dívida de curto prazo, por um perfil de dívida mais alongado.
Compra de energia elétrica: Desverti- Consolidado:
Energia livre - CCEE (b) ........................................................... 16.488 16.951 calização ________
(19.812) ______
(2.875) (22.687)
_______ (22.235) (19.812) ______
_______ ________ (2.875) (22.687)
_______ (22.235)
_______ Moeda nacional
Energia no curto prazo - CCEE ................................................ 18.136 5.354 Total - - - - 751.911 108.974 860.885 _______
886.756 1. BNDES - substancialmente representados por contratos relacionados às seguintes
34.624 ________
22.305 ________
________ ______
______ _______
_______ _______
_______ ________
________ ______
______ _______
_______ _______
________ finalidades:
Compra de combustível a. Empréstimos obtidos pela controlada indireta CELPA, destinados a investimentos
PETROBRAS ........................................................................... ________ 75.423 ________
20.004 22. EMPRÉSTIMOS, FINANCIAMENTOS E ENCARGOS
no Sistema Tramoeste, Baixo Tocantins, obras em subestações e de distribuição, so-
a. Composição:
Encargos de uso da rede elétrica: Companhia
___________________________________________________ bre os quais incidem juros de 11% ao ano, com vencimento final em 15/12/2008.
CTEEP ..................................................................................... 4.857 4.684 2007 _________________________ 2006 b. Reestruturação financeira: Assunção pela Controladora Rede Empresas de Ener-
Furnas ...................................................................................... 2.737 3.422 _________________________ gia Elétrica S.A. em 30.11.2006 conforme Decisão nº. DIR1005/2006-BNDES, das
CHESF ..................................................................................... 1.607 1.751 Principal
_______________ Principal
________________ dívidas da EEVP e da DENERGE, decorrentes dos contratos de financiamentos nº.
ELETRONORTE....................................................................... 4.965 4.851 Encargos Circu- Não Cir- Encargos Circu- Não Cir- 97.2.514.31 ( EEVP), 03.2.398.3.1 ( DENERGE ); 04.2.179.3.1 (DENERGE) e do sub-
ELETROSUL ............................................................................ 1.024 1.017 da Dívida ______
_________ lante _________
culante _________
da Dívida _______
lante ________
culante crédito “D”(/047)do Contrato de Financiamento nº. 98.2.022.3.1(EEVP), no montante
Expansion................................................................................. 289 292 Moeda nacional: total de R$ 201.842, bem como sua consolidação e reescalonamento, conforme con-
TSN .......................................................................................... 561 507 BNDES ................... 830 20.345 201.565 2.193 69.375 421.872 dições abaixo:
Novatrans ................................................................................. 545 531 Enermat .................. 6.148 2.148 16.592 5.114 2.148 21.785 Subcrédito “B”: R$ 185.014
ETEO........................................................................................ 183 187 Capital de giro ........ _________ 839 ______
2.000 _________
100.000 _________
8.778 _______
87.973 ________
101.490 Subcrédito “C”: R$ 16.828
CEMIG...................................................................................... 2.235 1.215 Prazos de amortização:
Subtotal ................. _________
7.817 ______
24.493 _________
318.157 _________
16.085 _______
159.496 ________
545.147
Copel Transmissão S.A............................................................. 815 280 •Subcréditos “B” e “C”: em 40 prestações trimestrais, com a seguinte progressividade:
EATE ........................................................................................ 441 436 Moeda estrangeira: 15% em 12 prestações trimestrais e sucessivas, cada uma no valor do principal vin-
ONS.......................................................................................... 485 583 Bônus Perpétuos .... _________- ______- _________ 1.018.497 _________- _______- ________- cendo deste percentual, dividido pelo número dessas prestações de amortização ain-
CEEE........................................................................................ 463 471 Subtotal ................. _________- ______- _________
1.018.497 _________- _______- ________- da não vencidas, vencendo-se a primeira em 15.12.2006 e a última em 15.9.2009;
STN .......................................................................................... 183 193 Total de 85% em 28 prestações trimestrais e sucessivas, cada uma no valor do principal vin-
NTE .......................................................................................... 159 154 Empréstimos....... _________ 7.817 24.493 _________
1.336.654 16.085 159.496 ________
545.147 cendo deste percentual, dividido pelo número dessas prestações de amortização ain-
ENTE ........................................................................................ 228 243 _________ ______
______ _________ _________
_________ _______
_______ ________ da não vencidas, vencendo-se a primeira em 15.12.2009 e a última em 15.9.2016;
ATE ........................................................................................... 380 161 Consolidado
___________________________________________________ Juros para Subcréditos “B”:
ITE ............................................................................................ 220 165 _________________________ 2007 _________________________ 2006 • 4% ao ano acima da Taxa de Juros de Longo Prazo – TJLP; juros exigíveis com
Outras....................................................................................... ________
1.182 ________
1.650 Principal Principal relação ao Subcrédito “B”, trimestralmente, a partir 15.12.2006, juntamente com as
_______________ ________________ prestações do principal.
23.559 ________
________ 22.793 Encargos Circu- Não Cir- Encargos Circu- Não Cir- Juros para Subcréditos “C”:
Materiais e serviços ................................................................. 80.624 87.250 da Dívida ______
_________ lante _________
culante _________
da Dívida _______
lante ________
culante •5% ao ano acima da Taxa de Juros de Longo Prazo – TJLP; juros exigíveis trimestral-
Retenção contratual ................................................................. ________ 3.563 ________
2.934 Moeda nacional: mente, a partir de 15.12.2006, e juntamente com as prestações do principal.
424.859 ________
________ 380.543 BNDES ................... 1.167 56.437 245.984 2.443 96.213 448.710 Garantias: penhor de ações das controladas e controladoras.
________ ________
NÃO CIRCULANTE: ELETROBRÁS ....... 1.657 45.966 390.037 1.428 33.725 279.498 2. ELETROBRÁS - substancialmente representados por contratos relacionados às
Suprimento de energia elétrica: Enermat .................. 6.148 2.148 16.592 5.114 2.148 21.785 seguintes finalidades:
Tiete ......................................................................................... - 25 Finame.................... 15 869 2.942 6 748 561 a. Programas Luz no Campo e Luz para Todos, nas controladas CELPA, CEMAT e
Energia livre - CCEE (b) ........................................................... 14.453 35.469 FDE ........................ - 2.416 5.986 37 2.261 7.868 CELTINS, nos montantes de R$ 137.094, R$ 249.641 e R$ 35.427, em 31 de dezem-
(-) Provisão para perdas ........................................................... - (21.488) FIDC ....................... - - - 1.216 22.938 87.162 bro de 2.007, respectivamente, todos com prazo de carência de 24 meses e prazo de
Parcelamentos: Capital de giro ........ 15.247 178.328 642.014 42.648 421.187 390.498 amortização em 120 meses acrescidos da taxa de juros de 6% a.a., com amortização
Furnas (a) ................................................................................. ________
19.897 ________
48.502 Investimentos.......... 1.275 90.000 - - - mensal.
BASA ...................... 1.715 5.812 10.252 - - - b. ELETROBRÁS - programas tomados para expansão dos sistemas de geração,
34.350 ________
________ 62.508 transmissão, distribuição e comercialização, na controlada CEMAT, cujo montante em
________ ________ FINEM .................... _________ 144 ______
6.102 _________
29.615 _________- _______- ________-
(a) Parcelamento referente a fornecimento de energia elétrica, contrato assinado em Subtotal ................. _________
27.368 298.078 1.433.422 _________
52.892 _______
579.220 1.236.082 31 de dezembro de 2007 é de R$ 5.842. O contrato inicial é datado de 1/7/1996 e a
______ _________ ________ data de vencimento do último contrato ocorrerá em 15/8/2022, com taxas de juros que
15/8/2002, a forma de amortização ocorre pela dação de energia elétrica, com um
Moeda estrangeira: variam de 6% a 9% a.a., mais a variação da Ufir, Finel e IGPM. Todos os contratos
período de amortização previsto para, no mínimo, 53 parcelas, podendo ser prorroga-
Notes Units ............. 2.301 - 64.123 7.900 - 213.800 com carência de 2 anos.
do independentemente da anuência das partes. Conforme consta na cláusula 5ª do
BID.......................... 4.859 - 450.796 4.704 - 383.771 3. Finame - investimentos no sistema de transmissão, distribuição e comercialização
contrato, a taxa de juros é de 12,68% a.a., mais a variação do IGP-M.
Tesouro Nacional .... 1.554 9.272 101.394 2.110 11.153 133.116 na controlada CEMAT. As taxas de juros entre 4,30% e 5% a.a., mais a variação da
(b) Vide nota explicativa nº. 12
Bônus Perpétuos .... _________- ______- _________ 1.018.497 _________- _______- ________- URTJLP, a forma de amortização é mensal e com vencimento da última parcela ocor-
21. TRIBUTOS, CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS E PARCELAMENTOS Subtotal ................. _________
8.714 ______
9.272 _________
1.634.810 _________
14.714 _______
11.153 ________
730.687 rendo em 17/9/2012.
Circulante ________________
________________ Não circulante Total de 4. Capital de giro
2007 _______
2006 _______
2007 _______
2006 empréstimos ....... _________ 36.082 307.350 3.068.232 _________
67.606 _______
590.373 1.966.769 a. Capital de giro- Em sua totalidade em moeda nacional, com taxas de juros entre
_______ ______ _________
_________ ______ _________ _________ _______ ________
________ 1,21% a.a. e 6,17% a.a. acrescidas de CDI e com vencimento da última parcela ocor-
Companhia rendo em 29/12/2014 e para moeda estrangeira, taxa de juros de 9,50% a.a., mais
PIS (b) ......................................................... 401 154 - - b. As parcelas do não circulante (principal e encargos) têm os seguintes ven- IGPM, ocorrendo o último vencimento em 15/5/2015.
