Você está na página 1de 16

O SOM QUE TRANSCENDE

TRADIÇÃO COM INOVAÇÃO

JORGE UMBELINO
LUTHIER

Luthier especializado na construção de


Bandolim Tradicional Português

Os instrumentos construídos pelo Luthier Jorge Umbelino são


peças únicas, observando o melhor aperfeiçoamento de cada
elemento de forma completamente personalizada às
exigências do instrumentista.

CATÁLOGO
2019
Os instrumentos construídos pelo Luthier Jorge Umbelino são peças
únicas, de fabrico totalmente artesanal e, portanto, podem-se
considerar estas peças como autênticas obras de arte.

Observando sempre o melhor aperfeiçoamento de cada elemento, o


Luthier Jorge Umbelino tem como filosofia principal, de trabalhar de
forma completamente personalizada às exigências do instrumentista,
tendo sempre em conta o conhecimento geral da qualidade de
execução das madeiras e dos materiais que utiliza, sendo que, a
inovação que pretende executar na construção dos seus instrumentos,
na sua perspetiva, passa pela forma, pelas dimensões e pela utilização
de madeiras exóticas, não comummente utilizadas na construção
tradicional deste instrumento, o que poderá resultar numa oferta e
numa procura da excelência e da pureza do som destas madeiras,
aliadas à dimensão física e cultural do instrumento.
O Bandolim, sua história

O Bandolim é um instrumento que teve o seu surgimento na Itália do Século


XVI, e crê-se que a principal inspiração para a sua construção seja a sua ligação
ao Alaúde. Alguns compositores eruditos de época partilharam a sua
curiosidade em compor para o instrumento, como é o caso de Antonio Vivaldi,
compositor do período Barroco, mas também começam agora, na
contemporaneidade, a surgir novos horizontes na composição de música
erudita, muito pela consideração e pela curiosidade em adaptar, ou melhor,
transcrever composições musicais de grande referência musical noutros
instrumentos, com o pretexto de aumentar consideravelmente o repertório
erudito existente, divulgando e  tornando visível as suas qualidades sonoras e
musicais, para que possa haver um maior interesse na criação e na composição
para o instrumento, enquanto instrumento erudito.

Segundo o sistema Hornbostel-Sachs, o sistema de classificação de


instrumentos musicais mais utilizado na era contemporânea, pela Organologia e
Etnomusicologia, podemos classificar o Bandolim como um Cordofone
Composto, já que a sua construção é elaborada com a característica de ter uma
caixa de ressonância; e como Cordofone Dedilhado, pela forma de se tocar com
recurso a um plectro, que normalmente é fabricado em osso, marfim ou madeira
ou, mais recentemente, com uma palheta, que normalmente é fabricada com
materiais como o plástico, PVC ou fibra de carbono.

A sua afinação é igualmente idêntica à do Violino (Sol, Ré, Lá, Mi), sendo que o
Bandolim tem quatro ordens de cordas, isto é, corda dupla. O principal motivo
para este encordoamento reside no fato de que, tradicionalmente, o Bandolim
seria um instrumento que dobrava as melodias tradicionais da voz à oitava
acima, o que, sendo o caso, a evolução nesse aspeto se teve de dar de forma
natural, devido ao fato de os agrupamentos terem sempre mais quem cantasse
do que quem tocasse, porque, tal como é evidente, o tocar envolve sempre uma
maior habilidade e elaboração técnica, expondo a direção do caso para as
canções, as danças e a música tradicional, totalmente executada de forma
amadora. Neste caso, vale frisar que a arte do Canto, quando profissionalmente
bem executada, exige também ela, grande habilidade e elaboração técnica.
O Bandolim, sua história
Continuação...

