Você está na página 1de 10

SSR Falco; AA Pinto. VIII CIH.

2291 - 2300

REVISTAS COMO FONTE PARA O ESTUDO DA HISTÓRIA DAS


MULHERES – REVISTA MATTO-GROSSO (1904-1915)
Doi: 10.4025/8cih.pphuem.3689

Sthefany de Souza Ribeiro Falco, UFGD


Adriana Aparecida Pinto, UFGD

Resumo

Partindo do entendimento de que os impressos são responsáveis


pela difusão de práticas, valores e normas de conduta nos períodos e lugares
em que circulam, e que estes permitem que se possam observar aspectos
sociais e reflexos culturais de seus tempos, a presente comunicação, partindo
dos estudos em desenvolvimento por ocasião do curso de Mestrado em
História, busca aproximar por meio do diálogo com o campo dos estudos
sobre História das Mulheres, o exame dos impressos como fonte, em
especial na tipologia Revistas, visando compreender algumas das formas de
moralidade, civilidade e educação sugestionadas às mulheres mato-
grossenses, nas primeiras décadas do século XX. Particularmente se
Palavras Chave: tratando dessa pesquisa, foi escolhida para a análise a Revista Matto-Grosso
Impressos; História da (1904-1915), impressa mensalmente pelo Liceu Salesiano de Artes e Ofícios de
Mulheres; Moralidade. São Gonçalo, localizado em Cuiabá/MT, que circulou entre os anos de 1904
e 1915. O Liceu Salesiano foi uma instituição fundada em 1896 por padres
salesianos, com o objetivo de prestar serviços educacionais e
profissionalizantes a meninos. Como o Liceu possuía uma oficina de
tipografia, eram impressos diversos jornais, revistas e folhetos, entre eles a
Revista Matto-Grosso. Essa revista foi escolhida por ser uma divulgadora de
ciências, artes, religião, letras e variedade, como ela mesma se descrevia. Em
seus artigos, contos, romances e poesias há sempre a preocupação com a
formação da família e sua religiosidade, como é o caso de “Casamento e União
Livre”, “Educação doméstica”, “Lar Christão”, entre outros temas, como
pudemos identificar no mapeamento realizado até o presente momento.
SSR Falco; AA Pinto. VIII CIH. 2291 - 2300

A presente comunicação é parte imaginário, moralizadora e divulgadora


dos estudos realizados por ocasião do dos ideais socialmente construídos e
curso de Mestrado em História, alinhado determinados em tal tempo/espaço, como
aos interesses de pesquisa comuns que apontam alguns trabalhos (SANTOS,
envolvem os estudos sobre impressos de 2007; PALLARES-BURKE, 1998;
circulação periódica, entendendo-os a RIBAS, 2009).
partir dos contextos e temas relacionados
De acordo com Justino (2016,
à Mato Grosso, entre os séculos XIX e XX
p.112) “A educação acontece entre os
(PINTO, 2010; 2013; 2017).
sujeitos, entre as pessoas, não é
Esse esforço, em particular, exclusividade do ambiente escolar”, o que
move-se no sentido de investigar aspectos leva a compreender a relevância da
relacionados à educação, civilidade e imprensa como fonte e objeto de estudo.
moralidade aplicados à educação das Para Pinto (2013, p. 29):
mulheres, em fontes ligadas à imprensa, a
qual acredita-se que abra possibilidades a imprensa, seja ela especializada em
ampliadas de compreensão acerca dos educação ou de circulação geral, não
se encontra em um campo alheio às
processos de educação, particularmente, políticas de (re) organização da
instrução das mulheres, mesmo que esses instrução/educação. Ao contrário,
processos não ocorram na esfera formal, atua como força corroboradora que
aqui entendida como os espaços de conta com espaço privilegiado para
escolarização institucional. algumas discussões e, ao mesmo
tempo, se insere no campo das
Isso ocorre uma vez que é
disputas por uma hegemonia no
impossível dissociar o papel da imprensa plano das ideias, conferindo àqueles
na (in)formação e ampliação da sociedade que publicizam seu pensamento nas
brasileira na transição do século XIX para páginas dos impressos,
o XX, bem como em outros momentos, supostamente, a legitimidade do
como atestam os estudos que se dedicam discurso educacional dominante.
ao tema (LUCA, 2010; 2012, CAMPOS,
2012). Publicações dessa natureza tinham Nessa perspectiva, a escrita dos
o papel de informar, denunciar, entreter periódicos também se direcionava para as
envolvendo-se em muitas dimensões do mulheres, por vezes mesmo quando não o
cotidiano em que se inserem. Além disso, faziam diretamente, de uma forma o de
relações e espaços de sociabilidade eram outra abordavam as perspectivas do ser e
potencializados a partir dos assuntos estar do feminino. O presente estudo
abordados, como destaca Raquel Discini parte desse pressuposto para ensaiar
Campos, ao afirmar que “assim, discutiam análises em relação a um conjunto
a decoração dos ambientes, a etiqueta determinado de publicações, buscando
observada na composição dos trajes de perceber presença ou silenciamentos,
homens e mulheres, o comportamento tendo em vista que a bibliografia sobre o
esperado da ‘boa sociedade’ etc.” tema indica que houve uma construção
(CAMPOS, 2012, p. 54). dos espaços sociais femininos, através dos
diferentes conteúdos presentes na
O papel da imprensa pode assim imprensa de grande circulação (CAMPOS,
ser enquadrado como educador, a partir 2007; ALMEIDA, 2008).
do entendimento que está se situava em
um lugar de difusão da “luz” modernista e Em Mato Grosso, buscamos
da razão, ao mesmo tempo em que, em perceber esse cenário no diálogo com
alguns de seus veículos, promovia a moral imprensa periódica, visando compreender
socialmente aceitável. A imprensa de práticas de moralidade, civilidade e
grande circulação contribuía como educação prescritas às mulheres mato-
socializadora, formadora, construtora do grossenses, nas primeiras décadas do

