Você está na página 1de 19

Os membros do CNMP e CNJ também são nomeados (não confundir com indicados!

) pelo Presidente
e aprovados pelo Senado (exceto PGR e Presidente do Supremo, que são membros automáticos).

É vedada a recondução para o cargo de corregedor do CNMP, nos termos do art. 130-A, §3º da CF/88.

Os membros do MP PODEM acumular suas funções com aquelas inerentes a organismos estatais afetos
à área de atuação da Instituição, como o CNMP, o Conselho Penitenciário, etc.

O princípio da fragmentariedade prega que o Direito Penal não deve proteger todo e qualquer bem
jurídico, ou seja, o Direito Penal deve se voltar ˆ tutela, apenas, daqueles bens jurídicos considerados
mais relevantes para a sociedade.

O princípio da ofensividade (ou lesividade) exige que a conduta criminalizada tenha APTIDÃO para
ofender o bem jurídico que a norma pretende tutelar. Não se exige a efetiva lesão.

De acordo com o princípio da DEFESA ou PROTEÇÃO, e possível a aplicação da lei penal brasileira a
fato criminoso lesivo a interesse nacional ocorrido no exterior.

A aplicação da lei penal brasileira a cidadão brasileiro que cometa crime no exterior e possível, de
acordo com o princípio da PERSONALIDADE ATIVA.

De acordo com o princípio da REPRESENTAÇÃO/BANDEIRA/PAVILHÃO, a lei penal brasileira poderá


ser aplicada a delitos cometidos em aeronaves ou embarcações brasileiras privadas, quando estes
delitos ocorrerem no estrangeiro e aí não forem julgados.

Os costumes e os princípios gerais do direito são fontes formais mediatas do direito penal.

Na ação penal pública, o princípio da igualdade das armas é mitigado pelo princípio da oficialidade.
Isso se dá porque o MP é acusador e fiscal da lei ao mesmo tempo. Na ação penal privada isso não
ocorre!

No sistema inquisitivo predominam os procedimentos exclusivamente escritos, não havendo espaço


para debates orais.

A interpretação extensiva não é processo de integração, e sim de INTERPRETAÇÃO da norma


processual (como o próprio nome já diz).

Para o uso da analogia, NÃO é importante considerar a natureza do diploma de onde se deve extrair a
norma reguladora.

O princípio do FAVOR REI determina que seja tomada a decisão favorável ao réu em caso de dúvida.

Lembrar que no Inquérito Policial o MP requer o arquivamento, mas quem determina é o Juiz!

É incorreto afirmar que o MP supervisiona o IP! Ele apenas acompanhará a condução do IP pela
autoridade policial, podendo requisitar realização de diligência.

A "notitia criminis" DIRETA ocorre quando a própria autoridade policial toma conhecimento do fato
delituoso, diretamente, sem que alguém tenha levado ao seu conhecimento. E será INDIRETA quando
a vítima ou outrem comunica a ocorrência do fato delituoso.

Encerrado o Inquérito, a autoridade fará minucioso relatório e enviará os autos ao JUIZ COMPETENTE!

A LC 75/93 usa o termo EXONERAÇÃO para a destituição do cargo do PGR!!!


Na defesa dos direitos CONSTITUCIONAIS do cidadão, o PROCURADOR DOS DIREITOS DO CIDADÃO
representa ao poder competente para a promoção da responsabilidade nos casos comprovados de
omissões inconstitucionais. ATENÇÃO: não é o PGR!!!

A coação moral irresistível é excludente de CULPABILIDADE! Não confundir!

Em relação aos crimes OMISSIVOS IMPRÓPRIOS, o CP adotou a teoria NORMATIVA para aferir a
causalidade. Isto porque o agente responderá pelo resultado em razão deter o dever, previsto em lei,
de evitá-lo.

O CP adota, coma regra, a teoria da EQUIVALÊNCIA DOS ANTECEDENTES (também chamada de


conditio sine qua non). A teoria da causalidade adequada é aplicada (como exceção) na hipótese de
concausa superveniente relativamente independente.

A teoria da imputação objetiva, cuja finalidade e limitar a responsabilidade penal, o resultado não pode
ser atribuído a conduta do agente quando o seu agir decorre da prática de um risco permitido (ex do
filho que compra passagem de avião) ou de uma conduta que diminua o risco proibido (ex de empurrar
uma pessoa para não ser atropelada).

Configura-se a desistência voluntaria ainda que não tenha partido espontaneamente do agente a ideia
de abandonar o propósito criminoso, com o resultado de deixar de prosseguir na execução do crime.
Ex: o agente percebe que a polícia está chegando e para de agir antes de consumar o crime.

De acordo com a teoria SUBJETIVA, aquele que se utilizar de uma arma de brinquedo para ceifar a vida
de outrem mediante disparos, não logrando êxito em seu desiderato, responderá pelo delito de
tentativa de homicídio. Para essa teoria não importa se o meio é absolutamente eficaz. Lembre-se que
NÃO é a teoria adotada pelo CP.

Na teoria CAUSALISTA, o dolo é NORMATIVO (se encontrava na CULPABILIDADE). Com a reforma do


CP, que passou a adotar a Teoria Finalista (Welzel), o dolo passou a ser natural (se encontra no fato
típico).

Não confundir estrito cumprimento do dever legal (excludente de ilicitude) com estrita obediência a
ordem de superior hierárquico (excludente de culpabilidade)!

Para a teoria da acessoriedade MÍNIMA para a PUNIBILIDADE DA PARTICIPAÇÃO é necessário que a


conduta principal constitua SOMENTE fato típico. De acordo com a teoria da acessoriedade LIMITADA,
é necessário que a conduta principal constitua fato típico e ilícito. Já para a acessoriedade MÁXIMA, a
conduta principal deve constituir fato típico, ilícito e culpável. Por fim, para a HIPERACESSORIEDADE,
a conduta deve constituir fato típico, ilícito, culpável e PUNÍVEL. Apesar de não estar expresso, o
entendimento majoritário é de que o CP adota a acessoriedade limitada.

A Doutrina e jurisprudência majoritária não admite a participação dolosa em crime culposo, tampouco
a participação culposa em crime doloso. A Doutrina exige que a participação possua a mesma natureza
volitiva (elemento de vontade) do crime para o qual o partícipe contribui.

Os crimes de mão própria não admitem coautoria, apenas participação! Já os crimes próprios admitem
coautoria.

O ato de arrombar uma porta é integrante do núcleo do tipo “roubo”, fazendo parte do iter da
execução. Portanto, o agente que somente arrombar, mas não efetuar o furto, ainda assim responderá
como coautor.
A teoria monista do crime é mitigada pelo princípio da INDIVIDUALIZAÇÃO DA PENA (não confundir
com intranscendência!) .

A teoria do domínio do fato e aplicável para a delimitação de coautoria e participação nos crimes de
autoria mediata, sendo coautor aquele que presta contribuição independente e essencial a pratica do
delito, mas não obrigatoriamente a sua execução. O CP adota como regra a teoria objetivo-formal.

