Você está na página 1de 35

designconceitual.com.

br
Apresentação
Estar por dentro do que acontece brasileiro em quatro principais
no mercado do design é impres- tópicos: características do atual
cindível para aqueles que desejam mercado, o ambiente que pode ser
ingressar na área. encontrado por profissionais, além
de percepções e características
No modo geral, o campo é conhe- pessoais dos 162 entrevistados.
cido por sua grande abrangência,
o que permite que profissionais A pesquisa foi realizada por meio
atuem em diversas funções e áre- de um questionário online de 16
as que vão além das mais popula- perguntas e divulgada nas prin-
res, como gráfico e produto. cipais redes sociais do site, assim
como por sites parceiros.
Mas para se situar neste novo mo-
mento de mudanças tecnológicas, O resultado deste estudo busca fa-
políticas e econômicas no Brasil, o zer com que você, designer, possa
mercado, de um modo geral, pode entender o contexto em que você
muitas vezes exigir do designer está inserido. Cada um dos quatro
novas habilidades, criando um capítulos contará com as observa-
novo cenário profissional. ções dos autores Eduardo Guedin
e Willian Amphilóquio.
A partir da relevância e presen-
ça do Design Conceitual em todo Esperamos que os dados aqui
o país e no exterior, realizamos levantados possam auxiliar o seu
durante os dias 6 e 17 de março rumo profissional nos próximos
de 2017 a pesquisa “O Cenário do meses e que façam com que nossa
Design no Brasil”. área seja cada dia melhor.

O objetivo principal é apontar, de Boa leitura! :)


modo geral, o perfil do designer
Autores

Eduardo Guedin
Fundador do site Design Conceitual e graduado
em Comunicação Social - Jornalismo pelo Ins-
tituto Luterano de Ensino Superior Bom Jesus/
Ielusc. Trabalha na área de design há três anos
como diagramador e web designer. Participou
de projetos de extensão no desenvolvimento de
identidade visual e projeto gráfico.
jornalistaeduardo@hotmail.com

Willian Amphilóquio
Graduado em Design com habilitação em Pro-
gramação Visual pela Universidade da Região
de Joinville - UNIVILLE. Mestrando em Design
na mesma instituição. Dedica-se, atualmente, à
mídia digital, desenvolvendo vídeos comerciais e
institucionais para a comunicação out of home.
Busca, por meio do design, trazer inclusão social,
focando-se no público deficiente visual.
willian.amphiloquio@gmail.com

O CENÁRIO DO DESIGN NO BRASIL 3


Sumário
O Cenário 05
Perfil 06
Gênero e Idade 07
Localização 09
Instrução 10
Experiência 11
Área 13
Mercado 14
Motivo de Ingresso na área 15
Tempo de mercado 16
Renda 17
Situação 19
Ambiente de Trabalho 21
Ramo de atuação 22
Ferramentas de trabalho 24
Percepções e características 26
Satisfação 27
Necessidade de graduação 29
Habilidades em desenho 31
Relatos 33
Considerações finais: para onde vamos? 34

O CENÁRIO DO DESIGN NO BRASIL 4


O cenário
Atualmente, os brasileiros têm vivido forma significativa a performance
um período de transição entre a e o alcance das empresas por meio
situação econômica vivenciada até da mudança como os negócios são
meados de 2014 e as condições eco- feitos.
nômicas atuais.
Evolução tecnológica
Para contextualizar os dados que Como tem ocorrido em outras
foram levantados nesta pesquisa, áreas, a tecnologia faz cada vez mais
elencamos alguns pontos essenciais parte do cotidiano dos designers, se
para se entender o que ocorre tornando assim essencial. Desde o
atualmente no país: armazenamento de arquivos até a
divulgação de seus trabalhos e con-
Cenário político e tatos com clientes.
econômico brasileiro
No último ano, o Brasil passou por Capitalismo Colaborativo
intensas situações relacionadas à Em meio à arrecadação de recursos
política e à economia por meio da por meio de crowdfounding e mais
mudança de governo a nível federal. recentemente a implantação do
Uber no Brasil, vivemos em um
A consequência desta troca tem período de transição para o que
trazido mudanças que irão impactar tem sido chamado de Capitalismo
diretamente na CLT, assim como nas Colaborativo. Jeremy Rifkin, econo-
regras da previdência social. mista americano, definiu este novo
momento da seguinte forma: “O
Transformação Digital capitalismo está dando à luz uma
Em meio a este cenário, a tecnologia espécie de filho, que é a economia
tem trazido novos métodos de tra- do compartilhamento e dos bens
balho, reduzindo custos e alterando comuns colaborativos”.
modelos de negócio. Debatido mais
na área de TI, a transformação Contextualizado com o cenário, ago-
digital, se trata do movimento que ra você pode conferir os resultados
tem ocorrido para aumentar de da pesquisa.

