Você está na página 1de 36

Limpeza de Cana a Seco e

Aproveitamento da Palha
Agenda

• Características da Cana de Açúcar


• Características da Palha
• Disponibilidade de Palha para a Indústria
• Análise de Excedente Energético
• O sistema Empral de Limpeza a Seco
• O Aproveitamento Energético da Palha
Características da Cana de Açúcar

• Composição de Palha na
Cana de Açúcar

Componentes % na palha Umidade


(%)
Ponteiro 27,5 76,9

Folhas Verdes 36,8 65,7

Folhas Secas 35,2 7,6

Terra 0,5 -

Fonte: ESALQ - USP


Características da Palha

Composição Química da Palha:


Carbono 41,1 %
• Carbonatos, sulfatos e fosfatos de sílica. Hidrogênio 5,2 %
• Porque o teor de cinzas é indesejável Nitrogênio 0,4 %
durante a queima da biomassa?
Oxigênio 38,4 %

– Reduzem o poder calorífico da Enxofre 0,1 %


palha; Cloro 0,2 %
– Promove o desgaste das tubulações Cinzas 14,6 %
das caldeiras;
– Problemas de depósito de cinzas
fundidas no interior da caldeira.

52,0 % das cinzas são


compostos de Sílica
Fonte: Manuel Samaniego - UNICAMP
Disponibilidade de Palha
para a Indústria
• Processamento e Transporte da Palha
– Ensaios CTC & GEF (Global Environment Facility): média de 140 kg de
palha (em base seca) / TC.

• Recomenda-se deixar 50% da palha no campo:


– Fonte de matéria orgânica;
– Conservação da umidade do solo;
– Proliferação de raízes sob a camada da palha;
– Diminuição da compactação do solo.

• Indústria: recebe cerca de 70 kg de palha / TC.


Efeito da Impureza Vegetal na
Carga Transportada
Acréscimo Energético

• Comparativo Bagaço x Palha

Quantidade Média Umidade Média PCI Médio Média de Cinzas


Biomassa (%)
(kg/TC) (kcal/kg) (%)

Bagaço 280 48 – 52 1.725 4,0

Palha 70 10 – 30 2.875 15,0

Fonte: CTC

• Bagaço Equivalente da Palha: 1 ton palha (umidade: 30%) =


1,5 ton bagaço (umidade: 50%)
Características da Matéria-Prima

1º Cenário: Cana Queimada Inteira - Corte Manual


- Fibra = 12,5% - Pol = 15,0%
- ART = 16,3% - AR = 0,5%
- Imp. Veg.: 2,0% - Imp. Min.: 1,0%

2º Cenário: Cana Crua Picada – Corte Mecanizado c/ Ventilação Plena


- Fibra = 14,4% - Pol = 14,6%
- ART = 15,9% - AR = 0,54%
- Imp. Veg.: 5,0% - Imp. Min.: 2,0%

3º Cenário: Cana Crua Picada – Corte Mecanizado c/ Baixa Ventilação


- Fibra = 17,2% - Pol = 14,0%
- ART = 15,2% - AR = 0,47%
- Imp. Veg.: 10,0% - Imp. Min.: 2,0%
Resultados da Avaliação do
Sistema

CANA QUEIMADA INTEIRA CANA CRUA MECANIZADA CANA CRUA MECANIZADA


(CORTE MANUALl) (VENTILAÇÃO PLENA) (BAIXA VENTILAÇÃO)
Fibra = 12,5% Pol = 15% Fibra = 14,4% Pol = 14,6% Fibra = 17,2% Pol = 14,0%
PARÂMETROS
AR = 0,5% ART = 16,3% AR = 0,54% ART = 15,9% AR = 0,47% ART = 15,2%
IV = 2% IM = 1% IV = 5% IM = 0,5% IV = 10% IM = 0,5%
Sem Limp. Com Lav. Limp. Seco Sem Limp. Limp. Seco Sem Limp. Limp. Seco
QUANTIDADE DE CANA EQUIVALENTE (ton) 100,00 100,00 100,00 102,50 102,50 107,50 107,50
BAGAÇO PRODUZIDO (ton) 26,04 26,04 23,60 30,75 24,25 38,52 25,00
BAGAÇO EQUIVALENTE DA PALHA (ton) 0,00 0,00 2,50 0,00 6,80 0,00 14,30
ENERGIA DISPONÍVEL NA BIOMASSA (Mcal) 46.872 46.872 46.980 55.350 55.890 69.336 70.740
ÁLCOOL ANIDRO PRODUZIDO (m³) 9,17 9,04 9,19 9,11 9,23 9,02 9,22
POTÊNCIA DISPONÍVEL PARA VENDA (MW) 7,60 7,40 8,00 9,60 10,30 13,00 15,10
Problemas Causados pelas
Impurezas Minerais na Indústria

