Você está na página 1de 9

Aluno: Hiberaldo M.

de Moura Neto Mat:01042180

PRÁTICAS DE LABORATÓRIO TELECOMUNICAÇÕES

MEDIDA DAS CARATERÍSTICAS DE CIRCUITOS


DE
RÁDIO FREQUÊNCIA (Circuitos de RF)

FONTE DE REFERÊNCIA:
PRINCÍPIOS DE TELECOMUNICAÇÕES –
MANUAL DE LABORATÓRIO E EXERCÍCIOS
De William Soler Chui

Experiência 01 – Medição das características de filtros


passivos tipo Passa-Baixa e Passa-Alta

Curso: Engenharia de Telecomunicações


Disciplina: Técnicas de Medição em Telecomunicações II
Experiência 01 – Medição das características de filtros
passivos tipo Passa-Baixa e Passa-Alta

Medição das freqüências de corte e banda passante de filtros


passivos tipo filtro passa-baixa e filtro passa-alta.

1 – Objetivo
Avaliar experimentalmente a resposta em frequência [(Vo/Vi) x f ]
dos seguintes filtros: passa-baixa (FPB) e passa-alta(FPA).

2 – Resumo teórico

Filtros passivos são circuitos que selecionam determinadas faixas de


frequência e não são capazes de ampliar o sinal. A(s) frequência(s) do
sinal de entrada em que temos (Vo/Vi) = 1/√2 (queda de 3 dB) é
denominada frequência de corte.
O circuito que seleciona frequências compreendidas entre zero e uma
determinada frequência de corte e atenua as frequências superiores
à essa frequência de corte é denominado Filtro Passa-Baixa, que tem
o formato da figura 1.1.
A frequência de corte desse circuito é determinada pela expressão:
fc = 1/2πRC

O circuito que atenua frequências compreendidas entre zero e uma


determinada frequência de corte e seleciona as frequências superiores
à essa frequência de corte é denominado Filtro Passa-Alta, que tem o
formato da figura 1.2.

A frequência de corte desse circuito é determinada pela expressão:


fc = 1/2πRC

3 – Lista de material
1 Gerador de áudio
` 1 Osciloscópio
1 Placa de montagem
1 Capacitor de 0,22 µF ( Medido 0,216 µF )
1 Resistor 2.7 kΩ (Medido 2,657 kΩ)
4 – Roteiro experimental

4.1 – Filtro Passa-Baixa

a) Projetar um FPB com as seguintes características:


fc = 250 Hz e C =0,22 µF com um software (Foi Utilizado o NI
Multisim);

1
𝑅= = 2,893 𝑘Ω
2𝜋 250 0,22 10−6

Usando resistores e capacitores comerciais para prosseguir a montagem


em laboratório e medindo seus valores com multímetro e capacimetro para
melhor precisão dos cálculos chegamos aos seguintes valores:

Resistor 2,657 kΩ
Capacitor 0,216 µF

Resultando na seguinte frequência de corte calculada:

1
𝐹𝑐 = = 𝟐𝟕𝟕, 𝟑𝟐 𝑯𝒛
2𝜋 2,657 103 0,216 10−6

b) Ajustar o sinal senoidal fornecido pelo gerador de áudio de acordo com


a tabela I a seguir. Avaliar Vo com o osciloscópio para cada valor de
frequência do sinal de entrada;

c) Calcular Vo/Vi e 20 log Vo/Vi (em decibel). Preencher a tabela I;


Tabela I – Filtro Passa-Baixa

f (Hz) Vi (Volt) Vo (Volt) Vo/Vi 20 log Vo/Vi


15 5 4,52 0,904 -0,877
30 5 4,84 0,968 -0,282
50 5 4,88 0,976 -0,211
60 5 4,88 0,976 -0,211
100 5 4,64 0,928 -0,649
150 5 4,32 0,864 -1,270
200 5 3,96 0,792 -2,025
220 5 3,80 0,760 -2,384
250 5 3,60 0,720 -2,853
277 5 3,48 0,696 -3,148
300 5 3,24 0,648 -3,768
400 5 2,76 0,552 -5,161
500 5 2,36 0,472 -6,521
1 KHz 5 1,32 0,264 -11,568
5 KHz 5 0,32 0,064 -23,876

