Você está na página 1de 92

Análise de

Investimentos
Ficha Técnica
MINISTÉRIO DE TRABALHO Coordenação do Projeto Qualifica Brasil Gerente do Núcleo de Produção de Materiais
Thérèse Hofmann Gatti Rodrigues da Costa (Coordenadora Geral) Rute Nogueira de Morais Bicalho
Ministro do Trabalho Wilsa Maria Ramos
Ronaldo Nogueira Valdir Adilson Steinke Autor
Luis Fernando Ramos Molinaro César Augusto Tibúrcio Silva
Secretário de Políticas Públicas de Emprego Humberto Abdalla Júnior
Leonardo José Arantes Rafael Timóteo de Sousa Jr Equipe de Designer Instrucional
Rute Nogueira de Morais Bicalho
Diretor do Departamento de Políticas de Empregabilidade Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia – Janaína Angelina Teixeira
Higino Brito Vieira IBICT Márlon Cavalcanti Lima
Cecília Leite - Diretora Simone Escalante Bordallo
Chefe da Assessoria de Comunicação Social (ASCOM) Tiago Emmanuel Nunes Braga Virgínia Maria Soares de Almeida
Angelo Marcio Fernandes de Sousa Filho Marcus Vinicius Carneiro Magalhães
Realização
UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA Instituto de Artes (IDA-UnB), Instituto de Psicologia (IP-UnB), Revisor ortográfico
Instituto de Letras (LET-UnB), Departamento de Engenharia Samantha Resende Nascimento
Reitora Elétrica (ENE – UnB), Departamento de Geografia (GEA – UnB),
Márcia Abrahão Moura Faculdade de Ciência da Informação (FCI-UnB). Ilustrador
Ana Maria Silva Sena Pereira
Vice-reitor Apoio
Enrique Huelva Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (SETEC-MEC) Desenvolvedor de Vídeos Animados
Paulo Fernando Santos Nisio
Decana de Pesquisa e Inovação Gestão de Negócios e Tecnologia da Informação
Maria Emília Machado Telles Walter Loureine Rapôso Oliveira Garcez Desenvolvedor de Ambiente Virtual de Aprendizagem
Wellington Lima de Jesus Filho Osvaldo Corrêa
Decana de Extensão
Olgamir Amancia Coordenação da Unidade de Pedagogia Projeto Gráfico
Danielle Xabregas Pamplona Nogueira Márlon Cavalcanti Lima
Lívia Veleda Sousa e Melo

Este material foi produzido por conteudista(s) da Universidade de Brasília (UnB) exclusivamente para a Escola do Trabalhador.
Licença de uso e compartilhamento Creative Commons Atribuição-Não Comercial – Sem Derivações 4.0 Internacional.
http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
O que você vai estudar
Tema 1 Tema 2

O valor do dinheiro Técnicas de


no tempo investimento

Tema 3 Tema 4

Fluxo de caixa Taxa de Desconto


Apresentação

Você sabia que dentro de uma empresa, as decisões


financeiras de longo prazo são estratégicas?
As decisões que envolvem um grande volume de dinheiro são
fundamentais para o futuro da empresa.

Entender como ocorre a avaliação de investimento pode ser


muito útil para as pessoas que desejam abrir seu próprio negócio.
Ao final dos estudos você terá condições de entender como as
decisões de investimento devem ser feitas.
Você também irá perceber que há muito conhecimento que pode
ser útil para sua vida pessoal, nas suas decisões financeiras.

Vamos começar?
Tema 1 O Valor do Dinheiro no Tempo
Balanço Patrimonial

O valor do dinheiro no tempo é um conceito fundamental em


A taxa finanças e na análise de projeto de investimento. O conceito assegura
de juros que uma unidade monetária hoje é diferente de uma unidade
monetária em um ano.
representa
o valor do Esta diferença temporal está expressa na taxa de juros. A taxa de juros
representa o valor do dinheiro no tempo. Através da taxa de juros
dinheiro podemos determinar o valor futuro, tendo sido dado um valor no
no tempo. presente.

Dica: Nós iremos tratar aqui somente dos juros compostos, que é o
conceito relevante para fins de decisão financeira.
As questões norteadoras do curso são:
• Como tomar uma decisão financeira de longo prazo?
• Quais as principais técnicas para tomar uma decisão de
investimento?
• O que deve ser considerado em um fluxo de caixa projetado?
• Como mensurar o custo de oportunidade do capital?

Não se esqueça de usar a planilha disponibilizada para


download para praticar e fazer os exercícios. Há duas
versões: uma para Excel e outra para LibreOffice.

Observe que os comandos do LibraOffice apresentados durante


o curso correspondem a versão em língua inglesa. Caso sua
versão seja em língua portuguesa, haverá uma equivalência
entre os comandos apresentados para o Excel.
Valor Futuro
Balanço Patrimonial

No cálculo do valor futuro desejamos saber qual o valor


futuro de uma quantia que conhecemos hoje. Veja a ?

figura ao lado:
100

Valor Presente R$ 100,00

Período de Tempo 1 ano

Valor do Dinheiro
10% ao ano ou 0,1
no Tempo

0 1
Lembrando que usamos na fórmula “0,1” que
Valor Futuro corresponde a 10 por cento ou 10 sobre 100.

Na sua vida pessoal este conceito pode ser muito útil. EXERCÍCIOS
Encontre o valor futuro para as seguintes
Se você deseja comprar um produto no final do ano,
situações:
depositar este dinheiro hoje pode ser uma estratégia a) VP = 350,00; i = 5% ao ano; n = 4 anos
interessante. Sabendo a taxa de juros da aplicação, b) VP = 100,00; i = 15% ao ano; n = 1 ano
poderá descobrir quanto terá no futuro. c) VP = 800,00; i = 12% ao ano; n = 15 anos
d) VP = 100,00; i = 10% ao ano; n = 10 anos
e) VP = 380,00; i = 8% ao ano; n = 5 anos

No LibraOffice
Fórmula =FV(taxa; período; 0; valor presente) Respostas: 425,43; 402,50; 1915,75; 907,81; 514,26
VF = VP (1+i) n =FV(10%;1;0;100;0)
DICA: Veja os resultados da letra “b” e “d” e
compare com o exemplo. Quanto maior o
No Excel
Exemplo: =VF(taxa; período; 0; valor presente) prazo, maior o valor futuro e também quanto
1
VF = 100 x (1 + 0,1) = 110,00 =VF(10%;1;0;110) maior a taxa, maior o valor futuro.
Valor Presente

Aqui temos o oposto: queremos saber quanto vale hoje 110

um valor futuro.
?

