Você está na página 1de 5

UNIVERSIDADE ESTÁCIO DE SÁ

MBA EM CIÊNCIA DE DADOS E BIG DATA ANALYTICS

Fichamento de Estudo de Caso

Evandro Mendonça Fortuna

Trabalho da disciplina Consultoria – NPG0152


Tutor: Denize Rachel Veiga Pinheiro
Prof. Marcelo Vasques De Oliveira

Juiz de Fora
2018

1
Estudo de Caso :

Amazon, Apple, Facebook e Google

REFERÊNCIA: DEIGHTON, John; KORNFELD, Leora, Amazon, Apple, Facebook, e


Google. Harvard Business School Rev. 12 Dezembro de 2013

Apesar da Internet ter sido criada inicialmente para fins militares e posteriormente
evoluído para o campo de pesquisa em laboratórios e instituições de ensino, era inevitável a
sua expansão para o mercado corporativo e pessoal, o que ocorreu em 1995 após sua
privatização pelo Congresso Americano.

Esse processo motivou além de outras coisas o surgimento de inovações em modelos


de negócio e no processo de marketing focando em quatro processos centrais: geração de
leads, transações, compartilhamento de informação e persuasão.

Nesse novo cenário, surgem em cena quatro grandes empresas focadas no marketing
na Internet onde cada uma se destaca em uma área.

O Google dominando a propaganda online, a Amazon a venda de varejo online, as


redes sociais dominadas pelo Facebook e a Apple estabelecendo padrão para os dispositivos
de interface.

Essas empresas disputavam entre si, cada uma querendo dominar a sua área.

A propaganda online foi disputada pelo Google e Facebook; a Apple e o Google


disputavam com a Amazon a venda de conteúdos digitais; para o mercado de smatphones a
disputa se dava pela Apple e Google enquanto o mercado de TV digital recebia uma atenção
das gigantes Apple, Google e Amazon.

2
A disputas entre estas empresas na verdade almejavam o estabelecimento de um
padrão para o Marketing Digital.

Somente em 2001, cinco anos após sua criação e acúmulo sucessivo de perdas
financeiras a Amazon apresentou um resultado positivo de US$ 5 milhões e em 2013 sua
receita já era de US$ 57 bilhões sendo que 96% do seu faturamento era pela venda de livros,
mídias digitais e mercadorias em geral e os 4% restantes divididos pelos serviços de Amazon
Web Service e pelo pagamento de cartões de crédito. Apesar de modesta a contribuição da
AWS (Amazon Web Service) e distante da sua venda online, a oferta de um conjunto de
serviços de computação em nuvem lhe garantiu escala na tecnologia de informação que era
uma questão central. Também adicionava a oferta de páginas na internet o que fazia
aumentar sua visibilidade nas vendas de varejistas que compartilhavam sua plataforma.
Marketing e Propaganda em nome de seus fornecedores foram por um grande período
elementos do modelo de negócios da Amazon.

No início da popularização da internet os usuários iniciavam sua navegação por portais


de pesquisa e conteúdo para guiar suas buscas. Sites como Yahoo, MSN da Microsoft e AOL
usavam técnicas para guiar os usuários em sua navegação ao mesmo tempo que usavam
ferramentas proprietárias de pesquisa para classificar conteúdo e deter tráfico (permanência
no site). A busca das empresas que atuavam em pesquisa e de conteúdo focavam a
permanência dos usuários nas suas páginas. O Google a princípio foi lançado como um site
de busca somente para treinar e ilustrar o poder de seu algoritmo de pesquisa. O modelo
inicial seria o licenciamento de seu mecanismo de busca. Após o licenciamento para o Yahoo
a Google percebe que pode aumentar seus lucros por meio do aumento no trafego da
pesquisa. Assim o Google desenvolve estratégias para aumentar esse tráfego de pesquisa
criando serviços como o Adword, Adsence, lança o serviço de email gratuito GMAIL e outros
serviços como Froogler, Blogger, Picasa entre outros. Desenvolve também uma estratégia de
aquisições adquirindo o Youtube, o DoubleClick, mais tarde comprou o AdMod, uma empresa
de localização de assentos aéreos e mais tarde a sua maior aquisição a Motorola Mobility
que permitiu a fabricação de celulares para prova de conceito de seu sistema operacional
Android. A Google continuou com sua estratégia buscando aumentar o tráfego, e reter
usuários em suas páginas.

3
A Apple, apesar de ser a empresa mais antiga das quatros vista neste artigo, iniciou
suas atividades como fabricante de hardware e evoluiu para que os investidores consideram
como líder na economia da internet. O crescimento da Apple se deu pelo seu líder e
cofundador Steve Jobs que promoveu uma série de inovações em hardware, softwares e
serviços voltado ao segmento mobile e internet. De 2001 a 2010 o mercado viu surgir
inovações apoiada no design e na integração dos aparelhos com a internet que conquistou o
público. Os principais lançamentos neste período foram os iPod, Itunes e mais tarde o Iphone
e o Ipad. Esta estratégia garantiu a Apple a liderança em acesso móvel a e-commerce. E em
2012 o sistema iOS estava era a maioria entre os usuários de internet móvel nos EUA. A
Apple por meio do iPad e iTunes travou uma batalha na distribuição de conteúdo digital com
a Amazon e seu Kindle. A batalha com o sistema de busca da Google foi feita por meio da
Siri, uma ferramenta de pesquisa por voz embutida no sistema operacional iOS presente em
todos os hardwares da Apple. A Apple também dominava a distribuição de aplicativos para
mobile.

Apesar de mais recente o Facebook, disponível desde 2005 para o público, começa a
crescer a partir de 2009 de forma acelerada tanto em número de usuários quanto no tempo
que permaneciam em suas páginas, algo em torno de 6 horas e 41 minutos por mês contra
as 1 horas e 54 minutos das pessoas que visitavam o Google. O tempo gasto em páginas do
Facebook e outras redes sociais eram o dobro do que nas páginas de jogos on-line e o dobro
do tempo gasto em email. O forte da receita do Facebook eram as propagandas e a empresa
criou estratégias para fortalecer esse ponto. Utilizava as chamadas exposição de mídias
compartilhadas para induzir um usuário do Facebook a transmitir a amigos uma avaliação
pessoal de uma marca. Criou também o Facebook Exchange que colocava cookies de
rastreamento nos navegadores dos visitantes e de seus membros, garantindo que esses
visitantes iriam ver as propagandas quando acessassem o site.

O Artigo termina fazendo uma análise rápida do mercado de propaganda de mídia no


mercado americano apontando que a partir de 2012 haveria um grande crescimento. Em
relação ao mercado de propaganda e mecanismo de busca, constata-se que 85% da
população mundial utilizavam mecanismos de buscas contra 64% que utilizavam email. Este
mercado era dominado pelo Google e a partir do lançamento do iPhone da Apple as buscas

4
moveis cresceram bastante. Já no mercado de propaganda e exposição constatou-se que os
anunciantes tendiam a comprar público ao invés de páginas premium e estavam satisfeitos
com os resultados que vinha obtendo. Termina analisando o mercado de varejo na internet
onde o maior ator era a Amazon seguido pela Apple , Staples Walmart, Dell e Office Depot
respectivamente.

Essas quatro empresas segundo a revista The Economist são consideradas as gigantes
da era da internet, nunca empresas cresceram tão rápido e tiveram tanta capilaridade no
mercado quanto elas.