Você está na página 1de 36

Interbits – SuperPro ® Web

1. (Ime 2016) Um copo está sobre uma mesa com a boca voltada para cima. Um explosivo no
estado sólido preenche completamente o copo, estando todo o sistema a 300 K. O copo e o
explosivo são aquecidos. Nesse processo, o explosivo passa ao estado líquido, transbordando
para fora do copo. Sabendo que a temperatura final do sistema é 400 K, determine:

a) a temperatura de fusão do explosivo;


b) o calor total fornecido ao explosivo.

Dados:
- volume transbordado do explosivo líquido: 10-6 m3 ;
- coeficiente de dilatação volumétrica do explosivo no estado líquido: 10-4 K -1;
- coeficiente de dilatação volumétrica do material do copo: 4 �10 -5 K -1;
- volume inicial do interior do copo: 10-3 m3 ;
- massa do explosivo: 1,6 kg;
kg-1 �
- calor específico do explosivo no estado sólido: 103 J � K -1;
kg-1 �
- calor específico do explosivo no estado líquido: 103 J � K -1; e
kg-1.
- calor latente de fusão do explosivo: 105 J �

Consideração:
- o coeficiente de dilatação volumétrica do explosivo no estado sólido é muito menor que o
coeficiente de dilatação volumétrica do material do copo.

TEXTO PARA AS PRÓXIMAS 3 QUESTÕES:


Se necessário, use
aceleração da gravidade: g = 10 m / s2
densidade da água: d = 1,0 kg / L
calor específico da água: c = 1 cal / g �
C
1 cal = 4 J
109 N �
constante eletrostática: k = 9 ,0 � m2 / C2
constante universal dos gases perfeitos: R = 8 J / mol �
K

2. (Epcar (Afa) 2016) Consultando uma tabela da dilatação térmica dos sólidos verifica-se que
o coeficiente de dilatação linear do ferro é 13 ‫װ‬10-6 C-1. Portanto, pode-se concluir que
a) num dia de verão em que a temperatura variar 20�
C o comprimento de uma barra de ferro
de 10,0 m sofrerá uma variação de 2,6 cm
b) o coeficiente de dilatação superficial do ferro é 169 ‫װ‬10 -6 C-1
C de variação de temperatura, o comprimento de uma barra de 1,0 m desse
c) para cada 1�
10 -6 m
material varia 13 �
d) o coeficiente de dilatação volumétrica do ferro é 39 ‫װ‬10-18 C-1

3. (Epcar (Afa) 2016) Deseja-se aquecer 1,0 L de água que se encontra inicialmente à
temperatura de 10 � C até atingir 100 �
C sob pressão normal, em 10 minutos, usando a
queima de carvão. Sabendo-se que o calor de combustão do carvão é 6000 cal / g e que 80%
do calor liberado na sua queima é perdido para o ambiente, a massa mínima de carvão
consumida no processo, em gramas, e a potência média emitida pelo braseiro, em watts, são
a) 15 ; 600
b) 75 ; 600

Página 1 de 36
Interbits – SuperPro ® Web

c) 15 ; 3000
d) 75 ; 3000

4. (Epcar (Afa) 2016) Um cilindro adiabático vertical foi dividido em duas partes por um êmbolo
de 6,0 kg de massa que pode deslizar sem atrito. Na parte superior, fez-se vácuo e na inferior
foram colocados 2 mols de um gás ideal monoatômico. Um resistor de resistência elétrica
ôhmica R igual a 1 Ω é colocado no interior do gás e ligado a um gerador elétrico que fornece
uma corrente elétrica i, constante, de 400 mA, conforme ilustrado na figura abaixo.

Fechando-se a chave Ch durante 12,5 min, o êmbolo desloca-se 80 cm numa expansão


isobárica de um estado de equilíbrio para outro. Nessas condições, a variação da temperatura
do gás foi, em �
C, de
a) 1,0
b) 2,0
c) 3,0
d) 5,0

5. (Ime 2015)

A figura acima mostra um sistema posicionado no vácuo formado por um recipiente contendo
um gás ideal de massa molecular M e calor específico c em duas situações distintas. Esse
recipiente é fechado por um êmbolo preso a uma mola de constante elástica k, ambos de
massa desprezível. Inicialmente (Situação 1), o sistema encontra-se em uma temperatura T0 ,
o êmbolo está a uma altura h0 em relação à base do recipiente e a mola comprimida de x0 em
relação ao seu comprimento relaxado.

Página 2 de 36
Interbits – SuperPro ® Web

Se uma quantidade de calor Q for fornecida ao gás (Situação 2), fazendo com que o êmbolo
se desloque para uma altura h e a mola passe a estar comprimida de x, a grandeza que varia
linearmente com Q é
a) x + h
b) x - h
c) (x + h)2
d) (x - h)2
e) xh

6. (Epcar (Afa) 2015) Uma amostra de n mols de gás ideal sofre as transformações AB
(isovolumétrica), BC (isobárica) e CD (isotérmica) conforme representação no diagrama
pressão (p) � volume (V), mostrado a seguir.

Sabendo-se que a temperatura do gás no estado A é 27�


C, pode-se afirmar que a
temperatura dele, em �
C, no estado D é
a) 108
b) 327
c) 628
d) 927

7. (Epcar (Afa) 2015) Com relação à dilatação dos sólidos e líquidos isotrópicos, analise as
proposições a seguir e dê como resposta a soma dos números associados às afirmações
corretas.

(01) Um recipiente com dilatação desprezível contém certa massa de água na temperatura de
1� C, quando é, então, aquecido lentamente, sofrendo uma variação de temperatura de
6�C. Nesse caso, o volume da água primeiro aumenta e depois diminui.
(02) Quando se aquece uma placa metálica que apresenta um orifício, verifica-se que, com a
dilatação da placa, a área do orifício aumenta.
(03) Quando um frasco completamente cheio de líquido é aquecido, este transborda um pouco.
O volume de líquido transbordado mede a dilatação absoluta do líquido.
(04) O vidro pirex apresenta maior resistência ao choque térmico do que o vidro comum porque
tem menor coeficiente de dilatação térmica do que o vidro comum.
(05) Sob pressão normal, quando uma massa de água é aquecida de 0� C até 100� C sua
densidade sempre aumenta.
(06) Ao se elevar a temperatura de um sistema constituído por três barras retas e idênticas de
ferro interligadas de modo a formarem um triângulo isósceles, os ângulos internos desse
triângulo não se alteram.
a) 07.
b) 10.
c) 11.
d) 12.

8. (Epcar (Afa) 2015) Em um recipiente termicamente isolado de capacidade térmica

Página 3 de 36
Interbits – SuperPro ® Web

40,0 cal / �
C e na temperatura de 25� C são colocados 600 g de gelo a -10� C e uma garrafa
parcialmente cheia, contendo 2,0L de refrigerante também a 25 �C, sob pressão normal.
Considerando a garrafa com capacidade térmica desprezível e o refrigerante com
características semelhantes às da água, isto é, calor específico na fase líquida 1,0 cal / g�
C e
na fase sólida 0,5 cal / g �
C, calor latente de fusão de 80,0 cal / g bem como densidade
absoluta na fase líquida igual a 1,0 g / cm3 , a temperatura final de equilíbrio térmico do sistema,
em � C, é
a) -3,0
b) 0,0
c) 3,0
d) 5,0

9. (Ime 2015) Uma fábrica produz um tipo de resíduo industrial na fase líquida que, devido à
sua toxidade, deve ser armazenado em um tanque especial monitorado à distância, para
posterior tratamento e descarte. Durante uma inspeção diária, o controlador desta operação
verifica que o medidor de capacidade do tanque se encontra inoperante, mas uma estimativa
confiável indica que 1 3 do volume do tanque se encontra preenchido pelo resíduo. O tempo
estimado para que o novo medidor esteja totalmente operacional é de três dias e neste
intervalo de tempo a empresa produzirá, no máximo, oito litros por dia de resíduo.

Durante o processo de tratamento do resíduo, constata-se que, com o volume já previamente


armazenado no tanque, são necessários dois minutos para que uma determinada quantidade
de calor eleve a temperatura do líquido em 60�C. Adicionalmente, com um corpo feito do
mesmo material do tanque de armazenamento, são realizadas duas experiências relatadas
abaixo:

Experiência 1: Confecciona-se uma chapa de espessura 10 mm cuja área de seção reta é um


quadrado de lado 500 mm. Com a mesma taxa de energia térmica utilizada no aquecimento do
resíduo, nota-se que a face esquerda da chapa atinge a temperatura de 100�
C enquanto que
a face direita alcança 80�C.

Experiência 2: A chapa da experiência anterior é posta em contato com uma chapa padrão de
mesma área de seção reta e espessura 210 mm. Nota-se que, submetendo este conjunto a
50% da taxa de calor empregada no tratamento do resíduo, a temperatura da face livre da
chapa padrão é 60� C enquanto que a face livre da chapa da experiência atinge 100�C.

Página 4 de 36
Interbits – SuperPro ® Web

Com base nestes dados, determine se o tanque pode acumular a produção do resíduo nos
próximos três dias sem risco de transbordar. Justifique sua conclusão através de uma análise
termodinâmica da situação descrita e levando em conta os dados abaixo:

Dados:
- calor específico do resíduo: 5000 J kg �
C;
- massa específica do resíduo: 1200 kg m3 ;
- condutividade térmica da chapa padrão: 420 W m �
C.

10. (Epcar (Afa) 2015) Em um chuveiro elétrico, submetido a uma tensão elétrica constante de
110 V, são dispostas quatro resistências ôhmicas, conforme figura abaixo.

