Você está na página 1de 3

Tg. 3.

1-12 – O PODER E OS PERIGOS DA LÍNGUA (Parte I)


Propósito – Depois da mensagem a igreja saberá o que é capaz de fazer a língua o perigo que ela
traz para a vida de piedade.

Aquilo que falamos tem poder de abrir feridas na alma. As palavras que são lançadas contra o
coração machucam muitas vezes mais do que um soco. Por causa delas amizades se desfazem e
casais se divorciam.

Mas as palavras também tem o poder de levantar os caídos e dar refrigério à alma. Como é bom
ouvir uma palavra sincera de quem nos ama. Muitos filhos têm seu futuro estabelecido pelo
incentivo que ouviram dos lábios dos seus pais.

Tiago dar grande importância ao uso que fazemos da língua (v. 1.26 “Se alguém supõe ser
religioso, mas não refreia a sua língua, está enganando a si mesmo; a sua religião é vã”). Por
isso, devemos conhecer o poder e o perigo da língua para que possamos servir a Deus e ser
benção aos nossos irmãos naquilo que falamos.

ELUCIDAÇÃO – Tg. 3.1-12

1. Tiago nos ensina acerca da língua dentro de um alerta dado aos que querem ser mestres.
Os mestres deveriam está cientes do poder o do perigo que a língua tem.

2. Para dar sua lição Tiago usa uma série de figuras para a língua: freio do cavalo, leme do
navio, fagulha de fogo, animal indomável, fontes de água, árvores frutíferas.

3. O desejo de Tiago é que a igreja possa ser pura naquilo que fala. Para ele é inconcebível
que cristãos bendigam a Deus e amaldiçoe o seu irmão, por isso diz (v. 10): “Meus
irmãos, isso não deveria ser assim”.

Vejamos então como devemos lidar com o poder da língua e nos vigiar contra o seu perigo a fim
de servir a Deus e abençoar os nossos irmãos. Tiago nos ensina isso através de cinco atitudes,
hoje veremos três delas:

A primeira atitude para servir a Deus e ser benção aos nossos irmãos naquilo que falamos é:

I. Busque dominar a língua (v. 2b-4).

“Se alguém não tropeça no falar, é um indivíduo perfeito, capaz de refrear também o corpo. Ora,
se colocamos um freio na boca dos cavalos, para que nos obedeçam, também lhes dirigimos o
corpo inteiro. Observem, igualmente, os navios que, sendo tão grandes e impelidos por fortes
ventos, são dirigidos por um pequeníssimo leme, e levados para onde o piloto que”.

Porque a igreja de Cristo deve buscar controlar a língua? Tiago usa duas figuras que ensinam a
necessidade de controlar a língua.
1. O freio na boca do cavalo. É na boca que o cavalo recebe o freio. O cavaleiro ao puxar o
freio controla as ações do corpo. É pelo freio na boca que o cavalo anda no caminho que
quer o cavaleiro, e se livram de perigos no caminho.

2. Outra imagem que Tiago usa é a figura do leme. O curso do navio é dado pelo leme.
Uma peça pequena do navio que dá a direção do navio.

Precisamos controlar a nossa língua. Muitos dos problemas nos quais nos envolvemos é fruto do
mau uso que fazemos das nossas línguas. Ponha freio naquilo que você fala e certamente você se
livrará de muitas preocupações em sua vida. Jesus nos deu o Espírito Santo para que possamos
ter “domínio próprio” (Gl. 5.22,23 “Mas o fruto do Espírito é:... domínio próprio”).

A segunda atitude que Tiago nos dá para servir a Deus e ser benção aos nossos irmãos naquilo
que falamos:

II. Saiba que com a língua você pode realizar grandes feitos, mas também causar grandes
estragos (v. 5).

“Assim [como o leme do navio], também a língua, pequeno órgão, se gaba de grandes coisas.
Vejam como uma fagulha incendeia uma grande floresta!”

A língua pode conduzir o homem no caminho de glória. Por uma palavra o homem é capaz de
mover multidões e tomar grandes decisões. É por meio da palavra que o Evangelho chega ao
coração dos homens (Rm. 10.17).

Por outro lado, a língua pode causar grandes danos. Tiago compara a língua a uma fagulha que
incendeia uma grande floresta. Ou seja, uma palavra mal intencionada pode destruir
relacionamento e comunidades inteiras. O sábio Salomão diz (Pv. 6.19) que Deus detesta “o que
semeia discórdia entre os irmãos”.

Realize grandes feitos na vida dos seus irmãos e amigos. Peça ao Espírito Santo graça para
colocar em tua boca palavras meigas e firmes, palavras de Cristo. Crie pontes entre as pessoas
com quem você convive e não abismo. Suas palavras são capazes de grandes feitos.

Por fim, a terceira atitude que Tiago nos dá para servir a Deus e ser benção aos nossos irmãos
naquilo que falamos é:

III. Cuide para que a língua não te contamine com o pecado (v. 6).

“Ora, a língua é um fogo; é um mundo de maldade. A língua está situada entre os membros do
nosso corpo e contamina o corpo inteiro”.

Tiago diz que “a língua é um fogo”, ou seja, ela arde dentro dos nossos lábios pronta para
queimar a nossa própria vida e a vida alheia.

Ele ainda nos ensina que a língua contamina o corpo. Como a língua contamina o corpo?
1. A boca é por onde saem as intenções do coração. Jesus disse (Lc. 6.45): “... a boca fala
do que está cheio o coração”.

2. A contaminação com o pecado se dá pelo que sai da boca (Mt. 15:18): “Mas o que sai
da boca vem do coração, e é isso que contamina a pessoa”.

Nossas palavras serão bênção a partir do momento que o nosso coração for mudado por Cristo.
Ele muda as palavras que saem dos nós lábios. Palavras torpes (sujas) não mais brotarão na vida
daqueles de quem vive em Cristo.

CONCLUSÃO

Hoje vimos um pouco do poder e do perigo da língua. Aprendemos que:


1. Nosso dever é controlar as palavras que saem dos nossos lábios. Certamente
glorificaremos a Deus quando dos nossos lábios saírem as palavras de Cristo;

2. Devemos usar as palavras para feitos grandiosos que abençoem nossos irmãos e não para
causar estragos em suas vidas.

3. Por fim, se cuidamos da língua não nos deixaremos contaminar com o pecado.

Lembre-se que Cristo nos dá graça para lidar com as nossas línguas. Nele podemos dominar o
mal que habita entre nossos dentes. Que Deus nos ajude.