Você está na página 1de 11

9-403-131

REV: March 3 0, 2 0 0 4

J EF FREY T. Polzer

A equipe do grupo Army

Ele estava chegando ao fim da temporada tripulação em Maio de 2002, eo coronel Stas Preczewski, o treinador da equipe do Exército
equipe de filmagem Academia Militar dos Estados Unidos em West Point, tinha acabado de passar as últimas três semanas no total
frustração. Ele enfrentou uma situação que ele nunca tinha visto antes nos nove anos que ele tinha treinado o esporte: o júnior do time do
colégio (JV) barco tripulação frequentemente bater o barco Varsity (V) durante os treinos e em algumas corridas. Isso não deveria acontecer.
Treinador Preczewski (ou treinador P.) tinha escolhido os membros do barco Varsity depois de uma longa série de testes objetivos medir sua
velocidade, força e coordenação todos os quais demonstraram que eram as oito melhores remadores em sua equipe. Então, como a júnior
Varsity barco-que consiste na inferior oito remadores em sua equipe-frequência bater o barco Varsity?

Ao longo da temporada, Treinador P. tinha feito muitas tentativas de reunir informações que iria ajudá-lo a entender e resolver esta
situação incomum. Até agora, porém, nada tinha trabalhado. Agora era apenas uma semana antes da culminação da temporada, a corrida do
campeonato nacional com mais de cem escolas competindo, e Coach P. deliberou sobre várias opções. A ação mais radical seria reconhecer
que a equipe júnior do time do colégio era melhor do que a equipe do time do colégio, e simplesmente promover toda a equipe JV para o
barco Varsity para esta corrida. A segunda opção era mudar um pequeno número de membros individuais dos dois barcos. Alternativamente,
Treinador P. poderia manter os membros da equipe em vigor em cada barco, mas tenta intervir para melhorar o desempenho da equipe, mas
forma ou por qualquer meio electrónico, mecânico, fotocópia, gravação ou outro, sem a permissão da Harvard Business School. SCOTT SNOOK
Varsity como?

Background tripulação

Crews remou barcos leves, ou “conchas”, que eram até 60 pés de comprimento, mas muito estreita. Em barcos “varredura”, cada remador
impulsionou um único remo através da água usando suas pernas, costas e braços. Além dos remadores, um “timoneiro” estava sentada na parte de
trás do barco para orientar o leme, treinador, motivar e definir a estratégia de corrida para a tripulação. Crews competiu como pares, fours, e
unidades oared oito de remadores. Remadores tipicamente considerados os barcos oito pessoas, ou “Eights”, para ser a tripulação prêmio em que
Boston, MA 02163, ou ir para http://www.hbsp.harvard.edu. Nenhuma parte desta publicação pode ser reproduzida, armazenada num sistema de recuperação, usado em uma planilha, ou transmitida por qualquer
para ganhar a atracação “assento”. Estas conchas de 8 remos tinha assentos numerados a partir do 1seat (ou “arco” assento) através do 8 lugares
(ou “acidente vascular cerebral” assento). (Vejo Exposição 1 para uma descrição da colocação de remadores em um barco tripulação.) O “acidente
vascular cerebral” definir o ritmo em golpes por minuto para a tripulação, e aconselhou o timoneiro durante os treinos e corridas (quando ele ou ela
poderia encontrar o fôlego para fazê-lo! ). Por todas as contas, o remo era uma atividade desgastante.

Na verdade, os fisiologistas que estudou o esporte

________________________________________________________________________________________________________________

Professores Scott Senuca e Jeffrey T. Polzer preparado neste caso com o auxílio de Investigador Principal Hillary Raiva Elfenbein. casos HBS são desenvolvidos exclusivamente como base para discussão em
classe. Casos não se destinam a servir como endossos, fontes de dados primários, ou ilustrações de gestão eficaz ou ineficaz.

Copyright © 2003 Presidente e Fellows de Harvard College. Para encomendar cópias ou solicitar permissão para reproduzir materiais, ligue para 1-800-545-7685, escrever Harvard Business School Publishing,
403-131 A equipe do grupo Army

sustentou que enfileira uma corrida de 2.000 metros foi comparável a jogar dois jogos de basquete back-to-back. 1

Remo realizada a distinção de ser o primeiro esporte intercolegial nos Estados Unidos, começando em 1852 com uma corrida entre
Harvard e Yale. 2 A versão moderna da tripulação intercollegiate era um esporte durante todo o ano, que começou quando os estudantes
voltaram ao campus em agosto e terminou após a graduação no início de junho. A temporada de corridas queda consistia de chamadas raças
“cabeça” que eram tipicamente 3,5 milhas de comprimento (por exemplo, o “Chefe do Charles” raça em Boston). Essas raças consistia de 20
a 60 equipes de corrida suas conchas remo para baixo sinuosas cursos contra um relógio. Depois de todas as equipes tinham concluído o
curso, eles foram classificados de acordo com seus tempos para determinar o vencedor. Apesar de ganhar era importante, o outono foi
geralmente dedicado à encenação eliminatórias, a formação de noviços e melhorar a técnica de remo tripulantes.