Valor Presente $ 110,00

Período de Tempo 1 ano

Valor do Dinheiro
10% ao ano ou 0,1
no Tempo
0 1
EXERCÍCIOS

Valor Presente Determine o valor presente


a) VF = 110,00; i = 20% ao ano; n = 1 ano
b) VF = 3.000; i = 10% ao ano; n = 15 anos
c) VF = 110; i = 10% ao ano; n = 5 anos
d) VF = 1.900; i = 5% ao ano; n = 3 anos
e) VF = 900; i = 1% ao mês; n = 8 meses
No LibraOffice
Fórmula =PV(taxa; período; 0; valor presente)
VP = VF / (1+i) n Resposta: 91,67; 718,18; 68,30; 1641,29; 831,13
=PV(10%;1;0;100;0)

Observe que no último exercício temos uma


No Excel taxa mensal e um número de período em
Exemplo: =VP(taxa; período; 0; valor presente)
1
meses. Isto não é problema; o importante é
VP = 110 / (1 + 0,1) = 100,00 =VP(10%;1;0;110)
que a taxa esteja na mesma unidade que
o tempo.
DICA: Veja e compare os
resultados dos exercícios “a” e
“c” com o exemplo. No primeiro
caso, aumentamos a taxa de
juros; no segundo, aumentamos
o ano. Quando desejamos saber
o valor presente, quanto maior a
taxa de juros, menor o valor
presente; quanto maior o período
de tempo, menor o valor
presente. É o inverso do que
encontramos no valor presente.
Anuidade Balanço Patrimonial

A anuidade refere-se a fluxos de caixa periódicos e iguais ao longo do


Anuidade
tempo. É um pagamento periódico. Um exemplo é a prestação de uma
refere-se a compra de um eletrodoméstico. Veja o exemplo da figura a seguir:

pagamentos temos cinco parcelas iguais de $100.

periódicos ?
que podem
ocorrer a cada
mês, 100 100 100 100 100
trimestre,
semestre,
ano…
0 1 2 3 4 5
Tema 1 Anuidade

Quanto vale hoje uma anuidade de $100?

Valor das Anuidades $ 100,00

Número de anuidades 5 períodos

Valor do Dinheiro no Tempo 10% ao ano ou 0,1


Anuidade
Quanto vale hoje uma anuidade de $100?

EXERCÍCIOS
Determine o valor presente das seguintes situações:
Fórmula a) Anuidade = 300,00; i = 6% ao ano; n = 7 anos
No LibraOffice
VP = [VF / (1+i) 1]+[VF / =PV(taxa; 0; períodos; valores) b) Anuidade = 250,00; i = 1% ao mês; n = 6 meses
(1+i) 2]+...+[VF / (1+i) n] =PV(10%;0;5;100;0) c) Anuidade = 170,00; i = 3% ao mês; n = 12 meses
d) Anuidade = 100,00; i = 12% ao ano; n = 3 anos
e) Anuidade = 700,00; i = 2% ao mês; n = 24 meses
Exemplo:
VP = [100 / (1 + 0,1) 1 ]+[100 / Resposta: 1674,71; 1448,87; 1692,18; 240,18; 13239,75
2
No Excel
(1 + 0,1) ]+...+[100 / (1 + =VP(taxa; 0; períodos; valores)
0,1) 5]= 379,08 =VP(10%;0;5;100)
Anuidade Balanço Patrimonial
?

A anuidade também pode ser usada para


descobrir o valor futuro. Uma situação ocorre 100 100 100 100 100

quando fazemos depósitos mensais em uma


caderneta de poupança e queremos saber
quanto teremos ao final de 5 anos.

0 1 2 3 4 5
Anuidade

Quanto terei ao final de cinco períodos, se economizar


$100 por período?

Valor das Anuidades $ 100,00

Número de anuidades 5 períodos

Valor do Dinheiro no Tempo 10% ao ano ou 0,1


Anuidade

Quanto terei ao final de cinco períodos, se economizar $100 por período?

Fórmula
1
No LibraOffice
VF = VP x (1+i) + VP x =FV(taxa; 0; períodos; valores)
(1+i) 2]+...+ VP x (1+i) n =FV(10%;0;5;100;0)

Exemplo:
VF = 100 x (1 + 0,1) 1 + 100 x (1 No Excel
+ 0,1) 2+...+ 100 x (1 + 0,1) 5= =VF(taxa; 0; períodos; valores)
379,08 =VF(10%;0;5;100)
Anuidade

Na sua vida pessoal este conceito pode ser muito útil. EXERCÍCIOS
Imagine que você esteja fazendo uma economia para Determine o valor futuro das seguintes situações:
seu filho, depositando R$50 por mês numa caderneta
de poupança. Se a taxa de juros for de 0,5% ao mês, a) Anuidade = 300,00; i = 6% ao ano; n = 7 anos
você pode descobrir quanto ele terá quando fizer 21 b) Anuidade = 140,00; i = 1% ao mês; n = 6 meses
anos, por exemplo: c) Anuidade = 600,00; i = 2% ao mês; n = 24 meses
d) Anuidade = 400,00; i = 12% ao ano; n = 21 anos
e) Anuidade = 700,00; i = 3% ao mês; n = 4 meses
Anuidade = R$50;
n = 21 x12 ou 252 meses; Resposta: 2518,15; 861,28; 18.253,12; 2928,54
i = 0,5% ao mês

Agora basta aplicar na planilha


Tema 1 Obtenção da Taxa de Juros
Balanço Patrimonial

Também é possível obter a taxa de juros usada 110

num determinado fluxo. Veja na figura a seguir


uma saída de caixa de $100 (a seta está
voltada para baixo) e, num período seguinte),
uma entrada de caixa de $110.

0 1

100
Obtenção da Taxa de Juros

Neste caso queremos saber o valor da taxa de juros.

Valor Presente $ 100,00

Valor Futuro $ 110,00

Período de tempo 1
Obtenção da Taxa de Juros

No LibraOffice
Fórmula =IRR(VALORES)
n
ATENÇÃO
VF = VP x (1+i) =IRR(-100;110) Ao colocar os
valores na fórmula é
importante que o
No Excel primeiro esteja com
Exemplo: =TIR(VALORES) o sinal negativo.
110 = 100 x (1 + i) 1 =TIR(-100;110)
i = 10%
Obtenção da Taxa de Juros

Também é possível obter uma taxa numa situação de 100 100 100 100 100
anuidade. Veja o exemplo:

Valor Presente R$ 379,00

0 1 2 3 4 5
Anuidades $ 100,00

Número de Anuidades 5

379

Neste caso, a taxa de juros é de 10,01%.


Obtenção da Taxa de Juros

No LibraOffice
Fórmula =IRR(VALORES)
VP = [VF x (1+i) 1]+[VF x =IRR(-379;100;100;100;100;100)
(1+i) 2]+...+[VF x (1+i) n]

Exemplo: No Excel
379 = 100 x (1 + i) 1 + 100 x =TIR(VALORES)
(1+i) 2+...+100 x (1 + i) 5 =TIR(-379;100;100;100;100;100)
i = 10%
Obtenção da Taxa de Juros

Na sua vida pessoal este


conceito pode ser muito útil. EXERCÍCIOS
Você pode descobrir quanto
é a taxa de juros que você Obtenha a taxa:
está pagando em uma compra a) Valor Futuro = 2000,00; Valor Presente = 1500,00
parcelada e comparar se vale b) Cinco Anuidades de 300; Valor Presente = 1.100,00
a pena pagar à vista. c) Dez Anuidades de 450; Valor Presente = 1.800,00
d) Cinco mensalidades de 400; Valor presente =
1.500,00
e) Valor Futuro = 8.000,00; Valor Presente = 6.400,00