Feita proposta de suspensão condicional do processo pelo MP, o acusado poderá postergar tal
manifestação para momento ulterior ao recebimento da denúncia, já que pode sobrevir decisão mais
benéfica (inépcia da denúncia, absolvição sumária, etc).

E possível haver condenação em honorários advocatícios em ação penal privada!

Na ação penal privada, o prazo decadencial começa a correr na data em que o ofendido passa a ter
conhecimento de quem é o infrator.

Nos crimes contra a vida (dolosos OU culposos) em que os atos de execução ocorram em um lugar e a
consumação, em outro, excepcionalmente adota-se a teoria da atividade, e a competência para julgar
o fato será do juízo do local dos atos executórios. [Lembrando que a regra do CP é a teoria do resultado]

Segundo a Doutrina majoritária, os parlamentares estaduais possuem foro por prerrogativa de função
previsto na própria CF/88, em razão do princípio da simetria.

A competência para processar e julgar militar pela pratica de crime de abuso de autoridade, ainda
quando praticado em serviço, e da justiça comum (SUM-172 do STJ).

A competência para o processo e julgamento por crime de contrabando ou descaminho define-se pela
prevenção do Juízo Federal do lugar da apreensão dos bens.

Em se tratando de conflito de atribuição entre RAMOS DIFERENTES do MPU, cabe ao PGR decidir o
conflito! Se for dentro do próprio MPF, aí a competência é da Câmara de Coordenação e Revisão, com
recurso ao PGR.

Todo procurador regional eleitoral é membro do MPF e todo promotor eleitoral é membro do MPE.

É competência do Conselho Superior do MPF elaborar lista tríplice para promoção por merecimento.

O cargo de Vice-PGR é privativo de Subprocuradores-Gerais da República!

Em caso de vacância do cargo de PGR, quem o substituirá será o Vice-Presidente do Conselho Superior
do MPF, até o provimento definitivo do cargo. CUIDADO! O Vice-PGR só o substitui em seus
impedimentos.

O Corregedor-Geral será nomeado pelo PGR dentre os Subprocuradores-Gerais, integrantes de lista


tríplice elaborada pelo Conselho Superior.

No caso de substituição da pena privativa de liberdade por pena restritiva de direitos, a sua execução
depende do transito em julgado da sentença condenatória, sendo vedada a execução provisória.
Atenção! Esse entendimento pode mudar por conta do novo entendimento de prisão em 2ª instância.

A confissão qualificada ocorre quando o acusado reconhece a pratica dos fatos imputados, mas alega
a ocorrência de alguma causa de exclusão da ilicitude ou da culpabilidade.

Fatos posteriores ao crime, quando sejam crimes sem trânsito em julgado, não podem ser
considerados nem como reincidência, nem como considerados negativamente no momento da
valoração de culpabilidade, personalidade e conduta social.
Empregado de empresa terceirizada que presta serviço de vigilância a órgão da Administração Pública
NÃO se enquadra no conceito de funcionário público para fins penais, pois executa atividade-meio, e
não atividade-fim!

Desvio de mão-de-obra pública configura apenas ato de improbidade administrativa (não é punível por
ser “peculato de uso”!).

É desnecessária a constituição definitiva do crédito tributário por processo administrativo-fiscal para


a configuração do crime de descaminho.

No crime de sonegação de contribuição previdenciária, é extinta a punibilidade, INDEPENDENTE do


pagamento dos débitos previdenciários, se o agente declara e confessa as contribuições, antes do
início da ação fiscal.

Em caso de parente do juiz responder a processo análogo, só há suspeição em caso de cônjuge,


ascendente ou descendente! Essa hipótese não abarca todos os parentes de até 3º grau!

O crime de denunciação caluniosa contempla também dar causa à instauração de procedimento


administrativo ou inquérito civil. O crime de falso testemunho também pode ser praticado em esfera
administrativa.

O crime de assunção de obrigação no último ano do mandato tem como período para configuração os
DOIS ÚLTIMOS QUADRIMESTRES. Já o crime de aumento de despesa total COM PESSOAL tem como
período os 180 DIAS anteriores ao final do mandato.

Atenção quanto à diferença entre provas ilícitas (violam direito material) e ilegítimas (violam direito
processual). As duas são espécies do gênero provas ILEGAIS.

As provas obtidas em inquérito não podem ser as ÚNICAS a fundamentar a sentença, mas também
podem ser utilizadas! Ressalva é contra as provas cautelares irrepetíveis e antecipadas.

Preclusa a decisão de desentranhamento da prova declarada inadmissível, esta terá de ser inutilizada
por força de decisão judicial, facultando-se às partes acompanhar o incidente.

Fatos AXIOMÁTICOS são os que decorrem de raciocínio lógico. Eles não dependem de prova.

A CF não prevê expressamente a inadmissibilidade de provas ilícitas por derivação! Prevê tão somente
a proibição de provas ilícitas.

Lesão corporal que provoca dano estético definitivo se enquadra em deformidade permanente,
sendo, portanto, de natureza gravíssima.

A inobservância de regra técnica por parte do autor é majorante no homicídio culposo (não integra o
tipo!).

O perdão judicial aplica-se somente ao homicídio CULPOSO!

A pena de feminicídio é aumentada de 1/3 até a metade se for praticado na presença de


ascendente/descendente da vítima.

Uso de arma de fogo não é qualificadora do homicídio!!!

A omissão de socorro é crime INSTANTÂNEO!!! Há um único ato omissivo.

Dolo de segundo grau ocorre quando o agente aceita como inevitáveis as consequências de seu ato,
embora não pretendidas (bomba em ônibus para matar uma pessoa). Já quando há erro sobre a
relação de causalidade (tenta matar com veneno, depois joga a pessoa sem saber ainda viva no rio),
haverá o dolo sucessivo!

A PREMEDITAÇÃO, embora não seja qualificadora, pode ser levada em consideração para AGRAVAR a
pena, funcionado como circunstância judicial.

A qualificadora de traição, emboscada e dissimulação só incidirá quando essas circunstâncias forem


PREORDENADAS.

Entre os objetos do direito administrativo, ramo do direito público, está a atividade jurídica não
contenciosa.

A escola da puissance publique, utilizava a distinção entre os atos de império, em que a Administração
se faz presente com todas as suas prerrogativas de ordem pública, em posição de superioridade em
relação aos particulares, e os atos de gestão, no âmbito dos quais o Poder Público se situa em posição
de igualdade jurídica em relação aos demais indivíduos, como importante critério definidor do Direito
Administrativo.

A escola do serviço público, por sua vez, também de origem francesa, propunha que o estudo do
Direito Administrativo fosse centrado na ideia de serviço público.

TEORIA DO MANDATO: agente público age em nome e sob responsabilidade da pessoa jurídica de
direito público porque recebe uma procuração, com poderes específicos para representação.

TEORIA DA REPRESENTAÇÃO: agente público seria uma espécie de tutor ou curador do Estado.

TEORIA DO ÓRGÃO OU DA IMPUTAÇÃO: a pessoa jurídica de direito público manifesta sua vontade
por meio dos órgãos. Se o agente público se manifesta, considera-se que foi o próprio Estado quem se
manifestou. É a adotada atualmente.