Faz-se passar pelas resistências um fluxo de água, a uma mesma temperatura, com uma
vazão constante de 1,32 litros por minuto.
Considere que a água tenha densidade de 1,0 g / cm3 e calor específico de 1,0 cal / g� C, que
1 cal = 4 J e que toda energia elétrica fornecida ao chuveiro seja convertida em calor para
aquecer, homogeneamente, a água.
Nessas condições, a variação de temperatura da água, em � C, ao passar pelas resistências é
a) 25
b) 28
c) 30
d) 35

TEXTO PARA AS PRÓXIMAS 2 QUESTÕES:


Se precisar, utilize os valores das constantes aqui relacionadas.

Constante dos gases: R = 8 J (mol �


K).
Pressão atmosférica ao nível do mar: P0 = 100 kPa.

Página 5 de 36
Interbits – SuperPro ® Web

Massa molecular do CO2 = 44 u.


Calor latente do gelo: 80cal g.
Calor específico do gelo: 0,5 cal (g �
K).
1cal = 4 �107 erg.
Aceleração da gravidade: g = 10,0m s2 .

11. (Ita 2015) Num copo de guaraná, observa-se a formação de bolhas de CO2 que sobem à
superfície. Desenvolva um modelo físico simples para descrever este movimento e, com base
em grandezas intervenientes, estime numericamente o valor da aceleração inicial de uma bolha
formada no fundo do copo.

12. (Ita 2015) Numa expansão muito lenta, o trabalho efetuado por um gás num processo
adiabático é

P1V1γ
W12 = (V21- γ - V11- γ ),
1- γ

em que P, V, T são, respectivamente, a pressão, o volume e a temperatura do gás, e γ uma


constante, sendo os subscritos 1 e 2 representativos, respectivamente, do estado inicial e final
do sistema. Lembrando que PV γ é constante no processo adiabático, esta fórmula pode ser
reescrita deste modo:
γ /( γ-1) �
P1 �V1 - V2 ( T2 / T1 )
a) � �
ln ( T2 / T1 ) / ln ( V1 / V2 )
γ /( γ-1) �
P2 �V - V2 ( T2 / T1 )
b) �1 �
ln ( T2 / T1 ) / ln ( V2 / V1 )
γ /( γ-1) �
P2 �V - V2 ( T2 / T1 )
c) �1 �
ln ( T2 / T1 ) / ln ( V1 / V2 )
γ /( γ-1) �
P1 �V1 - V2 ( T2 / T1 )
d) � �
ln ( T2 / T1 ) / ln ( V2 / V1 )
γ /( γ-1) �
P2 �V1 - V2 ( T2 / T1 )
e) � �
ln ( T1 / T2 ) / ln ( V2 / V1 )

13. (Ime 2014) Dois corpos iguais deslizam na mesma direção e em sentidos opostos em um
movimento retilíneo uniforme, ambos na mesma velocidade em módulo e à mesma
temperatura. Em seguida, os corpos colidem. A colisão é perfeitamente inelástica, toda energia
liberada no choque sendo utilizada para aumentar a temperatura dos corpos em 2K. Diante do
exposto, o módulo da velocidade inicial do corpo, em m / s, é

J
Dado: Calor específico dos corpos: c = 2 .
kg �K
a) 2
b) 2
c) 2 2
d) 4
e) 6

Página 6 de 36
Interbits – SuperPro ® Web

14. (Ita 2014) Um recipiente contém um gás monoatômico ideal inicialmente no estado L, com
pressão p e volume V.

O gás é submetido a uma transformação cíclica LMNL, absorvendo de uma fonte quente uma
quantidade de calor Q1 e cedendo a uma fonte fria uma quantidade de calor Q 2. Pode-se
afirmar que Q1 é igual a
a) 30pV.
b) 51pV/2.
c) 8pV.
d) 15pV/2.
e) 9pV/2.

15. (Esc. Naval 2014) O estado inicial de certa massa de gás ideal é caracterizado pela
pressão P1 e volume V1. Essa massa gasosa sofre uma compressão adiabática seguida de
um aquecimento isobárico, depois se expande adiabaticamente até que o seu volume retorne
ao valor inicial e, finalmente, um resfriamento isovolumétrico faz com que o gás retorne ao seu
estado inicial. Qual o gráfico que melhor representa as transformações sofridas pelo gás?

a)

b)

c)

Página 7 de 36
Interbits – SuperPro ® Web

d)

e)

16. (Ita 2014) Pode-se associar a segunda lei da Termodinâmica a um princípio de degradação
da energia.
Assinale a alternativa que melhor justifica esta associação.
a) A energia se conserva sempre.
b) O calor não flui espontaneamente de um corpo quente para outro frio.
c) Uma máquina térmica operando em ciclo converte integralmente trabalho em calor.
d) Todo sistema tende naturalmente para o estado de equilíbrio.
e) É impossível converter calor totalmente em trabalho.

17. (Ita 2014) Considere uma esfera maciça de raio r, massa m, coeficiente de dilatação
volumétrica á, feita de um material com calor específico a volume constante c V . A esfera,
sujeita à pressão atmosférica p, repousa sobre uma superfície horizontal isolante térmica e está
inicialmente a uma temperatura T alta o suficiente para garantir que a sua energia interna não
se altera em processos isotérmicos. Determine a temperatura final da esfera após receber uma
quantidade de calor Q, sem perdas para o ambiente. Dê sua resposta em função de g e dos
outros parâmetros explicitados.

18. (Esc. Naval 2014) Observe o gráfico a seguir.

Página 8 de 36
Interbits – SuperPro ® Web

Uma máquina de café expresso possui duas pequenas caldeiras mantidas sob uma pressão de
1,0 MPa. Duas resistências elétricas aquecem separadamente a água no interior das caldeiras
até as temperaturas TA �C, na caldeira com água para o café, e TB �
C, na caldeira destinada a
produzir vapor d’água para aquecer leite. Assuma que a temperatura do café na xícara, TC �
C,
não deve ultrapassar o ponto de ebulição da água e que não há perdas térmicas, ou seja,
TC = TA . Considerando o diagrama de fases no gráfico acima, quanto vale, aproximadamente,
o menor valor, em kelvins, da diferença TB - TA ?

Dado: 1,0 atm = 0,1MPa.


a) 180
b) 130
c) 80
d) 30
e) zero

TEXTO PARA AS PRÓXIMAS 4 QUESTÕES:


Quando necessário, use:
g = 10m s2
sen 37�= 0,6
cos 37�= 0,8

19. (Epcar (Afa) 2014) Um estudante, ao repetir a experiência de James P. Joule para a determinação
do equivalente mecânico do calor, fez a montagem da figura abaixo.

Para conseguir o seu objetivo, ele deixou os corpos de massas M1 = 6,0 kg e M2 = 4,0 kg caírem 40
vezes com velocidade constante de uma altura de 2,0 m, girando as pás e aquecendo 1,0 kg de água
contida no recipiente adiabático. Admitindo que toda a variação de energia mecânica ocorrida durante as
quedas dos corpos produza aquecimento da água, que os fios e as polias sejam ideais e que o calor
específico da água seja igual a 4,0 J g �C, o aumento de temperatura dela, em � C, foi de
a) 2,0
b) 4,0
c) 6,0
d) 8,0

20. (Epcar (Afa) 2014) Considere um gás ideal que pode ser submetido a duas transformações
cíclicas reversíveis e não simultâneas, 1 e 2, como mostrado no diagrama PV abaixo.

Página 9 de 36
Interbits – SuperPro ® Web

Na transformação 1 o gás recebe uma quantidade de calor quantidade de calor Q1 para a


fonte fria à temperatura. T2 . Enquanto que, na transformação 2, as quantidades de calor
recebida, Q '1, e cedida, Q '2 , são trocadas respectivamente com duas fontes às temperaturas
T3 e T4 .

Nessas condições, é correto afirmar que


a) a variação da entropia nas transformações BC, DA, FG e HE é não nula.
b) nas transformações AB e EF, a variação da entropia é negativa, enquanto que, nas
transformações CD e GH, é positiva.
5
c) na transformação 1, a variação da entropia é não nula e Q1 = Q2 .
4
d) na transformação 2, a variação da entropia é nula e Q '1 = 3Q'2 .

21. (Epcar (Afa) 2014) Dispõe-se de duas máquinas térmicas de Carnot. A máquina 1 trabalha
entre as temperaturas de 227�C e 527�C, enquanto a máquina 2 opera entre 227 K e
527 K.

Analise as afirmativas a seguir e responda ao que se pede.

I. A máquina 2 tem maior rendimento que a máquina 1.


II. Se a máquina 1 realizar um trabalho de 2000 J terá retirado 6000 J de calor da fonte
quente.
III. Se a máquina 2 retirar 4000 J de calor da fonte quente irá liberar aproximadamente
1720 J de calor para a fonte fria.
IV. Para uma mesma quantidade de calor retirada da fonte quente pelas duas máquinas, a
máquina 2 rejeita mais calor para a fonte fria.

São corretas apenas


a) I e II.
b) I e III.
c) II e IV.
d) III e IV.

22. (Epcar (Afa) 2014) Um corpo homogêneo e maciço de massa M e coeficiente de dilatação
volumétrica constante γ é imerso inicialmente em um líquido também homogêneo à
temperatura de 0� C, e é equilibrado por uma massa m1 através de uma balança hidrostática,
como mostra a figura abaixo.

Página 10 de 36
Interbits – SuperPro ® Web

Levando o sistema formado pelo corpo imerso e o líquido até uma nova temperatura de
equilíbrio térmico x, a nova condição de equilíbrio da balança hidrostática é atingida com uma
massa igual a m2 , na ausência de quaisquer resistências.