Resposta: 33,33; 11,32%; 21,41%; 10,42%; 25%


Perpetuidade Balanço Patrimonial

ANUIDADE VALOR PRESENTE

1 992,06
Perpetuidade refere-se a um fluxo constante,
por um período de tempo tendendo a 10 9573,72
infinito.
50 R$ 41.076,53

Observe o seguinte exemplo: 100 R$ 68.654,82


Uma pessoa estimou entradas de $1.000 ao
200 R$ 99.601,76
mês, com uma taxa de juros de 0,8% ao mês. A
tabela apresenta o valor presente deste fluxo 300 R$ 113.551,45
para diversos números de anuidades
400 R$ 119.839,44

1000 R$ 124.956,71
Perpetuidade Balanço Patrimonial

Veja a representação gráfica da tabela ao lado,


é mais esclarecedora. Ou seja, na medida que
cresce o número do período, o valor presente
tende a R$125 mil. Isto é uma perpetuidade.
Perpetuidade

No LibraOffice
=PV(taxa; Número Grande; Valor)
Fórmula =PV(0,8%;99999;-1000)
VP = A / i

No Excel
=VP(taxa; Número Grande; Valor)
Exemplo: =VP(0,8%;99999;-1000)
VP = 1.000 / 0,008 = 125.000
Perpetuidade
EXERCÍCIOS

a) Suponha que uma pessoa tenha uma


Na sua vida pessoal este conceito pode ser muito útil.
despesa mensal no valor de $150 referente a
Com a perpetuidade você pode fazer os cálculos do
assinatura de TV a cabo. Admita que este gasto
valor presente rapidamente. Além disto, a
seja uma perpetuidade e que a taxa de
perpetuidade mostra como os pequenos gastos,
desconto seja de 1% ao mês.
como da TV a cabo, pode ter um impacto muito
Qual o valor presente?
grande no longo prazo.

b) Admita um contrato de compra da casa


própria, com pagamentos mensais de $800, por
um período de 25 anos. A taxa de juros é de
0,5% ao mês. Qual seria o valor atual da
habitação?

Respostas: 15000; 160.000


Tema 2 Técnicas de investimento
Balanço Patrimonial

Os investimentos podem ser classificados segundo os seguintes parâmetros:

QUAL É A MOTIVAÇÃO?
QUAL A RELAÇÃO ENTRE SI?
Substituição de equipamentos, expansão
Independentes, dependentes ou
para mercados existentes; expansão para
mutuamente excludente. No primeiro
novos mercados ou novos produtos;
caso a decisão está entre “aceitar” ou
projetos obrigatórios por lei. O último tipo
“rejeitar”; no segundo caso, aceitando
é imposto e a análise de investimento
um investimento, automaticamente
será sempre no sentido de reduzir o
aceita o outro; no terceiro,
impacto financeiro. É o caso da obrigação
escolhendo um a empresa irá rejeitar
de instalar um equipamento de segurança
o outro.
ou para cadeirantes.
Técnicas de investimento Balanço Patrimonial

Os investimentos podem ser classificados segundo os seguintes parâmetros:

QUAL O TAMANHO DO PROJETO? QUAL A TIPO DE FLUXO DE CAIXA ?

Geralmente os grandes projetos são Convencional ou não convencional?

decididos na mais alta esfera da empresa; No fluxo convencional, nos primeiros anos

pequenos projetos podem ser decididos temos saídas de caixa maiores que as

pelo escalão médio da empresa. entradas; depois, as entradas ficam

. maiores que as saídas. Já no fluxo não


convencional podem ocorrer diferentes
situações ao longo do tempo. Vamos
detalhar melhor a seguir.
Diferenças entre Fluxo de Caixa
Balanço Patrimonial

Observe, pela figura, que no fluxo


FLUXO
convencional só existiu uma troca de CONVENCIONAL

sinal. Já no fluxo não convencional


podem ocorrer mais de uma troca de
sinal.
FLUXO
NÃO CONVENCIONAL
Técnicas de investimento
EXERCÍCIO
EXERCÍCIO Para os quatro fluxos, classifique-os em convencional
e/ou não convencional:
Indique o tipo de projeto:
a) Abertura de uma filial de uma padaria;
Fluxo A Fluxo B Fluxo C Fluxo D
b) Um escritório de contabilidade resolveu também
c) prestar consultoria em impostos;
d) Substituição dos computadores da empresa, por um
Mês 1 -4.000 -3.000 3.000 -5000

modelo mais recente


Mês 2 -2.000 1000 -3.200 7000
e) Compra de extintores de incêndio, em razão da
norma de segurança do corpo de bombeiros. Mês 3 10.000 8000 2000 -1000

Fluxo
Técnicas de Análise de Investimentos: Projetos
Balanço Patrimonial

Iremos estudar as quatro principais técnicas de análise de


investimento: payback, valor presente líquido, taxa interna de retorno e
índice de lucratividade. Para estudar estas técnicas iremos usar estes
Você saberia
quatro exemplos de projetos: dizer, antes
Projeto A Projeto B Projeto C Projeto D
de estudar
Investimento -100 -100 -100 -100
as técnicas,
qual seria
Ano 1 100 100 70 40
o melhor
Ano 2 - 10 40 80
projeto?
Lembre-se que o valor negativo corresponde aos investimentos e os
positivos as entradas de caixa.
Payback Balanço Patrimonial

DEFINIÇÃO: Tempo necessário para recuperar


o investimento inicial.

DECISÃO: Se o payback for menor que o


tempo fixado como objetivo pela gerência,
aceita o projeto. Ou quanto menor o payback,
melhor.
Payback Balanço Patrimonial

Projeto A Projeto B Projeto C Projeto D


Projeto C = Payback é de um ano e nove meses.
Investimento -100 -100 -100 -100

Ano 1 100 100 70 40


Como foi calculado isto?
Ano 2 - 10 40 80 Observe que em um ano a empresa recuperar $70 dos
$100 investidos. Falta então recuperar $30. Como o
fluxo de caixa do segundo ano é de $40, a empresa
EXEMPLO
consegue recuperar todo o investimento e sobra
Projeto A = neste projeto o retorno ocorre em um ano.
dinheiro. A relação entre $30 e $40 é de 0,75. E 0,75
Ou seja, basta um ano para a empresa recuperar o
significa 9 meses já que 0,75 x 12 meses = 9 meses.
dinheiro investido.
Projeto B = payback também retorna em um ano.
Payback PONTOS NEGATIVOS:
• Não leva em consideração o valor do dinheiro
no tempo. [Iremos detalhar isto mais adiante]
• Não considera os fluxos de caixa após o
CONTINUANDO O EXEMPLO payback. [Veja o exemplo dos projetos A e B.
Pelo payback são iguais. Mas o projeto B é
Projeto D = O payback é de 1 ano e 9 meses. A
melhor]
empresa recupera 40 dos 100 investidos. Falta
• Necessidade de definir um parâmetro para
recuperar 60 e no segundo ano o fluxo é de 80. A aceitar ou rejeitar um investimento.
relação entre 60 e 80 corresponde a 0,75 ou 9 meses. • Não mede o efeito do investimento na riqueza
dos proprietários da empresa.

Pelo Payback os projetos A e B são os melhores.