2292
SSR Falco; AA Pinto. VIII CIH. 2291 - 2300

século XX, utilizando como fonte Revista importância social dessa revista naquele
Matto-Grosso (1904-1915), impressa momento é necessário que se conheça um
mensalmente pelo Liceu Salesiano de Artes e pouco a história dos responsáveis pela sua
Ofícios de São Gonçalo, localizado em edição. A Congregação São Francisco de
Cuiabá/MT, que circulou entre os anos de Sales, ou simplesmente, Salesianos, foi
1904 e 1915. fundada por Dom Bosco, em 1859 no
norte da Itália, cujo principal objetivo era
A escolha da Revista Matto-Grosso,
a educação de crianças e jovens. No Brasil,
justifica-se exatamente pelas suas
os Salesianos chegaram em 1883 e em
características de conteúdos gerais e,
Mato Grosso em 1894, “convidados pela
embora não seja uma publicação que
igreja e polo governo local para a ação de
aborde temário diretamente relacionado à
pacificação e catequese do indígena, dois
educação e tão pouco apresentar-se como
meses após a chegada abrem a primeira de
uma revista voltada ao público feminino,
suas escolas na Igreja de São Gonçalo de
contudo, com base no levantamento
Pedro II, antigo distrito de Cuiabá”
preliminar e exame de exemplares da
Revista, entendemos que se constitui (FRANCISCO, 2010, p.21).
como um meio significativo de instruir o Em 1896 foi instalado o Liceu
comportamento das mulheres, por meio Salesiano São Gonçalo no local do prédio
da divulgação e circulação de modelos e atual. À época o Liceu servia para a
práticas de condutas, demonstração da educação ginasial e técnica para meninos,
moral aceitável, atendendo às expectativas internos e externos a instituição. Como o
do período em que se inscreve. Liceu possuía uma oficina de tipografia,
A Revista Matto-Grosso iniciou sua eram impressos diversos jornais, revistas e
folhetos, entre eles a Revista Matto-Grosso,
edição em 1903, em forma de panfletos,
que em sua epígrafe já demonstrava sua
passando a circular no formato de revista
principal preocupação de informação do
a partir de 1904. A redação e impressão
conteúdo jornalístico tratado: divulgação
dava-se no próprio Liceu e os textos
de ciências, artes, religião, letras e
contavam a com colaboração externa,
variedade (Figura 1).
tanto de personalidades locais, como de
outras regiões do país. Entre os Figura 1. Revista Matto-Grosso, jan/1910.
colaboradores de maior destaque, no Capa.
cenário regional, citam-se: Estevão de
Mendonça, Desembargador Luiz da Costa
Ribeiro, Major Amarilio Alves d’Almeida,
Alferes Augusto Correa, dentre tantos
outros.
De acordo com Francisco
(2013, p.3) a preocupação dos salesianos
com “a publicação de periódicos e jornais”
era a de “propagação dos princípios e
verdades da fé católica, bem como à
divulgação da própria ação missionária
daqueles religiosos, no estado e fora dele”.
A própria revista, em um editorial
publicado, declarou que sua principal
função era servir à religião e a pátria1.
Para que se possa entender a

