Você está na página 1de 3

UNIVERSIDADE ESTÁCIO DE SÁ

PÓS GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AMBIENTAL E


SANITÁRIA

Fichamento de Estudo de Caso

Nome do aluno: Nélson Antonio de Souza Mendes

Trabalho da disciplina: Química Aplicada ao Meio Ambiente


Tutor: Profª. Isolda Cecília Bravin

São Paulo
2018

1
Estudo de Caso : FIJI Water: Carbono Negativo?
PÓS GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AMBIENTAL E SANITÁRIA
Química Aplicada ao Meio Ambiente

REFERÊNCIA: Texto Harvard Business School.

O texto apresentado para análise discorre sobre a história da água engarrafada, seus
aspectos sociais e ambientais desde a sua extração, envase, distribuição, consumo e
impactos sócio-ambientais em toda a cadeia e, também, a ação coletiva movida em uma
comarca nos Estados unidos em que a empresa Fiji Water Company LLC lucrou fraudulenta
e enganosamente através da utilização de metodologia de contabilização de créditos de
carbono que eram comprados antes de as efetivas ações a que se destinavam houvessem
sido realizadas o que não garantia a efetivação dos créditos. Essa política, aliada a feroz
campanha de marketing desenvolvida por gigantes da comunicação americana que
associaram a marca a personalidades ricas e famosas proporcionaram a valorização da Fiji
Water.
A Fiji Water foi fundada em 1988 pelo empresário canadense David Gilmor proprietário
de um resort na maior ilha do Arquipélago das ilhas Fiji, a leste da Austrália. Esse empresário
aproveitou-se de que geólogos do governo das Ilhas Fiji haviam descoberto um grande
aquífero com volume de água aproximado de 3,34 Km³ (3,340,000,000 três bilhões e
trezentos e quarenta milhões de metros cúbicos de água) em volume, mais de três trilhões de
litros de água acumulados sob a floresta e um vulcão, então, acordou com esse mesmo
governo, que por 99 (noventa e nove) anos poderia explorar comercialmente o aquífero.
Além desse grande benefício, o governo da Ilha concedeu à empresa um período de isenção
fiscal até 2008.
Pelos argumentos apresentados no início do texto não houve qualquer aporte de
recursos no investimento de exploração para a descoberta do aquífero e, além disso, ainda
foi beneficiado pelo governo com isenção fiscal até 2008.
Em novembro de 2007 a Fuji Water iniciou sua campanha de carbono zero através de
iniciativas como certificação ISO 14.001, reduzir o resíduo da instalação (baseado na
quantidade de resíduos produzidos em 2006) entre 2008 e 2010 em 33%, sendo em 2010

2
anunciado que a fábrica separava e reciclava 95% do resíduo gerado. Outra ação foi a da
contratação de hidrogeólogos para garantir que a extração da água do aquífero estava
absolutamente dentro de uma faixa sustentável, ou seja, garantindo a recuperação do
aquífero. A Fiji Water também pensou nas embalagens de seus produtos, o plástico das
garrafas, assim, em 2008 também assumiu a redução do teor de plástico de suas garrafas
em 20% o que resultou, em 2010 na utilização em 100% de embalagens recicladas para o
armazenamento e envio de suas garrafas.
Ao inaugurar em agosto de 2007 a Fiji Water Foundation a Fiji Water passou a
proteger a bacia hidrográfica de onde extraia a maior parte de seu produto. Em uma
localidade onde quase 1/3 da população de Fiji não possuía água tratada e encanada não
caía bem a nível de marketing o maior produto de exportação não estar disponível à
população, assim, a Fiji Water também trabalhou junto à comunidade para a construção de
poços para que tivessem acesso a água de boa qualidade.
Com a meta estabelecida de compensação de carbono em 120 % a Fiji Water
comprometeu-se a obter metade da energia consumida em seu processo produtivo de fontes
renováveis até 2010, mudou o sistema de distribuição de seu produto através de carretas
mais eficientes para o transporte até o porto e trocou o combustível de suas carretas para o
biodiesel.
O foco da ação foi a opção de compra feita pela Fiji Water que escolheu a compra de
compensações de geração futura de créditos que é um modelo de compensação onde a Fiji
Water, teoricamente, adquiriu créditos de carbono que ainda não foram compensados e
seriam compensados nos próximos dez anos, ou seja, comprou com “cheque pré datado” e
utilizava esse pseudo crédito como efetivo. Em realidade a Fiji Water nunca foi “Carbono
Negativo”, foi uma grande jogada de marketing que concedeu à empresa avassaladora
vantagem competitiva sobre seus concorrentes e a oportunidade de lucrar mais com o falso
aumento do valor agregado de seu produto.
Apesar de os críticos e experts classificarem a Fiji Water como uma das melhores
águas engarrafas por suas propriedades físico-químicas e pela conservação de seu aquífero
por mais de 2.000 anos, em termos de compensação de carbono não se pode considerar a
Fiji Water como 120% Carbono Negativo já que seus certificados de compensação ainda não
foram contabilizados, tratando-se, portanto, de propaganda enganosa.