Você está na página 1de 91

República de Moçambique

Ministério da Administração Estatal

PERFIL DO DISTRITO DE MANICA


PROVÍNCIA DE MANICA

GURO TAMBARA

MACOSSA
BARUE

MANICA
CIDADE_DE_CHIMOIO
GONDOLA

SUSSUNDENGA

MOSSURIZE

MACHAZE

Edição 2014
A informação incluída nesta publicação provém de fontes consideradas fiáveis e tem uma natureza informativa.

Copyright © 2012 Ministério da Administração Estatal

Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser reproduzida ou transmitida, seja em
que formato, sem autorização escrita prévia do cliente, financiador ou autor.

Publicado por

MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO ESTATAL


Direcção Nacional de Administração Local
Maputo - Moçambique
Primeira edição, primeira impressão 2012

Esta publicação está disponível na Internet em http://www.portaldogoverno.gov.mz

Manica

PÁGINAi
________________________________________________________________________________________________

Índice
Prefácio v  

Siglas e Abreviaturas vii  

1   Breve Caracterização do Distrito 1  


1.1   Localização, Superfície e População 1  
1.2   Clima e Hidrografia 1  
1.3   Relevo e Solos 2  
1.4   Recursos Naturais 3  
1.5   Infraestruturas 3  
1.6   Economia e Serviços 5  
1.7   História, Cultura e Sociedade Civil 8  

2   Demografia 9  
2.1   Estrutura etária e por sexo 9  
2.2   Traço sociológico 10  
2.3   Analfabetismo e Escolarização 12  

3   Habitação e Condições de Vida 13  

4   Organização Administrativa e Governação 17  


4.1   Governo Distrital 17  
4.2   Síntese das atribuições e da actividade dos órgãos distritais 20  
4.2.1   Secretaria Distrital 20  
4.2.2   Serviço Distrital de Actividades Económicas 21  
4.2.2.1   Agricultura e Desenvolvimento Rural 21  
4.2.2.2   Indústria, Comércio e Turismo 27  
4.2.3   Serviço Distrital de Educação, Juventude e Tecnologia 29  
4.2.3.1   Educação 29  
4.2.3.2   Cultura e Juventude 33  
4.2.4   Serviço Distrital de Saúde, Mulher e Acção Social 37  
4.2.4.1   Saúde 37  
4.2.4.2   Acção Social 39  
4.2.4.3   Género 41  
4.2.5   Serviço Distrital de Planeamento e Infraestruturas 43  
4.2.5.1   Ordenamento Territorial 44  
4.2.5.2   Gestão Ambiental 45  
4.2.5.3   Infraestruturas 45  
4.3   Finanças Públicas e Investimento 48  
4.4   Justiça, Ordem e Segurança pública 51  
4.5   Constrangimentos e Perspectivas 53  

5   Actividade Económica 56  
5.1   População economicamente activa 56  

Manica

PÁGINAi i
________________________________________________________________________________________________

5.2   Pobreza e Segurança Alimentar 59  


5.3   Infraestruturas de base 60  
5.4   Uso e Cobertura da Terra 62  
5.5   Sector Agrário 65  
5.5.1   Infraestruturas e Zonas agro-ecológicas 65  
5.5.2   Produção agrícola e sistemas de cultivo 65  
5.5.3   Pecuária 67  
5.5.4   Pescas, Florestas e Fauna bravia 67  
5.6   Indústria, Comércio e Serviços 68  

6   Visão e Estratégia de Desenvolvimento Local 71  


6.1   Visão 71  
6.2   Missão 71  
6.3   Estratégia de desenvolvimento 71  
6.4   Objectivos estratégicos 72  
6.5   Problemas e Potencialidades por Pilar Estratégico 73  

Lista de quadros
Quadro 1.   População por posto administrativo, 1/7/2012 9  
Quadro 2.   Pessoas residentes no distrito, segundo o local de nascimento 10  
Quadro 3.   Agregados familiares, segundo a dimensão 10  
Quadro 4.   Agregados familiares, segundo o tipo sociológico 10  
Quadro 5.   Distribuição da população, segundo o estado civil 10  
Quadro 6.   População com 5 anos ou mais, por língua materna e sexo 11  
Quadro 7.   População de 5 anos ou mais e conhecimento de Português 11  
Quadro 8.   População com 15 ou mais anos, e alfabetização, 2012 12  
Quadro 9.   Habitações segundo o regime de propriedade 13  
Quadro 10.   Tipo de habitações 13  
Quadro 11.   Habitações segundo o material de construção 14  
Quadro 12.   Habitações, água, saneamento e energia 16  
Quadro 13.   Famílias, segundo a posse de casa própria e bens duráveis 16  
Quadro 14.   População com 5 anos ou mais, e frequência escolar 29  
Quadro 15.   População de 5 anos ou mais, por nível de ensino 29  
Quadro 16.   Taxas de escolarização 30  
Quadro 17.   Escolas, alunos e professores, 2012 31  
Quadro 18.   População de 10 anos ou mais, por nível de ensino concluído 31  
Quadro 19.   Indicadores de cuidados de saúde, 2011 38  
Quadro 20.   População de 0-14 anos, por condição de orfandade, 2007 39  
Quadro 21.   População deficiente, 2007 39  
Quadro 22.   População portadora de deficiência, segundo a causa 40  
Quadro 23.   Actividades da Repartição de Mulher e Acção Social 40  
Quadro 24.   Área do Idoso e deficiência 41  
Quadro 25.   Área da Mulher 41  
Quadro 26.   Uso de novas tecnologias (10 anos ou mais) 42  
Quadro 27.   Execução orçamental (em ‘000 MT) 48  

Manica

PÁGINAi i i
________________________________________________________________________________________________

Quadro 28.   Projectos de iniciativa local financiados 49  


Quadro 29.   População segundo a condição de actividade 56  
Quadro 30.   População activa, ocupação e ramo de actividade, 2007 57  
Quadro 31.   População activa, ocupação e ramo de actividade, 2007 58  
Quadro 32.   Uso e Cobertura da Terra 62  
Quadro 33.   Produção agrícola, por principais culturas: 2009-2011 67  
Quadro 34.   Efectivo Pecuário 67  

Lista de figuras
Figura 1.   População com 5 anos ou mais, por língua materna ........................................ 11  
Figura 2.   Tipo de habitações ................................................................................................. 14  
Figura 3.   Habitações segundo o material de construção .................................................. 15  
Figura 4.   Habitações e condições básicas existentes ......................................................... 15  
Figura 5.   População (5 anos ou mais) por grau de ensino frequentado ......................... 30  
Figura 6.   População (10 anos ou mais) por grau de ensino concluído ........................... 32  
Figura 7.   Quadro epidémico, 2011....................................................................................... 39  
Figura 8.   Indicadores de escolarização por sexos .............................................................. 42  
Figura 9.   População (15 anos ou mais), segundo a actividade e sexo ............................. 43  
Figura 10.   População segundo a posição no trabalho e sexo........................................... 43  
Figura 11.   População com 15 anos ou mais, segundo a actividade................................. 57  
Figura 12.   População activa, segundo a ocupação principal ............................................ 58  
Figura 13.   População activa, segundo o ramo de actividade ............................................ 59  
Figura 14.   Explorações segundo a sua utilização ............................................................... 64  
Figura 15.   Explorações por classes de área cultivada ........................................................ 64  

Manica

PÁGINAi v
________________________________________________________________________________________________

Siglas e Abreviaturas

APEs Agentes Polivalentes Elementares

BCI Banco Comercial e de Investimentos

BIM Banco Internacional de Moçambique

CDPRM Comando Distrital da Polícia da República de Moçambique

CENACARTA Centro Nacional de Cartografia e Teledetecção

CFM Caminhos de Ferro de Moçambique

CGRN Comité de gestão de recursos naturais

CISM Centro de Investigação em Saúde da Malária

CL’s Conselhos Locais

CNCS Conselho Nacional de Combate ao SIDA

COVs Crianças Órfãs e Vulneráveis

DNAL Direcção Nacional da Administração Local

DNPO Direcção Nacional do Plano e Orçamento

DPOPH Direcção Provincial de Obras Públicas e Habitação

DPPF Direcção Provincial do Plano e Finanças

DPS Direcção Provincial de Saúde

DTS Doença de Transmissão Sexual

EDM Electricidade de Moçambique

EN Estrada Nacional

EN1 Estrada Nacional nº 1

EP1 Ensino Primário do 1º Grau

EP2 Ensino Primário do 2º Grau

EPC Escola Primária Completa


Manica

PÁGINAv i i
________________________________________________________________________________________________

ESG1 Ensino Secundário Geral do 1º ciclo

ESG2 Ensino Secundário Geral do 2º ciclo

ET Ensino Técnico

FDD Fundo de Desenvolvimento Distrital

GD Governo Distrital

IAF Inquérito aos agregados familiares, sobre o orçamento familiar

IFP Instituto de Formação de Professores

INE Instituto Nacional de Estatística

IPCC’s Instituições de participação e consulta comunitária

ITS’s Infecções de Transmissão Sexual

LOLE Lei dos Órgãos Locais do Estado

MAE Ministério da Administração Estatal

Mcel Moçambique Celular

MF Ministério das Finanças

MINAG Ministério da Agricultura

MPD Ministério da Planificação e Desenvolvimento

ONGs Organizações Não Governamentais

ORAM Organização de Ajuda Mútua

PA Posto Administrativo

PARPA Plano de Acção Para Redução da Pobreza Absoluta

PEDD Plano Estratégico de Desenvolvimento Distrital

PNUD Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento

PPFD Programa de Planificação e Finanças Descentralizadas

PQG Programa Quinquenal do Governo

PRM Polícia da República de Moçambique

Manica

PÁGINAv i i i
________________________________________________________________________________________________

PSAA Pequeno Sistema de Abastecimento de Água

SD Secretaria Distrital

SDAE Serviço Distrital de Actividades Económicas

SDEJT Serviço Distrital de Educação, Juventude e Tecnologia

SDPI Serviço Distrital de Planeamento e Infraestruturas

SDSMAS Serviço Distrital de Saúde, Mulher e Acção Social

SIFAP Sistema de Formação em Administração Pública

STV Soico Televisão

TDM Telecomunicações de Moçambique

VODACOM Operadora de telefonia móvel

Manica

PÁGINAi x
________________________________________________________________________________________________

Manica

PÁGINAx
________________________________________________________________________________________________

1 Breve Caracterização do Distrito


1.1 Localização, Superfície e População
O distrito de Manica localiza-se na parte central a Oeste da Província de Manica, com
formato alongado e estreito, limitado a Norte pelo distrito de Bárue, a Sul pelo Distrito de
Sussundenga, a Este pelo distrito de Gondola e a Oeste, em toda a sua extensão pela
República de Zimbabwe.

A superfície do distrito1 é de 4.400 km2 e a sua população está estimada em 257 mil
habitantes à data de 1/7/2012. Com uma densidade populacional aproximada de 58,5
hab/km2, prevê-se que o distrito em 2020 venha a atingir os 324 mil habitantes.

A estrutura etária do distrito reflecte uma relação de dependência económica de 1:1, isto é,
por cada 10 crianças ou anciões existem 10 pessoas em idade activa. Com uma população
jovem (47%, abaixo dos 15 anos), tem um índice de masculinidade de 78% (por cada 100
pessoas do sexo feminino existem 78 do masculino) e uma taxa de urbanização de 30%
concentrada na Cidade de Manica e nas zonas periféricas de matriz semiurbana.

1.2 Clima e Hidrografia


O clima do distrito, segundo a classificação climática de Köppen (Ferro e Bouman, 1987), é
do tipo temperado húmido (Cw).

A região montanhosa de Manica regista valores médios anuais na ordem dos 1000 e 1020
mm de chuva. Em geral, a repartição das chuvas é desigual ao longo do ano, observando
claramente a existência de duas estações bem distintas, a estação chuvosa e a seca.

A estação das chuvas tem inicio no mês de Novembro e seu términus no mês de Abril. A
evapotranspiração média anual é cerca de 1220 – 1290 sendo este superior ao valor da
precipitação média anual. O balanço hídrico permite apurar que o período de excesso de
água ocorre no mês de Novembro a Março, no qual a precipitação é maior em relação a
quantidade de evapotranspiração.

Durante a época fresca, a evapotranspiração é superior, em todos os meses, à quantidade de


precipitação. Com este padrão, a região possui apenas um período de crescimento do tipo

1 Centro Nacional de Cartografia e Teledetecção http://www.cenacarta.com

Manica

PÁGINA1
________________________________________________________________________________________________

normal com um período seco que ocorre de Maio a Outubro e permite apenas uma colheita
por ano.

A temperatura média anual do é de 21,2ºC. A média anual dos valores máximos é de 28,4ºC,
com os valores extremos de 30,9ºC (Outubro) e 24,4ºC (Julho). A média anual dos valores
mínimos é de 14,0ºC, com os valores mensais extremos de 18,5ºC (Fevereiro) no Verão e
7,3ºC (Julho) no Inverno.

A região de Manica é drenada pelo rio Revuè e seus afluentes. Por sua vez, este drena as
suas águas no rio Búzi que é a bacia hidrográfica principal.

1.3 Relevo e Solos


O distrito de Manica é constituído por cadeia montanhosas ocorrendo de Sul a Norte da
província numa faixa fronteiriça com o Zimbabwe constituindo o denominado “Cratão de
Zimbabwe”.

Esta formação compreende especialmente basaltos, riolitos e lavas alcalinas. A maior parte
dos afloramentos formam cristas e cadeias montanhosas. Algumas montanhas chegam a
atingir cerca de 1500 – 2000 metros de altitude. Existe uma certa correlação entre a
topografia, especialmente a altitude e condições agro-climáticas. Geralmente, quanto altitude
for maior, maior é a precipitação anual e com o período chuvoso longo.

Os solos do distrito de Manica mostram uma estreita relação com a geologia e o clima da
região e são localmente modificados pela topografia e o regime hídrico. Em geral, os solos
são desenvolvidos sobre materiais do Soco do Precâmbrico, rochas ácidas como granito e
gnaisse.

Sendo basicamente solos argilosos vermelhos óxicos ou castanhos avermelhados,


profundos, bem drenados, a topografia é suavemente ondulada; nos declives superiores e os
cumes das montanhas e nos afloramentos rochosos os solos são líticos, com textura franco-
arenosa, pouco profundos e drenagem excessiva. As principais limitações para a agricultura
são a baixa fertilidade de solos, profundidade e risco de erosão.

Manica

PÁGINA2
________________________________________________________________________________________________

1.4 Recursos Naturais


Geologia

O Distrito de Manica é constituído por rochas eruptivas e terciárias (mesozóicas) e


precâmbricas, com predominância nas zonas de encostas montanhosas (escarpa de Manica)
estendendo-se no sentido norte - sul.

Na área de Vanduzi, encontram-se rochas metamórficas (primárias, paleozóicos) e


câmbricas, sendo algumas eruptivas.

Devido a estas características geológicas, o distrito de Manica é muito rico em recursos


minerais, ocupando uma posição de destaque em relação aos outros distritos da província.

Um terço do território do distrito dispõe de ferro, titânio, ouro, cobre, níquel, asbesto,
bauxite, diatomite, ciassite, urite, monte- morilinite, mica e caulinita, encontrando-se a maior
parte destes minerais em Mavonde e Machipanda.

Fauna e Flora

As características do habitat no Distrito fazem com que abundem várias espécies faunísticas.
A fauna predominante é constituída por elefantes, búfalos, crocodilos, hienas, leopardos,
leões, chacais, diversos antílopes, hipopótamos, pangolins, para além de variadas espécies de
répteis, de entre os quais a jibóia africana.

A floresta predominante é do tipo miombo onde se destacam a Umbila, Panga-Panga, Pau-


preto, Muonha, Chanfuta, dentre outras.

1.5 Infraestruturas
Este distrito é servido pelo Corredor da Beira, Estrada Beira - Manica e pela via-férrea
ligando Beira à República de Zimbabwe, na fronteira de Machipanda. A infraestrutura de
telecomunicações inclui rede de telefone, telégrafo e postos de rádio.

O distrito possui actualmente uma rede rodoviária de 879km, sendo 500km de estradas
classificadas e 379 de estradas não classificadas, sob gestão da Administração Nacional de
Estradas (ANE).

Das 37 Estradas não classificadas existentes no Distrito, 22 apresentam um bom estado de


transitabilidade e 15 têm problemas, provocados pela erosão ao longo do período de

Manica

PÁGINA3
________________________________________________________________________________________________

chuvas. Esta situação tem contribuído negativamente no processo de desenvolvimento


económico do Distrito, dificultando o escoamento de produtos agrícolas.
A reabilitação de estradas secundárias e terciárias tem tido um impacto importante no
desenvolvimento do distrito, permitindo o transporte da ajuda alimentar, o acesso a novas
terras para agricultura e a participação comunitária na reconstrução das infraestruturas.

Em 2012, contava com 183 transportadores, sendo 130 do tipo Mini - Base e 53 caixas
abertas, devidamente licenciados.

A empresa CFM é, a par de alguns pequenos transportadores privados, o garante do


transporte de mercadorias nacionais e internacionais na linha férrea Beira-Machipanda,
coluna vertebral do Corredor da Beira.

Operam no distrito de Manica 3 empresas de comunicação telefónica que prestam serviços


às populações, sendo 1 de telefonia fixa e 2 de telefonia móvel. Em termos de cobertura, a
rede fixa abarca 3 dos 4 Postos Administrativos, com excepção de Mavonde, enquanto que
as redes móveis cobrem as zonas atravessadas pelos corredores da Beira e Tete.
Actualmente a Movitel também opera com telefonia móvel no distrito.

Existem 334 fontes de agua, das quais 297 operacionais e 19 inoperacionais distribuídas da
seguinte forma: 84 em Messica; 120 em Vanduzi; 78 em Machipanda e 52 fontes em
Mavonde.

A comunidade tem sido encorajada a participar na manutenção de bombas de água. Deste


modo, alguns membros, preferencialmente as mulheres, beneficiam de treinamento nesta
matéria.

De acordo com os dados do Censo de 1997, só 6% da população do distrito beneficia de


energia eléctrica, concentrada na cidade de Manica que tem uma cobertura de 14% da sua
comunidade.

O distrito possui 112 escolas (das quais, 64 do ensino primário nível 1) e 63 centros de
alfabetização, em 2012 o distrito possui 110 escolas(das quais, 59 do ensino primário nível
1) e está servido por 17 unidades sanitárias, em 2012 está servido por 20 unidades sanitárias,
que possibilitam o acesso progressivo da população aos serviços do Sistema Nacional de
Saúde, apesar de a um nível bastante insuficiente como se conclui dos seguintes índices de
cobertura média:

Manica

PÁGINA4
________________________________________________________________________________________________

Uma unidade sanitária por cada 12.850 mil pessoas;


Uma cama por 1.500 habitantes; e
Um profissional técnico para cada 958 residentes no distrito.
Apesar dos esforços realizados, importa reter que o estado geral de conservação e
manutenção das infraestruturas não é suficiente, sendo de realçar a rede de bombas de água
a necessitar de manutenção, bem como a rede de estradas e pontes que, na época das
chuvas, tem problemas de transitabilidade.

1.6 Economia e Serviços


O distrito de Manica é dotado de solos férteis. A existência de um bom clima, de recursos
hídricos e o uso de adubos orgânicos (estrume de animais e restolhos de plantas e detritos
armazenados) complementam significativamente a fertilidade dos solos.

Dos 438 mil hectares da superfície do distrito, estima-se 2 em cerca de 200 mil hectares o
potencial de terra arável deste distrito, dos quais só 30 mil são explorados pelo sector
familiar (7% do distrito).

Têm ocorrido disputas sobre a posse de terras no distrito de Manica, com maior ênfase na
zona do corredor da Beira e junto a fronteira com o Zimbabwe. Considerando a fertilidade
dos solos do distrito, facilmente se pode esperar a convergência de mais agricultores
interessados em cultivar a área, pelo que se pode esperar o agravamento dessas disputas e
uma maior pressão sobre os recursos.

O sistema de produção predominante nos solos de textura pesada e mal drenados é a


monocultura de batata-doce em regime de camalhões ou matutos (época fresca), enquanto
que nos solos moderadamente bem drenados predominam as consociações de milho,
mapira, mandioca e feijão nhemba. Algodão e tabaco são culturas de rendimento,
produzidas em regime de monoculturas. Este sistema de produção é ainda complementado
por criações de espécies como gado bovino, caprino, e aves.