Em Portugal, a sua execução e utilização é dada na Música Tradicional ou


Folclórica, pela nossa riqueza secular, especialmente estudada e catalogada
por autores como Fernando Lopes-Graça e Michel Giacometti, e, mais
recentemente, também pelo Guitarrista Professor Doutor Miguel Carvalhinho,
na sua tese de doutoramento, em que foi beber às mais brilhantes fontes
musicais e culturais dos Anciãos, nomeadamente da Beira-Baixa.

Partilhando algumas referências, é de todo o projeto do Luthier Jorge


Umbelino fazer evoluir também, em termos de métodos de construção, o
Bandolim Tradicional Português, já que, como podemos analisar, foi este o
Bandolim que menos evoluiu, se o comparar-mos, muito peculiarmente, com o
Bandolim Tradicional Brasileiro.

Contudo, sendo um instrumento que não perdeu a sua vitalidade, muito graças
às tunas universitárias, às orquestras típicas, e outros agrupamentos de
extrema importância, sem esquecer o contributo do Virtuoso Multi-
Instrumentista Português Júlio Pereira, é a missão do Luthier Jorge Umbelino
fazer evoluir o instrumento a uma escala de construção e de sonoridade nunca
antes alcançada em Portugal por um construtor de instrumentos tradicionais,
que permita o próximo passo evolutivo do Bandolim Tradicional Português sem
que, com isso, se perca a sua dimensão histórica e cultural.
O Bandolim, Madeiras
Tampo Harmónico...

 Abeto       
     ORIGEM: Alemanha, Roménia, Canadá, etc.
     DESCRIÇÃO: Madeira de cor branca, cuja densidade é de aproximadamente 450 Kg/m3.
     QUALIDADE: Este tipo de madeira tem qualidades sonoras muito valorizadas pelos construtores  
                        e pelos instrumentistas, e dado o fato de ser um tipo de madeira que é muito          
                        utilizada, tornou-se também muito procurada, devido à escassez de madeira desta  
                        qualidade.
     CARACTERÍSTICAS: É um tipo de madeira que se manuseia bem. Tem um som definido em todas  
                        as regiões, agudas e graves, muitas das vezes estridente nas regiões agudas,          
                        embora esta última característica também pode ter relevância pela qualidade da      
                        madeira ou pela conjugação de madeiras na construção do instrumento. 
     USO: Tampo harmónico de instrumentos de corda (Guitarra Clássica, Violino e Violoncelo).

Cedro       
     ORIGEM: Brasil, Canadá, etc.
     DESCRIÇÃO: Madeira de cor castanho claro, cuja densidade é de aproximadamente 450       
                        a 600 Kg/m3.
     QUALIDADE: Este tipo de madeira tem qualidades sonoras muito valorizadas pelos construtores  
                        e pelos instrumentistas, e, por ser um tipo de madeira cuja espécie se encontra 
                        protegida, tornou-se num tipo de madeira muito procurada e também muito cara.
     CARACTERÍSTICAS: É um tipo de madeira que requer algum cuidado no manuseio, já que é muito  
                        macia ao toque, o que qualquer falta de cuidado se risca ou vinca com facilidade.      
                        Tem um som muito rico nas regiões mais graves, e os agudos são ligeiramente mais  
                        doces e menos estridentes, quando comparado com o Abeto tradicional.
     USO: Tampo harmónico de instrumentos de corda (Guitarra Clássica).
O Bandolim, Madeiras
Fundo e Ilhargas...

 Nogueira    
     ORIGEM: Portugal, Espanha, Estados Unidos, etc.
     DESCRIÇÃO: Madeira de cor castanho escuro ou em variadas tonalidades, cuja densidade é          
                        de aproximadamente 550 – 660 Kg/m3 (US) ou 700 – 780 Kg/m3 (ESP).
     QUALIDADE: Este tipo de madeira tem qualidades sonoras muito interessantes. É um tipo de        
                        madeira que era muito utilizada na construção de Guitarras Clássicas                       
                        ou instrumentos tradicionais (campaniças e cavaquinhos) pelos construtores do      
                        passado.
     CARACTERÍSTICAS: É um tipo de madeira que se manuseia bem. Apresenta um som muito definido
                        e rico nas regiões mais agudas.
     USO: Caixa de ressonância de instrumentos de corda.

