Você está na página 1de 47

ABNT NBR 13523 / 2008

Editada 11/08/08
Valida 11/09/08

CENTRAL DE Gás LP

Palestrante: Eng. Alexandre Serra


Cia. SHV GAS BRASIL
(MINASGÁS E SUPERGASBRAS)

RECIFE - 20/08/2010
CENTRAL DE GÁS LP
O QUE É ?

ÁREA DESTINADA A CONTER OS RECIPIENTES DE ARMAZENAMENTO DO


GLP PARA USO DA INSTALAÇÃO
e os demais componentes para condução, controle,
e segurança
Quais são as etapas de
uma instalação de Central de GÁS LP ?
1- Dado inicial : Demanda de consumo (vazão kg/h);
2- Determinação do tipo, quantidade de recipientes e a
localização da central de armazenamento – (Vaporização e
área disponível) ;
3- Avaliação e definição da forma e periodicidade de
abastecimento – (autonomia) ;
4- Elaboração de projeto: atendimento de requisitos técnicos e
legislativos locais - check list - ART responsabilidade técnica ;
5- Montagem, testes - ART
6- Comissionamento e início de operação; (Distrib. Gás LP)
7- Inspeções periódicas e manutenções -
DIMENSIONAMENTO

• O Dimensionamento da Central de Gás


LP não faz parte da Norma ABNT NBR
13523/08.
• Deve ser elaborado pelos responsáveis
do projeto, sendo de competência das
Distribuidoras de Gás LP, ou de
profissional/ empresa especializada.
Afastamentos de Segurança
Para cada tipo de recipiente ou conjunto de recipientes
- função das capacidades volumétricas –
tabela 1 ,2, 3 ,4 notas e anexos.
Objetivo
Capítulo 1 da NBR 13523/08
A norma de centrais de Gás LP teve ampliação de sua
abrangência para projeto, montagem, alteração,
localização e segurança de instalações com capacidade
de armazenamento de até 1.500 m3 (aprox. 750 ton.)

É aplicável para todo o tipo de instalação: comercial,


industrial ou residencial ( a partir do P-45).

A revisão da norma não é aplicável para bases de


Envasamento, bases Satélites e depósitos de envasados
.(temas cobertos pela NBR 15.186 e NBR 15.514 regulamentada pela
Resolução ANP 05/ 08 e respectivamente.

As prescrições desta Norma não se aplicam às instalações,


equipamentos, instrumentos ou estruturas que já existiam,
ou tiveram sua construção, instalação ou ampliação
anteriormente à data de publicação desta Norma.
REQUISITOS GERAIS
CAPÍTULO 4 da NBR 13523
– Projeto por profissional Habilitado
(CONFEA Decisão Normativa 032/88)
profissional habilitado: Pessoa devidamente graduada e
com registro no respectivo órgão de classe.
Montagem e Manutenção por profissional
Qualificado – treinamentos e avaliações
realizados, pela Distribuidora, por
instituições de ensino ou entidades
autorizadas.
REQUISITOS ESPECÍFICOS
CAPÍTULO 5 da NBR 13523
Classificação dos Recipientes:
- Quanto à localização: enterrados, de superfície, ou
aterrados
-Quanto ao formato :
Cilíndricos ou esféricos
• - Quanto à posição: Verticais ou
horizontais
• - Quanto ao manuseio:

Transportáveis Estacionários
- Quanto ao abastecimento:

trocáveis abastecidos no local


TIPOS DE RECIPIENTES para Gás LP
RECIPIENTES TRANSPORTÁVEIS RECIPIENTES ESTACIONÁRIOS
ESTACION RIOS
Recipiente com capacidade volumétrica É o Recipiente Fixo, com
igual ou inferior a 500 L (0,5 m³) construído Capacidade Superior a 0,5 m³,
de acordo com a NBR-8460 podendo ser construído conforme Normas
TROCÁVEL OU ABASTECIDO NO LOCAL reconhecidas internacionalmente.