PONTOS POSITIVOS:
• Fácil de ser calculado
• Pode ser uma medida de risco do investimento.
Quanto maior o payback, maior o risco.
• Pode ser usado em conjunto com as demais
técnicas, funcionando como um critério de
desempate.
• Pode ser útil para investimentos de curto prazo.
Payback

Uma aplicação do EXERCÍCIO


payback: geralmente Determine o payback para cada um dos projetos listados a seguir. Escolha o melhor
queremos saber em projeto usando o critério do payback.
quanto tempo teremos o
Projeto I Projeto II Projeto III Projeto IV
dobro do valor
investimento numa Ano 0 -25.000 -25.000 -25.000 -25.000
aplicação. Existe a regra
Ano 1 25.000 24.000 11.500 16.000
do 70. Se você fez um
investimento que possui Ano 2 5.000 24.000 11.500 11.500
uma taxa de juros de 1% Ano 3 - 24.000 11.500 7.000
ao mês, basta dividir
Ano 4 - 24.000 - -
70 pela taxa de juros. Em
70 meses o valor irá
dobrar. Resposta: 1 ano; 1 ano e 15 dias; 2 anos e 2 meses; 1 ano e 9 meses.
O melhor projeto seria o I.
Valor Presente Líquido (VPL) Balanço Patrimonial

DEFINIÇÃO: Corresponde ao fluxo de caixa Na planilha eletrônica LibraOffice usamos a função NPV:
futuro, trazidos a valor presente, por uma = Investimento + NPV (taxa de desconto; Fluxo de Caixa)

determinada taxa que reflete o custo do capital.


Para o Excel o nome é VPL:
= Investimento + VPL( taxa de desconto; Fluxo de Caixa)
DECISÃO: Se o VPL for positivo, aceita o
investimento. Em situações de investimentos Em termos de fórmula temos:
mutuamente excludentes, aceita o de maior VPL = FC0 + [FC1 / (1+i)1 ] + [FC2 / (1+i)2 ] + … + [FCn / (1+i)n ]
VPL.
Valor Presente Líquido (VPL) Balanço Patrimonial

ATENÇÃO
Para os fluxos apresentados no exemplo e usando uma taxa de 5%: Lembre-se ao digitar a fórmula
na planilha de não incluir na
função NPV (no LibraOffice ou
Projeto A Projeto B Projeto C Projeto D VPL no Excel) o valor do
investimento.
Investimento -100 -100 -100 -100

Ano 1 100 100 70 40


EXEMPLO
Ano 2 - 10 40 80 Libra Office
=NPV(5%;40;80)-100 e não
=NPV(5%;-100;40;80)

Projeto A = - 4,76 O projeto A seria rejeitado já que o VPL é Excel


negativo. Os demais seriam aprovados. Em =VPL(5%;40;80)-100 e não
Projeto B = 4,31
situações de projetos mutuamente excludentes, =VPL(5%;-100;40;80)
Projeto C = 2,95
onde só posso escolher um, o melhor projeto
Projeto D = 10,66 seria o D, que possui maior VPL.
Valor Presente Líquido (VPL)

PONTOS NEGATIVOS: PONTOS POSITIVOS:


• A definição da taxa de desconto • É o único critério vinculado com a agregação de
pode ser difícil e modificar a decisão valor para a empresa e o acionista. Assim,
• O resultado está expresso em valores aceitar o projeto de maior VPL significa
monetários, o que dificulta a compreensão maximizar valor.
• Projetos com vida útil diferente pode ter uma • Respeita o princípio da Aditividade.
decisão errônea • É o único aceito na teoria.
• Leva em consideração o tamanho do projeto.
• Assume que os fluxos intermediários são
reinvestidos na mesma taxa do custo.

Nós iremos detalhar mais os quatro últimos


aspectos listados no próximo método.
EXERCÍCIOS
Considere os fluxos dos quatro projetos apresentados anteriormente (e reproduzidos a
seguir). Determine o VPL para cada projeto. Escolha o melhor projeto. Use como taxa de
desconto 10%.

Projeto I Projeto II Projeto III Projeto IV

Ano 0 -25.000 -25.000 -25.000 -25.000

Ano 1 25.000 24.000 11.500 16.000

Ano 2 5.000 24.000 11.500 11.500

Ano 3 - 24.000 11.500 7.000

Ano 4 - 24.000 - -

Resposta: 1.859,50; 51.076,77; 3598,80; 4308,79. O melhor projeto é o II.


Valor Presente Líquido (VPL)

EXERCÍCIOS
Vamos voltar ao exemplo que apresentamos
anteriormente, do Projeto III. O investimento no
ano zero seria de 25.000 e nos três anos
seguintes teria um fluxo de caixa positivo de
11.500. No exemplo consideramos uma taxa de
desconto de 10%. Verifique o que ocorre com o
projeto caso a taxa de desconto seja de 0%, 5%,
15% e 20%.

Resposta: Este exercício é importante pois


mostra o efeito da taxa de desconto no valor de
um investimento. Quando aumentar a taxa, o
valor cai. Veja no gráfico a seguir o resultado:
DICA
Existe uma função que permite associar a data ao
fluxo de caixa. Esta função é muito útil quando o
fluxo de caixa não ocorre em intervalos regulares
ao longo do tempo.

VEJA O SEGUINTE FLUXO DE CAIXA:


1/jan/2016 = - 400; 31/maio/2017 = 300;
15/out/2018 = 300.

NO LIBRAOFFICE: NESTE CASO USE A FUNÇÃO XNPV:

= XNPV (taxa de desconto; fluxo de caixa; datas)

NO EXCEL: NESTE CASO USE A FUNÇÃO XVPL:


= XVPL (taxa de desconto; fluxo de caixa; datas)
Taxa Interna de Retorno (TIR) Balanço Patrimonial

Definição: Representa a taxa de desconto que


iguala os recebimentos e os pagamentos.
Decisão: Se a TIR for maior que o parâmetro
estabelecido, aceita o projeto. Entre dois projetos
mutuamente excludentes, escolhe aquele com
maior TIR.
Taxa Interna de Retorno (TIR) Balanço Patrimonial

Como calcular a taxa interno de Retorno (TIR)

No LibraOffice usamos a função IRR:


= IRR (fluxo)

No Excel a função chama-se TIR:


= TIR (fluxo)

Em termos de fórmula temos:


0 = FC0 + [FC1 / (1+TIR)1 ] + [FC2 / (1+TIR)2 ] + … + [FCn / (1+TIR)n ]
Taxa Interna de Retorno (TIR) Balanço Patrimonial

EXEMPLO

Projeto A Projeto B Projeto C Projeto D ATENÇÃO


Investimento -100 -100 -100 -100

Ano 1 100 100 70 40 A Taxa Interna de Retorno


Ano 2 - 10 40 80 é um caso do Valor
Presente Líquido => onde a
taxa de desconto é igual a
Taxa Interna de Retorno (TIR) zero. Já estudamos isto
Projeto A = 0% antes !
Projeto B = 9,16% Clique aqui para lembrar
Projeto C = 7,28%
Projeto D = 11,65%
Taxa Interna de Retorno (TIR)

EXEMPLO
Voltemos ao gráfico que apresentamos
anteriormente, com diferentes VPLs para
diferentes taxas.

A TIR é o ponto da linha que cruza o eixo zero.


