Você está na página 1de 15

NOVAS MATRIZES CURRICULARES

INTEGRAL, INTEGRADO E SEMI-INTEGRAL

Profa. Ma. Maria Medeiros


Superintendente Pedagógica de Educação Integral e Profissional
LEI Nº 13.415 DE 16 DE FEVEREIRO DE 2017..

Flexibilização Educação Educação


curricular Integral Profissional

REFORMA DO ENSINO MÉDIO


Aponta o que é
fundamental

Orienta o ensino em
todo o país
Agrupa direitos de
aprendizagem e
desenvolvimento
comuns a todos sem
exceção.
Define componentes
essenciais à
formação do cidadão
brasileiro .

Fonte: http://www.crub.org.br/wp-content/uploads/2017/04/logo-BNCC.png
INTEGRAL
D.O.E – 30/01/2018.
INTEGRADO
D.O.E – 30/01/2018.
SEMI-INTEGRAL
D.O.E – 30/01/2018.
Eletivas como estratégia de flexibilização curricular
➢ Permite a liberdade de escolha do estudante;

➢ Potencializa o aprendizado por meio das interações dialógicas em turmas heterogêneas.

➢ Complementa a formação propedêutica oferecida pelas escolas;

➢ Aprofunda conhecimentos específicos, articulando conteúdos, competências e

habilidades da Base Nacional Comum Curricular;

➢ Possibilita o enriquecimento cultural;

➢ Amplia as possibilidades do trabalho escolar com foco na interdisciplinaridade;

➢ Abre um importante espaço de criação docente.


Orientações para o planejamento das Eletivas:
➢ Com base no Art. 17 da Resolução CNE/CEB nº 4/2010, as eletivas se configuram como um espaço
de flexibilização curricular e prática da interdisciplinaridade, assim deverão ser propostas pelos
docentes considerando os temas de interesse dos estudantes;

➢ No ano de 2018 serão oferecidas apenas para as turmas de 1° anos, tendo início em março;

➢ Serão ofertadas semestralmente e, a priori, em igual quantitativo ao número de turmas dos 1º anos;

➢ Será proporcionado um leque de eletivas com títulos, que sejam atrativos e que estimulem o
interesse para a escolha, sendo sugeridos pelos estudantes e/ou professores;

➢ Cada eletiva deverá ter uma Ementa, contendo os conteúdos, expectativas de aprendizagem e
os componentes curriculares vinculados;

➢ Caberá a equipe gestora em articulação com os docentes reunir os estudantes dos 1º anos e
apresentar a proposta do trabalho com as eletivas;

➢As Ementas das Eletivas deverão ser afixadas em mural/painel de modo que os estudantes tenham
acesso a informação antes do período de inscrição;
➢ O(A) estudante terá que escolher uma Eletiva para ser vivenciada em cada semestre;

➢ Cada Eletiva deve ser constituída por estudantes das diversas turmas de 1º anos para maior
integração/interação entre os jovens;

➢ As aulas deverão ser vivenciadas semanalmente, no mesmo horário para todas as turmas dos 1º
anos e de forma sequenciada;

➢ O DNA das Eletivas é a interdisciplinaridade. Assim, o planejamento deverá mobilizar os professores


dos diferentes componentes curriculares;

➢ As Eletivas devem ter vinculação com a Base Nacional Comum Curricular, podendo ser
estruturadas no formato de oficinas trabalhando com a ludicidade, a inovação, o
empreendedorismo, a dimensão da corporeidade;

➢ Além da sala de aula outros espaços educativos poderão ser utilizados para a vivência das
Eletivas, tais como: quadra, biblioteca, sala de informática, sala de leitura, jardins, área de
convivência, entre outros;

➢ Ao final de cada semestre deverá haver um dia de culminância das Eletivas.


➢ O total de vagas por Eletiva deverá ser distribuído de forma a atender o quantitativo total de
estudantes dos 1º anos;

➢ Deverá ser estabelecido um percentual de vagas em cada Eletiva para cada turma dos 1º anos,
de modo que seja garantida a heterogeneidade.

Sugestões para as inscrições:

1ª - Os estudantes poderão preencher a ficha de inscrição, em sala de aula, indicando 3 opções de


Eletivas por ordem de preferência. A equipe gestora se encarregará de fazer a triagem e
formação das turmas;

2ª - As inscrições poderão ser feitas em pontos previamente divulgados para os estudantes, tais
como: biblioteca, sala de leitura, secretaria, entre outros. Nesse caso, deve-se respeitar a ordem
de chegada e o número de vagas estabelecidas.

No tocante ao processo de inscrição, a unidade escolar tem autonomia para propor novos formatos.
Estudo Dirigido como estímulo ao Protagonismo Juvenil

➢ Incentiva a atividade intelectual do estudante;

➢ Estimula a reflexão;

➢ Favorece o sentido de independência e segurança do estudante;

➢ Estimula a prática do autodidatismo e das didáticas cooperativas;

➢ Corresponsabiliza os estudantes pelo seu processo de aprendizagem;

➢ Promove o desenvolvimento de habilidades socioemocionais (competências gerais da

BNCC).
Projeto de Vida e Empreendedorismo para uma Educação Integral

➢ Aborda conteúdos essenciais para formação integral do estudante;

➢ Aprofunda os conceitos da proposta filosófica de Educação Interdimensional;

➢ Estimula o jovem a refletir sobre suas potencialidades e interesses pessoais;

➢ Amplia o conceito de empreendedorismo, estimulando os estudantes a empreenderem

seus projetos de vida.


Estratégias de implementação das novas matrizes
1ª fase: publicação no D.O.E e Reunião com os Gerentes Regionais de Educação, CGIP e

CGGR.

2ª fase: operacionalização no SIEPE das novas matrizes/ definição por GRE da estratégia de

comunicação às escolas e do processo de implementação in loco.

3ª fase: formação continuada nas 16 GRE entre os meses de fevereiro e abril.


OBRIGADA!

Secretaria Executiva de Educação Profissional - SEEP


Superintendência Pedagógica
2018