• Desgaste das correntes dos


transportadores de cana;
• Desgaste de facas, martelos,
camisas, bagaceiras e pentes da
moenda;
• Redução da vida útil das correntes
dos difusores de cana e também do
índice de percolação;
Problemas Causados pelas
Impurezas Minerais na Indústria

• Problemas de entupimento e
desgastes de equipamentos da
caldeira;
• Desgaste de bombas e tubulações
de caldo;
• Problemas operacionais no setor de
tratamento do caldo e filtração de
lodo.
Problemas Causados pelas
Impurezas Vegetais na Indústria

• Aumento da carga e do consumo


de potência do picador e
desfibrador;
• Redução da capacidade de
moagem e da extração;
• Redução do índice de percolação
nos difusores de cana;
• Possíveis alterações de cor do
açúcar.
Interferência das Impurezas
Vegetais no Preparo de Cana
• Exemplo: potência consumida no preparo de cana para moagem de 500
TCH.
– 12,5 % fibra cana
– 12,5 % pol cana
– 2,0 % pol bagaço
– 50,0 % umidade último terno

Impurezas
Vegetais Fibra COP 8 / COP 5 COP 10
(%) (%) (cv) Acréscimo (%) (cv) Acréscimo (%)

0 12,50 1.700 - 3.125 -


1 13,37 1.820 7,1 3.340 6,9
2 14,25 1.940 14,1 3.560 13,9
3 15,12 2.060 21,2 3.750 20,0
Interferência das Impurezas
Vegetais na Extração do Caldo
• Redução da capacidade de moagem: se densidade cair 10% = perda de
15% na moagem.
• Exemplo: Extração por 4 Ternos de Moenda – 500 TCH
– 12,5 % fibra cana
– 12,5 % pol cana
– 2,0 % pol bagaço
– 50,0 % umidade último terno

Impurezas Fibra Extração Potência Total Consumida


Vegetais
(%) (%) (%) Perda (%) (cv) Acréscimo (%)

0 12,50 95,77 - 3.830 -


1 13,37 95,48 0,30 4.040 5,5
2 14,25 95,18 0,62 4.270 11,5
3 15,12 94,86 0,95 4.480 17,0
O Sistema EMPRAL de Limpeza
a Seco
• Separação das impurezas vegetais e minerais totalmente a seco por
ventilação forçada.

• A eficiência de remoção das impurezas varia em função das condições da


cana entre 40 e 70%.

• O sistema de limpeza é composto por:


– Limpeza da cana a seco – Folha / Palha / Minerais;
– Limpeza da palha e dos minerais;
– Trituração da palha para uso direto nas caldeiras;
– Mistura da palha com bagaço para biomassa;
– Descarte das impurezas minerais para o campo.
Vantagens do Sistema

• Baixo consumo de potência dos equipamentos;


• Utiliza uma pequena área para instalação e
operação;
• Adaptável facilmente à mesas existentes com
inclinação ≥ 40;
• Baixo custo de operação e manutenção.
Potências dos Sistemas

Sistema EMPRAL Local de Instalação Dados Técnicos


2 Ventiladores
Limpeza de Cana Inteira e Mesa Alimentadora de Cana Acionamento (cada
Picada ventilador): 100 cv
4 pólos – 1.750 rpm
1 Ventilador
Limpeza de Cana Picada Transportador de Cana Acionamento: 100 cv
Picada 4 pólos – 1.750 rpm
Motor elétrico
Limpeza de Palha Após o Sistema de Limpeza Acionamento: 75 cv
de Cana 8 pólos – 890 rpm;
Motor elétrico
Trituração de Palha Após a Limpeza da Palha Acionamento: 150 cv
4 pólos – 1.775 rpm;
Produtos do Sistema
Sistema para Limpeza de Cana
Inteira e Picada

