Você está na página 1de 29

PROF. RENATO MADEIRA

MATEMÁTICA

MÓDULO 10

PROMILITARES AFA/EFOMM/EN

EQUAÇÕES E INEQUAÇÕES TRIGONOMÉTRICAS

1. EQUAÇÕES TRIGONOMÉTRICAS BÁSICAS

Vamos mostrar como resolver equações trigonométricas básicas, onde temos uma linha trigonométrica

aplicada sobre uma função e igual a um determinado valor. Um exemplo desse tipo de equação é

sen2x

1

.

2

Normalmente, mesmo as equações trigonométricas mais complexas, terminam com a resolução de uma equação dessa forma.

1.1. EQUAÇÃO EM SENO

Seja

a

uma equação dessa forma. 1.1. EQUAÇÃO EM SENO Seja a  tal que a  1

tal que

a

1

, então

sen a arcsena2k,k

  arcsena2k,k

Notação resumida:

 k 1

k

arcsena, k

  k   1  k  arcsena, k  Observe que representamos a

Observe que representamos a solução da equação utilizando a função arco seno por se tratar de um caso geral. Na maioria dos problemas são apresentados ângulos cujos valores das linhas trigonométricas são conhecidos.

Ao resolver uma equação trigonométrica, é sempre útil identificar as soluções no ciclo trigonométrico, como na figura seguinte.

equação trigonométrica, é sempre útil identificar as soluções no ciclo trigonométrico, como na figura seguinte. 1

PROF. RENATO MADEIRA

MATEMÁTICA

MÓDULO 10

PROMILITARES AFA/EFOMM/EN

Exemplo:

sen2x

1

 

2

2x

  

k

1

Se, na equação

sena,

o valor de

Exemplo:

senx 2S 

k

a

1.2. EQUAÇÃO EM COSSENO

Seja

a

2  S   k a 1.2. EQUAÇÃO EM COSSENO Seja a  tal que

tal que

a 1

, então

cos a 2k arccosa,k

1 , então cos  a  2k  arccosa,k   6  ,k k

6

,k

k   x    1  k  ,k  2 12
k 
x
 
1
k
,k
2
12

  

for tal que

a 1

, então o conjunto solução da equação é vazio.

A identificação das soluções da equação no ciclo trigonométrico encontra-se na figura seguinte.

no ciclo trigonométrico encontra-se na figura seguinte. Exemplo: cos2x 1   2 2x  2k

Exemplo:

cos2x

1

 

2

2x

2k



3

,k

 x k ,k  6
x
k
,k
6

   

Se, na equação

cosa

, o valor de

Exemplo:

cosx 2 S 

a

1.3. EQUAÇÃO EM TANGENTE

Seja

a

 2  S  a 1.3. EQUAÇÃO EM TANGENTE Seja a  , então tg

, então

tg a arctgak,k

 , então tg  a  arctga  k  ,k  for tal que

for tal que

a 1

, então o conjunto solução da equação é vazio.

PROF. RENATO MADEIRA

MATEMÁTICA

MÓDULO 10

PROMILITARES AFA/EFOMM/EN

Observe que a equação em tangente possui solução para qualquer valor de

a real.

A identificação das soluções da equação no ciclo trigonométrico encontra-se na figura seguinte.

no ciclo trigonométrico encontra-se na figura seguinte.    Exemplo: tg2x 1   2x 
 

Exemplo:

tg2x

1

 

2x

4

k

 

,k

 k    x  ,k  8 2
k 
 
x
,k
8
2

2. EQUAÇÕES COM IGUALDADE DE LINHAS TRIGONOMÉTRICAS

2.1. EQUAÇÃO COM IGUALDADE DE SENOS

sen sen 2k,k

  2k,k

Observe que dois arcos que possuem o mesmo seno ou são côngruos

que dois arcos que possuem o mesmo seno ou são côngruos   2k  ,k

2k,k

ou suas imagens são

simétricas em relação ao eixo

Oy

.