Cofins (b) ..................................................... 1.850 711 - - cimentos: Investimentos:
Imposto de renda retido na fonte (b) ........... 817 1.122 - - Moeda Moeda a. A Controlada CEMAT, em 20 de junho de 2007, firma contrato de empréstimo jun-
IOF (b) ......................................................... 639 449 - - Companhia:
___________ nacional __________
__________ estrangeira _______
2007 _______
2006 to ao Banco Bradesco S.A., até o limite de R$ 96.790, sendo liberado R$ 40.000
Outros (b) .................................................... _______254 _______ 37 _______- _______- A partir de 2008 .............................. - - - 329.790 milhões no ato, esses recursos destinam-se para investimentos em construções de
3.961 _______
_______ 2.473 _______- _______- 2009 .............................. 34.102 - 34.102 32.974 LT’s e ampliações de SE’s. As amortizações de principal serão em 42 parcelas, com
Parcelamento de tributos 2010 .............................. 62.070 - 62.070 40.913 carência de 18 meses e vencimento final ocorrendo em 11 de junho de 2012, o custo
Paes (a) ..................................................... 85 83 382 444 2011 .............................. 44.693 - 44.693 24.604 da operação é de CDI mais 2% a.a..
Paex (e) ..................................................... _______
7.061 _______ 64 _______
23.276 _______
38.898 2012 .............................. 44.693 - 44.693 24.604 A segunda liberação no montante de R$ 14.000 ocorreu em 20 de julho de 2007.
7.146 _______147 _______
23.658 _______
39.342 2013 .............................. 44.693 - 44.693 24.603 A terceira liberação no montante de R$ 10.000 ocorreu em 09 de agosto de 2007.
_______ A quarta liberação no montante de R$ 10.000 ocorreu em 10 de setembro de 2007.
2014 .............................. 44.693 - 44.693 24.603
Desverticalização tributos federais (d) ........ _______ (2.654) _______
(40) (20.033)
_______ (22.195)
_______ A quinta liberação no montante de R$ 16.000 ocorreu em 05 de dezembro de 2007.
2015 .............................. 24.693 - 24.693 24.603
8.453
_______ 2.580 3.625 17.147 2016 .............................. __________
18.520 __________- _______
18.520 _______
18.453 5. Empréstimos Investco S/A:
_______ _______
_______ _______
_______ _______
_______
Circulante ________________
Não circulante Subtotal ... ...................................... __________
318.157 __________- _______
318.157 _______
545.147 Em dezembro de 2007 a controlada indireta Investco S/A passou a integrar as de-
________________ monstrações consolidadas da Rede Empresas de Energia Elétrica S/A, por se tratar
_______ 2006 _______
2007 _______ 2007 _______
2006 Bonus Perpétuo ............................... __________- __________1.018.497 1.018.497
_______ _______- de uma companhia com o controle compartilhado, os saldos dos empréstimos e fi-
Consolidado Total ................................................ __________
318.157 __________
1.018.497 1.336.654 545.147 nanciamentos representam o percentual de 39,64% , equivalente a participação da
__________ __________ _______ _______
_______ _______
ICMS (b) ...................................................... 107.044 100.471 10.330 10.186 Rede Empresas de Energia Elétrica S/A e sua controlada direta Rede Lajeado S/A,
Moeda Moeda
Imposto de renda (b) ................................... 28.112 27.005 - - no capital social desta Companhia.
Contribuição social (b) ................................. 8.605 7.397 - - Consolidado:
____________ nacional __________
__________ estrangeira _______
2007 _______
2006
Moeda estrangeira
Previdência social (b) .................................. 8.230 6.838 - - A partir de 2008 .............................. - - - 615.589 1. As controladas Centrais Elétricas do Pará S.A. – CELPA e Centrais Elétricas Ma-
FGTS (b)...................................................... 1.717 1.536 171 169 2009 .............................. 271.999 48.955 320.954 219.413 togrossenses S.A. - CEMAT, efetuaram uma emissão de US$ 100 milhões em 14 de
PIS (b) ......................................................... 8.716 5.726 - - 2010 .............................. 253.510 121.436 374.946 281.469 fevereiro de 2006, sendo US$ 50 milhões de responsabilidade da CELPA e US$ 50
Cofins (b) ..................................................... 27.317 26.321 - - 2011 .............................. 226.486 134.153 360.639 244.069 milhões da CEMAT. As “Notes Units”, assim definidas, terão prazo total para liquida-
Imposto de renda retido na fonte (b) ........... 10.724 18.079 - - 2012 .............................. 261.466 1.124.853 1.386.319 218.643 ção de 6 anos, sendo 3 anos de carência e 3 anos para amortização do principal. O
IOF (b) ......................................................... 874 865 - - 2013 .............................. 146.226 51.495 197.721 106.678 custo da captação foi 9,5% ao ano, acrescido da variação cambial, com pagamento
Outros (b) .................................................... _______
6.270 _______
4.810 _______- _______- 2014 .............................. 106.774 47.942 154.716 95.426 de juros semestrais. Cabe acrescentar que o montante do principal dessa operação
2015 .............................. 48.698 31.103 79.801 66.088 foi protegido contra as oscilações da variação cambial, por meio de instrumentos de-
207.609 _______
_______ 199.048 _______
10.501 _______
10.355
2016 .............................. 39.279 6.665 45.944 29.464 rivativos em reais.
Parcelamento de tributos 2017 .............................. 15.302 - 15.302 6.177 Em 8 de agosto de 2007, as Controladas Centrais Elétricas Matogrossenses S.A. –
Paes (a) ....................................................... 206 235 914 1.066 2018 .............................. 8.354 - 8.354 1.448 CEMAT e Centrais Elétricas do Pará S.A. - CELPA, em cumprimento ao disposto na
ICMS (c) ...................................................... 5.768 5.941 10.997 15.493 Após 2018 .............................. __________
55.328 __________
68.208 _______
123.536 _______
82.305 Instrução CVM nº.358, de 3/1/2002, publicaram “Fato Relevante” informando que foi
Paex (e) ....................................................... 137.715 90.184 964.995 1.044.678
Total ................................................ __________
1.433.422 1.634.810 3.068.232 1.966.769 concluído com sucesso a oferta de recompra das Notes Units com juros de 9,50%
Outros .......................................................... _______
506 _______160 _______
971 _______
639 __________ __________
__________ _______
_______ _______
_______
e vencimento em 2012 (as “Units”) emitidas pelas Companhias no mercado externo
144.195 _______
_______ 96.520 _______
977.877 1.061.876
_______ em 14 de fevereiro de 2006, em conformidade com as isenções estabelecidas de
A composição do saldo devedor por moeda/indexador é a seguinte:
Desverticalização tributos federais (d) ........ _______ (2.654) _______
(40) (20.033)
_______ (22.195)
_______ acordo com o Securities Act of 1933 , conforme alterado, dos Estados Unidos da
Moeda/indexador
_______________ 2007 ________________
________________ 2006
349.150 _______
295.528 _______
968.345 1.050.036 América, objeto do Fato Relevante de 11 de julho de 2007. Foi objeto de aceitação
_______
_______ _______ _______ _______
_______ Companhia
____________ R$ ________
________ % ________
R$ ________
% pelas Companhias a recompra das Units da totalidade dos investidores que aderiram
(a) Refere-se a consolidação de débitos tributários com vencimentos até 28/2/2003, Moeda estrangeira: à oferta, representando 63,8% das Units em circulação, no valor principal de US$
no Parcelamento Especial - PAES, sobre os quais incidem juros mensais equivalentes Dólar norte-americano................................. ________ 1.018.497 ________
100,00 ________- ________- 31.899 milhões, de um valor principal total de US$ 50 milhões, parte ideal de cada
a variação da Taxa de Juros de Longo Prazo – TJLP. Em 11 de setembro de 2006, a Subtotal ...................................................... ________
1.018.497 ________
100,00 ________- ________- Companhia.
Companhia e suas controladas formalizaram suas exclusões no Parcelamento Espe- 2. A Controlada Centrais Elétricas Matogrossenses S.A. – CEMAT, em 25 de julho de
Moeda Nacional:
cial – PAES, para refinanciamento da dívida fiscal nos moldes do art. 1º. da MP 303, 2006, toma empréstimos junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento – BID,
URTJLP ..................................................... 222.740 63,56 493.440 68,46 sendo liberado US$ 89.500 como parte dos recursos dos empréstimos aprovados de
de 29 de junho de 2006, permanecendo o parcelamento referente ao FNDE. Pré-fixado .................................................. - - 757 0,11 um total de US$ 114.500. Do total liberado, US$ 50.000 são provenientes de recursos
(b) Refere-se aos impostos e contribuições correntes e retenções com vencimento IGP-M ........................................................ 24.888 7,10 29.047 4,03 próprios do BID (denominados como “A Loan” ou parte A) e US$ 39.500 são prove-
no exercício seguinte. CDI ............................................................ ________
102.839 ________
29,34 ________
197.484 ________
27,40 nientes de um sindicato de bancos (club deal) composto pelo Banco Societé Generale
(c) Parcelamentos de ICMS das Controladas junto às receitas estaduais com parcelas Subtotal ...................................................... ________
350.467 ________
100,00 ________
720.728 ________
100,00 e Banco Itaú Europa. A parte A do financiamento terá o prazo total nove anos para
entre 36 e 100 meses e com vencimento da última ocorrendo em março de 2014, Total ............................................................ ________
1.368.964 720.728 liquidação, sendo três anos de carência e mais seis para amortização do principal. A
________ ________
________
corrigidas pela Taxa de Juros de Longo Prazo -TJLP e SELIC – Sistema Especial de parte B terá o prazo total de seis anos para liquidação, sendo três anos de carência
Liquidação e Custódia. e mais três anos para amortização. As amortizações tanto do principal quanto dos
Moeda/indexador
_______________ 2007
________________ 2006
________________ encargos serão trimestrais. O custo da parte A é de Libor acrescida de spread de
(d) Tributos federais transferidos por responsabilidade solidária à Controlada Caiuá
Consolidado
____________ R$ ________
________ % R$ ________
________ % 4,25% a.a. e a parte B de Libor acrescida de spread de 3,875% a.a.. O principal da
- Distribuição de Energia S.A no processo de desverticalização nos termos da Lei
Moeda estrangeira: operação foi protegido contra as oscilações da variação cambial (Swap) a taxas que
nº10.848/2004 e Resolução Autorizativa ANEEL nº309, de 5/9/2005.
