Você está na página 1de 8

BOLETIM DE

NOTÍCIAS
BRASIL
Edição 1 (bienal)
Brasil, 6 de maio de 2019
O que é o STRiDE?
STRiDE é um projeto que visa
Fortalecer as Respostas à
Demência em Países de Baixo e
Médio Poder Econômico (Brasil,
Jamaica, México, África do Sul,
Quênia, Índia e Indonésia).
O STRiDE terá duração de quatro
anos (2018-2021) e é financiado pelo
Conselho de Pesquisa do Reino
Unido (ES/P010938/1).
O STRiDE é uma parceria entre
pesquisadores e Associações de
Alzheimer e tem como meta principal
melhorar a qualidade de vida das
pessoas com demência e seus
cuidadores no Brasil.
Os objetivos do STRiDE são:
Quem faz parte da equipe STRiDE no Brasil? 1. Aumentar a capacidade de gerar e
A equipe do STRiDE Brasil é afiliada à Escola Paulista usar estudos para apoiar políticas
de Medicina da Universidade Federal de São Paulo públicas voltadas para o cuidado,
(UNIFESP) e à Federação Brasileira das Associações tratamento e apoio a pessoas com
da Alzheimer (FEBRAZ). demência e seus cuidadores no
Brasil.
Profa Dra Cleusa Ferri (psiquiatra e epidemiologista,
Docente do Programa de Pós-Graduação do 2. Saber mais sobre o que pode ajudar
Departamento de Psiquiatria da EPM-UNIFESP, líder as pessoas com demência e seus
do STRiDE Brasil) familiares e outros cuidadores.

Dra Deborah Oliveira (enfermeira, doutorado em 3. Avaliar o impacto e as necessidades


Ciências da Saúde pela Universidade de Nottingham) relacionadas à demência no país para
Dra Fabiana da Mata (fisioterapeuta, doutorado em o desenvolvimento de respostas
públicas apropriadas.
Ciências Médicas pela UnB).
Profa Dra Elaine Mateus (Professora Associada na 4. Contribuir para o desenvolvimento de
Universidade Estadual de Londrina, doutorado em um Plano Nacional de Demência no
Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem) Brasil.
representando a Federação Brasileira das Associações
de Alzheimer (FEBRAZ).
1
Desafios e Prioridades na Área da Demência no Brasil

O Brasil teve sua primeira meta


atingida no STRiDE Brasil com a
conclusão da primeira oficina da
“Teoria da Mudança” que ocorreu em
junho de 2018 em São Paulo.

Esta oficina contou com a participação


de 31 pessoas representando as áreas
da sociedade com interesse em
demência, incluindo representantes do
Ministério da Saúde, Organização
Pan-Americana da Saúde, Federação
Brasileira das Associações de
Alzheimer (FEBRAZ), autoridades
locais, pesquisadores, profissionais de
saúde, estudantes de graduação e
pós-graduação, cuidadores familiares Foto: Grupo de participantes do primeiro workshop de Teoria da Mudança em São Paulo.
e uma pessoa com demência.

Este evento de um dia ajudou


a equipe a mapear as
principais prioridades
nacionais em demência,
possíveis soluções para os
desafios atuais, e estabelecer
parcerias duradouras dentro
do projeto STRiDE Brasil.

Em preparação para esta


oficina, a equipe também
realizou uma rápida análise
situacional dos cuidados de
demência na área social e de
saúde do país. Os resultados
de ambas atividades estão
sendo usados para informar
Foto: Discussões em grupo sobre os desafios e prioridades na área de demência no Brasil. as próximas etapas do projeto
STRiDE.

2
Treinamento Colaboração
A Dra Deborah Oliveira (UNIFESP) e a
Dra Elaine Mateus (FEBRAZ)
participaram de um encontro na Cidade
do Cabo (África do Sul) em fevereiro de
2019. O encontro reuniu toda a equipe
do STRiDE dos sete países (Brasil,
Jamaica, México, África do Sul, Quênia,
Índia e Indonésia), bem como indivíduos
do Global Brain Health Institute (GBHI),
Alzheimer’s Disease International (ADI) e
gestores de saúde e assistência social
locais e nacionais da África do Sul.