Quando a temporada de outono terminou no início de novembro, membros da tripulação a transição para a fase interior condicionado
inverno para construir a força e resistência para a próxima primavera “Sprint”. A temporada de corrida consistia em corridas dual e regata
realizada em, campos de 2.000 metros em linha reta. Lanes foram demarcadas com bóias para que os barcos da tripulação poderia correr ao
lado um do outro. Eventos de grande porte utilizado um sistema de “calor” em que os principais um ou dois barcos de cada bateria avançou
para a próxima rodada da competição. Porque estas corridas foram tão acirrada, mesmo aparentemente pequenas fatores poderiam separar os
vencedores dos perdedores.

Os Elementos de Sucesso

corridas bem sucedido na tripulação exigida uma combinação única de habilidades individuais e coordenação de equipe. Em um esforço
para aprender mais sobre estes componentes, o Comitê Olímpico os EUA patrocinaram um projeto de pesquisa em que dezenas de
treinadores da tripulação indicou que dimensões eles pensavam que eram mais importantes para alcançar um desempenho superior. A
pesquisa perguntou treinadores para indicar a importância de mais de duzentos variáveis ​que foram direta ou indiretamente relacionadas com
“varrer” o remo, no qual cada membro da tripulação remou um único remo. A amostra de respondentes incluído treinadores com uma grande
variedade de experiência, que vão desde treinadores inexperientes, com 1 a 2 anos de experiência, e técnicos intermédios, com 3 a 4 anos
de experiência, para dominar treinadores, com mais de 4 anos de experiência. As respostas dos treinadores revelou que os duzentos
variáveis ​poderiam ser divididos em quatro categorias distintas sobre questões de 1) força e condicionamento, 2) técnica de remo, 3)
dimensões psicológicas, e 4) organização do programa. Curiosamente, a importância atribuída a estas categorias variou com o nível de
experiência dos treinadores. Um padrão foi que novatos e intermediários treinadores tendem a avaliar um grande número de variáveis ​(muitas
vezes até cem) como muito importante, enquanto treinadores mestre focado em um conjunto menor de variáveis, que vão de 11 a

20. Além disso, os treinadores novatos tendem a se concentrar na técnica, enquanto treinadores intermediários concentrada no condicionamento
e mestres treinadores-aqueles que foram mais experiente e bem sucedido-tendia a destacar variáveis ​psicológicas como os ingredientes mais
importantes de uma equipe bem sucedida.

força individual e resistência Os oito atletas individuais em cada barco equipe precisava de força extrema e resistência para ter
alguma esperança de realizar razoavelmente bem. Treinadores usado um processo relativamente fácil e objetiva para medir a força individual
dos atletas e condicionamento. O remo “Ergometer” (ou “erg” para o short) medido objetivamente a produção de trabalho ao longo de uma
dada distância ou período de tempo para cada remador individual. Este, dispositivo métrica terrestre estável, como o “remo

1 Ver www.usrowing.org. 2 Ver

www.usrowing.org.

2
A equipe do grupo Army 403-131

máquinas”encontrados na maioria dos ginásios, simulou a técnica de remo em geral obrigados a correr sobre a água, mas eliminou a
instabilidade do remo em um escudo de competência e isolado cada membro da tripulação dos outros remadores em um barco. Remadores
treinados para resistência e técnica sobre o “erg” e foram testados periodicamente durante todo o ano um contra o outro e seus próprios
resultados anteriores. Escores foram comparáveis ​entre máquinas e anos, tornando mais fácil para comparar o tempo médio do ano corrente
para o do ano passado, ou para comparar um tempo em Boston para um tempo em uma máquina diferente em Seattle, todos com precisão
para o décimo de um segundo sobre a 2.000 teste do medidor.

exercícios de levantamento de peso complementou a formação erg. Registros para o número de repetições ea quantidade de peso
levantado em vários exercícios, incluindo perna e supino, cachos, e agachamentos, desde o treinador com medidas objetivas de força e
progresso para os indivíduos ao longo do tempo. Ambos os registros erg e de peso previstos medidas objectivas e comparáveis ​de
capacidades de força e resistência para ajudar o técnico na avaliação das habilidades individuais dos membros da tripulação.

Trabalho em equipe Tão importante quanto as habilidades individuais foram, era crucial para os oito atletas individuais para
sincronizar o seu remo. A tripulação foi um dos poucos esportes em que não havia prêmios para o desempenho individual, como um “jogador
mais valioso”. De fato, se um membro da tripulação de repente tentou realizar-se seus companheiros de equipe em uma corrida, o shell seria
realmente abrandar porque os remadores já não ser sincronizados.
Além disso, uma consideração chave foi o mental
força dos membros da tripulação, que tiveram de ser única e exclusivamente em sintonia um com o outro, com o objetivo comum de cruzar a linha de
chegada à frente de todas as outras equipes.