Dólar norte-americano................................. ________ 1.652.796 ________
100,00 756.554 ________
100,00 variam entre IGPM acrescido de spread de 4,23% a.a. a 5,39% a.a.
(e) Parcelamento Excepcional- A Companhia e suas controladas aderiram em setem- ________
3. A Controlada Centrais Elétricas do Pará S.A. – CELPA, em 25 de julho de 2006,
bro de 2006, ao Parcelamento Excepcional – PAEX, instituído pela Medida Provisória Subtotal ...................................................... ________
1.652.796 ________
100,00 756.554 ________
________ 100,00
toma empréstimos junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento – BID, sendo
nº. 303, de 29 de junho de 2006, que trata de parcelamento de débitos de pessoas ju- Moeda Nacional: liberado US$ 100.000 como parte dos recursos dos empréstimos aprovados de um
rídicas junto à Secretaria da Receita Federal – SRF, à Procuradoria Geral da Fazenda URTJLP ..................................................... 343.276 19,52 548.681 29,37 total de US$ 135.000. Do total liberado, US$ 40.000 são provenientes de recursos
Nacional – PGFN e ao Instituto Nacional do Seguro Social – INSS, em 130 parcelas Ufir ............................................................. 238.613 13,57 215.468 11,53 próprios do BID (denominados como “A Loan” ou parte A) e US$ 60.000 são prove-
mensais e sucessivas (SRF/PGFN), corrigidas pela TJLP para os débitos com ven- CDI ............................................................ 924.843 52,58 962.621 51,53 nientes de um sindicato de bancos (club deal) composto pelo Banco Societé Generale
cimento até 28 de fevereiro de 2003 e em 120 parcelas mensais e sucessivas (IRPJ, IGP-M ........................................................ 24.888 1,41 29.228 1,57 e Banco Itaú Europa. A parte A do financiamento terá o prazo total nove anos para
TJLP .......................................................... 8.403 0,48 10.166 0,54 liquidação, sendo três anos de carência e mais seis para amortização do principal. A
CSLL, COFINS, PIS, CPMF, INSS e MULTA), corrigidas pela SELIC para os débitos
Finel........................................................... 5.123 0,29 6.403 0,34 parte B terá o prazo total de seis anos para liquidação, sendo três anos de carência
com vencimento entre 1 de março de 2003 e 31 de dezembro de 2005, constituídos Préfixado ................................................... 211.703 12,04 95.627 5,12 e mais três anos para amortização. As amortizações tanto do principal quanto dos
ou não, inscritos ou não em Dívida Ativa da União ou do INSS, mesmo que discutidos Poupança .................................................. ________ 2.019 ________
0,11 ________- ________- encargos serão trimestrais. O custo da parte A é de Libor acrescida de spread de
judicialmente em ação proposta pelo sujeito passivo ou em fase de execução fiscal 4,25% a.a. e a parte B de Libor acrescida de spread de 3,875% a.a.. O principal da
Subtotal ...................................................... ________
1.758.868 ________
100,00 1.868.194 ________
________ 100,00
ajuizada, inclusive aos débitos que tenham sido objeto de parcelamento anterior, não operação foi protegido contra as oscilações da variação cambial (Swap) a taxas que
integralmente quitado, ainda que cancelado por falta de pagamento. Total ............................................................ ________
3.411.664 2.624.748
________
________ ________ variam entre IGPM acrescido de spread de 4,23% a.a. a 5,50% a.a.
4. A Controlada Cia de Energia Elétrica do Estado do Tocantins - Celtins, em 24 de Principal
_____________________ de esta considerar não dedutíveis determinadas despesas financeiras decorrentes
abril de 2007, toma empréstimos junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento Companhia: Encargos Não de empréstimos tomados. Foi apresentada impugnação que aguarda julgamento na
– BID, sendo liberado US$ 55.000 milhões como parte dos recursos dos empréstimos Moeda Estrangeira da Dívida __________
Circulante __________
Circulante esfera administrativa. Estima-se em aproximadamente 3 anos a decisão final admi-
__________
aprovados de um total de US$ 80.000 milhões, do total liberado, US$ 35.000 milhões nistrativa. Caso a decisão na esfera administrativa seja desfavorável, a Controlada
Saldo em 31 de dezembro de 2006
ingressará com ação judicial visando à anulação da autuação.
são provenientes de recursos próprios do BID (denominados como “A Loan” ou parte Ingressos ...................................................... - - 1.266.102
d. Em setembro de 2006, a Companhia e suas Controladas aderiram ao Parcelamen-
A) e US$ 20.000 milhões são provenientes de um sindicato de bancos (club deal) Encargos ...................................................... 83.737 - -
to Excepcional (PAEX) de tributos e encargos federais, instituído pela Medida Provi-
composto pelo Banco Societé Generale e Banco Itaú Europa. A parte A do financia- Variações Cambiais ...................................... (281) (1.372) (118.888)
sória nº. 303/2006, tendo incluído no parcelamento valores de tributos e encargos
mento terá o prazo total de nove anos para liquidação, sendo três anos de carência Transferências .............................................. - 128.717 (128.717)
federais em discussão administrativa ou judicial com a Secretaria da Receita Federal,
Pagamentos.................................................. (83.456) __________
__________ (127.345) __________-
e mais seis para amortização do principal. A parte B terá o prazo total de seis anos em que eram remotas e, em alguns casos, em que eram possíveis as chances de
para liquidação, sendo três anos de carência e mais três anos para amortização. As Saldo em 31 de dezembro de 2007 ........... __________- __________- __________
1.018.497 êxito da Companhia e da suas Controladas, razão pela qual houve desistência de re-
amortizações tanto do principal quanto dos encargos serão trimestrais. O custo da Saldo total em 31 de dezembro de 2007... 7.817 __________
__________ 24.493 __________
1.336.654 feridos processos administrativos ou judiciais, permanecendo em curso os processos
parte A é de Libor acrescida de spread de 3,875% a.a. e a parte B de Libor acrescida Principal administrativos e judiciais em que são prováveis as chances de êxito da Companhia
_____________________
(vide nota explicativa nº. 20).
de spread de 3,5% a.a.. Consolidado: Encargos Não
5. Tesouro nacional: reestruturação de dívida externa, nas controladas CEMAT e CEL- Moeda nacional da Dívida __________
__________ Circulante __________
Circulante 26. INDENIZAÇÃO TRABALHISTA - PLANO BRESSER
PA, como segue: Saldo em 31 de dezembro de 2006 ........... 52.892 __________
__________ 579.220 __________
1.236.082 Em 21 de dezembro de 2004 a Centrais Elétricas do Pará S.A. - CELPA e o Sindicato
CEMAT: acordos estruturados em 18/3/1998 e 22/9/1999, com taxas de juros que Ingressos ...................................................... - 222.486 906.512 dos Trabalhadores nas Indústrias Urbanas do Estado do Pará, firmaram acordo refe-
variam de 6,02% a 8,20% a.a., mais taxa Libor semestral e variação cambial. O ven- Encargos ...................................................... 165.207 1.283 18.824 rente à ação judicial que transitava na 4ª. Vara Trabalhista de Belém do Pará, movida
cimento da última parcela ocorrerá em 15/4/2024. A forma de amortização é semes- Ingressos de Controlada - Investco S/A ....... 2.095 25.058 84.287 pelo Sindicato que pleiteava 26,06% de reajuste sobre os salários congelados em ju-
Variações monetárias ................................... 578 286 3.065 nho/1987, denominado Plano Bresser, homologado em todos os termos da petição.
tral.
Transferências .............................................. 39.509 810.939 (850.448) O valor homologado no acordo corresponde ao montante de R$ 370.000, sujeito a
CELPA: acordo estruturado em 31/12/1997, com taxas de juros que variam de 4,3% atualização pela variação acumulada do INPC/IBGE, pagáveis mensalmente até 25
Transf. Ctr. alongamento de prazo ................ - (35.100) 35.100
a 11% a.a., mais taxa Libor semestral e variação cambial. O vencimento da última de agosto de 2012, da seguinte forma:
Pagamentos.................................................. (232.913) __________
__________ (1.306.094) __________-
parcela ocorrerá em 15/4/2024. A forma de amortização é semestral e final. Em 2008 R$ 48.893, em 2009 R$ 77.734, em 2010 R$ 55.082, em 2011 R$ 55.082,
Saldo em 31 de dezembro de 2007 ........... 27.368 __________
__________ 298.078 __________
1.433.422
Garantias em 2012 R$ 73.215.