Na faixa da fronteira com o Zimbabwe, os solos têm boa capacidade de retenção de água, e
os sistemas de produção compreendem consociações de milho e feijão vulgar. Há
observância ainda da produção de culturas de rendimento tais como batata reno e feijão

2 Conforme JVA Cenacarta-IGN France International, Estatísticas de Uso e Cobertura da Terra, Nov. 1999 (escala 1:250,000)

Manica

PÁGINA5
________________________________________________________________________________________________

manteiga, sendo de assinalar ainda que esta cultura pode ser feita em duas épocas. Durante a
época fresca, nos vales, é comum a produção de hortícolas: couve, tomate e cebola.

Este distrito possui cerca de 240 hectares de regadios, dos quais 58 ha não operacionais por
avarias de equipamentos e destituições causadas pelas cheias. Está em curso um plano para a
sua reabilitação, mas a capacidade financeira dos proprietários e utentes é um entrave à sua
célere implementação. Existem, ainda, pequenas infraestruturas de rega com capacidade
para fazer irrigação de superfície.

A produção é comercializada não só localmente, mas também nas cidades do Chimoio e


Beira, salientando-se igualmente a vinda de comerciantes da capital da província (Chimoio)
e da Beira, Maputo e Inhambane para a compra de produtos locais.

De um modo geral, a agricultura é praticada manualmente em pequenas explorações


familiares em regime de consociação de culturas com base em variedades locais.

A produção agrícola é feita predominantemente em condições de sequeiro, nem sempre


bem sucedida, uma vez que o risco de perda das colheitas é alto, dada a baixa capacidade de
armazenamento de humidade no solo durante o período de crescimento das culturas.

Algumas famílias empregam métodos tradicionais de fertilização dos solos como o pousio
das terras, a incorporação no solo de restolhos de plantas, estrume ou cinzas. Para além das
questões climáticas, os principais constrangimentos à produção são as pragas, a seca, a falta
ou insuficiência de sementes e pesticidas.

A irregularidade da precipitação e a vulnerabilidade às calamidades naturais condicionam,


pois, o potencial de produção agrícola do distrito.

O fomento pecuário no distrito tem sido fraco. Porém, dada a tradição na criação de gado e
algumas infraestruturas existentes, verificou-se um crescimento do efectivo bovino.

Dada a existência de boas áreas de pastagem, há condições para o desenvolvimento da


pecuária, sendo as doenças e a falta de fundos e de serviços de extensão, os principais
obstáculos ao seu desenvolvimento.

A actividade florestal no distrito é intensa. A lenha é a fonte de energia mais utilizada para a
confecção de alimentos, seguida do carvão e da electricidade. O desflorestamento, a
desertificação e a erosão são problemas que afectam sobremaneira o distrito de Manica.

Manica

PÁGINA6
________________________________________________________________________________________________

A caça e pesca são também recursos de que o distrito dispõe para enriquecimento da dieta
das famílias. O cabrito do mato é o animal mais caçado e importante na dieta, seguido das
gazelas, coelhos, porcos do mato e ratazanas. Existe uma vasta gama de animais selvagens,
destacando-se os elefantes, búfalos, leões, leopardos, gazelas, porcos do mato e crocodilos.

A existência de recursos hídricos abundantes permite que a pesca constitua outra fonte de
alimentação e de rendimento para as famílias. A albufeira do lago Chicamba e o rio Púngue
constituem os locais onde preferencialmente se realiza a pesca.

O comércio é, logo a seguir à agricultura, a actividade económica mais importante no


distrito. Comerciantes do sul do país, da Beira e do Chimoio têm comprado parte da
produção local e, para além dos mercados distritais, os habitantes têm recorrido ao
Zimbabwe para a compra de comida.
Existem 94 lojas, 50 das quais estão em funcionamento pleno, enquanto as restantes 44
carecem de reabilitação, 83 moagens (74 operacionais), 5 estações de serviço (3 em
funcionamento), 2 padarias, 2 serrações de madeira e 4 carpintarias.
O distrito conta com a seguinte rede comercial:
Ano Grossista Retalhista Prestação Banca Barraca Tenda Agente
Serviço Comercial
2012 30 157 26 a)669 652 331 125
2011 22 115 33 681 652 331 122
Fonte: Relatório Anual do Governo Distrital de Manica, 2012

Paralelamente a esta actividade formal, as mulheres vendem produtos em quiosques e no


mercado, enquanto que os homens vendem nas cantinas, no mercado e têm pequenas
moageiras em casa.
A par das unidades industriais mencionadas funciona uma fábrica de engarrafamento de
água mineral de fabrico nacional "Água Vumba" e existe uma mina de ouro em
funcionamento, de Penha Longa.
O distrito contava em 2012 com 15 indústrias de pequena dimensão em funcionamento e
421 de pequena dimensão.
Este distrito tem potencial turístico libado à Zona Turística de Manica (Cabeça do Velho,
Montanhas de Penhalonga, Pinturas Rupestres de Chinhamapere e Serra de Vumba).

O sistema de crédito é praticamente inexistente no distrito, e o BIM é a única dependência


bancária do distrito.
Manica

PÁGINA7
________________________________________________________________________________________________

1.7 História, Cultura e Sociedade Civil


O Distrito possui um Conselho Consultivo Distrital composto por 50 membros e presidido
pelo Administrador Distrital. No Distrito funcionam cinco Conselhos Consultivos dos
Postos Administrativos, com 40 membros cada, e presididos pelo respectivo Chefe do
Posto Administrativo. No seu funcionamento participativo estes envolvem os membros dos
10 Conselhos Consultivos de Localidade.

Os membros dos Conselhos Consultivos do Distrito são envolvidos na apreciação do


PEDD e PESOD e na avaliação periódica dos instrumentos da planificação territorial local,
bem como no que se refere à opinião sobre a viabilidade de projectos de iniciativa local e
projectos com impacto directo nas comunidades, no âmbito de investimento local, que são
submetidos posteriormente para decisão do Conselho Consultivo Distrital.

No âmbito da implementação do Decreto 15/2000 sobre as autoridades comunitárias, de


acordo com as entidades distritais, foi levado a cabo um trabalho de divulgação do mesmo
em todos os Postos Administrativos, Localidades, Aldeias e Povoações, tendo sido
envolvidas todas as camadas sociais. Este trabalho culminou com a legitimação pelas
respectivas comunidades dos Líderes Comunitários e com o seu reconhecimento pela
autoridade competente. O Distrito conta actualmente com um universo de 304 líderes
comunitários, dos quais 69 do 1º escalão, 28 do 2º escalão e 197 do 3º escalão, distribuídos
ao nível dos Postos Administrativos, incluindo os 10 do Município de Manica.

A relação entre a Administração e as autoridades comunitárias é positiva e tem contribuído


para a solução dos vários problemas locais, nomeadamente os surgidos devido aos conflitos
de terras existentes no distrito.

Em relação à religião existem várias crenças no distrito e representes das respectivas


hierarquias e que se têm envolvido, em coordenação com as autoridades distritais em várias
actividades de índole social. A religião dominante é a Sião/Zione e a Católica, praticada pela
maioria da população do distrito.

Manica

PÁGINA8
3
2 Demografia33
A superfície do distrito4 é de 4.400 km2 e a sua população está estimada em 257 mil
habitantes à data de 1/7/2012. Com uma densidade populacional aproximada de 58,5
hab/km2, prevê-se que o distrito em 2020 venha a atingir os 324 mil habitantes.

2.1 Estrutura etária e por sexo


A estrutura etária do distrito reflecte uma relação de dependência económica de 1:1, isto é,
por cada 10 crianças ou anciões existem 10 pessoas em idade activa. Com uma população
jovem (47%, abaixo dos 15 anos), tem um índice de masculinidade de 78% (por cada 100
pessoas do sexo feminino existem 78 do masculino) e uma taxa de urbanização de 30%
concentrada na Cidade de Manica e nas zonas periféricas de matriz semiurbana.

Quadro 1. População por posto administrativo, 1/7/2012


Grupos etários
65 e
TOTAL 0-4 5 - 14 15 - 44 45 - 64 mais
Distrito de Manica 257,419 47,409 74,543 110,426 18,907 6,133
Homens 128,376 23,750 36,980 55,308 9,623 2,715
Mulheres 129,043 23,659 37,563 55,118 9,285 3,418
P.A. da Cidade de Manica 43,333 7,531 11,618 20,858 2,609 718
Homens 21,719 3,770 5,657 10,615 1,393 283
Mulheres 21,622 3,760 5,963 10,247 1,214 439
P. A. de Machipanda 50,948 8,883 14,726 22,205 3,677 1,457
Homens 25,593 4,525 7,312 11,344 1,810 602
Mulheres 25,369 4,359 7,414 10,867 1,869 860
P.A. de Messica 60,401 10,916 17,996 25,311 4,681 1,497
Homens 30,025 5,449 8,914 12,640 2,378 645
Mulheres 30,377 5,467 9,082 12,670 2,303 854
P.A. de Mavonde 30,559 5,787 8,807 12,740 2,405 820
Homens 15,259 2,884 4,391 6,316 1,242 425
Mulheres 15,290 2,902 4,416 6,422 1,162 388
P.A. de Vanduzi 72,178 14,293 21,395 29,313 5,536 1,642
Homens 35,780 7,121 10,705 14,394 2,800 760
Mulheres 36,385 7,171 10,689 14,911 2,736 877
Fonte: INE, Dados do Censo de 2007.

Das pessoas residentes no distrito, 72% nasceram no próprio distrito, o que denota fluxos
de migração internos significativos em ambos os sexos.

3 Manica
Os dados demográficos e da habitação, excepto nota contrária, estão referidos a 1/8/2007, última data censitária.
4
Centro Nacional de Cartografia e Teledetecção http://www.cenacarta.com
PÁGINA9
Quadro 2. Pessoas residentes no distrito, segundo o local de nascimento
    Local  de  Nascimento  
No  próprio   Noutro  distrito  da   Noutra  
    distrito   mesma  província   Província  
Total   72.3%   13.3%   14.4%  
 -­‐  Homens   72.2%   13.1%   14.7%  
 -­‐  Mulheres   72.5%   13.5%   14.1%  
Fonte: Instituto Nacional de Estatística, Dados do Censo de 2007.

2.2 Traço sociológico


Das 52 mil famílias5 do distrito, a maioria é do tipo sociológico nuclear com filhos (41%),
isto é, com um ou mais parentes para além de filhos e têm, em média, 5 membros.

Quadro 3. Agregados familiares, segundo a dimensão


% de agregados, por dimensão
1-2 3-5 6 e mais
18.5% 43.8% 37.6%
Fonte: INE, Dados do Censo de 2007 e Projecções globais da população.

Quadro 4. Agregados familiares, segundo o tipo sociológico


TIPO SOCIOLÓGICO DE AGREGADO FAMILIAR
Monoparental (1) Nuclear
Unipessoal Alargado (2)
Masculino Feminino Com filhos Sem filhos
8.4% 2.0% 10.5% 41.2% 5.0% 33.0%
Fonte: Instituto Nacional de Estatística – Censo de 2007.
1) Família com um dos pais.
2) Família nuclear ou monoparental com ou sem filhos e um ou mais parentes.

Na sua maioria casados após os 12 anos de idade, têm forte crença religiosa, dominada pela
religião Sião ou Zione, seguida da Evangélica e Católica.

Quadro 5. Distribuição da população, segundo o estado civil


Com 12 anos ou mais, por Estado civil
Casado ou Separado/
Total Solteiro união Divorciado Viúvo
100.0% 35.7% 54.4% 3.1% 6.9%
Fonte: Instituto Nacional de Estatística – Censo de 2007.
Tendo o Cimanika como língua materna dominante, constata-se que 63% da população do
distrito (com 5 ou mais anos de idade) tem conhecimento da língua portuguesa, sendo este
domínio predominante nos homens, dada a sua maior inserção na vida escolar e no
mercado de trabalho.

Manica
5 Estimativa para 2012 a partir das projecções da população do Censo de 2007.
PÁGINA1 0
Quadro 6. População com 5 anos ou mais, por língua materna e sexo
GRUPO ETÁRIO
TOTAL 5-9 10 - 14 15 - 19 20 - 44 45 e mais
TOTAL 100.0% 100.0% 100.0% 100.0% 100.0% 100.0%
Cindau 4.0% 2.6% 2.8% 3.3% 3.7% 5.5%
Chiteve 16.4% 18.8% 17.8% 17.0% 15.7% 14.8%
Cimanika 48.4% 51.7% 51.2% 50.5% 49.9% 44.5%
Cisena 7.5% 5.2% 5.9% 6.5% 7.1% 9.8%
Cinyngwe 7.2% 6.8% 6.6% 6.7% 6.4% 7.9%
Cibalke 6.4% 5.6% 5.4% 5.3% 5.8% 7.7%
Português 6.2% 7.0% 8.3% 8.0% 7.0% 3.9%
Outras 3.9% 2.3% 2.1% 2.7% 4.4% 5.8%
Fonte: Instituto Nacional de Estatística – Censo de 2007.

Figura 1. População com 5 anos ou mais, por língua materna


Outras,  3,9%  
Cibalke,  6,4%   Cindau,  4,0%  
Portugues,  6,2%   Chiteve,  16,4%  

Cinyngwe,  7,2%  
Cisena,  7,5%  

Cimanika,  48,4%  
Fonte: Instituto Nacional de Estatística, Dados do Censo de 2007.

Quadro 7. População de 5 anos ou mais e conhecimento de Português


Sabe falar Português Não sabe falar Português
Total Homens Mulheres Total Homens Mulheres
Total 62.6% 71.7% 53.6% 37.4% 28.3% 46.4%
5 - 9 anos 36.6% 36.6% 36.6% 63.4% 63.4% 63.4%
10 - 14 anos 75.5% 75.9% 75.1% 24.5% 24.1% 24.9%
15 - 44 anos 83.2% 89.4% 77.1% 16.8% 10.6% 22.9%
45 anos ou mais 62.3% 78.3% 46.4% 37.7% 21.7% 53.6%
Fonte: Instituto Nacional de Estatística.

Manica

PÁGINA1 1
2.3 Analfabetismo e Escolarização
Com 69% da população alfabetizada, predominantemente homens, o distrito tem uma taxa
de escolarização normal, constatando-se que 75% dos seus habitantes frequentam ou já
frequentaram a escola, ainda que maioritariamente somente até ao nível primário.

Quadro 8. População com 15 ou mais anos, e alfabetização, 2012


Taxa de analfabetismo
TOTAL Homens Mulheres
Total 30.9% 17.0% 44.5%
15 - 19 anos 13.8% 7.7% 19.7%
20 - 24 anos 21.4% 10.2% 31.6%
25 - 29 anos 27.3% 14.2% 40.7%
30 - 44 anos 33.4% 16.1% 50.8%
45 anos ou mais 57.2% 35.7% 79.2%
P.A. da Cidade de Manica 15.0% 6.5% 23.6%
P. A. de Machipanda 21.5% 12.3% 30.6%
P.A. de Messica 28.6% 14.2% 42.6%
P.A. de Mavonde 46.0% 31.3% 60.7%
P.A. de Vanduzi 43.7% 23.8% 62.8%
Fonte: Instituto Nacional de Estatística, Dados do Censo de 2007.

Manica

PÁGINA1 2
6
3 Habitação e Condições de Vida66
As características físicas das habitações, especialmente o material usado na sua construção e
o acesso a serviços básicos de água, saneamento e energia, são indicadores importantes do
nível de vida dos agregados familiares. As características do parque habitacional duma
sociedade constituem um indicador bastante relevante do nível de desenvolvimento
socioeconómico.

Quadro 9. Habitações segundo o regime de propriedade


Total  de  Habitações   100.0%  
 -­‐  Próprias   91.4%  
 -­‐  Alugadas   4.8%  
 -­‐  Cedidas  ou  emprestadas   2.7%  
 -­‐  Outro  regime   1.1%  
Fonte: Instituto Nacional de Estatística, Dados do Censo de 2007.

A maioria (91%) das cerca de 51 mil habitações7 existentes no distrito são de propriedade
própria. O tipo de habitação dominante é a palhota (54%). A casa mista, que é um tipo de
habitação que combina materiais de construção duráveis e materiais de origem vegetal,
representa 23% do parque habitacional do distrito. As casas básicas representam 21%.

Quadro 10. Tipo de habitações


Casa convencional8 ou apartamento9 1.4%
Casa mista10 23.0%
Casa básica11 21.4%
Palhota12, casa improvisada13 e outras 54.2%
Fonte: Instituto Nacional de Estatística, Dados do Censo de 2007.

6 Os dados demográficos e da habitação, excepto nota contrária, estão referidos a 1/8/2007, última data censitária.
7 Estimativa para 2012 a partir das projecções da população do Censo de 2007.
8Casa convencional - é uma unidade habitacional unifamiliar que tenha quarto(s), casa de banho, cozinha dentro de casa, e
construída com materiais duráveis (bloco de cimento, tijolo, chapa de zinco/lusalite, telha/lage de betão). Pode ser de rés-do-chão,
mais de 1 ou 2 pisos.
9Flat/apartamento - é uma unidade habitacional que tenha quarto(s) casa de banho, cozinha pertencente a uma unidade
habitacional multifamiliar com 1 ou mais pisos podendo ser de um bloco ou conjunto de blocos.
10Casa mista – é uma casa construída com materiais duráveis (bloco de cimento, tijolo, chapa de zinco/lusalite, telha/lage de betão),
materiais de origem vegetal (capim, palha, palmeira, colmo, bambu, caniço, paus maticados, madeira, etc) e adobe.
11Casa básica – é uma unidade habitacional que só tem quarto(s) e não tem casa de banho e ou cozinha, sendo construída com
materiais duráveis (bloco de cimento, tijolo, chapa de zinco/lusalite, telha/lage de betão). Inclui-se nesta categoria o conjunto de
quartos geminados (casa comboio) que utilizam os mesmos serviços (casa de banho, cozinha e água).
12Palhota – é uma casa cujo material predominante na construção é de origem vegetal (capim, palha, palmeira, colmo, bambu,
caniço, adobe, paus maticados, etc).
13Casa Manica
improvisada – são habitações construídas com material improvisado e precário, tal como papel, saco, cartão,, latas, cascas de
árvores, etc.
PÁGINA1 3
Figura 2. Tipo de habitações
Casa  
convencional  
ou   Casa  mista  ,  
Apartamento   23,0%  
,  1,4%  

Palhota  ,  
54,2%  
Casa  básica  ,  
21,4%  

Fonte: Instituto Nacional de Estatística, Dados do Censo de 2007.

Apesar de as condições de habitação serem diferentes entre as zonas urbanas e rurais do


distrito, verifica-se um padrão comum dos materiais de construção caracterizado por:
• A maioria das casas tem paredes de blocos de adobe (41%);
• A maioria das casas tem cobertura de capim ou palha (64%), seguido de chapas ou
telhas (36%); e
• A maior parte das casas tem pavimento de adobe (70%), seguido de cimento (24%).

Quadro 11. Habitações segundo o material de construção


Em  %  
    Total   Urbano   Rural  
Paredes   100.0%   100.0%   100.0%  
 -­‐  Blocos  de  cimento  ou  tijolo   32.2%   51.4%   24.0%  
 -­‐  Bloco  de  adobe   40.6%   44.9%   38.9%  
 -­‐  Caniço  /  Paus   26.5%   3.0%   36.3%  
 -­‐  Madeira  /  Zinco   0.4%   0.5%   0.4%  
 -­‐  Outro  material   0.3%   0.2%   0.4%  
Cobertura   100.0%   100.0%   100.0%  
 -­‐  Chapas  ou  telhas   35.8%   58.1%   26.3%  
 -­‐  Laje  de  betão   0.1%   0.2%   0.1%  
 -­‐  Capim  ou  outro  material   64.1%   41.7%   73.6%  
Pavimento   100.0%   100.0%   100.0%  
 -­‐  Cimento,  parquet  ou  mosaico   24.2%   46.8%   14.6%  
 -­‐  Adobe   69.6%   50.1%   77.9%  
 -­‐  Sem  nada   6.2%   3.2%   7.5%  
Fonte: Instituto Nacional de Estatística, Dados do Censo de 2007.

Manica

PÁGINA1 4
Figura 3. Habitações segundo o material de construção

69,6%  
64,1%  

40,6%  
32,2%   35,8%  
26,5%   24,2%  

6,2%  
0,4%  

Fonte: Instituto Nacional de Estatística, Dados do Censo de 2007.

O gráfico e quadro seguintes mostram a distribuição percentual das habitações por acesso
aos serviços básicos.
• A maioria das famílias (72%) usa o petróleo como fonte de energia;
• Cerca de 39% das famílias tem acesso a fontes de água potável14; e
• Somente 21% das famílias usam sistemas de saneamento melhorados15.

Figura 4. Habitações e condições básicas existentes


Casas  com  
Casas  com   energia  
sistemas  de   eléctrica,  9,9%  
saneamento  
melhorados,  
21,0%  

Casas  que  
usam  fontes  
de  água  
potável,  38,7%  

Fonte: Instituto Nacional de Estatística, Dados do Censo de 2007.