janeiro, p.2.
1 REVISTA MATTO-GROSSO, 1907, n.7,

2293
SSR Falco; AA Pinto. VIII CIH. 2291 - 2300

Em suas páginas podiam-se de aspectos da instrução pública em Mato


encontrar textos religiosos como, por Grosso, postos em circulação a partir de
exemplo, mensagens da Igreja, do publicações periódicas entre os anos de
Vaticano bem como dos próprios 1890 a 1920, a Revista Matto-Grosso,
Salesianos, os quais buscavam discutir os derivada de esforço significativo de
aspectos da religião e da sua presença na produção e circulação dos Salesianos, foi
sociedade moderna. Também eram localizada, impressionando pela qualidade
apresentados romances em forma de editorial e gráfica, possivelmente derivado
folhetins e que tinham a temática religiosa, do financiamento de ordem/instituições
como o caso de Fabíola ou a Egreja das religiosas.
Catacumbas, do cardeal anglo-hispânico
Naquele momento a Revista
Nicholas Wiseman, publicado em 1854, e
apresentava-se como fértil aos interesses
que a Revista Matto-Grosso vinha trazendo,
de pesquisa, procedendo-se assim à busca
a partir de 1907, a publicação de um
pela sua sequência em acervos da cidade
capítulo a cada mês.
de Cuiabá, visando à localização,
Havia também divulgação sobre levantamento, seleção e exame dos
os acontecimentos internos do Liceu, exemplares e exame efetivo dos textos.
como atividades extras ocorridas, notas Foram consultados os acervos do Palácio
dos estudantes, premiações, recado aos da Instrução Pública – sede da Biblioteca
pais, entre outros. Notícias também Estevão de Mendonça (PINTO, 2010),
estavam presentes nas edições, tanto constatando a existência das revistas
relativas ao Brasil, quanto à outras físicas referente aos seguintes anos: 1904;
localidades internacionais: Essa última se 1906; 1907; 1908; 1909; 1910; 1911; 1913
encontrava em uma seção intitulada e 1914. Esses intervalos e ausências na
“Notícias de Além-mar”. Ademais, havia, composição da coleção completa da
em todas as edições mapeadas, um publicação, relacionados a pouca
balanço das características do clima e da produção pertinente ao primeiro conjunto
geografia da região, em que eram trazidos de intenções de pesquisa, ocasionaram o
detalhes sobre temperatura, pressão processo de alteração dos interesses de
atmosférica entre outros aspectos pesquisa, não em relação ao tema, que
meteorológicos. permanecia vinculado à instrução pública
e educação, mas à documentação que
Em seus artigos, contos,
evidenciava o problema que se buscava
romances e poesias há sempre a
investigar, motivo pelo qual a imprensa
preocupação com a formação da família e
periódica de circulação geral,
sua religiosidade, como é o caso de
especificamente em jornais que circularam
“Casamento e União Livre”, “Educação
entre os anos 1890 a 1910, serviu de modo
doméstica”, “Lar Christão”, entre outros
mais objetivo, resultando em outro estudo
temas, como pode ser identificado no
desenvolvido (PINTO, 2013, 2017).
mapeamento que originou os interesses de
pesquisas atuais. Outrossim, em contexto
presente a Revista volta à cena, desta feita
Dos processos de levantamento, para conduzir os passos da pesquisa
mapeamento e organização da iniciante e iniciada em curso de Mestrado,
documentação: os encontros e para elucidar aspectos relacionados à
caminhos da pesquisa histórica educação, no tocante à compreensão das
práticas destinadas às mulheres mato-
O processo de levantamento e grossenses, investigados a partir de
mapeamento desta publicação remonta impressos periódicos (FALCO, 2017).
aos anos de 2010 quando, por interesses Partindo do material anteriormente
de pesquisa relacionados à compreensão mapeado e levantado (PINTO, 2010),