O CENÁRIO DO DESIGN NO BRASIL 5


Perfil
Com a evolução da sociedade e um aumento nas
ramificações do design, o perfil que antes era
geralmente ligado ao homem, agora passa a ter
a inclusão das mulheres no mercado de trabalho
de um modo geral. Iniciamos nossa pesquisa
trazendo os dados que refletem, de certa forma,
a realidade do perfil dos profissionais do design.

O CENÁRIO DO DESIGN NO BRASIL 6


Perfil

Gênero e Idade

22-25 33%
Homem 26-30 23%
67% 18-21 15%

31-35 10%

36-40 9%

41-45 5%
Mulher
33% + 46 4%

- 18 2%

Uma pesquisa feita pelo Cadastro


Geral de Emprego e Desemprego
(Caged) e da Relação Anual de In-
formações Sociais (Rais) em 2016
revela que 44% das vagas no Brasil
em todas as áreas já são ocupadas
Nas faixas etárias
por mulheres. o grupo que
maior respondeu
Contextualizando com os dados
levantados, esses números retra- às questões foi
tam um cenário mais equilibrado o que podemos
do que o apontado pelos 162 en- chamar de jovem
trevistados: 67% afirmaram ser do
sexo masculino, enquanto apenas e jovens adultos

O CENÁRIO DO DESIGN NO BRASIL 7


Perfil

Gênero e idade

33% são do sexo feminino. Em menor escala, participaram


profissionais mais experientes
Se na questão de gênero há uma com faixas etárias entre 31 e 35
evidente diferença, nas faixas etá- anos (10%), entre 36 e 40 (9%)
rias o grupo que maior respondeu e profissionais entre 41 e
às questões foi o que podemos 45 anos (5%).
chamar de jovem e jovens adultos,
sendo eles: entre 22 e 25 anos Portanto, você poderá observar
33%, enquanto entre 26 e 30 anos que os resultados que virão a se-
23%, além da primeira faixa de guir são em uma maior escala
inserção no mercado de trabalho, de jovens/jovens adultos entre
que corresponde aos participantes 18 e 30 anos e majoritaria-
entre 18 e 21 anos, representam mente homens.
apenas 5%.

O CENÁRIO DO DESIGN NO BRASIL 8


Perfil

Localização

Norte
3%
Nordeste
11%

Centro-oeste Sudeste
2% 46%
Sul
37%
Exterior 1%

Para compreender melhor a ori- outras regiões: nordeste (11%),


gem geográfica dos resultados da norte (3%) e centro-oeste (2%).
pesquisa, perguntamos aos parti- Apesar de o estudo ser focado no
cipantes: “qual a sua localização Brasil, 1% respondeu que seu local
atual?”. de atuação é no exterior.

O sudeste foi a região com maior A representatividade das áreas em


menção, cerca de 46% dos parti- que foram obtidos os resultados
cipantes da pesquisa, enquanto os a partir da nossa visão reflete, de
que se dizem estar localizados na modo geral, a concentração do
região sul foi de 37%. Em menor mercado do design no Brasil: nas
escala, houve a participação de regiões sul e sudeste do país.

