Você está na página 1de 12

Escola Básica 2º ciclo/3º ciclo Cego do Maio

RENASCIMENTO
A Arte do Renascimento (arquitetura, pintura e
esculturas)

História
Íris Graça Madalena nº8 8ºE
abril de 19
ÍNDICE
INTRODUÇÃO ........................................................................................ 3

RENASCIMENTO .................................................................................... 4

A arte do Renascimento .......................................................................... 4

O desenvolvimento:.............................................................................. 4

Características gerais: .......................................................................... 5

Características: .................................................................................... 5

Principais artistas: ................................................................................... 7

Principais artes renascentistas: ............................................................... 9

Conclusão.............................................................................................. 10

BIBLIOGRAFIA ...................................................................................... 11

ANEXOS................................................................................................ 12

2
INTRODUÇÃO

Neste trabalho o tema é o Renascimento e o seu subtema é arte do


renascimento (arquitetura, pintura e escultura).
Eu escolhi este subtema porque gosto saber mais sobre artes antigas e
pretendo saber sobre antigas artes e os antigos artistas. Nele eu vou
apresentar uma pequena apresentação sobre as artes, as suas características,
os principais artistas e as principais artes renascentistas.
Pesquisei estas informações no manual e internet.

3
RENASCIMENTO

Entre meados do século XIV até os finais do século XVI, houve um


movimento de renovação da cultura (nas artes, nas letras e nas ciências)
inspirada nos greco-romanos, chamada Renascimento. Este movimento iniciou-
se em Itália

A arte do Renascimento

O desenvolvimento:

O fortalecimento da burguesia na Europa estimulou a expansão dos ideais


renascentistas. Os estudiosos e artistas do Renascimento foram financiados
por pessoas ricas que compravam suas obras e os ajudavam financeiramente,
assim foram conhecidos como mercenários. A beleza das obras de arte gerava
um grande prestígio para as cidades, o que levava os mercenários a
competirem para contratar os melhores artistas.

Este movimento, embora bastante complexo e variado internamente,


estabeleceu princípios, métodos e, sobretudo, formas originais e típicas, mas
comuns.
Tais formas provem de duas principais fontes: a reutilização, após um
intervalo de quase um milênio, das formas características da arte clássica
– arte grega e arte romana. E a aplicação de uma nova descoberta técnica: a
perspetiva, conjunto de regras matemáticas e de desenho que permitem
reproduzir sobre uma folha de papel ou sobre qualquer superfície plana, o
aspeto real dos objetos.
Além de reviver a antiga cultura greco-romana, ocorreram nesse período
muitos progressos e incontáveis realizações no campo das artes, da literatura e
das ciências, que superaram a herança clássica. O ideal do humanismo foi,
sem dúvida, o motel desse progresso e tornou-se o próprio espírito do
Renascimento. Trata-se de uma volta deliberada, que propunha a ressurreição
consciente (do renascimento) do passado, considerado agora como fonte de

4
inspiração e modelo de civilização. Num sentido amplo, esse ideal pode ser
entendido como a valorização do homem (Humanismo) e da natureza, em
oposição ao divino e ao sobrenatural, conceitos que haviam impregnado a
cultura da Idade Média.

Características gerais:
 Racionalidade;
 Dignidade do Ser Humano;
 Rigor Científico;
 Ideal Humanista;
 Reutilização das artes greco-romana.
A expansão marítima com a exploração de novos continentes e a
pesquisa científica proclamavam a confiança no homem e, ao mesmo tempo, a
Reforma Protestante diminuía o domínio da Igreja. O resultado foi que o estudo
de Deus como Ser Supremo foi substituído pelo estudo do ser humano,
inclusive com o estudo da anatomia. Desde retratos detalhistas, como a
intensidade emocional e a iluminação surreal, a arte foi o meio de explorar
todas as facetas da vida na terra.

Características:

 Da arquitetura: utilização de elementos clássicos, como por exemplo,


sobreposição de ordens
arquitetónicas (dórica, jónica e
coríntia), arco de volta perfeita,
frontão, abobada de berço,
cúpula, friso e colunas. E para
além, utilização de novas
inovações do renascimento, que
eram o equilíbrio geométrico,
simetria das formas e volumes e a horizontalidade, alcançada através de
elementos como cornijas, frisos e balaustradas.

5
o Os arquitetos renascentistas perceberam que a origem de
construção clássica estava na geometria euclidiana, que usava
como base das suas obras o quadrado, aplicando-se a
perspetiva, com o intuito de se obter uma construção harmónica.
Apesar de racional e antropocêntrica, a arte renascentista
continuou cristã, porém as novas igrejas adotaram um novo estilo,
caracterizado pela funcionalidade e, portanto, pela racionalidade,
representada pelo plano centralizado, ou a cruz grega. Os
palácios também foram construídos de forma plana tendo como
base o quadrado, um corpo sólido e normalmente com um pátio
central, quadrangular, que tem a função de fazer chegar a luz às
janelas internas

 Da pintura: aplicação de novas técnicas


(pintura a óleo e sfumato) e novas formas
de representação da realidade, que são,
técnica da perspetiva (ilusão de
profundidade), naturalismo, realismo e
composição geométrica.
o A utilização da perspetiva, através
da qual os artistas conseguem reproduzir em suas obras,
espaços reais sobre uma superfície plana, dando a noção de
profundidade e de volume, ajudados pelo jogo de cores que
permitem destacar na obra os elementos mais importantes e
obscurecer os elementos secundários, a variação de cores frias e
quentes e o manejo da luz permitem criar distâncias e volumes
que parecem ser copiados da realidade; e a utilização da tinta à
óleo, que possibilitará a pintura sobre tela com uma qualidade
maior, dando maior ênfase à realidade e maior durabilidade às
obras.