Os empréstimos, financiamentos estão garantidos por alienação fiduciária dos bens Moeda Estrangeira No exercício de 2007 o impacto no resultado da Companhia relativo à atualização
Saldo em 31 de dezembro de 2006 ........... __________ 14.714 __________
11.153 __________
730.687 monetária foi de R$ 15.428 (R$ 6.905 em 2006).
financiados, notas promissórias, avais dos acionistas controladores e receitas futuras
de fornecimento de energia elétrica. Ingressos ...................................................... - - 1.413.537
Encargos ...................................................... 152.604 - - 27. OUTROS PASSIVOS
i. Movimentação de empréstimos, financiamentos: Circulante
_________________ Não circulante
__________________
Variações Cambiais ...................................... (1.091) (3.253) (248.189)
Principal
_____________________ Consolidado 2007 _________
_______ 2006 2007 ________
________ 2006
Transferências .............................................. - 261.225 (261.225)
Companhia: Encargos Não Pagamentos.................................................. __________
(157.513) __________
(259.853) __________- Convênios de Arrecadação ............... 2.729 3.299 - -
Moeda nacional da Dívida __________
__________ Circulante __________
Circulante Taxa de iluminação pública ............... 12.804 12.439 - -
Saldo em 31 de dezembro de 2007 ........... __________ 8.714 __________
9.272 __________
1.634.810
Saldo em 31 de dezembro de 2006 ........... __________ 16.085 __________
159.496 __________
545.147 Conta paga em duplicidade ............... 9.077 6.829 - -
Saldo total em 31 de dezembro de 2007... __________ 36.082 __________
307.350 __________
3.068.232 Adiantamente de consumidores ........ 16.088 4.650 - -
Ingressos ...................................................... - 129.385 119.571
f. Condições restritivas Eletrobrás-principal e Juros
Encargos ...................................................... 40.373 691 4.888
Determinados contratos de empréstimos e financiamentos estão sujeitos a certas Emp. Compulsório ........................... 1.286 1.567 - -
Variações monetárias ................................... 577 202 2.432
condições restritivas e contemplam cláusulas que requerem que a Sociedade e suas Previdência Privada-Contribuição
Transferências .............................................. 23.943 345.038 (368.981)
controladas mantenham determinados índices financeiros dentro de parâmetros pré- normal ............................................. 1.629 1.143 - -
Transf. Ctr. alongamento de prazo ................ - (15.100) 15.100
estabelecidos. Previdência Privada-Divida (nota 38 d) 8.043 14.876 32.270 36.719
Pagamentos.................................................. __________
(73.161) __________
(595.219) __________-
No entendimento da Administração da Companhia e suas controladas, essas condi- Encargos Tarifários (a)....................... 7.608 6.728 - -
Saldo em 31 de dezembro de 2007 ........... __________ 7.817 __________
24.493 __________
318.157 ções restritivas e cláusulas vêm sendo adequadamente atendidas. Aquisição de acervo .......................... 56 56 2.937 2.937
Reserva para reversão/amortização (b) - - 7.283 7.324
23. DEBÊNTURES
Enerpeixe .......................................... 1.735 1.735 - -
a. Composição: Companhia
__________________________________________________________ Obrigações estimadas ....................... - - - -
2007 ________
________________________________________________ 2006 Subvenção ICMS - CCC (c)............... - - 98.187 98.496
Principal
___________________________ Operações com Swap (e) .................. 2.340 - 219.641 43.349
Debêntures Série Quantidade de Títulos Emitidos Remuneração Encargos ___________
Circulante ______________
Não Circulante Total ________
Total Iof a reembolsar................................. 110 21.026 - -
____________________ ______ _____________________________ ________________ __________ ________
Outros Credores (d)........................... 3.355 21.308 1.385 1.438
Simples ........................... UN 13.253 10% aa 55 14.685 - 14.740 39.884
Outros ............................................... _______
3.107 _________
5.794 23.734
________ 16.682
________
1º Emissão ..................... UN 3.734.980 8,5% aa - - - - 11.191
2º Emissão ..................... UN 3.734.931 11,5% aa - - - - 56.072 69.967 _________
_______ 101.450 385.437
________ 206.945
________
3º Emissão ..................... UN 167.000 IGPM + 12,5% aa
________________ __________- ___________- ______________- ________- ________
50.761
a. Refere-se a Encargos de Capacidade Emergencial no Consolidado e Encargos de
55 ___________
__________ 14.685 ______________- 14.740 ________
________ 157.908 Aquisição de Energia Elétrica
__________ ___________ ______________ ________ ________
Consolidado
__________________________________________________________ b. Refere-se a recursos das Controladas aplicado até 31 de dezembro de 1971, na
2007 ________
2006 expansão do Serviço Público de Energia Elétrica, nos termos do regulamento da le-
________________________________________________ gislação vigente.
Principal
__________________________ c. Refere-se ao ressarcimento do ICMS de combustíveis por conta da Conta de Con-
Debêntures
____________________ Série
______ Quantidade de Títulos Emitidos
_____________________________ Remuneração
________________ Encargos ___________
__________ Circulante ______________
Não Circulante Total ________
________ Total sumo de Combustíveis - CCC às empresas com geração térmica que atuam no siste-
Simples ............................ UN 13.253 10% aa 55 14.685 - 14.740 39.884 ma isolado, impossibilitadas de compensar integralmente o ICMS, com débitos apura-
1º Emissão ...................... UN 3.734.980 8,5% aa - - - - 11.191 dos na venda de energia elétrica. O artigo 86, da Lei nº. 10.833, de 29 de dezembro
2º Emissão ...................... UN 3.734.931 11,5% aa - - - - 56.072 de 2003, que altera o artigo 8º da Lei nº. 8.631, de 4 de março de 1993, estabeleceu
3º Emissão ...................... UN 167.000 IGPM + 12,5% aa - - - - 50.761 que a CCC assumisse esse ônus totalmente no ano de 2004 e parcialmente durante
1º Emissão ...................... UN 25.000 IGPM + 12,80% aa
________________ 880 ___________
__________ 14.041 ______________
38.437 53.358 ________-
________ os anos de 2005 a 2008. Na controlada CELPA, o valor é de R$ 50.766 e na CEMAT
935 ___________
28.726 ______________
38.437 68.098 ________
157.908 é de R$ 47.421.
__________
__________ ___________ ______________ ________
________ ________ d. Refere-se ao valor devido correspondente a aquisição de créditos registrados no
realizável a longo prazo, cujos contratos estipulam que os pagamentos sejam feitos
b. As parcelas do não circulante (principal e encargos) têm os seguintes ven- 2007
_________ 2006
_________ em 24 e 50 parcelas mensais e sucessivas.
cimentos: Programa Incentivo Fontes Alternativas e. Vide nota explicativa nº. 39
Companhia: Energia Elétrica-Proinfa ..................................................... 1.025 456
Moeda Nacional 2007 _________
_________ 2006 Conta de desenvolvimento energético - CDE....................... 6.211 5.864 28. PATRIMÔNIO LÍQUIDO - COMPANHIA
A partir de . 2008 ................................................................... _________- _________14.632 Taxa de fiscalização - ANEEL .............................................. _________ 743 724
_________ O capital social foi aumentado de 538.052 para R$ 599.376, sendo o aumento de
Total ..................................................................................... _________- _________
14.632 136.288 132.287 R$ 61.324, realizado mediante emissão de 20.542.145 (vinte milhões, quinhentos e
_________ _________
Consolidado: quarenta e duas mil, cento e quarenta e cinco) ações preferenciais nominativas, subs-
Parcelamento:
Moeda Nacional 2007 2006
_________ _________ critas e integralizadas pelo acionista BNDES Participações S.A. – BNDESPAR, em
Quota de reserva global de reversão - RGR ........................ - 1.271
A partir de 2008 ................................................................... - 14.632 razão da conversão de debêntures emitidas nos termos das Escrituras Particulares da
Quota da conta de consumo de combustível - CCC ............ - 2.483
2009 ................................................................... 12.809 - 1ª e 2ª Emissão de Debêntures Conversíveis em Ações Preferenciais da Companhia,
Conta de desenvolvimento energético - CDE....................... _________- 1.038
_________
2010 ................................................................... 12.808 - conforme Ata da Assembléia Geral Extraordinária realizada em 29 de junho de 2007 e
2011 ................................................................... _________
12.820 _________- _________- 4.792
_________ sua composição por classe de ações e principais acionistas é a seguinte:
Total ..................................................................................... _________
38.437 _________
14.632 Total ..................................................................................... _________
136.288 137.079
_________ Número de ações em milhares
__________________________________________________
_________ _________
Acionistas
_________ Ordinárias ______
_________ % ____________
Preferenciais ______ % ______
Total ______
%
c. A composição do saldo devedor por moeda/indexador é a seguinte: 25. PROVISÃO PARA PASSIVOS CONTINGENTES E DEPÓSITOS JUDICIAIS Empresa de
Moeda/indexador
_______________ 2007 ________________
________________ 2006 Está representada da seguinte forma: Eletricidade Vale
Companhia R$ ________
% ________
R$ ________
% 2007
___________________________ 2006
__________________________ Paranapanema S.A. . 174.772 79,03 4.665 5,58 179.437 58,87
___________ ________ Denerge -
Moeda Nacional: Provisão __________________________
___________________________ Provisão
Desenvolvimento
URTJLP ..................................................... 14.740 100,00 107.147 67,85 No Saldo Depósitos No Saldo Depósitos Energético S.A.......... 43.614 19,72 13.282 15,88 56.896 18,67
IGP-M ........................................................ ________- ________- ________
50.761 ________
32,15 Consolidado
____________ exercício ________
________ Acumul. _________
judiciais ________
exercício ________ judiciais
Acumul. _________ BNDES Participações
Total ............................................................ ________
14.740 ________
100,00 ________
157.908 ________
100,00 Cíveis - S.A. - BNDESPAR .... - - 61.936 74,04 61.936 20,32
Consumidores (a) (425) 7.578 12.228 (2.617) 8.003 4.748 Outros ......................... _________
2.772 ______
1,25 ____________
3.768 ______ 4,50 ______
6.540 ______
2,14
Moeda/indexador
_______________ 2007
________________ 2006
________________ Trabalhistas (b) .... (1.269) 12.828 30.664 849 14.097 24.517 221.158 ______
100,00 ____________
83.651 ______
100,00 304.809 100,00
_________ ______ ______
Consolidado
____________ R$ ________
________ % R$ ________
________ % Fiscais:
Os acionistas têm direito a dividendos mínimos obrigatórios equivalentes a 25% do
Moeda Nacional: Cofins (d) ........... - - 856 (28.882) - -
lucro líquido ajustado. Os dividendos pagos às ações preferenciais correspondem a
URTJLP ..................................................... 14.740 21,65 107.147 67,85 PIS (d) ............... - - 705 (16.226) - 705
10% superiores àqueles pagos às ações ordinárias.