John Smith, um treinador tripulação escrever no final de 1800, observou que “o remo é sobre as minúcias” 3 e as equipes desde então têm
continuado a lutar para dominar os detalhes de remo. Quando se observa uma boa equipe, mãos todos os oito remadores, braços, costas e pernas
pareciam mover-se como se não houvesse conexões de aço-bar que ligam-los juntos. O calendário de entrada de cada remo e liberação da água
tinha que ocorrer dentro de centésimos de segundo dos outros remos, que por sua vez necessários cada remador para segurar suas mãos,
precisamente a mesma altura. Além disso, para a entrada e a libertação para ser perfeitamente cronometrado, todos tinham remeros para dirigir a
sua remo através da água a um ritmo idêntico. Durante a fase de recuperação do acidente vascular cerebral remo, todos os remos tinham que se
mover em uníssono, mantendo-se acima da água, para que não toque a água e retardar o barco para baixo. Se qualquer parte deste movimento
remo ou remo blade-trabalho foi desligado, o barco iria perder seu equilíbrio centro e desacelerar. Porque o centro do barco de gravidade foi acima
da linha de água, um remador que simplesmente jogou a cabeça para apertar o cabelo de seus olhos durante a fase de recuperação de um
acidente vascular cerebral faria com que o shell de ponta para um lado e seus remos para bater na água . Embora um membro da equipe
geralmente não poderiam atribuir um desvio em uma outra técnica de ou nível de esforço durante o dia da corrida a qualquer único indivíduo, os
remadores restantes podia sentir o desvio instantaneamente.

Um remador de longa data descreveu a dificuldade de se manter sincronizado:

Eu amo o desafio, físico, mental, e até mesmo técnica, em termos de posicionamento do corpo, tempo, quando partes do
corpo se mover, mantendo o conjunto barco, determinar quando a lâmina entra e sai, o quão alto fora da água, onde suas mãos é,
como você pena o remo com uma mão e puxe com a outra. E depois de dirigir, depois de tomar o curso com todo o seu poder,
você tem que mudar para agradável e fácil para o slide de back-up. Pense nisso desta maneira - é a

3 Bourne, Gilbert. A Textbook of arte de remar. ( 1987; impressão originais 1925). Esporte Book Publishing.

3
403-131 A equipe do grupo Army

equivalente a oito caras todos tentando fazer o balanço perfeito do golfe, ao mesmo tempo, todos juntos, a 200 vezes em uma fileira. 4

Uma vez que cada movimento para cada curso de uma corrida de 200-acidente vascular cerebral (2.000 metros) tinha que estar em
perfeita sincronia, uma corrida de tripulação de 8 pessoa confrontado 1.600 oportunidades (8 pessoas x 200 AVC) para perturbar o equilíbrio
do barco. Naturalmente, era quase impossível para cada pessoa a remar 200 golpes perfeitos. Os melhores barcos foram muitas vezes
distinguido, por isso, pela maneira como os remadores adaptados um ao outro é traços imperfeitos. Quando um remador cometeu um erro,
era importante para os outros remadores que sentiu o resultado desse erro refrão de ajustar a sua técnica para compensar, porque esta
reação pode desencadear uma espiral de assíncrona remo, instável. Em vez disso, a melhor resposta foi a confiar que quem cometeu o erro
iria corrigir o seu curso seguinte, permitindo que o barco para recuperar o equilíbrio e velocidade máxima.

A confiança necessária entre os membros da equipe falou com a psicologia da equipe como um todo. Como cada membro contribuiu para o esforço da equipe de remo, um barco da

tripulação foi tão forte quanto seu elo mais fraco. Quando um membro desviado do ritmo do grupo, isso com freqüência teve um efeito cascata que jogou fora os movimentos dos membros

restantes. Esta máxima do “elo mais fraco” não é aplicada apenas para técnica de remo, mas também para limiar de um indivíduo para a falha física. Em algum momento, remadores

confrontado o esgotamento de participar de uma corrida longa, o que poderia torná-lo sentir-se impossível manter-se o ritmo incessante da equipe. Se um membro chegou ao seu limite e

tentou descansar nem por um acidente vascular cerebral, o momento da equipe foi quebrado. A perda do poder de um remador para apenas um acidente vascular cerebral produziu um

aumento da carga sobre os remos das sete remadores restantes. Se um dos sete restantes estava perto de seu limite de falha física, até mesmo um ligeiro aumento da carga sobre o remo

aumentou substancialmente suas chances de fracasso. Consequentemente, se um remador cedeu perto do final de uma corrida, que poderia ter um efeito dominó-como sobre o

desempenho dos outros remadores. Ganhar uma corrida tripulação, portanto, necessário remadores para lutar contra a atingir o seu limite físico ao fazer o menor número de erros técnicos

sobre qualquer acidente vascular cerebral. que poderia ter um efeito dominó-como sobre o desempenho dos outros remadores. Ganhar uma corrida tripulação, portanto, necessário

remadores para lutar contra a atingir o seu limite físico ao fazer o menor número de erros técnicos sobre qualquer acidente vascular cerebral. que poderia ter um efeito dominó-como sobre o

desempenho dos outros remadores. Ganhar uma corrida tripulação, portanto, necessário remadores para lutar contra a atingir o seu limite físico ao fazer o menor número de erros técnicos

sobre qualquer acidente vascular cerebral.

Na realidade, sincronia muitas vezes era imperfeita. Treinador P. explicou:

Qualquer pequena mudança no escudo de competência afeta todo o barco. Muitas vezes, quando uma pessoa muda, as outras
sete pessoas tentam responder de maneiras diferentes. É importante não
responder. Em vez disso, companheiros precisam confiar um no outro, a confiar que a pessoa fora do ritmo irá corrigir-se. Você precisa
confiar que nenhum na tripulação será o elo mais fraco do que a tripulação, e que em vez disso o elo mais fraco será encontrada no barco
do concorrente. Em um barco de tripulação com perfeita coordenação, remo podia sentir quase sem esforço devido à sinergia entre os oito
membros. Na verdade, o treinador P. ocasionalmente perfurados os membros da equipe, na prática, pedindo-lhes para remar com os olhos
fechados, a fim de ajudar a equipe a aprender a “sentir” esta coordenação, referido como Ele explicou “swing.”: “A broca ajudou-os a
experimentar-se, juntamente com o resto da equipe como uma única unidade, e não como um conjunto de indivíduos.