1 - CRITÉRIO DO PODER EXECUTIVO: o objeto do Direito Administrativo estaria relacionado à atuação,


exclusiva, do Poder Executivo; 2 - CRITÉRIO DO SERVIÇO PÚBLICO: o objeto do Direito Administrativo
envolveria a disciplina jurídica dos serviços públicos prestados; 3 - CRITÉRIO DAS RELAÇÕES
JURÍDICAS: o Direito Administrativo seria o conjunto de regras disciplinadoras das relações entre a
Administração e os administrados; 4 - CRITÉRIO TELEOLÓGICO OU FINALÍSTICO: o Direito
Administrativo seria o conjunto de normas que disciplinariam o Poder Público para a consecução de
seus fins; 5 - CRITÉRIO NEGATIVO OU RESIDUAL: o Direito Administrativo deveria ser definido por
exclusão. Assim, pertenceriam ao Direito Administrativo as atividades que não pertencessem aos
demais ramos jurídicos, nem aquelas relacionadas a sua função legislativa ou jurisdicional; 6 - CRITÉRIO
DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA: o qual o Direito Administrativo seria o ramo do direito que envolve
normas jurídicas disciplinadoras da Administração Pública, no exercício de sua função administrativa.

Para a escola exegética/legalista/empírica, o direito administrativo tinha por objeto a compilação das
leis existentes e a sua interpretação com base na jurisprudência dos tribunais administrativos.

O princípio administrativo do interesse público é um princípio EXPLÍCITO da administração pública,


constante no art. 2º, caput, Lei 9.784/99 (não é explícito na CF!!!).

A publicidade é condição de eficácia dos atos administrativos, razão pela qual pode caracterizar prática
de ato de improbidade administrativa a desobediência ao dever de publicação de atos oficiais.

Em decorrência do princípio da segurança jurídica, é VEDADO que nova interpretação de norma


administrativa tenha efeitos retroativos, ainda quando isso se der para atender o interesse público.
Segundo o STF, a simples fixação de condições formais para a concessão de benefício fiscal não exime
o instrumento normativo de resguardar o tratamento isonômico no que se refere aos concidadãos.
ADI 4259/2016.

Decorre do princípio da continuidade do serviço público a possibilidade de preencher, mediante


institutos como a delegação e a substituição, as funções públicas temporariamente vagas.

A participação de membros do MPT em comissões técnicas/científicas ocorre mediante designação do


PGT, ouvido o Conselho Superior.

O Colégio de Procuradores do Trabalho é presidido pelo PGT e composto por todos os membros
ATIVOS do MPT.

Os suplentes do Corregedor-Geral do MPT serão os outros dois integrantes da lista tríplice, na ordem
que o PGT indicar.

É atribuição do PGT decidir processo disciplinar contra membro de carreira, aplicando as sanções de
sua competência. Não confundir com a competência do Conselho Superior para determinar o
afastamento do exercício das funções de membro indiciado ou acusado em processo disciplinar!

Crime de AÇÃO MÚLTIPLA (ou plurinuclear) é aquele em que várias condutas são tipificadas. Ex: tráfico
de drogas.

Mãe que acorrenta filho viciado para que ele não use drogas não comete crime de cárcere privado!

Para configuração de crime de violação de segredo profissional, a ciência do segredo deve se dar em
razão de função, ministério, ofício ou profissão. Caso contrário, ocorrerá o crime de divulgação de
segredo.

A autoridade providenciará que, em dia e hora previamente marcados, seja realizada a diligência de
exumação para exame cadavérico.

Poderão recusar-se a depor: ascendente, descendente, afim em linha reta, cônjuge (ainda que
separado) e irmão, salvo quando não for possível, de outro modo, obter-se a prova do fato e suas
circunstâncias. Estas, quando deporem, não prestarão compromisso.

As testemunhas estão obrigadas a comunicar ao juiz qualquer mudança de residência, dentro de um


ano, sob pena de sujeitarem-se à condução coercitiva e multa.

A contratida se presta à impugnação em razão de fatos que torne a pessoa IMPEDIDA ou lhe retirem a
obrigação de prestar compromisso. Já a arguição de circunstâncias ou defeitos tem por objetivo tornar
a testemunha suspeita de parcialidade (e diminuir a força probante do seu depoimento).

A responsabilidade civil de instituição financeira, quanto a inscrição indevida em órgão de restrição de


crédito, é objetiva, com base no risco do empreendimento.

Na responsabilidade civil por destruição de coisa, estimar-se-á ela pelo seu preço ordinário e pelo de
afeição, contanto que este não se avantaje àquele.

Independe de prova do prejuízo a indenização pela publicação não autorizada da imagem de pessoa
com fins econômicos ou comerciais.

A respeito da responsabilidade civil do incapaz (menor ou deficiente mental), deve-se concluir que,
quer seja a pessoa relativamente ou absolutamente incapaz, sua responsabilidade será subsidiária
sempre que seus representantes tiverem o dever de indenizar os danos por ela causados, bem como
dispuserem de meios para fazê-lo (não há irresponsabilidade absoluta!).

Se uma empresa farmacêutica colocar à venda um novo medicamento que ainda estiver em teste, ter-
se-á exemplo de responsabilidade objetiva fundada na teoria risco-proveito.

A Doutrina entende que é possível a realização de exame grafotécnico para realização de perícia em
escritos datilográficos ou de impressão por computador!

No delito de tráfico ilícito de entorpecentes, é necessário o laudo toxicológico DEFINITIVO para a


condenação do réu!

Na responsabilidade civil por dano moral causado à pessoa jurídica, o fato lesivo, como dano eventual,
deve ser devidamente demonstrado. Não há indenização por dano hipotético ou eventual (que não se
confunde com indenização por perda de uma chance!).

De acordo com o entendimento do STJ, os pais que não exercem autoridade de fato sobre o filho
menor, ainda que detenham o poder familiar, não respondem por ato ilícito praticado pelo filho.

O furto de bagatelas não é passível de punição por ser o valor da coisa pequeno ou insignificante,
havendo, nesse caso, exclusão da tipicidade.

CESPE considerou correto: O roubo nada mais é do que um furto associado a outras figuras típicas,
como as originárias do emprego de violência ou grave ameaça.

Todas as Constituições Brasileiras aderiram a forma RÍGIDA de Constituição, salvo a primeira, a


Constituição Imperial, de 1824 (foi semi-rígida).

Não há direito adquirido contra texto constitucional, resulte ele do Poder Constituinte originário, ou
do Poder Constituinte derivado.

A Lei de Imprensa, que amparava o direito de resposta, não foi recepcionada pela CF/88.

Quanto ao Modo de Elaboração, uma constituição pode ser dogmática ou histórica. Não confundir
com Origem, que pode ser promulgada, outorgada ou cesarista.

Quanto à Extensão, as constituições são classificadas como sintéticas — aquelas que preveem apenas
princípios e normas gerais do Estado — e analíticas — aquelas que regulamentam todos os assuntos
entendidos como relevantes à formação e ao funcionamento do Estado.