14Água canalizada (dentro e fora da casa), fontenário e poço/furo protegido c/ bomba. Manica
15Retrete ligada a fossa séptica, Latrina melhorada e Latrina tradicional melhorada.
PÁGINA1 5
Quadro 12. Habitações, água, saneamento e energia
Casa Casa Casa
HABITAÇÕES  E  CONDIÇÕES  BÁSICAS  EXISTENTES TOTAL Palhota
convencional mista básica
ENERGIA 100.0 100.0 100.0 100.0 100.0
Electricidade 9.9 69.4 5.7 32.8 0.6
Gerador/placa solar 0.4 1.3 0.4 1.1 0.1
Gás 0.0 0.0 0.1 0.1 0.0
Petróleo/parafina/querosene 71.6 24.5 82.9 56.5 74.4
Velas 4.2 3.4 4.9 7.7 2.5
Baterias 0.2 0.0 0.2 0.4 0.1
Lenha 13.6 1.3 5.9 1.4 22.3
Outras 0.1 0.0 0.0 0.0 0.2
ÁGUA 100.0 100.0 100.0 100.0 100.0
Água canalizada 7.4 52.2 8.5 16.0 2.1
- dentro da casa 0.8 38.7 0.6 0.0 0.0
- fora de casa 6.6 13.5 8.0 16.0 2.1
Não-canalizada 92.6 47.8 91.5 84.0 97.9
- fontenário 5.4 5.6 8.1 8.7 2.9
- poço/furo protegido c/ bomba 25.9 22.9 29.3 36.1 20.4
- poço sem bomba 44.4 15.0 40.9 34.4 50.8
- rio/lago/lagoa 16.8 1.3 13.1 4.5 23.8
- chuva 0.0 0.0 0.0 0.0 0.0
- mineral 0.1 2.8 0.0 0.2 0.0
- outros 0.0 0.3 0.0 0.0 0.0
SANEAMENTO 100.0 100.0 100.0 100.0 100.0
Retrete ligada a fossa séptica 2.5 61.6 1.0 5.4 0.1
Latrina melhorada 6.4 11.5 6.6 19.0 1.1
Latrina tradicional melhorada 12.0 9.4 14.3 24.7 6.1
Latrina não melhorada 38.8 11.7 50.2 40.4 34.0
Não tem retrete/latrina 40.3 5.8 27.9 10.5 58.7
Fonte: Instituto Nacional de Estatística, Dados do Censo de 2007.
No que diz respeito a posse de bens, a incidência da posse de bens duráveis pelas famílias
residentes no distrito é apresentada na tabela seguinte.

Quadro 13. Famílias, segundo a posse de casa própria e bens duráveis


Casa Telefone Nenhum
própria Rádio Televisor fixo Computador Carro Motorizada Bicicleta bem
91.4%   67.7%   10.8%   0.5%   0.3%   1.5%   1.0%   28.9%   28.4%  
Fonte: Instituto Nacional de Estatística, Dados do Censo de 2007.

Constata-se que, exceptuando a casa própria, 28 por cento das famílias não possuem
nenhum dos bens listados na tabela e observados aquando do Censo da População de 2007.

Manica

PÁGINA1 6
4 Organização Administrativa e Governação
O distrito de Manica, para além da cidade de Manica, onde tem a Sede, possui cinco Postos
Administrativos: Manica-sede, Machipanda, Messica, Mavonde e Vandúzi que, por sua vez,
estão subdivididos em 10 Localidades.

Posto Administrativo Localidades


MANICA-SEDE CIDADE DE MANICA
MACHIPANDA MARIDZA
MUZONGO
MESSICA BANDULA
CHINHAMBUZI
NHAUCACA
MAVONDE MAVONDE – SEDE
CHITUNGA
VANDUZI VANDUZI – SEDE
CHIGODORE
PUNGUE SUL

4.1 Governo Distrital


O Governo Distrital é dirigido pelo Administrador de Distrito e, ao abrigo da Lei nº 8/2003
de 19 de Maio, está estruturado na Secretaria Distrital e nos seguintes Serviços Distritais:
• Actividades Económicas;
• Saúde, Mulher e Acção Social;
• Educação, Juventude e Tecnologia; e
• Planeamento e Infraestruturas.

De acordo com o Estatuto Orgânico do Governo Distrital aprovado pelo Decreto nº


6/2006 de 12 de Abril, a Estrutura Tipo do Governo Distrital é a que é apresentada em
seguida.

Manica

PÁGINA1 7
Manica

PÁGINA1 8
Estrutura Tipo do Governo Distrital

Fonte: Decreto nº 6/2006 de 12 de Abril

Para além destes serviços, funcionam ainda as seguintes instituições públicas:


• Tribunal Judicial;
• Registo e Notariado;
• Comando Distrital da PRM;
• Procuradoria Distrital da República;
• Alfândegas;
• Migração;
• SISE.
Com um total de 2.487 funcionários em 2012 (dos quais, 950 são mulheres), o pessoal da
Administração Distrital apresenta a seguinte distribuição por serviços:
• 126 no Gabinete do Administrador/ Secretaria Distrital (GA/SD);
• 2.066 no Serviço Distrital de Educação Juventude e Tecnologia (SDEJT);
• 241 no Serviço Distrital de Saúde Mulher e Acção Social (SDSMAS);
• 36 no Serviço Distrital de Actividades Económicas (SDAE); e
• 18 no Serviço Distrital de Planeamento e Infraestruturas.

O Distrito possui um Conselho Consultivo Distrital composto por 50 membros e presidido


pelo Administrador Distrital. Em 2011 o CCD financiou 163 projectos de iniciativa local.
No Distrito funcionam cinco Conselhos Consultivos dos Postos Administrativos, com 40
membros cada, e presididos pelo respectivo Chefe do Posto Administrativo. No seu
funcionamento participativo estes envolvem os membros dos 10 Conselhos Consultivos de
Localidade.
Manica

PÁGINA1 9
Os membros dos Conselhos Consultivos do Distrito são envolvidos na apreciação do
PEDD e PESOD e na avaliação periódica dos instrumentos da planificação territorial local,
bem como no que se refere à opinião sobre a viabilidade de projectos de iniciativa local e
projectos com impacto directo nas comunidades, no âmbito de investimento local, que são
submetidos posteriormente para decisão do Conselho Consultivo Distrital.

No contexto da reforma do sector público, foi nomeado o Secretário Permanente Distrital,


foram institucionalizados os Conselhos Locais (Localidade, Posto Administrativo e
Distrito), Balcão de Atendimento Único Distrital (BAUD), descentralizados os
investimentos no distrito, tramitados os expedientes para a nomeação de directores dos
serviços distritais bem como dos chefes de Localidade.

A governação tem por base os Presidentes das Localidades, Autoridades Comunitárias e


Tradicionais. Os Presidentes das Localidades são representantes da Administração e
subordinam-se ao Chefe do Posto Administrativo e, consequentemente, ao Administrador
Distrital, sendo coadjuvados pelos Chefes de Aldeias, Secretários de Bairros, Chefes de
Quarteirões e Chefes de Blocos.

O Distrito conta actualmente com um universo de 304 líderes comunitários, dos quais 69
do 1º escalão, 28 do 2º escalão e 197 do 3º escalão, distribuídos ao nível dos Postos
Administrativos, incluindo os 10 do Município de Manica.

4.2 Síntese das atribuições e da actividade dos órgãos distritais


Nesta secção, sem pretender ser exaustivo transcrevendo o rol de tarefas realizadas, focam-
se as principais actividades de intervenção pública directa que contribuem para o
desenvolvimento social e económico do distrito.

4.2.1 Secretaria Distrital


A Secretaria Distrital dirigida por um Secretário Permanente Distrital é o órgão do Governo
Distrital que tem como principais funções e realizou actividades no âmbito de (a) prestar
assistência técnica e administrativa ao Governo Distrital; (b) assegurar a gestão dos recursos
humanos, materiais e financeiros do Governo Distrital; (c) assistir na organização e controlo
das actividades do Governo distrital, bem como na elaboração de relatórios de análise de
actividades do Governo Distrital; e (d) garantir a assistência técnica e administrativa
necessária ao funcionamento dos postos administrativos, localidades e povoações.

Manica

PÁGINA2 0
Estrutura Orgânica da Secretaria Distrital

Secretário  Permanente
Distrital

Repartição  de  Planificação Repartição  de Repartição  de  Administração  Local Secretaria
e  Desenvolvimento  Local Finanças e  Função  Pública Geral

Fonte: MAE/DNAL.

4.2.2 Serviço Distrital de Actividades Económicas


Este Serviço é dirigido por um director e tem como funções específicas de entre outras: (a)
a promoção do uso adequado do solo e a gestão florestal; (b) o incentivo da produção
alimentar e de culturas de rendimento; (c) o fomento pecuário e a construção comunitária
de tanques carracicidas; (d) a emissão de licenças de pesca artesanal, caça e de abate, bem
como o combate a caça furtiva; (e) a promoção da piscicultura e da apicultura; (f) a
divulgação do potencial económico, industrial, turístico e cinegético local; (g) a promoção da
pequena indústria e mineração artesanal; (h) a emissão de pareceres sobre pedidos de
licenciamento de actividades económicas, licenciar actividades comerciais e emitir licenças
turísticas; (i) efectuar o recenseamento das actividades de artesanato; e (j) promover
mecanismos de financiamento das actividades produtivas.

4.2.2.1 Agricultura e Desenvolvimento Rural


Têm ocorrido disputas sobre a posse de terras no distrito de Manica, com maior ênfase na
zona do corredor da Beira e junto a fronteira com o Zimbabwe. Considerando a fertilidade
dos solos do distrito, facilmente se pode esperar a convergência de mais agricultores
interessados em cultivar a área, pelo que se pode esperar o agravamento dessas disputas e
uma maior pressão sobre os recursos.

De um modo geral, a agricultura no distrito é praticada em regime de consociação de


culturas com base em variedades locais e, em algumas regiões, com o recurso à tracção
animal e tractores.

Para fazer face à estiagem, foram introduzidas culturas tolerantes à seca, designadamente,
batata-doce de polpa alaranjada, ananaseiros, bananeiras, tendo também sido reabilitados
pequenos sistemas de regadio e aproveitamento das baixas.

Manica

PÁGINA2 1
Em circunstâncias normais, não se pode considerar crítica a situação de segurança alimentar
no distrito de Manica.

Tracção Animal

Na campanha 2010/2011, o Distrito recebeu 144 animais de tracção, dos quais 96 novilhos
e 48 novilhas, para além de 48 charruas, beneficiando 48 agricultores ao nível dos Postos
Administrativos.

Com o uso da tracção animal, a área média por família aumentou de 1,5ha para 2,5ha. O
processo de preparação de solos para o cultivo melhorou significativamente e o nível de
renda familiar aumentou, dado que foram criadas condições para o aluguer de juntas para os
outros produtores.

O uso de insumos agrícolas de qualidade e a prática de uma agricultura integrada contribuiu,


em grande medida, para o aumento dos rendimentos e dos níveis de produҫão e de
produtividade.

Disponibilidade de Insumos e Utensílios Agrícolas

O Distrito recebeu, em 2010, no âmbito do PAPA, 45 toneladas de semente de milho da


variedade PAN-67, 45 juntas de bois que beneficiaram 45 famílias em 4 Postos
Administrativos, assim como 31Kg de sementes de hortícolas diversas.

No mesmo período, foi garantido o acesso a pesticidas, fertilizantes e utensílios agrícolas


aos produtores.

Incidência de Pragas e Doenças

A incidência de pragas e doenças foi moderada e não foram reportados casos de pragas e
doenças de grande impacto.

Estratégias para incremento das áreas e produções

• Distribuição de insumos agrícolas de qualidade ao nível de todos os Postos


Administrativos (sementes de qualidade, fertilizantes e pesticidas);

• Prestação de assistência técnica através da rede de extensão agrária, uso de técnicas


agrícolas difundidas através da rede;

• Uso de tracção animal na preparação da terra.


Manica

PÁGINA2 2
Extensão Rural e Associativismo

O Distrito contava, em 2012, com 28 extensionistas, dos quais 13 da rede pública e 15 da


rede privada, distribuídos por todos os Postos Administrativos.

O rácio extensionista/produtor é de 1:481, contra 1:240 em 2010. O número total de


camponeses assistidos é de 5.287, dos quais 2.191 mulheres e 3.096 homens e 39
associações contra 36 de igual período de 2010.

Em 2012, a rede de extensão pública funcionou com 13 técnicos sendo 3 supervisores dos
quais 1 da rede e 2 das equipes de Vanduzi e Machipanda, os 10 Extensionistas distribuídos
da seguinte forma:

§ Posto Administrativo de Mavonde – 1


§ Posto Administrativo de Machipanda – 3
§ Posto Administrativo de Messica – 3
§ Posto Administrativo de Vanduzi – 3
A rede cobre um universo de 5.287 produtores sendo 3.096 Homens e 2.119 Mulheres com
117 grupos de produtores e igual número de camponeses de contacto. A mesma assiste 35
associações de produtores com 574 membros dos quais 303 Homens e 244 Mulheres,
assiste ainda produtores dispersos num total de 1.343 sendo 236 Homens e 1.107 Mulheres.

Sanidade Animal

Vacinação Obrigatória

O quadro abaixo ilustra o grau de implementação das campanhas de vacinação obrigatória.

Vacina Real
2011 2012
C. Hemático 33.750 35.300
C. Sintomático 5.218 11.657
Febre Aftosa 21.490 19.042
Raiva 3.150 2.087
Newcastle 30.350 49.557
Derm. Nodular 12.660 -
Brucelose - 1.646
Fonte: Relatório Anual do Governo Distrital de Manica, 2012

Manica

PÁGINA2 3
Banhos Parasiticidas
O quadro seguinte indica o número de banhos parasiticidas realizados durante 2012,
comparativamente a igual período do ano 2011.

Nº de Animais Banhados por ano Medicamentos


Tipo de Plano Plano Real Dif.
Banho 2011 2012 2011 2012
Imersão 120.600 250.000 209.383 235.626 +26.243 Milb. 23.75%
Pulveriz. 54.300 95.000 77.099 170.576 +93.477 Milb. 12.5%
Pour-on 1.510 4.500 3.842 4.866 +1.024 Dedline
Total 176.410 349.500 290.324 411.068 +120.744 Milb. 23.75%, 12,5%
e Dedline
Fonte: Relatório Anual do Governo Distrital de Manica, 2012

Infraestruturas Pecuárias
Produto Designação Operacionais Não Total
Operacionais
2011 2012 2011 2012
Tanques Carracicidas 15 15 04 05 20
Mangas de Tratamento 30 30 - - 30
Sub-Total 45 45 04 05 50
Privado Tanques Carracicidas 03 03 02 02 05
Mangas de Trat. 07 07 - - 07
Sub-Total 10 10 02 02 12
Total 55 55 06 07 62
Fonte: Relatório Anual do Governo Distrital de Manica, 2012

Tratamentos
Medicamentos 2011 2012
Oxtetraciclina LA 2.627 3.823
Albendazole 3.074 3.866
Berenil 1.967 2.658
Tick-grease 349 696
Afacicine 31.375 260.486
Afavite Forte 276.890 260.486
Vitamina AD3E 338.013 260.486
Tripamidium 268 95
Pen-Strepto 731 10
ESB3 11.704 32
Ferrodex - -
Terramicine 20 -
Total 667.018 792.638
Fonte: Relatório Anual do Governo Distrital de Manica, 2012

Manica

PÁGINA2 4
Aprovisionamento
Produtos Apresentação Saldo Anterior Utilizado Saldo
2011 2012 2011 2012 Final
Oxitetracicline LA Frasco 100ml - - - - -
Ricibendazol Frasco 1 litro - - - - -
Tick-Grease B. 2kg - - - - -
Tripamidium P, 1g - 100 4 4 100
Oxitetracicline 10% Frasco 100ml 3 - -30 - -
Deadline Frasco 1 litro - 38 - 2 38
Milbitraz 12,5% Em litros 52 100 237 306 100
Milbitraz 23,75% Em kg 15 9 561 96 9
Berenil P. 2,36g 200 193 200 97 193
Vitamina AD3E Frasco 250ml - - - - -
Cálcio Frasco 200ml 2 - - - -
Cyflumetrin Em litros 59 20 51 18,5 20
Pen-Strepto Frasco 100ml 3 - 78 3 -
Tilosina P. 200g - 90 - - 90
Dexametazona Frasco 100ml 10 - 10 - -
Fonte: Relatório Anual do Governo Distrital de Manica, 2012

Produção de ração
O quadro mostra as quantidades de ração produzida pela Quinta Maridza, Aviário de
Machipanda e ADAMA, durante 2009 e 2010.

Empresa Tipos/Kg Total/kg


Kg/A1 Kg/A1 Kg/A2 Kg/A2 2011 2012
Quinta Maridza 332.000 223.625 1.142.406 649.475 1.474.406 873.100
Aviário de Machipanda 68.250 11.900 163.250 22.950 231.500 34.850
Tecnoserve - 4.680 - 9000 - 13.680
Total 400.250 240.205 1.305.656 681.425 1.705.906 921.630
Fonte: Relatório Anual do Governo Distrital de Manica, 2012

Geografia e Cadastro
Indicador 2009 Real 2010
Nº de pedidos iniciais 7 15
Delimitações (ha) 1 (4.100ha)
Demarcações (ha) 511.532,9 3 (470,5)
Fiscalizações (ha) 64 17 (4.034ha)
Fonte: SDAE

Exploração Florestal
Produtos 2009 Real 2010
Carvão (m3) 450s 490s
Lenha (m3) 100 estere 200
Fonte: SDAE

Manica

PÁGINA2 5
Florestas Comunitárias existentes no distrito
Posto Localidade Povoado Área total
administrativo (ha)
Machipanda Muzongo Muzongo 2
Machipanda Sede Sede 2
Machipanda Sede Chanhamachove 2
Machipanda Maridza Penhalonga 2
Messica Chinhambudzi Sede 2
Messica Nhaucaca 25 de Setembro 2
Mavonde Sede Chimonzo 2
Mavonde Sede Nhandiro 2
Mavonde Chitunga Perai 2
Vanduzi Chigodole Sede 2
Vanduzi Sede Dengalenga 2
Vanduzi Pungué-sul Macadeira 2
Fonte: SDAE

Um Líder, Uma Floresta

No âmbito da nova abordagem presidencial “Um Líder, Uma Floresta”, importa referir que,
em 2010, foram demarcados 98 campos para a implantação de florestas com espécies
nativas, designadamente: Umbila, Panga-Panga, Canhueiro e Mutondo numa área estimada
em 196ha, de acordo com o número de líderes existentes no distrito.

Reflorestamento

Em 2010 foram produzidas 30.000 mudas de plantas, das 15.000 planificadas, o que
corresponde a um sobre cumprimento do plano, por forma a cumprir a orientação
presidencial.

Viveiros

Nesta componente, em 2010, foram distribuídas 1.000 mudas de acácias às Escolas de Jécua
– EPC Eduardo Mondlane e Hospital Distrital de Manica, e enxertadas 50 mudas de
laranjeiras e 6.000 mudas de limão rugoso, no âmbito do programa de relançamento dos
citrinos.

Fiscalização

Em 2010 foram desencadeadas acções de Fiscalização Florestal e Faunística, tendo sido


apreendidos 60 sacos de carvão vegetal e passados dois avisos de multas.

No mesmo período, foi realizada uma fiscalização nos postos fixos de Machipanda e
Vandúzi-balançam, tendo em vista a actualização de dados estatísticos em Manica

PÁGINA2 6
relação aos produtos em trânsito, para além da realização de 4 consultas comunitárias para a
exploração de madeira.

Conflito Homem Fauna Bravia

Em 2010 registaram-se 5 casos de conflito homem e fauna bravia. Em Messica, há a registar


a morte de uma criança, vítima de ataque de crocodilos.

Registou-se, ainda, 1 caso de devastação de culturas por hipopótamos nas margens do rio
Pùnguè, Localidade de Pùnguè-sul, Posto Administrativo de Vandúzi. Para reduzir o
impacto negativo provocado por estes ataques, foram abatidos 3 crocodilos e afugentados
os hipopótamos.

4.2.2.2 Indústria, Comércio e Turismo


Inspecção das actividades

Em 2010, foram inspeccionados 8 estabelecimentos comerciais e 2 industriais, sendo que da


inspecção realizada foi constatado o seguinte: diminuição das quantidades de farinha de
trigo na fabricação do pão; não afixação de alvarás; trabalhadores sem uniforme; produtos
fora de prazo; padarias que não utilizam sal iodado no fabrico dos seus produtos, como
recomendado; más condições de higiene na sala de produção; e falta de extintores para
combate a incêndios.

