Você está na página 1de 4

Acadêmico: _____________________________________________________

Questão 01: Rafaela acadêmica de medicina do 3º período se depara com


dois pacientes portadores de paraplegia flácida. João, o primeiro paciente teve
fratura com luxação total de T2 sobre T3. Carlos, segundo paciente com fratura
e luxação total de L5 sobre S1. Rafaela não conseguiu entender se é possível
lesões em níveis tão diferentes produzirem quadros clínicos tão semelhantes.
Qual seu parecer? Justifique baseado em seus conhecimentos de
neuroanatomia e neurofisiologia.

Questão 02: Nathalia, 23 anos, atleta, durante uma maratona teve quadro de
cefaleia súbita de forte intensidade (08/10). Foi encaminhada ao PS da Santa
Casa, sendo atendida 3 horas após inicio do quadro. AO EXAME:

- Força 05/05 nos 04 membros; Pupilas isocóricas fotorreativas; Rigidez de


nuca, afebril; PA=140/100mmHg, Sinal de Brudzinski e kernig presentes.
Laségue negativo.

Elabore o diagnóstico sindrômico, topográfico e propedêutica adequada.

Questão 03: Luis Fernando, 65 anos, portador de Doença de chagas, com


miocardiopatia e fibrilação atrial, deu entrada no pronto socorro da Santa Casa
com quadro súbito de déficit motor à esquerda e distúrbio de articulação das
palavras (disartria).

Ao exame:

-Hemiparesia esquerda incompleta (poupando a face)

-Atrofia e fasciculações da hemilíngua direita

-Desvio da língua para a direita durante protusão

A) ANALISE o quadro acima, considerando o diagnóstico topográfico e as


estruturas acometidas.

B) EXPLIQUE as manifestações clínicas encontradas.

Questão 4: Alice estava evoluindo pacientes pelo estágio da Neuroliga,


quando se deparou com 02 pacientes que apresentavam alterações no exame
neurológico. Joaquim, 73 anos, ao ser questionado qual era seu nome,
respondeu dizendo o endereço em que morava. Lucinda, 58 anos, não
conseguia elaborar frases ou falar o nome do objeto (relógio) quando apontado
por Alice. IDENTIFIQUE as topografias das lesões e EXPLIQUE a alteração
apresentada por cada paciente.
Questão 5: Pedro Arthur estava em São João da Ponte, e após tomar umas
pingas, tomou coragem e foi mexer com Amanda. Enquanto estava queixando
ela, Ricardão (seu namorado) deu uma facada nas costas de Arthur. Ao chegar
no pronto socorro, foi atendido por Erica, acadêmica da Neuroliga. Que logo foi
afirmando para o médico que se tratava de uma provável hemisecção de
medula ao nível de C3. ANALISE a afirmação feita por Erica, justificando se é
possível levantar essa hipótese sem ter sido realizada TOMOGRAFIA.

Questão 6: Um paciente realizou uma tomografia que evidenciou compressão


medular discal à nível cervical. Diante do quadro clínico esperado, é provável
que o paciente apresente uma SNMS ou SNMI. DISSERTE a respeito do
quadro apresentado, confrontando os achados em cada síndrome.

Questão 7: Helga chega ao ambulatório com quadro de hipoacusia em ouvido


direito, com prova de weber lateralizada a esquerda; desvio da comissura labial
para a esquerda e dificuldade em enrugar a hemifronte; dificuldade em realizar
prova de Romberg. EXPLIQUE o diagnóstico TOPOGRAFICO E ETIOLÓGICO
que a paciente apresenta, evidenciando os nervos cranianos acometidos pela
lesão.

Questão 8: Compare as lesões A e B.

Questão 9: Orlando, 46 anos, foi atendido no NASPP pelos acadêmicos do 3º


período com queixa de diplopia. Durante o exame, notou-se que ao desviar os
olhos para a esquerda sua visão era normal, porém, ao olhar para direita
apresentava diplopia e nistagmo no olho direito, com componente rápido para
esquerda; pupilas isocóricas e fotorreativas. ELABORE o diagnóstico clínico,
topográfico e sindrômico, justificando os achados do exame.
Questão 10: Com base na base na imagem, responda:

A) Diferenciar hemianopsia homônima de heterônima


e exemplifique os locais onde elas podem ocorrer.

B) Diferencie: reflexo de piscar do reflexo córneo palpebral.

Questão 11: Alfredo chega para consulta com queixa de anestesia em


membros superiores. Durante exame clínico neurológico, evidenciou-se perda
da sensibilidade térmica, dolorosa e de pressão apenas nos membros
superiores, porém apresentava capacidade de reconhecer os objetos ao toque
preservada. EXPLIQUE o diagnóstico mais provável diante do caso
apresentado pelo paciente.