IGP-M ........................................................ ________
53.358 ________
78,35 50.761 ________
________ 32,15 Imposto de
Nas Assembléias Gerais, cada ação ordinária dá direito a um voto.
Total ............................................................ ________
68.098 ________
100,00 157.908 ________
100,00 renda (d) .......... - - 1.507 (16.404) - 1.354
________ As ações preferenciais serão inconversíveis em ações ordinárias e não terão direito
Contribuição
de voto nas Assembléias Gerais. Cada ação preferencial fará jus a:
d. Os indexadores, base de atualização das debêntures, apresentaram as se- social (d) .......... - - 425 (2.088) - 39
a) recebimento de dividendos não cumulativos, no mínimo 10% (dez por cento) supe-
guintes variações durante o exercício: CPMF (d) ........... - - - (1.089) - -
riores aos atribuídos às ações ordinárias;
Variação %
_________________ Previdência social - - 135 - - 135
b) prioridade no reembolso do capital, sem prêmio, em caso de liquidação da socieda-
Moeda/indexador 2007 ________
2006 ICMS ................. - - 2.693 - - 1.489
________________ ________ de, e depois de reembolsadas as ações ordinárias, participação igualitária com essas
Outros................ ________- ________ _________ 87 ________
(1.464) ________- _________
87
URTJLP (Unidade de Referência últimas no rateio do excesso do patrimônio líquido que se verificar;
- Taxa de Juros de Longo Prazo).............................................. 0,36 1,54 ________- ________- _________
6.408 ________
(66.153) ________- _________
3.809 c) participação em igualdade de condições com as ações ordinárias na distribuição,
IGP-M (Índice Geral de Preços do Mercado) ............................. 7,75 3,85 (1.694) ________
________ 20.406 _________
49.300 ________
(67.921) ________
22.100 _________
33.074 pela sociedade, de lucros, bonificações ou outras vantagens, inclusive nos casos de
________ ________ _________ ________ ________ _________
aumentos de capital decorrentes de capitalização de reservas.
e. Detalhamento das debêntures: Cíveis Trabalhistas fiscais Total Reservas de capital: 2007 ________
________ 2006
_______ ___________ _______ _______
Companhia: Remuneração do imobilizado em curso ................................... 3.745 3.745
Saldo em 31 de dezembro de 2006 ... _______ 8.003 14.097
___________ _______- 22.100
_______
Moeda nacional Doações e subvenções para investimentos ............................. ________ 713 ________
713
Série Única - Emissão de 13.253 debêntures em 15/10/1998, no montante de Constituição .......................................... 1.108 1.017 6.724 8.849
Baixas/reversão .................................... (2.706) (2.298) (6.724) (11.728) 4.458 ________
________ 4.458
R$133.293, nominativas não conversíveis em ações com taxa de juros de 10% a.a.,
os quais foram capitalizados até 15/7/1999, subscritas integralmente pelo BNDES - Atualização ........................................... _______
1.172 13
___________ _______- 1.185
_______
29. FORNECIMENTO E SUPRIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA
Banco Nacional de Desenvolvimento Social, com garantia flutuante, amortização em Saldo em 31 de dezembro de 2007 ... _______ 7.577 12.829
___________ _______- 20.406
_______ Classe
` de Nº. de consumidores(*)
___________________ MWh(*)
________________ R$
_______________
parcelas mensais, com vencimento final em 15/7/2008. Contingências passivas:
consumidor ________
___________ 2007 _________
2006 _________
2007 _________
2006 ________
2007 ________
2006
Consolidado: Possível ................................................ 8.021 9.534 36.626 54.181
Moeda nacional Residencial .... 2.757.755 2.639.925 4.738.182 4.431.043 1.847.959 1.726.991
Debêntures Investco S/A: a. As ações judiciais de natureza cível referem-se, de maneira geral, em sua grande Industrial ........ 28.674 26.391 3.501.395 3.244.174 978.165 853.091
Em dezembro de 2007 a controlada indireta Investco S/A passou a integrar as demons- maioria, a discussões sobre o valor de contas de energia elétrica, em que o consumi- Comercial,
trações consolidadas da Rede Empresas de Energia Elétrica S/A, por se tratar de uma dor requer a revisão ou o cancelamento da fatura; à cobrança de danos materiais e serviços
companhia com o controle compartilhado, o saldo da debêntures representam o per- morais pelo consumidor decorrentes da suspensão do fornecimento de energia elé- e outras
centual de 39,64% , equivalente a participação da Rede Empresas de Energia Elétrica trica por falta de pagamento, por irregularidades nos medidores de energia elétrica, atividades .... 276.713 262.799 2.821.650 2.625.141 1.194.455 1.104.617
S/A e sua controlada direta Rede Lajeado S/A, no capital social desta Companhia. ou decorrentes de variações na tensão elétrica ou de falta momentânea de energia; Rural .............. 246.823 186.390 941.338 809.552 235.803 195.021
Debêntures não conversíveis: bem como ações em que consumidores pretendem devolução de valores, em razão Poder público . 32.187 30.831 773.972 726.547 305.732 281.355
Emissão de 25.000 debêntures em fevereiro de 2002, no valor nominal unitário de R$ do aumento das tarifas de energia determinado pelas Portarias 38 e 45/86, do extinto Iluminação
10.000,00, com vencimento em 1 de novembro de 2.011, atualizados pelo IGPM mais Departamento Nacional de Águas e Energia Elétrica – DNAEE, no período de conge- pública ......... 1.506 1.355 682.074 677.856 140.308 137.699
juros de 10,50% a.a. Essas debêntures possuem fiança solidária da Empresa de Eletri- lamento de preços do Plano Cruzado. Serviço público 3.861 3.756 535.588 521.269 143.881 133.725
cidade Vale Paranapanema S.A. e da EDP - Eletricidade de Portugal. Os recursos cap- b. As ações judiciais de natureza trabalhista referem-se, de maneira geral, a discus- Consumo próprio 895 907 44.194 45.497 -
tados, através das referidas debêntures, foram destinados a investimentos no ativo fixo sões de ex-empregados pretendendo recebimento de horas-extras, de adicional de Fornecimento
e no capital de giro para conclusão de UHE Luiz Eduardo Magalhães (UHE Lajeado). periculosidade, de horas de sobreaviso, bem como indenizações por danos decor- não faturado - - - - (24.296) 35.632
rentes de acidente no trabalho, cobrança de multa do FGTS em decorrência da Lei Receita do uso
f. Movimentação das debêntures: Principal Complementar nº. 110/2001, bem como ações de ex-empregados de prestadores de rede elétrica - - - - 96.495 81.162
_____________________
serviços contratados pelas Companhias reclamando responsabilidade solidária por Recomposição
Companhia: Encargos Não
verbas rescisórias. tarifária
Moeda nacional da Dívida
__________ Circulante __________
__________ Circulante
Foram provisionadas as contingências representadas pelas citadas ações judiciais extraordinária - - - - 582 (55.024)
Saldo em 31 de dezembro de 2006 ........... 13.708
__________ 129.568 __________
__________ 14.632 Redução receita
cíveis e trabalhistas com chances prováveis de perda pelas Companhias, conforme
Ingressos ...................................................... - - - baixa renda.. - - - - 80.515 79.564
avaliação de seus advogados. De maneira geral, estimamos em cerca de 2 a 3 anos,
Encargos ...................................................... 12.854 - - Fornecimento
em média, o prazo para que referidas ações com chances prováveis de perda tenham
Variações monetárias ................................... 2.964 236 23 não faturado
julgamento final e haja o efetivo desembolso pelas Companhias dos valores provisio-
Transferências .............................................. - 14.655 (14.655) -Reposição
nados, na hipótese de a Companhia ser vencida nas ações.
