Você está na página 1de 48

Foi oEm menos

maior de um
conflito ano, a Alemanha
da Humanidade, ocupou
quer pelo número
quase
de países e forças toda a envolvidas,
militares Europa. quer pelo
número de mortes e nível de destruição provocado.
No fim da década de 30 do século XX, a paz internacional
foi interrompida pela eclosão da 2.ª Guerra Mundial. Para
tal concorreram vários fatores:
• a crise económica de 1929 e as suas consequências
políticas – aparecimento e consolidação dos regimes
ditatoriais – defesa do imperialismo;

• o fracasso da SDN e a indecisão das democracias em


travar o avanço das tropas alemãs;

• o sentimento de injustiça e de humilhação do povo


alemão face ao Tratado de Versalhes;

• a tendência militarista e expansionista dos Estados


que compunham o Eixo – Itália, Alemanha e Japão.
A Alemanha entre a 1.ª e a 2.ª Guerra Mundial
Fim da 1.ª Guerra Mundial
Hitler restabeleceu o Reconstituiu as
Serviço Militar obrigatório. Forças Armadas

Política
imperialista…
Assinou Pactos Militares com a
Itália e o Japão (“Eixo Berlim - Roma
- Tóquio”)
Nas vésperas da Guerra…
A situação económica da Alemanha é, em breves
traços, a seguinte: estamos superpovoados e não
temos meios próprios capazes de alimentar a
população.
Além disso, também faltam-nos algumas matérias-
primas essenciais para o desenvolvimento da indústria
alemã (…).
A solução reside no alargamento do “espaço vital”, pelo
que é necessário que nos tornemos autossuficientes e
capazes de termos o exército preparado para a luta e a
economia em condições de suportar a guerra.

Memorando secreto de Hitler (1936)


Ano Acontecimento
1931 O Japão invade a Manchúria
1933 A Alemanha e o Japão abandonam a SDN
1935 Conquista da Etiópia pela Itália
1936 Ocupação da Renânia pela Alemanha

A Alemanha anexa a Áustria e a região dos


1938 Sudetas
Assinatura do Pacto Anglo-polaco
1939 Ocupação da Checoslováquia pelos nazis
1939 Assinatura do pacto Germano-Soviético

1939 A Alemanha invade a Polónia


A Inglaterra e a França
fazem um ultimato a Hitler!
AGOSTO, 1939
Pacto de não
Agressão
Germano -
Soviético
- abril de 1940 – Hitler ataca a Dinamarca e
a Noruega.
- maio e junho de 1940 – os alemães
ocuparam a Holanda, o Luxemburgo, a
Bélgica e grande parte da França.
Ofensiva Alemã
em 1940 e 1941
A 1.ª fase da guerra ficou marcada pelo avanço rápido
das tropas alemãs entre 1939 e 1941 devido à:
superioridade militar da Alemanha que possuía
armamento moderno (carros blindados, artilharia
pesada e aviação), e também devido à tática da “guerra
relâmpago” que consistiu numa rápida movimentação
de carros blindados apoiados por bombardeamentos
aéreos contra as forças militares inimigas.
Estas circunstâncias favoreceram rápidas e sucessivas
vitórias da Alemanha que em pouco tempo conseguiu
invadir vários países na Europa.
Como viveram os Europeus sob
o domínio nazi?
As populações dominadas pelos Alemães
viveram ensombradas pela violência e pelo medo.
Os considerados “não arianos” eram
escravizados, perseguidos ou mortos, as
populações dos territórios conquistados eram
exploradas, usadas como fonte de impostos e
mão de obra. Mas algumas resistiram e tentaram
salvar judeus ou colaborar com os Aliados em
ações de espionagem - Resistência. Para os
Alemães, as condições de vida, de um modo
geral, melhoraram…
A Inglaterra continuava a
resistir…
Batalha da
Inglaterra
(Confronto entre a
Royal Air Force e a
Luftwaffe)

Hitler desiste da
Invasão!
• Em 1941, a guerra passou a desenvolver-se em
três zonas:

– Europa de Leste - quebrando o Pacto


Germano-Soviético, Hitler avança sobre a União
Soviética com um exército de 3 milhões de homens,
10 mil carros blindados e 3 mil aviões.

