Você está na página 1de 16

JUSTIÇA

CURSO

NA SALA DE AULA
Gra
tuit
o!
JUSTIÇA E TRANSFORMAÇÃO

JUDICIÁRIO E
DEMOCRACIA:
UM OLHAR PARA
O FUTURO
GUSTAVO RAPOSO P. FEITOSA

12
FASCÍCULO
Copyright © 2018 by Fundação Demócrito Rocha

FUNDAÇÃO DEMÓCRITO ROCHA (FDR)


Presidência: João Dummar Neto
Direção Geral: Marcos Tardin

UNIVERSIDADE ABERTA DO NORDESTE (UANE)


Gerência pedagógica: Viviane Pereira
Coordenação geral: Ana Paula Costa Salmin

CURSO JUSTIÇA NA SALA DE AULA


Concepção e coordenação geral: Cliff Villar
Coordenação pedagógica: Ana Cristina Pacheco de Araújo Barros
Gerência de marketing e projetos: Ricardo Pinheiro
Coordenação adjunta: Rebeca Sabóia
Direção de marketing: Cliff Villar
Analista de marketing: Sarah Dummar
Estratégia e relacionamento: Adryana Joca e Alexandre Medina
Direção administrativa: Cecília Eurides
Gerência de produção: Gilvana Marques
Produção: Ana Luisa Duavy
Coordenação de conteúdo: Gustavo Brígido
Edição de design e projeto gráfico: Amaurício Cortez
Editoração eletrônica: Marisa Marques de Melo
Ilustrações: Rafael Limaverde
Revisão de texto: Jonas Viana
Catalogação na fonte: Edvander Pires

Este fascículo é parte integrante do “Curso Justiça na Sala de Aula –


Ferramentas Pedagógicas para Difusão e Promoção de Temas e Conteúdos
Sobre o Papel da Justiça no Ambiente Escolar”, composto por 12 fascículos
oferecido pela Universidade Aberta do Nordeste (UANE), em decorrência do
contrato celebrado entre Tribunal de Justiça do Estado do Ceará (TJ/CE) e a
Fundação Demócrito Rocha (FDR), sob o nº 40/2017.

Dados Internacionais de Catalogação na Publicação


Fundação Demócrito Rocha
Ficha catalográfica elaborada por:
Francisco Edvander Pires Santos (CRB-3/1212)

C984

Curso Justiça na Sala de Aula: ferramentas pedagógicas para difusão e promoção de temas e
conteúdos sobre o papel da justiça no ambiente escolar / Gerência pedagógica: Viviane Pereira;
coordenação de conteúdo: Gustavo Brígido; ilustrações: Rafael Limaverde. – Fortaleza: Fundação
Demócrito Rocha/Universidade Aberta do Nordeste, 2018.
192 p. : il. color.

Dividido em 12 fascículos.

Concepção, coordenação geral e direção de marketing: Cliff Villar.


Coordenação pedagógica: Ana Cristina Pacheco de Araújo Barros.
Gerência de marketing e projetos: Ricardo Pinheiro.
Coordenação adjunta: Rebeca Sabóia.

1. Direito. 2. Poder Judiciário. 3. Organização judiciária. 4. Tribunais. 5. Ministérios públicos.


6. Defensorias públicas. I. Pereira, Viviane. II. Brígido, Gustavo. III. Limaverde, Rafael. IV. Fundação
Demócrito Rocha. V. Universidade Aberta do Nordeste. VI. Título.

CDD 340
Todos os direitos desta edição reservados a:

Fundação Demócrito Rocha


Av. Aguanambi, 282/A - Joaquim Távora
Cep 60.055-402 - Fortaleza-Ceará
Tel.: (85) 3255.6037 - 3255.6148 - Fax (85) 3255.6271
fundacaodemocritorocha.com.br
fundacao@fdr.com.br
SUMÁRIO

1- A Explosão da Litiosidade e os Limites do Modelo ..................................................... 180


2- A Cultura do Litígio e a Construção de Consenso e a Busca de Soluções
Extrajudiciais...........................................................................................................................................181
3- Reformas Legislativas e Renovação das Práticas Judiciais .....................................182
4- Ensino Jurídico e Formação para o Litígio .......................................................................183
5- Concurso Público e as Novas Competências para os Profissionais do Direito ......184
6- Combate ao Crime: Repensando a Atuação das Instituições ...............................185
7- Novas Tecnologias e o Acesso à Justiça .............................................................................188
8- Politização e Judicialização: Novas Relações com o Sistema Político .............189
9- Transparência e Profissionalização da Gestão .............................................................. 190
Síntese do Fascículo............................................................................................................................191
Referências...............................................................................................................................................191
Perfil do Autor ........................................................................................................................................191

OBJETIVO DO FASCÍCULO

Apresentar e discutir os principais problemas para a renovação da Justiça


brasileira diante dos desafios impostos pelo atual cenário nacional e interna-
cional e indicar perspectivas sobre os processos de aprimoramento atualmente
em curso.
Ao longo dos fascículos do presente curso, pudemos conhecer melhor o
Judiciário em suas origens e transformações. O estudo sobre suas raízes histó-
ricas e sobre os processos que nos levaram ao modelo atual permite compre-
ender os desafios para aprimorar a forma como se faz Justiça no Brasil. Entre
dificuldades e acertos, verificamos o quanto é difícil renovar práticas e garantir
direitos num ambiente social e político com tantas demandas. Também pude-
mos perceber um percurso de amadurecimento e profissionalização em que
florescem espaços importantes para proteção do cidadão.
Entre erros e acertos, precisamos olhar para o futuro e enfrentar os problemas
existentes no Judiciário e na sua relação com os demais sistemas, a fim de con-
solidar um papel realmente democrático para o Sistema de Justiça. Nos tópicos
a seguir, discutiremos alguns dos principais desafios para o Judiciário brasileiro
nesta sua trajetória de construção e reconstrução.
1
Essas análises explicam partes do gran-
de fenômeno do crescimento da litigiosidade
judicial. Neste cenário complexo, contudo, não se
pode deixar de observar o esforço para expansão do