Pagamentos.................................................. (29.471)
__________ (129.774) __________-
__________ tarifária ........ - - - - (42.025) 35.695
c. As suas controladas também apresentaram os valores de suas contingências pas-
Saldo em 31 de dezembro de 2007 ........... 55
__________ 14.685 __________-
__________ sivas cujas chances de êxito são possíveis. Por entendermos razoáveis as chances de Provisão redução\
êxito, não houve provisionamento de referidos valores e, caso referidas contingências tarifa
Principal
_____________________ venham a representar perda, estimamos em cerca de 3 a 5 anos, em média, o prazo irrigação....... - - - - 2.061 3.276
Consolidado: Encargos Não para que haja o desembolso pelas Companhias. Fornecimento não
Moeda nacional da Dívida Circulante __________
Circulante Dentre os procedimentos de natureza tributária, está em curso na controlada CEMAT faturado - Luz
__________ __________
processo administrativo decorrente de Auto de Infração e Imposição de Multa - AIIM para Todos ... 15.278
Saldo em 31 de dezembro de 2006 ........... 13.708
__________ 129.568 __________
__________ 14.632
nº. 16741001600003200516, processo nº. 16/06, em trâmite perante a Agência Fa- Fornec. não
Ingressos ...................................................... - - - faturado - RTE
Encargos ...................................................... 12.854 - - zendária de Cuiabá/MT (OS 5811/06). O auto de infração refere-se a (i) suposto cré-
dito indevido do diferencial de alíquota de ICMS relativo à aquisição de mercadorias majoração.... ________- _________- _________- _________- ________- ________ 1.604
Ingressos de Controlada - Investco S/A ....... 880 14.041 38.437 3.348.414 3.152.354 14.038.393
destinadas ao ativo permanente da empresa, (ii) suposto crédito indevido de ICMS ________ _________ _________ 13.081.079
_________ 4.974.913
________ 4.614.408
________
Variações monetárias ................................... 2.964 236 23
incidente na aquisição de energia elétrica para consumo próprio e (iii) suposto crédito Suprimento ... - - 924.392 835.112 113.987 100.242
Transferências .............................................. - 14.655 (14.655)
indevido de ICMS incidente na compra de óleo diesel nas operações beneficiadas por Transmissão .. - - - - - 407
Pagamentos.................................................. (29.471)
__________ (129.774) __________-
__________
subsídio financeiro. Somente a infração listada no item (ii) acima tinha probabilidade Outras Receitas ________- _________- _________- _________- ________
90.768 ________
60.016
Saldo em 31 de dezembro de 2007 ........... 935
__________ 28.726 __________
__________ 38.437
de perda possível, no valor de R$ 9.882, diante disso a empresa confessou a dívida, 3.348.414 _________
________ 3.152.354 _________
14.962.785 _________
13.916.191 ________
5.179.668 ________
4.775.073
aproveitando um benefício de redução de 95% de juros e multas, e procedeu a quita- (*) Informações não auditadas.
24. TAXAS REGULAMENTARES 2007
_________ 2006
_________ ção do referido débito em outubro de 2007. As demais infrações têm probabilidade de
CIRCULANTE: perda remota. Se a Companhia não se sair vencedora nesse processo administrativo,
Compensação financeira pela utilização de recursos hídricos 1.375 13 ingressará com ação judicial para anular referido auto de infração 30. COMPRA E VENDA DE ENERGIA DE CURTO PRAZO NO ÂMBITO DA CCEE
Quota de reserva global de reversão - RGR ........................ 3.156 2.613 As Controladas CELTINS e CFLO sofreram autuação pela Secretaria da Receita Fe- Nos exercícios de 2007 e 2006, a companhia efetuou a comercialização de energia de
Quota da conta de consumo de combustível - CCC ............ 8.150 22.302 deral, com a aplicação de multa isolada por alegada compensação de tributos de curto prazo no âmbito da CCEE, conforme a seguir demonstrado:
Fundo Nacional Des. Cientifico Tecnológico - FNDCTE ....... 7.297 13.308 forma não autorizada pela legislação. Foi apresentada impugnação e recurso que Consolidado 2007 _________
_________ 2006 ________
2007 ________
2006
Pesquisa e Des. Cientifico e Tecnológico ............................. 15.106 11.097 aguardam julgamento na esfera administrativa e que estimamos tenham julgamento MWh (*) _________
_________ MWh (*) ________
R$ ________
R$
Programa de Eficiencia Energética - PEE ............................ 54.855 41.294 em aproximadamente 2 anos. Caso a decisão na esfera administrativa seja desfa- Compra de energia na CCE .............. 1.074.203 245.155 97.779 40.693
Estudo de Pesquisa Energética - EPE ................................. 6.107 5.097 vorável, a Companhia ingressará com ação judicial visando à anulação de referida Venda de energia na CCE ................. 416.243 279.425 48.233 37.169
Instituições de Pesquisas ..................................................... 28.502 19.814 autuação. (*) Informações não auditadas.
M.M.E. .................................................................................. 3.761 9.705 A Controlada EEB sofreu autuação pela Secretaria da Receita Federal, em razão
31. ENERGIA ELÉTRICA COMPRADA PARA REVENDA 35. PARTICIPAÇÃO NOS RESULTADOS à cobertura dos custos operacionais eficientes e remuneração adequada de inves-
Consolidado 2007 _________
_________ 2006 ________
2007 ________
2006 Em novembro de 2002, foi implementado o programa de participação dos emprega- timentos.
MWh (*) _________
_________ MWh (*) ________R$ ________
R$ dos nos lucros ou resultados, com base em acordo de metas operacionais e financei- O índice fixado de Reposicionamento Tarifário, foi de –7,88% (negativo de sete pontos
Alvorada Energia S.A ....................... 37.131 - 6.736 - ras previamente estabelecidos com eles. O montante dessa participação registrada percentuais e oitenta e oito ), o qual, acrescido dos componentes financeiros, resultou
Apiacás Energia S.A.......................... 80.273 20.213 17.569 4.434 como custo operacional e paga no exercício de 2007 foi de R$ 3.432 (R$ 2.594 em em –9,65%.
Arapucel Ombreiras S.A .................... 2.581 123.401 310 14.370 2006) no consolidado. Destacamos que, o reposicionamento tarifário é provisório, devendo o valor definitivo
Araputanga Centrais Elétricas S.A .... 2.559 81.714 321 9.755 ser estabelecido quando da definição do valor dos Custos Operacionais, nos termos
Braço Norte Energia S.A. .................. 32.078 9.154 7.472 2.251 36. REVISÃO TARIFÁRIA PERIÓDICA do disposto na “Resolução Normativa nº 234, de 31 de outubro de 2006”, e que, a
Camara de Comercialização As suas controladas passaram pelo processo de revisão tarifária periódica. Conforme eventual variação de receita da Parcela B, decorrente da diferença entre o percentual
de Energia - CCEE .......................... - - 19.282 - previsto no contrato de concessão das empresas, o processo da revisão ocorreu da provisório e o definitivo, será corrigida no reajuste tarifário anual de 07 de agosto de
Cemig Geração e Transmissão S.A ... 393.101 429.734 29.681 31.163 seguinte forma: 2008.
Centrais Eléricas Brasileiras S.A A ANEEL, por meio das Resoluções Homologatórias 25, 41, 32 e 24, de 31 de janeiro O índice resultante também é conseqüência da aplicação de novos critérios regula-
- Itaipú ............................................. 517.497 580.051 50.746 46.762 de 2005, homologou o resultado final da primeira revisão tarifária periódica da Caiuá tórios, para este segundo ciclo de revisão tarifária, definidos através da Resolução
Centrais Elétrica do Norte do Distribuição de Energia S.A., Empresa de Distribuição de Energia Vale Paranapane- Normativa no. 234/2006, onde dentro das principais alterações, destacam-se:
Brasil S.A. - Eletronorte ................... 1.902.690 1.424.359 149.609 86.497 ma S.A., Empresa Elétrica Bragantina S.A. e Companhia Nacional de Energia Elétri- - A alteração da taxa de retorno do capital, de 17,06% para 15,08%.
Cia. Energética de São Paulo - CESP 960.406 1.463.960 69.087 100.391 ca, ocorrida em fevereiro de 2004, fixando o reposicionamento tarifário em -1,54%, - A alteração do critério da depreciação sobre as obrigações especiais.
Cia. Estadual de Geração e Trans- 4,25%, 0,33%, e -2,36% respectivamente. O objetivo do reposicionamento tarifário - Outros critérios relativos à metodologia empregada para cálculo dos Custos Opera-
missão de Energia Elétrica - CEEE 204.477 172.083 13.930 10.430 no processo de revisão tarifária é proporcionar a receita necessária à cobertura dos cionais, intitulada Empresa de Referência, no sentido de requerer maior produtivi-
custos operacionais e à remuneração dos investimentos. Esse índice definitivo de dade na freqüência das atividades de operação e manutenção e comerciais para o
Cia. Hidro Elétrica do São Francisco
reposicionamento das tarifas, com efeito retroativo a 3 de fevereiro de 2004, substi- atendimento aos consumidores, como mencionado anteriormente.
- CHESF .......................................... 2.252.356 1.916.919 143.593 108.862
tui o reposicionamento fixado, provisioriamente, em 0,47%, 8,12%, 3,76% e -1,43%, Quanto ao Fator X da CELPA, foi estabelecido provisoriamente o valor do componen-
Cia. Paulista de Força e Luz .............. 55.200 - 14.376 -
respectivamente, por meio das Resoluções Homologatórias 22, 15, 14 e 16, de 2 de te Xe em 0,61%, a ser aplicado como redutor, em termos reais, da “Parcela B”, nos
COPEL Geração S.A ......................... 1.027.383 949.437 76.813 64.601
fevereiro de 2004. A diferença entre os reposicionamentos tarifários provisórios de reajustes tarifários subseqüentes de 2008 a 2010. O valor definitivo será recalculado,
Duke Energy Internacional Geração
0,47%, 8,12%, 3,76% e -1,43%, aplicados em 3 de fevereiro de 2004 sobre as tarifas quando da definição do valor definitivo do reposicionamento tarifário.