– Mediterrâneo – No Norte de África e no Sul da


Europa, confrontos entre as tropas do Eixo e os
Aliados.
- Pacífico – no dia 7 de dezembro
de 1941 – forças japonesas
atacam a base militar americana
em Pearl Harbor (Havai).
Combatemos a favor do
progresso, da segurança e da
paz. Não apenas por nós
próprios, mas por toda a
Humanidade. Não apenas a favor
de uma geração, mas de todas
as gerações. Combatemos para
vencer o mal (…) e livrar o
Mundo da tirania, da escravidão e
da crueldade.
Franklin Roosevelt,
Discurso ao Congresso, 6 de janeiro de 1942
1943-1945 – Vitória dos Aliados

Março de 1945
6 de Junho
1944

1944
… reforçou as forças
Aliadas com um maior
número de soldados e
equipamento militar.
6 de junho de 1944 – o Desembarque
dos Aliados na Normandia…
Em abril Adolf Hitler suicidou-se e
em maio os generais alemães
assinam a capitulação…

maio de 1945
Nos dias 6 e 9 de agosto de 1945…

Hiroxima Nagasáqui

Capitulação do Japão – 2 de setembro


FIM da 2ª Guerra
Mundial
Em que medida o desembarque dos Aliados na
Normandia e o lançamento das bombas atómicas
contribuíram para o fim da 2.ª Guerra Mundial?

O desembarque dos Aliados na Normandia (6 de junho de 1944)


e o lançamento das bombas atómicas pelos EUA no Japão
foram determinantes para a resolução da 2.ª Guerra Mundial e
para a vitória dos Aliados. No dia 6 de junho de 1944 (conhecido
como o “dia D”), depois de meses de preparação e sob o
comando do general Eisenhower, os Aliados desembarcaram na
Normandia (costa francesa). Este acontecimento marcou o início
da libertação da Europa do domínio nazi, levando à capitulação
da Alemanha em maio de 1945. Perante a resistência japonesa
no oriente, nos dias 6 e 9 de agosto de 1945, os norte-
americanos lançaram duas bombas atómicas sobre as cidades
japonesas de Hiroxima e de Nagasaki. Face os efeitos desta
arma, o Japão rendeu-se e assinou a paz no dia 2 de setembro
de 1945.
Sabotavam pontes,
estradas, caminhos
de ferro, distribuíam
jornais e panfletos, e
faziam espionagem
para os Aliados.
Consequências da Guerra:
Campo de concentração de Buchenwald
abril, 1945
Para os cientistas de Hitler, os campos de
concentração eram fábricas de cobaias
humanas. Em Auschwitz – Birkenau, na Polónia,
de abril de 1940 a janeiro de 1945, o número
de mortos foi de 1,1 milhão a 1,5 milhão.
As experiências consistiam nas pesquisas
com gémeos e anões, infeção com bactérias e
vírus, eletrocutados, esterilização, remoção de
partes de órgãos, ingestão de veneno, criação
de feridas para testar novos medicamentos,
operações e amputações desnecessárias.
Tudo isto era importante para criar uma
máquina de guerra, soldados resistentes
capazes de conquistarem o mundo.
As democracias, representadas pelos Aliados,
venceram travando os regimes fascistas.
Contudo, as perdas humanas e materiais foram
sentidas tanto por vencedores como por vencidos
e a recuperação foi difícil para todos, pelo que
numa guerra nunca há verdadeiros vencedores,
todos perdem algo.
A Declaração dos Direitos do Homem,
proclamada pela Assembleia das Nações Unidas, em
1948

Art.º 1.º - Todos os seres humanos nascem livres e iguais


em dignidade e direitos e dotados, como são de razão e
consciência, têm de comportar-se uns com os outros com
espírito fraternal. (…)
Art.º 3.º - Todo o indivíduo tem direito à vida, à liberdade e à
segurança da sua pessoa. (…)
Art.º 7.º - Perante a lei são iguais, e todos têm direito, sem
diferenças, à igual proteção da lei. Todos têm direito a igual
proteção contra toda a discriminação que quebre esta
Declaração e contra toda a provocação a tal discriminação.
(…)
Art.º 18.º - Toda a pessoa tem direito à liberdade de
pensamento, de consciência e de religião. (…)
Aristides de Sousa
Mendes