No

segundo

caso,

os

ângulos

 

seriam

dados,

sem

perda

de

generalidade,

por

2k1,k1

No segundo caso, os ângulos   seriam dados, sem perda de generalidade, por  2k 1

e

   2k2,k2

1  e    2k 2  ,k 2    , o

, o que implica

 2k1 k2 2k, k

.
.

Outra maneira de resolver essa equação é usando as fórmulas de Werner:

sen

sen



sen



sen



sen

 

0

2sen

  cos  

  0

2

2



2

  0



2

2k

,k

   

k

,k

sen

   2  

0

cos

   2  

0

PROF. RENATO MADEIRA

MATEMÁTICA

MÓDULO 10

PROMILITARES AFA/EFOMM/EN

cos



2

  0

 2

2

2k

,k

     

k

,k

Notação resumida:

 k 1 , k

k

resumida:  k   1  , k    k Exemplo: sen2x 

Exemplo:

sen2x

sen

  

x

4

  

2x

2x

    x    2k     ,k x

x
2k
   
,k
x
2k
,k
4
4
  5  2k   x    2k  ,k 

5
2k
x

2k
,k
 
x
,k
4
12
3

2.2. EQUAÇÃO COM IGUALDADE DE COSSENOS

cos cos 2k,k

COSSENOS cos  cos  2k  ,k  Observe que dois arcos que possuem o

Observe que dois arcos que possuem o mesmo cosseno ou são côngruos

são simétricas em relação ao eixo

Ox

.

ou são côngruos são simétricas em relação ao eixo Ox .   2k  ,k

2k,k

ou suas imagens

No

segundo

caso,

2k2,k2

imagens No segundo caso,  2k 2  ,k 2  os ângulos seriam dados, sem

os

ângulos

seriam

dados,

sem

perda

de

, o que implica

 2k1 k2 2k, k

.
.

generalidade,

A notação

2k,k

k  . generalidade, A notação  2k  ,k  representa a união das soluções

representa a união das soluções de ambos os casos.

por

2k1,k1

de ambos os casos. por  2k 1  ,k 1  e Outra maneira de

e

Outra maneira de resolver essa equação é usando as fórmulas de Werner:

cos



cos



cos



cos

 

0

2sen



2

 

sen

   2   0

sen

   2  

0

sen

   2  

0

  sen    0      k ,k 2k


sen
  0 
   
k
,k
2k
,k
2
2


sen
  0 
   
k
,k
2k
,k
2
2

2k
3x
2x
2k
   
,k
x
,k
3
15
5
Exemplo:
cos3x
cos   2x
3
 

3x
2x
2k
,k
 
x
2k
,k
3
3

Exemplo: (ITA 1993) O conjunto das soluções da equação

a)

16

k

5

,k

soluções da equação a)   16  k  5 ,k  b)  

b)

16

k

3

,k

16  k  5 ,k   b)   16  k  3

c)

4

k

3

,k

sen5x cos3x

  16  k  3 ,k   c)   4  k

contém o seguinte conjunto:

PROF. RENATO MADEIRA

MATEMÁTICA

MÓDULO 10

PROMILITARES AFA/EFOMM/EN

d)

4

k

2

,k

– AFA/EFOMM/EN d)   4  k  2 ,k   e)  

e)

4

2k

,k

 4  k  2 ,k   e)   4  2k 

RESOLUÇÃO: e

sen5x

 

x

cos3x

k

16

4

cos

 

2

5x

cos3x



2

5x

3x

,k

   x   k ,k  4
 
x
 
k
,k
4

2k

S

x

 k      |x   ,k    x
k 

|x
,k
 
x
 
k
,k
2k
,k
16
4
4
4

2.3. EQUAÇÃO COM IGUALDADE DE TANGENTES

tg tg k,k

DE TANGENTES tg  tg  k  ,k  Observe que dois arcos que possuem

Observe que dois arcos que possuem o mesmo cosseno ou são côngruos são simétricas em relação à origem dos eixos ordenados.

são simétricas em relação à origem dos eixos ordenados.   2k  ,k  

2k,k

ou suas imagens

No segundo caso, os ângulos seriam dados, sem perda de generalidade, por

2k2,k2

perda de generalidade, por  2k 2  ,k 2  , o que implica 

, o que implica

 2k1 k2 2k, k

.
.