O CENÁRIO DO DESIGN NO BRASIL 9


Perfil

Instrução
Ensino Superior Completo 35%
Ensino Superior Incompleto 24%
Especialização completa 14%
Ensino Médio Completo 7%
Especialização Incompleta 7%
Técnico Completo 5%
Mestrado Completo 4%
Mestrado Incompleto 1%
Doutorado Completo 1%
Outro 1%
Técnico 1%

A necessidade de se ter um curso especialização, mestrado e dou-


no ensino superior ainda é uma torado também são processos de
etapa valorizada no processo da profissionalização que ainda são
formação profissional. Isso pode valorizados e mantém um público,
ser visto a partir do questiona- mesmo que em escala menor:
mento em relação à instrução 27% do total.
dos participantes da pesquisa. Se
considerarmos os que mencio- Outros tipos de instrução foram
nam ter passado ou ainda estão no inseridos e mencionados pelos
processo acadêmico, esta parcela participantes: técnico completo e
representa 86%. incompleto, outro e ensino médio
completo. Juntas representam
É possível observar também que, 14% das respostas.
além do ensino superior, cursos de

O CENÁRIO DO DESIGN NO BRASIL 10


Perfil

Experiência
Sou formado em design ou em processo de formação, mas só
comecei a trabalhar na área após ou durante a graduação 39%
Sou formado em design ou em processo de formação, mas já
atuava na área antes da graduação 23%
Sou formado em outro curso, mas atuo como designer
13%
Estou cursando design e ainda não consegui trabalho na área
12%
Possuo apenas experiências no mercado de trabalho
8%
Possuo apenas um curso básico/técnico
6%

Com o intuito de esclarecer e


auxiliar uma dúvida de estudantes
que desejam ingressar no design,
mas não tem o conhecimento do
melhor caminho, nada melhor do
É importante
que perguntar a quem já passou ressaltar, então,
por este processo. que nem sempre
Procuramos, então, obter um uma graduação
resultado da percepção dos entre- é sinônimo de
vistados em relação à necessidade
de se cursar um ensino superior
plena qualificação
na área para atuação, consideran- na carreira

O CENÁRIO DO DESIGN NO BRASIL 11


Perfil

Experiência

do o custo x benefício por meio Por isso, consideramos também


dessa questão. os profissionais que possuem
formação em outras áreas, mas
Como esperávamos, a maioria que atuam com o design. Esta
(39%) afirmou ser formado ou em parcela foi relativamente menor
processo de formação em algum ao que esperávamos, apenas 13%.
curso de nível superior em design. Entretanto, esse número é maior
Entretanto, foi enfatizado que o dos que afirmaram que estão em
ingresso no mercado aconteceu um curso superior de design, mas
durante ou após a graduação. ainda não conseguiu trabalho na
área (12%).
A presença do ensino superior
também foi apontada por outra Outros entrevistados afirmaram
parcela significativa dos entrevis- que apenas possuem experiência
tados (23%), no entanto, a dife- na área, mas sem formação (12%),
rença neste grupo foi que houve enquanto os que afirmaram ter
um ingresso no mercado antes do um curso básico/técnico corres-
início do curso de ensino superior. ponde a 6%.

Os dados apresentados, portan- É importante ressaltar, então, que


to, mostram que a maioria (62%) nem sempre uma graduação é
demonstra que consideram sinônimo de plena qualificação
relevante a entrada no ensino na carreira e de que há diversos
superior, contribuindo para o fatores envolvidos para um me-
enriquecimento no processo de lhor desempenho no mercado de
formação de profissional. Contudo, trabalho, que pode muitas vezes
isso muitas vezes não significa um depender do próprio acadêmico/
fácil ingresso de mercado. profissional para as funções.

O CENÁRIO DO DESIGN NO BRASIL 12


Perfil

Área Nota: A pesquisa foi compartilhada por diversas redes, todavia, a maior parte delas tratava-
se de design gráfico. Portanto, este resultado pode ter recebido mais influência de uma área.