Nessas condições, o coeficiente de dilatação volumétrica real do líquido pode ser determinado
por
�m2 - m1 �1 �M - m1 �
a) � � +� �γ
�M - m2 �x �M - m2 �
�m1 - m2 �1 �m - m2 �
b) � � +� �γ
�M - m1 �x �M - m1 �
�M - m1 �1 �m2 - m1 �
c) � � +� �γ
�M - m2 �x �M - m2 �
�M - m2 �1 �m1 - m2 �
d) � � +� �γ
�M - m1 �x �M - m1 �

23. (Ime 2013) Em um experimento existem três recipientes E1, E2 e E3. Um termômetro
graduado numa escala X assinala 10°X quando imerso no recipiente E1, contendo uma massa
M1 de água a 41°F. O termômetro, quando imerso no recipiente E2 contendo uma massa M2 de
água a 293 K, assinala 19°X. No recipiente E3 existe inicialmente uma massa de água M3 a
10°C. As massas de água M1 e M2, dos recipientes E1 e E2, são transferidas para o recipiente
E3 e, no equilíbrio, a temperatura assinalada pelo termômetro é de 13°X. Considerando que
M1
existe somente troca de calor entre as massas de água, a razão é:
M2
M3
a) 2 + 0,2
M2
b) 2
M3
c) 1 +
M2
d) 0,5
M3
e) 0,5 - 2
M2

24. (Epcar (Afa) 2013) Dois termômetros idênticos, cuja substância termométrica é o álcool
etílico, um deles graduado na escala Celsius e o outro graduado na escala Fahrenheit, estão
sendo usados simultaneamente por um aluno para medir a temperatura de um mesmo sistema
físico no laboratório de sua escola.
Nessas condições, pode-se afirmar corretamente que
a) os dois termômetros nunca registrarão valores numéricos iguais.
b) a unidade de medida do termômetro graduado na escala Celsius é 1,8 vezes maior que a da
escala Fahrenheit.
c) a altura da coluna líquida será igual nos dois termômetros, porém com valores numéricos
sempre diferentes.
d) a altura da coluna líquida será diferente nos dois termômetros.

Página 11 de 36
Interbits – SuperPro ® Web

25. (Ime 2013)

A figura acima representa um sistema, inicialmente em equilíbrio mecânico e termodinâmico,


constituído por um recipiente cilíndrico com um gás ideal, um êmbolo e uma mola. O êmbolo
confina o gás dentro do recipiente. Na condição inicial, a mola, conectada ao êmbolo e ao
ponto fixo A, não exerce força sobre o êmbolo. Após 3520 J de calor serem fornecidos ao gás,
o sistema atinge um novo estado de equilíbrio mecânico e termodinâmico, ficando o êmbolo a
uma altura de 1,2 m em relação à base do cilindro. Determine a pressão e a temperatura do
gás ideal:
Observação: Considere que não existe atrito entre o cilindro e o êmbolo.
Dados: Massa do gás ideal: 0,01 kg; Calor específico a volume constante do gás ideal: 1.000
J/kg.K; Altura inicial do êmbolo em relação à base do cilindro: X1 = 1 m; Área da base do
êmbolo: 0,01 m2; Constante elástica da mola: 4.000 N/m; Massa do êmbolo: 20 kg; Aceleração
da gravidade: 10 m/s2; Pressão atmosférica: 100.000 Pa.
a) na condição inicial;
b) no novo estado de equilíbrio.

26. (Ita 2013) Um mol de um gás ideal sofre uma expansão adiabática reversível de um estado
inicial cuja pressão é Pi e o volume é Vi para um estado final em que a pressão é Pf e o volume
é Vf. Sabe-se que γ = Cp Cv é o expoente de Poisson, em que Cp e Cv são os respectivos
calores molares a pressão e a volume constantes. Obtenha a expressão do trabalho realizado
pelo gás em função de Pi, Vi, Pf, Vf e γ.

27. (Ime 2013) Um industrial deseja lançar no mercado uma máquina térmica que opere entre
dois reservatórios térmicos cujas temperaturas são 900 K e 300 K, com rendimento térmico de
40% do máximo teoricamente admissível. Ele adquire os direitos de um engenheiro que
depositou uma patente de uma máquina térmica operando em um ciclo termodinâmico
composto por quatro processos descritos a seguir:

( ) ( )
Processo 1 – 2: processo isovolumétrico com aumento de pressão: V i ,p i � V i ,pf .

Processo 2 – 3: processo isobárico com aumento de volume: ( V i ,pf ) � ( Vf ,p f ) .

Processo 3 – 4: processo isovolumétrico com redução de pressão: ( Vf ,pf ) � ( Vf ,p i ) .

Processo 4 – 1: processo isobárico com redução de volume: ( Vf ,p i ) � ( V i ,p i ) .

pf
O engenheiro afirma que o rendimento desejado é obtido para qualquer valor de > 1 desde
pi
Vf
que a razão entre os volumes seja igual a 2. Porém, testes exaustivos do protótipo da
Vi

Página 12 de 36
Interbits – SuperPro ® Web

máquina indicam que o rendimento é inferior ao desejado. Ao ser questionado sobre o assunto,
o engenheiro argumenta que os testes não foram conduzidos de forma correta e mantém sua
afirmação original. Supondo que a substância de trabalho que percorre o ciclo 1-2-3-4-1 seja
um gás ideal monoatômico e baseado em uma análise termodinâmica do problema, verifique
se o rendimento desejado pode ser atingido.

28. (Epcar (Afa) 2013) Uma máquina térmica funciona fazendo com que 5 mols de um gás
ideal percorra o ciclo ABCDA representado na figura.

Sabendo-se que a temperatura em A é 227 � C, que os calores específicos molares do gás, a


volume constante e a pressão constante, valem, respectivamente, 2 3R e 5 2R e que R vale
aproximadamente 8 J mol � K , o rendimento dessa máquina, em porcentagem, está mais
próximo de
a) 12
b) 15
c) 18
d) 21

29. (Ita 2013) A figura mostra um sistema, livre de qualquer força externa, com um êmbolo que
pode ser deslocado sem atrito em seu interior. Fixando o êmbolo e preenchendo o recipiente de
volume V com um gás ideal a pressão P, e em seguida liberando o êmbolo, o gás expande-se
adiabaticamente. Considerando as respectivas massas mc, do cilindro, e me, do êmbolo, muito
maiores que a massa mg do gás, e sendo γ o expoente de Poisson, a variação da energia
interna DU do gás quando a velocidade do cilindro for vc é dada aproximadamente por

a) 3PV γ 2.
b) 3PV ( 2 ( γ - 1) ) .
c) -mc ( me + mc ) v c2 ( 2me ) .
d) - ( mc + me ) v c2 2.
e) - me ( me + mc ) vc2 ( 2mc ) .

30. (Esc. Naval 2013) Considere que 0,40 gramas de água vaporize isobaricamente à
pressão atmosférica. Sabendo que, nesse processo, o volume ocupado pela água varia de 1,0
litro, pode-se afirmar que a variação da energia interna do sistema, em kJ, vale

106 J / kg;
Dados: calor latente de vaporização da água = 2,3 �

Página 13 de 36
Interbits – SuperPro ® Web

105 Pa.
Conversão: 1 atm = 1,0 �
a) -1,0
b) -0,92
c) 0,82
d) 0,92
e) 1,0

31. (Esc. Naval 2013) Uma máquina térmica, funcionando entre as temperaturas de 300 K e
600 K fornece uma potência útil, Pu , a partir de uma potência recebida, Pr . O rendimento
dessa máquina corresponde a 4 5 do rendimento máximo previsto pela máquina de Carnot.
Sabendo que a potência recebida é de 1200 W, a potência útil, em watt, é
a) 300
b) 480
c) 500
d) 600
e) 960

32. (Ita 2013) Um recipiente é inicialmente aberto para a atmosfera a temperatura de 0°C. A
seguir, o recipiente é fechado e imerso num banho térmico com água em ebulição. Ao atingir o
novo equilíbrio, observa-se o desnível do mercúrio indicado na escala das colunas do
manômetro. Construa um gráfico P �T para os dois estados do ar no interior do recipiente e o
extrapole para encontrar a temperatura T0 quando a pressão P = 0, interpretando fisicamente
este novo estado à luz da teoria cinética dos gases.

33. (Esc. Naval 2013) Analise as afirmativas abaixo referentes à entropia.

I. Num dia úmido, o vapor de água se condensa sobre uma superfície fria. Na condensação, a
entropia da água diminui.
II. Num processo adiabático reversível, a entropia do sistema se mantém constante.
III. A entropia de um sistema nunca pode diminuir.
IV. A entropia do universo nunca pode diminuir.

Assinale a opção que contém apenas afirmativas corretas.


a) I e II
b) II e III
c) III e IV
d) I, II e III
e) I, II e IV

34. (Ita 2013) Diferentemente da dinâmica newtoniana, que não distingue passado e futuro, a
direção temporal tem papel marcante no nosso dia. Assim, por exemplo, ao aquecer uma parte
de um corpo macroscópico e o isolarmos termicamente, a temperatura deste se torna
gradualmente uniforme, jamais se observando o contrário, o que indica a direcionalidade do
tempo. Diz-se então que os processos macroscópicos são irreversíveis, evoluem do passado
para o futuro e exibem o que o famoso cosmólogo Sir Arthur Eddington denominou de seta do
tempo. A lei física que melhor traduz o tema do texto é
a) a segunda lei de Newton.
b) a lei de conservação da energia.
c) a segunda lei da termodinâmica.

Página 14 de 36
Interbits – SuperPro ® Web

d) a lei zero da termodinâmica.


e) a lei de conservação da quantidade de movimento.