4 Thomas, Jack, “Different Strokes” O Boston Globe, 09 de setembro de 2003, http://www.boston.com/news/globe/living/articles / 2003/09/30 / different_strokes

(acessado em 30 setembro de 2003).

4
A equipe do grupo Army 403-131

A equipe do grupo Exército 2001-2002

Treinador P. aguarda com expectativa o início da temporada 2001-2002 da primavera para o exército Crew. A equipe 20002001 tinha
conseguido um excelente desempenho durante a primavera anterior, ea maioria dos membros estavam voltando para mais uma temporada. Eles
haviam trabalhado duro na queda e no inverno para melhorar suas habilidades individuais, e este trabalho tinha liquidado. Um dos primeiros
trabalhos do treinador foi selecionar os oito melhores remadores para o barco Varsity e coloque a parte inferior oito remadores no barco júnior do
time do colégio. Estes dois barcos correu contra diferentes níveis de concorrência em toda a temporada, embora eles competiram entre si
diretamente, na prática e indiretamente, comparando seus tempos de corrida. Como fazia todos os anos, Treinador P. começou a temporada
através da realização de uma série de exercícios para determinar atribuições para os barcos do time do colégio e Junior Varsity.

O primeiro conjunto de exercícios de remo medido habilidade indivíduo. Estas medidas objectivas incluído força individual, técnica, e
resistência utilizando a máquina ergômetro. Treinador P. foi com agrado que a média 2001-2002 equipa tinha melhorado em comparação
com o ano anterior em 10 segundos sobre o erg durante um julgamento de 2.000 metros. No contexto, tempo médio de 6:32 da tripulação
Exército em comparação com uma média aproximada de 6:20 para a Ivy League, e 05:55 para a equipe olímpica dos EUA. Treinador P. teve
resultados ergômetro individuais Os membros da tripulação na mão quando a equipe foi para Atlanta para uma semana intensiva de
treinamento.

The Retreat Atlanta

À medida que o tempo melhorou, era hora de começar a temporada de primavera de corrida a sério. Os remadores estavam ansiosos
para começar depois de passar o inverno no treinamento off-temporada. Spring break serviu como um pontapé de saída, com um remo
“retiro” semana off-site que a equipe passou a treinar juntos no antigo 1996 olímpica de remo local em Atlanta. Lá, os remadores usado suas
manhãs a remar em barcos selecionados aleatoriamente para se concentrar na técnica e adaptabilidade. À noite, os remadores ler biografias
de remo e materiais relacionados. Tarde, no entanto, foram a parte mais intensa do dia. Foi durante este tempo a cada dia que o treinador P.
realizou uma série de “raças para bancos” que acabaria por determinar quais remadores foram selecionados para o barco Varsity.

“Corridas de assento” forneceu dados sistemática sobre o quão bem cada remador usou suas habilidades individuais enquanto coordenar
com seus companheiros em uma concha na água. O sistema corridas assento foi amplamente utilizado, incluindo no processo de seleção
olímpica, porque treinadores acreditavam que objetivamente capturados capacidade de um indivíduo de contribuir para o desempenho da
equipe. Primeiro, oito remadores de cerca de igual força foram divididos arbitrariamente em dois barcos para 4 pessoas, que, em seguida, correu
uns contra os outros por dois minutos na água calma.
Se o barco “A” venceu barco “B” por 10 metros, esta foi gravada.
Imediatamente após a corrida, um membro de cada barco foi dito para mudar barcos, e os dois barcos começou a remar outra raça dois
minutos. Se o barco “B” bater barco “A” por 15 metros na segunda corrida, foi registrado que remador “X” (originalmente no barco A) foi de 25
metros melhor do remador “Y” com quem ele tinha mudado. Assim, a diferença nos resultados entre os dois barcos através das duas corridas
pode ser atribuída aos dois remeros que tinham mudado barcos. Porque ninguém sabia quando seria comutada, cada indivíduo estava
motivado para realizar o seu melhor em cada ensaio da raça assento. O treinador dados coletados ao longo de várias corridas com todas as
combinações possíveis de remadores em cada barco. Races que terminaram com resultados próximos ou surpreendentes eram muitas vezes
re-run para confirmar o resultado.

Até o final da semana em Atlanta, Treinador P. havia selecionado os oito melhores remadores para o barco Varsity e os inferiores oito
remadores para o barco júnior do time do colégio. Ele lembrou que foi uma decisão fácil:

5
403-131 A equipe do grupo Army

A corrida assento deixou claro que o direito oito caras foram para o barco Varsity. A equipe Varsity tinha os oito melhores
pontuações para força individual, com duas exceções. Os dois caras com a maior força pura foram colocados no barco JV devido ao
seu desempenho nas corridas de assento. Um deles tendem a se concentrar em seu desempenho individual, mas trouxe sua equipe
4person para baixo nas competições. Ele não pareceu dar a sua melhor marca pessoal na água, e ainda assim ele foi crítico com os
outros. Ele iria remar duro, mas jogar fora técnica na competição, retardando assim a casca para baixo. O outro remador era jovem,
inexperiente e tinha muito má técnica na água onde se importava. Ambos os remadores perderam suas competições assento de
corrida.