A EXPLOSÃO DA acesso à justiça, com o aprimoramento dos recursos


institucionais oferecidos para a maioria das pessoas plei-
LITIOSIDADE E tearem seus direitos (Defensoria Pública, Juizados Espe-
ciais, Ministério Público, reformas judiciais e processuais etc.).
OS LIMITES DO A incorporação constante de novos atores, direitos e maté-
rias ao conjunto de conflitos solucionados pelo Judiciário impli-
MODELO cou numa trajetória também constante de ampliação do número
de processos. E o esforço para dar vazão a esse crescimento acaba por
levar a paradoxos. A criação bem sucedida de formas mais eficientes e
O fenômeno da expansão do rápidas de solução judicial pode acarretar um atrativo para mais judi-
número de demandas judiciais tem cialização. A ineficiência e o atraso deslegitimam o Judiciário e podem
sido descrito no Brasil e no exterior acarretar efeitos sistêmicos graves como insegurança jurídica ou até vio-
como uma “explosão de litigiosida- lência social. Não se pode esquecer também que a expansão indefinida
de”. Um volume crescente de con- do número de processos acarreta enormes custos e pode levar a uma
flitos chega aos tribunais que, ape- situação de virtual colapso.
sar do investimento em tecnologia,
reformas e aumento da produtivi-
SÉRIE HISTÓRICA DE MOVIMENTAÇÃO PROCESSUAL BRASILEIRA
dade, enfrentam dificuldades para
lidar com este crescimento. O que
estaria acontecendo? Seria realmen-
te o aumento dos conflitos o causa-
dor de tantas ações? Ou teríamos
outras explicações para a avalanche
de processos?
Algumas transformações ocor-
ridas ao longo do século XX podem
explicar parte deste incremento. A
acelerada urbanização acarretou
movimentos massivos de pessoas
para os grandes centros, onde as ve-
lhas formas tradicionais de solução
de litígios perderam o significado e
os antigos laços da sociabilidade se
FONTE: Relatório Justiça em Números (BRASIL, CNJ, 2017)
esgarçaram. Ao mesmo tempo, uma
nova realidade estatal do pós-guerra
fortaleceu um estado de bem-estar
social (Welfare State) com o avan- O gráfico acima revela a constante expansão do estoque de pro-
ço das fronteiras do Direito para di- cessos aguardando solução no Judiciário. O crescimento pode induzir a
mensões novas. Essa mudança veio uma crença equivocada de que a Justiça não tem trabalhado para ofere-
acompanhada da deslegitimação cer respostas ao cidadão, todavia outros dados revelam um crescimento
das instituições mais comuns da re- na produtividade dos magistrados, no número de decisões e na quan-
presentação política, estimulando a tidade de casos encerrados em cada instância. Ou seja, mesmo com a
busca por meios mais ágeis de afir- ampliação do esforço e dos investimentos, não se consegue garantir uma
mação dos direitos. diminuição na quantidade de processos pendentes.

180 FUNDAÇÃO DEMÓCRITO ROCHA | UNIVERSIDADE ABERTA DO NORDESTE


Sem negar acesso à Justiça ou seus clientes ou numa via para pos-
abdicar da função de garantidor de tergar e obstaculizar o exercício dos
Direitos, cresce no horizonte do Judi- direitos dos consumidores. Neste
ciário um conjunto de iniciativas que mesmo grupo, incluem-se gestores
indicam a importância de fortalecer públicos e entes estatais que abar-
uma transformação que aprimore a rotam a Justiça com demandas de
Justiça, mas que dê mais impulso à cunho estritamente administrativo.
capacidade do cidadão e da socie- Em todos esses casos e numa
dade civil de lidar com os conflitos. enorme lista de outros temas, so-
bressaem situações que poderiam

2
receber tratamento mais adequa-
do se solucionadas pelo diálogo di-
reto entre as partes, pela ação dos
Uma análise mais profunda órgãos reguladores, pelo respeito à
sobre esse complexo problema lei ou aos entendimentos judiciais
consolidados por parte da adminis-
permitiu a compreensão de que o
modelo de solução dos conflitos to- A CULTURA tração ou ainda pelo uso amplo de
talmente centrado no arbitramento
judicial alcançou o seu limite. Com
DO LITÍGIO E A métodos consensuais de solução de
conflitos. Como traço comum de to-
esta constatação em mãos, mostra- CONSTRUÇÃO DE das essas vias, existe a necessidade
de fortalecer a cultura de diálogo e
-se necessário investir numa refor-
mulação mais profunda na forma CONSENSO E A o uso de meios extrajudiciais que ra-
cionalizem a busca do Judiciário.
como as pessoas solucionam seus
conflitos e na maneira como o Ju-
BUSCA DE SOLUÇÕES Assim, merecem destaque a
tendência à valorização crescente da
diciário lida com os litígios trazidos EXTRAJUDICIAIS mediação e da conciliação e o forta-
para sua apreciação.
lecimento dos espaços extrajudiciais
para diálogo entre as partes. O apro-
A explosão da litigiosidade fundamento dessa disposição pode
judicial revela uma tendência so- induzir uma ruptura na “cultura do
cial e cultural de depositar exces- litígio”, que leva milhões de pessoas
siva responsabilidade no Judiciá- ao Poder Judiciário a cada ano.
rio como meio único ou principal As agências reguladoras que fis-
para o tratamento dos conflitos. calizam certos segmentos de serviços
Questões aparentemente simples como telefonia, planos de saúde e dis-
como brigas de vizinho ou coli- tribuição de energia elétrica possuem
sões entre veículos acabam por serviços de apoio ao consumidor
chegar aos fóruns em demandas com informações sobre seus direitos
que poderiam ser solucionadas e instrumentos para facilitar o diálo-
pelo diálogo entra as partes ou go entre os usuários e as empresas
em ambiente menos complexo prestadoras de serviço, inclusive com
e caro como os tribunais. a possibilidade de uso da mediação
O crescente número de e da arbitragem. Com esse tipo atua-
processos inclui litigantes repe- ção, há uma redução potencial da ne-
titivos como prestadoras de ser- cessidade de buscar o Judiciário para
viços públicos, bancos, planos reclamar das violações aos direitos
de saúde e grandes empresas dos consumidores. Segmentos como
que, por múltiplas razões, trans- a saúde e a telefonia correspondem a
formam o espaço judicial em alguns dos mais importantes focos de
lócus para atendimento final de litigância no Judiciário.

