Você está na página 1de 4

NÃO É SÓ UMA SAIA BONITA: Reflexões sobre a importância do figurino

na cena e no Ensino de Teatro.

RIBEIRO, Cícera da Penha Mendes , Universidade Regional do Cariri-Urca,


Ceará , Brasil (cissamendesry@gmail.com )

LOURENÇO, Pertrousson Fideles, Universidade Regional do Cariri-Urca,


Ceará, Brasil,( pertrousson2010@hotmail.com)

RESUMO

O presente trabalho relata sobre o inicio teórico pesquisa pedagógica


teatral desenvolvida no programa institucional de bolsas de iniciação a
docência, PIBID de teatro, projeto desempenhado pela coordenação de
aperfeiçoamento de nível superior (CAPES), implementado no curso superior
de licenciatura plena em teatro na universidade regional do Cariri-Urca, no
Centro de Artes Violeta Arraes de Alencar Gervaiseau localizado em Juazeiro
do Norte, Ceará, Brasil. No ano de 2012 passei a desenvolver uma pesquisa
dentro área da visualidade teatral com os alunos da Escola de Ensino
fundamental e Médio Teodorico Telles, na cidade do Crato Ceará onde atuo
como bolsista. As oficinas eram realizadas semanalmente com doze
adolescentes na faixa etária de doze a dezessete anos. Nas primeiras
semanas de treinamento passamos por procedimentos da pedagogia teatral
para desenvolver nosso trabalho em sala de aula tivemos que escolher entre
três equipes com diferentes temas: visualidades, sonoridades e corpo, sendo
visualidades a equipe escolhida pelos autores desse artigo. Percebendo a
importância de despertar a sensibilização para o Teatro buscamos com uma
nova expectativa atual sobre a educação para desenvolver nos educandos
uma qualidade perceptiva e uma compreensão desse universo visual . Como
recorte da visualidade teatral escolhemos o elemento visual do espetáculo o
figurino , assim fazendo estudos específicos da evolução dessa peça
indumentária e sua construção visual e por mas próxima do cotidiano dos
mesmos , associando as identificações dos educandos com suas formas,
linhas, significados. Inicialmente tivemos que lidar com dificuldades, por se
tratar de uma investigação nova que vai além dos nossos antigos
referenciais teóricos, com essa pesquisa buscamos a conscientização da
importância de conhecer um novo mundo e outras áreas do conhecimento e
por crer que é possível trabalhar no campo de educação mantendo o
diálogo entre todas essas áreas. Tendo como suporte teórico Fayga Ostrower,
Patrice Pavis conceitos de educação de Paulo Freire. Acreditamos então que
todas as formas de Arte e outras áreas de criação humana possuem a mesma
origem e se complementam e com isso queremos trazer uma nova proposta
de visão da nossa realidade. Desta forma tentando despertar nos educandos
uma sensibilidade ao visual possibilitando um acesso ao conhecimento do
figurino usado como elemento cênico, uma maior compreensão das artes e
deles mesmos, seus gostos e sua identidade. Por entendermos que esse
procedimento possa ajudar nos processos de trabalho nas graduações em
teatro grupos de teatrais e nas escolas da região do Cariri onde ainda não
temos Professores de Teatro Formados e posso integra essas experiências
em nos campos educativos e contribui para uma sensibilização maior não
só dos educandos e consequentemente que eles possam repassar esse
conhecimento adquiridos para uma conscientização da sociedade de forma
geral das varias formas de expressões artísticas de um mundo
contemporâneo .

Palavras chaves: Figurino, imagens e pedagogia teatral.