Durante este encontro, as pesquisadoras


apresentaram sobre a situação atual do
trabalho do STRiDE no Brasil, bem como
tiveram treinamento para a realização Foto: Profa Cleusa Ferri, Prof. Jerson Laks e Dr Rodrigo Schults.
das próximas etapas do projeto,
envolvendo as áreas de epidemiologia,
desenvolvimento de políticas de saúde, A Profa Dra Cleusa Ferri, juntamente com o
revisão de literatura, dentre outros. Prof. Dr. Jerson Laks, da Universidade
Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e o Dr.
Comitê Consultivo
Rodrigo Schultz (FEBRAZ), foram convidados
a defender a demência na VII Reunião da
Nacional
Comissão Intersetorial de Atenção à Saúde
das Pessoas com Patologias (CIASPP) do
Conselho Nacional de Saúde (CNS),
realizada em São Paulo, durante o 5º
Simpósio de Reabilitação Oncológica.

Eles defenderam mais investimentos na área


de demência no Brasil e destacaram o
trabalho realizado no projeto STRiDE e seu
potencial para ajudar a desenvolver uma
melhor estratégia de atendimento às pessoas
Foto: Dra Deborah apresentando sobre o trabalho do STRiDE
no Brasil.
que vivem com demência e seus cuidadores
no Brasil.

A Profa Ferri contatou, entre outros,


representantes do Ministério da Saúde, do
Ministério da Cidadania e da OPAS, bem
como se reuniu com representantes locais do
município de São José dos Campos, onde a
maior parte da coleta de dados será
realizada.

Estes encontros permitiram que a equipe


STRiDE Brasil tivesse a oportunidade de
envolver um grupo importante e amplo de
membros para o Conselho Consultivo
Foto: Dra Deborah junto a alguns dos membros do projeto
STRiDE internacional e GBHI na Cidade do Cabo em fevereiro
de 2019. 3
Impacto Nacional

Foto: Membros do Comitê Consultivo Nacional e equipe do STRiDE Brasil. Foto: Membros do Comitê Consultivo Nacional do STRiDE Brasil em reunião.

A primeira reunião do Conselho Consultivo Nacional (CCN) do STRiDE Brasil aconteceu no dia 12 de abril durante o
Simpósio Satélite da Associação do Alzheimer (AAIC), em São Paulo.

Este grupo envolve representantes de diferentes setores da sociedade envolvidos direta ou indiretamente com o
tema no Brasil, dentre estes gestores de saúde e assistência social locais e federais, uma pessoa que vive com
demência e sua cuidadora, pesquisadores, etc.

Durante esta reunião, a equipe discutiu como o CCN trabalhará em conjunto, suas regulamentações e funções, o
progresso geral do STRiDE Brasil e os indicadores para a implementação dos objetivos ao longo dos três anos do
projeto.

Durante o Simpósio Satélite da Associação de Alzheimer


que aconteceu em São Paulo, em abril, o projeto STRiDE
foi apresentado para todos as pessoas presentes.

Uma conta do projeto STRiDE Brasil foi aberta no Twitter


(@STRiDE_Brasil) e um endereço de e-mail
(brasil.stride@gmail.com) foi criado. Ambos foram
divulgados durante o evento de forma a encorajar
pessoas com interesse em colaborar com a equipe do
projeto.

Foto: Apresentação sobre o projeto STRiDE em São Paulo.

Como resultado deste evento, a Prof a Dra Cleusa


Ferri deu entrevista ao Jornal do Estado de São
Paulo ‘Estadão’ e a matéria foi publicada no dia
29 de abril de 2019 (segunda-feira).

Este evento em São Paulo e esta entrevista


tiveram impacto em âmbito nacional e espera-se
que isso ajude a aumentar o conhecimento das
pessoas sobre a demência e sobre a importância
de se desenvolver políticas de apoio a pessoas
que vivem com demência e seus familiares.