CURSO JUSTIÇA NA SALA DE AULA 181


Um exemplo importante des-
A Agência Nacional de Saúde sa mudança foi o novo Código de
Suplementar (ANS), a Agência Processo Civil (CPC) de 2015. O CPC
Nacional de Telecomunicações regula a forma de tramitação da
(ANATEL) e a Agência grande maioria dos processos civis
Nacional de Energia Elétrica brasileiros. Sua renovação tornou
(ANEEL) possuem serviços de obrigatória a mediação e a conci-
ouvidoria ou atendimento de liação, tentou racionalizar os recur-
reclamações que auxiliam sos e os procedimentos nas cortes,
na solução de demandas dos fortaleceu os meios de padroniza-
consumidores. ção da jurisprudência dos tribunais
ANS: www.ans.gov.br/aans/ouvidoria (para evitar a repetição de ações em
ANATEL: www.anatel.gov.br/consumidor/ matérias já definidas, por exemplo),
canais-de-atendimento/internet entre outras inovações. A comissão responsável pelo
ANEEL: www.aneel.gov.br/como- O CNJ, por sua vez, teve como anteprojeto (PL 8.046/2010) que
registrar-a-sua-reclamacao. algumas de suas medidas mais im- deu origem ao novo Código de
portantes a busca da qualificação Processo Civil (Lei 13.105/2015)

3
da coleta e da análise de dados, a escreveu em sua exposição de
profissionalização, o fortalecimen- motivos para a proposta que:
to da transparência nas cortes e o “O novo Código de Processo
combate ao nepotismo. As ações Civil tem o potencial de gerar
tomadas com esse intuito fortale- um processo mais célere,
REFORMAS cem a capacidade de autoconhe-
cimento do Judiciário e movimen-
mais justo, porque mais rente
às necessidades sociais e
LEGISLATIVAS tam uma tendência que olha de
maneira mais crítica a forma como
muito menos complexo. A
simplificação do sistema, além
E RENOVAÇÃO se faz Justiça. de proporcionar-lhe coesão mais
Verifica-se que uma marca im- visível, permite ao juiz centrar
DAS PRÁTICAS portante dos próximos passos do sua atenção, de modo mais
JUDICIAIS Judiciário, nesta seara, consiste em
desenvolver a análise crítica sobre as
intenso, no mérito da causa.

práticas internas das cortes, com a li-


bertação gradual dos forma-
Desde a aprovação da Reforma lismos exagerados, a redu-
do Judiciário, por meio da Emenda ção das etapas processuais
Constitucional nº 45/2004 e da assi- e a melhor gestão
natura do primeiro “Pacto de Estado dos procedimen-
em favor de um Judiciário mais Rápi- tos e processos. E
do e Republicano”, pelos presidentes tudo isso sem que
dos três poderes, houve a aprovação se ponham em ris-
de dezenas de leis que alteraram e co as garantias que
reformaram procedimentos judicias. asseguram ao cida-
Em boa parte dessas mudanças, dão um processo
destacava-se o foco na alteração das justo e célere.
práticas judiciais de modo a reduzir
o tempo do processo e torná-lo mais
eficaz. No mesmo sentido, as políti-
cas do Conselho Nacional de Justiça
(CNJ) têm sido conduzidas.

182 FUNDAÇÃO DEMÓCRITO ROCHA | UNIVERSIDADE ABERTA DO NORDESTE


4
humanísticos com a formação para
a prática profissional. Não obstan-
te, observou-se que, mesmo resga-
tando outras áreas do saber como

ENSINO JURÍDICO E Sociologia, Psicologia, Economia,


Antropologia, entre outras, prevale-
FORMAÇÃO PARA O ceu ainda uma formação que guia o
aluno para a litigiosidade. Constrói-
LITÍGIO -se uma prática profissional em que
o bacharel se prepara sempre para
encaminhar pessoas para a propo-
A curso de Direito desempe-
situra de ações na Justiça ou atuar
nhou historicamente o papel de
como um dos atores dentro de uma
formação de uma elite de bacharéis
dinâmica de conflito judicializado
que ocupava os principais cargos da
(como juiz, promotor etc.).
política e da administração pública
Somente ao longo dos anos
brasileira. As carências na formação
2000 se iniciou a inserção de disci-
técnica ofertada nas faculdades de
plinas relacionadas aos meios con-
PARA Direito no século XIX e em boa par-
te do século XX eram compensadas
sensuais de solução de conflito e a

REFLETIR com a prática, fora de sala de aula,


da política, da literatura, do jornalis-
criação de ambientes de treinamen-
to e exercício de práticas relaciona-
das à mediação e à conciliação den-
[...] os trabalhos da mo, da participação em grupos de
tro das faculdades. Essa mudança
Comissão se orientaram discussão e com a convivência com
ganhou impulso com a Resolução
precipuamente por outros jovens filhos das elites locais
nº 125 do CNJ (que trata da Política
cinco objetivos: 1) do país.
Judiciária Nacional de tratamento
estabelecer expressa Essa característica elitista da
adequado dos conflitos) e com o
e implicitamente formação jurídica perdeu força e
novo Código de Processo Civil (que
verdadeira sintonia fina sentido ao longo do século XX, es-
torna a mediação e a conciliação
com a Constituição pecialmente em razão da expansão
obrigatória), mas ainda se encontra
Federal; 2) criar dos cursos de Direito pelo país e por
num momento inicial.
condições para que sua reorganização voltada para a
o juiz possa proferir valorização de uma formação mais
decisão de forma mais técnica. Prevaleceu uma maior ên-
rente à realidade fática fase nos conhecimentos relaciona-
subjacente à causa; 3) dos à prática profissional em
simplificar, resolvendo sentido estrito, como o
problemas e reduzindo domínio da legisla-
a complexidade de ção em áreas como
subsistemas, como, por o Direito Penal, Co-
exemplo, o recursal; 4) mercial e Civil.
dar todo o rendimento A redemocratiza-
possível a cada ção política do Brasil
processo em si mesmo após o Regime Militar
considerado; e 5) veio acompanhada de
[...] imprimir maior grau uma mudança curricular
de organicidade ao nos cursos, cuja concep-
sistema, dando-lhe, ção previa a articulação de
assim, mais coesão”. conhecimentos técnicos e