  Cerejeira    
     ORIGEM: Brasil.
     DESCRIÇÃO: Madeira de cor castanho amarelado, cuja densidade é de aproximadamente
                        590 Kg/m3.
     QUALIDADE: Este tipo de madeira tem qualidades sonoras muito valorizadas pelos construtores  
                        e pelos instrumentistas. A sua super exploração e degradação dos ecossistemas       
                        contribuíram para a falta de espécies de grande porte, sendo considerada
                        uma espécie ameaçada pela perda de habitat.
     CARACTERÍSTICAS: É um tipo de madeira que se pode dizer nobre, muito utilizada em móveis      
                        finos, cadeiras, artigos para decoração, armários, portas, instrumentos musicais e    
                        tornearia.
     USO: Caixa de ressonância de instrumentos de corda.
O Bandolim, Madeiras
Braço...

 Jatóba      
     ORIGEM: América do Sul.
     DESCRIÇÃO: Madeira de cor castanho, cuja densidade é de aproximadamente 940 Kg/m3.
     QUALIDADE: Este tipo de madeira confere um nível de segurança na a construção do braço,
                  já que é um tipo de madeira muito rija, e por isso denota um timbre mais agudo, mas
                  com sustain. É um tipo de madeira que é muito utilizada na construção de instrumentos
                  de corda e de sopro.
     CARACTERÍSTICAS: É um tipo de madeira que se manuseia bem, embora, quando haja diferenças
                  de temperatura ou de humidade relativa, é capaz de se efetuarem algumas rachadelas
     USO: Instrumentos de corda, e instrumentos de sopro.

MOGNO      
     ORIGEM: América do Sul.
     DESCRIÇÃO: Madeira de cor castanho-avermelhado, cuja densidade é de aproximadamente
                   600 Kg/m3.
     QUALIDADE: Este tipo de madeira tem qualidades sonoras muito valorizadas pelos construtores.
                   Muitos a apreciam pela sua facilidade de trabalho, pela sua estabilidade e duração. É
                   usado em mobiliário de luxo, objetos de adorno, painéis, acabamentos internos, entre
                   outros. O mogno corre sério risco de extinção, porque tem um alto valor comercial e
                   aceitação no mercado internacional.
     CARACTERÍSTICAS: É um tipo de madeira que requer algum cuidado no manuseio, e é aproveitado
                   na produção de instrumentos musicais, principalmente em guitarras, pelo seu timbre
                   característico e ressonância sonora, que tende ao médio-grave.
     USO: Instrumentos de corda.
O Bandolim, Madeiras
Escala...

 Ébano      
     ORIGEM: Madagáscar, Nigéria, Camarões, etc.
     DESCRIÇÃO: Madeira de cor negra, cuja densidade é de aproximadamente 1000 - 1300 Kg/m3.
     QUALIDADE: Este tipo de madeira confere um nível de segurança na a construção do braço,
                  já que é um tipo de madeira muito rija, e por isso denota um timbre mais agudo, mas
                  com sustain. É um tipo de madeira que é muito utilizada na construção de instrumentos
                  de corda e de sopro.
     CARACTERÍSTICAS: É um tipo de madeira que se manuseia bem, embora, quando haja diferenças
                  de temperatura ou de humidade relativa, é capaz de se efetuarem algumas rachadelas
     USO: Escala de instrumentos de corda, e instrumentos de sopro.

