Você está na página 1de 1

Isso é uma tentativa de talvez tentar escrever os meus pensamentos de forma fluida enquanto

penso essas palavras, talvez isso pareça mais sincero.

Estou triste? A resposta é sim. Dscobrirr ou tentar descobrir o seu verdadeiro Eu é algo bem
difícil de fazer, Era mais fácil quando eu era de igreja, ela te força a fazer esse tipo de coisa, se
abrir, usar a filosofia deles para encaixa-la na sua vida, indepedenpente da sua criação ou
desenvolvimento. Já desenvolver o seu Eu é aglo mais difícil, poruqe tu tem que desenvolver
do zero toda a sua nova filosfia de vida, descobrir quem você é, como você pensa, o que tu
considera certo, justo, errado, sádico, ruim, bom. Aquilo que é importante valorizar na vida,ser
sozinho, gostar disso ou não. A parte boa disso é que não importa se eu fique rico, ou morra na
miséria, o seu Eu nunca pode ser perdido ele é o que ele é intrinsicamente e independente do
seu mundo físico. Acho que é isso que significa não ser “terreno”, que dizer, quando você
valoriza apenas o material, você esquece de pensar na sua mente que não é material, ideias e
pensamentos não são físicos ou tangíveis porra, não dá pra perdelos se você é expulso de casa
ou sube muito na vida. Quem sabe seu criar uma forte base psiclogica eu consiga de desligar
do mundo físico primeiramente e aproveitar minha orópria existência como ser humano, sem
MEDOS, ou ansiedade, ou receio do que vai acontecer, todas essa ciosas aterrorizam minha
mente todos os dias de verdade, são os meus problemas, o que fazer para resolvê-los?Tire um
tempo para refletir, pense em você, seja você, ninguém pode tirar isso, n]ao é tangível e pode
ser usado até o fim dos meus dias, e se isso for verdade, nada do que eu me preocupo hoje
será tão importante assim, afinal, aceitar a finitude das coisas as torna menos significante, é
tudo parte de um processo doloroso de adaptação e mudança até a conclusão.

Parece que a cada momento eu desperdiço um pedaço da minha vida com nada, me preocupo
tanto com resultados que nunca vem que esqueço de enxergar o agora. Medo do futuro
talvez, essa perspectiva parece bem razoável pra mim agora, quando se tem medo do futuro a
ansiedade vem e toma conta, aí eu penso que aquele momento foi um completo lixo porque
fiquei tão ansioso com o que ia acontecer que eu não fiz nada, assim nunca nenhum resultado
virá para ninguém nesse mundo frio e sem sentido. Que interessante, essa é a primeira vez
que eu consigo escrever as palavras que vem na minha mente e imediatamente transformar
isso em algo real a tangível como palavras num maldito computador. Acho que é hora de
escrever algo que valha alguma coisa e que sirva como material para deselvolver um projeto
que me de um pouco de orgulho pra mim e pra minha família... droga, porque eu sempre
preciso pensar na aprovação de alguém para fazer qualquer coisa?

Nossa, eu fiz o desafio do Stephen King, 500 palavras por dia todo dia. Eu não fiz isso todo dia
ainda, hoje é o primeiro dia, já são mais de quinhentas palavras que me ajudaram a entender
meus pensamentos de outra perspectiva, com sinceridade e sem medo de julgamentos.

São exatamente 23:25, dia 28/12/2017. Título: Filosofia nova para mim, adeus. Palavras: 567.