Você está na página 1de 32

AULA 7

Tratamento do caldo

02/04/2019 Técnicas de Álcool e Açúcar - Prof: Pedro Lima


Objetivo do tratamento
 Eliminação de impurezas grosseiras (bagacilho,
areia);

 Eliminação de partículas coloidais;

 Preservação de nutrientes, vitaminas, açúcares,


fosfatos, sais minerais e aminoácidos livres,
necessários ao metabolismo das leveduras;

 Minimização de contaminantes microbianos;

Técnicas de Álcool e Açúcar - Prof: Pedro Lima 02/04/2019


EXTRAÇÃO
Extração

Moenda Difusor

ETAPAS

Técnicas de Álcool e Açúcar - Prof: Pedro Lima 02/04/2019


PENEIRAMENTO
Bagacilho
Redução das partículas leves
Objetivo
Redução das partículas
pesadas Areia, terra etc

Peneiras Hidrociclones

Eficiência
70 a 80 %
Equipamentos

Técnicas de Álcool e Açúcar - Prof: Pedro Lima 02/04/2019


PENEIRAMENTO

Redução de entupimento

Objetivo
Desgastes em outros equipamentos,
válvulas e bombas

Técnicas de Álcool e Açúcar - Prof: Pedro Lima 02/04/2019


SULFITAÇÃO
primeiro tratamento químico

DEFINIÇÃO Consiste na passagem do gás anidrido sulfuroso (SO2) ao


caldo aquecido;

inibir reações que causam alterações de cor


indesejável no açúcar;

Objetivos
diminuir a viscosidade do caldo
principais

Facilitar as operações de evaporação e cozimento

Técnicas de Álcool e Açúcar - Prof: Pedro Lima 02/04/2019


SULFITAÇÃO

Redução do pH

Diminuição da viscosidade do caldo

Formação de complexos com açúcares redutores


BENEFÍCIOS
Preservação do caldo

O caldo decanta-se mais rapidamente

Eliminar materiais corantes do caldo

Técnicas de Álcool e Açúcar - Prof: Pedro Lima 02/04/2019


SULFITAÇÃO
Câmara de
Tambor rotativo combustão
Queima do enxofre
50 g de enxofre/ton
Resfriador
400 A 500 ºc

Técnicas de Álcool e Açúcar - Prof: Pedro Lima 02/04/2019


SULFITAÇÃO

Técnicas de Álcool e Açúcar - Prof: Pedro Lima 02/04/2019


SULFITAÇÃO
DESVANTAGENS

Formar ácido sulfúrico Formação de sulfato de Aumenta o consumo de


H2S04; cálcio enxofre

SO3 + H20
Aumentando o teor
Óxido Sulfúrico +Água de sais

causando incrustações nos Aumento de custo


evaporadores;
Corrosão

Técnicas de Álcool e Açúcar - Prof: Pedro Lima 02/04/2019


Técnicas de Álcool e Açúcar - Prof: Pedro Lima 02/04/2019
FOSFATAÇÃO
OBJETIVO

Auxiliar na remoção de materiais corantes e parte dos colóides do caldo;

ENCONTRADO NA CANA
Fosfatos
Proteínas das células
solúveis do caldo

CALDO DEFICIENTE Menos de 0,03% de fosfatos

ácido fosfórico
A FONTE NATURAL
fosfato de amônia

Técnicas de Álcool e Açúcar - Prof: Pedro Lima 02/04/2019


FOSFATAÇÃO
Acrescentado antes da calagem;

Possibilidade de substituir a sulfitação;

Um auxiliar da clarificação;

Dosagem de 250 a 300 ppm (mg/L).