“Esse sistema já está com pedido de patente em nome da EMPRAL”


Sistema para Limpeza de Cana
Picada

“Esse sistema já está com pedido de patente em nome da EMPRAL”


Sistema para Limpeza e
Trituração de Palha

“Esse sistema já está com pedido de patente em nome da EMPRAL”


Fluxograma do Sistema para
Limpeza de Cana Inteira e Picada

Descarga de cana Transportador de palha


Picador de palha picada para mistura
picada 18.000 TCD Separador de
com bagaço e queima
palha/terra Separador de Terra e de biomassa
Moega para Carga

Câmara Inercial

Mesa para descarga Transportador de


de cana inteira/picada bagaço para caldeira
12.000 TCD
Fluxograma do Sistema para
Limpeza e Trituração de Palha

Câmara Inercial
Separador de Terra

Picador de Palha
ra
+ Te r
Mesa de cana 45° a l ha
rd eP
o
tad
ns por
Tra

Transportador de
Palha picada para
caldeiras
Sistemas Adquiridos

• Sistema de Limpeza de Cana e Trituração de Palha


– Usina São José da Estivas –SP
– Usina Cevasa–SP
– Usina São Fernando – MS
• Sistema de Limpeza de Cana Inteira e Picada
– ETH - Unidade Santa Luzia – MS
– ETH - Unidade Rio Claro – Caçú – GO
– ETH - Unidade Conquista do Pontal – SP
– Usina Paranapanema II –SP (Sistema de Limpeza de Cana)
– Usina Santa Juliana –MG (Sistema de Limpeza de Cana)
• Sistema de Limpeza de Cana Picada
– Usina Triunfo – AL
– ETH - Unidade Santa Luzia – MS (em fabricação)
– ETH - Unidade Rio Claro – Caçú – GO (em fabricação)
– ETH - Unidade Conquista do Pontal – SP (em fabricação)
Equipamento para Cana Inteira
e Picada
Equipamento para Cana Inteira
e Picada
Equipamento para Cana Inteira
e Picada
Equipamento para Cana Picada
Equipamento para Cana Picada
Equipamento para Limpeza da
Palha (Separação Mineral / Vegetal)
Equipamento para Trituração
da Palha Limpa
Equipamento para Limpeza e
Trituração de Palha
Aproveitamento Energético
da Palha
Ganhos Potenciais com o Sistema de
Limpeza a Seco

• Utilização da Palha como combustível adicionada ao


bagaço para a geração de energia elétrica;
• Redução de Perdas Médias de Toletes;
• Economia de diesel das colheitadeiras;
• Redução de custo de manutenção;
• Aumento da eficiência de recuperação de açúcar;
• Aumento da capacidade de moagem;
• Aumento do potencial de geração de energia elétrica;
• Aumento do custo de transporte.
Acréscimo Energético

(-) Energia Consumida


1 tonelada de cana (-) Manutenção
16 kWh energia

Premissa 1: cada 1 ton de cana traz para a Premissa 6: a) Energia consumida pelo sistema:
Premissa 5: Cada 3,7 Kg de vapor utilizados na
indústria 70 Kg de palhiço com umidade 5 kWh/ t (palha); b) Custo manutenção do
maquina de condensação gerem 1 kWh
média de 30% Sistema: R$ 1,00/ t (palha)
de Energia (by TGM).

70 Kg de palhiço R$ 2,3 / TC 60 Kg de vapor

Premissa 4: 1 Kg de bagaço gere 2,15 Kg de


Premissa 7: 1 MWh = R$ 145 (Média últimos
Vapor (Pressão de 67 Kg/cm² e
leilões)
Temperatura de 515°C).

28 Kg bagaço
Sistema de Limpeza 28 Kg de palhiço
equivalente

Premissa 2: considerando que o sistema de Premissa 3: 1 Kg de palha (umidade média


limpeza opere com uma eficiência 50%) possua um PCI igual ao do bagaço
mínima de 40% (umidade média 50%)
Muito Obrigado!

EMPRAL JABOTICABAL Desenvolvimento de Equipamentos Ltda.


Fone: (16) 3209-1999 – E-mail: empral@empral.com.br
João Luis Kasputes (16) 9993-8380