Perante estas constatações, foram estabelecidos prazos máximos de 15 dias para que os seus
proprietários ponham cobro a estas irregularidades.

Foi verificado que até final de 2011 todos os estabelecimentos haviam cumprido, na íntegra,
as recomendações dadas.

No mesmo período, foram identificados os seguintes estabelecimentos em processo de


construção e ampliação:
• Vumba Lodge (ampliação),
• Amilcar – Bairro 25 de Setembro, com uma capacidade instalada de 13 quartos;
• Amónica Cardoso - EN7, Km1 Vandúzi, com capacidade instalada de 16 quartos;
• Mourão - EN7, Vandúzi Sede, 4 quartos e uma discoteca; e
• Motel Garuzo (ampliação) em Messica, 15 quartos.

Manica

PÁGINA2 7
Rede de Estabelecimentos Industriais e Comerciais

No que toca a evolução da rede industrial, registou-se um crescimento em 2012, pois,


entrou em funcionamento uma indústria de produção de painéis e de serração de madeira
(IFLOMA) em Messica e uma de panificação (Padaria e Pastelaria) contra uma no ano de
2011. Ainda em 2012, registou-se o encerramento de uma unidade de produção de sumos
sem gás e fruta gelo (empresa bom-bom) contra uma no ano de 2011.

Indústria de Micro Dimensão

Em 2011 deram entrada 5 novos pedidos para licenciamento de actividades, tendo sido
autorizadas as seguintes unidades: 1 Serralharia, 3 moageiras e 1 Matadouro de Aves
(reabertura), contra os 4 pedidos de licenciamento apresentados em 2010, o que
corresponde a um crescimento na ordem de 20%. Estas indústrias empregavam 14 pessoas.

Durante 2012, deram entrada 12 pedidos de abertura, dos quais: cinco carpintarias (4 na
cidade de Manica e 1 no Posto Administrativo de Messica), uma serralharia (Cidade de
Manica), oito moageiras (3 em Messica, 1 em Mavonde e 4 na Cidade de Manica) e uma
unidade de processamento de leite no Posto Administrativo de Vanduzi contra seis do ano
de 2011.

Comércio

Em 2011, foram tramitados 31 pedidos de licenciamento, sendo 1 grossista, 19 retalhistas e


1 para prestação de Serviços, contra 12 pedidos de 2010, o que corresponde a um
crescimento de 61.2%.

Em 2012 entraram em funcionamento 18 novos comerciantes, dos quais 4 são grossistas, 1


agente de comercialização agrícola, tendo-se criado 65 postos de trabalho com um
investimento no valor de 3.030.500,00Mt, contra 42 em 2011.

Comercialização Agrícola

Durante o ano de 2012, foram comercializadas 203.962,2 Toneladas de produtos diversos,


contra 169.968,5 Toneladas no ano de 2011, correspondendo a um crescimento em 20%.
Em relação ao plano de 2012 (183.565,98 Toneladas), houve um crescimento em 11,1%.
Esta subida deveu-se a uma maior comercialização de: Bata Reno, Cebola e Tomate.

Manica

PÁGINA2 8
4.2.3 Serviço Distrital de Educação, Juventude e Tecnologia
Este Serviço é dirigido por um director e tem como funções específicas de entre outras: (a)
garantir o funcionamento de estabelecimentos de ensino, formação de professores,
alfabetização, educação de adultos e educação não formal; (b) realizar estudos sobre cultura,
diversidade cultural, valores locais e línguas nacionais; (c) promover o fabrico de
instrumentos musicais tradicionais; (d) incentivar o desenvolvimento de associações juvenis,
bem como promover iniciativas geradoras de emprego, auto emprego e outras fontes de
rendimento dos jovens; e (e) promover o uso de novas tecnologias.

4.2.3.1 Educação
Da população do distrito 69% é alfabetizada e 75% das pessoas com 5 anos ou mais de
idade, predominantemente homens, frequentam ou já frequentaram o nível primário do
ensino. A análise por sexos revela um padrão melhor entre os homens do que nas mulheres.

Quadro 14. População com 5 anos ou mais, e frequência escolar


P O P U L A Ç Ã O Q U E:
FREQUENTA FREQUENTOU NUNCA FREQUENTOU
Total Homens Mulheres Total Homens Mulheres Total Homens Mulheres
Total 38.3% 41.8% 34.8% 37.1% 40.9% 33.3% 24.6% 17.2% 31.9%
P.A. da Cidade de Manica 43.4% 45.1% 41.7% 43.1% 45.4% 40.9% 13.5% 9.6% 17.5%
P. A. de Machipanda 41.9% 45.3% 38.4% 42.1% 42.7% 41.5% 16.0% 12.0% 20.1%
P.A. de Messica 40.8% 45.0% 36.6% 36.1% 39.6% 32.6% 23.1% 15.4% 30.7%
P.A. de Mavonde 30.8% 34.1% 27.5% 33.6% 39.0% 28.2% 35.6% 27.0% 44.3%
P.A. de Vanduzi 33.7% 37.9% 29.6% 32.0% 38.9% 25.3% 34.2% 23.2% 45.1%
Fonte: Instituto Nacional de Estatística, Dados do Censo de 1997.
A análise do nível de ensino frequentado pela população que actualmente atende a escola,
revela uma concentração significativa no nível primário de ensino.

Quadro 15. População de 5 anos ou mais, por nível de ensino


NÍVEL DE ENSINO QUE FREQUENTA
Total AEA EP1 EP2 ESG1 ESG2 Técnico Superior
TOTAL 100.0% 1.3% 64.1% 18.9% 12.7% 2.6% 0.4% 0.2%
5 - 9 anos 100.0% 0.3% 99.7% 0.0% 0.0% 0.0% 0.0% 0.0%
10 - 14 anos 100.0% 0.3% 78.6% 19.1% 2.0% 0.0% 0.0% 0.0%
15 - 19 anos 100.0% 0.9% 22.8% 41.8% 31.3% 2.8% 0.4% 0.1%
20 - 24 anos 100.0% 2.8% 6.7% 18.9% 50.2% 18.2% 2.2% 1.0%
25 e + anos 100.0% 15.1% 19.7% 19.1% 28.3% 13.2% 2.4% 2.3%
HOMENS 100.0% 0.6% 60.3% 20.1% 15.1% 3.2% 0.5% 0.3%
MULHERES 100.0% 2.0% 68.5% 17.4% 9.9% 1.9% 0.2% 0.1%
EP1 - 1º a 5º anos; EP2 - 6º e 7º anos; ESG I - 8º a 10º Anos; ESG2 - 11º e 12º Anos; ET – Ensino técnico; CFP – Curso de
formação de professores; AEA -Alfabetização e educação de adultos.
Fonte: Instituto Nacional de Estatística, Dados do Censo de 2007.

Manica

PÁGINA2 9
Figura 5. População (5 anos ou mais) por grau de ensino frequentado
ESG2,  2,6%   Técnico,  0,4%   Superior,  0,1%   Alfab.,  1,3%  

ESG1,  12,7%  

EP2,  18,9%  
EP1,  64,1%  

Fonte de dados: Instituto Nacional de Estatística, Dados do Censo de 2007.

Um aspecto importante é a observação das taxas de escolarização bruta e líquida. A


primeira taxa calcula-se dividindo o total de alunos de um determinado nível de ensino
(independentemente da idade) pela população do grupo etário correspondente à idade
oficial para o referido nível16. Para calcular a segunda taxa, divide-se o total de alunos cuja
idade coincide com a idade oficial para o nível pela população do grupo etário
correspondente a esse nível. Estas são as medidas mais comuns para estimar o
desenvolvimento quantitativo do sistema educativo.

Quadro 16. Taxas de escolarização


Taxa  Líquida  de  
Taxas  de  
Taxa  Bruta  de  Escolarização   Escolarização  
escolarização  
TOTAL   H   M   TOTAL   H   M  
EP1   129.8 133.0 126.6 71.6 71.4 71.9
EP2   110.0 129.7 91.1 12.1 12.0 12.2
ESG1   53.8 67.4 39.4 6.9 6.7 7.2
ESG2   17.8 23.9 11.8 1.2 1.4 1.0
Fonte: Instituto Nacional de Estatística, Dados do Censo de 2007
.
Como se pode observar, a taxa bruta de escolarização do Ensino Primário do 1º Grau é de
130%, o que indica um elevado nível de cobertura escolar neste nível. Atendendo a que a
idade ideal para frequentar o EP1 é de 6 a 10 anos (para terminar este nível sem nenhuma
reprovação), este indicador acima dos 100% reflecte a entrada tardia na escola, a reprovação
e desistência escolar, levando a que exista um elevado número de alunos no EP1, com
idades superiores a 10 anos.

Manica
16EP1 – 6 a 10 anos; EP2 – 11 a 12 anos; ESG1 – 13 a 15 anos; ESG2 – 16 a 17 anos; Superior – 18 a 22 anos.
PÁGINA3 0
Efectivamente, a taxa líquida de escolarização no EP1 confirma aquele facto ao indicar que
72% das crianças de 6 a 10 anos frequentam o nível de ensino correspondente a sua idade,
neste caso o EP1, e que somente 12% das crianças de 11 a 12 anos frequentam o nível de
ensino correspondente a idade, o EP2. Em geral, os rapazes apresentam melhores
indicadores.

A situação global descrita reflecte, para além de factores socioeconómicos, o facto de a rede
escolar existente e o efectivo de professores, apesar de terem vindo a evoluir a um ritmo
significativo, serem insuficientes, o que é agravado por baixas taxas de aproveitamento e
altas taxas de desistência em algumas localidades do distrito, devido ao facto de haverem
muitos casamentos prematuros e emigração de jovens.

Quadro 17. Escolas, alunos e professores, 2012


NÍVEIS DE ENSINO N.º de N.º de Alunos
Escolas M HM
TOTAL DO DISTRITO 110 31.657 70.866
EP1 59 24.355 49.982
EP2 44 5.524 11.949
ESG I 3 3.370 7.470
ESG II** 3 562 1.465
ITP- Chigodole* 1 - -
Fonte: Administração do Distrito e Direcção Provincial da Educação
EP1 - 1º a 5º anos; EP2 - 6º e 7º anos; ESG I - 8º a 10º Anos.
*Está a funcionar no Distrito de Gondola porque as instalações ainda não estão concluídas.
**Trata-se de escolas que leccionam da 8ª a 12ª classe. Os efectivos da 8ª a 10ª nestas escolas estão inclusos na
ESG1.

Em termos de grau de ensino concluído, constata-se que do total de população com 10 anos
ou mais de idade, só 44% concluiu algum nível de ensino, na sua maioria o nível primário.

Quadro 18. População de 10 anos ou mais, por nível de ensino concluído


NÍVEL DE ENSINO CONCLUÍDO
TOTAL Alfab. Primário Secund. Técnico C.F.P. Superior Nenhum
TOTAL 44.3% 0.1% 36.3% 7.4% 0.3% 0.1% 0.1% 55.7%
10 - 14 anos 21.8% 0.0% 21.2% 0.7% 0.0% 0.0% 0.0% 78.2%
15 - 19 anos 64.4% 0.1% 58.8% 5.5% 0.1% 0.0% 0.0% 35.6%
20 - 24 anos 63.0% 0.1% 49.1% 13.4% 0.2% 0.2% 0.0% 37.0%
25 - 29 anos 54.5% 0.2% 41.3% 12.2% 0.4% 0.3% 0.1% 45.5%
30 e + anos 36.0% 0.3% 27.0% 7.9% 0.4% 0.2% 0.2% 64.0%
HOMENS 54.2% 0.1% 43.6% 9.8% 0.4% 0.2% 0.1% 45.8%
MULHERES 34.6% 0.2% 29.2% 5.0% 0.1% 0.1% 0.0% 65.4%
Fonte: Instituto Nacional de Estatística, Dados do Censo de 2007.

Manica

PÁGINA3 1
Figura 6. População (10 anos ou mais) por grau de ensino concluído

Alfab.,  0,1%  

Primário,  36,3%  

Nenhum,  55,7%  

Secund.,  7,4%  

Técnico,  0,3%  
Superior,  0,1%   C.F.P.,  0,1%  

Fonte: Instituto Nacional de Estatística, Dados do Censo de 2007.

Ensino Técnico Profissional, Ciência e Tecnologia

§ Criado o banco de dados dos graduados da 7ª classe de 2011, com a média final igual ou
superior a 12 valores, para o futuro enquadramento nos cursos de formação.

§ Fez-se o levantamento dos graduados da 7ª classe/2011 com média igual ou superior a 16


valores, sendo de sexo feminino, a fim de constituir o banco de dados.

§ Realizou-se a supervisão e apoio técnico sobre os jogos de raciocínio lógico na EPC


Nhancuarara ;

§ Fez-se a actualização de 7 inovadores sendo 2 da ZIP de 25 de Set. Chimedza, 2 da ZIP


de lore e 3 da comunidade de Chua.

§ Compilou-se dados recolhidos sobre os conhecedores da medicina tradicional-12,


inovadores- 15 sendo 5 do Posto administrativo de Vanduzi, 2-Machipanda e 8 do Posto
administrativo de Messica;

§ Fez-se o levantamento de 513 alunos que irão realizar o teste indicador de Matemática nas
ESGs Machipanda, Chinhamapere, Jécua, Manhene, Vanduzi e Sonja Uster

§ Identificou-se 3 inovadores

§ Deslocou-se a Chua afim de verificar o local para a visita de sua Excia. Ministro de
Ciência e Tecnologia;

Manica

PÁGINA3 2
§ Acompanhou-se a visita de sua Excia Ministro de Ciência e Tecnologia no dia 21 de
Junho do ano em curso onde visitou a moagem hídrica do senhor Lino Ndacada no
Posto administrativo de Machipanda no povoado de Chua;

§ Recebeu-se a brigada Provincial de Ciência e Tecnologia e acompanhou ao SDAE afim de


divulgar o fundo existente para formação de agricultores e técnicos ligados a área por
fases;

§ Recolheu-se dados sobre a expansão da rede dos telemóveis dos Postos administrativos
de Machipanda e Mavonde

§ Deslocou-se para o Instituto de Formação de Professores de Chibata afim de auscultar os


cursos ministrados no Instituto Profissional de Chigodole;

§ Promoveu-se jogos de xadrez, sudoku, Puzzle, palavras cruzadas nas EPCs de Eduardo
Mondlane, 7 de Abril, Vumba e EP2 Manica evolvendo 40 alunos sendo 10 para cada
escola;

§ Compilou-se dados sobre 513 alunos inscritos para testes indicadores de Matemática para
os cientistas Moçambicanos do amanhã;

§ Participou-se no seminário do âmbito da implementação da estratégia da ciência,


tecnologia e inovação para divulgação do programa do inovador Moçambicano nos dias 8
e 9 de Maio no Hotel Inter Chimoio;

§ Divulgou-se as orientações transversais sobre inovações, ciência, tecnologia e pessoas


com conhecimentos tradicionais com um impacto na comunidade aprendidos no
seminário;

§ Identificou-se 4 inovadores do Bairro 7 de Abril que não tinham B.I.s;

§ Recebeu-se uma brigada Provincial e Nacional de ciência e Tecnologia a fim de visitar 4


inovadores do Bairro 7 de Abril e pessoas com conhecimento tradicional e pequena
indústria hídrico no povoado de Chua.

4.2.3.2 Cultura e Juventude


Na área da cultura existem vários grupos que praticam diverso tipo de danças e cânticos
típicos de toda a região.

Manica

PÁGINA3 3
No concernente à juventude, destaca-se a existência de grupos activistas e associações
juvenis que de dedicam a motivar boas práticas entre os seus concidadãos.

Em 2011 foram realizadas as seguintes actividades:

• Realizaҫão de duas acҫões de supervisão nas bibliotecas escolares de Jécua,


Chihamapere, Machipanda, Vanduzi e Eduardo Mondlane e o levantamento de dados
mensais;

• Divulgação do VI Festival Nacional de Cultura, a nível de todos os Postos


Administrativo e Localidades;

• Aquisiҫão de 50 batuques para o VI Festival Nacional da Cultura;

• Preparação e realização do VI Festival Nacional da Cultura, desde a sua fase inicial nas
povoações, até à fase nacional, tendo estado envolvidos 557 artistas;

• Limpeza nos locais históricos.

De entre várias actividades realizadas durante 2012, destacam-se:

ü Levantamento de dados dos leitores nas Bibliotecas escolares e Pública do Distrito,


onde foram registados 9.669 leitores dos quais 5.416 são homens e 4.243 são as
mulheres;
ü Distribuição de 73 fichas de classificação dos grupos culturais
ü Preparação e realização do VII Festival Nacional de Cultura fase da localidade e
tendo apurado 64 grupos de diferentes expressões culturais para a fase do Posto
Administrativo.
ü Recebidos 16 alunos da cidade de Chimoio (alunos da ESG-Samora Machel, ESG-
Eduardo Mondlane, Escola Secundária American Board e EPC-Amilcar Cabral-
Chimoio) e 38 das escolas da cidade de Manica no dia 18 de Maio, dia Internacional
dos Museus a fim de visitar o Museu da Geologia, Biblioteca Pública Distrital,
Pinturas Rupestres de Chinhamapere em companhia de 4 Técnicos dos quais 2 da
DPEC, 1 do Museu e 1 do SDEJT-Manica;
ü Garantida a realização do VII Festival Nacional de Cultura na Fase Distrital no dia 5
de Maio onde fizeram parte deste evento 33 expressões culturais de diferentes
Postos administrativos. Neste contexto, foram apurados 5 grupos para a fase
Provincial (Manjoze, Macuaia, 2 grupos de gastronomia e
Manica
artesanato);
PÁGINA3 4
ü Garantida a realização de troca de experiências no dia internacional dos Museus
entre a Brigada da DPEC com as duas Escolas Secundárias (Jécua e Chinhamapere);
ü Recebidos 367 livros enviados da Biblioteca Pública Provincial para incrementar os
livros existentes na Biblioteca Pública Distrital de Manica;
ü Garantida a realização de jogos tradicionais na fase distrital;
ü Tramitados diversos documentos dos quais, de visita as pinturas Rupestres de
Chinhamapere;
ü Preenchidas as fichas de inquérito de MICULT.(Ministério da Cultura)
ü Elaborado o informe sobre o VII Festival Nacional de Cultura decorrido em
Nampula.
ü Visitadas 5 associações da Cidade de Manica (AJOMA, PAC, SAJ-Manica, ADJC-
Manica
ü Compilados os dados dos atletas apurados para a fase provincial que decorreu no
dia 4 de Julho na Cidade de Chimoio;
ü Garantida a preparação e recepção da Sua Excelência Senhora Governadora da
Província de Manica na Cidade de Manica, Posto administrativo de Machipanda e
Messica;
ü Garantida a visita às Pinturas Rupestres de Chinhamapere pelos Jovens crentes da
Igreja adventista 7º dia no dia 20 de Julho e também 20 alunos e com respectivos
docentes no Instituto Profissional de Chigodole no dia 24 de Julho de 2012;
ü Garantida a visita de estudo à pintura Rupestre de Chinhamapere de 161 alunos da
EPC – Sembezea e ADPP de Chimoio, onde igualmente visitaram a piscina olímpica
de Manica e o museu de Geologia e Minas.
ü Garantida a visita de 15 estudantes da Universidade Eduardo Mondlane de Maputo
às pinturas Rupestres e a Biblioteca Distrital

Juventude

ü Realizado um encontro com a Associação Juvenil para a divulgação da mensagem


sobre o HIV/SIDA, promovido pela OCODEMA nas instalações do Clube
Desportivo.
ü Garantido o envolvimento de 6 jovens activistas da geração BIZ na campanha
distrital de pulverização contra o mosquito causador da malária;

Manica

PÁGINA3 5
ü Realizado um encontro de âmbito distrital com 47 Jovens do Distrito no dia 17 de
Maio na sala de Sessões da Assembleia Municipal. Este encontro foi orientado pelos
técnicos das Direcções Provinciais de Juventude e Desporto, do Plano e Finanças e
Conselho Provincial da Juventude onde foram debatidos diversos assuntos sobre
Fundo do Desenvolvimento do Distrito (FDD), habitações para os jovens e
assuntos ligados a tecnologias;
ü Feito o acompanhamento de ocupações da sala de Cinema do Pavilhão dos
Desportos de Manica com o fim de realizar concursos culturais de 2 grupos de
jovens da ESG Jécua e um da ESG-Chinhamapere (Miss, competição dos DJs,
concurso 1 de Junho e preparação de baile);
ü Compilados os dados das competições da fase das localidades e dos Postos
administrativos.
ü Realizadas palestras nas Escolas Secundarias de Jécua, Machipanda e Chinhamapere
respectivamente, pela ocasião do dia 12 de Agosto (Dia Internacional da Juventude).
ü Garantida a comemoração do dia 12 de Agosto (Dia Internacional da Juventude).

