Você está na página 1de 17

Gramática Kamëzet

Fonologia
Consoantes

Essas são as quinze consoantes presentes em Kamëzet, as únicas restrições quanto a


posícão na sílaba são que h e lh não podem ser finais, caso isso aconteça eles tornam-se r e l
respectivamente. Esse h pode estar basicamente em qualquer lugar até o velar. lh é o único
dígrafo.

Vogais

E essas são as sete vogais, não há restrições de onde elas ocorrem.


Estrutura Silábica
(C)(C)(V)(V)(C)

Pode:
 Encontros consonantais
 Qualquer ditongo
 Coda

Não pode:

 H, lh, n ou m nos encontros consonantais


 R ou l como primeira consoante de um encontro
 Duas plosivas em um encontro
 H ou lh como coda

Quando há coda não é permitido que a próxima sílaba tenha um encontro consonantal.

Tonicidade
As vogais são divididas em vogais tônicas e vogais átonas. As vogais tônicas são a, e, y, i,
e as átonas são ë, u, o.

A sílaba tônica é sempre a penultima, a não ser que:

 A penúltima sílaba tenha uma consoante átona e a antepenúltima uma tônica


 Tanto a penúltima quanto a antepenúltima serem a mesma vogal e ela ser tônica
 Tanto a penúltima quanto a antepenultima serem vogais tônicas e na
antepenúltima sílaba houver coda

Em todas as excessões a antepenúltima sílaba é a que se torna tônica


Morfologia
Formação de palavras
Derivação
Em Kamëzet são usadas muitas formas de afixos nos Processos de Derivação; prefixos,
infixos, sufixos e cincurfixos.

Prefixos Nominais: Agente, profissão: -te

Diminutivo: pik- Referência, relação: -a

Qualidade, Estado: dez- Semelhança: ëd

Superlativo: iz- Circunfixos Nominais:


Comparativo: ez- Estabelecimento Comercial ou
Industrial: kët- -bo
Oposto: de-
Lugar: lo-o
Infixos Nominais:
Naturalidade: da- -en
Ação: -pra-
Possibilidade: y- -a
Abundância: -ry-
Sufixos Verbais:
Falta: -se-
Frequentativos: -kal
Sufixos Nominais:
Diminutivos: -mil
Coleção: -py
Sufixo Adverbial: -pe
Aumentativo: -zu

Composição
Palavras formadas por composição são normalmente justapostas, talvez ocorrendo
alguma assimilação de vogais. Uma das palavras tem que ser um substantivo.

Classes e Flexão
Substantivos
Não há distinção de número nos substantivos. Há três sexos, inanimados são sempre
neutros, e a distinção de masculino e feminino entre animados é baseada no sexo e não há
distinção nos substantivos em si (somente na concordância com o verbo).

Pelo contrário o sistema de casos é relativamente rico, havendo sete casos marcados:

Nominativo: não marcado

O nominativo é o caso do sujeito de verbos.

Acusativo: desinência -u (substitui a vogal normal do substantivo)

O acusativo é o caso do objeto dos verbos.

Genitivo: desinência -y (substitui a vogal normal do substantivo)

É o caso do possessor, aquele que possui permanece no genitivo.

Instrumental: desinência -e (substitui a vogal normal do substantivo)

Caso para meios de fazer algo, esses sendo instrumentos, utensílios, meios de
transporte etc. (Usado também como sujeito quando a ação não é intencional).

Locativo: desinência -ë (substitui a vogal normal do substantivo)

Representa normalmente a preposição em, e os objetos da maioria das outras


preposições.

Abessivo: desinência -jai (substitui a vogal normal do substantivo)

Algo como o sem em sem-terra, é muito comumente adjetivado.

Equativo: desinência -i (substitui a vogal normal do substantivo)

Normalmente cobre o significado de tão/tanto quanto (ex: kali ryidain gebar; ursos são
tão selvagens quanto leões)

Não há várias declinações e todos os substantivos são declinados assim,


surpreendentemente regularmente.

Normalmente quando dois substantivos concordam e estão adjacentes eles são apostos,
ex: Jon gebar, John, o leão.

Adjetivos
Adjetivos sempre terminam em a e sempre vêm antes do substantivo ao qual se referem
e necessariamente concordam em caso com ele, por isso também são declinados em todos os
casos. A declinação é um pouco diferente, embora ainda muito similar:

Nominativo: Não marcado.