2294
SSR Falco; AA Pinto. VIII CIH. 2291 - 2300

retomaram-se os dados existentes, neste lugares que as mencionassem, seguindo


momento, favorecidos pelos avanços da pistas deixadas ou contidas na própria
tecnologia quanto aos recursos da documentação. Cada indício de leitura
digitalização de algumas obras, e observado, conduziu para mais perto do
organização de catálogos virtuais on line, a encontro com a fonte, ressaltando os
exemplo do que se têm disponíveis na caminhos sinalizados na metodologia de
Hemeroteca Digital, no site da Biblioteca pesquisa da micro-história. Carlo
Nacional, mas que ainda não Ginzburg, ao realizar a movimentação
completavam a coleção. Foram intensa para compor o cenário
encontradas, nesse suporte digital, as documental que interessava à sua
revistas dos anos de 1907 a 1915, contudo, investigação, evidencia a importância de se
entre essas faltavam números de alguns ater aos detalhes na pesquisa histórica
anos. Do ano de 1908 faltava o exemplar (GINZBURG, 2007, p.152). O paradigma
de janeiro; De 1910 havia apenas os indiciário, nesta pesquisa, constituiu-se em
números 1,10 e 11; 1911 apenas o número importante ferramenta de pesquisa para se
3; De 1912 estavam digitalizados somente analisar um fato, pessoa, local entre
os números 2, 4 e 5; Dos anos de 1913 e outros, podendo ser aplicada a qualquer
1915, apenas o número 2 de cada ano. tipo de pesquisa e área. O uso desse
indicativo metodológico permite aos
Na continuidade do processo de
historiadores uma visão mais consistente
levantamento e busca da documentação,
acerca de acontecimentos, períodos e
fez-se necessário realizar visitas técnicas
lugares, como uma forma de auxiliar
aos arquivos da cidade de Cuiabá, a saber:
outros tipos de análise histórica.
Palácio da Instrução Pública e outros
espaços de conservação, preservação e A título de organização formal da
guarda documental. Verificou-se a documentação levantada e mapeada, um
existência das revistas dos anos de 1904- banco de dados preliminar (tabela) foi
1914. Também foi visitada a biblioteca do produzido, em Microsoft Office – Excel,
Colégio São Gonçalo, onde foram para que fosse preenchido conforme fosse
localizados exemplares dos anos de 1905 a se fazendo a primeira leitura das Revistas.
1914. Já segundo o Catálogo da Biblioteca – Contempla os seguintes campos: Acervo,
Obras sobre o Mato Grosso - da curadoria Tipo do Arquivo (físico ou digital), ano,
da Casa Barão de Melgaço (SIQUEIRA, volume, número, mês, páginas, editor,
2012), havia os exemplares da Revista valor, descrição do conteúdo e outras
Matto-Grosso dos anos de 1905 (486 informações relevantes. Então nessa
páginas) e 1912 (307 páginas), justamente primeira leitura, cujo contato se faz
os números que estavam faltando nos essencialmente pela via da materialidade, o
levantamentos anteriormente citados. mapeamento toma forma de dados para
Também foi possível localizar uma relação propiciar a leitura histórica.
dos trabalhos publicados em Mato Grosso
ou que interessavam ao mesmo estado, Os impressos e a pesquisa: ensaios
existentes na biblioteca da “Casa Barão de de pesquisa e a educação para as
Melgaço”, onde se encontrou a mulheres
informação de que eles possuíam 11
volumes da Revista Matto-Grosso de 1904 a Face ao exposto, as experiências
1914. acumuladas no trato com a documentação
O processo de pesquisa histórica, possibilitaram os ensaios de análise das
quando envolve documentação de revistas, que ora se apresentam neste
períodos mais recuados, tornou necessário tópico, à luz do esforço acumulado de
percorrer, para a composição da seriação pesquisadores que vinham na contramão
completa da massa documental, todos os de historiadores que criticavam o uso da
imprensa como fonte, utilizando-se das