Desporto

§ Realizada a reunião técnica e seminário de capacitação de 26 agentes desportivos,


promovido pela Direcção Provincial da Juventude e Desporto de Manica, na Sala de
Sessões do Conselho Municipal da Cidade de Manica;
§ Feito o acompanhamento de actividades desportivas semanais. Neste evento,
fizeram parte as equipas do Desportivo de Manica, Liga Muçulmana de Chimoio e a
Equipa de Messica;
§ Programado e realizado um jogo de futebol no campo do CMCM da cidade de
Manica entre as alfândegas de Moçambique e da Republica do Zimbabwe em
comemoração do dia internacional das alfândegas.
§ Enviados 17 comunicados oficiais sobre o campeonato dos funcionários (OMM da
Cidade) nas instituições públicas e privadas;
§ Feita a visita das instalações desportivas nomeadamente a Piscina Olímpica,
Pavilhão dos Desportos de Manica e Campo Municipal e clube Desportivo de
Manica.
§ Garantido o início dos jogos inter-escolas fase das ZIPs envolvendo 47 escolas das
quais 7 ESG`s e 40 EPC`s
Manica

PÁGINA3 6
§ Incentivada a realização do campeonato de Futsal ou seja campeonato dos
funcionários do Estado com a designação” 50 anos da fundação da Frelimo” que
está decorrendo no Pavilhão dos Desportos de Manica;
§ Garantida a realização de um curso de formação dos treinadores e árbitros na
modalidade de voleibol através da Associação Provincial de Voleibol onde fizeram
parte 25 participantes (professores e desportista da base comunitária);
§ Acompanhada a realização das fases dos Postos Administrativos do campeonato de
futebol onze;
§ Feito o acompanhamento das selecções distritais para se prepararem para o
campeonato provincial das modalidades de voleibol, andebol, atletismo e futebol
onze;
§ Visitadas as Instalações Desportivas existentes no Distrito nomeadamente a Piscina
Olímpica de Manica, campo do CMCM, Pavilhão dos Desportos de Manica, novo
campo da ESG - Jécua e projecto FUT-ECO Desportivo de Manica;
§ Participação na Comissão Distrital da realização da feira de saúde na componente de
eventos Desportivos;
§ Dado início à actualização de dados das Associações Juvenis beneficiárias do Fundo
de Estado FAIJ (Fundo para Associações de iniciativas de jovens).

4.2.4 Serviço Distrital de Saúde, Mulher e Acção Social


Este Serviço é dirigido por um director e tem como funções específicas de entre outras: (a)
assegurar o funcionamento das unidades sanitárias e incentivar a medicina tradicional; (b)
promover acções de apoio e protecção da criança, da pessoa portadora de deficiência e do
idoso; (c) desenvolver acções de prevenção da violência doméstica e de abuso de menores; e
(d) promover a igualdade e equidade do género.

4.2.4.1 Saúde
A rede de saúde do distrito inclui 20 unidades sanitárias e, apesar de estar a evoluir a bom
ritmo, é insuficiente, evidenciando os seguintes índices de cobertura média:
Uma unidade sanitária por cada 12.850 mil pessoas; e
Um profissional técnico para cada 958 residentes no distrito.

Manica

PÁGINA3 7
O Distrito tem 20 Unidades Sanitárias funcionando com 268 funcionários. A consulta
médica é realizada no Hospital Distrital de Manica e Centro de Saúde de Vanduzi pelos
médicos e nos Centros de Saúde de Machipanda e Messica pelos Técnicos de Medicina
Geral.

A Direcção Distrital de Saúde distribui regularmente por cada Centro de Saúde “Kits A e B”
e pelos Postos de Saúde “Kits B”. A tabela seguinte apresenta, para o ano de 2003, a
posição de alguns indicadores que caracterizam o grau de acesso e de cobertura dos serviços
do Sistema Nacional de Saúde.

Quadro 19. Indicadores de cuidados de saúde, 2011


Indicadores
Consulta Pré Natal 17.486
Partos 8.625
Consulta Pós Parto 11.189
Consulta às Crianças de 0-11 Meses 10.373
Consulta às Crianças de 1-4 Anos 12.237
Planeamento Familiar 12.415
Fonte: SDSMAS

De referir ainda a existência de vários programas de cuidados de saúde primários a vários


níveis que denotam uma evolução positiva nos últimos anos, nomeadamente:
• Saúde ambiental: Esta actividade está sendo realizada em todas as unidades sanitárias,
bem como em brigadas móveis e nos locais de interesse público
• Saúde Ocupacional: Realizadas visitas de trabalho as empresas para vacinação aos
trabalhadores, bem como a todos os outros que manipulam géneros alimentícios
• Saúde reprodutiva
• Saúde Infantil, Nutrição, Saúde Escolar
• Suplementação de Vitamina ‘A’
• Programa alargado de vacinação
• Saúde Mental.

O quadro epidémico do distrito é dominado pela malária, diarreia e DTS e SIDA que, no
seu conjunto, representam quase a totalidade dos casos de doenças notificados no distrito.

Manica

PÁGINA3 8
Figura 7. Quadro epidémico, 2011

60000   55644  

50000  

40000  

30000  

20000   12338  
8862  
10000   2365  
155  

0  
Malária     Raiva     Diarreia     Disenteria     HIV/SIDA  
Fonte: Relatório de apresentação do Governo Distrital de Manica, 2011

4.2.4.2 Acção Social


No distrito existem, segundo os dados do Censo de 2007, cerca de 20 mil órfãos (na sua
maioria órfãos de pai e entre os 10 e 14 anos de idade) e cerca de 3.800 pessoas portadoras
de deficiência (89% com debilidade física e 11% com doenças mentais).

Quadro 20. População de 0-14 anos, por condição de orfandade, 2007


    População   Órfão  de:  
    0-­‐14  anos   Total   Mãe   Pai   Pai  e  Mãe  
Total   100.0% 19.5% 5.1% 11.8% 2.6%
 -­‐  Homens   100.0% 19.7% 5.1% 11.9% 2.7%
 -­‐  Mulheres   100.0% 19.2% 5.0% 11.7% 2.5%
Grupos  etários:  
   -­‐  0  a  4  anos   100.0% 6.8% 1.5% 4.9% 0.5%
   -­‐  5  a  9  anos   100.0% 20.0% 5.1% 12.4% 2.4%
   -­‐  10  a  14  anos   100.0% 37.4% 10.3% 21.2% 5.9%
Fonte: Instituto Nacional de Estatística, Dados do Censo de 2007.

Quadro 21. População deficiente, 2007


População Sem Com deficiência
Grupos de Idade
Total Deficiência Total Física Mental
Total 100.0% 98.2% 1.8% 1.6% 0.2%
0 - 14 100.0% 99.2% 0.8% 0.7% 0.1%
15 - 44 100.0% 98.1% 1.9% 1.7% 0.2%
45 e mais 100.0% 94.1% 5.9% 5.7% 0.3%
Fonte: Instituto Nacional de Estatística, Dados do Censo de 2007.

Manica

PÁGINA3 9
A tabela seguinte apresenta a distribuição percentual das 3.800 pessoas portadoras de
deficiência, segundo a causa.

Quadro 22. População portadora de deficiência, segundo a causa


TOTAL Física Mental
Total 100.0% 100.0% 100.0%
À nascença 18.5% 17.2% 31.1%
Doença 45.5% 44.4% 56.1%
Minas/Guerra 3.7% 4.0% 0.6%
Serviço Militar 4.6% 4.7% 3.4%
Acidente de Trabalho 8.0% 8.7% 0.6%
Acidente de Viação 5.3% 5.6% 1.7%
Outras 14.5% 15.3% 6.6%
Fonte: Instituto Nacional de Estatística, Dados do Censo de 2007.
A integração e assistência social a pessoas, famílias e grupos sociais em situação de pobreza
absoluta, dá prioridade à criança órfã, mulher viúva, idosos e deficientes, doentes crónicos e
portadores do HIV-SIDA, toxicodependentes e regressados. Tem existido coordenação das
acções de algumas organizações não governamentais, associações e sociedade civil,
promovendo a criação de igualdade de oportunidade e de direito entre homem e mulher
todos aspectos de vida social e económica, e a integração, quando possível, no mercado de
trabalho, processos de geração de rendimentos e vida escolar.

Quadro 23. Actividades da Repartição de Mulher e Acção Social


2011 2012
ACTIVIDADES
M F Total M F Total
Assistência Pré-Escolar 345 158 503 142 115 257
Número de escolinhas comunitárias 0 0 10 0 0 10
COVs integrados na família substituta 0 0 0 1 2 3
COVs integrados na família própria 0 2 2 2 3 5
COVs assistidos no projecto de geração de rendimento 862 507 1.369 478 372 850
Número de centros abertos 0 0 0 0 0 1
Apoio psico-social 439 371 810 239 371 610
Apoio social directo 293 409 702 304 438 742
Supervisões técnicas às escolinhas 0 0 22 0 0 2
Atestado de pobreza 0 0 54 0 0 101
Criança chefe de família 0 0 5 1 3 4
Fonte: Relatório Anual do Governo Distrital de Manica, 2012

Manica

PÁGINA4 0
Quadro 24. Área do Idoso e deficiência
2011 2012
ACTIVIDADES
M F MF F M MF
Números de idoso no programa de subsidio e alimentos 1.027 1.992 3.106 1.027 1.992 3.106
Número de novos idosos inqueridos 0 0 0 0 0 220
Número de idosos integrados na família 0 0 0 4 2 6
Número de pessoas deficientes inqueridas 10 11 22 12 13 25
Número de beneficiários em meio de auxilio 0 0 0 8 4 12
Visitas domiciliarias efectuadas 39 38 77 0 0 36
Idosos assistidos na cidade 249 491 740 249 491 740
Idosos assistidos no posto administrativo de Machipanda 240 255 395 240 255 395
Idosos assistidos no posto administrativo de Messica 388 708 1.095 388 708 1.095
Idosos assistidos no posto administrativo de Mavonde 76 188 264 76 188 264
Idosos assistidos no posto administrativo de Vanduzi 174 344 521 174 344 521
Idosos Chefes de Agregados familiares 0 7 7 0 0 0
Número de palestras direito idoso e PPDS 0 0 15 0 0 4
Fonte: Relatório Anual do Governo Distrital de Manica, 2012

Quadro 25. Área da Mulher


2011 2012
ACTIVIDADES
M F TOTAL F M TOTAL
Número de projecto de geração de rendimento 8 7 14 6 3 9
Número de mulheres beneficiárias 217 350 567 217 350 567
Fonte: Relatório Anual do Governo Distrital de Manica, 2012

4.2.4.3 Género
O distrito tem uma população estimada de 257 mil habitantes - 129 mil do sexo feminino -
sendo 15% dos agregados familiares do tipo monoparental chefiados por mulheres.
Ao nível do distrito tem-se privilegiado a coordenação das acções de algumas organizações
não governamentais, associações e sociedade civil, promovendo a criação de igualdade de
oportunidades e direitos entre sexos em todos aspectos de vida social e económica, e a
integração da mulher no mercado de trabalho, processos de geração de rendimentos e vida
escolar.
Esta coordenação recorre a mecanismos de troca de informação, diálogo e concertação da
acção, evitando a sobreposição de actividades e racionalizando recursos de forma a
melhorar a eficácia e eficiência das acções governamentais e das iniciativas da comunidade e
do sector privado.
Tendo por língua materna dominante o Xitshwa, 54% das mulheres do distrito com 5 ou
mais anos de idade têm conhecimento da língua portuguesa, sendo este domínio mais
acentuado nos homens (72%), dada a sua maior inserção na vida escolar e
no mercado de trabalho. A taxa de analfabetismo na população feminina é Manica

PÁGINA4 1
de 45%, sendo de 17% no caso dos homens. Das mulheres do distrito com mais de 5 anos,
32% nunca frequentaram a escola (no caso dos homens só 17% nunca estudaram) e 29%
concluíram o ensino primário (no caso dos homens, 44% terminaram o primário).

Figura 8. Indicadores de escolarização por sexos


72%  
Homens  
54%   Mulheres  
45%   44%  
32%   29%  
17%   17%  

Taxa  de   Sabe  falar  Português   Sem  frequencia   Ensino  primário  


analfabegsmo   escolar   concluído  

Fonte: Instituto Nacional de Estatística, Dados do Censo de 2007.

No que diz respeito ao acesso a novas tecnologias também se verifica um desequilíbrio


acentuado entre sexos, como se pode deduzir da tabela seguinte.

Quadro 26. Uso de novas tecnologias (10 anos ou mais)


    Número de pessoas que usou: % de pessoas
    Computador Internet c/ Telemóvel
Total   0.8%   0.3%   9.4%  
 -­‐  Homens   1.3%   0.5%   15.5%  
 -­‐  Mulheres   0.2%   0.1%   3.4%  
Fonte: Instituto Nacional de Estatística, Dados do Censo de 2007.

No tocante a actividade económica, de um total em 2012 de 129 mil mulheres, 68 mil estão
em idade de trabalho (mais de 15 anos), das quais 36 mil são economicamente activas17. A
população não economicamente activa de mulheres com 15 anos ou mais (47%) é
constituída principalmente por senhoras domésticas (32%) e estudantes a tempo inteiro
(10%). O nível da participação no trabalho nas mulheres (53%) é inferior aos homens -70%.

17 Segundo recomendações internacionais, a PEA é considerada como a população que participa na actividade económica e que tenha 15Manica
anos de idade
e mais. Dito por outras palavras, a PEA compreende as pessoas que trabalham (ocupadas) e as que procuram activamente um trabalho (desocupadas),
incluindo aquelas que o fazem pela primeira vez.
PÁGINA4 2
Figura 9. População (15 anos ou mais), segundo a actividade e sexo
Trabalha,   Trabalha,  
61,4%   69,7%   Trabalha,  
53,3%  
Domésgco(a),  
Domésgco(a),   32,0%  
19,1%  
Só  estuda,   Só  estuda,  
13,6%   17,5%   Só  estuda,  
Domésgco(a),   9,8%  
6,1%  

Total   Homem   Mulher  


Fonte: Instituto Nacional de Estatística, Dados do Censo de 2007.

A distribuição das mulheres economicamente activas residentes no distrito de acordo com a


posição no processo de trabalho e o sector de actividade é a seguinte:
Cerca de 73% são trabalhadoras agrícolas, familiares ou por conta própria;
16% são comerciantes, artesãs, ou empresárias; e
As restantes 11% são, na maioria, trabalhadoras do sector de serviços, incluindo
empregadas do sector comercial formal e informal.
Figura 10. População18 segundo a posição no trabalho e sexo
Mulher,  73,3%  

Homem,  40,9%  
Homem,  33,5%  

Mulher,  16,4%  
Homem,  13,7%  
Homem,  11,1%  
Mulher,  8,2%   Homem,  0,8%  
Mulher,  0,3%   Mulher,  1,8%  

Assalariados   Comerciantes  e  artesaos   Camponeses   Empresarios   Outras  


Fonte: Instituto Nacional de Estatística, Dados do Censo de 2007.

4.2.5 Serviço Distrital de Planeamento e Infraestruturas


Este Serviço é dirigido por um director e tem como funções específicas de entre outras: (a)
elaborar propostas de Plano de Estrutura e de Ordenamento Territorial; (b) promover a
construção de fontes de abastecimento de água potável bem como a gestão dos respectivos
sistemas de abastecimento; (c) assegurar, em colaboração com outras entidades, a

Manica
18 Com 15 anos ou mais.
PÁGINA4 3
disponibilidade do sistema de fornecimento de energia eléctrica e a promoção do
aproveitamento energético dos recursos hídricos e uso de energias renováveis; (d) assegurar
a reabilitação, manutenção das estradas não classificadas, pontes e outros equipamentos de
travessia; (e) promover a construção, manutenção e reabilitação de infraestruturas e edifícios
públicos, bem como de valas de irrigação, jardins públicos, infraestruturas desportivas e
parques de estacionamento; (f) promover o uso da bicicleta e da tracção animal; (g) elaborar
propostas de gestão ambiental; e (g) garantir a prestação dos serviços públicos tais como
cemitérios, matadouros, mercados e feiras, limpeza e salubridade, iluminação pública, jardins
campos de jogos e parques de diversão.

4.2.5.1 Ordenamento Territorial


Em 2010, foram demarcados e atribuídos 54 talhões, sendo 9 no Bairro 07 de Setembro
(Messica), 5 na Vila Sede de Messica, 1 no 4° Bairro de Messica e 30 no Posto
Administrativo de Machipanda. Quando comparado a igual período do ano anterior, houve
um crescimento em 30 talhões, o correspondente a 46%.

No mesmo período, foram elaboradas 92 plantas de localização de talhões na vila sede de


Messica e Machipanda. Quando comparado a igual período do ano anterior, registou-se um
crescimento na ordem de 28.5%.

Foi elaborado um plano de pormenor de 484 talhões em Nhancoza, Posto Administrativo


de Messica, onde serão construídas casas para os funcionários, dos 500 planificados, o que
corresponde a 96,8% de cumprimento do plano.

Ao longo do ano 2012, com vista a garantir o aproveitamento adequado dos espaços, dos
recursos naturais, a preservação do equilíbrio ambiental, a promoção da qualidade de vida
dos cidadãos, o equilíbrio entre a qualidade de vida nas zonas rurais e o melhoramento das
condições de habitação, foram realizadas as seguintes actividades:

• Foi Concluída a elaboração do Plano Distrital de Uso de Terras do Distrito


(PDUT).
• Foram elaborados 7 Planos de Pormenor dos seguintes locais: Sede da
Localidade de Chigodole, Socera, Nhaconza, Cruzamento de Tete, Vanduzi-
sede, Messica-sede e Chinhantengue, nos Postos Administrativos de Vanduzi e
Messica.

Manica

PÁGINA4 4
Ao longo do ano, foram parcelados um total de 715 talhões de dimensões variadas dos 900
planificados. O incumprimento do plano deveu-se a insuficiência de pessoal técnico
qualificado para o efeito, bem como a chegada tardio do fundo de parcelamento.

Foram distribuídos aos funcionários de diferentes instituições 232 talhões no bairro Socera
para além da abertura de 12 ruas, num total de 11 km, das 31 ruas planificadas.

Para efeitos de legalização de espaço físico, foram elaboradas 106 Plantas de localização de
talhões ao nível do Distrito, das 200 planificadas.

4.2.5.2 Gestão Ambiental


Em 2010 foram efectuados 4 levantamentos de áreas minerais, nos focos de garimpo, tendo
sido realizados 11 encontros de sensibilização, com vista a induzir os garimpeiros a
utilizarem técnicas básicas de exploração mineira, destacando-se: a não degradação dos
solos, bem como a poluição das águas dos rios. Estiveram envolvidos 1.522 garimpeiros,
para além de autoridades comunitárias.

Os resultados destes encontros foram positivos, já que se nota um maior envolvimento dos
garimpeiros no tapamento das minas fora de uso, para além de terem deixado de alugar
machambas para desenvolvimento de actividades de exploração mineira. Foi ainda criado
um fórum das Associações de Mineradores Artesanais (UNIMA).

No período em análise, e por intermédio do Fundo de Fomento Mineiro, foi planificada a


comercialização de 4.000,0 gramas de ouro, das quais foram comercializadas 3.526,7 gramas
que renderam 2.468.300,00Mt.

2011
Nº de Nº de
Líderes Florestas Florestas Área % de Acumulado
Plano
Criadas (ha) Realização até 2011
109 12 96 56 119 88 68
Fonte: Relatório de apresentação do Governo Distrital de Manica, 2011

Espécies Privilegiadas: plantas nativas, com particular destaque para a umbila, panga-panga,
n’tondo, e plantas exóticas.

4.2.5.3 Infraestruturas
Reabilitação de estradas e pontes

Em 2010 foram planificadas 13 obras de arte, sendo 6 financiadas pela DANIDA e as


restantes 7 pelo Fundo de Estradas, as quais se encontram em fase Manica

PÁGINA4 5
conclusiva, contra 11 obras realizadas em 2009, o que corresponde a uma taxa de
crescimento de 15.3 %.

No âmbito do Fundo de Investimento para Infraestruturas de Interesse Comunitário,


estão em curso 16 obras, das quais 7 construções de edifícios públicos e 9 reabilitações,
incluindo residências para os chefes das localidades.

Vias de Acesso

Para permitir a transitabilidade da população e o escoamento de produtos, estão em


curso obras de melhoramento localizado em estradas não classificadas, no cruzamento
da N7 – Dengalenga, numa extensão de 13km.