35. (Esc. Naval 2013) Conforme mostra a figura abaixo, dois recipientes, A e B, termicamente
isolados, de volumes iguais, estão ligados por um tubo delgado que pode conduzir gases, mas
não transfere calor. Inicialmente, os recipientes são ocupados por uma amostra de um certo
gás ideal na temperatura T0 e na pressão P0 . Considere que a temperatura no recipiente A é
triplicada, enquanto a do recipiente B se mantém constante. A razão entre a pressão final nos
dois recipientes e a pressão inicial, P P0 , é

a) 3 2
b) 2 3
c) 1
d) 1 2
e) 1 3

36. (Esc. Naval 2013) Considere um gás monoatômico ideal no interior de um cilindro dotado
de um êmbolo, de massa desprezível, que pode deslizar livremente. Quando submetido a uma
certa expansão isobárica, o volume do gás aumenta de 2,00 � 10-3 m3 para 8,00 � 10-3 m3 .
Sabendo-se que, durante o processo de expansão, a energia interna do gás sofre uma
variação de 0,360 kJ, pode-se afirmar que o valor da pressão, em kPa, é de
a) 4,00
b) 10,0
c) 12,0
d) 40,0
e) 120

37. (Epcar (Afa) 2013) No gráfico a seguir, está representado o comprimento L de duas barras
A e B em função da temperatura θ.

Sabendo-se que as retas que representam os comprimentos da barra A e da barra B são


paralelas, pode-se afirmar que a razão entre o coeficiente de dilatação linear da barra A e o da
barra B é
a) 0,25.
b) 0,50.
c) 1,00.
d) 2,00.

Página 15 de 36
Interbits – SuperPro ® Web

38. (Epcar (Afa) 2012) O motor de um determinado veículo consome 8,0 litros de combustível
em uma hora. Sabendo-se que o calor de combustão desse combustível é de 10000 cal g, que
sua densidade é 0,675 g cm3 e que o motor desenvolve uma potência de 24 kW, o
rendimento desse motor, em porcentagem, é de (considere 1 cal = 4 J)
a) 32
b) 36
c) 40
d) 44

39. (Epcar (Afa) 2012) Com relação às máquinas térmicas e a Segunda Lei da Termodinâmica,
analise as proposições a seguir.

I. Máquinas térmicas são dispositivos usados para converter energia mecânica em energia
térmica com consequente realização de trabalho.
II. O enunciado da Segunda Lei da Termodinâmica, proposto por Clausius, afirma que o calor
não passa espontaneamente de um corpo frio para um corpo mais quente, a não ser forçado
por um agente externo como é o caso do refrigerador.
III. É possível construir uma máquina térmica que, operando em transformações cíclicas, tenha
como único efeito transformar completamente em trabalho a energia térmica de uma fonte
quente.
IV. Nenhuma máquina térmica operando entre duas temperaturas fixadas pode ter rendimento
maior que a máquina ideal de Carnot, operando entre essas mesmas temperaturas.

São corretas apenas


a) I e II
b) II e III
c) I, III e IV
d) II e IV

40. (Epcar (Afa) 2012) Um motorista calibra os pneus de seu carro com uma pressão de
30 libras pol2 a uma temperatura de 27 � C. Após uma viagem, a temperatura deles subiu para
47 �C. Desprezando-se a variação de volume dos pneus e sabendo-se que 10% da massa de
ar contida em um dos pneus escapou pela válvula durante a viagem, a pressão do ar neste
pneu, ao término desta viagem, em libras pol2 , é de aproximadamente
a) 25
b) 26
c) 29
d) 32

41. (Epcar (Afa) 2011) O diagrama abaixo representa um ciclo realizado por um sistema
termodinâmico constituído por n mols de um gás ideal.

Sabendo-se que em cada segundo o sistema realiza 40 ciclos iguais a este, é correto afirmar
que a(o)
a) potência desse sistema é de 1600 W.
b) trabalho realizado em cada ciclo é - 40 J.

Página 16 de 36
Interbits – SuperPro ® Web

c) quantidade de calor trocada pelo gás com o ambiente em cada ciclo é nula.
d) temperatura do gás é menor no ponto C.

42. (Ita 2011) Uma bolha de gás metano com volume de 10 cm3 é formado a 30 m de
profundidade num lago. Suponha que o metano comporta-se como um gás ideal de calor
específico molar CV = 3R e considere a pressão atmosférica igual a 10 5 N/m2. Supondo que a
bolha não troque calor com a água ao seu redor, determine seu volume quando ela atinge a
superfície.

43. (Ita 2011) A inversão temporal de qual dos processos abaixo NÃO violaria a segunda lei de
termodinâmica?
a) A queda de um objeto de uma altura H e subsequente parada no chão.
b) O movimento de um satélite ao redor da Terra.
c) A freada brusca de um carro em alta velocidade.
d) O esfriamento de um objeto quente num banho de água fria.
e) A troca de matéria entre as duas estrelas de um sistema binário.

44. (Epcar (Afa) 2011) Quando usamos um termômetro clínico de mercúrio para medir a nossa
temperatura, esperamos um certo tempo para que o mesmo possa indicar a temperatura
correta do nosso corpo. Com base nisso, analise as proposições a seguir.

I. Ao indicar a temperatura do nosso corpo, o termômetro entra em equilíbrio térmico com ele, o
que demora algum tempo para acontecer.
II. Inicialmente, a indicação do termômetro irá baixar, pois o vidro transmite mal o calor e se
aquece primeiro que o mercúrio, o tubo capilar de vidro se dilata e o nível do líquido desce.
III. Após algum tempo, como o mercúrio se dilata mais que o vidro do tubo, a indicação começa
a subir até estabilizar, quando o termômetro indica a temperatura do nosso corpo.

Podemos afirmar que são corretas as afirmativas


a) I e II apenas.
b) I e III apenas.
c) II e III apenas.
d) I, II e III.

45. (Epcar (Afa) 2011) Com base nos processos de transmissão de calor, analise as
proposições a seguir.

I. A serragem é melhor isolante térmico do que a madeira, da qual foi retirada, porque entre as
partículas de madeira da serragem existe ar, que é um isolante térmico melhor que a
madeira.
II. Se a superfície de um lago estiver congelada, a maior temperatura que a camada de água
do fundo poderá atingir é 2 °C.
III. O interior de uma estufa de plantas é mais quente que o exterior, porque a energia solar que
atravessa o vidro na forma de raios infravermelhos é parcialmente absorvida pelas plantas e
demais corpos presentes e depois emitida por eles na forma de raios ultravioletas que não
atravessam o vidro, aquecendo assim o interior da estufa.
IV. Durante o dia, sob as túnicas claras que refletem boa parte da energia do sol, os beduínos
no deserto usam roupa de lã, para minimizar as trocas de calor com o ambiente.

São verdadeiras apenas as proposições


a) I e II.
b) I e IV.
c) II e III.
d) III e IV.

46. (Ita 2010) Uma parte de um cilindro está preenchida com um mol de um gás ideal
monoatômico a uma pressão P0 e temperatura T0. Um êmbolo de massa desprezível separa o
gás da outra seção do cilindro, na qual há vácuo e uma mola em seu comprimento natural
presa ao êmbolo e à parede oposta do cilindro, como mostra a figura (a). O sistema está
termicamente isolado e o êmbolo, inicialmente fixo, é então solto, deslocando-se

Página 17 de 36
Interbits – SuperPro ® Web

vagarosamente até passar pela posição de equilíbrio, em que a sua aceleração é nula e o
volume ocupado pelo gás é o dobro do original, conforme mostra a figura (b). Desprezando os
atritos, determine a temperatura do gás na posição de equilíbrio em função da sua temperatura
inicial.

47. (Ime 2010) Atendendo a um edital do governo, um fabricante deseja certificar junto aos
órgãos competentes uma geladeira de baixos custo e consumo. Esta geladeira apresenta um
coeficiente de desempenho igual a 2 e rejeita 9/8 kW para o ambiente externo. De acordo com
o fabricante, estes dados foram medidos em uma situação típica de operação, na qual o
compressor da geladeira se manteve funcionando durante 1/8 do tempo a temperatura
ambiente de 27 °C. O edital preconiza que, para obter a certificação, é necessário que o custo
mensal de operação da geladeira seja, no máximo igual a R$ 5,00 e que a temperatura interna
do aparelho seja inferior a 8 °C. O fabricante afirma que os dois critérios são atendidos, pois o
desempenho da geladeira é 1/7 do máximo possível.
Verifique, baseado nos princípios da termodinâmica, se esta assertiva do fabricante está
tecnicamente correta. Considere que a tarifa referente ao consumo de 1 kWh é R$ 0,20.

48. (Ita 2010) Uma máquina térmica opera segundo o ciclo JKLMJ mostrado no diagrama T-S
da figura.

Pode-se afirmar que


a) processo JK corresponde a uma compressão isotérmica.
b) o trabalho realizado pela máquina em um ciclo é W = (T2 – T1)(S2 – S1).
T2
c) o rendimento da maquina é dado por η = 1 - .
T1
d) durante o processo LM, uma quantidade de calor Q LM = T1(S2 – S1) é absorvida pelo sistema.
e) outra máquina térmica que opere entre T2 e T1 poderia eventualmente possuir um
rendimento maior que a desta.

