Você está na página 1de 2

Aprendendo – Teoria Contabilidade de Custos Decifrada

1 Rateio de custos – Regra Geral ............................................................................................. 1


1.1 Conceito ........................................................................................................................... 1
1.2 Exemplo ............................................................................................................................ 1
1.3 Considerações .................................................................................................................. 2

1 Rateio de custos – Regra Geral


1.1 Conceito
Dado que a característica básica dos custos indiretos de fabricação é a necessidade de RATEIO
para sua apropriação aos produtos, a forma de rateio é o problema fundamental a eles
relacionado.
O rateio em si consiste na aplicação de uma regra de três simples, não apresentando maiores
dificuldades, conforme no exemplo a seguir.

1.2 Exemplo
Exemplo: rateio de CIF para três produtos, com base no critério da matéria prima utilizada na
produção de cada um destes produtos:
- Elemento a ser rateado - material indireto;
- valor do material indireto utilizado 20.000,00;
- produtos (A, B e C);
- critério de rateio - gasto de matéria prima incorrido em cada produto.
A figura a seguir ilustra o procedimento de rateio de custos indiretos de fabricação.

MI (CIF) 20.000,00

Prod. A Prod. B Prod. C

?% ?% ?%

A tabela abaixo demonstra o cálculo do percentual de rateio do custo indireto a cada produto:
Critério
produto MI matéria prima percentual MI - rateio
A ? 45.000,00 18,75% 3.750,00
B ? 120.000,00 50,00% 10.000,00
C ? 75.000,00 31,25% 6.250,00
total 20.000,00 240.000,00 100,00% 20.000,00

O rateio do material indireto, para cada produto, será realizado conforme memória de cálculo
abaixo:
 Produto A - CIF (=) 20.000,00 (*) 45.000,00 (/) 240000,00 (=) 3.750,00.

Luiz Eduardo Santos Página 1 de 2


Aprendendo – Teoria Contabilidade de Custos Decifrada

 Produto B - CIF (=) 20.000,00 (*) 120.000,00 (/) 240000,00 (=) 10.000,00.
 Produto C - CIF (=) 20.000,00 (*) 75.000,00 (/) 240.000,00 (=) 6.250,00.
Vista a simplicidade matemática do procedimento de rateio de custos indiretos aos produtos,
verificamos que o cerne do problema passa a ser a escolha adequada do critério de rateio, que
dependerá do caso específico.

1.3 Considerações
Nesta etapa do estudo da Contabilidade de Custos, objetiva-se resolver o problema da
alocação de custos indiretos aos produtos. Já foi visto, acima, que a proposta de solução
envolve a utilização de um RATEIO. Também já foi colocado que a dificuldade que, de início, se
apresenta é a de escolha do adequado critério de rateio. Portanto, geralmente, utiliza-se
como critério de rateio de um custo indireto, um custo direto a ele relacionado (MOD, MP,
etc.). Entretanto, é – também – aceitável a utilização de qualquer outro que faça sentido.
Ilustrando a colocação acima, apresentamos os exemplos a seguir.
(1) Na fabricação de latas de cerveja é esperado que a utilização de material indireto (ex. tinta)
seja proporcional à utilização de matéria-prima (ex. alumínio). Ora, quanto maior a
quantidade de alumínio utilizada para elaboração de uma lata de cerveja (teoricamente) maior
sua superfície e, assim, mais quantidade de tinta seria necessária para pintá-la. Assim, rateia-
se o consumo de tinta (MI – Cif) de acordo com a quantidade de alumínio (MD) utilizada na
fabricação.
(2) Considerando que um supervisor tenha responsabilidade pelo acompanhamento do
trabalho de vários operários (que elaboram vários diferentes produtos), é razoável imaginar
que – quanto mais operários forem necessários para a confecção de um determinado produto
(teoricamente) mais tempo do supervisor foi necessário para acompanhar a elaboração
daquele produto. Assim, rateia-se o salário (e encargos) do supervisor (MOI – Cif) de acordo
com os salários (e encargos) dos operários supervisionados (MOD).
(3) Considerando que a utilização da fábrica como um todo seja necessária para a fabricação
de cada tipo de produto nela elaborado, é razoável admitir que a depreciação da fábrica seja
rateada pelos diversos produtos confeccionados de acordo com o espaço necessário para sua
produção. Assim, rateia-se o valor da depreciação da fábrica (Cif) de acordo com o espaço (em
metros quadrados) utilizados para cada linha de produtos.

Luiz Eduardo Santos Página 2 de 2