NORMA DE CONSTRUÇÃO na
P-45 P-125 P-190 maioria dos casos utilizada:
ASME Seção VIII divisão 1 ou 2
TARA ± 38 kg ± 100 kg ± 125 kg

Espessura de
2,65 mm 4,25 mm 4,5 mm
Chapa
Capacidade
Volumétrica em 108 L 300 L 454 L
água
125kg 190 kg
Capacidade para
45 kg (Ref. (Ref.
GLP
Propano) Propano)
Capacidade de
2,5 a 3,0 3,0 a 3,5
Vaporização 1 kg/h
kg/h kg/h
Natural
NBR8460
Normas de NBR DOT 4B-
NBR 8460
Fabricação 8460 W ou
ASME
Localização dos Recipientes (item 5.3)

- Áreas externas, locais ventilados com afastamentos de segurança da


tabela 1. É proibida a instalação em locais confinados (forros,
porões,etc).
Instalações em teto, laje e terraço de edificações somente serão
permitidas, se atenderem uma lista de pré-condições a serem avaliadas.
(item 5.3.2 e seus 14 sub-itens), como :
 Aprovação da autoridade competente local;
 O limite máximo de altura fica restrito a 15 m, acima disto há a
exigência de detectores de gás, nebulização automática, rede de
hidrantes, local para evaporação de produto, etc.;
 Limite máximo de 2m3 (Residenciais) e 16 m3 (comerciais, industriais
e condomínios);
Recipientes em tetos

Foto da NFPA 58 Edição comentada 2001


No México – Cancum 2.006
No Brasil – São Paulo 2.007

12m
O Tanque Instalado (SP)
Capacidade volumétrica : 1,9 m3
Tabela 1
Tabela de afastamentos de segurança versão 2.008
(m)
Capacidade Divisa de Aberturas abaixo Fontes de ignição e Produto Materiais
individual propriedades Entre da descarga da outras aberturas tóxicos, combustí-
do edificáveis / recipi- válvula de j) perigo- veis
recipiente edificações entes segurança sos,
m3 d), f), g) e h) inflamá-
veis
Super Enter- Abaste Destro- Abaste- Destro-
e chama
fície rados / cidos cáveis cidos no cáveis
aberta
a), c) Aterra no local
l)
e e) dos local
b)
Até 0,5 0 3 0 1 1 3 1,5 6 3
> 0,5 a 2 1,5 3 0 1,5 - 3 - 6 3
> 2 a 5,5 3 3 1 1,5 - 3 - 6 3
> 5,5 a 8 7,5 3 1 1,5 - 3 - 6 3
> 8 a 120 15 15 1,5 1,5 - 3 - 6 3
> 120 22,5 15 ¼ da 1,5 - 3 - 6 3
soma
dos
diâme
tros
adjace
ntes
Notas importantes da Tabela 1

 1- As distâncias apresentadas na tabela 1, são medidas a partir da


superfície do recipiente mais próximo. As válvulas de segurança dos
recipientes estacionários devem estar fora da projeção de telhados e
marquises
Notas importantes da Tabela 1

• 2- A distância dos recipientes enterrados / aterrados devem ser


medidas a partir da válvula de segurança, enchimento e
indicador máximo. Para recipientes enterrados em caixa de
alvenaria podem ter as distâncias para edificações e divisas
reduzidas pela metade, respeitando no mínimo 1m

• 3- Desconsiderar projeções de telhados e marquises para


medição de distâncias;
Afastamentos de segurança para
Instalação de Recipientes Transportáveis

Nota 4 da tabela 1
Em uma instalação se a capacidade total com recipientes individuais de
até 0,5 m3 for menor ou igual a 2,0 m3, a distância mínima continuará
sendo 0 m (até 4 P-190), se for maior que 2,0 m3, considerar:

1,5 m para capacidade total > 2,0 até 3,5 m3 ( 5 a 7 P-190)