Gráfico/Ilustração 70%

Produto 20%

Animação digital 4%

Interiores 2%

Moda 2%

Assim como em outras profissões, atuação mencionada por 70% dos


o design possui suas diferentes entrevistados.
ramificações e especializações
que vão desde o gráfico até moda. Uma parcela majoritariamente
Consideramos então buscar ter o grande se comparado a outras
conhecimento de quais as áreas áreas que também possuem gran-
com mais concentração de profis- de relevância, entre elas: Produto
sionais. (20%), Animação Digital/Motion
(4%), Interiores (2%) e Moda (2%).
Acreditamos que devido à origem
da profissão e à maior oportuni- Em nossas observações explica-
dade de mercado no cenário atual, mos o motivo da não inserção da
Gráfico/Ilustraçãofoi a área de área do web design e UI/UX.

O CENÁRIO DO DESIGN NO BRASIL 13


Mercado
Estar atento ao que ocorre no mercado é de
extrema importância aos profissionais do design,
principalmente para os freelancers.

Nesta parte da pesquisa, buscamos levantar um


perfil dos designers que estão no mercado por
meio do motivo de ingresso na área, tempo de
atuação e a renda atual. Esses dados serão úteis
para você ter uma noção da situação de outros
profissionais no país.

O CENÁRIO DO DESIGN NO BRASIL 14


Mercado

Motivo de ingresso na área


Foi um desejo pessoal, pois sempre me chamou a atenção

86%

Por conta de um terceiro (amigo/parente) que compartilhou comigo um pou-


co de suas experiências com a área e/ou me indicou uma vaga

8%

Por necessidade, pois não consegui exatamente o que eu queria ou o mercado


estava muito saturado

6%

É muito comum o ingresso de por gosto pessoal e porque a pro-


novos estudantes de design princi- fissão em si o chamou atenção.
palmente pela compatibilidade de
interesses, além da identificação Em escala menor, a indicação por
com a profissão. conhecidos foi mencionada por
8% dos entrevistados, enquanto
Isso ficou evidente nos dados 6% afirmaram que ingressaram no
apontados, já que a maioria (86%) design por necessidade.
respondeu que escolheu a área

O CENÁRIO DO DESIGN NO BRASIL 15


Mercado

Tempo de mercado
Entre 1 e 3 anos 29%

Entre 3 e 5 anos 20%

Acima de 10 anos 18%

Entre 5 e 10 anos 17%

Até um ano 15%

O perfil apresentado no início da 20%. Aqueles que estão menos de


pesquisa está diretamente ligado um ano representam 15%.
ao tempo de mercado dos par-
ticipantes deste levantamento. Os mais experientes que afirmam
Se tratando de jovens e jovens/ atuar na área acima dos 10 anos
adultos como maioria, a atuação chegam a ser 18%, levemente a
de modo geral se apresentou por mais dos que estão entre 5 e 10
profissionais que estão ainda em anos (17%).
fase inicial e/ou de consolidação
da carreira. Ter a participação dos profissionais
desta faixa do mercado é inte-
Em números, a parcela maior é ressante para se ter o panorama
representada por aqueles que da atual situação em diversos
estão entre 1 e 3 anos no mercado. aspectos e mostrar aos futuros
Enquanto aqueles que afirmam já profissionais o cenário que poderá
atuar entre 3 e 5 anos é cerca de ser encontrado daqui para frente

O CENÁRIO DO DESIGN NO BRASIL 16


Mercado

Renda
2 - 4 salários mínimos 34%

1 - 2 salários mínimos 28%

Até 1 salário mínimo 19%

Acima de 6 salários mín. 11%

4 - 6 salários mínimos 8%

Para concluir o cenário em relação


ao mercado, um dos pontos de
maior interesse é a faixa de renda
que pode ser obtida com o design.
Perguntamos qual o rendimento De um modo geral,
mensal do entrevistado e o resul- estas estatísticas
tado evidencia a falta de valoriza-
ção da profissão no Brasil. conseguem
representar o
É válido apontar que os salários
que tem ocorrido
dependem obviamente de cada
região em que se é exercida a na realidade do
profissão, mas de um modo geral, design brasileiro

