Você está na página 1de 4

02/02/2010

Ergonomia: Definições, Objetivos, Definições


Aplicações, Abrangência e Relação  “Conjunto de estudos que visa a organização metódica do trabalho,
Custo-Benefício em função do fim proposto e das relações entre o homem e a
máquina” (Aurélio)
Disciplina: Ergonomia  “Ergonomia é o estudo do relacionamento entre o homem e o seu
trabalho, equipamento, ambiente e, particularmente, da aplicação
Prof.: Murilo Ribeiro Cardoso dos conhecimentos de anatomia e fisiologia na solução dos
Curso: Segurança do Trabalho problemas surgidos desse relacionamento” (Ergonomics Society –
Inglaterra – Déc. 50)
 “A ergonomia constitui o conjunto de conhecimentos científicos
relativos ao ser humano e necessários para a concepção de
ferramentas, máquinas e dispositivos que possam ser utilizados com
o máximo de conforto, segurança e eficácia” (Wisner – 1987)
 “Ergonomia é a ciência que objetiva adaptar o trabalho ao
trabalhador e o produto ao usuário” (Meister – 1998)

Definições Ergonomia e Trabalho


 “Entende-se por ergonomia o estudo das interações das
pessoas com a tecnologia, a organização e o ambiente,  Trabalho – tudo que está ao redor!
objetivando intervenções e projetos que visem Físicos – Cognitivos – Sociais – Organizacionais – Ambientais
melhorar, de forma integrada e não-dissociada, a
segurança, o conforto, o bem-estar e a eficácia das
 Sistemas Homem-Máquina-Ambiente
atividades humanas.” (ABERGO)  Fases:
 “É uma disciplina científica relacionada ao entendimento ◦ Projeto – antes;
das interações entre os seres humanos e outros
elementos ou sistemas, e à aplicação de teorias, ◦ Controle – durante;
princípios, dados e métodos a projetos a fim de otimizar ◦ Avaliação – depois;
o bem estar humano e o desempenho global do
sistema.” (Associação Internacional de Ergonomia - IEA)
 Ergonomistas;
 “Estudo da adaptação do trabalho ao homem”. (Iida –
2005)

Fases da Ergonomia Classificação em Ergonomia


 1.ª - Ergonomia de Hardware;  Ergonomia Física – que trata da anatomia humana,
antropometria, fisiologia e biomecânica, todos
relacionados com a atividade física;
 2.ª - Ergonomia do Meio Ambiente;
 Ergonomia Cognitiva – onde envolve todos os
processos mentais;
 3.ª - Ergonomia de Software;
 Ergonomia Organizacional – que se ocupa em
abranger as estruturas organizacionais, políticas e
 4.ª - Macroergonomia. processos, otimizando os sistemas sócio-técnicos

1
02/02/2010

Classificação em Ergonomia Objetivos da Ergonomia


 Ergonomia de Concepção;  Saúde;
◦ Não deverá existir sobrecarga energética e cognitiva,
 Ergonomia de Correção; evitando stress, riscos de acidentes e doenças
ocupacionais.
 Ergonomia de Conscientização;  Segurança;
◦ A segurança é conseguida com os projetos do posto
 Ergonomia de Participação. de trabalho.
 Satisfação;
Concepção  Correção  Conscientização  Participação ◦ É o atendimento das necessidades e expectativas do
trabalhador.
 Eficiência!

Principais Áreas da Ergonomia


Aplicações da Ergonomia
Aplicada ao Trabalho - Hudson, 2007
 1) Ergonomia na indústria:
melhoria das interfaces dos sistemas ser humanos-tarefas;
 01 – Trabalho Fisicamente Pesado
melhoria das condições ambientais de trabalho;  02 – Trabalho em Altas Temperaturas
melhoria das condições organizacionais de trabalho.
 03 – Trabalho em Ambientes Frios
 2) Ergonomia na agricultura e na mineração:
melhoria do projeto de máquinas agrícolas e de mineração;  04 – Biomecânica
melhoria das tarefas de colheita, transporte e armazenagem;  05 – Ergonomia no Método e no Posto de Trabalho
estudos sobre os efeitos dos agrotóxicos.
 3) Ergonomia no setor de serviços:
 06 – Condições para o Trabalho Intelectual
melhoria do projeto de sistemas de informação (ergonomia da informática);  07 – Ergonomia relacionada à administração do
melhoria do projeto de sistemas complexos de controle (salas de controle); Processo Produtivo
desenvolvimento de sistemas inteligentes de apoio à decisão;
estudos diversos sobre: hospitais, bancos, supermercados, ...  08 – Melhoria da Confiabilidade Humana
 4) Ergonomia na vida diária:  09 – Ergonomia na Prevenção de Acidentes do Trabalho
consideração de recomendações ergonômicas na concepção de objetos e  10 – Prevenção da Fadiga no Trabalho
equipamentos eletrodomésticos de uso cotidiano.