Karl Löewenstein - Classificação ONTOLÓGICA (essencialista) de Constituição - é a técnica que analisa


a relação do texto da constituição com a realidade social (a prática). Normativa: tem efetiva força
normativa, “conduz os processos de poder, na medida em que detentores e destinatários de poder
seguem a constituição”; Ex: Constituição Federal de 1988. Nominal – destituída de efetividade, não
possui força normativa, sendo “os processos de poder que conduzem a constituição, e não o
contrário”; Ex: Constituição de 1946. Semântica – parecem constituição mas contrariam sua
essência/significado pois não é sustentada pela legitimidade popular, e ao invés de limitar o poder,
acabam por “legitimar práticas autoritárias de poder”. Ex: Constituições brasileiras de 1937 (Getúlio
Vargas) e 1967 (Governo Militar).

Alexandre de Moraes: Constituição nominalista é aquela cujo texto da Carta Constitucional já contém
verdadeiros direcionamentos para os problemas concretos, a serem resolvidos mediante aplicação
pura e simples das normas constitucionais. Ao intérprete caberia tão somente interpretá-la de forma
gramatical-liberal. Por outro lado, a constituição semântica é aquela cuja interpretação de suas formas
dependa da averiguação de seu conteúdo significativo, da análise de seu conteúdo sociológico,
ideológico, metodológico, possibilitando uma maior aplicabilidade político-normativa-social do texto
constitucional.

Para Peter Häberle, a constituição deve corresponder ao resultado, temporário e historicamente


condicionado, de um processo de interpretação levado adiante na esfera pública por parte dos
cidadãos.

O ensino religioso é expressamente permitido pela CF/88, desde que sua matrícula seja facultativa.

Sum. 654 do STF: a garantia da irretroatividade da lei, não é invocável pela entidade estatal que a
tenha editado.

É livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente


de censura ou licença.

A característica da historicidade confere aos direitos humanos a possibilidade de mutação, haja vista
que são conquistas progressivas (não resultam de um acontecimento histórico determinado).

Quanto às limitações dos direitos fundamentais, a teoria interna (absoluta) entende que os limites do
direito fundamental lhe são imanentes, intrínsecos. Não há restrições a um direito, mas simples
definição de seus contornos, que não dependerão de uma avaliação posterior. Já a teoria externa
(relativa) entende que são fatos extrínsecos que irão determinar os limites dos direitos fundamentais.
Portanto, a análise do núcleo essencial se dará no caso concreto.

A proibição da “reformatio in pejus”, princípio imanente ao processo penal, aplica-se ao “habeas


corpus”, cujo manejo JAMAIS poderá agravar a situação jurídica daquele a quem busca favorecer.

O controle judicial, através de mandado de segurança, só é acionado mediante provocação.

Nos casos de transgressão militar não é necessária ordem escrita e fundamentada da autoridade
judiciária para a prisão!

Com exceção da ação popular (legitimidade ativa: cidadão), todos os outros remédios constitucionais
poderão ser impetrados por pessoa física ou pessoa jurídica.

As deliberações negativas do CNJ não estão sujeitas a revisão por meio de mandado de segurança
impetrado diretamente no STF.

Como regra geral, a função da ação civil pública é assegurar a proteção de interesses difusos e
coletivos (ex: direito do consumidor). No entanto, existe a possibilidade de proteção de interesses
individuais relativos à infância e à adolescência (previsão no ECA). Não confundir objeto da ACP com o
do mandado de segurança coletivo, que é direito coletivo ou individual homogêneo!

O preso tem direito à identificação dos responsáveis por sua prisão ou por seu interrogatório policial.
Atenção: a constituição não estabelece hipótese de sigilo, nem mesmo para proteção dos agentes!

Excede os limites do mandado de injunção a pretensão de sanar a alegada lacuna normativa do período
pretérito à edição da lei regulamentadora.

Caso, no golpe conhecido como “boa noite, cinderela”, a vítima morra em razão do sonífero aplicado,
o agente responderá por latrocínio (já que nesse crime não importa o dolo do agente) e não roubo +
homicídio!
Quanto à ofensa irrogada em juízo, apenas as figuras de injúria e difamação são atípicas. A calúnia
irrogada em juízo é crime!

Em caráter excepcional, é admitida a interceptação telefônica feita pela polícia militar, desde que
devidamente autorizada pelo juiz e sob supervisão do MP, sobretudo quando houver suspeita de
envolvimento de autoridades da polícia civil nos delitos investigados.

O STJ entende ser obrigatório que a defesa tenha acesso às transcrições da interceptação telefônica
que serviram de base à denúncia (somente trechos principais) antes da audiência, sob pena de
cerceamento de defesa. Contudo, o acesso à integralidade do ÁUDIO captado, quando disponibilizado
só depois da audiência, será causa de nulidade RELATIVA.

O incidente de inutilização, destinado a eliminar os trechos da interceptação que não interessam à


instrução processual, pode ocorrer tanto no processo, quanto na fase pré-processual!

O interrogatório sub-reptício (conversa informal que precede o interrogatório em esfera policial) é


prova ilícita!

Caso o acusado, devidamente intimado, não comparecer ao interrogatório, NÃO poderá ser conduzido
coercitivamente por ordem do juiz.

Não se admite o interrogatório por videoconferência em esfera policial.

Tanto os peritos oficiais quanto os não oficiais são remunerados pelo Estado!

O novo entendimento do STJ é de que o interrogatório deve ser SEMPRE o último ato da instrução,
inclusive nos processos penais militares, eleitorais e sob o rito da lei de drogas.

As provas que violarem direito material são ilícitas e as provas que violam direito processual são
ilegítimas. Ambas são gêneros da espécie provas ilegais.

O princípio pas de nullitè sans grief (não há nulidade sem prejuízo), no processo penal, aplica-se tanto
aos casos de nulidade relativa quanto nos casos de nulidade absoluta!

Na ocorrência de autuação de crime em flagrante, ainda que seja dispensável ordem judicial para a
apreensão de telefone celular, as mensagens armazenadas no aparelho estão protegidas pelo sigilo
telefônico (incluindo mensagens de whatsapp). NO ENTANTO, determinada judicialmente a busca e
apreensão de telefone celular, é lícito o acesso aos dados armazenados no aparelho apreendido,
notadamente quando a referida decisão o tenha expressamente autorizado.

Atraso na entrega de imóvel residencial não gera dano moral, eis que o simples inadimplemento
contratual não configura dano moral indenizável, salvo haver a demonstração de consequências
fáticas capazes de ensejar o sofrimento psicológico.

De acordo com a jurisprudência do STJ, na reparação civil por danos decorrentes de inadimplemento
contratual, aplica-se o prazo prescricional de dez anos.

A propositura de ação para perda de cargo acarreta de IMEDIATO o afastamento do membro do MP


do exercício de suas funções, com perda dos vencimentos e das vantagens pecuniárias do cargo.

Equipara-se ao abandono de cargo de membro a ausência ao exercício de suas funções, sem causa
justificada, por mais de 60 dias intercalados, no período de 12 meses.