Paranapanema S.A ......................... 422.951 1.046.091 33.937 82.604
de fornecimento, e o reposicionamento tarifário definitivo de -1,54%, 4,25%, 0,33% O componente Xe reflete os ganhos de produtividade esperados em função da mu-
Ecom Energia Ltda ............................ 97.836 22.554 12.802 4.384
e -2,36%, foram compensadas financeiramente para os consumidores no reajuste dança na escala do negócio por aumento no consumo de energia elétrica na área
Eletram - Eletricidade
tarifário anual de 3 de fevereiro de 2005, por meio das Resoluções Homologatórias servida , tanto por maior consumo dos consumidores existentes quanto pela incorpo-
da Amazônia S.A ............................. 67.759 69.123 9.224 9.649
nºs. 27, 42, 33 e 24, de 31 de janeiro de 2005. ração de novos consumidores, no período entre revisões tarifárias.
Enerpeixe S.A.................................... 118.695 93.787 15.207 11.608
As Resoluções Autorizativas nºs. 389, 387, 390 e 388, de 22 de dezembro de
Enertrade Energia Ltda ..................... 63.476 - 8.986 -
2005, alteraram as datas contratuais dos reajustes tarifários anuais de 3 de feve- 37. PLANO DE APOSENTADORIA E PENSÃO
Furnas Centrais Elétricas S.A ........... 2.960.306 3.024.988 214.447 202.190
reiro para o dia 10 de maio de 2006, ficando prorrogada a vigência, até 9 de maio A Rede Empresas de Energia Elétrica S.A., Cia. de Energia Elétrica do Estado do
Global Energia Elétrica Ltda .............. 114.465 121.143 12.297 12.552
de 2006, das tarifas de energia elétrica das Controladas Caiuá - Distribuição de Tocantins - CELTINS, Cia. Força e Luz do Oeste, Cia. Nacional de Energia Elétrica,
Guarantã Energética Ltda ................. 8.392 51.185 902 5.420
Energia S.A., Empresa de Distribuição de Energia Vale Paranapanema S.A., Em- Elucid Partners S.A., Elucid Solutions Ltda., Empresa de Eletricidade Vale Parana-
Isamu Ikeda Energia S/A ................... 130.425 31.513 23.585 5.601
presa Elétrica Bragantina S.A. e Companhia Nacional de Energia Elétrica, cons- panema S.A., Empresa Elétrica Bragantina S.A., Caiuá Distribuição de Energia S.A.,
Itamarati Norte S.A ............................ 499.321 484.167 72.515 69.900
tantes das Resoluções Homologatórias nºs. 027, 042, 033 e 024 de 31 de janeiro Rede Comercializadora de Energia S.A., Rede Power do Brasil S.A. e Empresa de
Light Energia S.A............................... 256.755 204.403 15.185 11.249
de 2005, respectivamente, assim como a data da revisão tarifária periódica, que Distribuição de Energia Vale Paranapanema S.A. patrocinam em conjunto com seus
Maggi Energia S.A............................. 1.074 71.516 236 8.753
ocorre a cada quatro anos. A próxima revisão tarifária das companhias ocorrerá empregados em atividade, ex-empregados e respectivos beneficiários, planos de be-
MCSD - Mecanismo de Compensa-
em 10 de maio de 2008. nefícios de aposentadoria e pensão com o objetivo de complementar e suplementar
ção de Sobras e Déficit ................... 261.868 - 17.311 -
Através das Resoluções Homologatórias nºs. 460, 462, 461 e 463 de 10 de maio de os benefícios pagos pelo sistema oficial da Previdência Social, cuja administração
Mineração Santa Elina Ltda .............. 170.856 175.846 13.697 14.394 2007, a ANEEL homologou os Reajustes Tarifários Anuais das Controladas com os é feita por meio da Redeprev - Fundação Rede de Previdência, entidade fechada
Rio do Sangue Energia S.A............... 161.177 - 20.827 - seguintes percentuais, -0,51%, 3,40%, 3,17% e 0,49%, respectivamente, para serem de previdência complementar, multipatrocinada, constituída como fundação, sem fins
Rosal Energia S/A ............................ 262.798 262.800 32.009 30.984 aplicados no período de 10 de maio de 2007 a 9 de maio de 2008. lucrativos, com autonomia administrativa e financeira.
Socibe Energia S/A ........................... 96.612 24.922 17.584 4.430 CFLO: As empresas acima mencionadas, solidariamente entre si, são patrocinadoras da
VP Energia S.A.................................. 35.969 - 7.818 - A ANEEL, através da Resolução Homologatória nº. 609 de 29 de janeiro de 2008, Redeprev e mantêm, por meio dessa instituição, três planos de benefícios de pre-
Outros ................................................ 517.180 831.519 59.519 77.461 homologou o resultado provisório da segunda revisão tarifária periódica, fixou as Ta- vidência:
Programa de incentivo a fontes rifas de Uso dos Sistemas de Distribuição – TUSD, o valor da taxa de Fiscalização de a. Plano de Benefícios Elétricas BD-I:
alternativas de energia - Proinfa ..... 151.517 - 24.964 10.698 Serviços de Energia Elétrica – TFSEE, referentes à Cia Força e Luz do Oeste. Está estruturado na forma de benefício definido e é custeado pelos participantes ati-
Amortização de custos da Parcela A. - - 25.670 17.802 As metodologias utilizadas e os resultados obtidos na revisão tarifária periódica estão vos, participantes assistidos e patrocinadoras. Esse plano não permite novas adesões
(-)Diferimento de custos da Parcela A - - (18.069) (63.517) detalhados na Resolução Normativa nº. 234, de 31 de outubro de 2006, nas Notas de participantes desde 31/12/1998.
(-)Parcela a compensar crédito Técnicas nº. 314/2007-S R E /ANEEL, de 19 de novembro de 2007, e nº. 026/2008-S b. Plano de Benefícios Elétricas-R:
PIS não cumul. ................................ - - (22.521) (24.314) R E/ANEEL, de 23 de janeiro de 2008. Obteve autorização e aprovação para a aplicação do seu Regulamento através da
(-)Parcela a compensar crédito O reposicionamento tarifário foi fixado em -5,81% (menos cinco vírgula oitenta e um Portaria nº. 880, de 12/01/2007, emitida pelo Departamento de Análise Técnicada
COFINS não cumul. ........................ _________- _________- ________ (93.196) ________
(112.113) por cento) e será aplicado sobre as tarifas de energia elétrica vigentes, a partir de 03 Secretaria de Previdência Complementar do MPS. O referido plano é resultante da
Total .................................................... _________
13.867.164 _________
13.686.582 ________
1.104.463 ________
859.251 de fevereiro de 2008 até 03 de fevereiro de 2009. fusão dos extintos Planos de Benefícios CELPA-R, CEMAT-R e ELÉTRICAS-R, cujos
_________ _________ ________ ________
* Informações não auditadas O percentual de reposicionamento tarifário de que trata a Resolução, é provisório, Regulamentos foram condensados em um único Regulamento, sem solução de con-
devendo o valor definitivo ser estabelecido nos termos da Resolução Normativa nº. tinuidade. Assegura os seguintes benefícios de risco:
32. DESPESAS OPERACIONAIS 234, de 31 de outubro de 2006. • Suplementação da aposentadoria por invalidez;
Despesas Gerais Outras Despesas A eventual variação de receita da Parcela B, decorrente da diferença entre o percentu- • Suplementação do auxílio-doença;
e Administrativas _______________
_________________ Operacionais al provisório e o definitivo, de que trata a Resolução, será corrigida no reajuste tarifário • Suplementação da pensão por morte; e
Companhia 2007 _________
________ 2006 _______
2007 _______
2006 anual de 3 de fevereiro de 2009. • Pecúlio por morte.
Pessoal ........................................................ - 2 - - O percentual do Fator X e foi fixado também de forma provisória, em 0,70% (zero O plano está estruturado na forma de Benefício Definido e é custeado exclusivamente
Administradores........................................... 2.196 476 - - vírgula setenta por cento), a ser aplicado como redutor, em termos reais, da “Parcela e de forma solidária com as demais Patrocinadoras, CELPA – Centrais Elétricas do
Serviço de Terceiros .................................... 3.576 2.934 - - B”, nos reajustes tarifários subseqüentes de 2009, 2010 e 2011. Pará S.A. e a CEMAT – Centrais Elétricas Matogrossenses S.A..
Provisão (Líq. de Reversão) ........................ - - (2.721) - As tarifas de energia elétrica da CFLO, foram reajustadas em -4,96% (menos quatro Anteriormente a fusão os planos eram contabilizados em separado, e a partir da fu-
Arrendamentos e Aluguéis .......................... 4 - - - vírgula noventa e seis por cento), sendo -5,81% (menos cinco vírgula oitenta e um por são as contas são prestadas de forma comum, em um único balancete, por conta
Seguros ....................................................... 485 245 - -
cento) relativos ao reposicionamento tarifário e 0,85% (zero vírgula oitenta e um por da legislação que regulamenta as entidades de previdência complementar. Todavia,
Tributos ........................................................ 79 1.092 - -
Outros .......................................................... (3) _________
8 _______
81 _______
72 cento) relativos aos componentes financeiros externos à revisão tarifária periódica. especificamente para efeitos desta avaliação e para o cumprimento da Deliberação
________
Para definição da Nova Metodologia a ser adotada na Revisão Tarifária, a ANEEL CVM 371/2000, impõe-se a aferição compartimentada dos compromissos atuariais,
Total ............................................................ 6.337
________ 4.757 (2.640) _______
72
________ _________
_________ _______
_______ _______ instaurou a Audiência Pública 052/2007, o qual ainda se encontra em curso. das despesas com contribuições, dos custos e do Ativo do Plano de Benefícios R, por
CELTINS: Empresa Patrocinadora.