CURSO JUSTIÇA NA SALA DE AULA 183


VOCÊ SABIA? Ressalte-se que continuam fora
dos projetos de renovação do ensino
No estado de Nova York o desenvolvimento de competên-
(EUA), aproximadamente cias essências para o Judiciário do
97% dos litígios que século XXI, como as habilidades de
chegam ao Judiciário comunicação, de gestão, de trato e
são solucionados com relacionamento interpessoal, de so-
o auxílio de meios lução de problemas complexos, de
alternativos de solução inovação, entre outras.
de conflitos, como a Será necessário investir de ma-
mediação e arbitragem. neira contínua no aprimoramento
Apesar do ensino jurídico do modelo de educação jurídica
nos Estados Unidos de modo a amparar a construção
privilegiar a formação de de um novo paradigma de atuação
advogados especializados profissional que valorize as práticas
em litigar nos tribunais, de tratamento consensual do con- rador e defensor público. Em gran-
raramente um caso flito, além de desenvolver as com- de medida, muitos desses jovens
chega até o momento petências fundamentais para a vida sentem-se atraídos pela segurança
final do julgamento. do profissional do Direito. Curiosa- de um emprego estável e por boas
Muitos advogados mente, trata-se de uma perspectiva remunerações.
podem trabalhar a vida de renovação da Justiça que se situa O caminho para a realização
inteira sem nunca levar fora do seu campo imediato de atu- desse sonho mostra-se bastante
um caso sequer para ação, todavia recebe influência dire- longo e acidentado. Muitos anos de
decisão de um juiz ou ta das medidas e políticas adotadas estudo intenso, dedicação e inves-
de um Júri. Os famosos dentro do Judiciário. timento separam o jovem bacharel
julgamentos que vemos da aprovação nos concursos mais

5
nas séries de TV são uma disputados. Por vezes, a vocação pes-
exceção na rotina da soal e os sonhos profissionais ficam
Justiça norte-americana. de lado diante da atratividade gera-
da por carreiras em melhor situação
(o que inclui local de fixação, remu-
CONCURSO PÚBLICO neração, volume de trabalho etc.).
Uma vez aprovado, o jovem pro-
E AS NOVAS fissional do direito possivelmente
passará por um breve curso de ini-
COMPETÊNCIAS PARA ciação para começar o exercício de
sua função pública. Muitos seguirão
OS PROFISSIONAIS DO para cidades remotas do interior do
país, exercerão atividades de alta res-
DIREITO ponsabilidade, terão em suas mãos
os destinos de milhares de pessoas,
Se perguntarmos aos estudan- decidirão sobre a liberdade e a pri-
tes de Direito no primeiro semestre são, num ambiente hostil e solitário.
do curso qual é o seu objetivo pro- Mas estarão esses jovens preparados
fissional, temos como resposta de para tal desafio? Não serão eles mui-
quase todos o desejo de ser aprova- to jovens e pouco maduros para ta-
do em concurso público para uma refas tão complexas? Possuirão eles
das carreiras jurídicas de maior des- as competências necessárias para o
taque, como juiz, promotor, procu- exercício da função?

184 FUNDAÇÃO DEMÓCRITO ROCHA | UNIVERSIDADE ABERTA DO NORDESTE


porâneo exige conhecimentos
técnico-jurídicos; conhecimentos
de natureza humanística; compe-
tências gerenciais; competências

6
relacionais e competências pesso-
O concurso público no Brasil ais. Apenas a dimensão técnico-ju-
representou um enorme avanço na rídica é avaliada no atual modelo
superação de práticas clientelistas e de concurso.
de favorecimento no acesso ao ser- O problema torna-se mais gra-
viço público. Por meio de processos
seletivos isonômicos, permitiu-se
ve quando se observa que os cursos
de formação são breves. Há baixa COMBATE
uma disputa com critérios relativa-
mente claros e igualitários, menos
exigência de formação continua-
da dentro da carreira e em poucos
AO CRIME:
sujeitos aos riscos da fraude e da anos os jovens concursados se tor-
nam estáveis ou vitalícios nas suas
REPENSANDO A
troca de favores. Todavia, o modelo
que privilegia a certeza e a seguran- funções. Um dos grandes desafios ATUAÇÃO DAS
para as instituições do Sistema de
ça dos critérios objetivos também
apresenta defeitos. Justiça hoje consiste na preparação INSTITUIÇÕES
As provas de concurso valori- dos seus membros para o exercício
zam o conhecimento técnico de de competências profissionais para
conteúdos jurídicos associados, em as quais eles nunca foram treinados O Brasil contava até o final de
geral, a textos legais e a decisões ou estimulados. São juízes que pre- 2017 com mais de 700 mil pessoas
dos tribunais. Parte na frente aque- cisam administrar servidores e pro- encarceradas, segundo dados do
le que apresenta melhor desempe- cessos e enfrentar diariamente os Ministério da Justiça. Deste total,
nho nas competências relacionadas problemas e as mazelas que afetam cerca de 40% encontrava-se preso
à memorização. Em concursos com a população. mesmo antes do julgamento. O vo-
milhares de candidatos disputando No horizonte próximo das mu- lume de pessoas presas revela uma
poucas vagas em provas de múlti- danças da Justiça, surge, assim, a aparente contradição com a realida-
pla escolha, qualquer mínimo desli- preocupação com a seleção e a for- de de elevados indicadores de cri-
ze leva à reprovação. mação dos seus quadros para lhes minalidade e com o sentimento di-
Se, por um lado, podemos as- assegurar as condições de renova- fuso de insegurança da população.
segurar uma disputa em que as ção contínua do sistema judicial Se prendemos tanto no Brasil, por
melhores notas levam à aprovação, sem, contudo, prejudicar a conquis- que não se observa um efeito direto
também podemos dizer, por outro, ta de um processo seletivo isonômi- sobre as estatísticas criminais? E por
que dificilmente saberemos real- co. A importância da função de juiz que tantas pessoas continuam pre-
mente sobre a aptidão do candida- na democracia brasileira se manterá sas sem julgamento?
to para o exercício das suas funções. ou mesmo se ampliará, o que refor- Dentre as subdivisões do Judi-
Segundo Feitosa e Passos (2017), o ça a relevância de se aprimorar o ciário, a que enfrenta maior dificul-
trabalho do juiz no Brasil contem- atual modelo de concurso público. dade é a Justiça Criminal. Condenar