Faia        
     ORIGEM: Europa Central.
     DESCRIÇÃO: Madeira de cor amarelada, cuja densidade é de aproximadamente 690       
                        a 750 Kg/m3.
     QUALIDADE: Este tipo de madeira tem qualidades sonoras muito valorizadas pelos construtores  
                        e pelos instrumentistas, e é vulgarmente encontrada nos cemitérios em Espanha.
     CARACTERÍSTICAS: é um tipo de madeira que requer algum cuidado no manuseio,                       
                        porque se pode manchar em ambiente húmido, e é difícil de serrar devido aos nós    
                        e ao veio da madeira. Tem um som muito rico nas regiões mais graves.
     USO: Tampo harmónico, Caixa de ressonância de instrumentos de corda (Guitarra Flamenca).
Modelo Tradicional Português
Modelo I

     TAMPO: Abeto.      BRAÇO: Jatóba


     FUNDO: Nogueira      ESCALA: Faia
     ILHARGAS: Mogno      AFINADORES: GEWA de Alta Qualidade
     CARACTERÍSTICAS: Tem uma tonalidade aguda e brilhante, mediante a conjugação de madeiras
                  como o Abeto, a Nogueira e a Jatóba, cuja densidade e rigidez lhe faz valer,
                                  para além da própria dimensão da caixa de ressonância, de ter uma ilharga
                                  mais curta, fazendo que a sua sonoridade seja também bastante projetada.
                                  O braço é fino e com trastes baixos, de fácil execução. Acabamento em
                                  verniz tradicional normal - "tapa-poros", tipo "mate".
 CAPTAÇÃO: Sem Captação. Possibilidade de aplicação de Pickup Passivo Transdutor "Schaller". Caso haja interesse num Pickup
                   Ativo "Fishman", terá de haver uma maior dimensão na ilharga do instrumento, que permita a sua instalação.
Modelo em Cedro
Tamanho Pequeno
Modelo II

     TAMPO: Cedro      BRAÇO: Jatóba


     FUNDO: Nogueira      ESCALA: Ébano
     ILHARGAS: Nogueira      AFINADORES: GEWA de Média Qualidade
     CARACTERÍSTICAS: Modelo de Bandolim com inovações ao nível da dimensão e da forma, em que
                                  as ilhargas e o fundo em Nogueira, não permitem um som mais cheio nas
                                  regiões graves. No entanto, esta inovação do tampo em cedro permitiu rever
                                  a sonoridade estridente da região dos médios, presente no modelo anterior. A
                                  escala tem um radio bastante pequeno, os trastes aplicados são largos, mas
                                  de fácil execução, e máxima limpeza em qualquer nota musical.
                                  Acabamento em verniz Poliuretano, tipo "mate".
 CAPTAÇÃO: Sem Captação. Possibilidade de aplicação de Pickup Passivo Transdutor "Schaller". Caso haja interesse num Pickup
                   Ativo "Fishman", terá de haver uma maior dimensão na ilharga do instrumento, que permita a sua instalação.
Modelo em Cedro 
Forma de Guitarra Portuguesa
Modelo III

     TAMPO: Cedro      BRAÇO: Jatóba


     FUNDO: Nogueira      ESCALA: Ébano
     ILHARGAS: Jatóba      AFINADORES: GEWA de Alta Qualidade

     CARACTERÍSTICAS: Neste modelo, fez-se uma das grandes inovações na forma do instrumento,
                                  aproximando-o à forma da Guitarra Portuguesa. Esta inovação, em conjunção
                                  com a madeira em Cedro no tampo harmónico, de primeira qualidade,
                                  garantem uma sonoridade ao instrumento, com maior Sustain, graves bem
                                  definidos e um som bastante projetado. Os trastes aplicados são largos, mas
                                  de fácil execução. Acabamento em verniz Poliuretano, tipo "mate".