2295
SSR Falco; AA Pinto. VIII CIH. 2291 - 2300

metodologias disponíveis para que se de impressos como a Revista Matto-Grosso


possa tratar a imprensa como fonte permite compreender algumas das formas
(LUCA, 2005, p. 118). de moralidade, civilidade e educação
sugestionadas às mulheres mato-
A pesquisa dialoga com dois
grossenses, nas primeiras décadas do
campos de produção teórica e
metodológica, que nesse estudo se século XX.
complementam aos estudos históricos: Tania de Luca (2005) salienta a
história da educação e história das importância do máximo cuidado na
mulheres (PERROT, 1988, 1995, 2005; utilização desse tipo de vestígio como
PRIORE 1997; DAUPHIN, 2001; fonte para a escrita da história. Luca
SOIHET, PEDRO 2007; LUCA, 2012; afirma que “(...) o conteúdo em si não
PINSKY, 2012), ambos permeados pelo pode ser dissociado do lugar ocupado pela
diálogo promovido por intermédio do publicação na história da imprensa, tarefa
impresso periódico como fonte. primeira e passo essencial das pesquisas
com fontes periódicas” (2005, p. 119).
Tendo em vista que as mulheres
Essa contextualização da fonte,
foram, por muito tempo, silenciadas na
principalmente no caso de jornais e
produção histórica e historiográfica
revistas, é fundamental para legitimar a
(PRIORE 1997; DAUPHIN, 2001;
PINSKY, 2012) é preciso enveredar-se pesquisa.
pelas mais diversas fontes para fazer essas Uma informação sem
personagens saírem do “sótão da história” ambientação se torna frágil e passível de
(PERROT, 2005), e as revistas são interpretações equivocadas e/ou
fundamentais para dar visibilidade à tendenciosas: “É dever do historiador
presença feminina (LUCA, 2012). fazer a interpretação da fonte dentro do
seu contexto, e fazer uma análise crítica de
As mulheres aparecem de uma seu conteúdo, reconhecer sua parcialidade
história ditada pelas fontes e sua subjetividade” (CAPELATO e
documentais, fontes de mudanças
estruturais no mundo político,
PRADO, 1980, p. 19). Assim, o estudo
econômico, religioso. Elas circulam da/sobre a Revista vem se detendo sobre:
em documentos de toda a sorte: autores, editores, locais de publicação e
processos de inquisição, greves, leis, edição, circulação, contexto em que se
livros, crônicas de viagem, atas de inscreve sócio-político e objetivos
batismo, diários, fotos, relatórios expressos e internos, sem perder de vista a
médicos, jornais, pinturas, materialidade dos impressos também é
policiais... (TEDESCHI, 2012, importante para a análise (CHARTIER,
p.125) 1991).
Para Michelle Perrot há uma Sendo assim, os
necessidade de buscar pelas mulheres e encaminhamentos de análise dos
por seus silenciamentos: “Escrever tal impressos propostos por Tania de Luca
história significa levá-la a sério, querer (2005), aplicados em trabalhos anteriores
superar o espinhoso problema das fontes (PINTO, 2010, 2013, 2017) são aqueles
(‘Não se sabe nadas sobre as mulheres’, que, de modo mais adequado, se aplicam a
diz-se em tom de desculpa)” (PERROT, esse estudo: Localizar a documentação e a
1995, p.9). Partindo do entendimento de série (para fins de profundidade de análise
que os impressos são responsáveis pela e de comparação); realizar levantamento
difusão de práticas, valores e normas de bibliográfico na intenção de construir um
conduta nos períodos e lugares em que estado da arte sobre o tema, com/pelo/do
circulam, e que estes permitem que se periódico em questão; identificar a
possam observar aspectos sociais e periodicidade, o tipo de impressão,
reflexos culturais de seus tempos, o exame tipologia do papel, presença ou não de

2296
SSR Falco; AA Pinto. VIII CIH. 2291 - 2300

iconografia e de publicidade; identificar os capitais brasileiras entre os anos de 1914 e


editores da publicação e os principais 1965, afim de compreender o contexto
colaboradores; verificar o uso da civilizador feminino presente nas páginas
iconografia; compreender a disposição e desse periódico. A autora analisou
organização do conteúdo no interior do excertos de textos publicados no jornal e
periódico; Compreender as formas de para isso ela justifica suas escolhas
circulação e aquisição da publicação, os ajudando-nos a compreender a
valores cobrados de assinatura e outras importância do artigo de opinião para a
formas de comercialização; identificar o compreensão das dinâmicas civilizatórias.
público ao qual se destinava; e, por fim,
mas não menos importante, analisar a O artigo de opinião compõe a cena
fonte de acordo com o tema e o problema jornalística e é um texto em que o
enunciador manifesta um ponto de
da pesquisa. vista a respeito de acontecimentos
Paralelamente a analise material ou fatos sociais que constituem
da fonte, buscou-se identificar em que notícia jornalística. Seu propósito
medida a Revista direcionava-se ao comunicativo é opinar, argumentar
público feminino, observando citações em contra ou a favor de algo. Esse
gênero configura espaço propício
artigos, poemas, crônicas, romance e
para a propagação de normas de
notícias, ou como mulheres colaboradoras civilidade, visto que, na medida em
na escrita das mesmas. Já foram que o enunciador expõe
identificados conteúdos que tratam sobre argumentos valorativos a respeito
o lugar social da mulher e o do tema tratado, pode disseminar
comportamento que se esperava da normas de convivência social e
mesma, com ênfase aos temas: casamento, construir representações de atores
maternidade, religiosidade, aparência, sociais, como a mulher, por
entre outros. exemplo. (ALMEIDA, 2008; p.
201)
Nessa seara, a intenção de
civilizar e educar mulheres perpassa aos De tal modo, a escolha do artigo
interesses da publicação, principalmente de opinião “As Modas”, se deu pelo fato de
no aspecto moral. Um artigo de opinião, ter uma temática voltava essencialmente
em especial, chamou muito a atenção, aos modos e modas femininas, por suas
publicado em 1914, numa edição que características normatizadoras e por ser
agregava 3 números daquele ano um reflexo dos ideais sociais do momento
(fevereiro, março e abril): sob o título “As em que é construído. Segue a transcrição
modas”, assinado por Paulo Girand, do artigo em questão.
pseudônimo de Cônego Alfredo Xavier
Muito se tem escripto sobre as
Pedrosa, que ocupou os cargos de
inconveniencias e os escandalos da
secretário, redator, redator-chefe do jornal moda e com razão. S. Bernardo
A Tribuna de Pernambuco entre os anos falando da modéstia das mulheres
de 1906-1922, além de ter sido membro da christãs, chama-se a perola dos
Academia Pernambucana de Letras e costumes, a irmã da modéstia, o
secretário (1915-1920) e diretor (1920- desperdício de uma alma pura, o
1922) da revista Maria (1913; 1915-1969). decoro da vida e a séde da virtude.
(AMARAL, 2014; NASCIMENTO, 1975, Ora, sem querer ofender a
1983). dignidade feminina em geral, nós
avançamos que as modistas
Em tese desenvolvida por escandalozas desconhecem essa
Nukácia Almeida (2008) em ocasião do virtude sublime que faz da mulher o
seu Doutorado, é analisada a revista Jornal adorno da sociedade.
das Moças (1932-1945), que era publicado
no Rio de Janeiro e circulou na maioria das Não reprovamos absolutamente a