CURSO JUSTIÇA NA SALA DE AULA 185


alguém exige um trabalho prévio e agir sob a lógica da garantia de
de investigação e de coleta de pro- direitos (mesmo dos proprietários).
vas, a elaboração de uma acusação Arbítrio e violência eram marcas do Herdamos de maneira pouco refle-
por um promotor, a oferta ao réu de sistema. A transição para a Repúbli- xiva um padrão de ação incompatí-
oportunidade de ampla defesa feita ca não alterou as estruturas criadas vel em todos os sentidos com a nova
por um advogado para, só ao final para a escravidão. Novos recursos le- realidade democrática e constitu-
desse percurso, definir realmente se gais foram elaborados para ampliar cional, bem como com as formas
cabe a atribuição de uma pena. o foco da ação, antes centrada nas de crime que afetam as pessoas nos
O desenho de um processo cri- pessoas escravizadas, e, assim, inci- dias de hoje.
minal justo está na base da criação dir também sobre trabalhadores po- Continuamos buscando com-
do nosso Estado de Direito e consis- bres que imigravam para o Brasil. bater a criminalidade pela vigilância
te num dos pilares da civilização em Criminalizava-se o “ócio” por física da circulação nas ruas, o que
que vivemos. Todavia, o uso correto meio da punição à chamada “va- faz com que a imensa maioria das
e completo deste modelo envolve a diagem”, uma contravenção que so- pessoas que cometem crimes sejam
criação de polícias treinadas e téc- mente atingia pessoas pobres que presas apenas em situação de fla-
nicas, a manutenção de uma justiça não se inseriam no mercado formal grante delito. Ao invés de fortalecer
eficiente e garantidora de direitos de trabalho ou não estavam sobre a investigação, a prevenção e o uso
e a existência de um sistema peni- a “proteção” direta de um patrão. racional do sistema policial-judicial
tenciário apto a assegurar o correto Qualquer pessoa pobre na rua po- para combater os crimes mais gra-
cumprimento da pena conforme deria ser parada, fiscalizada e presa ves e de maior dano, segue-se um
estabelecido em lei. pelo simples fato de circular sem evi- roteiro que privilegia prisões de rua.
A história brasileira, entretanto, denciar que trabalhava para alguém. Ao mesmo tempo, dentro do Sis-
está longe de seguir este itinerário ju- Instrumentos até hoje presentes tema de Justiça, adota-se um modelo
rídico. A construção do nosso modelo na realidade processual penal brasilei- longo e complexo em que as provas
policial no século XIX guiava-se pela ra, como o inquérito policial, nasceram coletadas são frágeis e dificilmente se
necessidade de conservar as estrutu- vinculados a esse modelo. Elaborado consegue, em tempo razoável, conde-
ras da escravidão. Por meio da vigilân- no século XIX, o inquérito assegura- nar aqueles que de fato cometeram
cia constante sobre os negros e do uso va controle do poder Executivo (por crimes. As prisões provisórias antes
da violência, mantinha-se a ordem e a meio das polícias) sobre quem seria do julgamento acabam por se man-
disciplina social. A lei, o direito e o ide- realmente investigado, quem recebe- ter por longos períodos, substituindo
al de um processo justo não serviam ria acusação formal e qual a qualidade penas efetivamente atribuídas numa
de paradigma para a ação do Sistema das provas usadas na acusação. condenação. Parece difícil de acredi-
de Justiça Criminal. Por estranho que Numa realidade de crescente tar, mas muitas pessoas precisam ser
possa parecer, o julgamento e a con- urbanização, de quebra dos laços condenadas para ganhar a liberdade,
denação por um juiz ou tribunal era tradicionais de poder, de expansão pois ao se fixar sua pena percebe-se
quase um “privilégio”. de pequenos e médios delitos, entre que o tempo na cadeia superou aqui-
Esse modelo nunca foi pensado outros fatores, perseverou-se nesse lo que a lei estabelecia como período
para investigar propriamente crimes modelo pensado para a escravidão. de cumprimento obrigatório.