O crime de extorsão é formal, não sendo necessário que o autor obtenha a vantagem indevida!

Adquirir produto de que era dono e foi roubado, ainda assim, constitui crime de receptação!!!
Súmula 711 do STF: Aplica-se ao crime continuado a lei penais mais grave caso a sua vigência seja
anterior à cessação da continuidade. (ter cuidado com a leitura dessa súmula, pois é ambígua – a
vigência se inicia antes da cessação da continuidade delitiva)

O lapso temporal entre os roubos superior a 30 dias não dá azo à aplicação de continuidade delitiva!

Segundo o STJ, não é possível o reconhecimento de continuidade delitiva entre latrocínio e roubo, pois
são delitos de espécie diferente!

A reparação espontânea do dano após o recebimento da denúncia e antes do julgamento de primeiro


grau constitui circunstância atenuante genérica! Atenção: não confundir com arrependimento
posterior!!!

A causa especial de aumento de pena decorrente de crime praticado durante o repouso noturno incide
sobre as formas qualificadas de furto! (recente mudança jurisprudencial)

Não comete crime de falsidade ideológica o agente que declara falsamente ser pobre, assinando
declaração de pobreza para obter os benefícios da justiça gratuita, pois a declaração não possui valor
probante, sendo apenas um pedido sujeito à posterior verificação.

A apresentação de documento falso à autoridade incompetente descaracteriza o crime de uso de


documento falso!

Caso o juiz, diante dos argumentos apresentados na resposta preliminar no procedimento especial dos
crimes de responsabilidade dos funcionários públicos, se convença da inexistência do crime ou da
improcedência da ação, deverá rejeitar a denúncia (não confundir com absolvição sumária!).

Servidor demitido não se submete ao rito especial dos crimes de responsabilidade de funcionário
público!

O proprietário sem posse a qualquer título (direta ou indireta) não tem legitimidade para ajuizar, com
fundamento no direito de propriedade, embargos de terceiro!

Em embargos de terceiro não se anula ato jurídico por fraude contra credores! Há previsão apenas em
relação a fraude à execução.

O procedimento de inventário e partilha deve ser instaurado dentro de 02 meses a contar da abertura
da sucessão.

Nas ações coletivas para defesa de direitos difusos do consumidor, a coisa julgada é erga omnes, salvo
na improcedência por falta de provas.

Nas ações coletivas para defesa de direitos individuais homogêneos do consumidor, a coisa julgada é
erga omnes, na procedência do pedido.

A legitimidade da Defensoria Pública nas ações coletivas abrange diversas formas de vulnerabilidades
sociais, não se limitando à atuação em nome de carente de recursos econômicos.

A sentença prolatada em ação civil pública proposta por entidade associativa na defesa dos interesses
dos seus associados abrangerá apenas os substituídos que tenham, na data da propositura da ação,
domicílio no âmbito da competência territorial do órgão prolator.

Tratando-se de tutela provisória que determina a indisponibilidade de bens do réu em ACP por ato de
improbidade administrativa, dispensa-se a comprovação de periculum in mora.
O relativismo cultural que se opõe ao etnocentrismo enquanto o relativismo moral opõe-se ao
universalismo moral.

Adota conduta ética, no exercício de seu cargo, o servidor público que preserva seus valores pessoais
bem como os da organização onde atua.

ADM: Teoria do mandato: o agente público atua como mandatária da pessoa jurídica; Teoria da
representação: o agente público atua como representante do Estado; Teoria do órgão/imputação: a
pessoa jurídica manifesta sua vontade por meio dos órgãos.

De acordo com a teoria do órgão, a atuação da pessoa jurídica deve ser imputada ao Estado, não ao
agente (apesar de esse responder regressivamente quando houver dolo ou culpa).

A concessão, pelo poder público, da qualificação como OSCIP de entidade privada sem fins lucrativos
é ato vinculado ao cumprimento dos requisitos legais estabelecidos para tal. Já a qualificação como
OS é ato discricionário!

Em regra, o servidor público da administração autárquica que estiver no exercício de mandato eletivo
ficará afastado do seu cargo, emprego ou função, disposição também aplicável ao servidor da
administração pública fundacional.

A centralização consiste na execução das tarefas administrativas pelo próprio Estado, por meio de
órgãos internos integrantes da administração direta.

A fusão de dois Ministérios é exemplo de concentração administrativa!

Consórcio formado por municípios para preservar rio que abastece a população da região constitui
exemplo de associação pública.

A administração indireta abrange o conjunto de pessoas administrativas que, vinculadas à


administração direta, têm o objetivo de desempenhar, de forma descentralizada, as atividades
administrativas.

Somente por meio de lei em sentido estrito, é possível a criação e extinção de órgãos. No entanto, a
estruturação dos órgãos públicos pode ser feita por meio de decreto.

Em sentido subjetivo, formal ou orgânico, ela designa os entes que exercem a atividade administrativa;
compreende pessoas jurídicas, órgãos e agentes públicos incumbidos de exercer uma das funções em
que se triparte a atividade estatal: a função administrativa

Em sentido objetivo, material e funcional, ela designa a natureza da atividade exercida pelos referidos
entes; nesse sentido, a Administração Pública é a própria função administrativa que incumbe,
predominantemente, ao Poder Executivo.

O ABUSO DE PODER se divide em duas espécies: excesso de poder e desvio de poder.

CESPE: O poder regulamentar permite que a administração pública complemente as lacunas legais
intencionalmente deixadas pelo legislador.

A aplicação de uma multa por um agente de trânsito retrata um exemplo de aplicação do poder DE
POLÍCIA da administração pública. Não confundir com poder DISCIPLINAR, que pressupõe vínculo com
a Administração!
O poder de polícia consiste na atividade da administração pública de limitar ou condicionar, por meio
de atos normativos ou concretos, a liberdade e a propriedade dos indivíduos conforme o interesse
público.

A contratação de prestação de serviços de manutenção predial está dentro da esfera do poder


discricionário da administração.

Caso autoridade administrativa deixe de executar determinada prestação de serviço a que por lei está
obrigada e, consequentemente, lese o patrimônio jurídico individual, a inércia de seu comportamento
constitui forma omissiva do abuso de poder.

Serviços Públicos Uti Universi - São prestados à coletividade, mas usufruídos apenas indiretamente
pelos indivíduos. É o caso dos serviços de defesa do país contra o inimigo externo, dos serviços
diplomáticos, iluminação pública etc.

Serviços Públicos Uti Singuli - São aqueles que tem por finalidade a satisfação individual e direta das
necessidades dos cidadãos. Entram nessa categoria determinados serviços comerciais e industriais do
Estado (energia, gás, transportes) e de serviços sociais (ensino, saúde, assistência).

Na concessão de serviço público, o poder concedente pode outorgar à concessionária poderes para
promover as desapropriações necessárias, cabendo à concessionária, nesse caso, o pagamento de
eventuais indenizações devidas.

A concessionária de serviço público responde objetivamente pelos prejuízos causados aos usuários, a
terceiros e também ao poder concedente pelos prejuízos causados.