6
 Da escultura: individualização (a escultura
tornou-se independente da arquitetura),
monumentalidade (as esculturas da figura
humana e equestre aparecem com um aspeto
majestoso), harmonia/equilíbrio geométrico
(simetria das formas e volumes equilibrados) e
realismo (o corpo humano é representado com
rigor expressivo e adaptado, sendo-lhe dando
um efeito de movimento natural).

o Pode-se dizer que a escultura é a forma


de expressão artística que melhor representa o renascimento, no
sentido humanista. Utilizando-se da perspetiva e da proporção
geométrica, destacam-se as figuras humanas, que até então
estavam relegadas a segundo plano, acopladas às paredes ou
capitéis. No renascimento a escultura ganha independência e a
obra, colocada acima de uma base, pode ser apreciada de todos
os ângulos.
Dois elementos se destacam: a expressão corporal que garante o
equilíbrio, revelando uma figura humana de músculos levemente
torneados e de proporções perfeitas; e as expressões das figuras,
refletindo seus sentimentos. Mesmo contrariando a moral cristã
da época, o nu volta a ser utilizado refletindo o naturalismo.

Principais artistas:

Giotto di Bondone: mais conhecido simplesmente por Giotto, foi


um pintor e arquiteto italiano. Enquanto pintor, as obras principais
foram Madonna de todos os santos, O Beijo de Judas, A Lamentação e
Julgamento Final, já em arquiteto foram Cappella degli Scrovegni e
Campanário de Florença.

Michelangelo Buonorroti: mais conhecido simplesmente


como Michelangelo ou, na forma aportuguesada Miguel Ângelo, foi
um pintor, escultor, poeta e arquiteto florentino, considerado um dos maiores
criadores da história da arte do ocidente. Conhecido por David, Teto da Capela
Sistina e Pietà.

Rafael Sanzio: ficou reconhecido pela pintura de várias Madonas


(representação da virgem Maria com o menino Jesus). Suas obras
apresentavam um estilo baseado na clareza das figuras. Apesar de criações

7
inspiradas em temáticas religiosas, Rafael procurava em retratar o ser humano
e explora o mundo real. As características realistas são nitidamente percebidas
em suas obras. Uma das suas criações mais conhecidas é a Escola de Atenas,
pintada em uma das paredes do Vaticano.

Leonardo da Vinci: foi um polímata nascido na atual Itália, uma das


figuras mais importantes do Renascimento, que se destacou
como cientista, matemático, engenheiro, inventor, anatomista, pintor, escultor,
arquiteto, botânico, poeta e músico É considerado um dos maiores pintores de
todos os tempos e como possivelmente a pessoa dotada de talentos mais
diversos a ter vivido Mona Lisa A Última Ceia A Virgem das Rochas.

Sandro Botticelli: reconhecido por suas representações de cenas da


mitologia clássica. Entre suas principais obras estão O Nascimento de Vênus e
Primavera.

Filippo Brunelleschi: foi um arquiteto e escultor renascentista. Filippo


Brunelleschi nasceu em uma família de classe média de Florença; era filho de
Giuliana Spini e Brunellesco di Lippo, um advogado. Seu pai tentou o
influenciar a ser também advogado, mas Filippo preferiu a arte e arquitetura.
Começou a vida como ourives e foi, posteriormente, um arquiteto, o pioneiro
desta arte na Renascença. Entrou para a história ao concluir a Santa Maria del
Fiore, em Florença, uma das primeiras catedrais em estilo renascentista.

Donatello: foi um escultor renascentista italiano. Trabalhou em


Florença, Prato, Siena e Pádua, recorrendo a várias técnicas para a confeção
de esculturas em baixo-relevo (tuttotondo, stiacciato) com o uso de materiais
diversos como Canudos, mármore, bronze e madeira. Umas das principais
obras são David Gattamelata São Marcos.

8
Principais artes renascentistas:

10. O Nascimento de Vênus, de Sandro Boticelli - Ano: 1484–1486


9. A Assunção da Virgem, de Ticiano - Ano: 1518
8. Madona Sistina, de Rafael - Ano: 1512
7. Primavera, de Sandro Botticelli - Ano: 1482
6. O Juízo Final, de Michelangelo – Ano: 1541
5. O Beijo de Judas, de Giotto di Bondone - Ano: 1306
4. Escola de Atenas, de Rafael - Ano: 1511
3. A Última Ceia, de Leonardo da Vinci - Ano: 1498
2. A Criação de Adão, de Michelangelo Buonarroti - Ano: 1512
1. Mona Lisa, de Leonardo da Vinci - Ano: 1517

A última ceia A criação de Adão

Mona Lisa

9
Conclusão
Com a elaboração deste trabalho, fiquei a perceber melhor a importância
que a arte pode ter nas nossas vidas e como ela é influenciada pelo clima que
vivemos. No Renascimento vivia-se uma época de mudança de mentalidades
influenciada pela época dos Descobrimentos. A arte Renascentista reflete isso
mesmo, a mudança.
Hoje em dia, podemos visitar os seus monumentos e conhecer as suas
obras e memórias dos artistas que tanto contribuíram para esta nova etapa.

10
BIBLIOGRAFIA

https://www.historiadasartes.com/nomundo/arte-
renascentista/renascimento/
https://pt.slideshare.net/Hist8/a-arte-
renascentista
https://www.culturagenial.com/renascimento/
BARREIRA, Aníbal- MORREIRA, Mendes-
Páginas da história. Porto: Edições Asa, 2018.

11
ANEXOS

Giotto di Bondone Michelangelo


Buonorroti

Leonardo da Vinci

Donatello

12