186 FUNDAÇÃO DEMÓCRITO ROCHA | UNIVERSIDADE ABERTA DO NORDESTE


lizado da pena de prisão no Brasil
PARA
coloca no mesmo estabelecimento REFLETIR
pessoas que cometeram crimes de
gravidades diversas, o que expõe um Ações articuladas entre
apenado por infrações leves ou me- o Judiciário, o Ministério
dianas a uma rotina de convivência Público e as demais
com criminosos perigosos e com or- instituições envolvidas
ganizações criminosas. O uso correto no combate ao crime
das penas alternativas exige, entre- revelam o impacto
tanto, a existência de uma estrutura positivo das medidas
de apoio e acompanhamento que, tomas a partir da análise,
Esse cenário revela o quanto o por vezes, é falha e depõe contra o do planejamento
Judiciário precisa trabalhar para dar este tipo de pena. e da ação racional
conta das demandas, com efeitos Some-se a essa situação um planejada. Um exemplo
que, com frequência, acabam não problema crônico da sociedade bra- é o projeto “Tempo de
agradando a população em geral. sileira visto por muitos como algo Justiça”, iniciado em
Propaga-se a crença de que a Justi- irrelevante, que são as violações aos 2016. Os participantes
ça “solta bandidos”, quando na ver- direitos humanos. Ao contrário do da articulação chamada
dade se desconhece o tempo que se que se pode imaginar, o desrespei- de “Pacto por um Ceará
passou preso sem julgamento, o am- to à lei e às garantias constitucionais Pacífico”, integrada por
biente terrível da prisão e a qualida- das pessoas integra-se como parte Governo do Estado,
de das provas trazidas ao processo. da fonte da ineficácia sistêmica. Pri- Secretaria de Segurança
Assim, um dos mais importan- sões longas e arbitrárias, denúncias Pública e Defesa Social,
tes desafios para a Justiça brasileira de maus tratos e torturas são expres- Tribunal de Justiça,
para o futuro consiste em repensar a sões de instituições inaptas para o Ministério Público
forma com se desenvolve o proces- uso da técnica e do direito a servi- do Estado do Ceará
so criminal no país. Muitas das alte- ço da Justiça. Nas principais demo- e Defensoria Pública
rações já existem em outros países cracias do mundo, verifica-se que Geral, passaram a atuar
do mundo, contudo implicam em quanto melhor preparada e bem re- de maneira integrada
mudanças significativas no modo munerada forem as polícias, menos para assegurar que os
como se desenvolve o processo pe- lesões aos direitos são praticadas. homicídios ocorridos
nal. Sobressaem propostas como a Da mesma forma, a situação bru- em Fortaleza fossem
possibilidade do preso se declarar tal em que são mantidos os presos julgados com maior
culpado e aceitar uma pena menor, fortalece o poder das organizações velocidade. O resultado
porém fixada de maneira mais justa criminosas, abre brechas para a cor- foi o aumento em 60%
e rápida (sem insegurança quanto rupção e impede qualquer possibili- da celeridade processual.
ao tempo do processo e da prisão dade de ressocialização. Segundo dados do
provisória - antes da condenação). Ressalte-se que essas mudan- TJCE e do MPCE, para
Outro caminho que se abre é ças não se encontram integralmen- os crimes cometidos
o das penas alternativas à pena de te nas mãos do Judiciário, contudo em 2017, o trâmite
prisão. Vista com preconceito por podem ganhar corpo e impulso por completo tem durado
muitas pessoas, na realidade, vi- meio da ação conjunta dos ope- cerca de oito meses
sam garantir uma punição que te- radores do Sistema de Justiça no entre a investigação e a
nha real significado para quem co- desenho das reformas legislativas condenação.
meteu o crime e assegurem uma necessárias. Já existem na Justiça
maior chance de recuperação ou brasileira dezenas de projetos volta-
reinserção do réu. O uso genera- dos à melhoria de tal realidade.

CURSO JUSTIÇA NA SALA DE AULA 187


7
NOVAS em inglês). Criadas para auxiliar no
TECNOLOGIAS E O atendimento ao cliente em portais
de comércio eletrônico, essas inicia-
ACESSO À JUSTIÇA tivas ganharam hoje uma dimensão
muito maior e se espalharam como
via importante para o tratamento
Como já analisamos em tópicos adequado do conflito.
anteriores, chegou-se a uma situa- O uso dessa nova metodologia
ção em que a expansão contínua do que se aproveita das ferramentas
número de processos pode levar o digitais servirá para o Judiciário dar
Judiciário a uma situação insusten- solução mais rápida, eficaz e de bai-
tável. Mesmo com o ganho de pro- xo custo para um grande volume
dutividade de juízes e promotores de processos que poderiam conti-
e todas as soluções gerenciais e as nuar congestionando os tribunais
metas, dificilmente se conseguirá brasileiros. A necessidade da ODR
absorver dentro da Justiça um nú- mostra-se ainda mais clara diante
mero crescente de demandas. das exigências legais de oferta de
Uma parte do caminho dispo- audiências de mediação e de con-
nível para corrigir essa trajetória en- ciliação para praticamente todos os
volve o uso de novas Tecnologias da
Informação e da Comunicação (para
novos processos civis do país. São
milhões de audiências anuais a se-
VOCÊ SABIA?
estudar com profundidade o assun- rem realizadas. Para elas, se pode
O Governo Federal
to, recomendamos a leitura do fascí- construir um ambiente virtual que
oferta um serviço
culo 11). As profundas alterações na beneficia sobremaneira as partes
de interlocução
sociabilidade trazidas pela internet (que não precisam se deslocar, ten-
online entre os
e sua integração em dispositivos mó- do tempo para pensar, pesquisar e
consumidores
veis como celulares e tablets não dei- decidir) e o próprio Sistema de Justi-
e as empresas
xaram de fora a realidade da Justiça. ça (reduz custos, ganha escala, solu-
para resolução de
Portais virtuais e aplicativos de in- ciona da maneira mais rápida etc.).
conflitos. O serviço
teração entre consumidores e forne- A expansão dos usos da ODR
chamado de
cedores são algumas das ferramen- não se limita ao ambiente judicial.
“Consumidor.gov.
tas criadas por empresas privadas O suporte e incentivo ao seu uso
br” possui um portal
para lidar com um grande volume de pelo Judiciário deve servir para que
de ODR em que o
conflitos inteiramente inseridos em ela se propague também entre os
usuário pode relatar
relações online. Como solucionar um grandes litigantes como ferramen-
sua reclamação
problema entre um consumidor bra- ta pré-processual obrigatória, apta a
e a empresa se
sileiro e um vendedor italiano numa evitar a necessidade de judicializar
manifesta sobre
transação ocorrida por meio de um uma demanda quando se poderia
soluções disponíveis
sítio norte-americano? facilitar o diálogo por um canal dis-
para o caso. De
Nesse ambiente, surgiram as ponibilizado pelo próprio réu poten-
maneira simples e
ferramentas de Resolução de Con- cial (grandes empresas prestadoras
acessível, é possível
flito Online (ou “Online Dispute Re- de serviço, operadoras de plano de
evitar mais uma
solution – ODR” na sua designação saúde, de telefonia, bancos etc.)
demanda judicial.