O recurso hierárquico próprio (exercido no âmbito do mesmo órgão) e pode ser interposto sem que
haja previsão legal para tal.

O servidor em estágio probatório pode afastar-se para servir em organismo internacional, mas ficará
sem remuneração e terá o estágio probatório suspenso.

Estágio probatório não pode => MATRACA => MAndato classista; TRAtar de assuntos particulares;
CApacitação.

Se sofrer um acidente que o leve à incapacidade física, o servidor público federal poderá ser
readaptado em cargo de atribuições e responsabilidades compatíveis com as suas limitações, ficando
como EXCEDENTE até a vacância do cargo adequado. NÃO CONFUNDIR EXCEDENTE (Revertido ou
Readaptado) COM EM DISPONIBILIDADE (Reintegrado ou Reconduzido)!

As funções de conFiança, correspondentes a encargos de direção, chefia ou assessoramento, só podem


ser exercidas por titulares de cargos eFetivos (não confundir com estáveis!).

Não há vedação para que servidor público que esteja em gozo de licença para tratar de interesse
particular participe da gerência ou administração de sociedade privada.

Servidor aposentado por invalidez poderá retornar à atividade caso junta médica oficial declare
insubsistentes os motivos da sua aposentadoria, hipótese em que se procederá à reversão do servidor.

PAD: O indiciado será citado por mandado expedido pelo presidente da comissão para apresentar
defesa escrita, no prazo de 10 (dez) dias, assegurando-se-lhe vista do processo na repartição. Havendo
dois ou mais indiciados, o prazo será comum e de 20 (vinte) dias.

A proteção à maternidade e à infância e a assistência aos desamparados integra o elenco de direitos


sociais.
As fontes do direito do trabalho heterônomas são também denominadas imperativas ou estatais.

São direitos dos trabalhadores urbanos e rurais o piso salarial proporcional à extensão e à
complexidade do trabalho.

A CF/88 NÃO estendeu aos servidores públicos os seguintes direitos trabalhistas: proibição de
distinção entre o trabalho manual, técnico e intelectual; proteção em face da automação; jornada de
seis horas de trabalho para turnos ininterruptos de revezamento.

O emprego intermitente é caracterizado pela alternância de períodos de prestação de serviços e


inatividade.

O objeto imediato do contrato de trabalho consiste na prestação de serviços pelo empregado. Já o


objeto mediato é o bem jurídico tutelado, que é o trabalho em si.

É permitido o trabalho temporário no meio rural!

Em relação aos terceirizados, a isonomia salarial entre empregado terceirizado e da empresa é uma
faculdade das empresas. Em relação aos trabalhadores temporários, é uma regra!

A suspensão do empregado por mais de 30 (trinta) dias consecutivos importa na rescisão injusta do
contrato de trabalho.

Jus variandi ordinário é aquele que permite pequenas modificações quanto à prestação do trabalho,
sem prejuízo do empregado. Já jus variandi extraordinário é aquele que admite alterações prejudiciais
ao empregado, em hipóteses excepcionais, como reversão da função de confiança e alteração na data
de pagamento.

As certidões dos processos trabalhistas que correrem em segredo de justiça dependerão de despacho
meramente ordinário do juiz.

A idade máxima para ser ministro do TST e TRT é de 65 anos.

A idade mínima para juiz do TRT é de 30 anos. Já a idade mínima para ministro do TST é de 35 anos!

Os membros do MPT e da advocacia devem possuir 10 anos de efetiva atividade profissional para
ingressar como desembargador de TRT.

Os desembargadores de TRT são nomeados pelo PRESIDENTE DA REPÚBLICA! Não há aprovação pelo
Senado.

O não pagamento de auxílio desemprego pelo INSS é causa de competência da Justiça Federal!

As causas relativas a acidentes de trabalho propostas pelo segurado contra o INSS são de competência
da Justiça Comum Estadual!

As contribuições incidentes sobre o período de trabalho reconhecido em Juízo – que deveriam ter sido
pagas e não foram – são da competência da Justiça Comum.

O conflito de competência entre um juiz do trabalho e um juiz de direito exercendo atribuição


trabalhista é de competência do TRT!

Litisconsortes, ainda que com procuradores distintos, NÃO tem prazo em dobro no processo do
trabalho!
Em caso de interposição de recurso trabalhista sem juntada de mandato, admitir-se-á sua exibição no
prazo de 05 dias, independentemente de intimação.

Recebida e protocolada a reclamação, dentro de 48h será notificado o reclamado para comparecer em
audiência que será a primeira desimpedida, depois de 05 dias.

NÃO HÁ julgamento extra petita da decisão que deferir salário quando o pedido for de reintegração.

A lei só entra em vigor após fim da vacatio legis!

O estado civil é uno e indivisível, pois ninguém pode ser simultaneamente casado e solteiro, maior e
menor, brasileiro e estrangeiro, salvo nos casos de dupla nacionalidade.

Os direitos da personalidade são RELATIVAMENTE indisponíveis! Não confundir com a qualidade de


ABSOLUTOS!

Apesar de não reconhecer a personalidade do nascituro, o Código Civil põe a salvo os seus direitos
desde a concepção. Nesse sentido, na hipótese de interdição de mulher grávida, o curador desta será
também o curador do nascituro.

Não há, entre os associados, direitos e obrigações recíprocos. ATENÇÃO!!!

Descumprimento de finalidades estatutárias significa o mesmo que desrespeito aos objetivos sociais
da empresa.

A Sociedade de Fato ou Irregular não tem personalidade jurídica, pois, não tem registro (é ente
despersonalizado).

Prescreve em cinco anos, a contar do dia seguinte ao do vencimento da prestação, o prazo para a
cobrança de taxa condominial ordinária ou extraordinária constante em instrumento público ou
particular.

O encargo não suspende a aquisição e o exercício do direito.

A condição suspensiva impede a aquisição e o exercício; porém, a condição resolutiva não impede o
exercício do direito (só a aquisição)!

No processo civil, a violação do princípio da lealdade processual sujeita o advogado infrator a sanções
processuais.

O direito material, isoladamente, de fato, somente diz respeito às relações jurídicas em que o
cumprimento da norma se dá de forma espontânea, esteja esta norma prevista na lei ou no contrato.

O princípio da inércia também é chamado de princípio da DEMANDA!

A teoria eclética da ação, adotada pelo ordenamento jurídico brasileiro, define ação como um direito
autônomo e abstrato, independente do direito subjetivo material, condicionada a requisitos para que
se possa analisar o seu mérito.

A ação CAUTELAR visa prevenir, conservar, defender ou assegurar a eficácia de um direito.

Mesmo que o defensor público tenha sido pessoalmente intimado e tenha comparecido à audiência
na qual se tenha proferido a decisão judicial, a contagem do prazo recursal para a impugnação da
decisão dependerá da remessa dos autos à Defensoria Pública. (Informativo 611 do STJ)
Aos advogados públicos ou privados e aos membros da Defensoria Pública e do MP NÃO se aplica a
pena por ato atentatória à dignidade da justiça, devendo eventual responsabilidade disciplinar ser
apurada pelo respectivo órgão de classe/corregedoria!