Construção e Reabilitação de Infraestruturas (2,5 milhões), 2010


Construção Reabilitação
Real 2010 % Realiz. Obras transitadas Real 2010
2009 Plano Real Plano para 2011 2009 Plano Real

2 6 4 90 2 4 4 4
Fonte: Relatório de Apresentação do Governo Distrital de Manica, 2011

Construção e Reabilitação de Infraestruturas (2,5 milhões), 2011


Construção Reabilitação
Real 2011 % Realiz. Obras transitadas Real 2011
2010 Plano Real Plano para 2012 2010 Plano Real

4 4 2 50 2 4 5 5
Fonte: Relatório de Apresentação do Governo Distrital de Manica, 2011

Ao longo do ano 2012, foram planificadas as seguintes obras:


§ Construção da ponte sobre o rio Godi Ruaca Posto Administrativo de Messica
do Cruz. N6/Ruaca Messica;
§ Construção de 1 aqueduto em Mudzidzi do Cruz. N7/Macadeira/Mudzidzi;
§ Construção de ponteca em Mudzidzi do Cruz. N7/Macaira Mudzidzi;
§ Construção de 1 aqueduto em Messica Sede do Cruz. N6/Messica – Sede;
§ Reabilitação de 10 aquedutos de 2 bocas;
§ Protecção com pedra argamassa da pontecas sobre o rio Revue.

Manica

PÁGINA4 6
Obras públicas

Em 2012 ocorreram as seguintes actividades de preparação e lançamento de concursos:

Designação Quant Nº de contrato Local


Construção de 2 casas TU3 para técnicos 02 002/CONST/GDM/OE/2012 Socera
Construção de 1 aqueduto 01 003/CONST/GDM/OE/2012 Nhaconza
Construção de edifício do SDEJT 01 Nhaconza
Construção do SDSMAS 004/CONST/GDM/OE/2012 Nhaconza
Construção de Secretaria da localidade 01 Nhaucaca
Construção de Secretaria da localidade 01 007/CONST/GDM/OE/2012 Bandula
Fonte: Relatório de apresentação do Governo Distrital de Manica, 2012

Designação Quant Nº de contrato Local


Construção de Posto Policial 01 005/CONST/GDM/OE/2012 Nhaconza
Construção de parou 01 006/CONST/GDM/OE/2012 Residência Oficial
Reabilitação da casa PRM 01 Josina Machel
Construção de Mercado 01 012/CONST/GDM/OE/2012 Mavonde
Construção de Mercado 01 021/CONST/GDM/OE/2012 Machipanda
Reabilitação da casa da Chefe do 01 020/REAB/GDM/OE/2012 Machipanda
Posto
Reabilitação de casa de SDSMAS 01 009/REAB/GDM/OE/2012 Josina Machel
Reabilitação de casa do SDEJT 01 Josina Machel
Fonte: Relatório de apresentação do Governo Distrital de Manica, 2012

Dadas as diversas dificuldades apresentadas pelo empreiteiro durante a construção dos


edifícios dos Serviços de Saúde e a Educação, o Governo Distrital de Manica decidiu
cancelar o seu contrato. Para dar continuidade com a construção dos edifícios dos Serviços
citados, houve a necessidade de se lançar um novo concurso, o qual foi ganho pela empresa
Máximo Construções.

De referir que as obras em causa encontram-se num estado avançado de execução. As duas
obras em curso custaram 2.429.532,18MTs.

Dada a incapacidade apresentada pela empresa KUTENDUA IROMBO LTD, na


construção da casa dos Técnicos e a Sala de Conferências, o Governo Distrital acabou por
adjudicar à empresa Máxima Construções a obra de casa dos técnicos para a sua conclusão.
Entretanto a empresa Kutendua Irombo continua a trabalhar no acabamento da sala de
conferencias. De referir que os trabalhos da obra em referencia estão muito atrasadas.
De igual modo a obra de construção da Secretaria do Posto Administrativo de Machipanda
que está a cargo da empresa NAS Construções, encontra-se fora do período de contrato,
estando neste momento na fase de acabamento.
A construção de 2 secretarias de Bandula e Nhaucaca estão atrasadas na
Manica
sua conclusão, porque a empresa esteve parada durante o período em que o
PÁGINA4 7
cimento tinha aumentado de preço. No entanto a mesma comprometeu-se a dar
continuidade com os trabalhos.

4.3 Finanças Públicas e Investimento


O financiamento do funcionamento dos Governos Distritais e das funções para eles
descentralizadas é assegurado por via de:
(i) Receitas próprias19que provém da comparticipação das receitas fiscais e consignadas ao
nível Distrital e as taxas, licenças e serviços cobrados pelo Governo Distrital; e
(ii) Transferências ou dotações orçamentais centrais para despesas correntes;
(iii) Transferências ou dotações orçamentais centrais para despesas de investimento (Fundo
de Desenvolvimento Distrital, Fundo de Investimento em Infraestruturas);
(iv) Fundos Sectoriais Descentralizados, nomeadamente dos sectores de águas, estradas,
educação e agricultura;
(v) Donativos provenientes de ONGs, cooperação internacional ou entidades privadas.

O Governo Distrital teve em 2011 a seguinte execução orçamental.

Quadro 27. Execução orçamental (em ‘000 MT)


Rubricas 2011
DESPESA TOTAL 32.251
Despesa corrente 14.498
- Despesas com pessoal 7.414
- Bens e serviços 4.711
- Outros gastos materiais 2.372
Despesa de Investimento 17.753
- Fundo de desenvolvimento distrital 6.794
- Fundo de investimentos em Construções 10.724
- Fundo de investimento PPFD 331
Fonte: Relatórios da SD⁄GA e Serviços

19 Receitas próprias do distrito provenientes de serviços e licenças cobradas fora do território das autarquias locais são: (a) utilização do património
público sob gestão do distrito; (b) ocupação e aproveitamento do domínio público e aproveitamento de bens de utilidade pública; (c) pedidos de uso e
aproveitamento da terra nas áreas cobertas por planos de urbanização; (d) loteamento e execução de obras particulares; (e) realização de infraestruturas
simples; (f) ocupação da via pública por motivo de obras e utilização de edifícios; (g) exercício da actividade de negociante e comércio a título precário;
(h) ocupação e utilização de locais reservados nos mercados e feiras; (i) autorização de venda ambulante nas vias e recintos públicos; (j) aferição e
conferição de pesos, medidas e aparelhos de medição; (k) autorização para o emprego de meios de publicidade destinados a propaganda comercial; (l)
licenças de pesca artesanal marítima e em águas interiores; (m) licenças turísticas nos termos de legislação específica; (n) licenças para a realização de
espectáculos públicos; (o) licenças de caça e abate; (p) licenças e taxas de velocípedes com ou sem motor; (q) estacionamento de veículos em parques ou
outros locais a esse fim destinados; (r) utilização de instalações destinadas ao conforto, comodidade ou recreio público; (s) realização de enterros,
concessão de terrenos e uso de instalações em cemitérios.
Constituem ainda receitas do distrito as taxas e tarifas por prestação dos serviços, nos casos em que os órgãos do distrito tenham sob sua
administração directa, a prestação de serviço público: (a) abastecimento de água; (b) fornecimento de energia eléctrica; (c) utilização de matadouros; (d)
recolha, depósito e tratamento de resíduos sólidos de particulares e instituições; (e) ligação, conservação e tratamento dos esgotos; (f) utilização de infra
Manica
estruturas de lazer e gimnodesportivas; (g) utilização de latrinas públicas; (h) transportes urbanos; (i) construção e manutenção de ruas privadas; (j)
limpeza e manutenção de vias privadas; (k) utilização de tanques carracicidas; (l) registos determinados por lei.
PÁGINA4 8
No âmbito do investimento de iniciativa local (vulgo 7 milhões) o Governo Distrital tem
aprovado e/ou implementado projectos locais de desenvolvimento, cuja evolução é
apresentada na tabela seguinte, consoante a principal finalidade.

Quadro 28. Projectos de iniciativa local financiados


Taxa de
No de Projectos Postos de Desembolsos
Finalidade dos Reembolso
Financiados Trabalho criado (em ‘000 MT)
Projectos (em %)
2009 2010 2011 2009 2010 2011 2009 2010 2011 2009 2010 2011
Produção de comida 35 72 96 s.i. s.i. s.i. s.i. s.i. s.i. s.i.   s.i.   s.i.  
Geração de Emprego
68 87 67 s.i. s.i. s.i. s.i. s.i. s.i. s.i.   s.i.   s.i.  
e Rendimento
Total 103 159 163 230 245 209 6.881 7.147 6.794 20.1   18.0   17.8  
Fonte: Secretaria Distrital

Por outro lado, o número de postos de trabalho criados por estes projectos durante o
período de 2007 a 2011 foi de 1.567. Os projectos, para o mesmo período, beneficiaram 94
associações e 494 singulares.

Durante 2012, para além dos investimentos já mencionados anteriormente, há a referir as


seguintes iniciativas patrocinadas pelo Governo Distrital via FDD:
§ Aumento da produtividade agrícola de 1.5ton/ha para 2.5ton/ha, com recurso a
tracção animal e tractor;
§ Implementação de negócios que concorrem para a melhoria da vida dos
mutuários: avicultura, suinicultura, comércio diverso, carpintarias.
§ Redução das distâncias para a aquisição de serviços básicos (moageiras, banca
fixa), em média de 10km para 5km, nos Postos Administrativos de Machipanda
e Mavonde;
§ Uso do regadio de Chinhadombue para a irrigação dos campos no Posto
Administrativo de Machipanda;
§ Consumo local de hortícolas produzidas nos Postos Administrativos, como por
exemplo Alberto Pedzai em Chitunga, Guivimore Nhassango em Vanduzi,
Lucas Odera em Machipanda, para além de outros projectos de sucesso nos
Postos Administrativos;
§ Os custos para aquisição de mobiliário (cadeiras, mesas, portas, janelas, etc)
baixaram, pois os beneficiários de Machipanda adquirem localmente através da
associação 8 Estrelas, e no Posto Administrativo de Messica através de da
Associação dos Carpinteiros de Messica.
Manica

PÁGINA4 9
Fundos Sectoriais Descentralizados - 2011

Valor alocado
Área Acções realizadas Impacto das acções
(MT)

Compra de material duradoiro de


escritório (2 Secretarias, 6 Cadeiras,
Melhoria na cobrança de
2 Cestos de Lixo e 20 bicicletas,
receitas nos Postos
PPFD 138.975,74 incluindo os acessórios ( 20 jogo de
Administrativos e
pedais, 20 correntes e 20 rodas
Localidades.
completas ”câmaras, raios, pneus,
jantas, cubos”).
Compra de 6 motorizadas, 3
Melhoria das condições de
EDUCAÇÃO computadores, 4 impressoras, 1
1.217.215,00 funcionamento dos serviços
(FASE) máquina fotocopiadora e material
e assistência às ZIP`s.
não duradoiro de escritório.
Fonte: Relatório de apresentação do Governo Distrital de Manica, 2011

Valor alocado
Área Acções realizadas Impacto das acções
(MT)

Construção de 3 aquedutos (Cruz N6 – Maior afluxo de pessoas a


Chitunga), 3 drifts (Mavonde e Messica- utilizarem a estrada Messica-
ESTRADAS 1.250.000,00
Sede), 1 Cascata (Mavonde) e 2 Valetas Chitunga e escoamento de bens
(Messica). para o mercado de Messica-sede.

Melhoria das condições de


transitabilidade de pessoas e
Manutenção de rotina das estradas (Cruz N6
DANIDA 100.000,00 escoamento de bens nos
– Nhaucaca e Cruz N6 – Vista Alegre).
povoados por onde passam estas
estradas.
Construção de 54 furos de água, sendo 14 Aumento do número de pessoas a
UNICEF 19.440.000,00 em Machipanda, 18 em Mavonde, 14 em consumir água potável e
Vanduzi e 8 em Messica. diminuição de casos de diarreia.

A secção 4.2.5.3 de Infraestruturas detalha um conjunto de outros investimentos realizados


com recurso a fundos descentralizados e desconcentrados para o Governo Distrital.

Manica

PÁGINA5 0
4.4 Justiça, Ordem e Segurança pública
Conservatória dos Registos Civil e Notariado

Foram desenvolvidas actividades nas diferentes componentes, desde assentos de


nascimentos, assentos de casamentos, emissão de certidões diversas e de cédulas pessoais
(segunda via), organização de casamentos, dentre outras, como de forma detalhada a tabela
abaixo ilustra:

Registos de Nascimento, Casamentos


2009 2010
Actividades Nº Receita em Nº Receita e
(Mt) (Mt)
Registo de Nascimento 2.720 136.000 2.619 130.950
Registo de casamentos 41 2.050,00 44 2.200,00
Registo de óbitos 361 1.805 382 1.910,00
Organizações de p/ casamentos 41 12.300 3 900,00
Certidões diversas 4.176 7.050 559 14.330,00
Cédulas pessoais 2ª via 2.050 20.500 2.347 23.470,00
Alvará 133 3.990,00 4 40,00
Total 9.522 275.195,00 5.958 173.800,00
Fonte: Conservatória dos Registos Civil e Notariado

Em relação ao Notariado, foram reconhecidas assinaturas, conferências de fotocópias,


termos de autenticações e procurações, dentre outras, como ilustra a tabela abaixo:

Notariado
Actividades 2009 2010
Nº Receita Nº Receita
Reconhecimento de Assinaturas 11.049 44.428,00 12.101 73.112,00
Conferências de fotocópias 10.446 55.230,00 12.573 78.963,00
Termo de autorizações 78 9.360,00 61 7.320,00
Procurações 80 10.000,00 116 14.500,00
Total 21.653 116.080,00 24.851 173.995,00
Fonte: Conservatória dos Registos Civil e Notariado

Em 2010, foram movimentados 174 processos, na sua maioria processos de polícia


correccional, seguidos de querelas, contra 183 processos em 2009.

Em 2010, foram remetidos 75 processos para julgamento ao Tribunal Judicial da Cidade de


Manica, encontrando-se 11 a aguardar pela produção de provas, 7 foram arquivados e 1
processo abatido. A população prisional é constituída de 58 indivíduos, dos quais 34
encontram-se em prisão preventiva e 24 receberam condenações.

Manica

PÁGINA5 1
No mesmo ano de 2010 foram realizados 4 encontros com os líderes religiosos do distrito.
Foram, igualmente, revitalizados 3 tribunais comunitários, sendo 1 em Mavonde, 1 em
Vandúzi e 1 em Messica, contra 1 revitalizado em 2009, para além de 4 visitas de
acompanhamento realizadas em igual número de tribunais comunitários. Foi, também,
realizado um encontro de coordenação institucional com o IPAJ e a Cadeia Civil.

Em 2010 realizaram-se 3 encontros com os líderes religiosos ao nível do distrito, em que


estiveram presentes membros do encontro fraternal. Comparativamente a igual período do
ano anterior, registou-se 1 encontro a mais, o que corresponde a 33.3%.

Em 2011 o Distrito registou: redução de crimes em 12.4%; e redução de acidentes de viação


em 20.7%.

Medidas em curso: educação cívica ao longo das vias de acesso; e Reforço do controlo nas
fronteiras e nas vias públicas, por forma a evitar-se a imigração ilegal.

Em 2012, foram registados e controlados 69 casos criminais, dos quais 68 foram


esclarecidos, contra 84 casos dos quais 76 foram esclarecidos em 2011.

A Cidade de Manica é que tive maior índice criminal por ter se registado 30 casos contra 44
do igual período do ano transacto.

Durante o período em referência, foram registados 35 casos de acidentes de aviação, contra


65 casos registados no igual transacto de 2011.

Durante o período a Força da Guarda Fronteira em serviço ao longo da fronteira estatal


realizou 29.404 patrulhas que culminou com a captura de 2.839 violadores da fronteira dos
quais 949 Moçambicanos e 1.890 Zimbabweanos contra 12.689 do igual período transacto.

Durante 2012, foram atendidos um total de 7.020 pedidos de BI biométricos distribuídos da


seguinte forma: 3.645 Homens e 3.375 Mulheres, dentre estes 820 são menores, tendo sido
arrecadado o valor correspondente a 1.096.800,00 Mts. Ainda no mesmo período foram
recebidos 5.993 Bis, destes 6.573 levantados.

Manica

PÁGINA5 2
4.5 Constrangimentos e Perspectivas
No geral, de acordo com o Governo Distrital, são os seguintes os principais
constrangimentos observados durante a governação dos últimos anos:
Prática do garimpo por parte de cidadãos, com os inerentes problemas ambientais;
Exiguidade de verba para a aquisição de combustível para as Forças de Defesa e
Segurança no Distrito;
Insuficiência de pessoal de Defesa e Segurança;
Insuficiência de professores que obriga à prática do modelo de dois turnos e horas
extras;
Baixo nível de reembolsos por parte dos beneficiários do Fundo de
Desenvolvimento Distrital;
Falta de rádios de comunicação nos Postos Administrativos de Messica e
Machipanda;
Não recepção atempada de fundos para construção acelerada de salas de aulas;
Insuficiência de pessoal na área de Saúde Materno Infantil;
Falta de rádios de comunicação nos postos administrativos de Messica e
Machipanda; e
Ausência de um programa de construções para atender o crescimento do aparelho
de estado.
Abandono de crianças e abortos clandestinos;
Insuficiência de tanques carracicidas;
Insuficiência de extensionistas para assistirem as famílias camponesas;
Insuficiência do pessoal da área de Saúde Materno Infantil e Agentes de Serviço;
Insuficiência de professores que obriga a prática do modelo de dois turnos e horas
extras;
A não recepção de fundos de construção acelerada de salas de aulas.
As minas constituíram, em algumas zonas identificadas, uma ameaça à segurança da
população e ao desenvolvimento económico. A acção de desminagem em curso no país
desde 1992, tem permitido diminuir o seu risco, sendo hoje a situação existente no país e
neste distrito mais controlada e conhecida.
Manica

PÁGINA5 3
Face às restrições orçamentais existentes, tem sido essencial para a prossecução da
actividade do Governo Distrital e para o progresso do distrito, o envolvimento consciente e
participação comunitária, e o apoio do sector privado e de vários organismos internacionais
que operam neste distrito.

No geral, de acordo com o Governo Distrital, as principais perspectivas são:


Continuar a sensibilizar e encorajar os cidadãos a criarem associações para a prática
da mineração de pequena escala, observando as normas estabelecidas, de forma a
evitar a poluição dos rios;
Contactar o Comando Provincial da PRM para aumentar o efectivo policial e a
verba de combustível atribuída ao Comando Distrital, de modo a permitir responder
à demanda operativa;
Aumentar o número de contratos de professores, através da DPEC para o SDEJT;
Dar continuidade às visitas aos beneficiários do Fundo de Desenvolvimento
Distrital, como forma de persuadi-los a efectuar o reembolso;
Alocar rádios de comunicação aos postos administrativos de Messica e Machipanda;
Alocar fundos através da DPEC, no âmbito da construção acelerada e reabilitação
de salas de aulas;
Afectar pessoal na área de Saúde Materno Infantil através da DPS para o SDSMAS;
Alocar rádios de comunicação aos postos administrativos de Messica e Machipanda.
Sensibilizar as comunidades para aderirem no programa de planeamento familiar;
Realizar um seminário através do Gabinete do Esposo da Administradora para
reflectir sobre o abandono de crianças e abortos clandestinos;
Construir mais tanques carracicidas para servir as comunidades nos Postos
Administrativos;
Trabalhar a DPA por forma a alocar mais extensionistas no Distrito para diminuir o
rácio extensionista/produtor;
Afectar pessoal da área de Saúde Materno Infantil através da DPS para o SDSMAS;
Abrir um concurso de admissão de agentes de serviço, estando neste momento no
processo de solicitação de cabimento orçamental na DPPF;
Aumentar o número de contratos de professores através da DPEC para SDEJT;
Continuar a realizar encontros com os mineradores artesanais para a divulgação de
boas práticas evitando assim os problemas ambientais; Manica

PÁGINA5 4
Alocar fundos através da DPEC no âmbito da construção acelerada e reabilitação
de salas de aulas;
Continuar com programa de saneamento do meio ambiente através da abertura de
300 latrinas melhoradas nas comunidades;
Continuar com o processo de financiamento no âmbito do Fundo Distrital de
Desenvolvimento.

Manica

PÁGINA5 5
5 Actividade Económica
5.1 População economicamente activa
De um total em 2012 estimado de 257 mil habitantes, 135 mil estão em idade de trabalho
(mais de 15 anos).