3 m para capacidade total > 3,5 até 5,5 m3 ( 8 a 12 P-190)
7,5 m para capacidade total > 5,5 até 8,0 m3 (13 a 17 P-190)
15 m para capacidade total acima de 8,0 m3 ( 35 + 35 P-45)
Sub-divisão de Centrais
com Recipientes Transportáveis
Nota 4- tabela 1 continuação...
• Caso o local destinado à instalação da central que
utilize recipientes de até 0,5 m3 não permita os
afastamentos da tabela 1, ...........a central pode ser
sub-dividida com a utilização de paredes divisórias
resistentes ao fogo TRF 2 h de acordo com a NBR
10636, com comprimento e altura de dimensões
superiores ao recipiente.
• Neste caso, deve se adotar o afastamento mínimo
referente à capacidade total de cada subdivisão (0).
Notas importantes Tabela 1 ...continuação

Obs: Para recipientes individuais de até 0,5 m3 abastecidos no


local, a capacidade conjunta total é limitada em 10 m3/central (22
P-190 ou 33 P-125 ) caso precise de uma central maior a nova
central deverá estar afastada no mínimo 7,5 m da primeira central.

 6- Para recipientes com capacidade volumétrica > 0,5 m³

Podem ser instalados em grupos de 6 recipientes,


sendo o afastamento entre grupos de 7,5 m
Devem ser instalados lado a lado.
Notas importantes Tabela 1

7- A distância de recipientes estacionários de superfície com


capacidade até 5,5 m3, para edificações/divisa de propriedade,
podem ser reduzidas a metade, desde que sejam instalados no
máximo 3 recipientes .

8- Os recipientes não podem ser instalados dentro da bacia de


contenção de outros combustíveis.

9- Afastamentos para oxigênio e hidrogênio ver tabelas 2 e 3


respectivamente.

10- Para recipientes transportáveis protegidos em abrigos as


distâncias podem ser reduzidas pela metade.
Instalações de recipientes em divisas
de propriedades e/ou de vias públicas
• Item 5.4.5
Podem ser instalados recipientes ao longo da divisa de
propriedade, desde que seja construída parede resistente
ao fogo (TRF 2h) e que o acesso da central seja voltado
para o interior da propriedade

calçada calçada
Anexo Informativo
Novo Anexo Informativo
Novo Anexo Informativo
Separação de Oxigênio e Hidrogênio
Capacidade volumétrica Capacidade máxima de Oxigênio possível ser contida ,em
total dos reciipentes fase líquida e gasosa, nos recipientes (incluindo
de GLP reservas)
m3 3
Nm na fase gasosa

Até 11 11,1 a 566 Acima de 566


Até 5,5 0 6 7,5
> 5,5 0 6 15
Tabela 2 – Afastamentos para Estocagem de Oxigênio

Capacidade volumérica Capacidade máxima de Hidrogênio possível ser


total de recipentes contida ,em fase líquida e gasosa, nos
de GLP recipientes (incluindo reservas)
m3 Nm3 na fase gasosa

Até 11 11 à 85 > 85
Até 2,0 0 3 7,5
Acima de 2,0 0 7,5 15
Tabela 3 - Afastamentos para Estocagem de Hidrogênio
Distância para Rede Elétrica

5.4.7 O(s) recipiente(s) não deve(m) estar localizados sob redes


elétricas e deve(m) atender às distâncias mínimas de sua projeção
do plano horizontal, conforme tabela 4.
Distância mínima
Nível de tensão m
kV

menor ou igual a 1,8


0,6
entre 0,6 e 23 3,0

maior que 23 7,5

5.4.8 O(s) recipiente(s), quando protegidos por abrigo com


cobertura (5.10.3), podem ser instalados sob redes de até 0,6 kV.
Tomadas de Abastecimento (NBR 13523)

 – Afastamentos de segurança - item 5.5.