Acusativo: -un (não substitui o último a; haun, feliz)

Genitivo: -yn (não substitui o último a)

Locativo: -ën (não substitui o último a)

Instrumental: -en (não substitui o último a)

Abessivo: -ja (substitui o a)

Equativo: -in (não substitui o a)

Tanto diminutivo e aumentativo quando comparativo e comparativo e superlativo não


são necessariamente declinados e mais como uma forma de derivação.

Numerais
Os numerais são em base 12 (ja da më kali ky zem ep ëi hen bez ko den), não são
declinados de qualquer maneira e são contadores universais.

Os números maiores que 12 são formados com um número dizendo a dúzia dela (ja para
números entre 13 e 24, da para 25-36 e assim em diante) jajaja(1º ja é o indicador que é
somente dúzias, o segundo ja diz q é uma dezena e o terceiro ja diz q é mais 1, portanto 13 é 1
dúzia mais 1) para 13, jajada para 14, jajamë para 15 e assim em diante.(jamëkali 40, jaëibez
94 jabezko 131 jakoko 143, etc) 144 é daja, da indicando 12 dúzias (më indicará 144 dúzias, kali
12. 144 dúzias e assim em diante). Dadada seria 290 (duas doze dúzias mais dois).

Pronomes Pessoais
Não existem pronomes pessoais livres em Kamëzet eles são todos clíticos e podem ser
adicionados à verbos, substantivos e preposições.

Os pronomes são divididos em nominativos, acusativos e genitivos, são declinados em


gênero, número e pessoa.
Essa tabela mostra todos os pronomes pessoais, os genitivos ocorrem ligados a
substantivos, por exemplo, kezas significa minha mãe(e diz também q eu sou masculino). São
usados no verbo para tanto como sujeito quanto objeto (ex: tedudzulza, eu te amo) e para
concordância verbal(mais na seção sobre verbos). Como não há conjunção e, para diferenciar
um aposto de uma conjunção entram pronomes clíticos também: Jon gebar, John, o leão e Jon
Trugebar, John e o Leão. Esse clítico sempre concorda com o substantivo em que está, Leão é
neutro, normalmente também ficam em 3ª pessoa. A forma usada com preposições muda de
preposição em preposição (mais na seção sobre preposições).

Outros Pronomes
Ezti e uzti são usados tanto quanto pronomes interrogativos quando indefinidos, ex: kejë
lal ezgi; ninguém está em minha casa, Ezti lhalj, quem é? Uzti lhalj? o que é? (isso/aquilo). Juzti
lhalj, O que são (essas coisas) ou Quem são (essas pessoas).

Também tem função de pronome demonstrativo: uzti lhal ka; isso(ou aquilo) é bom.

Há aqui um mapa dos determinantes:


Exemplos:

SK: Ezti tolui, alguém andou. GEN: Ezti haj lhau da ayltu, Todas as
pessoas tem dois olhos.
SU: Tebati ezti, eu ouvi alguém.
DN: Pus temilhrirzu uzgi, Não vi nada.
QU: Ezti pasij, Quem veio?
FC: Tepalal pasil papoli, Posso ir a
CA: Paso ezti ze zetoze, Se alguém
qualquer lugar.
vier me fale.
UFC: Tepasi papoli, Eu fui para todos
AM: Tesomu ti ezgi trukyz, Acho que
os lugares.
ninguém sabe.
IND: Pus tegerou zetil jag ezja, Não
AA: Tegopi ti pus telhysil uzgi, Eu
quero falar com qualquer um.
tentei não fazer nada.

COM: Tlelhal ezha eztoli haj, Ele é


mais feliz que qualquer um.
Verbos
Todos os verbos O verbo em si, não se flexiona em pessoa ou número, mas os clíticos
que estão nele têm que concordar, uma tradução literal talvez soe meio redundante, inclusive
os clíticos concordam também em gênero, ex: haj trusëzirzu banfezu: a pessoa pegou a pedra (a
tradução mais literal possível seria: a pessoa, ela pegou-a, a pedra). Aliás, aqui está o único jeito
de demonstrar plural nos substantivos, ex: haj jitrusëzirzu banfezu: As pessoas pegaram a pedra,
ou: haj trusëzirju banfezu, A pessoa pegou as pedras, ou ainda: haj jitrusëzirju banfezu as
pessoas pegaram as pedra.

Quando não há nada determinado no contexto, a falta do clítico que mostraria, ou


concordaria com, o sujeito demonstra que o sujeito é desconhecido/indeterminado.