Para valores acima de 18%, o valor presente
líquido é negativo. Abaixo de 18%, o VPL é
positivo. A TIR corresponde a 18%.

:
Taxa Interna de Retorno (TIR)

PONTOS NEGATIVOS: PONTOS POSITIVOS:


• Viola o princípio da Aditividade. • É o método mais usado na prática.
• Não pode ser usada para fluxo não • É fácil entender a TIR.
convencional.
• Suposição da taxa de reinvestimento.
• Não leva em conta o tamanho do projeto.
Taxa Interna de Retorno (TIR)
EXERCÍCIOS
Calcule a TIR para cada projeto. Escolha o melhor. Compare a resposta dada pela TIR
com a resposta do VPL.

Projeto I Projeto II Projeto III Projeto IV

Ano 0 -25.000 -25.000 -25.000 -25.000

Ano 1 25.000 24.000 11.500 16.000

Ano 2 5.000 24.000 11.500 11.500

Ano 3 - 24.000 11.500 7.000

Ano 4 - 24.000 - -

Resposta: 17%; 88%; 18% e 21%. A ordem de escolha seria: II - IV - III e I.


Taxa Interna de Retorno (TIR)

Vamos agora discutir um pouco os problemas da


Taxa Interna de Retorno. Ao fazer isto estaremos
mostrando que o VPL é o melhor método para
decisão.

Viola o princípio da Aditividade

O princípio da Aditividade permite que a análise de


um grande projeto possa ser feito dividindo em
partes. Mais ainda, que o resultado projetado de
um investimento possa ser somado aos negócios já
existentes.
Taxa Interna de Retorno (TIR) e o Princípio da Aditividade
Vamos imaginar que uma empresa tenha uma grande alternativa de investimento, chamada
GRANDE. Este investimento pode ser separado em dois investimentos menores: GRA e NDE. Os
fluxos são os seguintes:

GRA NDE GRANDE

Ano 0 -200.000 -300.000 -500.000

Ano 1 150.000 200.000 350.000

Ano 2 250.000 200.000 450.000

Observe que a coluna do fluxo de caixa do projeto GRANDE é igual a soma dos projetos
separados. A aditividade permite que os projetos sejam analisados em separados. No VPL é
respeitada a aditividade; mas na TIR, não.
Taxa Interna de Retorno (TIR) e o Princípio da Aditividade

GRA NDE GRANDE

VPL a 10% 142.975 47.107 190.082

TIR 55% 22% 36%

Veja que o VPL do projeto GRANDE é a soma do VPL dos projetos individuais:
190.082 = 142.975 + 47.107
Mas na TIR isto não ocorre.
Taxa Interna de Retorno (TIR) e fluxos não convencionais
Não pode ser usada em fluxos não convencionais

Estudamos que o fluxo não convencional é aquele que ocorre mais de uma mudança no
sinal do fluxo de caixa. Suponha o seguinte fluxo de caixa:

Período Fluxo

0 -140.000

1 370.000

2 -240.000

Se você calcular a taxa interna de retorno na planilha, o resultado será de 14,3%. Mas
este resultado é enganoso. Vamos mostrar usando um pouco de cálculo:
Taxa Interna de Retorno (TIR) e fluxos não convencionais

A TIR corresponde a taxa onde o VPL é igual a zero. Ou seja: Ou seja, estamos com uma equação do
segundo grau, um problema da matemática.
-140.000 + [370.000/(1+i)] - [240.000/ (1+i)2] = 0 Temos duas respostas corretas: 14,3% e
50%. Mas qual seria a resposta correta?
Vamos substituir o (1+i) por “x”:
Em resumo, quando o fluxo é não
-140.000 + (370.000 / x ) - (240.000/ x2) = 0 convencional nós podemos encontrar
mais de uma resposta para TIR ou até
Isto é igual a nenhuma resposta. E não saberemos
como agir numa situação como esta. E se
-140.000 x2 + 370.000 x - 240.000 = 0 você colocar os valores numa planilha, o
resultado pode ser uma mensagem de erro.
Tente calcular, por exemplo, o seguinte
fluxo: Ano 0 = -250; Ano 1 = 500; e Ano 2 =
-360.
:
Taxa Interna de Retorno (TIR) e suposição de reinvestimento

Pressuposto básico: Suposição do Reinvestimento

A TIR assume que os fluxos de caixa que estão entrando na empresa


serão reinvestidos na mesma taxa da TIR. Para mostrar isto, vamos
usar o seguinte exemplo:

Fluxo de Caixa

Ano 0 -25.000

Ano 1 11.500

Ano 2 11.500

Ano 3 11.500

Nós já calculamos a TIR deste investimento: 18%.


Taxa Interna de Retorno (TIR) e suposição de reinvestimento

Valor Futuro = 11.500 x 1,18 + 11.500 x 1,182 + 11.500 x 1,183 = 48.477

A rentabilidade anual será:

4 48.477
− 1=0,18 ou 18%.
25.000

Vamos imaginar que a empresa não consiga investir o fluxo a 18% e sim a 12%. Temos então:

Valor Futuro = 11.500 x 1,12 + 11.500 x 1,122 + 11.500 x 1,123 = 43.462

A rentabilidade anual será:

4 43.462
− 1=0,148 ou 14,8%
25.000
Taxa Interna de Retorno (TIR) e suposição de reinvestimento

SIMPLIFICANDO

O investimento possui uma taxa interna de retorno de 18%, mas isto


só seria o retorno se fosse possível conseguir reinvestir em outros
projetos que rendessem 18%. Se a empresa não conseguir isto, o
retorno será menor. (É por isto que existe o termo “interna” em “taxa
interna de retorno”)
Taxa Interna de Retorno (TIR) e o tamanho do projeto

NÃO LEVA EM CONSIDERAÇÃO O TAMANHO DO PROJETO

O que você prefere: ganhar 5% da fortuna do Bill Gates ou 80% do


salário mínimo? A TIR induz as pessoas a pensarem em termos
relativos, mas nem sempre isto significa uma boa decisão. Na
pergunta que fizemos, a resposta pela TIR seria a segunda opção.
Mas a escolha mais sábia seria a primeira alternativa. Vamos mostrar
outro exemplo:
Taxa Interna de Retorno (TIR) e o tamanho do projeto

EXEMPLO

Investimento Gama Investimento Delta O investimento Delta tem maior TIR.


Mas é um investimento pequeno, que
Ano 0 -1.000 -100
irá aumentar a riqueza da empresa em
Ano 1 600 70 $21,50. Já o investimento Gama é
Ano 2 600 70 maior, mas gera um TIR menor.
Só que irá aumentar a riqueza
TIR 13,1% 25,7%
no dobro do valor.
VPL (10%) 41,3 21,5
DICA
Assim como existe uma função que associa a data
a cada fluxo de caixa para calcular o valor presente
líquido, mas planilhas também existe uma função
que você pode fazer isto com a taxa interna de
retorno. Esta função é o XIRR, no LibraOffice, ou
XTIR, no Excel. Seu uso é bastante similar ao
XNPV ou XVPL, que comentamos anteriormente.
Índice de Lucratividade Balanço Patrimonial

Definição: Corresponde a relação entre o valor


presente das entradas do caixa e o investimento.

Decisão: Se o índice for superior a unidade,


aceita o projeto. Caso contrário, rejeita.

