Você está na página 1de 2

AO JUIZO DA 1º VARA CÍVEL De VITORIA DA CONQUISTA – BA

INACIO GUERRA, pessoa física, solteiro, com endereço na Rua: Jose Gomes Domingues,
n.º...,. , Cidade Vitória da conquista, Estado, CEP......., RG. Nº ....... SSP/DF, não possui
endereço eletrônico vem, por sua advogada, Ana Flávia Mendes, ao final assinado, com
endereço onde recebe citações e intimações, que lhe move GERALDO SILVA, já qualificada
nos autos, oferecer:

CONTESTAÇÃO C/C RECONVENÇÃO COM O VALOR.

O Autor moveu a ação em desfavor do Requerido alegando que assinaram um


contrato no dia 10/01/2017 na compra de uma máquina, no valor de R$ 90.000,00 mil reais
(noventa mil reais). Inácio informa que em virtude do desfazimento do contrato sentiu-se
prejudicado e pretendia requerer a Geraldo o valor de R$ 10.000,00 (dez mil reais),
correspondente ao valor que teve que arcar com a máquina em funcionamento, mesmo sem
utiliza-la.
Ao final, Inácio disse estar de acordo com o negócio, mas queria que seus direitos
fossem resguardados. Acrescentou que, em 17/03/2018, descobriu que Geraldo logo após a
distribuição do processo, passou a enviar presentes ao juiz da causa e Inácio acreditava que
esse tipo de atitude pudesse influenciar o teor da decisão. Os presentes eram levados pelo
motoboy Vitor Moreira um conhecido em comum das partes, que disse estar disposto a
relatar o ocorrido entre as partes.

I. PRELIMINAR

O Autor firmou contrato de prestação de serviço com o Requerido, porém em hipótese


alguma o descumpriu, pois ofereceu todas as necessárias condições para que o serviço fosse
realizado, não haveria motivos para que o mesmo assim não fizesse o mesmo Porém o
Requerido descumpriu o contrato, quando seria conveniente quebrar o acordo, no mesmo
dia da assinatura da prestação de serviço. Além de ter experimentado enormes transtornos
por isso, descobriu que Geraldo logo após a distribuição do processo, passou a enviar
presentes ao juiz da causa e Inácio.

II. DO DIREITO

DA RESCISÃO DO CONTRATO
Sobre a matéria, preconiza o Código Civil Brasileiro:
Art. 474. A cláusula resolutiva expressa opera de pleno direito; (...)
Art. 475. A parte lesada pelo inadimplemento pode pedir a resolução do contrato, se não
preferir exigir-lhe o cumprimento, cabendo, em qualquer dos casos, indenização por perdas
e danos.
Conforme narrado alhures, o Requerido deixou de cumprir as obrigações assumidas
em cláusula (nº) do respectivo Contrato Particular de Compra e Venda de Veículo. Na
cláusula 475 Código Civil do referido contrato, tem-se de forma clara a quebra de contrato
do requerido. Contudo, por expressa convenção prévia, o Requerido, neste caso, não
poderá reaver nenhuma das quantias adimplidas. Portanto, é incontroverso que, no caso
específico dos autos, a inadimplência do Requerido justifica a presente pretensão da
Requerente de rescisão contratual, nos exatos termos dos Arts. 474 e 475 do Código Civil.

III. DOS PEDIDOS

Do exposto, é intento dos requeridos, a permanência do imóvel objeto de


compromisso de compra e venda, até ser restituídos e compensados em regular execução
de sentença os valores despendidos a título de parcela mensal. Nada mais justo.
Posto isso, requerem sejam julgados improcedentes os pedidos de resolução contratual e
reintegração de posse, condenando a requerente no pagamento das custas, despesas
processuais e honorários advocatícios.
Provaram o alegado por todos os meios de provas em direito admitidos,
especialmente o depoimento pessoal do representante legal da requerente, sob pena de
confissão, oitiva de testemunhas, juntada de documentos, etc. Protesta por outras provas
uma vez que não dispõe de recursos suficientes para arcar com o pagamento das custas,
despesas processuais e honorários advocatícios inerentes a presente medida judicial.
Nesses Termos, Pede Deferimento.

Vitoria da Conquista – BA
10 de Janeiro de 2017
ADV- OAB/estado nº...,