49. (Ita 2010) Um quadro quadrado de lado ℓ e massa m, feito de um material de coeficiente de
dilatação superficial â, e pendurado no pino O por uma corda inextensível, de massa

Página 18 de 36
Interbits – SuperPro ® Web

desprezível, com as extremidades fixadas no meio das arestas laterais do quadro, conforme a
figura. A força de tração máxima que a corda pode suportar é F. A seguir, o quadro e submetido
a uma variação de temperatura ÄT, dilatando. Considerando desprezível a variação no
comprimento da corda devida à dilatação, podemos afirmar que o comprimento mínimo da
corda para que o quadro possa ser pendurado com segurança é dado por

2l F βDT
a) .
mg
2l F(1 + βDT
b) .
mg
2l F(1 + βDT)
c) .
4F2 - m2 g2 )
2l F (1 + βDT)
d) .
(2F - mg)
(1 + βDT)
e) 2l F .
(4F2 - m2 g2 )

50. (Ime 2010)

Na figura, o frasco de vidro não condutor térmico e elétrico contém 0,20 kg de um líquido
isolante elétrico que está inicialmente a 20°C. Nesse líquido está mergulhado um resistor R1 de
8 W . A chave K está inicialmente na vertical e o capacitor C, de 16mF , está descarregado. Ao
colocar a chave no Ponto A verifica-se que a energia do capacitor é de 0,08 J. Em seguida,
comutando a chave para o Ponto B e ali permanecendo durante 5 s, a temperatura do líquido
subirá para 26°C. Admita que todo o calor gerado pelo resistor R1 seja absorvido pelo líquido e
que o calor gerado nos resistores R2 e R3 não atinja o frasco. Nessas condições, é correto
g-1 º C-1 , é
afirmar que o calor específico do líquido, em cal �

Página 19 de 36
Interbits – SuperPro ® Web

Dado: 1 cal = 4,2 J


a) 0,4
b) 0,6
c) 0,8
d) 0,9
e) 1,0

51. (Ime 2010)

A figura composta por dois materiais sólidos diferentes A e B, apresenta um processo de


condução de calor, cujas temperaturas não variam com o tempo. É correto afirmar que a
temperatura T2 da interface desses materiais, em kelvins, é:

Observações:
• T1 : Temperatura da interface do material A com o meio externo
• T3 : Temperatura da interface do material B com o meio externo
• K A : Coeficiente de condutividade térmica do material A
• K B : Coeficiente de condutividade térmica do material B
a) 400
b) 500
c) 600
d) 700
e) 800

52. (Ita 2009) Três processos compõem o ciclo termodinâmico ABCA mostrado no diagrama P
× V da figura. O processo AB ocorre a temperatura constante. O processo BC ocorre a volume
constante com decréscimo de 40 J de energia interna e, no processo CA, adiabático, um
trabalho de 40 J é efetuado sobre o sistema. Sabendo-se também que em um ciclo completo o
trabalho total realizado pelo sistema é de 30 J, calcule a quantidade de calor trocado durante o
processo AB.

53. (Ita 2008) Certa quantidade de oxigênio (considerado aqui como gás ideal) ocupa um

Página 20 de 36
Interbits – SuperPro ® Web

volume vi a uma temperatura Ti e pressão pi. A seguir, toda essa quantidade é comprimida, por
meio de um processo adiabático e quase estático, tendo reduzido o seu volume para vf = v i/2.
Indique o valor do trabalho realizado sobre esse gás.

a) w =
3
2
(
( pi vi ) 20,7 - 1 )

b) w =
5
2
(
( p1 vi ) 20,7 - 1 )

c) w =
5
2
(
( pi vi ) 20,4 - 1 )

d) w =
3
2
( )
( pi vi ) 21,7 - 1

e) w =
5
2
( )
( pi vi ) 21,4 - 1

54. (Ita 2008) Durante a realização de um teste, colocou-se 1 litro de água a 20 °C no interior
de um forno de micro-ondas. Após permanecer ligado por 20 minutos, restou meio litro de
água. Considere a tensão da rede de 127 V e de 12 A a corrente consumida pelo forno. Calcule
o fator de rendimento do forno.
Dados: calor de vaporização da água Lv = 540 cal/g; calor específico da água c = 1 cal/g °C; 1
caloria = 4,2 joules.

55. (Ita 2007) A água de um rio encontra-se a uma velocidade inicial V constante, quando
despenca de uma altura de 80 m, convertendo toda a sua energia mecânica em calor. Este
calor é integralmente absorvido pela água, resultando em um aumento de 1 K de sua
temperatura. Considerando 1 cal ≈ 4 J, aceleração da gravidade g = 10 m/s 2 e calor específico
da água c = 1,0 calg-1°C-1, calcula-se que a velocidade inicial da água V é de
a) 10 2 m/s.
b) 20 m/s.
c) 50 m/s.
d) 10 32 m/s.
e) 80 m/s.

56. (Ita 2007) Numa cozinha industrial, a água de um caldeirão é aquecida de 10 °C a 20°C,
sendo misturada, em seguida, à água a 80°C de um segundo caldeirão, resultando 10ℓ, de água
a 32°C, após a mistura. Considere que haja troca de calor apenas entre as duas porções de
água misturadas e que a densidade absoluta da água, de 1 kg/ℓ, não varia com a temperatura,
sendo, ainda, seu calor específico c = 1,0 cal g -1°C-1. A quantidade de calor recebida pela água
do primeiro caldeirão ao ser aquecida até 20°C é de
a) 20 kcal.
b) 50 kcal.
c) 60 kcal.
d) 80 kcal.
e) 120 kcal.

57. (Ita 2007) Um corpo indeformável em repouso é atingido por um projétil metálico com a
velocidade de 300 m/s e a temperatura de 0°C. Sabe-se que, devido ao impacto, 1/3 da energia

Página 21 de 36
Interbits – SuperPro ® Web

cinética é absorvida pelo corpo e o restante transforma-se em calor, fundindo parcialmente o


projétil. O metal tem ponto de fusão tf = 300°C, calor específico c = 0,02 cal/g°c e calor latente
de fusão Lf = 6 cal/g. Considerando 1 cal ≈ 4 J, a fração x da massa total do projétil metálico
que se funde é tal que
a) x < 0,25.
b) x = 0,25.
c) 0,25 < x < 0,5.
d) x = 0,5.
e) x > 0,5.

58. (Ita 2006) Sejam o recipiente (1) , contendo 1 moI de H2 (massa molecular M = 2) e o
recipiente (2) contendo 1 moI de He (massa atômica M = 4) ocupando o mesmo volume,
ambos mantidos a mesma pressão. Assinale a alternativa correta:
a) A temperatura do gás no recipiente 1 é menor que a temperatura do gás no recipiente 2.
b) A temperatura do gás no recipiente 1 é maior que a temperatura do gás no recipiente 2.
c) A energia cinética média por molécula do recipiente 1 é maior que a do recipiente 2.
d) O valor médio da velocidade das moléculas no recipiente 1 é menor que o valor médio da
velocidade das moléculas no recipiente 2.
e) O valor médio da velocidade das moléculas no recipiente 1 é maior que o valor médio da
velocidade das moléculas no recipiente 2.

59. (Ita 2006) Um moI de um gás ideal ocupa um volume inicial V0 à temperatura T0 e pressão
P0, sofrendo a seguir uma expansão reversível para um volume V1. Indique a relação entre o
trabalho que é realizado por:
(i) W(i), num processo em que a pressão é constante.
(ii) W(ii), num processo em que a temperatura é
constante.
(iii) W(iii), num processo adiabático.

60. (Ita 2006) Um bloco de gelo com 725 g de massa é colocado num calorímetro contendo
2,50 kg de água a uma temperatura de 5,0°C, verificando-se um aumento de 64 g na massa
desse bloco, uma vez alcançado o equilíbrio térmico. Considere o calor específico da água (c =
1,0 cal/g°C) o dobro do calor específico do gelo, e o calor latente de fusão do gelo de 80 cal/g.
Desconsiderando a capacidade térmica do calorímetro e a troca de calor com o exterior,
assinale a temperatura inicial do gelo.
a) -191,4°C
b) -48,6°C

Página 22 de 36
Interbits – SuperPro ® Web

c) -34,5°C
d) -24,3°C
e) -14,1°C

61. (Ita 2005) Estime a massa de ar contida numa sala de aula. Indique claramente quais as
hipóteses utilizadas e os quantitativos estimados das variáveis empregadas.

62. (Ita 2005) Uma cesta portando uma pessoa deve ser suspensa por meio de balões, sendo
cada qual inflado com 1 m3 de hélio na temperatura local (27 °C). Cada balão vazio com seus
apetrechos pesa 1,0 N. São dadas a massa atômica do oxigênio A(O) = 16, a do nitrogênio
A(N) = 14, a do hélio A(He) = 4 e a constante dos gases R = 0,082 atm ℓ mol -1 K-1.
Considerando que o conjunto pessoa e cesta pesa 1000 N e que a atmosfera é composta de
30% de O2 e 70% de N2, determine o número mínimo de balões necessários.

63. (Ita 2005) Inicialmente 48g de gelo a 0°C são colocados num calorímetro de alumínio de
2,0g , também a 0°C. Em seguida, 75g de água a 80 °C são despejados dentro desse
recipiente. Calcule a temperatura final do conjunto.

Dados: calor latente do gelo Lg = 80cal/g, calor específico da água c(H 2O) = 1,0 cal g-1 °C-1,
calor específico do alumínio c(Aℓ) = 0,22 cal g -1 °C-1.

64. (Ita 2004) Uma m‫ل‬quina térmica opera com um mol de um g ‫ل‬s monoatômico ideal. O g‫ل‬s
realiza o ciclo ABCA, representado no plano PV, conforme mostra a figura.

Considerando que a transformaç ‫م‬o BC é adiab‫ل‬tica, calcule:


a) a eficiência da m‫ل‬quina;
b) a variaç‫م‬o da entropia na transformaç‫م‬o BC.