Quadro 29. População segundo a condição de actividade20


Total Homens Mulheres
Total 135,466   67,646   67,820  
Trabalhou 58.9%   66.8%   51.2%  
Não trabalhou, mas tem emprego 0.5%   0.6%   0.5%  
Ajudou familiares 2.0%   2.3%   1.6%  
Procurava novo emprego 0.0%   0.1%   0.0%  
Procurava emprego pela 1ª vez 0.7%   1.1%   0.2%  
População economicamente activa 21 62.2% 70.9% 53.5%
Doméstico(a) 19.1%   6.1%   32.0%  
Somente estudante 13.6%   17.5%   9.8%  
Reformado(a) 0.7%   1.1%   0.2%  
Incapacitado(a) 1.8%   1.6%   1.9%  
Outra 2.7%   2.7%   2.7%  
População não activa 37.8% 29.1% 46.5%
Fonte: Instituto Nacional de Estatística, Dados do Censo de 2007.

Verifica-se que 62% da população de 15 anos ou mais (84 mil pessoas) constituem a
população economicamente activa (PEA) do distrito. O nível da participação masculina na
PEA é superior à feminina: 71% contra 54%.

A população não economicamente activa (38%) é constituída principalmente por mulheres


domésticas e estudantes a tempo inteiro.

20Referido a situação na semana anterior a realização do Censo 2007.


21Segundo recomendações internacionais, a PEA é a população que participa na actividade económica com 15 anos de idade e mais.
Manica
A PEA compreende, pois, as pessoas que trabalham (ocupadas) e as que procuram activamente um trabalho (desocupadas),
incluindo aquelas que o fazem pela primeira vez. A análise da PEA que é apresentada nesta secção seguiu esta recomendação.
PÁGINA5 6
Figura 11. População com 15 anos ou mais, segundo a actividade
Outra  
6%  

Somente  
estudante  
14%  

Domésgco(a)   Trabalhou  
19%   61%  

Fonte: Instituto Nacional de Estatística, Dados do Censo de 2007.

A distribuição da população economicamente activa indica que 55% são camponeses por
conta própria, na sua maioria mulheres. A percentagem de trabalhadores assalariados é de
22% da população activa e é dominada por homens (as mulheres assalariadas representam
8% da população activa feminina e 34% no caso dos homens).

Quadro 30. População activa22, ocupação e ramo de actividade, 2007


OCUPAÇÃO PRINCIPAL
RAMOS DE Comerciantes
TOTAL
ACTIVIDADE Assalariados & Trabalhadores Empresário Outras e

Total Técnicos Operários Serviços Artesãos Camponeses Patrão desconhecido

Total 100.0% 22.4% 3.8% 3.4% 15.3% 14.9% 55.1% 0.6% 7.0%

- Homens 100.0% 33.5% 4.7% 4.6% 24.2% 13.7% 40.9% 0.8% 11.1%

- Mulheres 100.0% 8.2% 2.6% 1.8% 3.8% 16.4% 73.3% 0.3% 1.8%
Agricultura,
silvicultura e pesca 100.0% 6.2% 0.2% 0.2% 5.8% 0.1% 90.6% 0.0% 3.1%
Indústria, energia e
construção 100.0% 78.3% 0.7% 1.0% 76.7% 0.1% 0.1% 0.6% 20.9%
Comércio, Transportes
Serviços 100.0% 30.7% 14.2% 12.1% 4.3% 58.4% 0.2% 1.9% 8.8%
[1]  Com  15  anos  ou  mais,  excluindo  os  que  procuram  emprego  pela  
primeira  vez.  
Fonte: Instituto Nacional de Estatística, Dados do Censo de 2007.          

Manica
22Com 15 anos ou mais, excluindo os que procuram emprego pela primeira vez.
PÁGINA5 7
Figura 12. População activa, segundo a ocupação principal

Outras,  7,0%   Assalariados,  


Empresarios,   22,4%  
0,6%  

Comerciantes  e  
Camponeses,   artesaos,  14,9%  
55,1%  

Fonte: Instituto Nacional de Estatística, Dados do Censo de 2007.

A distribuição segundo o ramo de actividade reflecte que a actividade dominante no distrito


é agrária, que ocupa 61% da população activa do distrito. O comércio e outros serviços tem
tido uma importância crescente, ocupando já 25% da população activa do distrito.

Quadro 31. População activa23, ocupação e ramo de actividade, 2007


OCUPAÇÃO PRINCIPAL
RAMOS DE ACTIVIDADE TOTAL Assalariados Comerciantes Trabalhadores Empresário Outras e

Total Técnicos Operários Serviços e Artesãos Camponeses Patrão desconhecido

Total 100.0% 100.0% 100.0% 100.0% 100.0% 100.0% 100.0% 100.0% 100.0%

- Homens 56.3% 84.0% 70.0% 76.5% 89.2% 51.8% 41.8% 74.9% 89.0%

- Mulheres 43.7% 16.0% 30.0% 23.5% 10.8% 48.2% 58.2% 25.1% 11.0%
Agricultura, silvicultura e
pesca 60.7% 16.8% 2.7% 4.2% 23.1% 0.2% 99.9% 3.9% 26.6%
Indústria, energia e
construção 13.9% 48.4% 2.4% 4.1% 69.7% 0.1% 0.0% 13.3% 41.5%
Comércio, Transportes
Serviços 25.4% 34.8% 94.9% 91.7% 7.2% 99.7% 0.1% 82.9% 31.9%

[1]  Com  15  anos  ou  mais,  excluindo  os  que  procuram  emprego  pela  primeira  vez.  
Fonte: Instituto Nacional de Estatística, Dados do Censo de 2007.          

Manica
23Com 15 anos ou mais, excluindo os que procuram emprego pela primeira vez.
PÁGINA5 8
Figura 13. População activa, segundo o ramo de actividade

Comércio,  
Transportes  
Serviços,  25,4%  

Agricultura,  
silvicultura  e  
pesca,  60,7%  

Indústria,  energia  
e  construção,  
13,9%  
Fonte: Instituto Nacional de Estatística, Dados do Censo de 2007.

5.2 Pobreza e Segurança Alimentar


Este distrito apresenta um nível do Índice de Incidência da Pobreza24 sem alterações (44%
em 1997 e em 200725).
Este distrito é frequentemente alvo de calamidades naturais que afectam a vida social e
económica da comunidade. Em circunstâncias normais, porém, não se pode considerar
crítica a situação de segurança alimentar no distrito de Manica.

Nos períodos de escassez, as famílias recorrem a uma diversidade de estratégias de


sobrevivência que incluem a participação em programas de "comida pelo trabalho", a
recolha de frutos silvestres, a venda de lenha, carvão, estacas, caniço, bebidas e a caça.

As famílias com homens activos recorrem ao trabalho remunerado nas cidades mais
próximas, já que as oportunidades de emprego no distrito são reduzidas, dado que a
economia ter por base, essencialmente, as relações familiares.

Para atenuar os efeitos desta situação, as autoridades distritais lançaram um plano de acção
para redução do impacto da estiagem incluindo sementes e culturas resistentes e introdução
de tecnologias adequadas ao sector familiar.

24O Índice de Incidência da Pobreza (poverty headcount índex) é a proporção da população cujo consumo per capita está abaixo da linha
da pobreza.
25Relatório da Pobreza e Bem-Estar em Moçambique: 3ª Avaliação Nacional - Ministério da Planificação e Desenvolvimento,
Manica
Direcção Nacional de Estudos e Análise de Políticas, Outubro de 2010(District Poverty Maps for Mozambique: 1997 and
2007Based on consumption adjusted for calorie underreporting).
PÁGINA5 9
5.3 Infraestruturas de base
Este distrito é servido pelo Corredor da Beira, Estrada Beira - Manica e pela via-férrea
ligando Beira à República de Zimbabwe, na fronteira de Machipanda. A infraestrutura de
telecomunicações inclui rede de telefone, telégrafo e postos de rádio.

O distrito possui actualmente uma rede rodoviária de 879km, sendo 500km de estradas
classificadas e 379 de estradas não classificadas, sob gestão da Administração Nacional de
Estradas (ANE).

Situação da Rede Rodoviária em (km)


Tipo de Estada Extensão total Condição das Estradas
Existentes Boa Razoável Má Intransitável
Estradas Primárias 128 128 0 0 0
Estradas Secundárias 216 216 0 0 0
Estradas Terciárias 156 35 121 0 0
Estradas Vicinais 0 0 0 0 0
Estradas n. Classificadas 379 59 178 142 0
Total geral 879 348 268 263 0
Fonte: SDPI

Das 37 Estradas não classificadas existentes no Distrito, 22 apresentam um bom estado de


transitabilidade e 15 têm problemas, provocados pela erosão ao longo do período de
chuvas. Esta situação tem contribuído negativamente no processo de desenvolvimento
económico do Distrito, dificultando o escoamento de produtos agrícolas.
A reabilitação de estradas secundárias e terciárias tem tido um impacto importante no
desenvolvimento do distrito, permitindo o transporte da ajuda alimentar, o acesso a novas
terras para agricultura e a participação comunitária na reconstrução das infraestruturas.

O acesso para os distritos limítrofes é feito em estradas pavimentadas e em boas condições.


Já os acessos dentro do distrito são feitos em estradas de terra batida mas que não
apresentam grandes limitações de trânsito, excepto durante a época chuvosa. Três zonas
estão pouco acessíveis, devido à falta de reparação das estradas (numa extensão de 159 km)
e uma via ligando Manica à Vista Alegre é inacessível (com uma extensão de 10 km).

Em 2012, contava com 183 transportadores, sendo 130 do tipo Mini - Base e 53 caixas
abertas, devidamente licenciados.

A empresa CFM é, a par de alguns pequenos transportadores privados, o garante do


transporte de mercadorias nacionais e internacionais na linha férrea Beira-Machipanda,
coluna vertebral do Corredor da Beira.
Manica

PÁGINA6 0
Operam no distrito de Manica 3 empresas de comunicação telefónica que prestam serviços
às populações, sendo 1 de telefonia fixa e 2 de telefonia móvel. Em termos de cobertura, a
rede fixa abarca 3 dos 4 Postos Administrativos, com excepção de Mavonde, enquanto que
as redes móveis cobrem as zonas atravessadas pelos corredores da Beira e Tete.
Actualmente a Movitel também opera com telefonia móvel no distrito.

Nº de Antenas
Nº Posto Administrativo Quantidades de Quantidades de Antenas Total
Antenas Mcel Vodacom
01 Machipanda 02 01 03
02 Vanduzi 03 01 04
03 Messica 02 01 03
04 Cidade de Manica 02 01 03
Total 08 04 12
Fonte: SDPI

Rede Fixa no Distrito


N˚ Manica - sede Machipanda Vanduzi Outros telf sem fio Total
01 292 2 25 18 355
Fonte: SDPI

Todas as localidades do distrito dispõem de fontes de água (poços, furos e nascentes) todas
elas equipadas com bombas Afridev e/ou moinhos de vento que funcionam durante todo o
ano.

Existem 334 fontes de agua, das quais 297 operacionais e 19 inoperacionais distribuídas da
seguinte forma: 84 em Messica; 120 em Vanduzi; 78 em Machipanda e 52 fontes em
Mavonde.

No inicio de 2012, foi atribuída ao Distrito uma meta de abertura de 70 novas fontes de
água. Destas apenas foram abertas 40 fontes devido a problemas financeiros por parte do
doador. De referir que as 40 fontes foram abertas nas escolas e não nas comunidades
segundo estava previsto, devido a orientação do próprio doador.
Para garantir a sustentabilidade de usos das fontes de água, foram criados em todo o
Distrito 356 comités de gestão de água, cuja função é de velar pela manutenção das fontes e
contribuições comunitárias.
Ainda em 2012, foram reabilitadas 11 fontes, das quais 3 foram reabilitadas com fundo de
funcionamento do SDPI, a saber‫ ׃‬fonte de centro de saúde de Chinhambudzi, fonte de
Manhene e fonte de Chigodole, e os restantes 8 foram reabilitadas com a intervenção das
comunidades.
Manica

PÁGINA6 1
Durante os anos de 2011 e 2012, o Distrito perdeu um total de 56 fontes que não foram
abertas devido o atraso das empresas contratadas, prejudicando assim 16.800 pessoas.

A comunidade tem sido encorajada a participar na manutenção de bombas de água. Deste


modo, alguns membros, preferencialmente as mulheres, beneficiam de treinamento nesta
matéria.

De acordo com os dados do Censo de 1997, só 6% da população do distrito beneficia de


energia eléctrica, concentrada na cidade de Manica que tem uma cobertura de 14% da sua
comunidade.

Apesar dos esforços realizados, importa reter que o estado geral de conservação e
manutenção das infraestruturas não é suficiente, sendo de realçar a rede de bombas de água
a necessitar de manutenção, bem como a rede de estradas e pontes que, na época das
chuvas, tem problemas de transitabilidade.

5.4 Uso e Cobertura da Terra


Têm ocorrido disputas sobre a posse de terras no distrito de Manica, com maior ênfase na
zona do corredor da Beira e junto à fronteira com o Zimbabwe. Considerando a fertilidade
dos solos do distrito, facilmente se pode esperar a convergência de mais agricultores
interessados em cultivar a área, pelo que se pode esperar o agravamento dessas disputas e
uma maior pressão sobre os recursos.

Quadro 32. Uso e Cobertura da Terra


Classe Área (ha) (%)
Cultivado Sequeiro 29952.15 6.81
Plantações 12593.22 2.86
Área Habitacional Semi Urbanizada 115.1 0.03
Área Habitacional Não Urbanizada 133.81 0.03
Solo Sem Vegetação 8134.76 1.85
Formação Herbácea 54225.59 12.32
Moita (arbustos baixos) 66219.92 15.05
Matagal Médio 878.65 0.2
Matagal Aberto 50665.88 11.51
Formação Herbácea Arborizada 101393.19 23.04
Formação Herbácea Com Árvores Anãs Emergentes 139.68 0.03
Floresta de Baixa Altitude Aberta 108872.54 24.74
Floresta de Baixa Altitude Fechada 635.64 0.14
Lagos, Lagoas 6041.26 1.37
TOTAL 440001.73 100.00
Fonte: Centro Nacional de Cartografia e Teledetecção (CENACARTA).

Manica

PÁGINA6 2
Manica

PÁGINA6 3
A restante informação desta secção26 foi extraída dos resultados do Censo Agropecuário
realizado pelo INE em 2009/10 e tem por objectivo descrever os traços gerais que
caracterizam a base agrícola do distrito.

O distrito possui cerca de 38 mil explorações agrícolas com uma área média é de 2 hectares,
sendo cerca de 95% ocupadas com a exploração de culturas alimentares.

Figura 14. Explorações segundo a sua utilização

100,0%  

95,3%  

84,6%  

Total   Com  culturas  alimentares   Com  árvores  de  fruta  


Fonte de dados: Instituto Nacional de Estatística, Censo agropecuário, 2009-2010

Com um grau de exploração familiar dominante, 59% das explorações do distrito têm
menos de 2 hectares.

Figura 15. Explorações por classes de área cultivada


>=  20  ha  
<    1  ha  
0,6%  
5  a  20  ha   16,1%  
6,0%  

2  a  5  ha  
34,9%  

1  a  2  ha  
42,4%  

Fonte de dados: Instituto Nacional de Estatística, Censo agropecuário, 2009-2010

26Apesar Manica
das reservas a colocar na representatividade dos dados ao nível distrital, a sua análise permite observar
tendências e os principais aspectos estruturais.
PÁGINA6 4
Na sua maioria os terrenos não estão titulados e, quando explorados em regime familiar,
têm como responsável o homem da família, apesar de na maioria dos casos ser explorada
por mulheres a trabalharem sozinhas ou com a ajuda das crianças da família. A maioria da
terra é explorada em regime de consociação de culturas alimentares.

5.5 Sector Agrário


5.5.1 Infraestruturas e Zonas agro-ecológicas
É na faixa do distrito atravessada pelo rio Buzi e afluentes, que é possível fazer agricultura
irrigada, com recurso a meios mecânicos de propulsão. Mais para o interior do distrito,
existem algumas terras onde é possível utilizar pequenos sistemas de rega para produção
agrícola, desde que haja algum investimento para a construção de sistemas de
armazenamento de água.

Este distrito é dominado por solos residuais, de textura variável, profundos a muito
profundos, localmente pouco profundos, castanhos-avermelhados, sendo ainda ligeiramente
lixiviados, excessivamente drenados ou moderadamente bem drenados e, por vezes,
localmente mal drenados. Ocorrem ainda, solos aluvionares e hidromórficos ao longo das
linhas de drenagem natural associados aos dambos.

Na zona da fronteira com o Zimbabwe, os solos têm uma textura pesada, profundos e
moderadamente bem drenados, ligeira a fortemente lixiviados, contudo apresentando boas
capacidades de retenção de água, o que é bom para a agricultura.

5.5.2 Produção agrícola e sistemas de cultivo


O distrito de Manica é dotado de solos férteis. A existência de um bom clima, de recursos
hídricos e o uso de adubos orgânicos (estrume de animais e restolhos de plantas e detritos
armazenados) complementam significativamente a fertilidade dos solos.

O sistema de produção predominante nos solos de textura pesada e mal drenados é a


monocultura de batata-doce em regime de camalhões ou matutos (época fresca), enquanto
que nos solos moderadamente bem drenados predominam as consociações de milho,
mapira, mandioca e feijão nhemba. Algodão e tabaco são culturas de rendimento,
produzidas em regime de monoculturas. Este sistema de produção é ainda complementado
por criações de espécies como gado bovino, caprino, e aves.

Na faixa da fronteira com o Zimbabwe, os solos têm boa capacidade de


Manica
retenção de água, e os sistemas de produção compreendem consociações
PÁGINA6 5
de milho e feijão vulgar. Há observância ainda da produção de culturas de rendimento tais
como batata reno e feijão manteiga, sendo de assinalar ainda que esta cultura pode ser feita
em duas épocas. Durante a época fresca, nos vales, é comum a produção de hortícolas:
couve, tomate e cebola.

A produção é comercializada não só localmente, mas também nas cidades do Chimoio e


Beira, salientando-se igualmente a vinda de comerciantes da capital da província (Chimoio)
e da Beira, Maputo e Inhambane para a compra de produtos locais. De um modo geral, a
agricultura é praticada manualmente em pequenas explorações familiares em regime de
consociação de culturas com base em variedades locais.

A produção agrícola é feita predominantemente em condições de sequeiro, nem sempre


bem sucedida, uma vez que o risco de perda das colheitas é alto, dada a baixa capacidade de
armazenamento de humidade no solo durante o período de crescimento das culturas.
Algumas famílias empregam métodos tradicionais de fertilização dos solos como o pousio
das terras, a incorporação no solo de restolhos de plantas, estrume ou cinzas. Para além das
questões climáticas, os principais constrangimentos à produção são as pragas, a seca, a falta
ou insuficiência de sementes e pesticidas. O potencial para agricultura irrigada está muito
limitado aos solos aluvionares das margens do Búzi e afluentes, em particular aqueles de
textura média a pesada. Estes solos são profundos a muito profundos, ricos em matéria
orgânica e apresentam ainda excelentes capacidades de retenção de água e nutrientes,
contudo, podem localmente ser ligeiramente salinos e/ou sódicos.

A irregularidade da precipitação e a vulnerabilidade às calamidades naturais condicionam,


pois, o potencial de produção agrícola do distrito.

Área (ha) Produção (ton)

Campanha 2008-09 107.445 260.203

Campanha 2009-10 115.677 265.613

Campanha 2010-11 117.447 270.853

Campanha 2011-12 124.576 431.585

Campanha 2012-13 133.269 432.690


Fonte: SDAE

Manica

PÁGINA6 6
Em seguida apresenta-se os níveis de produção para alguns produtos agrícolas
seleccionados.

Quadro 33. Produção agrícola, por principais culturas: 2009-2011


Campanha 2009/2010 Campanha 2010/2011
Principais Área (ha) Produção Área (ha) Produção
Culturas Semeada (Toneladas) Semeada (Toneladas)
Milho 400 1.837,5 1.150 2.875
Trigo 1.600 2.080 600 1.560
Feijões 2277 1.055
Ervilha 446 445.77
Batata-reno 20 603,5 80 800
Hortícolas 4.516,49 18.517,6 4.023 39.209,90
TOTAL DO DISTRITO 6.536,49 23.338,6 8.576 45.945,67
Fonte: SDAE

5.5.3 Pecuária
O fomento pecuário no distrito tem sido fraco. A falta de pastos e as doenças e a escassez
de fundos e de serviços de extensão, os principais obstáculos ao seu desenvolvimento.
Porém, dada a tradição na criação de gado e algumas infraestruturas existentes, verificou-se
um crescimento do efectivo bovino de 4 mil cabeças em 2000, para cerca de 61 mil em
2012.

Os animais domésticos mais importantes para o consumo familiar são as galinhas, os patos
e os cabritos, enquanto que, para a comercialização, são os bois, os cabritos, os porcos.