Para o último treino da semana, as duas equipes recém-selecionados correu pela primeira vez, e, como esperado, o barco Varsity
derrotou o barco JV com folga. O barco Varsity experiente “swing” quase imediatamente, e os remadores estavam animado com sua primeira
experiência em conjunto, como o time da escola.

Voltar no Rio Hudson

Quando a equipe chegou de volta ao campus, Treinador P. descobriu que alguns dos membros de barco Varsity apareceu infeliz e crítica
um do outro sobre por que eles não tinham derrotado o barco JV por uma margem maior em Atlanta, apenas cinco dias antes. Ele tomou isso
como um bom sinal: “Eu pensei que este era um indicador de seu esforço para a excelência. Em retrospectiva, deveria ter sido visto como um
presságio dos tempos difíceis à minha espera “.

Tanto quanto o treinador P. estava preocupado, seu barco Varsity consistia de oito objetivamente melhores remadores, e ele esperava
que eles executam bem juntos. Em outros anos, e com base no seu conhecimento de outras equipes, o barco Varsity foi quase sempre mais
rápido do que o barco JV, tanto nas práticas e nos tempos de corrida reais. Este foi apenas natural, como os oito melhores remadores estavam
no barco Varsity. Sua vitória sobre o JV em seu primeiro esforço confirmou a selecção objectiva metodologia claramente. Ou não é?

Durante primeiro treino da equipe no Rio Hudson após Spring Break, o barco JV imediatamente bater o barco Varsity em uma corrida
prática. Treinador P. visto este resultado como uma aberração. Quando aconteceu mais algumas vezes, no entanto, tornou-se mais intrigante
para ele. Logo, um claro padrão emergiu. Para sua surpresa continua, Treinador P. descobriram que o time do colégio júnior remou mais
rápido do que o time da escola cerca de dois terços do tempo. E não que a JV foi ficando mais rápido foi; o Varsity parecia estar a abrandar.
Dada a atenção meticulosa que ele tinha dedicado a colocação de indivíduos nos barcos, e os dados de desempenho objetivas clara sobre o
que ele tinha baseado estas decisões de colocação, ele não tinha nenhuma indicação de antemão que isso iria acontecer.

Treinador P. ficou perplexo com o rumo dos acontecimentos, e começou uma meticulosa análise contínua, diária dos fatores potenciais
que podem estar causando esse padrão de resultados. Suas primeiras ações foram destinadas a recolher vários tipos de informações e
realização de experimentos para tentar isolar a razão específica para que o time do colégio júnior superou o barco Varsity. Por exemplo, ele
realizou uma série de corridas de pares em que dois membros do barco Varsity correram contra o par correspondente do barco JV.
Independentemente de qual dois membros que juntos, a par do barco Varsity consistentemente bater o par JV. Ele então realizou outra série
de corridas em que vários grupos de quatro ou seis remadores do barco Varsity correu contra os seus homólogos do barco JV. Mais uma vez,
os remadores do time do colégio ganhou consistentemente essas raças. Somente quando todos os oito remou ao mesmo tempo fez o JV
bater o Varsity. Estes resultados novamente indicado para o treinador P. que o barco Varsity tinha os melhores membros individuais, mas que
havia algo sobre a maneira como eles funcionavam como uma equipe de oito remadores que fizeram “o todo menos do que a soma das
partes.”

6
A equipe do grupo Army 403-131

Virando-se para os dados do disco que ele havia coletado sobre os membros da equipe, o treinador P. construída uma matriz dos 16
remadores, listando seus pontos fortes e fracos em várias dimensões. Estas dimensões incluído pontuação erg, levantamento de peso força,
técnica de remo, e se a pessoa era um “líder ou seguidor”, “otimista ou pessimista”, “criador de equipe ou equipe desregulador (ou seja,
alguém que consistentemente falou durante a prática ou criticado outros) “, e fatores relacionados. pontuações de cada pessoa sobre os
critérios mais subjetivos foram baseadas na observação direta do treinador, juntamente com os comentários que os remadores feitas a ele.
Seu assistente técnico também forneceu classificações para os itens subjetivos. Treinador P. e seu assistente tinha vistas quase idênticos
sobre essas medidas subjetivas. O padrão que emergiu da análise desta matriz foi que os membros do barco Varsity tinha a melhor
habilidade técnica e condicionamento entre os 16 remadores, mas ninguém foi classificada como líder enquanto vários foram rotulados como
desreguladores equipe. membros do barco JV, ao contrário, tinha praticamente nenhum desreguladores equipe.