O CENÁRIO DO DESIGN NO BRASIL 17


Mercado

Renda

estas estatísticas conseguem sionais: uma faixa salarial entre 1


representar o que tem ocorrido na e 2 salários mínimos representam
realidade do design brasileiro. 28%. Outra faixa que pode ser
considerada alarmante é a fatia
A faixa com maior representa- de 19%, que recebem até 1 salário
ção afirma que o seu rendimento mínimo 19%.
mensal está baseado em um sa-
lário entre 2 e 4 salários mínimos. Contrastando com este cenário
Essa faixa foi apontada por mais de desvalorização, uma mino-
de um terço das respostas (34%). ria afirma ter uma renda mensal
acima de 6 salários mínimos (11%)
Em seguida, mas não com índice e aqueles que afirmam ter de 4 a 6
tão distinto (28%), está a evidência salários mínimos 8%.
da falta de valorização dos profis-

O CENÁRIO DO DESIGN NO BRASIL 18


Mercado

Situação

Desvalorizado 87%

Não sei 6%

Situação adequada 6%

Valorizado 2%

Em tempos de crise, parece haver


pouca esperança de muitos pro-
fissionais ao ingressar no mercado
de trabalho ou de receber, quando
já estabelecidos, o devido valor por O entendimento
seu investimento em estudos e que se tem, na
profissionalização. Contudo,
não apenas este cenário caótico maioria das vezes,
e imprevisível afeta a vida é que o trabalho
dos designers.
é fácil, o que não
A sociedade, de um modo geral e exigiria tanto
independente da situação econô- esforço e tempo do
mica do momento, trata o trabalho
destes profissionais de forma profissional

O CENÁRIO DO DESIGN NO BRASIL 19


Mercado

Situação

equivocada, o que dá vazão para a pesquisa: 87% acredita que os


construção de um ambiente nebu- designers são desvalorizados. Isso
loso. Assim, com o intuito de en- se entende como mal pagamento,
tender a percepção dos designers poucos recursos de materiais e
no que diz respeito ao tratamento diferenças de tratamento quando
que recebem como profissionais, comparados a outros profissionais.
lançamos a pergunta: “como Muitos ainda não apresentam uma
você avalia a situação do opinião formada sobre o assunto,
desiner no mercado de totalizando 6% dos entrevista-
trabalho brasileiro?”. dos. Empatados estão aqueles
que acreditam que a situação está
O resultado foi quase unâni- adequada para a profissão. Já para
me entre os contemplados pela 2%, o campo é, sim, valorizado.

Reflexão

Há inúmeros fatores que contri- área ainda existe certo egoísmo no


buem para este panorama. O en- tocante a trabalhos autorais, além
tendimento que se tem, na maioria de uma visão limitada sobre a
das vezes, é que o trabalho é fácil, profissão. Faz-se importante, por-
o que não exigiria tanto esfor- tanto, analisar a esfera complexa
ço e tempo do profissional. Nós que estamos situados, principal-
sabemos de toda a dedicação de mente os aspectos culturais e
vocês, caros designers, e reconhe- comportamentais. Um trabalho de
cemos que o amor pela profissão autoconhecimento com o fim de
às vezes fala mais alto. Contudo, promover novos caminhos
vale a reflexão sobre a sua postura para a área.
como profissional também. Na

O CENÁRIO DO DESIGN NO BRASIL 20


Ambiente de
trabalho
O designer, de um modo geral, faz uso de
inúmeros recursos para compor os seus
projetos. Às vezes, ele pode trabalhar sozinho e,
assim, ter a flexibilidade para controlar os seus
trabalhos e obter os componentes de acordo
seu gosto. Em outros casos, ele pode trabalhar
fixo em um local, que nem sempre é um
estúdio de design. Neste capítulo, analisaremos
as implicações relacionadas às esferas
empregatícias do campo e as ferramentas que o
designer utiliza para otimizar o seu trabalho.