(1,5 m de ralos, 3 m de aberturas nas edificações e materiais de fácil
combustão e 6 m de outros fluídos inflamáveis)

 Deve existir linha de abastecimento (tubulação rígida de


aço) para o abastecimento dos recipientes nas lajes de

cobertura (acima de 9m de altura) e na necessidade da


tomada de abastecimento estar fora dos limites da
central – item 5.3.3 e seus sub-itens.
Tomadas de Abastecimento (NBR 13523/08)

A chamada linha de abastecimento (fase líquida) é utilizada,


principalmente, para as tomadas de abastecimento dos recipientes
instalados em lajes de cobertura – item 5.3.3 e seus sub-itens.

Para as áreas 100% construídas


que contemplem recipientes
instalados no teto ou no fundo
do terreno, a tomada de
abastecimento poderá estar na
parte externa da edificação a 2,8
m de altura, protegida e
identificada
Veículo Abastecedor (México)
Paredes Resistentes ao Fogo - item 5.4

- Tem como objetivo proteger os recipientes da radiação


térmica, e assegurar uma distância de dispersão adequada.

 - Deve ser totalmente fechada com material resistente ao


fogo por 2 horas conforme NBR 10636 .

- Deve possuir mínimo 1,8 m de altura ou estar na mesma


altura do recipiente

 - Podem ser construídas ( no máximo duas) de maneira que


se interponham aos recipientes reduzindo as distâncias das
tabelas e outras estabelecidas na Norma.
Paredes Resistentes ao Fogo
Capítulo 5.4 (8 itens)
Podem ser utilizadas para assegurar as distâncias adequadas
estabelecidas na Norma, utilizando o conceito de distância percorrida
para dispersão , conforme “vetores” da figura exemplo.

Na existência de abrigo de recipientes transportáveis , o mesmo pode ser


considerado como parede resistente ao fogo se atender aos requisitos.
CONDIÇÕES GERAIS
— Instalação ELÉTRICA —Dentro da Área da central equipamentos
conforme NBR 5363, NBR 5418, NBR 5419 e
NBR 8447 (Anexo A)

— ABRIGOS (Não são mais obrigatórios) e centrais com recipientes


estacionários até 2 m3 podem ter abrigos com
cobertura ( item 5.10.3)

— Construídos em materiais incombustíveis.


Possuir aberturas com área mínima de 10 % de
sua planta baixa e aberturas inferiores de área
mínima de 0,03 m2 para facilitar a circulação
natural de ar.

— Base firme nivelada, de material incombustível e


com nível superior ao piso circundante.

— SUPORTE (tanques) — Material incombustível, dimensionados para


suportar o peso do próprio tanque mais o peso
do seu volume total com água
DELIMITAÇÃO DAS CENTRAIS DE GLP (5.10.5)

 Centrais com recipientes de superfície devem


ser delimitadas, quando passíveis de acesso do público
ou de veículos, através de cercas ou similar, com
altura de 1,8 m com dois portões e distâncias de :
1,0m de recipientes até 8 m3
1,5m para recipientes acima 8 a 16 m3
3,0m acima 16 a 120m3
7,5m aicma de 120 m3

 Centrais Aterradas ou Subterrâneas devem ser


cercadas por estacas e correntes
Aterramento, iluminação e
Proteção contra descargas atmosféricas

5.11.1 Não é requerido o aterramento elétrico dos


recipientes transportáveis e tubulação da central.
Para os recipientes estacionários, o aterramento deve
estar de acordo com as ABNT NBR 5410 e 5419.

5.11.2 Os recipientes de GLP NÃO requerem proteção


contra descargas atmosféricas (para raios).
Equipamentos Elétricos (item 5.11.4)

• Os equipamentos elétricos devem ser instalados


somente em áreas seguras.
• As áreas em torno dos recipientes devem ser
classificadas de acordo com o grau de probabilidade
da concentração de vapores inflamáveis , conforme a
ABNT NBR IEC 60079-10

No anexo A são apresentadas algumas situações e suas


respectivas classificações de risco:
• Zona 1 - mistura ar/gás ocorre durante operação normal
• Zona 2 - mistura ar/gás poderá ocorrer em situações anormais
Para instalação de equipamentos elétricos, eletrônicos, de
instrumentação e iluminação, quando necessários, estes devem
ser certificados com a proteção adequada , de acordo com as
possibilidades apresentadas nas normas ABNT NBR IEC
relacionadas e, ter grau de proteção IP adequado ao local da
instalação.
TESTES na rede de alimentação