Treinador P. estava ciente do estudo Olímpico enfatizando a importância dos factores psicológicos. Além disso, ele estava confortável
analisando essas dimensões com base em seus graus avançados em psicologia, seu Ph.D. no ensino superior, e sua experiência como
professor titular do Departamento de Ciências Comportamentais e Liderança em West Point. Além de confiar em seu próprio julgamento como
um treinador experiente, ele trouxe uma pessoa a partir do Centro para um melhor desempenho (CEP) em West Point que tinha experiência
em maximizar o desempenho individual e da equipe. O CEP foi composta por psicólogos do esporte da Academia, que foram treinados para
desenvolver a aplicação sistemática de habilidades mentais específicas necessárias para melhorar o desempenho humano. Eles empregaram
uma série de técnicas de formação destinados a utilizar as “crenças, atitudes,

Treinador P. rotineiramente incentivou seus remadores para e-mail uns aos outros com o objetivo de apoiar mutuamente esforços uns
dos outros para desenvolver uma mentalidade vencedora. Ele também pediu que quaisquer críticas ou sugestões de melhoria ser direcionado
apenas para ele. Uma amostra das mensagens de email que circulam entre o barco JV ler: “... todo mundo já remou corridas suficientes para
saber que você ganha alguns, você perde alguns ... Apenas lembre-se, todos na [JV] Tripulação quer ganhar tanto quanto você faz ... única
aqueles que são remadores graves e quer remar duro (estão entre nós).”Outro dizia:“temos a confiança e o controle de remar nossa própria
raça. Nós sabemos como vencer e vamos fazê-lo em nossos termos. Vamos conseguir juntos, vamos fracassar juntos “E ainda outro:“. Nós
não estamos remando para nós mesmos, o treinador, ou do Exército Crew. Quando o impulso vem shove, em que os últimos 1.000 metros,

Em contraste, uma amostra a partir de mensagens de e-mail do Varsity barco leia-se: “Eu nunca pensei que seria o elo mais fraco, mas nesta corrida, estou certo disso. Eu sei que se

eu conseguir minha cabeça para trás nele, o barco vai começar a se mover novamente.”Muitos dos remadores Varsity escreveu diretamente para o treinador com suas queixas. Um e-mail

representativo, embora dificilmente o único exemplo de apontar o dedo, ter a seguinte redacção: “Agora. . . minha sessão reclamando sobre Jim desde que não tenham obtido uma chance

de falar com você. Além de sua "grande personalidade" (que eu não vou nem entrar), ele não é consistente em tudo e eu não sei se você pode dizer isso de fora do barco. Não parece que

ele ouve o timoneiro muito bem e ele não me escuta qualquer um. Eu realmente preciso de alguém que me sinto um vínculo com e isso não está acontecendo com Jim. Em pontos Eu

quase lhe pedi para me mover para qualquer barco, mas o que ele é. Eu sei e tentar lembrar a história que você sempre dizer sobre o cara que engalana o outro cara no final da temporada,

mas eu seriamente don 't acho que posso aguentar tanto tempo. Ele me dá nos nervos tão ruim (o que é motivo estranho eu realmente se dá bem com todo mundo) e eu acho que todo

mundo está começando a perceber o que um burro que ele está fazendo para fora de si mesmo e perguntar por que ele está sentado naquela cadeira. Sinto muito se parece que eu estou

tentando levá-lo a mudar algo que você não quer (porque você é o treinador), mas eu sou apenas t acho que posso aguentar tanto tempo. Ele me dá nos nervos tão ruim (o que é motivo

estranho eu realmente se dá bem com todo mundo) e eu acho que todo mundo está começando a perceber o que um burro que ele está fazendo para fora de si mesmo e perguntar por que

ele está sentado naquela cadeira. Sinto muito se parece que eu estou tentando levá-lo a mudar algo que você não quer (porque você é o treinador), mas eu sou apenas t acho que posso

aguentar tanto tempo. Ele me dá nos nervos tão ruim (o que é motivo estranho eu realmente se dá bem com todo mundo) e eu acho que todo mundo está começando a perceber o que um

burro que ele está fazendo para fora de si mesmo e perguntar por que ele está sentado naquela cadeira. Sinto muito se parece que eu estou tentando levá-lo a mudar algo que você não

quer (porque você é o treinador), mas eu sou apenas

7
403-131 A equipe do grupo Army

tentando dar-lhe perspectiva do meu assento.”Entre todos os e-mails treinador P. recebidos como este, nenhum padrão claro emergiram que
apontavam para um culpado solitário entre os membros do time do colégio.

Treinador P. analisou também se atribuir a vez intrigante de eventos para a rivalidade entre os dois barcos. Em um ponto durante uma
sessão de formação de equipe CEP, os membros da equipe do time do colégio o tinha acusado de criar um fosso entre eles e o barco JV,
forçando-os a remar contra o outro em prática tantas vezes. O Varsity preferido para a linha sozinho e para além da JV. Um membro sugeriu
que a competição que o treinador configurar entre os barcos do time do colégio e Junior Varsity era enervante. Considerando que o barco
júnior Varsity tinha nada a perder, foi embaraçoso para o barco Varsity para competir contra eles. Outro membro da equipe, no entanto,
argumentou que era muito difícil de competir no rio enquanto remo apenas contra o relógio, porque a outra equipe forneceu uma referência
útil para medir o quão rápido eles remavam.

Alguns comentários foram também direcionados para comparações internas entre os membros do barco Varsity. Por exemplo, um
remador que estava em seu segundo ano atribuído o seu próprio desempenho baixo para ser o membro mais jovem da equipe. Ele sentiu
que era ineficaz em influenciar os membros mais antigos da equipe que o outranked militarmente.