Questão 12: KRS apresenta os seguintes sinais clínicos: tremor distal em


membros superiores, perda da propiocepção consciente, não consegue
reconhecer os objetos utilizando o tato à esquerda, perda da sensibilidade da
face à esquerda, e anestesia (termica, dolorosa, tato de pressão) em
hemicorpo esquerdo, oftalmoplegia em olho direito com estrabismo divergente
e perda do reflexo fotomotor no mesmo. ANALISE o diagnóstico topográfico
apresentado pelo paciente, e indique a estrutura lesada que explique cada
manifestação do paciente.

Questão 13: Pedro Antônio chegou empolgado na aula de neurologia contando


aos colegas que seu primo que era sabidamente “surdo” acordou quando ele
ligou o som no volume máximo tocando “Pablo do arrocha” em sua casa.
Todos riram de sua cara e falaram que ele esteva mentindo. Porém você como
aluno estudioso que é, logo levantou a mão e montou uma JUSTIFICATIVA
plausível explicando se a história era verdadeira ou falsa. ESCREVA sua fala
abaixo:

Questão 14: Luis Fernando, 59 anos, buscou atendimento médico com queixa
de cefaleia de longa data, progressiva, associada a alterações olfatórias e
visuais. Ao exame: anosmia, amaurose à esquerda, fundo de olho com atrofia
de papila óptica à esquerda e papiledema à direita, pupilas anisocóricas, com
midríase à esquerda, com abolição do fotomotor direto e consensual.
DESCREVA o dianóstico clínico, topográfico, relacionando estruturas lesadas
com sinais e sintomas.

Questões 15: EXPLIQUE como Davi matou Golias.

Questão 16: COMPARE afasia de broca, wernick, global, condução,


transcortical motora e sensitiva.

Questão 17: EXPLIQUE a importância do mini mental no exame neurológico.


**² Questão 18: Sabemos que a força gravitacional tende a puxar tudo para
baixo, para o centro da terra, assim acontece com várias partes do nosso
corpo. Como uma máquina perfeita, nosso corpo então lança mão de
mecanismos para tentar compensar esta força. Podemos citar como exemplo
nossa boca (mandíbula), que apesar da força gravitacional permanece
fechada.

Com base no enunciado acima, descreva o mecanismo involuntário que nos


permite ficar constantemente de boca fechada.

**³ Questão 19: ADS, 30 anos internou-se na maternidade da Santa Casa de


Montes Claros para submeter-se a uma cesariana. O pré-natal evoluiu sem
intercorrências, havia feito todos os exames do risco cirúrgico. Submetida à
anestesia (raquidiana), a cirurgia transcorreu sem intercorrências e a garota
nasceu perfeita. No dia seguinte a mãe na ansiedade de ir para casa resolve
levantar e tomar banho. Ao levantar-se foi acometida por uma terrível dor de
cabeça, parecia que a cabeça iria explodir. Foi examinada imediatamente pelo
plantonista, que verificou, que sua pressão estava normal, afebril, sem
meningismo ou outros sinais neurológicos. Pediu a paciente que deitasse,
prescreveu uma hidratação venosa e logo a dor de cabeça melhorou. Após 48
horas, a paciente recebeu alta em bom estado geral, porém, recomendada a
permanecer de repoiso absoluto por mais de 07 dias. Teve boa evolução com
desaparecimento completo da dor.

Descreva a fisiopatologia dos sinais e sintomas apresentados pela paciente.

** Questão 20: ABS, 18 anos, durante limpeza de sua casa no fim de semana
teve queda com traumatismo na região occipital, procurou o hospital queixando
anosmia. A queixa da paciente produziu bastante confusão, pois, os
acadêmicos da Fip-Moc não conseguiram estabelecer um nexo entre o trauma
e a anosmia.

Explique se é possível o referido trauma produzir anosmia.

** Questão 21: JJL, 60 anos, compareceu para atendimento queixando


diplopia. AO EXAME: todos os músculos extrínsecos dos dois olhos quando
pesquisados isoladamente apresentavam movimentos normais. Ao desviar os
olhos para esquerda sua visão era normal, porém, ao olhar para direita
apresentava diplopia e nistagmo no olho direito com incapacidade de aduzir o
olho esquerdo. Os reflexos fotomotores e de acomodação eram normais, com
pupilas isocóricas e fotorreativas.

Elabore o dianóstico, justificando os achados do exame físico.