2297
SSR Falco; AA Pinto. VIII CIH. 2291 - 2300

moda, porque esse gosto que se secretas, que tudo sacrificam,


experimenta pela novidade, a sêde consciencia, patria, honra e familia”
pelo que é novo, com já li algures para conseguir o seu fim. Das
provamos que fomos creados para grandes almas a nobreza é esta.
outras espheras e revela-nos o que
quer que seja de alto e nobre. E quando as mulheres brasileiras
levantarão uma cruzada tão digna?
S. Francisco de Salles desejava
mesmo que a “sua devota fosse a Na Bahia já vemos em outro sentido
mais graciosa e bem vestida um esforço nobre das senhoras
comtanto que não fosse a mais catholicas. Prouvéra a Deus que
<ilegível> e affectada. tivessemos muitas dessas LIGAS
que não vivem para o ridiculo,
Uma cousa é seguir as regras do como umas tantas que nó
bom tom, amar o que é artístico e conhecemos e o Zé...Prouvera!2
vistoso e outra cousa bem differente (GIRAND, Paulo. Revista Matto-
é servir-se da moda Grosso, 1914, n. 2-4)
desregradamente, fazendo dos
vestidos, que já denominara O texto permite uma série de
<ilegível> acerto “cumplices das considerações acerca dos modos de
paixões”, mascaras da indignidade entender a condição da mulher e a
palladios de vicios, escravos de importância de alguns aspectos do
corações mesquinhos que vivem na cotidiano na sua educação. Revela, a partir
terra para continuar esta blasphemia de uma escrita masculina, alguns aspectos
de Bruto: “virtude não é senão um considerados pelo autor como instrutivos
nome!”. e civilizatórios, abordando claramente as
As mulheres, em cujos corações formas de comportamento feminino, cujo
existe o espirito de religião, deviam direcionamento se faz em tom explícito,
levantar uma cruzada contra os em uma escrita voltada para as mulheres,
escandalos da moda que faz sobretudo “mulheres cristãs”. Um
desmerecer o seu sexo perante o delimitador para as considerações postas
bom senso e a Religião. Na Belgica assenta-se nos aspectos religiosos. Girand
existe a Liga das Familias para utilizou-se das falas de santos católicos, S.
protestar contra a invasão dos máos Bernardo e S. Francisco de Salles, para dar
costumes e das toilettes legitimidade e validade social e moral aos
deshonestas.
valores que deseja arregimentar.
Na Hespanha uma mulher Partindo desse discurso de
admiravel vai levantando uma matriz religiosa, o texto apresenta
campanha <ilegível> contra a moda características consideradas como
desregrada e pouco honesta. Esta
aceitáveis, louváveis e esperadas que as
senhora que se chama Rosaria
Rozende teaciona estabelecer “a mulheres as tenham: “irmã da modéstia”,
obras das modas decentes”. Todos “decoro”, “virtude” e “graciosidade”. Em
applaudem a sua idéa e avança com tom de advertência, para àquelas que
enthusiasmo christão a sua Cruzada seguem “desregradamente” a moda são
da modestia christã. desonestas ou indignas. Pretensamente
organizado como um discurso prescritivo,
Na Colombia as mulheres christãs o texto aponta uma divisão binária entre
sabendo que a maçonaria favorece mulheres boas e más, entre práticas sociais
as indecências da moda, pediram
corretas/incorretas e
aos ministros que “não permitissem
na Colombia, consagrada ao adequadas/inadequadas. Os exemplos de
Coração de Jesus, essas sociedades conduta marcam o texto, que, ao reforçar