Quadro 34. Efectivo Pecuário


2011 2012
Bovinos 54.474 61.315
Caprinos 39.153 42.016
Ovinos 3.488 3.809
Suínos 8.018 8.808
Asinino 516 571
Fonte: SDAE

5.5.4 Pescas, Florestas e Fauna bravia


A actividade florestal no distrito é intensa e a IFLOMA (Complexo Agroflorestal de
Manica) é o maior agente económico do sector. Para além de uma vasta plantação de
eucaliptos e pinheiros este complexo possui no distrito uma grande serração de madeiras.

A lenha é a fonte de energia mais utilizada para a confecção de alimentos, seguida do carvão

Manica

PÁGINA6 7
e da electricidade. O desflorestamento, a desertificação e a erosão são problemas que
afectam sobremaneira o distrito de Manica.

As mangas, laranjas, bananas, abacates, papaias, e litches são as principais frutas consumidas
e comercializadas localmente. Para além do consumo fresco destes frutos, alguns são
processados para o fabrico de aguardentes e bebidas tradicionais. A falta de viveiros de
árvores de fruta e as secas prolongadas são questões que impedem um maior
aproveitamento desta potencialidade.

A caça e pesca são também recursos de que o distrito dispõe para enriquecimento da dieta
das famílias. O cabrito do mato é o animal mais caçado e importante na dieta, seguido das
gazelas, coelhos, porcos do mato e ratazanas. Existe uma vasta gama de animais selvagens,
destacando-se os elefantes, búfalos, leões, leopardos, gazelas, porcos do mato e crocodilos.

A existência de recursos hídricos abundantes permite que a pesca constitua outra fonte de
alimentação e de rendimento para as famílias. A albufeira do lago Chicamba e o rio Púngue
constituem os locais onde preferencialmente se realiza a pesca.

5.6 Indústria, Comércio e Serviços


A actividade agroindustrial do distrito foi dominada e prespectiva-se o seu reatamento pela
IFLOMA – Indústrias Florestais de Manica.

O comércio, a pequena indústria local (carpintaria, artesanato) e a pesca artesanal surgem


como alternativa à actividade agrícola, ou prolongamento da sua actividade.

O distrito conta em 2012 com 15 indústrias de pequena dimensão em funcionamento e 421


de pequena dimensão.
A par das unidades industriais mencionadas funciona uma fábrica de engarrafamento de
água mineral de fabrico nacional "Água Vumba" e existe uma mina de ouro em
funcionamento, de Penha Longa.
No distrito de Manica estão em curso obras de construção de 3 empresas para
processamento de água mineral, nomeadamente:
• Águas frescas de Chinhambudzi (Messica);
• Água Garuzo (Messica);
• Água Vengo – Mutambarico (Chitunga – Mavonde).

Manica

PÁGINA6 8
Depois de concluídas estas construções, passarão a existir 4 empresas de processamento de
água mineral no Distrito.

O comércio é, logo a seguir à agricultura, a actividade económica mais importante no


distrito. Comerciantes do sul do país, da Beira e do Chimoio têm comprado parte da
produção local e, para além dos mercados distritais, os habitantes têm recorrido ao
Zimbabwe para a compra de comida.
O distrito contava em 2012 com a seguinte rede comercial:
Ano Grossista Retalhista Prestação Banca Barraca Tenda Agente
Serviço Comercial
2012 30 157 26 a)669 652 331 125
2011 22 115 33 681 652 331 122
Fonte: Relatório Anual do Governo Distrital de Manica, 2012

Paralelamente a esta actividade formal, as mulheres vendem produtos em quiosques e no


mercado, enquanto que os homens vendem nas cantinas, no mercado e têm pequenas
moageiras em casa.
O sistema de crédito é praticamente inexistente no distrito, e o BIM é a única dependência
bancária do distrito.

Este distrito tem potencial turístico ligado à Zona Turística de Manica (Cabeça do Velho,
Montanhas de Penhalonga, Pinturas Rupestres de Chinhamapere e Serra de Vumba).

No distrito não se praticam safaris. No entanto, a Casa Messica tem vindo a promover a
pesca desportiva.

O turismo no Distrito evidenciou uma evolução positiva, com os dois novos


estabelecimentos, em construção em 2011, que possuem melhores condições para
acolhimento dos seus utentes. Tratam-se de duas novas unidades de alojamento que
entraram em funcionamento:
• Vumba Lodge, com capacidade para 4 quartos e 6 camas.
• Complexo Edgar Bartolomeu com capacidade para 19 quartos e 19 camas.

Em 2010, há a salientar a entrada das seguintes duas unidades hoteleiras:


• Hotel Manica com 20 quartos e 24 camas,
• Golfinho Azul com capacidade hoteleira instalada de 8 quartos e 8 camas.

Importa salientar que, em termos globais, a capacidade hoteleira instalada no distrito é de


209 quartos com 261 camas, o que reflecte um aumento significativo se Manica

PÁGINA6 9
considerarmos os 186 quartos e 236 camas existentes em 2009. Em 2010 existiam no
Distrito 2 discotecas.

Durante o ano de 2012, registou-se a abertura de novos estabelecimentos de alojamento


turísticos e de restauração e bebida e com maior capacidade de acolher hóspedes:

§ Um estabelecimento de Internet café - Cidade de Manica


§ Dois projectos de alojamento turísticos - Cidade de Manica
§ Dois projectos de restauração e bebidas - Cidade de Manica
§ Dois bares na cidade de Manica e 1 no Posto Administrativo de Messica.

Zona Turística de Manica

Cabeça do velho
A 5 Km da cidade de Chimoio situa-se a espectacular formação rochosa natural com a configuração de perfil de um velho,
que oferece um bom miradouro à cidade de Chimoio. É um local onde as populações locais realizam cerimónias
tradicionais para evocar os seus antepassados.
Montanhas de Penholonga
São montanhas ao longo da fronteira com o Zimbabwe ricas em paisagem espectacular e cénicos. As geadas do inverno e o
ar cortante e frio condensam os ventos húmidos que sopram do Índico em pesadas chuvas sazonais. Local ideal para
caminhadas longas e excursões de biodiversidade.
Pinturas Rupestres de Chinhamapere
Considerado lugar sagrado pelos residentes.
Barragem Chicamba Real
A 36 km de Chimoio, na estrada nacional, em direcção à fronteira, e ao fim de 15 km de estrada terra batida, alcança-se a
barragem de SHER (Sociedade Hidro-Eléctrica do Revué, SARL). O lago Chicamba oferece uma beleza insólita pela
colocação da barragem no desfiladeiro natural formado por escarpas rochosas. Cerca de 1 km mais adiante à direita, ha um
miradouro com uma esplanada, onde pode admirar a maravilhosa paisagem proporcionada pelo lago.
Serra de Vumba
A 2,5 Km de Chimoio, as montanhas da serra (1600 metros de altitude) oferecem excelentes oportunidades de caminhadas
longas, escalada de montanhas e "mountainbiking". Nas montanhas há uma fonte de águas minerais industrializadas e
comercializadas.

Fonte: Ministério do Turismo, FUTUR, 2004.

Manica

PÁGINA7 0
6 Visão e Estratégia de Desenvolvimento Local
Este capítulo tem como base as conclusões do PEDD - Plano Estratégico de
Desenvolvimento Distrital.

6.1 Visão

“Tornar o Distrito de Manica numa referência ao nível da província no quadro


da planificação participativa, transparência e estabilidade política.”

6.2 Missão

“Prestar serviços básicos às comunidades com maior enfoque na agricultura,


dentre outras acções que concorrem para a promoção do desenvolvimento do
distrito. “

6.3 Estratégia de desenvolvimento


Para fazer face aos desafios do quinquénio, o distrito passa necessariamente pela promoção
do desenvolvimento económico e social, bem como a estabilidade política.

Valores

Ética, cultura de trabalho, governação aberta e inclusiva, espírito de trabalho em equipa,


comprometimento, Responsabilidade sócio – ambiental, dinamismo, cidadão o centro das
atenções.

Objectivos Gerais

• Consolidar a estabilidade socioeconómica e política;

• Apoiar as iniciativas locais de desenvolvimento económico e social;

• Garantir o acesso aos serviços básicos as comunidades;

• Aumentar os postos de emprego através do FDD;

• Promover o desenvolvimento económico local;

• Elevar os índices de produção e produtividade, de um modo particular no sector


familiar.
Manica

PÁGINA7 1
Enfoque Estratégico do Plano

Pelas condições agro-ecológicas que o distrito apresenta, há que potenciar as actividades


agropecuárias para o desenvolvimento da economia local.

Vectores do desenvolvimento

De acordo com analise da viabilidade económica das potencialidades do distrito, as culturas


de batata Reno, feijão vulgar, litchi e hortícolas constituem vectores do desenvolvimento
económico local.

Outros vectores que podem alavancar o desenvolvimento do distrito são a extracção e


comercialização do ouro, produção e comercialização do gado bovino e produção e
comercialização de madeira exótica

6.4 Objectivos estratégicos

O PEDD identifica como vectores estratégicos do distrito: o Desenvolvimento Humano e


Social, o Desenvolvimento Económico, a Boa Governação, Descentralização, Combate a
Corrupção e Cultura de Prestação de Contas, e os Assuntos Transversais.

Desenvolvimento Humano e Social

Uma das prioridades do governo do distrito para os próximos 5 anos é garantir o aumento
do acesso da população local a todos os níveis de ensino e formação profissional, a melhoria
do estado de saúde, do bem-estar físico e das condições de vida da população, o
investimento público e privado na área de desenvolvimento local, com vista a garantir a
disponibilidade de mão-de-obra qualificada, saudável, incentivada e motivada para
responder as necessidades do desenvolvimento local.

O Distrito prevê atingir um alto nível de projecção social no que respeita a inclusão social e
aumento da renda familiar, resultante da implementação de iniciativas de actores públicos e
privados, de modo a reduzir o actual índice de pobreza.

Desenvolvimento Económico

Neste domínio, o governo ao longo dos cinco anos, irá desencadear acções no âmbito da
melhoria e assistência técnica a comunidade produtora de modo a garantir a segurança
alimentar e o bem-estar para além de garantir a exploração sustentável dos recursos minerais
e florestais.
Manica

PÁGINA7 2
No âmbito do desenvolvimento económico, o governo do distrito pretende trabalhar
envidar esforços no sentido de melhorar a vida da população através da assistência técnica
aos diferentes níveis, promoção do auto emprego nas comunidades.

Boa Governação, Descentralização, Combate a Corrupção e Cultura de


Prestação de Contas

A aproximação dos serviços básicos junto a população é o grande desafio do sector para os
próximos cinco anos. Para tal, conta-se com a colaboração das diferentes instituições. Neste
domínio, a celeridade processual é a tarefa do governo e a consolidação da governação
participativa.

O governo irá igualmente garantir a profissionalização da administração pública através da


formação e admissão de quadros com qualidade desejada para melhor servir o cidadão.

Neste âmbito, o governo vai prosseguir a direccionar as suas atenções para aproximar o
acesso a justiça junto ao cidadão, acesso a informação e comunicação e a promoção da
segurança e tranquilidade pública nas comunidades.

Assuntos Transversais

A redução do desmatamento e reflorestada de áreas o governo irá concentrar os esforços


garantindo assim a gestão racional destes recursos. Do outro lado, a protecção dos recursos
com forma de prevenir a conservação ilegal dos mesmos.

A redução do número de novas infecções no distrito é prioridade do governo, bem como a


igualdade de oportunidade entre homens e mulheres no desenvolvimento económico.

Igualmente será prioridade do governo a promoção do desenvolvimento comunitário


através da aplicação do Fundo Distrital de Desenvolvimento nas comunidades.

6.5 Problemas e Potencialidades por Pilar Estratégico

A estratégia de implementação definida deriva da análise dos problemas e potencialidades


existentes em cada área de cada um dos pilares estratégicos de intervenção e cujas
conclusões são a seguir sistematizadas.

Pilar 1: DESENVOLVIMENTO HUMANO E SOCIAL

- Síntese dos Problemas do Pilar

• Baixa qualidade do ensino Manica

PÁGINA7 3
• Deficiente gestão das escolas
• Deficiente preservação de locais históricos e culturais;
• Alta taxa de analfabetismo
• Fraca promoção da cultura local;
• Fraca iniciativa para a promoção do empreendedorismo por parte dos jovens do
distrito;
• Falta de habitação para jovens;
• Falta de emprego para jovens;
• Reduzida prática de desporto e exercícios físicos;
• Fraco acesso a Tecnologias de Informação e Comunicação;
• Longas distâncias percorridas pela população para alcançar a unidade sanitária mais
próxima;
• Ocorrência de partos fora das unidades sanitárias;
• Elevado índice de mendicidade;
• Elevado número de COV`s;
• Fraco acesso ao crédito para o fomento de habitação;
• Longas distâncias percorridas pela população em busca da água potável;
• Consumo de água imprópria pela população;
• Deficiente sistema de saneamento do meio nas comunidades.

- Síntese das potencialidades do pilar

• Existência de locais e património histórico-cultural;


• Existência de população maioritariamente jovem;
• Existência de talentos nas modalidades de atletismo, voleibol e andebol;
• Existência de inovadores na área de energias renováveis;
• Existência de Instituições Privadas com acções junto as comunidades;
• Existência de mulheres envolvidas no negócio informal;
• Mulheres envolvidas na prática de negócio informal;
• Existência de espaços livres para a construção de novas habitações;
• Existência de fontes naturais de água (superficiais e subterrâneas);
• Existência de material local para construção (pedra, areia).
Manica

PÁGINA7 4
Pilar 2: DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO

- Síntese dos problemas do Pilar

• Baixa produção e produtividade no sector familiar;


• Dificuldade de acesso ao crédito agrário e pesqueiro;
• Exploração ilegal dos recursos minerais e florestais;
• Desflorestação;
• Deficiente funcionamento dos comités de gestão de recursos naturais;
• Fraca abrangência da rede eléctrica;
• Existência de vias de acesso intransitáveis;
• Infra-estruturas com baixa qualidade;
• Vias de acesso em más condições de transitabilidade;
• Insuficiência de paragens para passageiros;
• Falta de emprego;
• Fraca qualificação técnica - profissional do pessoal empregado;
- Síntese das potencialidades do Pilar

• Disponibilidade dos recursos hídricos para a irrigação dos campos de produção;


• Existência de terras aráveis;
• Existência de áreas florestais com diferentes espécies nativas;
• Existência de micro clima favorável para a produção de fruteiras;
• Existência de micro empresas industriais;
• Existência de recursos minerais;
• Existência de áreas de conservação;
• Existência de áreas de atracção turísticas;
• Existência de áreas para prática de apicultura e piscicultura;
• Existência de recursos hídricos para a produção da corrente eléctrica;
• Material de construção local (pedra, areia, tijolos locais e estabilizados;
• Existência de infra-estruturas ferroviárias e rodoviárias;
• Existência de mão-de-obra activa, maioritariamente jovem;

Manica

PÁGINA7 5
Pilar 3: BOA GOVERNAÇÃO, DESCENTRALIZAÇÃO, COMBATE A
CORRUPÇÃO E CULTURA DE PRESTAÇÃO DE CONTAS

- Síntese de problemas

• Serviços públicos (SIC e Conservatória dos Registos e Notariados) distantes dos


utentes;
• Fraco domínio de instrumentos legais por parte dos membros dos conselhos
consultivos;
• Deficiente funcionamento dos tribunais comunitários.
• Fraca cobertura dos sinais de rádio e televisão;
• Deficiente funcionamento dos postos policiais;
• Serviços públicos (SIC e Conservatória dos Registos e Notariados) distantes dos
utentes;
• Deficiente funcionamento dos tribunais comunitários.
• Deficiente funcionamento dos postos policiais;
• Fraca cobertura dos sinais de rádio e televisão;
• Fraco domínio de instrumentos legais por parte dos membros dos conselhos
consultivos;
• Deficiente funcionamento dos tribunais comunitários.
• Deficiente funcionamento dos postos policiais;
• Fraca cobertura dos sinais de rádio e televisão;
- Síntese de potencialidades

• Existência dos Conselhos Consultivos funcionais permitindo o contacto permanente


entre o governo e a comunidade;
• Existência de 1 município de escalão D;
• Existência do Instituto de Patrocínio Jurídico de Manica;
• Existência de Conselhos de Policiamento Comunitário
• Existência de Postos Policiais em todos os Postos Administrativos;
• Existência de 1 município de escalão D;
• Existência do Instituto de Patrocínio Jurídico de Manica;
• Existência de Conselhos de Policiamento Comunitário;
• Existência Postos Policiais em todos os Postos Administrativos; Manica

PÁGINA7 6
• Fraca cobertura dos sinais de rádio e televisão;
Pilar 4: ASSUNTOS TRANSVERSAIS

- Síntese de problemas

• Poluição das águas dos rios;


• Queimadas de descontroladas;
• Desmatação;
• Baixo índice de escolarização das mulheres em relação os homens;
• Elevado índice de prevalência de HIV/SIDA;
• Elevado número de abandono de pacientes em TARV;
• Baixa produção e produtividade no sector familiar;
• Elevado índice de crianças com má nutrição.
• Deficiente acesso ao crédito agrário nas áreas rurais;
• Insuficiência de indústrias de pequena dimensão nas zonas rurais;
• Baixo nível de reembolso no âmbito do FDD “vulgos 7 milhões”;
- Síntese de potencialidades

• Existência de recursos naturais (água dos rios, minerais, florestas, pedras solos e
paisagem);
• Existência de força activa, maioritariamente mulheres;
• Celeiros para a conservação de cereais.
• Existência de terra arrável;
• Existência do Corredor da Beira que liga ao país vizinho Zimbabwe;
• Existência de minerios de grande valor comercial (ouro e bauxite);
• Existência de uma Central hidro-eléctrica (Chicamba) para a electrificação rural.

Manica

PÁGINA7 7
- Balanço do Plano Económico e Social Durante o Ano de 2010, Governo
Distrital.

- Balanço do Plano Económico e Social Durante o Ano de 2011, Governo


Distrital.

- CENACARTA - http://www.cenacarta.com

- Conta Geral do Estado 2011 e 2010 – Ministério das Finanças, Direcção Nacional
do Orçamento.

- District Poverty Maps for Mozambique: 1997 and 2007 - Based on


consumption adjusted for calorie underreporting - Ministério do Plano e Finanças,
Direcção Nacional de Estudos e Análise de Políticas.

- Estrutura Tipo do Governo Distrital - Decreto nº 6/2006 de 12 de Abril.

- Fichas estatísticas para o perfil distrital – Serviços Distritais

- Instituto Nacional de Estatística, Dados do Censo agropecuário, 2009-2010.

- Instituto Nacional de Estatística, Dados do Recenseamento da População de 2007.

- Lei dos Órgãos Locais, n.º 8/2003 de 27 de Março.

- Ministério da Educação, Estatísticas Escolares.

- Ministério da Saúde, Estatísticas da Saúde.

- Perfil Distrital de 2005, Ministério da Administração Estatal, Direcção Nacional da


Administração Local.

- Plano Estratégico de Desenvolvimento Distrital, Governo Distrital (Plano para


cinco anos)
- Regulamento da Lei dos Órgãos Locais, n.º 8/2003 de 27 de Março.

- Relatório de Balanço das Actividades Desenvolvidas durante o Ano de 2010,


Governo Distrital.

- Relatório de Balanço das Actividades Desenvolvidas durante o Ano de 2011,


Governo Distrital.

- Relatório de Balanço das Actividades Desenvolvidas durante o Ano de 2011,


SDAE

- Relatório de Balanço das Actividades Desenvolvidas durante o Ano de 2011,


SDPI

- Relatório de Balanço das Actividades Desenvolvidas durante o Ano de 2011,


SDSMAS

- Relatório de Balanço das Actividades Desenvolvidas durante o Ano de 2011,


SDEJT

- Relatório sobre Pobreza e Bem-estar em Moçambique: 3ª Avaliação Nacional


(Outubro de 2010), Ministério do Plano e Finanças, Direcção Nacional de Estudos e
Análise de Políticas.

- Revista de Marketing Territorial – Ministério da Administração Estatal, Direcção


Nacional de Promoção do Desenvolvimento Rural.

 
A informação incluída nesta publicação provém de fontes consideradas fiáveis e tem uma natureza
informativa.

Copyright © 2012 Ministério da Administração Estatal

Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser reproduzida ou transmitida, seja
em que formato, sem autorização escrita prévia do cliente, financiador ou autor.

Publicado por

MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO ESTATAL


Direcção Nacional de Administração Local
Maputo - Moçambique
Primeira edição, primeira impressão 2012

Esta publicação está disponível na Internet em http://www.portaldogoverno.gov.mz

Manica

PÁGINA7 8