Técnicas de Álcool e Açúcar - Prof: Pedro Lima 02/04/2019


CARBONATAÇÃO

É um método usado na produção de açúcar de beterraba;

O maior inconveniente é a caramelização dos açúcares


redutores,

Escurece o caldo

Add cal + CO2

Técnicas de Álcool e Açúcar - Prof: Pedro Lima 02/04/2019


CALEAÇÃO
Tratamento do caldo com leite de cal;
DEFINIÇÃO

Floculação pH

Protege contra a corrosão

Próximo de 7
Favorece a decantação
maior é a remoção de nutrientes do
das impurezas
caldo

Técnicas de Álcool e Açúcar - Prof: Pedro Lima 02/04/2019


CALEAÇÃO

Técnicas de Álcool e Açúcar - Prof: Pedro Lima 02/04/2019


AQUECIMENTO

DEFINIÇÃO Elevar a temperatura do caldo entre 103 e 105º C;

Reduz contaminação microbiana

Tipos de aquecedores

verticais Horizontais Tubulares

Técnicas de Álcool e Açúcar - Prof: Pedro Lima 02/04/2019


O caldo é aquecido por diversas
razões:

> 70 a 75°C
Pré aquecimento

Aquecimento final > 105°C, podendo chegar a 112°C p/ circuito álcool .


Técnicas de Álcool e Açúcar - Prof: Pedro Lima 02/04/2019
Equipamentos de Transferência de
Calor
Equipamentos utilizados no processo de aquecimento

Trocador de Calor Tubular Horizontal:

Técnicas de Álcool e Açúcar - Prof: Pedro Lima 02/04/2019


Equipamentos de
Transferência de Calor
Trocador de Calor Tubular Vertical:

Técnicas de Álcool e Açúcar - Prof: Pedro Lima


02/04/2019
Equipamentos de Transferência
de Calor
Trocador de
Calor a placas:

Técnicas de Álcool e Açúcar - Prof: Pedro Lima 02/04/2019


TRATAMENTO DO CALDO

Depois de Sulfitado, caleado e aquecido, o caldo é


enviado aos decantadores

Técnicas de Álcool e Açúcar - Prof: Pedro Lima 02/04/2019


BALÃO DE FLASH

Definição É um simples recipiente cilíndrico, colocado


imediatamente antes e acima do decantador;

Processo Ebulição espontânea

O único parâmetro a ser Eliminação do ar dissolvido


controlado no caldo

Temperatura

Acima de 105ºC Libera todas as partículas em


suspensão
Técnicas de Álcool e Açúcar - Prof: Pedro Lima 02/04/2019
Técnicas de Álcool e Açúcar - Prof: Pedro Lima 02/04/2019
DECANTAÇÃO

Separação

Gravidade
OBJETIVO

Impurezas com mínima remoção de nutrientes

Técnicas de Álcool e Açúcar - Prof: Pedro Lima 02/04/2019


DECANTAÇÃO
TEMPO

Produção de Álcool 3 horas no decantador

Produção de AÇÚCAR 5 horas no decantador

Técnicas de Álcool e Açúcar - Prof: Pedro Lima 02/04/2019


FILTRAGEM DO LODO
LODO

Adição de Polímero Adição de bagacilho

Enviado para a filtragem


Separação das impurezas

Separar do caldo das


impurezas

Técnicas de Álcool e Açúcar - Prof: Pedro Lima


Sacarose 02/04/2019
EXISTEM CERTAS CONDIÇÕES NECESSÁRIAS PARA SE OBTER UMA
BOA FILTRAÇÃO

CONDIÇÕES NECESSÁRIAS PARA SE OBTER UMA BOA


FILTRAÇÃO

Viscosidade

80°C.
Temperatura Reação

pH de 8 a 8,5

caldos alcalinos são mais facilmente filtrados

Técnicas de Álcool e Açúcar - Prof: Pedro Lima 02/04/2019


FILTRAGEM DO LODO
Tambor perfurado que gira em volta de um eixo
FILTRO ROTATIVO horizontal e parcialmente submerso no líquido a ser
filtrado.

ETAPAS Formação e crescimento da torta, filtração, lavagem, secagem,


quebra vácuo e descarga da torta.

Técnicas de Álcool e Açúcar - Prof: Pedro Lima 02/04/2019


Técnicas de Álcool e Açúcar - Prof: Pedro Lima 02/04/2019
Técnicas de Álcool e Açúcar - Prof: Pedro Lima 02/04/2019
QUESTÕES

Prof: Pedro Lima


(64)93274472
(64)99524145
limaengenhariama@gmail.com

Técnicas de Álcool e Açúcar - Prof: Pedro Lima 02/04/2019