Despesas Despesas Gerais Outras Despesas A ANEEL, através da Resolução Homologatória nº.144, de 30 de junho de 2005, c. Plano de Benefícios Elétricas-OP:
com vendas
______________ e Administrativas _______________
_________________ Operacionais
homologou o resultado final da primeira revisão tarifária periódica da Companhia, Instituído em 1/1/1999, oferece o benefício de renda mensal vitalícia, após o prazo de
Consolidado 2007 2006 2007 2006 2007 _______
______ _______ ________ _________ _______ 2006 ocorrida em julho de 2004, fixando o reposicionamento tarifário em 30,53%. O objetivo diferimento. O plano, durante o prazo de diferimento do benefício, está estruturado na
Pessoal ........................... 24.479 26.955 55.934 80.074 - - do reposicionamento tarifário no processo de revisão tarifária é proporcionar a receita forma de contribuição definida e o valor da renda mensal está vinculado ao montante
Administradores.............. - - 24.313 20.712 - - necessária à cobertura dos custos operacionais e à remuneração dos investimen- financeiro das contribuições acumuladas a favor do participante. A renda mensal vi-
Material ........................... 968 958 12.075 21.223 - -
tos. Esse índice definitivo de reposicionamento das tarifas, com efeito retroativo a 4 talícia, uma vez iniciada, é atualizada monetariamente uma vez a cada ano, e nessa
Serviço de Terceiros ....... 102.772 95.632 110.156 122.802 3 3
Compensação Fin. de julho de 2004, substitui o reposicionamento fixado, provisoriamente, em 23,96%, fase é considerada benefício definido. O custeio do plano é feito pelos participantes
P/utiliz. Recursos .......... - - - - 7.496 10.575 através da Resolução Homologatória nº. 164, de 1º de julho de 2004. O aumento veri- ativos (90%) e pelas patrocinadoras (10%).
Depreciação e ficado em relação ao índice provisório deveu-se em face da não validação da base de Situação Financeira dos Planos de Benefícios - Avaliação Atuarial -Data-Base:
Amortização ................. - - 8.273 9.746 238 235 remuneração até aquela oportunidade. 30 de Novembro de 2007:
Arrendamentos Com o objetivo de amenizar o impacto do índice nas tarifas dos consumidores, bem a. Número de participantes/beneficiários:
e Aluguéis..................... 269 1.145 13.406 17.744 - - como atender ao princípio da modicidade tarifária e do equilíbrio econômico-financei- ElétricasBD-I ____________
____________ Elétricas-R ___________
Elétricas-OP
Seguros .......................... 81 108 2.205 3.059 818 - ro estabelecido no contrato de concessão, o reposicionamento foi implementado em Número de participantes ................ 53 2.182 2.182
Tributos ........................... 867 785 4.278 32.421 9.492 9.516 Número de assistidos ..................... 243 7 32
duas etapas. A primeira etapa corresponde ao percentual de 13,45%, considerado
Provisão (Líq. Número de pensionistas (famílias) . ____________ 99 ____________ 5 ___________-
De Reversão) ............... (3.817) 18.317 - - (4.300) (10.002) em julho de 2004, e a segunda etapa do reposicionamento equivale à diferença de
receita resultante da aplicação dos percentuais de 30,53% e 13,45% que foi diferida, ____________ 395 2.194 2.214
Doações, contrib. ____________ ____________ ____________ ___________
___________
e subvenções ............... - - - - 9.497 6.662 para os anos de 2005 a 2007, sendo acrescida à Parcela B da concessionária em b. Plano de contribuição definida - Plano de benefícios Elétricas-OP
Outros ............................. 36.987 _______
______ 1.218 ________
6.491 _________
14.133 _______
1.914 _______
175 parcelas anuais e atualizadas por ocasião dos respectivos reajustes anuais. Nos anos Em 30 de novembro de 2007, o saldo dos benefícios acumulado referente ao plano de
Total 162.606 _______
______ 145.118 ________
237.131 _________
321.914 25.158 _______
17.164 de 2005 e 2006, a empresa foi contemplada com duas parcelas do valor anual total contribuição definida é de R$ 65.168 (R$ 62.018 em 2006).
______ _______ ________ _________ _______
_______ _______
previsto e atualizado. O saldo dos benefícios acumulados corresponde ao fundo formado pelas contribui-
Em 2007, para a terceira e última parcela, a CELTINS propôs que fosse considerado ções individuais de cada participante e contribuições das patrocinadoras, acrescidas
Despesas Despesas Gerais
com Vendas e Administrativas no reajuste tarifário anual apenas 50% do valor do Delta Pb devido, como forma de dos respectivos rendimentos. As contribuições são determinadas anualmente com
_________________ __________________ base no plano de custeio do Plano Elétricas - OP.
amenizar o impacto a ser sentido pelos consumidores, sendo o restante desse valor
Despesas com pessoal 2007 _________
_______ 2006 2007 ________
________ 2006 c. Plano de benefício definido - Planos Elétricas BD-I, Elétricas - R
diferido para aplicação em 2008, por ocasião da segunda revisão tarifária periódica. A
Remuneração .................................... 18.479 20.420 61.658 62.838 Deliberação CVM nº. 371/00:
ANEEL aprovou a proposta apresentada pela CELTINS, e considerou apenas 50% do
Encargos sociais - INSS .................... 4.031 4.304 9.984 14.135 Com base na avaliação atuarial elaborada por atuários independentes, em 30 de no-
Encargos sociais - FGTS................... 1.349 1.473 3.274 4.017 valor da terceira parcela, devendo o valor residual desse componente ser considerado
vembro de 2004, dos planos de benefícios definidos, seguindo os critérios requeridos
Encargos sociais - Outros ................. 230 174 906 873 no próximo ciclo tarifário da CELTINS, previsto para 4 de julho de 2008.
pela Deliberação CVM nº. 371/00, o passivo atuarial é da seguinte forma:
Programa de inc. a aposentadoria Os valores diferidos e contabilizados até dezembro de 2007 são de R$ 27.657 (em Premissas atuariais
e dem. Voluntária ............................. - - 802 - 2006 R$ 39.053). As principais premissas atuariais em 30 de novembro de 2007 utilizadas para deter-
Contribuição como mantenedor Através da Resolução Homologatória 499/07, a ANEEL homologou o reajuste tarifá- minação da obrigação atuarial são as seguintes:
da fundação..................................... 242 150 697 3.820 rio anual – IRT a ser aplicado no período de 4 de julho de 2007 a 3 de julho de 2008, Taxa
Indenização sobre o saldo do FGTS . 148 434 1.558 1.284 ______________________
cujo percentual foi de 7,99% . Real __________
Nominal
( - ) Transferências para ordens __________
CEMAT: Taxa de desconto ............................................................. 6,00% a.a. 8,76% a.a.
em curso.......................................... _______- _________- (22.945)
________ (6.893)
________ A ANEEL, através da Resolução Homologatória nº. 70, de 7 de abril de 2004, homo- Taxa de rendimento esperada s/ os ativos
Total despesas com pessoal .......... _______ 24.479 _________
26.955 55.934
________ 80.074
________
_______ _________ ________ ________ logou o resultado final da primeira revisão tarifária periódica da Companhia, ocorrida (investimentos) do plano ................................................ 6,00% a.a. 8,76% a.a.
em abril de 2003, fixando o reposicionamento tarifário em 29,48%. Taxa de crescimento salarial futuro .................................. 2,00% a.a. 4,65% a .a .
33. OUTRAS RECEITAS (DESPESAS) FINANCEIRAS O objetivo do reposicionamento tarifário no processo de revisão tarifária é propor- Taxa de reajuste de benefícios ......................................... 0,00% a.a. 0,00% a.a.
Companhia
___________________ Consolidado
___________________ cionar a receita necessária à cobertura dos custos operacionais e à remuneração Taxa de inflação esperada................................................ 0,00% a.a. 2,60% a.a.
2007 _______
_________ 2006 2007 ________
_________ 2006 dos investimentos. Esse índice definitivo de reposicionamento das tarifas, com efeito Fator de capacidade (dos salários e benefícios) .............. __________ 0,98 __________
0,98
Outras receitas financeiras retroativo a abril de 2003, substitui o reposicionamento fixado, provisoriamente, em Tábua de mortalidade IBGE 2006
______________________
Multas Moratórias e Compensatórias - - 125 32 26,00%, através da Resolução Homologatória nº. 164, de 7 de abril de 2003.
Juros sobre Novação de Faturas ....... - - 10.431 6.568 A diferença entre o reposicionamento tarifário provisório de 26,00%, aplicado em abril Valores reconhecidos no balanço patrimonial
Descontos em Compra de Energia ... - - - 245 de 2003 sobre as tarifas de fornecimento, e o reposicionamento tarifário definitivo de 2007
_______________________________________ 2006
_______
Crédito Finsocial Homologado 29,48%, foi compensada financeiramente para os consumidores no reajuste tarifário Plano Plano Plano
86/2005 SRF ................................... - - - 5.964 anual de 7 de abril de 2004 através da Resolução Homologatória nº. 70, de 7 de abril Elétricas Elétricas Elétricas
Ganho