65. (Ita 2004) Um recipiente cilíndrico vertical é fechado por meio de um pistão, com 8,00 kg
de massa e 60,0cm2 de área, que se move sem atrito. Um gás ideal, contido no cilindro, é
aquecido de 30°C a 100°C, fazendo o pistão subir 20,0 cm. Nesta posição, o pistão é fixado,
enquanto o gás é resfriado até sua temperatura inicial.
Considere que o pistão e o cilindro encontram-se expostos à pressão atmosférica. Sendo Q 1 o
calor adicionado ao gás durante o processo de aquecimento e Q 2, o calor retirado durante o
resfriamento, assinale a opção correta que indica a diferença Q1 - Q2.
a) 136 J
b) 120 J
c) 100 J
d) 16 J
e) 0 J

66. (Ita 2004) Na figura, uma pipeta cilíndrica de 25cm de altura, com ambas as extremidades

Página 23 de 36
Interbits – SuperPro ® Web

abertas, tem 20cm mergulhados em um recipiente com mercúrio. Com sua extremidade
superior tapada, em seguida a pipeta é retirada lentamente do recipiente.

Considerando uma pressão atmosférica de 75cmHg, calcule a altura da coluna de mercúrio


remanescente no interior da pipeta.

67. (Ita 2004) A linha das neves eternas encontra-se a uma altura h 0 acima do nível do mar,
onde a temperatura do ar é 0°C.
Considere que, ao elevar-se acima do nível do mar, o ar sofre uma expansão adiabática que
obedece à relação ∆p/p=(7/2) (∆T/T) , em que p é a pressão e T, a temperatura. Considerando
o ar um gás ideal de massa molecular igual a 30u (unidade de massa atômica) e a temperatura
ao nível do mar igual a 30°C, assinale a opção que indica aproximadamente a altura h0 da linha
das neves.
a) 2,5 km
b) 3,0 km
c) 3,5 km
d) 4,0 km
e) 4,5 km

68. (Ita 2004) Duas salas idênticas estão separadas por uma divisória de espessura L=5,0 cm,
área A=100m2 e condutividade térmica k=2,0W/mK. O ar contido em cada sala encontra-se,
inicialmente, à temperatura T1=47°C e T2=27°C, respectivamente. Considerando o ar como um
gás ideal e o conjunto das duas salas um sistema isolado, calcule:

a) O fluxo de calor através da divisória relativo às temperaturas iniciais T 1 e T2 .


b) A taxa de variação de entropia ∆S/∆t no sistema no início da troca de calor, explicando o que
ocorre com a desordem do sistema.

69. (Ita 2003)

A figura mostra um recipiente, com êmbolo, contendo um volume inicial V i de gás ideal,

Página 24 de 36
Interbits – SuperPro ® Web

inicialmente sob uma pressão Pi igual à pressão atmosférica, P(at). Uma mola não deformada é
fixada no êmbolo e num anteparo fixo. Em seguida, de algum modo é fornecida ao gás uma
�3 �
certa quantidade de calor Q. Sabendo que a energia interna do gás é U = � �PV, a constante
�2 �
da mola é k e a área da seção transversal do recipiente é A, determine a variação do
comprimento da mola em função dos parâmetros intervenientes. Despreze os atritos e
considere o êmbolo sem massa, bem como sendo adiabáticas as paredes que confinam o gás.

70. (Ita 2003) Considerando um buraco negro como um sistema termodinâmico, sua energia
interna U varia com a sua massa M de acordo com a famosa relação de Einstein: ∆U=∆Mc 2.
Stephen Hawking propôs que a entropia S de um buraco negro depende apenas de sua massa
e de algumas constantes fundamentais da natureza. Desta forma, sabe-se que uma variação
de massa acarreta uma variação de entropia dada por: ∆S/∆M=8ðGMk B/h c. Supondo que não
haja realização de trabalho com a variação de massa, assinale a alternativa que melhor
representa a temperatura absoluta T do buraco negro.
a) T = h c3 / GM kB.
b) T = 8ðM c2 / kB.
c) T = M c2 / 8ð kB.
d) T = h c3 / 8ð GM kB.
e) T = 8ð h c3 / GM kB.

71. (Ita 2003) Calcule a variação de entropia quando, num processo à pressão constante de
1,0 atm, se transforma integralmente em vapor 3,0 kg de água que se encontram inicialmente
no estado líquido, à temperatura de 100°C.
Dado: calor de vaporização da água:
L(v) = 5,4 x 105 cal/ kg

72. (Ita 2003)

Uma certa massa de gás ideal realiza o ciclo ABCD de transformações, como mostrado no
diagrama pressão volume da figura. As curvas AB e CD são isotermas.
Pode-se afirmar que
a) o ciclo ABCD corresponde a um ciclo de Carnot.
b) o gás converte trabalho em calor ao realizar o ciclo.
c) nas transformações AB e CD o gás recebe calor.
d) nas transformações AB e BC a variação da energia interna do gás é negativa.
e) na transformação DA o gás recebe calor, cujo valor é igual à variação da energia interna.

73. (Ita 2002) Uma máquina térmica reversível opera entre dois reservatórios térmicos de
temperaturas 100°C e 127°C, respectivamente, gerando gases aquecidos para acionar uma
turbina. A eficiência dessa máquina é melhor representada por
a) 68%.
b) 6,8%.

Página 25 de 36
Interbits – SuperPro ® Web

c) 0,68%.
d) 21%.
e) 2,1%.

74. (Ita 2002) Um tubo capilar fechado em uma extremidade contém uma quantidade de ar
aprisionada por um pequeno volume de água. A 7,0°C e à pressão atmosférica (76,0cm Hg) o
comprimento do trecho com ar aprisionado é de 15,0cm. Determine o comprimento do trecho
com ar aprisionado a 17,0°C. Se necessário, empregue os seguintes valores da pressão de
vapor da água: 0,75cm Hg a 7,0°C e 1,42cm Hg a 17,0°C.

75. (Ita 2002) Um pequeno tanque, completamente preenchido com 20,0ℓ de gasolina a 0 °F, é
logo a seguir transferido para uma garagem mantida à temperatura de 70 °F. Sendo ã=0,0012°C-
1
o coeficiente de expansão volumétrica da gasolina, a alternativa que melhor expressa o
volume de gasolina que vazará em consequência do seu aquecimento até a temperatura da
garagem é
a) 0,507ℓ
b) 0,940ℓ
c) 1,68ℓ
d) 5,07ℓ
e) 0,17ℓ

76. (Ita 2002) Colaborando com a campanha de economia de energia, um grupo de escoteiros
construiu um fogão solar, consistindo de um espelho de alumínio curvado que foca a energia
térmica incidente sobre uma placa coletora. O espelho tem um diâmetro efetivo de 1,00m e
70% da radiação solar incidente é aproveitada para de fato aquecer uma certa quantidade de
água. Sabemos ainda que o fogão solar demora 18,4 minutos para aquecer 1,00 ℓ de água
desde a temperatura de 20°C até 100°C, e que 4,186×103J é a energia necessária para elevar a
temperatura de 1,00 ℓ de água de 1,000K. Com base nos dados, estime a intensidade irradiada
pelo Sol na superfície da Terra, em W/m2. Justifique.

77. (Ita 2001) Para medir a febre de pacientes, um estudante de medicina criou sua própria
escala linear de temperaturas. Nessa nova escala, os valores de 0 (zero) e 10 (dez)
correspondem respectivamente a 37°C e 40°C. A temperatura de mesmo valor numérico em
ambas escalas é aproximadamente
a) 52,9°C.
b) 28,5°C.
c) 74,3°C.
d) -8,5°C.
e) -28,5°C.

78. (Ita 2001) Um centímetro cúbico de água passa a ocupar 1671cm 3 quando evaporado à
pressão de 1,0atm. O calor de vaporização a essa pressão é de 539cal/g. O valor que mais se
aproxima do aumento de energia da água é
a) 498 cal
b) 2082 cal
c) 498 J
d) 2082 J

Página 26 de 36
Interbits – SuperPro ® Web

e) 2424 J

79. (Ita 2000) Um copo de 10 cm de altura está totalmente cheio de cerveja e apoiado sobre
uma mesa. Uma bolha de gás se desprende do fundo do copo e alcança a superfície, onde a
pressão atmosférica é de 1,01x105 Pa. Considere que a densidade da cerveja seja igual a da
água pura e que a temperatura e o número de moles do gás dentro da bolha permaneçam
constantes enquanto esta sobe. Qual a razão entre o volume final (quando atinge a superfície)
e inicial da bolha?

a) 1,03.
b) 1,04.
c) 1,05.
d) 0,99.
e) 1,01.

80. (Ita 2000) Uma certa resistência de fio, utilizada para aquecimento, normalmente dissipa
uma potência de 100W quando funciona a uma temperatura de 100 °C. Sendo de 2x10-3K-1 o
coeficiente da dilatação térmica do fio, conclui-se que a potência instantânea dissipada pela
resistência, quando operada a uma temperatura inicial de 20°C, é
a) 32 W.
b) 84 W.
c) 100 W.
d) 116 W.
e) 132 W.

81. (Ita 2000) O ar dentro de um automóvel fechado tem massa de 2,6kg e calor específico de
720J/kg°C. Considere que o motorista perde calor a uma taxa constante de 120 joules por
segundo e que o aquecimento do ar confinado se deva exclusivamente ao calor emanado pelo
motorista. Quanto tempo levará para a temperatura variar de 2,4 °C a 37°C?
a) 540 s.
b) 480 s.
c) 420 s.
d) 360 s.
e) 300 s.