Antes que os dois barcos correu uns contra os outros em práticas, os membros de cada barco se reuniu em um amontoado, colocar suas
mãos e gritou palavras de despedida de seu amontoado. Desde cedo, o barco JV sempre se separaram, gritando as palavras “nada a
perder”. Em contraste, o barco Varsity mudou intermitentemente as palavras que usaram, tendendo a concentrar seu slogan sobre as
especificidades de remo em si. Por exemplo, eles se separaram com gritos de “linha dura”, “nunca morrem”, e “acabamento limpo”.

Depois de todos os treinos e corrida, as equipes de arrumar os equipamentos e realizou uma auto-crítica. Treinador P. notou que os
membros do barco Varsity tendiam a criticar uns aos outros individualmente sobre os detalhes da prática ou raça. Eles poderiam ser
implacável na sua avaliação de sua outra performance.
Em contraste, os membros do barco JV não criticar uns aos outros individualmente. E se

foram necessárias correções, eles nunca destacou um único remador mas, em vez disso, fez comentários globais sobre detalhes que todos
necessários para a prática.

Treinador P. tinha tomado uma abordagem um pouco arriscado para atividades de condicionamento da equipe durante a temporada de
inverno e primavera. Notando que a pontuação geral erg da equipe foram muito melhor do que no ano anterior (que tinha sido uma
temporada vitoriosa de sucesso), ele acreditava tripulações deste ano poderia fazê-lo para as finais dos nacionais. Dada essa crença, ele
queria garantir que eles tinham todas as chances possíveis para alcançar este objetivo. Assim, ele se reuniu com força e condicionamento
treinador da equipe de futebol, apelidado de “Satã” pelos seus infernais treinos sala de musculação.

Treinador P. disse à equipe que ele e Satanás elaborou um plano de ordenamento que garantir que eles estariam em seu pico de
intensidade e resistência durante a semana da competição nacional. Este plano exigia que eles continuam exercícios de peso significativas
durante toda a temporada de corrida normal. Treinador P. disse à tripulação que isso pode atrasá-los significativamente durante a temporada
de corridas dupla, bem como durante os campeonatos estaduais League e Nova Iorque. No entanto, com o levantamento de peso reduzido
aproximadamente 14 dias antes dos Nationals, eles poderiam esperar que o resto de 14 dias a partir de levantamento iria permitir que os
músculos para curar, crescer e estar pronto para o desempenho máximo. Ele descreveu isso como uma espécie de efeito “estilingue-shot” do
aumento do poder individual que seria visto no ponto mais crítico na estação-os Nationals. De fato, os membros de ambos os Varsity e JV
foram ficando cada vez mais forte e seus tempos de ERG foram melhorando ao longo da temporada. No entanto, o Varsity estava perdendo a
dupla se encontra e terminando perto do meio do pacote em eventos maiores, enquanto o JV foi rotineiramente ganhar contra a sua
concorrência.

8
A equipe do grupo Army 403-131

Como a temporada começou e eles se arrastou mais perto da competição nacional, os membros do JV eram muito mais animado sobre
a sua temporada do que eram os membros do time do colégio. Esta disparidade pode ter afetado um experimento final, o treinador P.
conduzido por mover alguns remadores JV no barco Varsity na ocasião durante os treinos. Isso inevitavelmente levou a piores resultados. No
início da temporada, os membros do JV teria encontrado mais prestigiado para se juntar ao barco Varsity. Agora, no entanto, o JV não queria
nada a ver com o remador Varsity que foi “enviado” eo JV remador queria ficar com a vencedora barco JV com pouco desejo de “subir” para o
Varsity perder. Na verdade, quando interruptores foram feitas, o JV venceria por ainda mais, indicando o remador “enviado” fez o barco JV ir
mais rápido do que antes. Se o remador “enviado” foi realmente melhor do que o transferiu-se para o Varsity, no entanto (mais uma vez
confirmando o posicionamento inicial), este derrotou o propósito de tentar melhorar o barco Varsity, alternando os membros com o JV!
Treinador P. permaneceu confiante do potencial para o barco Varsity, mas cada vez mais questionado se ou não esse potencial seria
realizado nesta temporada.

O que fazer?

Mudar os barcos Varsity e Junior Varsity A opção mais extrema que o treinador P. considerado foi reconhecer que o júnior
Varsity barco era um performer mais forte do que o barco Varsity e simplesmente mudar seus títulos. Ele estava relutante em fazer isso, no
entanto. Afinal de contas, os dados que coletou antes e após as atribuições de barco indicam fortemente que o barco Varsity tinha os
remadores mais fortes. Por outro lado, houve um precedente para mudar barcos. Durante os mid1990s, o treinador Cornell enfrentado uma
situação semelhante, fez a mudança, e tanto o Varsity e JV ganhou campeonatos do Leste naquele ano.

Mudar membros de barco individuais Outra opção que o treinador P. continuou a considerar era para alternar membros
individuais entre os dois barcos. Talvez ele ainda não tinha encontrado a combinação certa para o barco Varsity, apesar de todos os seus
esforços para fazê-lo. A viabilidade desta opção foi um pouco limitado por preferências dos membros do júnior do time do colégio para
permanecer no barco JV. Alguns deles tinham mesmo expressou temor em direção a lugares de comutação.