Vivemos um momento de valorização da imagem. Ela é um veículo de


ideias, propagando notícias, promove uma organização de padrões social,
cultural e politico, econômico. Somos a sociedade da imagem e ela não pode
ser desconsiderada na educação. Diariamente somos bombardeados por
imagens: a internet, a, redes sociais, moda, nossas vidas estão impregnadas
de informações visuais instantâneas. Ela permite demostrar com objetividade e
clareza o que queremos ver a partir de nossa leitura visual, que corresponde a
nós mesmos que é uma interpretação que provém de nossa cultura.
Ela facilita a compreensão da realidade e, trabalha com a visualidade no
ensino de teatro e na educação é ampliar nossa leitura de mundo e enriquecer
a nossa percepção visual, Fayga fala que ‘’A percepção mobiliza todo nosso
ser sensível, associativo, inteligente, imaginativo e criativo. Perceber é
sinônimo de compreender.” (OSTROWER, Fayga, 1998 . P 69 ).
No cariri cearense onde o ensino de Visualidade Teatral ainda é escasso
por falta de professores capacitados em relação ao mesmo. Posto isto,
percebendo essa deficiência pretendemos sensibilizar o educando associando
a imagem a outras disciplinas para buscar não só o conhecimento e a prática
na área da visualidade teatral, mas também do mundo contemporâneo.
Dentro dos elementos da cena visual escolhi para esta pesquisa
discorrer sobre o figurino. O figurino teatral durante certo período tinha apenas
o papel de vestir o ator sem se preocupar com verossimilhança com as
circunstancias dadas e propostas pelo texto teatral. Segundo PAVIS (1998) até
a metade século XVIII os atores em cena usavam figurinos extremamente
exagerados com muitos adornos e luxo sem se preocupar com a personagem.
Atualmente o figurino tem a função de colaborar na construção da
personagem informando caracterizando diversos pontos, classe social, espaço,
temperamento transmitindo sentimentos, posição social, épocas e lugares
através de suas formas, cores e texturas. O espectador ao olhar o conjunto,
identifica a situação da cena ou o simbolismo da personagem dentro do
espetáculo junto com os outros elementos cênicos quando este possui uma
leitura visual.
É um elemento que compõe uma nova experiência para a construção da
personagem, e cada signo cada história simbólica que este traz , atua no
ambiente cênico, carregado de uma serie de informações criando uma unidade
estética ou uma incoerência visual cênica. A incoerência visual cênica é
contraditória e, desarmoniosa. Ela provoca um afastamento, ou seja, não há
uma proximidade dos elementos.
O figurino também é uma comunicação visual, ele pode interagir de
diferentes maneiras estéticas na cena, das ilusões a vida simples do cotidiano.
Simultaneamente através destes podemos nos reconhecer, fantasiar ou
apenas distinguir as personagens. Este em cena assim como nossas roupas
cotidianas pode expressar ideias, sentimentos e atmosfera. Ele complementa
as partituras corporais do ator, aumentando os significados contribuindo para
caracterização da personagem. Percebendo a importância cênica e pedagógica
do estudo do figurino, vislumbramos um interesse deste como proposta de
educação da visualidade teatral para as escolas do Cariri Cearense e, para
grupos de Teatro que trabalham coletivamente, onde os elementos visuais são
discutidos por todos .

Contudo percebemos que é interessante que no ensino de visualidade


nas praticas pedagógicas teatrais o educando tenha a percepção ampliada
desse elemento visual. Mas sabemos que a visualidade no ensino de teatro é
falha e que há uma carência bibliográfica de estudos sobre os elementos
visuais do espetáculo. É preciso desenvolver um trabalho que atenda a essa
necessidade de se estudar as imagens e que este desperte a sensibilidade e a
compreensão da mesma, já que esta consegue criar e transformar a identidade
visual do discurso teatral.

Referencias Bibliográficas

PAVIS, Patrice. Dicionário do Teatro. Perspectiva. São Paulo. 1998.

CASTILHO, Káthia. Moda e linguagem. 2ª edição. Rev. São Paulo: Anhembi,


Morumbi, 2009. FERRAZ, Maria Heloísa Corrêa de Toledo. Metodologia do
ensino de arte. São Paulo: Cortez, 1999.

OSTROWER, Fayga. A sensibilidade do intelecto. Rio de Janeiro: Campus,


1998, p. 69.

Interesses relacionados