188 FUNDAÇÃO DEMÓCRITO ROCHA | UNIVERSIDADE ABERTA DO NORDESTE


da esfera pública de debate político go, torna-se possível construir proto-
ou como uma ferramenta de amplifi- colos e vias institucionais de solução
cação das posições de alguns grupos. das demandas da população sem a
Ao mesmo tempo, construiu- necessidade de sentenças que que-
-se uma lenta e sólida experiência brem o planejamento das políticas
judicial de concretização de certos públicas. Ao mesmo tempo, dotam-
direitos por meio de ações indivi- -se os juízes de informações e asses-
duais e coletivas nas instâncias ini- soria técnica fundamental para deci-
ciais da Justiça. Se um prefeito não sões que envolvem temáticas muito
garantia vagas nas escolas públicas especializadas para as quais os ma-
para todas as crianças, o Ministério gistrados não contam com conheci-
Público ingressava com uma ação a mento completo.

8
fim de obrigar o gestor a providen- Outra dimensão importante
ciar meios para a garantia do direito desse grande fenômeno da judicia-
fundamental à educação. lização da política diz respeito ao
Estratégia semelhante ocorreu trato das questões que repercutem
e ocorre no campo da saúde pública. na esfera eleitoral. Não se trata tão
POLITIZAÇÃO E Falta de leitos, oferta de medicamen-
tos e tratamentos, acesso a procedi-
somente das matérias julgadas pela
Justiça Eleitoral, como registros de
JUDICIALIZAÇÃO: mentos cirúrgicos, entre inúmeras candidatura, diplomação etc. Diz
outras situações geram milhares de respeito a ações, investigações, pri-
NOVAS RELAÇÕES demandas e decisões que impõem sões, bloqueios de verbas, entre ou-

COM O SISTEMA ao Estado o dever de assegurar o di-


reito à saúde do cidadão.
tras medidas civis e criminais, que
incidem diretamente sobre os ru-
POLÍTICO Todas essas decisões lidam com
direitos expressos na Constituição
mos do processo eleitoral.
Essa capacidade de agir de ma-
Federal, mas também avançam nas neira muita intensa e efetiva sobre
Uma das dimensões mais mar- competências do Executivo e do Le- a dinâmica político-eleitoral pode
cantes do fortalecimento do Judici- gislativo para definir os rumos das induzir a uma crença excessiva na
ário tem sido a sua maior presença políticas públicas e da gestão orça- capacidade pessoal e saneadora dos
nos processos políticos. De modo mentária. Como planejar as ações de magistrados. Se, por um lado, isso
direto ou indireto (como vimos em saúde se diariamente novas decisões pode parecer bastante sedutor, por
vários fascículos deste curso), as de- judiciais impõem o uso dos recursos outro, há sempre o risco dessa in-
cisões judiciais impactam sobre as públicos para cobrir despesas com tervenção deslegitimar os processos
opções governamentais, ditam os procedimentos e medicamentos não democráticos, ampliar a rejeição às
rumos das políticas públicas, condi- previstos originalmente no orçamen- possibilidades da política e, até mes-
cionam investimentos do Executivo, to? De outro lado, existe uma pessoa mo, deslegitimar o Poder Judiciário
alteram o equilíbrio do jogo eleitoral, que precisa de tratamento e, como sob a acusação de partidarização.
entre outros efeitos. regra geral, não dispõe de recursos? A delicadeza dessa complexa
Essa infiltração da lógica do Esses impasses levaram os ges- interação com o processo políti-
Direito e da Justiça na esfera po- tores a melhorar a oferta de serviços co exige um esforço redobrado do
lítica apresenta múltiplas origens em áreas muito judicializadas como Judiciário para encontrar o ponto
e desdobramentos. Desde a rede- a saúde. Contudo, isso não tem sido de equilíbrio entre o cumprimento
mocratização, os partidos políticos suficiente. Um dos caminhos encon- do seu dever de fazer cumprir a lei
utilizam-se de ações judiciais para trados e que revela uma estratégia a e a constituição sem avançar sobre
dar evidência a suas iniciativas, em ser aprofundada no futuro consiste os espaços democráticos de mani-
especial quando se encontram em na criação de espaços permanentes festação da vontade política do ci-
posição minoritária no Legislativo. O de interação e diálogo entre gestores dadão. Com esse desafio, cabe ao
Judiciário surge como uma extensão e órgãos judiciais. Por meio do diálo- próprio Judiciário fortalecer seus

CURSO JUSTIÇA NA SALA DE AULA 189


mecanismos internos de formação normalizar a rotina de publicização
profissional, ampliar a solidez e a dos atos dos gestores e servidores.
estabilidade dos seus julgamentos Fazem parte deste processo os
e da sua técnica interpretativa e re- Portais da Transparência, sítios ele-
cusar veementemente o papel de trônicos onde devem ser alocados
ator central do processo político. documentos e dados sobre orça-
mento, contratações, pessoal etc.