82. (Ita 1999) Um relógio de pêndulo, construído de um material de coeficiente de dilatação


linear á, foi calibrado a uma temperatura de 0°C para marcar um segundo exato ao pé de uma
torre de altura h. Elevando-se o relógio até o alto da torre observa-se um certo atraso, mesmo
mantendo-se a temperatura constante. Considerando R o raio da Terra, L o comprimento do
pêndulo a 0°C e que o relógio permaneça ao pé da torre, então a temperatura para a qual
obtém-se o mesmo atraso é dada pela relação:
a) 2h/áR.
b) h(2R + h)/áR2.
c) [(R + h)2 - LR]/áLR
d) R (2h + R)/á(R + h)2
e) (2R + h)/áR

83. (Ita 1999) O pneu de um automóvel é calibrado com ar a uma pressão de 3,10×10 5Pa a
20°C, no verão.
Considere que o volume não varia e que a pressão atmosférica se mantém constante e igual a
1,01×105Pa:
A pressão do pneu, quando a temperatura cai a 0°C, no inverno, é:
a) 3,83 × 105 Pa.
b) 1,01 × 105 Pa.
c) 4,41 × 105 Pa.
d) 2,89 × 105 Pa.

Página 27 de 36
Interbits – SuperPro ® Web

e) 1,95 × 105 Pa.

84. (Ita 1999) Considere uma mistura de gases H2 e N2 em equilíbrio térmico. Sobre a energia
cinética média e sobre a velocidade média das moléculas de cada gás, pode-se concluir que:
a) as moléculas de N2 e H2 têm a mesma energia cinética média e a mesma velocidade média.
b) ambas têm a mesma velocidade média, mas as moléculas de N2 têm maior energia cinética
média.
c) ambas têm a mesma velocidade média, mas as moléculas de H 2 têm maior energia cinética
média.
d) ambas têm a mesma energia cinética média, mas as moléculas de N2 têm maior velocidade
média.
e) ambas têm a mesma energia cinética média, mas as moléculas de H2 têm maior velocidade
média.

85. (Ita 1999) Numa cavidade de 5cm3 feita num bloco de gelo, introduz-se uma esfera
homogênea de cobre de 30g aquecida a 100°C, conforme o esquema a seguir. Sabendo-se que
o calor latente de fusão do gelo é de 80cal/g, que o calor específico do cobre é de 0,096cal/g °C
e que a massa específica do gelo é de 0,92g/cm3 O volume total da cavidade é igual a:

a) 8,9 cm3.
b) 3,9 cm3.
c) 39,0 cm3.
d) 8,5 cm3.
e) 7,4 cm3.

86. (Ita 1997) Um mol de gás perfeito está contido em um cilindro de secção S fechado por um
pistão móvel, ligado a uma mola de constante elástica k. Inicialmente, o gás está na pressão
atmosférica P0 e temperatura T0, e o comprimento do trecho do cilindro ocupado pelo gás é L0,
com a mola não estando deformada. O sistema gás-mola é aquecido e o pistão se desloca de
uma distância x. Denotando a constante de gás por R, a nova temperatura do gás é:

Página 28 de 36
Interbits – SuperPro ® Web

x
a) T0 + (P0S + k L0)
R

L0
b) T0 + (P0S + k x)
R

x
c) T0 + (P0S + k x)
R
x
d) T0 + k (L0 + x)
R

x
e) T0 + (P0S + k L0 + k x)
R

87. (Ita 1997) Um certo volume de mercúrio, cujo coeficiente de dilatação volumétrico é ãm, é
introduzido num vaso de volume V0, feito de vidro de coeficiente de dilatação volumétrico ãv. O
vaso com mercúrio, inicialmente a 0°C, é aquecido a uma temperatura T (em °C). O volume da
parte vazia do vaso à temperatura T é igual ao volume da parte vazia do mesmo a 0 °C. O
volume de mercúrio introduzido no vaso a 0°C é:
a) (ãv/ãm) V0
b) (ãm/ãv) V0
c) ãm/ãv (273)/(T + 273) V0
d) [1 - (ãv/ãm)] V0
e) [1 - (ãm/ãv)] V0

88. (Ita 1997) Um vaporizador contínuo possui um bico pelo qual entra água a 20 °C, de tal
maneira que o nível de água no vaporizador permanece constante. O vaporizador utiliza 800W
de potência, consumida no aquecimento da água até 100 °C e na sua vaporização a 100°C. A
vazão de água pelo bico é:
Dados:
massa específica da água = 1,0 g/cm3
calor específico da água = 4,18 kJ/rg.K
calor latente de evaporação da água = 2,26×103kJ/rg
a) 0,31 ml/s
b) 0,35 ml/s
c) 2,4 ml/s
d) 3,1 ml/s
e) 3,5 ml/s

89. (Ita 1996) Uma roda d'água converte em eletricidade, com uma eficiência de 30%, a
energia de 200 litros de água por segundo caindo de uma altura de 5,0 metros. A eletricidade
gerada é utilizada para esquentar 50 litros de água de 15 °C a 65 °C. O tempo aproximado que
leva a água para esquentar até a temperatura desejada é:
a) 15 minutos
b) meia hora
c) uma hora
d) uma hora e meia
e) duas horas

90. (Ime 1996) Um balão esférico de raio 3 metros deve ser inflado com um gás ideal
proveniente de um cilindro. Admitindo que o processo ocorra isotermicamente, que o balão
esteja inicialmente vazio e que a pressão final do conjunto cilindro-balão seja a atmosférica,
determine:
a) o trabalho realizado contra a atmosfera durante o processo;

Página 29 de 36
Interbits – SuperPro ® Web

b) o volume do cilindro.
Dados:
Pressão atmosférica: 1 kgf/cm2
Pressão inicial do cilindro: 125 kgf/cm2
ð = 3,1

91. (Ime 1996) Um corpo recebe 40 Joules de calor de um outro corpo e rejeita 10 Joules para
um ambiente. Simultaneamente, o corpo realiza um trabalho de 200 Joules. Estabeleça,
baseado na primeira lei da termodinâmica, o que acontece com a temperatura do corpo em
estudo.

92. (Ita 1996) Uma lâmpada elétrica de filamento contém certa quantidade de um gás inerte.
Quando a lâmpada está funcionando, o gás apresenta uma temperatura aproximada de 125 °C
e a sua pressão é igual à pressão atmosférica.

I. Supondo que o volume da lâmpada não varie de forma apreciável, a pressão do gás à
temperatura ambiente, de 25 °C, é de aproximadamente 3/4 da pressão atmosférica.
II. A presença do gás inerte (no lugar de um "vácuo") ajuda a reduzir o esforço a que o
invólucro da lâmpada é submetido devido à pressão atmosférica.
III. O gás dentro da lâmpada aumenta o seu brilho pois também fica incandescente.

Das afirmativas anteriores:


a) todas estão corretas.
b) só a I está errada.
c) só a II está errada.
d) só a III está errada.
e) todas estão erradas.

93. (Ita 1996) Num dia de calor, em que a temperatura ambiente era de 30 °C, João pegou um
copo com volume de 200 cm3 de refrigerante à temperatura ambiente e mergulhou nele dois
cubos de gelo de massa 15 g cada um. Se o gelo estava à temperatura de - 4 °C e derreteu-se
por completo e supondo que o refrigerante tem o mesmo calor específico que a água, a
temperatura final da bebida de João ficou sendo aproximadamente de:
a) 16 °C
b) 25 °C
c) 0 °C
d) 12 °C
e) 20 °C

94. (Ita 1996) Considere as seguintes afirmativas:

I. Um copo de água gelada apresenta gotículas de água em sua volta porque a temperatura da
parede do copo é menor que a temperatura de orvalho do ar ambiente.
II. A névoa (chamada por alguns de "vapor") que sai do bico de uma chaleira com água quente
é tanto mais perceptível quanto menor for a temperatura ambiente.
III. Ao se fechar um "freezer", se sua vedação fosse perfeita, não permitindo a entrada e a
saída de ar de seu interior, a pressão interna ficaria inferior à pressão do ar ambiente.
a) todas são corretas.
b) somente I e II são corretas.
c) somente II e III são corretas.
d) somente I e III são corretas.
e) nenhuma delas é correta.

95. (Ita 1995) O verão de 1994 foi particularmente quente nos Estados Unidos da América. A
diferença entre a máxima temperatura do verão e a mínima no inverno anterior foi de 60 °C.

Página 30 de 36
Interbits – SuperPro ® Web

Qual o valor dessa diferença na escala Fahrenheit?


a) 108 °F
b) 60 °F
c) 140 °F
d) 33 °F
e) 92 °F

96. (Ita 1995) A figura adiante mostra um tubo cilíndrico com secção transversal constante de
área
S = 1,0 × 10-2 m2 aberto nas duas extremidades para a atmosfera cuja pressão é P A = 1,0 × 105
Pa. Uma certa quantidade de gás ideal está aprisionada entre dois pistões A e B que se movem
sem atrito. A massa do pistão A é desprezível e a do pistão B é M. O pistão B está apoiado
numa mola de constante k = 2,5 ×103 N/m e a aceleração da gravidade é g = 10 m/s2.
Inicialmente, a distância de equilíbrio entre os pistões é de 0,50 m. Uma massa de 25 kg é
colocada vagarosamente sobre A, mantendo-se constante a temperatura. O deslocamento do
pistão A para baixo, até a nova posição de equilíbrio será:

a) 0,40 m
b) 0,10 m
c) 0,25 m
d) 0,20 m
e) 0,50 m

97. (Ita 1995) Você é convidado a projetar uma ponte metálica, cujo comprimento será de 2,0
km. Considerando os efeitos de contração e expansão térmica para temperaturas no intervalo
de - 40 °F a 110 °F e que o coeficiente de dilatação linear do metal é de 12 × 10 -6 °C-1, qual a
máxima variação esperada no comprimento da ponte? (O coeficiente de dilatação linear é
constante no intervalo de temperatura considerado).
a) 9,3 m
b) 2,0 m
c) 3,0 m
d) 0,93 m
e) 6,5 m