Tempo/Aspecto
O verbo pode estar em seis tempos, dois presentes, dois passados e dois futuros:

 Presente Habitual: Define ações que acontecem comumente, tendendo para


sempre acontecer. Marcado pela desinência a, que substitui o l final do verbo.
 Presente Contínuo/Imperfeito: Ações que estão acontecendo. Marcado pela
desinência u, que substitui o l do verbo.
 Passado: Coisas que já aconteceram. Marcado pela desinência i, que substitui o l
do verbo.
 Futuro: Coisas que ainda não aconteceram. Marcado pela desinência o, que
substitui o l do verbo.
 Passado do Passado: Usado somente em sequências, deve haver outro passado
antes, ela sinaliza que foi ainda antes. Reduplicação das últimas duas letras do
verbo no passado.
 Futuro do Futuro: Usado em sequências de ações onde a primeira é no futuro,
como em orações consecutivas e construções do gênero. Reduplicação das
últimas duas letras do verbo no futuro.

E aqui é uma tabela mostrando os tempos no verbo lhemyl, comer:


O final -yi é simplificado para i, e y torna-se em todos os outros tempos também. Nota
se também na tabela outros modos, o Dedutivo é formado pela infixação de um (V)d antes da
1ª vogal, (V) sendo a vogal do tempo respectivo, mas o modo Dedutivo só tem 3 tempos, um
presente e ambos os passados (no passado do passado -id- é reduplicado).

O Imperativo e o Comissivo são mais difíceis de se formar, elimina se o l e a vogal finais,


e eles são substituídos por d, no imperativo, ou k, no comissivo, caso a sílaba formada seja
ilegal, a 1ª consoante é substituído por um i, e: tadil (deixar) torna-se taid ou taik, e isso
acontece em vários outros verbos.

Evidencialidade
Indicação de evidencialidade nos verbos ocorre por reduplicação, ou triplicação, por
exemplo, trelhemi tem pouca evidencialidade, o falante não viu ele comer, foi contado ao
falante que ele comeu, ou o falante não têm certeza que ele comeu, já em trelhelhemi o falante
viu que ele comeu e tem certeza sobre isso, e em trelhelhelhemi o falante está enfatizando
muito sua crença na veracidade do fato de que ele comeu, mas isso não significa que o falante
viu ele comer, pode também ser usado no dedutivo, indicando o grau de certeza na dedução.

Formas Nominais
Infinitivo: Forma do verbo que aparece no dicionário, funções normais de infinitivo:
lhemyl.

Particípio: Forma usada em orações adjetivas e com outras funções primariamente


adjetivas: lhehimyl.
Supino: Usada na maioria das construções que demonstram alguma finalidade e que
normalmente são formadas com o uso de preposições e infinitivos: lhetomyl, ex: habib lhal
hatobil: livros são para ler ou tepasi lhetomyl: eu vim para comer.

Voz Passiva
A voz passiva também é conjugada no verbo:

Nos presentes, a vogal é a mesma, mas ela é infixada antes da última vogal, em lhemai e
lhemui, no passado e no futuro a vogal muda, de i para y no passado, e de o para ë no futuro.
Isso acontece também no Dedutivo. Há um Comissivo na passiva, mas a forma é a mesma. Em
verbos no qual ocorre uma diminuição da vogal em algum dos presentes, um i é adicionado
após a vogal na voz passiva, ex: tesëa, molho, tesëai, fui molhado.

O verbo ser e o verbo estar são total e completamente irregulares e a tabela a seguir
deve ser memorizada:

O uso das formais mais longas implica em alguma formalidade


Preposições
As preposições governam os substantivos em casos específicos, preposições locativas, e
três exceções:

Locativas  Alhag, algo como perante, ou


defronte.
 Ag, para, ir para Roma, Belel
 Ung, sob, em baixo.
ag Romë.
 Eng, sobre, encima.
 Lheg, antes.
 Mag, trás, atrás.
 Peg, após.
 Zog, até, ir até Roma, Belel Excessões
zog Romë.
 Jag, com, sentido comitativo,
 Kug, através, por, andei pela
rege o nominativo.
rua, Tebelei kug tolë.
 Tag, por, sentido benefactivo,
 Kag, de, vim de Roma, Tepasi
rege o nominativo.
kag Romë.
 Byg, sobre, ex: falo sobre
 Neg, desde, significado
aquilo: Tezetu byg uzti
temporal.
Advérbios
O método regular de derivação de Advérbios é pela adição do sufixo -pe (hape,
felizmente), já citado no começo da morfologia, existem outros advérbios que são irregulares

Quantidade

Mëstun (bastante), Mes (suficiente), Basiklo (quase), lhimyr (demasiadamente) dlimyp


(pouco).