9
No âmbito do Judiciário, o movi-
mento de ampliação da transparên-
cia pública ganhou impulso com a
Emenda Constitucional nº 45/2004
e a criação do CNJ. Passou-se a exi-
TRANSPARÊNCIA E gir das cortes que mantivessem po-
para uma Justiça mais responsiva às
líticas mais claras e efetivas de divul-
PROFISSIONALIZAÇÃO gação das informações. Abriram-se críticas e aos anseios da população.
as sessões internas dos tribunais ao Multiplicam-se os olhares e com isso
DA GESTÃO público e chegou-se, até mesmo, a a chance de se encontrar os proble-
expor a remuneração dos magistra- mas e as soluções.
A consolidação das democra- dos na internet (o que se mantém O conhecimento, a abertura e
cias pelo mundo guarda estreita até hoje). a crítica vêm acompanhados tam-
relação com o fortalecimento da Como parte da mudança, ob- bém de um esforço para a profissio-
transparência na atuação dos agen- serva-se a preocupação em produzir nalização da gestão dos tribunais.
tes públicos. Na Suécia, por exemplo, relatórios, divulgar dados, ampliar o A grande competência para lidar
reconhece-se o direito das pessoas debate público sobre os planos estra- com normas, doutrinas jurídicas e
de solicitarem informações públicas tégicos periódicos e destacar as me- jurisprudência não significa uma
desde 1766. Por meio da transparên- tas de gestão anual. Há pouco espaço equivalente capacidade para gerir
cia, exercita-se o direito fundamen- hoje para o sigilo e para a baixa trans- pessoas e processos. Muitas vezes,
tal à informação e permite-se aos parência. A abertura para a população os magistrados são levados a posi-
cidadãos a possibilidade de contro- revela-se um caminho importante ções que os obrigam a administrar
lar melhor a atuação de quem se milhões de reais em recursos públi-
encontra no poder. Democracia e cos e dezenas de milhares de
transparência andam jun- servidores.
tas na história política. A profissionalização cres-
A Constituição brasi- cente, a adequada seleção, a
leira assegura o direito à formação e o treinamento con-
informação e consagra a tinuado permitirão ao Judiciário
publicidade como um prin- aprimorar continuamente sua atu-
cípio da administração pú- ação e definir os rumos na, ainda
blica. Não obstante, sempre jovem, democracia brasileira.
houve uma resistência histó-
rica à publicização ampla dos
atos da administração. Diante Todos os tribunais brasileiros
do olhar público sempre ficaria são obrigados a manter um “Portal da
Transparência” ou link “transparência”,
mais difícil justificar práticas cor- onde devem ser disponibilizados
riqueiras de compadrio, favoreci- todos os gastos, contratações, obras,
mento e corrupção. Na trajetória servidores e remunerações.
de consolidação das instituições Visite: http://www.cnj.jus.br/
transparencia.
brasileira pós-1988, evidencia-se
um esforço para institucionalizar e

190 FUNDAÇÃO DEMÓCRITO ROCHA | UNIVERSIDADE ABERTA DO NORDESTE


PERFIL
DO AUTOR
Gustavo Raposo
SÍNTESE DO
Pereira Feitosa
FASCÍCULO
Possui graduação em Direito pela Uni-
A expansão do número de ações na Justiça ocor- versidade Federal do Ceará (1997), mes-
re em escala global. Essa explosão de litigiosidade trado em Sociologia pela Universidade
condiciona o novo papel do Judiciário na democra- Federal do Ceará (2000) e doutorado em
cia e suas perspectivas de transformação. Para su- Ciências Sociais pela Universidade Esta-
perar o desafio deste crescimento e deste novo pa- dual de Campinas (2005). Atualmente
pel mostra-se necessário investir em mudanças de é professor Titular do Programa de Pós-
modelo. Evidencia-se o esforço para alterar a cultu- -Graduação em Direito Constitucional -
ra do litígio e investir na consensualidade, especial- Mestrado e Doutorado - e do Centro de
mente com transformações na formação, no ensino Ciências Jurídicas da Universidade de
e na seleção por concurso. Sobressai a necessidade Fortaleza. É professor adjunto de Direi-
de investir em novas competências para os profis- to Processual Civil na UFC. Coordena o
sionais do direito. A quebra de paradigma também Mestrado Profissional em Direito e Ges-
afeta o combate ao crime, preso a um modelo an- tão de Conflitos da Universidade de For-
tigo, violento e de baixa eficiência. Perpassando to- taleza. Atuou como “Professeur Invité na
das as mudanças, surgem as novas tecnologias, a Université du Havre” (França) em 2011.
busca por transparência e a profissionalização. Foi Coordenador de Pesquisa do Centro
de Ciências Jurídicas da Universidade de
Fortaleza em 2013 e 2014, já tendo ocu-
REFERÊNCIAS pado a mesma função de 2007 a 2009.
É editor do periódico Pensar - Revista de
Ciências Jurídica, qualificado como A1 no
FEITOSA, Gustavo; PASSOS, Daniela V. S. O Concur- sistema Qualis-Capes. Lidera o grupo de
so Público e as Novas Competências para o Exercí- Pesquisa “JET - Justiça em Transforma-
cio da Magistratura: uma análise do atual modelo ção”. Atua desde 2004 como mediador
de seleção. Sequência (Florianópolis), n. 76, p. 131- profissional e como instrutor e formador
154, ago. 2017. Disponível em: < http://www.scielo. de novos mediadores. Tem experiência
br/pdf/seq/n76/2177-7055-seq-76-00131.pdf>. Aces- na área de Direito, com ênfase em Refor-
so em 18 de mar. de 2018. ma e Transformação do Sistema de Jus-
BRASIL. CNJ. Justiça em Números 2017. Disponível tiça, Gestão de Conflitos, Magistratura e
em: < http://www.cnj.jus.br/programas-e-acoes/pj- Democracia, Direitos Humanos, Política e
-justica-em-numeros>. Acesso em 18 de mar de 2018. Segurança Internacional, Ciência Política,
Políticas Públicas e Sociologia Jurídica,
BRASIL. Ministério da Justiça. Departamento Peni- atuando principalmente nos seguintes
tenciário Nacional. Levantamento Nacional de Infor- temas: direitos humanos, “democratiza-
mações Penitenciárias. Brasília: MJ, 2017. Disponível ção, reforma do Judiciário e do processo”,
em: <http://www.justica.gov.br/news/ha-726-712-pes- magistratura, segurança nacional e inter-
soas-presas-no-brasil/relatorio_2016_junho.pdf/@@ nacional, governo eletrônico e novas me-
download/file>. Acesso em 18 de mar. de 2018. todologias para Direito e para a Justiça.

CURSO JUSTIÇA NA SALA DE AULA 191


Este fascículo é parte integrante do curso online gratuito
“Justiça na Sala de Aula”.
Acesse: http://fdr.org.br/uane/justicanasaladeaula/

Realização

Apoio Promoção