O juiz nomeará curador especial ao réu revel citado por edital enquanto este não constituir advogado
(não confundir com “for encontrado”!)

Exercem a assistência judiciária, os profissionais liberais designados para o encargo de perito nos
processos judiciais em que tenha sido deferida a gratuidade da justiça (são remunerados pelo Estado).

O benefício da assistência judiciária gratuita gera efeitos ex nunc e, uma vez concedido, afasta a
necessidade de renovação do pedido em cada instância.

Não há extraterritorialidade no caso de crime praticado em embarcação/aeronave brasileira a serviço


do governo onde quer que se encontre; ou de propriedade privada brasileira, no espaço aéreo ou em
alto mar. Em ambos os casos, são territórios brasileiros por extensão, portanto há TERRITORIALIDADE!

Em caso de crime praticado em alto mar em navio de bandeira de outro país, haverá
extraterritorialidade condicionada; portanto, haverá aplicação do princípio da dupla tipicidade.

A interpretação da exposição de motivos do CP é DOUTRINÁRIA; a do CPP é AUTÊNTICA

Os doentes mentais maiores de dezoito anos são sujeitos ativos de infrações penais, devendo,
entretanto, ser avaliada caso a caso a sua imputabilidade.

0 Estado sempre será sujeito passivo mediato do crime, ainda que seja ação privada.

Em relação ao crime doloso, o Código Penal adota a teoria da vontade para o dolo direto e a teoria do
assentimento para o dolo eventual.

Médico que é omisso ao não tomar as precauções necessárias durante a cirurgia, causando dano à
integridade física de outrem, comete crime culposo em razão de NEGLIGÊNCIA (resultado de uma
OMISSÃO). Não confundir com imperícia – que é a inaptidão e falta de qualificação técnica – ou com
imprudência – em que o agente toma uma atitude precipitada sem a devida cautela (comissivo).

O arrependimento posterior deve ocorrer até o RECEBIMENTO da denúncia – não confundir com
oferecimento!

A doutrina indica a aplicação da fórmula de Frank quando o objetivo for estabelecer a distinção entre
desistência voluntária (“posso, mas não quero”) e tentativa (“quero, mas não posso”).

No que concerne à punibilidade da tentativa, o Código Penal adota a teoria objetiva.

O excesso é punível, em caso de excludente de ilicitude, tanto em caso de dolo como de culpa!

CONCURSO DE PESSOAS – Teoria objetivo-formal (adotada pelo CP!): Somente é considerado autor
aquele pratica o verbo, ou seja, o núcleo do tipo legal; Teoria objetivo-material: Autor é aquele que
realiza a contribuição objetiva mais importante; Teoria do domínio do fato (aplicada p/ autoria
mediata): autor ou coautor quem realiza uma parte necessária da execução do plano global (domínio
funcional do fato), ainda que não seja um fato típico em sentido estrito, mas participando da resolução
criminosa.

A Teoria da Acessoriedade média ou LIMITADA, adotada no brasil, diz que a participação será punível
se a conduta principal for típica e ilícita.
Não é requisito, no concurso de agentes, a combinação prévia. Não é necessário o "pactum sceleris",
ou seja, o acordo prévio entre os agentes, bastando que um adira a vontade do outro

O delegado poderá deixar de instaurar IP em três hipóteses: 1) fato for atípico; 2) não ocorrência do
fato; 3) presentes causas de extinção de punibilidade, como prescrição. Não confundir com
ARQUIVAMENTO! A autoridade policial não poderá arquivar ainda que verificar que o fato não ocorreu
ou que há excludente.

O STF firmou entendimento (Informativo 717) segundo o qual "o indiciamento é ato privativo da
autoridade policial, segundo sua análise técnico-jurídica do fato. O juiz não pode determinar que o
Delegado de Polícia faça o indiciamento de alguém".

Notitia criminis DIRETA ocorre quando a própria autoridade policial toma conhecimento do fato
delituoso. Já á INDIRETA ocorre quando a vítima ou terceiro provoca a atuação da autoridade.

Encerrado o IP, a autoridade policial enviará os autos ao JUIZ! (não confundir com MP!!!)

Mesmo depois de a autoridade judiciária ter ordenado o arquivamento do inquérito policial por falta
de base para a denúncia, a autoridade policial poderá proceder a novas diligências, em caso de novas
provas.

Desde o advento da Lei n. 11.719/2008, as condições da ação penal são: a possibilidade jurídica do
pedido, o interesse de agir, a legitimidade e a justa causa.

O instituo da RENÚNCIA é cabível somente em ação penal PRIVADA. Não confundir com RETRATAÇÃO
do direito de representação.

A incompetência territorial é relativa, admitindo-se prorrogação! O CPP permite que o juiz decline essa
competência, ainda que de ofício, porém, caso ocorra o trânsito em julgado, não há que se falar em
nulidade da sentença.

No caso de concurso de pessoas com um único crime e vários autores, e concurso formal de crimes
(uma conduta e vários crimes), haverá CONTINÊNCIA.

Em caso de aberratio ictus (agente atinge a vítima desejada e terceiro), haverá CONTINÊNCIA.

Crime propriamente militar seriam os que só podem ser praticados por militares, eis que consistem
em violação de deveres que lhe são próprios. A insubmissão, apesar de não ser praticado por militar,
é considerado PROPRIAMENTE militar.

O crime de omissão de socorro previsto no CPM é propriamente militar!

A extraterritorialidade do CPM é irrestrita, sendo aplicada independentemente do lugar onde tenha


sido cometido o crime.

O militar da reserva ou reformado, empregado na administração militar, equipara-se ao militar em


situação de atividade

No erro sobre a pessoa, não há concordância entre a realidade do fato e a representação do agente;
na aberratio ictus, a pessoa visada pelo agente também sofre perigo de dano, o que não ocorre no
erro sobre a pessoa.

No peculato culposo, a reparação do dano, antes da sentença irrecorrível, acarreta a extinção da


punibilidade do agente, tanto no CP como no COM.
Para os efeitos da relação de causalidade jurídico-penal, a distinção entre causa e condição é
irrelevante.

Nos crimes militares, se, por acidente na execução, for atingido bem jurídico diverso do visado pelo
agente, responderá este por culpa, se o fato for previsto como crime culposo.

O processo PENAL MILITAR inicia-se com o recebimento da denúncia pelo juiz, efetiva-se com a citação
do acusado e extingue-se no momento em que a sentença definitiva se torna irrecorrível.

No IPM, a autoridade delegante deve receber os autos antes do encaminhamento à JMU a fim de que
apresente a solução do IPM para homologar ou apresentar conclusão diversa da que chegou o
encarregado.

O único crime contra o dever militar que exige o status de militar como condição de procedibilidade
para a ação penal militar é o delito de deserção (súmula 12 do STM).

O juiz nomeia curador ao acusado incapaz. Não confundir com tutor!

Quando a prisão em flagrante for efetuada em lugar não sujeito à administração militar, o auto poderá
ser lavrado por autoridade civil, ou pela autoridade militar do lugar mais próximo daquele em que
ocorrer a prisão.