Lugar

Lake (aqui), Laha (ali), Lime (lá), Lome (algum lugar), Lor (adiante), Loge (nenhum lugar),
Laze (outro lugar), Lija (atrás), Lozpa (dentro), Lab (longe), Luke (perto).

Tempo

Pake (agora), Piju (antes), Poba (depois), Piha (enfim), Pyji (enquanto isso), Pagi (nunca),
Papoli (sempre), Pëka (já), Pyka (ainda).

Conjunções
Antes de entrar na sintaxe, farei uma lista de conjunções:
Conjunções  Conjunções Consecutivas: or,
ortas, ërebor
 Conjunções Adversativas: as, yze,  Conjunções Proporcionais: si
osuni
dy(quanto menos) si lhi(quanto
 Conjunções Alternativas: eu, er, mais) si ziko(tanto quanto), são
ënen usadas em compostos com dy e
 Conjunções Explicativas: or, lhi
ortas, ërebor  Conjunções Temporais:
 Conjunções Causais: ky, oke, papa(quando), papë(enquanto),
okemu polë(sempre), pëkë(mal)
 Conjunções Concessivas: em,  Conjunção Substantiva: ti
emor, emora
 Conjunções Condicionais: ze, zei
 Conjunção Conformativa:
gombor

Sintaxe
Não acho aqui necessário ter os básicos da sintaxe, então vou direto para os Períodos
Compostos. A língua é primariamente SVO, mas com a marcação de casos a ordem pode ser
facilmente mudada, adjetivos vem antes dos substantivos a que se referem, os genitivos
também, mas as Orações Adjetivas vêm depois do substantivo.
Períodos Compostos
Assindéticas

Há três tipos de Orações Assindéticas, aquelas com significado Aditivo: lhëmiu kamou,
como e bebo, e as com significado Conclusivo, essas acontecem quando há um verbo no Modo
Dedutivo, Raimundo pus lhal suta pus papadabu, Raimundo não está doente então não está
dormindo (a tradução literal faz quase nenhum sentido). Nesse caso o verbo no dedutivo não
concorda com sujeito algum. As Finais são as que ocorrem com verbos no supino.

Sindéticas
Adversativas: Raimundo pus lal suta az trupapabu, Raimundo não está doente mas está
dormindo.
Explicativas: Sempre há pelo menos um imperativo no período, Paid or tlelal suta, Você
está doente então durma, normalmente ocorre em diálogos.
Causais: Pode haver verbos no dedutivo, nesse caso, ao contrário das Assindéticas
conclusivas, o verbo no dedutivo deve concordar com alguém, já que nesse caso
expressamente indica a dedução de alguém. Com verbos no dedutivo, mostra o que levou até a
dedução, Trelhai lhenjau ky telhelhidemy, Ele tinha fome, então deter comido/acho que comeu.
Concessiva: Raimundo trupapabu em pus lal suta, Raimundo está dormindo, embora
não esteja doente.
Condicionais: Raimundo trupapabuo ze lol suta, Se estiver doente, Raimundo dormirá.
Conformativas: Raimundo trezeti gombor pus trepul trepabui, Segundo Raimundo disse,
ele não dormiu.
Consecutivas: Cadeias de ações consecutivas, principal uso do passado do passado e do
futuro do futuro.
Proporcionais: Gebar guzeu si lhi dy lhemy guzeu, Quanto mais leões há, menos comida
há.
Temporais: Raimundo lhemu papë Ana zetu, Enquanto Raimundo come, Ana fala.

Orações Adjetivas

As orações adjetivas são formadas com particípios, tadudzu esturu behinil gebaru, Amo
o homem que mata leões (Amo o homem leão matante).

Orações Substantivas
São todas formadas com a conjunção ti:

Concordância

1. Adjetivos sempre concordam em caso com o substantivo ao qual se referem.


2. Quando o sujeito é simples o clítico no verbo concorda em pessoa, gênero e
pode indicar o plural.
3. O mesmo ocorre com o objeto.
4. Quando o sujeito é composto o verbo sempre concorda no plural.
a. Se houver 1ª pessoa o verbo permanece na 1ª pessoa.
b. Caso não haja, permanece na 3ª pessoa.
5. Quando o objeto é composto.
a. Ele concorda na 3ª pessoa do plural.
b. Se houver alguma 1ª pessoa ele concorda com ela, caso seja 1ª pessoa do
singular o verbo concorda no singular, ignorando o resto.