 5.14 Estanqueidade da Rede de Alimentação (até


regulador de 1o estágio ou de estágio único):

Pressão pneumática de 1,7 MPa (17,2kgf/cm2) ou hidrostática


de 2,55 MPa (26 kgf/cm2) Tempo mínimo : 15 minutos
COMISSIONAMENTO
Purga do ar e Admissão do gás
• 5.15.3 Purga do ar com injeção de gás inerte
• Trechos de tubulação com volume hidráulico acima de 50 L
e que tenham traçado por locais não abertos ao ambiente
externo, propensos ao acúmulo de gás, devem ser
purgados com injeção de gás inerte antes da admissão do
gás combustível, de forma a evitar probabilidade de
inflamabilidade da mistura ar + gás no interior da
tubulação.
• 5.15.4 Admissão de gás combustível na rede de
alimentação
• Trechos de tubulação com volume hidráulico total de até 50
L ou que tenham traçado por locais abertos ao ambiente
externo podem ser purgados diretamente com gás
combustível.

Antes de iniciar o abastecimento da linha com gás


combustível, deve ser verificado se as extremidades ou
pontos terminais estão fechados.
Proteção contra Incêndios
EXTINTOR
AVISO DE ADVERTÊNCIA

Perigo Extintor sobre


Central de GLP Extintor portátil
rodas
Inflamável Quantidade de GLP Capacida
Nº Nº Capacidade
Kg de
Não Fume
Até 270 1 20 B - -
271 a 1 800 2 20 B - -
Acima de
2 20 B 1 80 B
1 800
 Recipientes estacioná
estacionários de superfí
superfície com capacidade
individual igual ou superior a 10 m3 é obrigató
obrigatória a instalaç
instalação
de rede fixa de água com hidrantes;
hidrantes;

 Recipientes de superfí
superfície com capacidade individual igual ou
superior a 20m3 é obrigató
obrigatória proteç
proteção de rede fixa de água
com nebulizadores .
Inspeções nos Recipientes

• 5.17.1 Requalificação (NBR 8865) em até


15 anos para os Recipientes Transportáveis
(NBR 8460) e dos DOT e ASME – 12 anos
• Após a requalificação inicial, as sequentes são em intervalos
máximos de 10 anos.

• 5.17.2 Inspeções Periódicas Exigidas pela


Legislação(NR-13- Ministério do Trabalho)
para os recipientes estacionários, conforme
sua capacidade, produto armazenado e
pressão de trabalho – (de 2 a 12 anos hidrostático)
Vaporizadores - distâncias
Recipientes Tomada de Edificação e/ou
Tipo de vaporizador Abasteci- divisa de
mento propriedade
edificável
Acionado por fogo e 3m 4,5 m 7,5 m
elétrico não classificado

A vapor, água quente, 1,5 m 1,5 m 0m (2)

atmosférico e elétrico
classificado
NOTAS
1 - Quando a fonte geradora de energia dos vaporizadores a vapor de água e
água quente for acionada por fogo e estiver instalada a menos de 4,5 m do
vaporizador, este vaporizador deve ser considerado acionado por fogo.
2 - Os vaporizadores elétricos classificados, a vapor, água quente e
atmosférico podem ser instalados conforme tabela 7, desde que a divisa de
propriedade e as edificações sejam de parede não vazada de alvenaria,
com altura mínima de 1,8 m e TRF de 2 h.
Obrigado!

Palestrante: Eng. Alexandre Serra Eng. Marcos C. Siqueira


Cia. SHV GAS BRASIL Cia. Ultragaz S/A
(MINASGÁS E SUPERGASBRAS) e-mail : ugdesenv@ultragaz.com.br
e-mail : aserra@shvgas.com.br