Intervir para melhorar o desempenho da embarcação Varsity Dado que o barco Varsity continha os remadores mais
fortes, Treinador P. ruminado sobre como ele pode intervir para melhorar seu desempenho. Para este fim, ele decidiu começar a última
semana da equipe da prática com uma reunião com membros do barco Varsity para discutir o seu desempenho.

A reunião do grupo

Com as corridas do campeonato nacional apenas quatro dias de distância, a prática de segunda-feira terminou com o JV mais uma vez
batendo o Varsity. O JV deixou o Rio Hudson exuberantemente, aplaudiu seu “nada a perder” slogan, e deixou a área de prática. Treinador P.
realizado o barco Varsity na água, puxou o lançamento de coaching ao lado, e olhou nos olhos de cada remador. A cabeça do timoneiro
estava para baixo e balançando esquerda para a direita. Ele viu nenhuma dor em seus olhos que teria refletido a agonia de uma perda física
para o JV. Em vez disso, ele viu espíritos com olhares vazios esmagado. Os remadores murmurou tranquilos, palavrões sem emoção.
Treinador P. ordenou-lhes que “colocá-lo no banco dos réus: nós se encontram na mesa de piquenique.”

Treinador P. esperou na mesa de piquenique para observar seus remadores Varsity andar até a mesa. A tripulação não poderia mesmo
sentar-se perto um do outro. Alguns ajoelhou-se na grama, outros de pé, uma na horizontal, e os outros tomaram as quatro extremidades da mesa
tão distantes como eles poderiam obter. Ninguém falou. Os Nationals foram exatamente quatro dias de distância. Treinador P. declarou sua
confiança neles, mas expressou sua própria

9
403-131 A equipe do grupo Army

frustração em não entender por que eles não estavam vencendo. Ele expôs os argumentos lógicos do uso de critérios de medição e de
selecção objectivos. Ele acabou por afirmar que a resposta foi realizada dentro deles como uma equipe e que ninguém iria sair até que uma
solução foi proposta ou problemas foram identificados por resolução.

As primeiras explicações forçados focado na situação geral da equipe, em vez de quaisquer membros particulares da equipe. O tom
mudou, no entanto, quando Joe, o membro mais jovem tem sua vez de falar. Joe se levantou, caminhou alguns passos de distância do resto
da equipe, e se virou para enfrentá-los todos. “Eu estive carregando o barco sozinho”, ele disse com raiva: “Eu sou o único cara que trabalha
duro em cada curso. Eu sinto que estou lá fora remando sozinho.”Ele argumentou que seus companheiros de equipe deve olhar para si
mesmos para a explicação para seu fraco desempenho.

Outros membros da equipe respondeu rapidamente reivindicações de Joe. “ Eu estou a carregar o barco “, disse outro remador. Dois
outros afirmaram que eles não estavam a faltar, mas em vez disso estava trabalhando tão duro quanto eles possivelmente. Depois de várias
acusações raivosas e explosões defensivas, um dos homens resumiu algo que eles foram todos os sentimentos: ele estava doente da
situação e não podia esperar para a temporada ter acabado.

Treinador P. foi surpreendido pela forma como a discussão havia se intensificado. Ele viu seus oito melhores remadores abatido, irritado,
e cerrando os punhos. Ele perguntou ao grupo: “Então, qual é a solução?” Todos os oito remadores conheceu sua pergunta com um silêncio
de morte. Depois de um trecho cada vez mais tensa do silêncio, Treinador P. disse-lhes que a reunião havia lhe dado muito que pensar, e
que eles devem informar a praticar no dia seguinte pronto para trabalhar por essa situação.

Quando ele terminou de falar, Treinador P. observava os oito companheiros a pé uma da outra em oito direções diferentes. Depois de
deixá-los dispersar, a caminhada de volta ao seu escritório parecia mais tempo do que o habitual. Sentia-se oprimida pela perspectiva
imediata de sua equipe Varsity caindo aos pedaços, e ele sabia que tinha uma longa noite de pensar à frente dele sobre o que fazer.

10
A equipe do grupo Army 403-131

Exposição 1 Colocação de remadores em um barco Tripulação

assentos Descrição

1e2 Arco assentos. “Place kickers” que são removidos a partir da ação. Descrito como “auto-motivado”
e “solitários”. Eles raramente falam.

3e4 Semelhante a 5 e 6, mas melhor técnica, menos força. Boa transição para o par arco. Com 5 e
6, que compreendem o “Engine Room” para o barco.

5e6 Membros mais fortes com a técnica geralmente mais pobres. O capitão da equipe senta no banco 6.

7 Bom seguidor de 8, quase um par perfeito com ele. 7 leva a estibordo do navio.

8 assento de acidente vascular cerebral. Crucial para definir o ritmo. Não é tão forte, mas mais consistente com
a técnica sólida. Deve possuir uma atitude de “nunca desistir”.

Fonte: Criado por casewriter.

Coxswain: dirige o barco, motiva a equipe, e define a estratégia de corrida. Executa plano de formação do treinador para o dia e corrige
técnica de remo quando o treinador não está presente e durante as corridas. líder nomeado responsável pelo barco quando em curso,
geralmente combina com o fundo fora da água. Relatórios de Problemas com o treinador conforme apropriado.

11