2 Fez-se a opção de manter a grafia original da publicação.

2298
SSR Falco; AA Pinto. VIII CIH. 2291 - 2300

exemplos estrangeiros, demonstravam Referências


pautar-se em um ideário em formação em
países vistos, à época, como modernos, Fontes
portanto, como modelos, os quais se
seguidos, estariam em conformidade com Matto-Grosso. Cuiabá: Escolas Profissionaes
código cristão, necessário à boa conduta. Salesianas. Edições de 1904-1914. Cuiabá. Palácio
da Instrução (Cuiabá), 2017.
Considerações para pensar a ______. Cuiabá: Escolas Profissionaes Salesianas.
Edições de 1907-1915. Disponível em: Disponível
pesquisa e os impressos em:
<http://memoria.bn.br/DocReader/docreader.as
O excerto de texto selecionado, px?bib=355771& pesq=>. Acesso em: 10 de jul
assim como outros que constam do de 2017.
levantamento em curso, fornece indícios
da proposta editorial da Revista Matto- Bibliografia
Grosso, em relação às formas de
abordagem de assuntos ou temas relativos ALMEIDA, Nukácia Meyre Araújo. Jornal das
Moças: leitura, civilidade e educação femininas
à educação da/para a mulher mato- (1932-1945). 261 p. Tese (Doutorado em
grossense. Esses e outros textos, embora Educação Brasileira). Universidade Federal do
tratem do temário feminino seriam eles Ceará, Faculdade de Educação. Campos de
leituras para as mulheres, ou para os Fortaleza, 2008.
homens que educavam as mulheres? No AMARAL, Walter Valdevino do. Apostolado da
caso do artigo em questão pode-se dizer Boa Imprensa: Contribuições das Filhas de Maria
que existe a opção de ter sido escrito para da Imprensa Católica (Pernambuco, 1902-
1922). Escritas: Revista do Curso de História de
as mulheres que liam a revista ou para os
Araguaína, Araguaína, v. 6, p. 204-224, 2014.
homens que receberiam a informação e,
consequentemente, educariam suas BARBOSA, Gabriel Soares; MOREIRA,
Benedito Dielcio. A ciência e sua divulgação em
mulheres: a segunda opção parece mais Cuiabá no começo do século XX: O caso da
coerente com a forma de escrita. revista Matto-Grosso, de 1904. In: MOREIRA,
Benedito Dielcio; SILVA, André Chaves de Melo
A pesquisa encontra-se em
(Org.). Divulgação científica: debates, pesquisas
andamento, tendo em vista o e experiências. Cuiabá: EdUFMT, 2017. p. 148-
levantamento das fontes estar em 168
processo de consolidação, no entanto, já CAMPOS, Raquel Discini de. Mulheres e
há indicativos para inferir que mesmo sem crianças na imprensa paulista (1920-1940):
a intensão direta de instruir e civilizar representação e história. 231 p. Tese (Doutorados
mulheres de acordo com a moral cristã, a em Educação Escolar). Universidade Estadual
Revista pode ter se constituído com essa Paulista, Faculdade de Ciências e Letras. Campus
de Araraquara, 2007.
missão, direta ou indiretamente, premissa
que as análises poderão confirmar ou não. ______. No rastro de velhos jornais:
No entanto, reiteram-se os princípios considerações sobre a utilização da imprensa não
pedagógica como fonte para a escrita da história
fundantes deste texto, que sinalizam os da educação. Revista Brasileira de História da
processos de levantamento, mapeamento Educação, Maringá, v. 12, n. 1, p. 45-70, 2012.
e sistematização de documentação de DAUPHIN, Cécile (et ali). História das
tempos mais recuados, no sentido de Mulheres: cultura e poder das mulheres, ensaio
escrever histórias a partir de outra de historiografia. Annales/Paris, nº 2, mar-abr
documentação, evidenciando trajetórias 1986. Trad. Raquel Soihet. Publicada na revista
de pesquisa, esforços de organização de “Gênero”, Niterói, vol 2. Nº1, 2001. p.8.
levantamento documental, próprias ao FRANCISCO, Adilson José. Educação &
trabalho do historiador. modernidade: os Salesianos em Mato Grosso,
1894-1919. Cuiabá: EdUFMT, 2010.
______. Memória e identidades: o cotidiano no
liceu salesiano em Mato Grosso. XXVII Simpósio