4
Foto: Entrevista da Profa Dra Cleusa Ferri no Jornal Estadão.
O STRiDE Brasil irá
estudar o estigma e
o preconceito
vividos por pessoas
com demência no
Brasil

O estigma é um desafio
importante na área da demência O estigma também pode afetar o
já que pode levar ao isolamento quanto indivíduos, gestores e
social e à depressão, reduzindo O medo de sofrer discriminação profissionais de saúde podem
a qualidade de vida das pessoas pode levar as pessoas com investir de tempo e de recursos
com demência e seus demência e suas famílias a não em estratégias de prevenção
cuidadores. buscarem ajuda, forçando-as a (ex. atividade física, controle
viver dificuldades sem receber o glicêmico e de pressão arterial,
apoio que precisam. realização de acuidade auditiva),
diagnóstico precoce, bem como
em tratamentos e cuidados na
área de demência.

Envolva-se!

O que o STRiDE fará?


O STRiDE tentará encontrar soluções para reduzir o estigma vivido por pessoas com demência e
seus cuidadores por meio de:

 Encontros com membros do público em geral, profissionais de saúde e gestores, bem como
pessoas com demência e seus cuidadores, para entender melhor os conhecimentos, atitudes e
comportamentos em relação às pessoas que vivem com demência e seus cuidadores, bem
como experiências de estigma e discriminação.

 Depois disso, os pesquisadores e membros da sociedade civil organizada irão desenvolver e


testar a eficácia de atividades sociais anti-estigma por meio de vídeos, palestras, encontros,
dentre outras.

5
O STRiDE Brasil
também irá estudar
os custos do
cuidado a pessoas
com demência no
Brasil

A demência é uma das principais causas de incapacidade Estima-se que as demências custaram,
em pessoas idosas e tem um impacto importante para a globalmente U$1 trilhão para a
qualidade de vida destas pessoas. sociedade em 2018.
A prestação de cuidado e apoio a pessoas que vivem com No Brasil, a maior parte do custo é
demência, particularmente em fases mais avançadas da arcado por cuidadores familiares,
doença, tem um custo alto. principalmente mulheres, cuja saúde,
educação e renda são colocadas em
risco.

Ao mesmo tempo, a disponibilidade de


cuidado familiar está diminuindo como

Envolva-se! resultado de mudanças demográficas,


sociais e econômicas, bem como do
papel da mulher na sociedade e na
família.

O que o STRiDE fará?


A equipe de pesquisadoras do STRiDE Brasil realizará entrevistas individuais por telefone ou
presenciais com gestores e com pessoas que vivem com demência e seus cuidadores.

As entrevistas terão vários objetivos, tais como obter opiniões sobre desafios / oportunidades /
expectativas para atender às necessidades futuras de atendimento, tratamento e apoio às pessoas
afetadas pela demência; e conhecer a experiência dos cuidadores familiares em relação ao uso dos
serviços e sua visão sobre o que precisa ser modificado ou passar a existir para atender as suas
necessidades.

6
Conheça a nossa equipe!
A equipe do STRiDE Brasil é afiliada à Escola Paulista de Medicina da Universidade
Federal de São Paulo (UNIFESP) e à Federação Brasileira das Associações de Alzheimer
(FEBRAZ).

Profa Dra Cleusa Ferri. Psiquiatra e epidemiologista,


Docente do Programa de Pós-graduação do Departamento
de Psiquiatria da UNIFESP. Coordenadora do STRiDE
Brasil.
E-mail: cleusa.ferri@unifesp.br
Twitter: @CleusaFerri

Dra Deborah Oliveira. Enfermeira, doutorado em Ciências


da Saúde pela Universidade de Nottingham. Pesquisadora
do STRiDE Brasil.
E-mail: oliveiradc.phd@gmail.com
Twitter: @CarersResearch

Dra Fabiana da Mata. Fisioterapeuta, doutorado em Ciências


Médicas pela UnB. Pesquisadora do STRiDE Brasil.
E-mail: fagfigueiredo@hotmail.com

Profa Dra Elaine Mateus. Professora associada na


Universidade Estadual de Londrina, doutorado em
Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem.
Representante da Federação Brasileira das Associações de
Alzheimer (FEBRAZ) no STRiDE Brazil.
E-mail: febrazbr@gmail.com
Twitter: @ElaineMateus

7
Para mais informações, entre em contato conosco via:

E-mail: brasil.stride@gmail.com

Twitter: @STRiDE_Brasil

Website (em inglês): WWW.STRIDE-DEMENTIA.ORG