Como calcular o Índice de Lucratividade

No LibreOffice usamos a função NPV:


= NPV (taxa;fluxo)/ (-Investimento)
No Excel é a função VPL:
= VPL (taxa;fluxo)/ (-Investimento)

Fórmula
[FC1 / (1+i)1 ] + [FC2 / (1+i)2 ] + … + [FCn / (1+i)n ] / -FC0
Tema 2 Índice de Lucratividade

Usando nosso exemplo, com uma taxa de 5% PONTOS NEGATIVOS


• Dificuldade de estimar
Projeto A Projeto B Projeto C Projeto D
a taxa de desconto.
Investimento -100 -100 -100 -100 • Resultado expresso
em número relativo.
Ano 1 100 100 70 40 • Não satisfaz o princípio da aditividade.
• Não leva em conta o tamanho do
Ano 2 - 10 40 80 projeto.

PONTOS POSITIVO
Índice de Lucratividade ou IL O projeto A seria rejeitado. O melhor • É um número relativo.
Projeto A = 0,952 projeto é o D, seguindo do B e C. • Pode ser usado nas situações onde a
Projeto B = 1,043 empresa não tem capital para fazer
Projeto C = 1,029 todos os projetos.
Projeto D = 1,107
Índice de Lucratividade

EXERCÍCIOS
Determine o IL usando uma taxa de desconto de 10%.

Projeto I Projeto II Projeto III Projeto IV

Ano 0 -25.000 -25.000 -25.000 -25.000

Ano 1 25.000 24.000 11.500 16.000

Ano 2 5.000 24.000 11.500 11.500

Ano 3 - 24.000 11.500 7.000

Ano 4 - 24.000 - -

Resposta: 1,07; 3,04; 1,14 e 1,17.


PROBLEMAS ESPECIAIS

Na primeira parte do curso apresentamos


aspectos conceituais; a seguir, as técnicas de
investimento. Alguns problemas que podem
ocorrer na análise de investimento. Iremos
comentar dois problemas especiais: a situação
de racionamento de recursos e quando os
fluxos possuem vida útil diferente.
Problemas Especiais: Racionamento
Balanço Patrimonial

De uma maneira geral, os projetos de Admita uma taxa de desconto de 13%. Os valores obtidos nas
técnicas de investimento são os seguintes:
investimentos são superiores ao volume
de recursos disponíveis para
Investimento VPL TIR IL
investimento. Uma empresa pode ter
A 652 21,48% 1,130
planos ambiciosos de expansão, mas isto
não garante a decisão, já que depende da B 250 16,65% 1,063

existência de recursos para o C 419 16,60% 1,070


financiamento. D 526 17,73% 1,075
Assim, em racionamento a empresa E 186 16,82% 1,062
deve escolher os investimento que F 56 16,26% 1,056
garantam o maior valor possível.
G 917 18,91% 1,102
Problemas Especiais: Racionamento
Balanço Patrimonial

Suponha que uma


Investimento Ano 0 Ano 1 Ano 2 Ano 3
empresa esteja
estudando oito possíveis A -5.000 3.000 2.500 1.500
investimentos: B -4.000 1.800 1.800 1.800

C -6.000 1.800 2.800 3.800

D -7.000 4.000 2.700 2.700

E -3.000 1.500 1.400 1.100

F -1.000 450 450 440

G -9.000 4.200 4.200 4.200


Problemas Especiais: Racionamento
Balanço Patrimonial

Admita uma taxa de Investimento VPL TIR IL


desconto de 13%. Os A 652 21,48% 1,130
valores obtidos nas
B 250 16,65% 1,063
técnicas de investimento
são os seguintes: C 419 16,60% 1,070

D 526 17,73% 1,075


Admita também que exista
uma limitação de recursos E 186 16,82% 1,062
no valor de R$ 20 mil. F 56 16,26% 1,056
:
G 917 18,91% 1,102
Problemas Especiais: Racionamento Balanço Patrimonial

PRIMEIRA TENTATIVA DE SOLUÇÃO Com a TIR as escolhas seriam A e G, nesta ordem,


Colocar os projetos em ordem, segundo um dos com investimento de R$ 14 mil. O resultado seria o
três critérios, e escolher os melhores. mesmo, mas com a ordem de prioridade invertida.

Começamos com o VPL. Neste caso seriam


escolhidos os projetos G e A, o que significa um
VPL de $ 1.569. A empresa não investe no
próximo melhor projeto, o D, pois isto iria
estourar o orçamento.
Usando o índice de lucratividade a escolha seria a
mesma da TIR:
Problemas Especiais: Racionamento
Balanço Patrimonial

SEGUNDA TENTATIVA DE SOLUÇÃO


A escolha feita anteriormente não é boa, já a empresa
usou R$ 14 mil de um total de R$ 20 mil recursos. Outra
forma é usar a diferença de R$ 6 mil e escolher o projeto
que pode ser executado com esta quantidade de
recursos.

Usando o VPL como critério de decisão. Há uma


disponibilidade de R$ 6 mil para investimento da empresa.
O próximo melhor projeto é do D, mas este projeto Isto também pode ser feito usando como
ultrapassa o orçamento. Então não será escolhido. Aqui a critério a TIR e o IL.
ideia é escolher o próximo, no caso o projeto C. Isto irá
acrescentar um valor para empresa de 419 e o
investimento é de 6 mil, o que está dentro das
possibilidades da empresa.
Problemas Especiais: Racionamento
Balanço Patrimonial

TERCEIRA TENTATIVA DE SOLUÇÃO


Tentativa e erro. Nesta opção é fazer as várias Para o exemplo, calculamos as possibilidades:
possibilidades, usando o VPL como critério. Para
cada conjunto de projetos possíveis, determina o
investimento - desde que não ultrapasse os R$
20 mil de restrição - e o VPL.

(Obviamente não mostramos as combinações cujo


investimento ultrapassa a 20 mil. Também não
calculamos as combinações que são piores pela
lógica. Exemplo: temos ABCEF uma das
alternativas, mas não colocamos ABCE pois será
pior, já que não tem um projeto com VPL positivo.)
Problemas Especiais: Racionamento
Balanço Patrimonial

Geralmente nosso QUARTA TENTATIVA DE SOLUÇÃO


Uma forma de solução mais elegante é através de uma
orçamento é limitado técnica chamada programação inteira. Existem alguns
pelas receitas. Temos programas que fazem este cálculo, mas não iremos
que escolher ou detalhar aqui. Basicamente temos que achar uma
combinação de projetos que otimize o valor presente
priorizar nossos líquido, com a restrição do orçamento de 20 mil. Além
gastos, assim como disto, a decisão de um projeto é fazer ou não fazer - por
ocorre na empresa, que isto o nome de “inteira”.

deve escolher os Atenção: o resultado obtido na terceira e quarta


projetos melhores. solução são os melhores respostas possíveis.
Balanço Patrimonial
Projeto com Vida útil diferente

Este é um cuidado que devemos ter ao usar o valor Usando uma taxa de desconto de 18%
presente líquido. Vamos imaginar que existem dois temos o seguinte VPL:
projetos com os seguintes fluxos:
VPL projeto M = 262
Ano Projeto M Projeto J VPL projeto J = 220

0 -8.000 -8.000
Ou seja, o projeto M é melhor que o projeto
1 3.800 5.250 J. Mas observe que o projeto irá terminar no
2 3.800 5.250 segundo ano e o melhor projeto precisa de
mais um ano.
3 3.800
Balanço Patrimonial
Projeto com Vida útil diferente

Temos aqui três possíveis formas de resolver:

PRIMEIRA SOLUÇÃO
Assumir reinvestimentos dos projetos até que a vida útil
coincida. Vejamos o caso do nosso exemplo:

Ou seja, o projeto J possui maior VPL e seria o escolhido.