O CENÁRIO DO DESIGN NO BRASIL 21


Ambiente de trabalho

Ramo de atuação
Freelancer 31%

Área de design em uma


28%
empresa de outro segmento

Agência de publicidade 15%

Estúdio de design 14%

Comunicação/mídia 10%

Instituição de ensino
2%
(professor)

Ser designer não significa tra-


balhar especificamente em um
estúdio de design. Em razão da
multidisciplinaridade da área, seus A pluralidade do
profissionais se fragmentam por
diversos segmentos, atingindo
design faz com que
empresas diversas. seu profissional atinja
diversos setores,
Com o intuito de conhecer a esfera sem a necessidade
em que estes profissionais se
encontram, lançamos a pergunta:
de trabalhar em uma
“qual seu ramo de atuação no empresa especializada
design?”. Deste modo, mensura- em design

O CENÁRIO DO DESIGN NO BRASIL 22


Ambiente de trabalho

Ramo de atuação

mos e analisamos a tendência sas de outros segmentos, como


do mercado atual – e as saúde, educação, produção, entre
aberturas existentes. outros. Destino para muitos
designers, 15% dos profissio-
O resultado apontou que a maioria nais trabalham em agências de
dos designers, 31%, encontra-se publicidade. Subsequentemente,
trabalhando como freelancer, vemos o crescimento dos estúdios
sem um emprego fixo. Logo de- de design, com 14%. As empresas
pois, vemos que, longe das áreas de comunicação e mídia atingiram
mais comuns, 28% situa-se em 10%. Por fim, vemos a vertente do
setores de design, marketing ou design como docência e pesquisa,
publicidade locados em empre- área que somou 2%.

Reflexão

Atuar como freelancer, atividade um reflexo da nova geração, além,


comum entre os profissionais e é claro, da situação econômica em
que atualmente vem crescendo vigor. A pluralidade do design faz
consideravelmente, é sinônimo de com que seu profissional atinja
ter o próprio negócio e, sobretudo, diversos setores, sem a necessida-
gerenciar o seu próprio tempo. de de trabalhar em uma empresa
Mais do que isso, este panorama é especializada em design.

O CENÁRIO DO DESIGN NO BRASIL 23


Ambiente de trabalho

Ferramentas de trabalho
Notebook 69 %

Computador 28%

Celular 15%

Mesa Digitalizadora 14%

Tablet 10%

Outro 2%

O que seria de um designer sem


as suas ferramentas? São cruciais
para qualquer projeto e dão ao
profissional a possibilidade de
transformar as suas idéias
em realidade. Por razões de
flexibilidade e
O design, de um modo geral, é
uma área que explora o poder de agilidade, (...) não
comunicação de imagens, dese- é de se estranhar a
nhos/ilustrações e infografias.
Para tanto, faz-se importante o
primeira colocação
manuseio de alguns componentes do notebook
especiais. A tecnologia avançou e

O CENÁRIO DO DESIGN NO BRASIL 24


Ambiente de trabalho

Ferramentas

trouxe muitos benefícios para a tidianas. Posteriormente, quase


área. Deste modo, perguntamos: que empatado, tem-se o compu-
“quais suas ferramentas de tra- tador, com 67%. O celular ficou
balho?”. O propósito foi conhecer em terceiro lugar, com 56%. As
os principais recursos utilizados três últimas colocações ficaram
para tangibilizar as ideias. por conta da mesa digitalizadora
69% dos designers utilizam o (41%), tablet (15%) e outras
notebook para suas tarefas co- ferramentas (6%).

Reflexão

O que se percebe, em resumo, é no geral, reservam-se a trabalhar


que, por razões de flexibilidade e em horário comercial em frente
agilidade, uma vez que designers aos computadores, desenvolvendo
precisam se deslocar muitas vezes o que recebem como briefing. Os
para reuniões com clientes, não é celulares, já tão modernos e aces-
de se estranhar a primeira coloca- síveis, transformaram-se em um
ção do notebook. O computador, recurso fundamental de contato
em segundo – e quase que empa- entre o cliente e o designer. São
tado –, também é revelador, pois todas mudanças tecnológicas que
apresenta uma realidade comum alteram a forma de fazer design.
do mercado: estes profissionais,

O CENÁRIO DO DESIGN NO BRASIL 25


Percepções e
características
Alguns fatores ainda são motivos de debates na
área do design. Regras atuais ou já obsoletas?
Neste capítulo, trataremos, a partir da ótica
do designer na atualidade, quais aspectos
são determinantes para compor a figura
do profissional. Deste modo, haverá uma
imersão nos anseios desses indivíduos, seus
enfrentamentos e suas indagações.