2299
SSR Falco; AA Pinto. VIII CIH. 2291 - 2300

nacional de História, Natal, RN, 2013, p. 22-26. mulheres. São Paulo: Contexto, 2012. p. 513-545.
GINZBURG, Carlo. Sinais: raízes de um PINTO, Adriana Aparecida. A Revista Matto
paradigma indiciário. In: ______. Mitos, Grosso em um itinerário de pesquisa:
Emblemas, Sinais. 2. ed. São Paulo: Companhia Mapeamento da Revista Matto-Grosso em
das Letras, 2007, p. 143-179. Arquivos de Cuiabá. Mimeo. Cuiabá, 2010.
JUSTINO, R. Imprensa, publicidade e ______. Nas páginas da imprensa: a
educação: um estudo sobre a civilização dos instrução/educação nos jornais em Mato Grosso:
costumes no interior do Brasil (Uberabinha, MG, 1880-1910. 249 p. Tese (Doutorado em
1919-1929). 124 p. Dissertação (Mestrado em Educação). Universidade Estadual Paulista,
Educação). Universidade Federal de Uberlândia, Faculdade de Ciências e Letras. Campus de
Faculdade de Educação. Campos de Uberlândia, Araraquara, 2013.
2016.
______. Imprensa e Ensino: catálogo de fontes
LUCA, Tania Regina de. História dos, nos e por para o estudo da história da educação mato-
meio dos periódicos. In: PINSKY, C. B (Org.). grossense. Dourados: Editora UFGD, 2017.
Fontes Históricas. São Paulo: Contexto, 2005. p.
PRIORE, Mary Del (org.). História das
111-153.
mulheres no Brasil. São Paulo: Contexto, 1997.
______. Mulher em revista. In: PINSKY, Carla
RIBAS, Ana Claudia. A “Boa Imprensa” e a
Bassanezi, PEDRO, Joana Maria (orgs.). Nova
“Sagrada Família”: Sexualidade, casamento e
História das mulheres. São Paulo: Contexto,
moral nos discursos da imprensa católica em
2012. p. 465-466.
Florianópolis, 1929/1959. 250 p. Dissertação
NASCIMENTO, Luiz do. História da imprensa (Mestrado em História). Universidade Federal de
de Pernambuco (1821-1954). Recife: Editora Santa Catarina, Centro de Ciências Humanas e
Universitária da UFPE, 1975. 424 p. 7 v. Educação. Campus de Florianópolis. 2009.
______. Dicionário de pseudônimos de SANTOS, Fabiane Vinente dos. Sexualidade e
jornalistas pernambucanos. Universidade civilização nos trópicos: gênero, medicina e moral
Federal de Pernambuco, Editora Universitária, na imprensa de Manaus (1895-1915). História,
1983. Ciências, Saúde-Manguinhos. Manaus, v. 14, p.
73-94, 2007.
PALLARES-BURKE, Maria Lúcia Garcia. A
imprensa periódica como uma empresa educativa SIQUEIRA, Elizabeth Madureira (Org.).
no século XIX. Cadernos de Pesquisa, São Catálogo da biblioteca: obras sobre Mato
Paulo, n. 104, p. 144-161, 2013. Grosso: acumulados por Firmo e Dunga
Rodrigues. Cuiabá, MT, 2012. 40 p. Disponível
PERROT, Michelle. Os excluídos da História:
em:
Operários, Mulheres e Prisioneiros. Tradução
<http://conectart.com.br/casabarao.com.br/ima
Denise Bottman. Rio de Janeiro: Paz e Terra,
ges/ifile/acervo-bibliografico-mt-familia-
1988.
rodrigues.pdf>. Acesso em: 10 de jul de 2017.
______. Escrever uma história das mulheres:
SOIHET, Rachel; PEDRO, Joana Maria.
relato de uma experiência. In: Cadernos Pagu,
Emergência da pesquisa da História das Mulheres
Campinas, n. 4, p. 9-28, 1995.
e das Relações de Gênero. Revista Brasileira de
______. As mulheres ou os silêncios da História. São Paulo, v. 27, nº 54, p. 281-300,
História. Bauru: Edusc, 2005. 509 p. 2007.
PINSKY, Carla Bassanezi. A era dos modelos TEDESCHI, Losandro Antonio. As mulheres e
flexíveis. In: PINSKY, Carla Bassanezi, PEDRO, a história: uma introdução teórico metodológica.
Joana Maria (orgs.). Nova História das Dourados: EDUFGD, 2012.

2300