A resolução está na planilha do curso.
Balanço Patrimonial
Projeto com Vida útil diferente

SEGUNDA TENTATIVA DE SOLUÇÃO Basta usar esta expressão. E o “n” corresponde a vida útil
Em lugar de fazer o cálculo da primeira tentativa, de cada projeto. Vamos fazer isto para os dois projetos:
podemos usar uma expressão que assume
reinvestimento ao infinito dos projetos.

A fórmula é a seguinte:

O projeto J seria o escolhido


Balanço Patrimonial
Projeto com Vida útil diferente

TERCEIRA TENTATIVA DE SOLUÇÃO


Calcular o Equivalente Anual. Basta digitar no LibreOffice LEMBRE-SE
=PMT (Taxa de Juros; Número de Períodos; Valor Presente Líquido) Aqui você pode
escolher
No exemplo: qualquer uma
PMT (18%; 3; 262) => 120,50 das opções.
PMT (18%; 2; 220) => 140,50

O maior equivalente anual é o projeto J.

No Excel a função chama-se PGTO


Tema 3 Fluxo de Caixa
Balanço Patrimonial

Para aplicar as técnicas que estudamos (Payback, VPL, TIR e IL) nós
O fluxo de caixa precisamos da estimativa dos fluxos de caixa e de uma estimativa do
inclui os custo de oportunidade do capital.
recebimentos,
pagamentos, O que entra nesta estimativa do fluxo de caixa? Isto inclui os

os investimentos recebimentos de clientes, os pagamentos com os fornecedores, os


salários, os investimento iniciais, os valores residuais, os efeitos sobre
iniciais e
outros produtos da empresa etc.
os valores
residuais feitos Não inclui o custo perdido. Ou seja, os gastos passados não afetam a
pela empresa. decisão de investimento hoje. A decisão é sempre sobre os custos e
benefícios futuros, que irão representar entradas e saídas de caixa
futuro.
Fluxo de Caixa
Balanço Patrimonial

EXEMPLO DE CUSTO PERDIDO


Uma empresa comprou, no ano passado, uma máquina com um valor de
R$120 milhões. O fluxo de caixa anual esperado será de 20 milhões,
para os próximos dez anos. A taxa de desconto é de 22%. Se for levar
em consideração o gasto passado, o valor presente líquido calculado é
de 41 milhões, negativo. Mas é um erro incluir o gasto passado. É custo
perdido. O gasto já ocorreu e não irá influenciar a decisão. A decisão
agora é fazer ou não o projeto.
LEMBRE-SE

O conceito de custo perdido é um dos mais difíceis


da área financeira. Geralmente as pessoas tendem
a incluir os gastos passados na análise das
decisões. Não cometa este erro.

Este conceito pode ser muito útil na sua vida


pessoal. Se você comprou uma televisão por 800
reais e deseja vendê-la, o valor de 800 reais não é
importante na fixação do preço da venda. O que
você deve levar em consideração é o mercado de
produtos usados. Os 800 reais é um exemplo de
custo perdido.
Fluxo de Caixa
Balanço Patrimonial

EFEITO SOBRE PRODUTO JÁ EXISTENTE


Caso uma decisão de investimento afete o fluxo de caixa de outro
produto, isto deve ser levado em consideração na estimativa, para fins
de decisão. Considere uma empresa que está pensando em lançar um
produto. Os investimentos seriam de 40 milhões por ano, durante três
anos. Após esta fase, a empresa terá um fluxo de caixa de 36 milhões
nos próximos dez anos:
Fluxo de Caixa
Balanço Patrimonial

EFEITO SOBRE PRODUTO JÁ EXISTENTE


Como o VPL é positivo, a proposta é interessante
pois irá aumentar o valor da empresa em 3,7
milhões. Mas suponha que este novo produto
tenha um efeito negativo sobre a venda de outro
produto da empresa. Este é um fenômeno
conhecido como canibalismo, onde um produto
afeta outro, de forma negativa, da mesma
empresa. Suponha que o efeito seja uma redução
no fluxo de caixa de 2 milhões por ano.
Observe que a proposta não deve ser aceita, pois
possui um valor presente líquido negativo.
Fluxo de Caixa
Balanço Patrimonial

EFEITO POSITIVO SOBRE OUTRO PRODUTO


O inverso da canibalização seria um efeito positivo sobre outro produto.
Anteriormente num exercício apresentamos uma situação de um escritório
de contabilidade que resolveu ter serviço de consultoria na área de
impostos. Este novo investimento pode ajudar a vender o serviço atual da
empresa. Aqui temos uma situação de sinergia. Temos que considerar este
efeito no cálculo do fluxo de caixa.
Fluxo de Caixa
Balanço Patrimonial

INVESTIMENTO INICIAL
Nos gastos com investimento inicial é necessário considerar não
somente a aquisição de máquinas, computadores e terrenos, mas
também o eventual aumento no capital de giro, gastos para colocar os
ativos em condições de uso e eventuais fluxos de caixa com os
equipamentos antigos.
Fluxo de Caixa
Balanço Patrimonial

IMPOSTOS
Certos investimentos podem aumentar ou diminuir os impostos a serem
pagos por uma empresa. Isto deve ser levado em consideração na decisão
financeira, no fluxo de caixa. Vamos voltar ao exemplo que apresentamos
sobre o canibalismo. Após a análise, a empresa desistiu do projeto.
Entretanto, o governo local decidiu conceder um incentivo fiscal para a
empresa: nos primeiros três anos ela paga menos imposto e depois o
imposto é maior. Veja o exemplo ao lado.

Com a postergação do pagamento do imposto, o VPL fica positivo. Observe


que a soma do fluxo é de 220; o que mudou foi a distribuição do fluxo no
tempo. Mas isto foi suficiente para tornar o investimento interessante.
Fluxo de Caixa
Balanço Patrimonial

VALOR RESIDUAL
O valor residual refere-se ao valor de venda das máquinas,
computadores, móveis e outros itens no final da sua vida útil. Inclui os
gastos com remoção com estes itens. Em uma usina nuclear o gasto
com a remoção do material radioativo pode ser muito expressivo e deve
entrar no fluxo de caixa.
Fluxo de Caixa
Balanço Patrimonial