 CAPTAÇÃO: Sem Captação. Possibilidade de aplicação de Pickup Passivo Transdutor "Schaller". Caso haja interesse num Pickup
                   Ativo "Fishman", terá de haver uma maior dimensão na ilharga do instrumento, que permita a sua instalação.
Modelo em Abeto e Cedro 
Forma de Guitarra Portuguesa
Modelo IV

     TAMPO: Abeto e Cedro      BRAÇO: Jatóba


     FUNDO: Cerejeira Brasileira      ESCALA: Faia
     ILHARGAS: Cerejeira Brasileira      AFINADORES: GEWA de Alta Qualidade

     CARACTERÍSTICAS: Neste modelo, fez-se uma inovação na madeira utilizada para o tampo, em
                                  que se aplicou uma colagem de Abeto com Cedro, com a devida providência de
                                  se reforçar a alma do instrumento, como referência estrutural. A sua
                                  sonoridade tem uma caraterística bastante mais cheia e encorpada. Os
                                  trastes aplicados são largos, e de fácil execução. Acabamento em verniz
                                  Poliuretano, tipo "mate".

 CAPTAÇÃO: Sem Captação. Possibilidade de aplicação de Pickup Passivo Transdutor "Schaller". Caso haja interesse num Pickup
                   Ativo "Fishman", terá de haver uma maior dimensão na ilharga do instrumento, que permita a sua instalação.
Modelo em Abeto com Veio
Largo no Tampo
Modelo V

     TAMPO: Abeto      BRAÇO: Jatóba


     FUNDO: Nogueira      ESCALA: Faia
     ILHARGAS: Sapelli      AFINADORES: GEWA de Média Qualidade

     CARACTERÍSTICAS: Neste modelo, a maior inovação presente está na utilização do veio largo do
                                  Abeto no tampo que, em conjunto com o Sapelli da ilharga, proporciona um
                                  timbre bastante cheio, sem qualquer região média estridente saliente, em
                                  que a aliança da nogueira na parte do fundo, lhe proporciona a projeção ideal.
                                  Os trastes aplicados são largos, de fácil execução. Acabamento em verniz
                                  Poliuretano, tipo "mate".

 CAPTAÇÃO: Sem Captação. Possibilidade de aplicação de Pickup Passivo Transdutor "Schaller". Caso haja interesse num Pickup
                   Ativo "Fishman", terá de haver uma maior dimensão na ilharga do instrumento, que permita a sua instalação.
Modelo em Abeto e Cedro 
Captação Fishman
Modelo VI

     TAMPO: Abeto e Cedro      BRAÇO: Jatóba


     FUNDO: Nogueira      ESCALA: Faia
     ILHARGAS: Jatóba      AFINADORES: GEWA de Alta Qualidade
     CARACTERÍSTICAS: Neste modelo, existe a conjugação de madeiras no tampo, como o Abeto e o
                                  Cedro, como anteriormente experimentado. A excelente aplicação de uma
                                  Rosácea em Cerejeira Brasileira e Nogueira, e o fato da ilharga ser mais larga,
                                  para facilitar a aplicação do Preamp, denota um som mais equilibrado em
                                  todas as frequências sonoras. Outra das inovações, está na madeira utilizada
                                  na escala, em Faia, que é praticamente inusual na construção tradicional. Os
                                  trastes aplicados são largos. Acabamento em verniz Poliuretano, tipo "mate".
 CAPTAÇÃO: Captação com Pickup Ativo "Fishman Presys+ Onboard Preamp System". Possibilidade de aplicação de Pickup
                   Passivo Transdutor "Schaller 722 (10/83) Oyster Dual Sensor Piezo".
Jorge Umbelino
Luthier

O SOM QUE TRANSCENDE


TRADIÇÃO COM INOVAÇÃO

Os instrumentos construídos pelo Luthier Jorge Umbelino, pela experiência impressa na pura captação
do instrumento, opta pela aplicação de dois sistemas, cujas marcas são globalmente conhecidas e de
qualidade comprovada. São eles:

Schaller 722 (10/83) 'Oyster'


Dual Sensor Passive Piezo Pickup

fishman presys+ pickup system


with active onboard preamp and tuner
CATÁLOGO
2019