O CENÁRIO DO DESIGN NO BRASIL 26


Percepções e características

Satisfação
Sim. Com certeza, é o que eu quero para minha vida

49%

Um pouco. Às vezes penso que poderia ter escolhido outra profissão ou me


sinto deslocado
34%

Não, infelizmente. Sinto que sou muito desvalorizado ou que não sirvo para
essa área. Trabalho com isso porque preciso
14%

Não sei

2%

De tempos em tempos, faz-se im-


portante refletir sobre a realidade
e as transformações do momento.
Além disso, mudanças podem às
vezes provocar frustrações, por se
almejar algo e o resultado Vale a dica de
ser diferente.
manter sempre
Há uma linha tênue entre sonhar e a busca por
ser concretamente possível, prin- conhecimento
cipalmente quando os recursos
disponíveis são limitados ou pouco e a prática de
acessíveis. Com foco em entender novas habilidades
a percepção do designer em rela-

O CENÁRIO DO DESIGN NO BRASIL 27


Percepções e características

Satisfação

ção às suas intenções, pergunta- deslocados. Outros, no total de 14%,


mos: “você está satisfeito com o são veementes ao apresentarem a
design neste momento?”. visão negativa sobre o design em
função do tratamento que recebem
A maioria está feliz com a área. ou até mesmo por trabalharem
49% afirmam que esta é a sua com este segmento porque não há
profissão para a vida. Entretanto, outra alternativa no momento. 2%
existem alguns descontentes. Para ainda não apresentam uma
34%, há um leve desapontamen- opinião formada.
to, dado pelo fato de sentirem-se

Reflexão

Este panorama se dá em virtude autoconhecimento. O que não se


de inúmeros acontecimentos. Por pode fazer é desacreditar em seus
vezes, há a desvalorização da área potenciais. Vale a dica de manter
– que inclusive já tratamos no tó- sempre a busca por conhecimento
pico 4. Por outro lado, há pessoas e a prática de novas habilidades.
que ainda estão em processo de

O CENÁRIO DO DESIGN NO BRASIL 28


Percepções e características

Necessidade de graduação
Sim

64%

Não

19%

Ainda não tenho opinião formada sobre isso

17%

Ter ou não ter graduação, eis a


questão. Este é um tema que
levanta muitos debates sobre o
entendimento da área, que implica
em questões relacionadas à qua- Esta, sem dúvida, é
lidade, certificação e segurança uma questão pertinente,
para o profissional. que, sobretudo, deve
A área do design, infelizmente, ser tratada com
ainda não é regulamentada, o muito cuidado

O CENÁRIO DO DESIGN NO BRASIL 29


Percepções e características

Graduação

que permite, portanto, que seus A grande maioria, com 64%,


profissionais não necessitem de acredita que para se autodecla-
graduação para ostentar a função rar ‘designer’ é preciso, sim, ter
de designer. Por isso, lançamos graduação. 19% discorda, e crê que
a pergunta: “o profissional que a experiência já basta. 17% diz não
trabalha na área do design pre- ter uma opinião formada sobre o
cisa ter graduação?”. assunto ainda.