INFLAÇÃO
A inflação deve ser considerada no fluxo de caixa
quando afeta o mesmo. Se uma empresa tem os TAXA NOMINAL = (1 + Taxa Real) x (1 + Inflação) - 1
recebimentos reajustados por um índice específico, isto
deve ser considerado. O mais importante é que se a Suponha uma taxa Selic, nominal, de 8% ao ano. A
projeção for feita considerando a variação nos preços inflação é de 2% ao ano. A taxa real é dada por:
(ou seja, a inflação) a taxa de desconto usada deve
também incluir a inflação. Assim temos a seguinte regra: 8% = (1 + Taxa Real) x (1 + 2%) - 1
se usar fluxo de caixa nominal (com a inflação) deve-se (1 + 8%) = (1 + Taxa Real) x (1 + 2%)
descontar com uma taxa nominal. Se o fluxo de caixa for (1 + Taxa Real) = (1 + 8%) / (1 + 2%)
real, supondo sem o efeito inflacionário, a taxa de Taxa Real = 5,88%
desconto deve ser real. Para os casos reais pode-se
usar a seguinte relação:
Fluxo de Caixa
Balanço Patrimonial

DESPESA FINANCEIRA
A despesa financeira diz respeito aos juros e outras despesas resultantes dos
empréstimos e financiamentos. Os pagamentos para as instituições financeiras e
outros emprestadores pode ou não ser incluídos no fluxo de caixa. Caso estejam
inclusas na estimativa do fluxo de caixa estamos tratando de um fluxo para os
acionistas. Se estes pagamentos não forem considerados, estamos falando do
fluxo de caixa operacional. O importante aqui é a taxa de desconto. No primeiro
caso, é o custo de oportunidade dos acionistas. No segundo caso, é uma média
ponderada do custo de oportunidade dos acionistas e o custo da dívida.

Geralmente aconselha-se usar o fluxo dos acionistas. A chance de errar é menor.


Tema 4 Estimando a taxa de desconto
Balanço Patrimonial

Em poucas palavras, a taxa de desconto deve refletir o custo de

A taxa de oportunidade do capital. E o que seria isto? Ver mais aqui

desconto
Imagine uma encruzilhada onde você tem duas opções de destino. Você
deve refletir deve escolher uma das opções. O custo de oportunidade é aquilo que você
o custo de deixou de fazer, ou seja, o outro caminho que você não escolheu.
oportunidade
do capital. E quando você tiver mais de duas opções?
O custo de oportunidade é a melhor entre as opções que você não
escolheu. Basicamente o que estou abrindo mão para aceitar algo. Você
está terminando este curso, no qual dedicou horas de estudo. O seu custo
de oportunidade foi aquilo que você deixou de fazer: assistir televisão, sair
com os amigos, fazer um curso pago e assim por diante.
LEMBRE-SE

Em muitas situações práticas o custo de


oportunidade é bastante óbvio. Quando você
decide viajar para praia em lugar de ir para Foz do
Iguaçu, o custo de oportunidade da viagem para
praia seria a viagem para ver as Cataratas. Em
outras situações, o custo de oportunidade pode
parecer inexistente, mas sempre vai existir.
Balanço Patrimonial
Estimando a taxa de desconto
Suponha que um empresário tenha recurso investido em títulos
públicos, que devem render, nos próximos meses, uma taxa de 7% ao
OBTER CUSTO DE
ano. Ele resolve usar estes recursos para abrir um comércio. O custo OPORTUNIDADE
de oportunidade dele será a alternativa que ele tinha disponível. Verificar quanto os acionistas de
uma empresa do mesmo setor
estão obtendo de retorno. Se o
Mas atenção! É necessário as alternativas que estão sendo
investimento for mais arriscado,
analisadas tenham o mesmo risco, para que a análise seja mais
seja pelo porte, pelo acesso ao
adequada. No exemplo anterior isto não ocorre, já que o risco de um crédito ou qualquer outra coisa,
comércio é muito maior do que o risco de investir num título público. acrescente um adicional.
Assim, é importante acrescentar um adicional pelo fato do risco ser
diferente. Quanto? Isto depende do comércio: quanto mais arriscada
for o investimento, maior o adicional.
Estimando a taxa de desconto Balanço Patrimonial

EXEMPLO
Uma pessoa decidiu investir num negócio o valor de R$50 mil. Ele está
estimando que irá obter um fluxo de caixa positivo de R$20 mil no
primeiro ano, R$25 mil no segundo ano, R$30 mil no terceiro ano e
assim por diante, até o ano dez. Vamos supor que esta pessoa tinha os
recursos aplicados em títulos públicos a 7% ao ano. Esta não é uma boa
taxa de desconto, já que o risco do investimento é muito maior.

A 7% de taxa de desconto o VPL é de 229 mil. É um bom VPL. Mas a


taxa de desconto é irreal. Vamos admitir que o risco seja alto, a ponto da
taxa de desconto mais adequada seja o dobro, ou 14%. Usando 14% o
VPL será de 144 mil reais. Ainda assim, positivo. E se a taxa for 25% ao
ano? O VPL será de 71 mil. Observe que este cálculos podem ser úteis
na decisão de investir ou não. Mesmo não sendo precisos.
O que você estudou
Tema 1 – O valor do dinheiro no Tema 2 – Técnicas de
tempo investimento

Os parâmetros que devem ser Como analisar uma proposta


considerados nas decisões de submetida por terceiros ou a
investimento possibilidade de ter a sua
a serem tomadas. própria empresa.

Tema 3 – Fluxo de caixa Tema 4 – Taxa de Desconto

Aprendeu a fazer a mensuração


Aprendeu a compor o fluxo de
da taxa de desconto para ser
caixa para fins de investimento.
usada em um projeto de
investimento.
Glossário

Anuidade: série de entrada ou saída de caixa com Payback: técnica de investimento que mede em Taxa de Juros: corresponde ao aluguel do dinheiro.
o mesmo valor. Apesar da denominação, pode ser quanto tempo o investimento será pago Taxa Interna de Retorno: técnica de investimento
com periodicidade mensal, semestral, anual etc Perpetuidade: fluxo de caixa constante por um que corresponde a taxa em que o VPL é igual a
Canibalismo: quando um investimento irá afetar período de tempo tendendo ao infinito zero.
negativamente a rentabilidade de outro Princípio da Aditividade: a possibilidade de analisar Valor Futuro: valor que será recebido em um
Custo Perdido: gasto passado, já realizado. Não um projeto nas suas partes ou somar dois ou mais período de tempo no futuro
deve ser considerado para fins de decisão de projetos independentes. A única técnica de Valor Presente: corresponde ao valor no momento
investimento. investimento que respeita este princípio é o Valor presente
Fluxo convencional: tipo de fluxo de caixa onde Presente líquido Valor Presente Líquido: técnica de investimento
ocorre somente uma mudança de sinal: primeiro Racionamento: situação de uma empresa que que mede o valor atual dos fluxos de caixa futuro
acontece os fluxos de caixa negativo e depois os possui mais projetos de investimento do que usando uma taxa de desconto que reflita o custo de
positivos recursos disponíveis para fazê-los oportunidade do capital. É a melhor técnica de
Fluxo não convencional: tipo de fluxo de caixa Sinergia: quando um investimento irá afetar investimento.
onde existe mais de um troca de sinal. positivamente a outro
Índice de Lucratividade: técnica de investimento Taxa de desconto: valor usado para descontar o
que relaciona as entradas de caixa, a valor fluxo de caixa no VPL e no índice de lucratividade,
presente, com o investimento realizado. além de servir de parâmetro comparativo para TIR.
Corresponde ao custo de oportunidade do capital.