Degraus da Implantação da Ergonomia – A Visão como um


Ergonomia Iceberg...
Ergonomia no Projeto
-----------------------------
Organização do Trabalho
----------------------------------
Método de Trabalho
---------------------------------------
Ambiente de Trabalho
--------------------------------------------
Postos de Trabalho
-------------------------------------------------
Condições Primitivas

2
02/02/2010

Ergonomia – A Visão como um


Interdisciplinaridade
Iceberg...
 Parte Visível do Iceberg... ◦ Médicos do Trabalho;
◦ ... Afastamentos previdenciários; ◦ Engenheiros de Projeto;
◦ ...Afastamentos; ◦ Engenheiros de Produção;
◦ ...Queixas no ambulatório.
◦ Profissionais de Segurança;
 Parte Invisível do Iceberg...
◦ Desenhistas Industriais;
◦ ...Queixas de dor ao trabalhar;
◦ Analistas do Trabalho;
◦ ...Atos inadequados ou inseguros;
◦ ...Fadiga excessiva; ◦ Psicólogos;
◦ ...Dificuldade constante e permanente; ◦ Enfermeiros e Fisioterapeutas;
◦ ...Desconforto constante e permanente. ◦ Programadores de Produção;
◦ Administradores.

Interdisciplinaridade Custos e Benefícios

SOCIOTÉCNICOS
(conforto e eficiência)

AÇÃO
ERGONÔMICA

ECONÔMICOS
ADEQUAÇÃO
(custo-benefício e custo-
(usabilidade e segurança)
efetividade)

ERGONOMIA – FATORES HUMANOS

Custos e Benefícios Custos e Benefícios


 Importante para o empregador;  Custos – curto prazo (até 01 ano)
 Investimento (custos) x Benefícios (resultados);  Benefícios – longo prazo (5 anos)
 Custos: elaboração de projeto; aquisição de  Exemplos (Bridger, 2003):
máquinas; materiais e equipamentos; treinamento ◦ Conscientização – aumento produtividade em 10%;
de pessoal; queda de produtividade inicial; etc. ◦ Projeto em ergonomia – 25% manutenção e 36% em
 Benefícios: economia de material; mão-de-obra e produtividade.
energia; redução de acidentes; absenteísmos;  02 Questões Não Quantificáveis (Iida, 2005):
aumento da qualidade e produtividade. ◦ Risco do Investimento;
 Projeto Viável = custo / benefício < 01 ◦ Fatores Intangíveis.
 Investimento em ergonomia ≠ custo ergonômico  “Selo Ergonômico”

3
02/02/2010

Custos e Benefícios Custos e Benefícios


 Preocupações dos gerentes: máxima e total  O que é perda de produção?
produção, com segurança, a baixo custo; ◦ Retrabalho, refugo, máquinas paradas;
◦ Como reduzir os custos? ◦ Afastamento por doenças ocupacionais; acidentes e
◦ Qual a variável que tem mais peso? estresse;
◦ Como produzir melhor introduzindo variáveis  Demanda crescente  Imposição de ritmos
ergonômicas (conforto e segurança) ao projeto? excessivos;
 Sistema tradicional de manufatura:  Conseqüências:
◦ Saúde e Segurança / Produção / Design de Produtos ◦ 62% afastamento de trabalho (1996) – EUA  DORT
 Mudança: competitividade e concorrência! ◦ Prejuízo = U$ 30 bi
 Melhores produtos, mais seguros, práticos e ◦ U$ 300,00 / pessoa / ano  Problemas de coluna
diferenciados. (EUA – 1994)

Custos e Benefícios
 As empresas não consideram estes fatores;
 Problemas de coluna  U$ 10.000,00 em
tempo desperdiçado e tratamento médico;
◦ + Custos Indiretos = treinamento do substituto,
reintegração do doente, adm. da doença ocupacional,
custos legais, redução da produtividade (produtos
com defeitos, retrabalho, perda de tempo, acidentes,
etc.)
◦ Valor final pode dobrar!
◦ Taxa de reincidência (coluna) = 70% + História do
problema em 25 anos ... O valor pode chegar a U$
400.000,00!