Linha em destaque representa os valores obtidos na Frequência de Corte do


Filtro Passa-Baixa.

d ) Levantar a resposta Vo/Vi versus frequência do FPB;

Utilizando o software de simulação eletrônica (NI Multisim 14.0) foi


obtido o Diagrama de bode (dB x Hz) para um circuito equivalente
simulado em software, aonde podemos ver de maneira gráfica o
comportamento do filtro com relação as frequências de entrada ensaiadas.
e ) Determinar a frequência de corte experimental da seguinte forma: par-
tindo de uma frequência baixa, variar a frequência do sinal fornecido
pelo gerador de áudio até obtermos Vo = Vi/√2.

Obs.: Manter Vi = constante para qualquer valor de frequência

5
𝑉𝑜 = = 𝟑, 𝟓𝟒 𝑽𝒐𝒍𝒕
√2

Conforme observados na tabela I, que contém os valores medidos


usando osciloscópio de bancada comprovam com pequena margem de erro
que o valor calculado para a frequência de corte ocorreu no circuito
montado e ensaiado no laboratório.
4.2 – Filtro Passa-Alta

a ) Projetar um FPA com as seguintes características:

fc = 5,0 KHz e C =0,22 µF com um software (Foi Utilizado o NI


Multisim);

1
𝑅= = 144,69 Ω
2𝜋 5 103 0,22 10−6

Usando resistores e capacitores comerciais para prosseguir a montagem


em laboratório e medindo seus valores com multímetro e capacimetro para
melhor precisão dos cálculos chegamos aos seguintes valores:

Resistor 148,9 Ω
Capacitor 0,228 µF

Resultando na seguinte frequência de corte calculada:

1
𝐹𝑐 = = 𝟒, 𝟔𝟖𝟖 𝑲𝑯𝒛
2𝜋 148,9 0,228 10−6

b ) Ajustar o sinal senoidal fornecido pelo gerador de áudio de acordo com


a tabela II a seguir. Avaliar Vo com o osciloscópio para cada valor de
frequência do sinal de entrada;

c ) Calcular Vo/Vi e 20 log Vo/Vi (em decibel). Preencher a tabela II;


Tabela II – Filtro Passa-Alta

f (Hz) Vi (Volt) Vo (Volt) Vo/Vi 20 log Vo/Vi


100 5 0,28 0,056 -25,036
200 5 0,36 0,072 -22,853
500 5 0,68 0,136 -17,329
800 5 1,04 0,208 -13,639
1 KHz 5 1,24 0,248 -12,111
2 KHz 5 2,24 0,448 -6,974
3 KHz 5 2,80 0,560 -5,036
4 KHz 5 3,24 0,648 -3,768
4.688 KHz 5 3,48 0,696 -3,148
5 KHz 5 3,52 0,704 -3,049
6 KHz 5 3,72 0,744 -2,569
8 KHz 5 3,92 0,784 -2,114
10 KHz 5 4,08 0,816 -1,766
15 KHz 5 4,16 0,832 -1,598
50 KHz 5 4,28 0,856 -1,351

Linha em destaque representa os valores obtidos na Frequência de Corte do


Filtro Passa-Alta.

d ) Levantar a resposta Vo/Vi versus frequência do FPB;

Utilizando o software de simulação eletrônica (NI Multisim 14.0) foi


obtido o Diagrama de bode (dB x Hz) para um circuito equivalente
simulado em software, aonde podemos ver de maneira gráfica o
comportamento do filtro com relação as frequências de entrada ensaiadas
e ) Determinar a frequência de corte experimental da seguinte forma: par-
tindo de uma frequência baixa, variar a frequência do sinal fornecido
pelo gerador de áudio até obtermos Vo = Vi/√2.

Obs.: Manter Vi = constante para qualquer valor de frequência

5
𝑉𝑜 = = 𝟑, 𝟓𝟒 𝑽𝒐𝒍𝒕
√2

Conforme observados na tabela I, que contém os valores medidos


usando osciloscópio de bancada comprovam com pequena margem de erro
que o valor calculado para a frequência de corte ocorreu no circuito
montado e ensaiado no laboratório.