Alegada a incompetência do juízo, será dada vista dos autos à parte contrária, para que diga sobre a
arguição, no prazo de 48h (quarenta e oito horas).

Compete aos juízes de direito do juízo militar processar e julgar, singularmente, os crimes militares
cometidos contra civis e as ações judiciais contra atos disciplinares militares.

A justiça militar ESTADUAL NUNCA julga civis! A da União julga!

Verbos no infinitivo aceitam a ênclise! Ex: poder-se-ia falar > poderia falar-se

O índice de indeterminação do sujeito “se” não admite presença do sujeito determinado “Isso”.

Crase FACULTATIVA > ATÉ SUA MARIA > Depois de ATÉ // Diante de pronome possessivo
feminino/singular (SUA) // Diante de nomes próprios femininos (MARIA).

A avaliação da deficiência, QUANDO NECESSÁRIA (e não "deverá ser"), será biopsicossocial, realizada
por equipe multiprofissional e interdisciplinar.

Os casos de suspeita ou de confirmação de violência praticada contra pessoa com deficiência serão
objeto de notificação compulsória pelos serviços de saúde públicos e privados à autoridade policial e
ao Ministério Público, além do conselho dos direitos da pessoa com deficiência pertinente ao domicílio
da referida pessoa.

É considerada pessoa com deficiência aquela que tem impedimento de LONGO PRAZO, de natureza
física, mental, intelectual ou sensorial, o qual possa obstruir sua participação plena na sociedade em
igualdade de condições com as demais pessoas. Não confundir com mobilidade reduzida!

Ainda que tenha como objeto instruir ação civil para a defesa de direitos difusos de pessoa portadora
de deficiência, o poder público poderá se recusar a fornecer certidão requerida pelo interessado, nas
hipóteses legais.

Ainda que a carta de habite-se tenha sido emitida antes de as exigências de acessibilidade constarem
na legislação específica, a sua renovação dependerá de serem observadas e certificadas as normas
técnicas de acessibilidade da ABNT.
PESSOA COM MOBILIDADE REDUZIDA: aquela que tenha, por qualquer motivo, dificuldade de
movimentação, permanente ou temporária, gerando redução efetiva da mobilidade, da flexibilidade,
da coordenação motora ou da percepção, incluindo idoso, gestante, lactante, pessoa com criança de
colo e obeso;

Os componentes de obra de urbanização, tais como os relativos aos serviços de comunicação, são
definidos como ELEMENTOS DE URBANIZAÇÃO (coisas imensas, como obras, rede de água/luz, etc).
Não confundir com mobiliário urbano, que são coisas pequenas, como bancos, quiosques, postes, etc.

Obesos têm direito a atendimento prioritário, mas NÃO TÊM DIREITO A ASSENTO RESERVADO EM
ÔNIBUS.

É assegurado à pessoa com deficiência, mediante solicitação, o recebimento de contas, boletos,


recibos, extratos e cobranças de tributos em formato acessível.

As edificações destinadas a atividades de natureza hoteleira são de uso COLETIVO, a habitação


multifamiliar é de uso PRIVADO, e aquelas administradas por entidade da administração pública
indireta são de uso PÚBLICO.

O beneficiário da tomada de decisão apoiada conserva sua capacidade de autodeterminação em


relação aos atos da vida civil, salvo aqueles previstos no acordo de tomada de decisão apoiada.

O CNMP não pode APRECIAR os ATOS funcionais dos membros do MP, pois estão protegidos pela
independência funcional, mas apenas controlar o cumprimento de deveres funcionais!

O CNMP não possui competência para a REVISÃO de processos disciplinares de SERVIDORES do MPU,
mas apenas dos processos disciplinares dos membros do MPU. Contra os servidores, o CNMP pode
apenas AVOCAR processos disciplinares em curso!

É de competência PRIVATIVA da República a iniciativa de leis de organização do MPU (e DPU), bem


como normas GERAIS para a organização do MP e Defensoria dos Estados, Distrito Federal e
Territórios! Não confundir com a lei complementar que estabelece a organização, atribuições e
estatuto de cada MP, que possui competência CONCORRENTE com o PGR/PGJs.

Na defesa dos direitos constitucionais do cidadão, o PROCURADOR DOS DIREITOS DO CIDADÃO


representa ao poder competente para a promoção da responsabilidade nos casos comprovados de
omissões inconstitucionais.

Compete ao CONSELHO SUPERIOR do MPF elaborar lista tríplice destinada à promoção por
merecimento.

Compete às Câmaras de Coordenação e Revisão realizar, de ofício, correições e sindicâncias.

As atribuições dos Subprocuradores Gerais junto ao TSE se dão mediante delegação do PGE/PGR!

O Corregedor Geral do MPF será nomeado pelo PGR dentre os Subprocuradores Gerais integrantes de
LISTA TRÍPLICE elaborada pelo Conselho Superior!

Por ser um ato complexo, o reconhecimento da aposentadoria de servidor público se efetiva somente
após a aprovação do tribunal de contas. Por sua vez, a negativa da aposentadoria pela corte de contas
não observa o contraditório e a ampla defesa.

ATOS NORMATIVOS - REDE IN REDE RE 1. REgulamento 2. DEliberação 3. INstrução normativa 4.


REgimento 5. DEcreto 6. Resolução
ATOS ORDINATÓRIOS - COPA DOI P 1. Circular 2. Ofício 3. Portaria 4. Aviso 5. Despacho 6. Ordem
de serviço 7. Instrução 8. Provimentos

ATOS ENUNCIATIVOS – CAPA 1. Certidão 2. Atestado 3. Parecer 4. Apostila

Ato administrativo é a manifestação unilateral da Administração, sob o regime de direito público, que
possui certos atributos e elementos específicos, que coloca a Administração em posição superior ao
administrado. Atos praticados sob regime de direito privado são somente Atos da Administração!

Caso seja adotado como fundamento para a decisão, o parecer passará a integrar o ato administrativo
decisório.

O ato administrativo somente poderá ser realizado de forma válida se o agente responsável pela sua
elaboração tiver poder legal para praticá-lo. Todo ato emanado de agente incompetente é INVÁLIDO.

Não confundir Motivação com Motivo (este sim requisito de validade dos atos adm).

Na modalidade de improbidade administrativa lesão ao erário é necessário que haja ao menos CULPA!

A ideia de probidade administrativa equivale à de moralidade, na medida em que ambas se relacionam


à honestidade na administração pública.

De acordo com o Superior Tribunal de Justiça, caso uma ação de improbidade administrativa seja
julgada improcedente, a respectiva sentença deverá sujeitar-se à remessa necessária.

Qualquer pessoa poderá representar à autoridade administrativa competente para que seja
instaurada investigação destinada a apurar a prática de ato de improbidade. Já a ação principal, terá o
rito ordinário e será proposta pelo MP ou pela pessoa jurídica interessada, dentro de trinta dias da
efetivação da medida cautelar.

A perda da função pública e a suspensão dos direitos políticos nas ações de improbidade administrativa
só se efetivam com o trânsito em julgado da sentença condenatória.