98. (Ita 1995) Se duas barras, uma de alumínio com comprimento L 1 e coeficiente de dilatação
térmica á1 = 2,30 × 10-5 °C-1 e outra de aço com comprimento L2 > L1 e coeficiente de dilatação
térmica á2 = 1,10 × 10-5 °C-1, apresentam uma diferença em seus comprimentos a 0 °C, de 1000
mm e essa diferença se mantém constante com a variação da temperatura, podemos concluir
que os comprimentos L1 e L2 são a 0 °C:
a) L1 = 91,7 mm; L2 = 1091,7 mm
b) L1 = 67,6 mm; L2 = 1067,6 mm
c) L1 = 917 mm; L2 = 1917 mm

Página 31 de 36
Interbits – SuperPro ® Web

d) L1 = 676 mm; L2 = 1676 mm


e) L1 = 323 mm; L2 = 1323 mm

Página 32 de 36
Interbits – SuperPro ® Web

Resumo das questões selecionadas nesta atividade

Data de elaboração: 17/03/2016 às 11:41


Nome do arquivo: Lista termologia

Legenda:
Q/Prova = número da questão na prova
Q/DB = número da questão no banco de dados do SuperPro®

Q/prova Q/DB Grau/Dif. Matéria Fonte Tipo

1.............149472.....Média.............Física.............Ime/2016..............................Analítica

2.............142903.....Média.............Física.............Epcar (Afa)/2016..................Múltipla escolha

3.............142904.....Média.............Física.............Epcar (Afa)/2016..................Múltipla escolha

4.............142910.....Média.............Física.............Epcar (Afa)/2016..................Múltipla escolha

5.............141282.....Elevada.........Física.............Ime/2015..............................Múltipla escolha

6.............142679.....Baixa.............Física.............Epcar (Afa)/2015..................Múltipla escolha

7.............142677.....Média.............Física.............Epcar (Afa)/2015..................Múltipla escolha

8.............142678.....Média.............Física.............Epcar (Afa)/2015..................Múltipla escolha

9.............141296.....Elevada.........Física.............Ime/2015..............................Analítica

10...........142683.....Média.............Física.............Epcar (Afa)/2015..................Múltipla escolha

11...........137109.....Elevada.........Física.............Ita/2015................................Analítica

12...........137102.....Elevada.........Física.............Ita/2015................................Múltipla escolha

13...........135064.....Média.............Física.............Ime/2014..............................Múltipla escolha

14...........129765.....Média.............Física.............Ita/2014................................Múltipla escolha

15...........141626.....Baixa.............Física.............Esc. Naval/2014...................Múltipla escolha

16...........129770.....Baixa.............Física.............Ita/2014................................Múltipla escolha

17...........129777.....Elevada.........Física.............Ita/2014................................Analítica

18...........141632.....Baixa.............Física.............Esc. Naval/2014...................Múltipla escolha

19...........142520.....Média.............Física.............Epcar (Afa)/2014..................Múltipla escolha

20...........142521.....Média.............Física.............Epcar (Afa)/2014..................Múltipla escolha

21...........142518.....Média.............Física.............Epcar (Afa)/2014..................Múltipla escolha

Página 33 de 36
Interbits – SuperPro ® Web

22...........142519.....Elevada.........Física.............Epcar (Afa)/2014..................Múltipla escolha

23...........124232.....Baixa.............Física.............Ime/2013..............................Múltipla escolha

24...........119960......Baixa.............Física.............Epcar (Afa)/2013..................Múltipla escolha

25...........124242.....Elevada.........Física.............Ime/2013..............................Analítica

26...........123503.....Elevada.........Física.............Ita/2013................................Analítica

27...........124239.....Elevada.........Física.............Ime/2013..............................Analítica

28...........119959......Elevada.........Física.............Epcar (Afa)/2013..................Múltipla escolha

29...........123485.....Média.............Física.............Ita/2013................................Múltipla escolha

30...........133574.....Média.............Física.............Esc. Naval/2013...................Múltipla escolha

31...........133573.....Média.............Física.............Esc. Naval/2013...................Múltipla escolha

32...........123499.....Baixa.............Física.............Ita/2013................................Analítica

33...........133572.....Média.............Física.............Esc. Naval/2013...................Múltipla escolha

34...........123494.....Baixa.............Física.............Ita/2013................................Múltipla escolha

35...........133571.....Média.............Física.............Esc. Naval/2013...................Múltipla escolha

36...........133575.....Baixa.............Física.............Esc. Naval/2013...................Múltipla escolha

37...........119958......Média.............Física.............Epcar (Afa)/2013..................Múltipla escolha

38...........117104......Baixa.............Física.............Epcar (Afa)/2012..................Múltipla escolha

39...........117108......Baixa.............Física.............Epcar (Afa)/2012..................Múltipla escolha

40...........117105......Média.............Física.............Epcar (Afa)/2012..................Múltipla escolha

41...........106482.....Baixa.............Física.............Epcar (Afa)/2011..................Múltipla escolha

42...........101459.....Elevada.........Física.............Ita/2011................................Analítica

43...........101445.....Baixa.............Física.............Ita/2011................................Múltipla escolha

44...........106479.....Baixa.............Física.............Epcar (Afa)/2011..................Múltipla escolha

45...........106481.....Baixa.............Física.............Epcar (Afa)/2011..................Múltipla escolha

46...........90296.......Elevada.........Física.............Ita/2010................................Analítica

47...........106786.....Elevada.........Física.............Ime/2010..............................Analítica

48...........90279.......Elevada.........Física.............Ita/2010................................Múltipla escolha

49...........90271.......Elevada.........Física.............Ita/2010................................Múltipla escolha

Página 34 de 36
Interbits – SuperPro ® Web

50...........106924.....Média.............Física.............Ime/2010..............................Múltipla escolha

51...........106915.....Média.............Física.............Ime/2010..............................Múltipla escolha

52...........84842.......Não definida. .Física.............Ita/2009................................Analítica

53...........78938.......Não definida. .Física.............Ita/2008................................Múltipla escolha

54...........78961.......Não definida. .Física.............Ita/2008................................Analítica

55...........73564.......Não definida. .Física.............Ita/2007................................Múltipla escolha

56...........73563.......Não definida. .Física.............Ita/2007................................Múltipla escolha

57...........73561.......Não definida. .Física.............Ita/2007................................Múltipla escolha

58...........62808.......Não definida. .Física.............Ita/2006................................Múltipla escolha

59...........62804.......Não definida. .Física.............Ita/2006................................Múltipla escolha

60...........62796.......Não definida. .Física.............Ita/2006................................Múltipla escolha

61...........54982.......Não definida. .Física.............Ita/2005................................Analítica

62...........54993.......Não definida. .Física.............Ita/2005................................Analítica

63...........55024.......Não definida. .Física.............Ita/2005................................Analítica

64...........54972.......Não definida. .Física.............Ita/2004................................Analítica

65...........54971.......Não definida. .Física.............Ita/2004................................Múltipla escolha

66...........54991.......Não definida. .Física.............Ita/2004................................Analítica

67...........54990.......Não definida. .Física.............Ita/2004................................Múltipla escolha

68...........55029.......Não definida. .Física.............Ita/2004................................Analítica

69...........43623.......Não definida. .Física.............Ita/2003................................Analítica

70...........43603.......Não definida. .Física.............Ita/2003................................Múltipla escolha

71...........43622.......Não definida. .Física.............Ita/2003................................Analítica

72...........43605.......Não definida. .Física.............Ita/2003................................Múltipla escolha

73...........37874.......Não definida. .Física.............Ita/2002................................Múltipla escolha

74...........37886.......Não definida. .Física.............Ita/2002................................Analítica

75...........37876.......Não definida. .Física.............Ita/2002................................Múltipla escolha

76...........37888.......Não definida. .Física.............Ita/2002................................Analítica

77...........36199.......Média.............Física.............Ita/2001................................Múltipla escolha

78...........36219.......Não definida. .Física.............Ita/2001................................Múltipla escolha

Página 35 de 36
Interbits – SuperPro ® Web

79...........33522.......Não definida. .Física.............Ita/2000................................Múltipla escolha

80...........33472.......Não definida. .Física.............Ita/2000................................Múltipla escolha

81...........33505.......Não definida. .Física.............Ita/2000................................Múltipla escolha

82...........30848.......Não definida. .Física.............Ita/1999................................Múltipla escolha

83...........30839.......Não definida. .Física.............Ita/1999................................Múltipla escolha

84...........30841.......Não definida. .Física.............Ita/1999................................Múltipla escolha

85...........30842.......Não definida. .Física.............Ita/1999................................Múltipla escolha

86...........21548.......Não definida. .Física.............Ita/1997................................Múltipla escolha

87...........21538.......Não definida. .Física.............Ita/1997................................Múltipla escolha

88...........21549.......Não definida. .Física.............Ita/1997................................Múltipla escolha

89...........5074.........Não definida. .Física.............Ita/1996................................Múltipla escolha

90...........5229.........Não definida. .Física.............Ime/1996..............................Analítica

91...........5228.........Não definida. .Física.............Ime/1996..............................Analítica

92...........5065.........Não definida. .Física.............Ita/1996................................Múltipla escolha

93...........5079.........Não definida. .Física.............Ita/1996................................Múltipla escolha

94...........5061.........Não definida. .Física.............Ita/1996................................Múltipla escolha

95...........764...........Média.............Física.............Ita/1995................................Múltipla escolha

96...........767...........Não definida. .Física.............Ita/1995................................Múltipla escolha

97...........765...........Não definida. .Física.............Ita/1995................................Múltipla escolha

98...........775...........Não definida. .Física.............Ita/1995................................Múltipla escolha

Página 36 de 36