Reflexão

Esta, sem dúvida, é uma questão voltadas ao campo. No entanto,


pertinente, que, sobretudo, deve isto poderia excluir aqueles que já
ser tratada com muito cuidado. atuam sem formação há um bom
Ter um profissional graduado tempo na área, de modo que estes
pode trazer mais segurança para encontrariam problemas e dificul-
o cliente, bem como para o pro- dades de aceitação.
fissional, além de mais iniciativas

O CENÁRIO DO DESIGN NO BRASIL 30


Percepções e características

Habilidade em desenho
Um pouco, para 64%
ilustrar ideias e planos

Não 27%

Sim 9%

Não tenho
0%
opinião formada

Assim como os questionamentos


sobre ter ou não graduação para
ser designer, saber ou não dese-
nhar divide opiniões entre
os profissionais. Um bom designer
preocupa-se
O design sempre chamou atenção
pelo seu trabalho com formas e com processos
desenhos, mas a sua atuação vai sustentáveis e,
além desses princípios. Com o
intuito de entender as visões dos
sobretudo, com as
designers sobre este assunto, per- reais necessidades
guntamos: “para você, o designer da população

O CENÁRIO DO DESIGN NO BRASIL 31


Percepções e características

Habilidades em desenho

precisa saber desenhar?”. Foram acredita que esta habilidade é


quatro alternativas de resposta. desnecessária para o campo. Para
Para 64%, a maioria, o designer 9%, desenhar é crucial. A opção
precisa saber desenhar um pouco, “não tenho opinião formada” ficou
para, principalmente, tangibilizar com 0%.
ideias. Em contrapartida, 27%

Reflexão

Atualmente, saber desenhar já não terializada, mas, sim, por serviços.


é mais critério para ser ou não de- Um bom designer preocupa-se
signer. Isso se dá pela abrangência com processos sustentáveis e,
do campo que passou a explorar sobretudo, com as reais necessi-
diversos conceitos e áreas. Design dades da população. O resultado
não se limita mais pela forma ma- pode ou não exigir um desenho.

O CENÁRIO DO DESIGN NO BRASIL 32


Relatos Caro designer, estes são alguns relatos que
coletamos durante o processo de pesquisa. Confira:

“A grade universitária está de- “O mercado de trabalho no


fasada. Vejo uma crescente de- design é ingrato. Depois de
manda na área de web design e dez anos, me vi forçada a ser
com isso vários cursos indepen- freelancer, o que não é fácil.
dentes de faculdades, enquanto Várias agências estão optando
as mesmas estão oferecendo a por ter estagiários e juniores e
mesma grade há mais de 4 anos, não seniors na bancada. Com
sem se atualizarem. Sabemos 35 anos, estou precisando me
que é compromisso do aluno reinventar profissionalmente e
ir atrás, porém, uma faculdade no cenário atual, não está sendo
particular, custa em torno de uma tarefa fácil”
60 mil (4 anos letivos), por isso,
acredito que a grade deveria ser
mais assistiva nas questões de
tendências do mercado. “Sou formado em Design de
Produto, porém atuo como de-
signer gráfico, pois a área além
de não ser muito conhecida,
não recebe o respeito que deve.
“Sinto que como o design che- Durante o curso de design de
gou atrasado no Brasil, muitas produto não consegui estágio
empresas e pessoas ainda não na área, o que me obrigou a
sabem pra que serve. Acham procurar algo como designer
que só existe o design gráfico gráfico. Depois que me formei
e moda.” a situação é a mesma. NÃO HÁ
VAGAS! Mas sigo determinado a
encontrar a minha!

O CENÁRIO DO DESIGN NO BRASIL 33


Considerações
finais: para
onde vamos?
O interesse e a curiosidade de de- reveladores. Há um consenso e até
senvolver esta pesquisa nos levou a um certo descontentamento, que
encarar as características que per- aqui foi explicitado, por boa parte
meiam o dia a dia de um designer. dos profissionais quanto à desvalori-
zação da área.
O principal objetivo foi evidenciar as
principais necessidades e aspectos No entanto, apesar dos resultados
culturais, sociais e econômicos que não parecerem tão animadores, eles
influenciam o cotidiano desses pro- servem como forma de manifes-
fissionais. E assim foi feito. to. Ao escancarar nossos anseios e
limitações, tornamo-nos, portanto,
Os resultados, se pensarmos pela agentes que clamam por mais res-
ótica do designer, não são assim tão peito e direitos profissionais.

O CENÁRIO DO DESIGN NO BRASIL 34


designconceitual.com.br

O CENÁRIO DO DESIGN NO BRASIL 35