A notação k,k

2k  , k  . A notação  k  ,k  representa a união

representa a união das soluções de ambos os casos

   2k1,k1

os casos    2k 1  ,k 1    e Outra maneira

e

Outra maneira de resolver essa equação é usando as fórmulas de Werner:

tg

 

tg

tg

  

tg

0

sen



cos



cos

0

 

sen

Exemplo:

tg

4x

 4  

tg2x



4x

 4  

2x

k

 

,k

    

0

k

,k

 k    x  ,k  8 2
k 
 
x
,k
8
2
 0 k ,k   k    x  ,k  8 2

3. OUTRAS EQUAÇÕES TRIGONOMÉTRICAS

3.1. EQUAÇÃO DO TIPO:

asenx bcosx c

Seja a equação asenx bcosx c , onde

ab 0

, temos:

asenx

bcosx

 

c

a

a 2  b 2
a
2
b
2

senx

b

cosx  c , onde a  b  0 , temos: asenx  bcosx  

c

a 2  b 2
a
2
b
2

PROF. RENATO MADEIRA

MATEMÁTICA

MÓDULO 10

PROMILITARES AFA/EFOMM/EN

Seja o ângulo

tal que

sen 

a b cos  e a 2  b 2 a 2  b 2
a
b
cos 
e
a
2
b
2
a
2
b
2

, então

sen  senx  cos  c   1 Se a 2  b
sen
senx
cos
c
 
1
Se
a
2
b
2
c cosx   cos x     a 2  b 2
c
cosx
cos x
 
a
2
b
2

c

a 2  b 2
a
2
b
2

1

, então

x 

arccos

 c     a 2  b 2 
c
 
a
2
b
2

2k

, k

.
.

3.2. EQUAÇÃO DO TIPO:

asen x bsenxcosx ccos x d

2

2

Seja a equação

asen x bsenxcosx ccos x d,

2

2

onde

abc 0

, temos:

asen x bsenxcosx ccos x d

2

2

cos x atg x btgx c dsec x

2

2

2

atg x btgx c d 1tg x

2

2

ag tg x btgx c d

2

0

Observe que ao dividir a equação original por

2

cos x

, obtivemos uma nova equação em

tgx

possuir raízes reais, então a expressão reduz-se a duas equações da forma

tgx p

.

tgx

. Se a equação em

3.3. EQUAÇÃO DO TIPO:

asenx cosxbsenxcosx c

Vamos efetuar uma substituição de variável para resolver essa equação.

senx

cosx

 

z

senx

cosx

2

z

2

1

 

2senxcosx

Substituindo esses valores na equação original, temos:

a senx

cosx

bsenxcosx

 

c

az

b

z

2

1

2

 

c

bz

2

z

2

senxcosx

z

2

1

 

2

2az

b

2c

0

Basta agora resolver a equação em a solução da equação do item 3.1).

z e retornar a substituição, observando que

da equação do item 3.1). z e retornar a substituição, observando que  2  senx

2 senx cosx

2
2

(vide

PROF. RENATO MADEIRA

MATEMÁTICA

MÓDULO 10

PROMILITARES AFA/EFOMM/EN

4. INEQUAÇÕES TRIGONOMÉTRICAS

Para simplificar uma inequação trigonométrica são utilizadas as mesmas técnicas utilizadas nas equações trigonométricas., obtendo-se ao final uma inequação básica. Para resolver essa inequação, basta marcar as soluções da “equação” no ciclo trigonométrico e, posteriormente, identificar os intervalos que satisfazem à inequação.

Exemplo: Resolva a inequação

senx

1

2

em

0,2

.

Inicialmente, vamos marcar no ciclo trigonométrico as raízes de

senx

1

2

que são

6

e

5 .

6

as raízes de senx  1 2 que são  6 e 5  . 6

Os

S

valores

   0,  6  

que

   5 6

,2

satisfazem

 

.

à

inequação

são

aqueles

cujo

seno

é

menor

ou

igual

a

1

2 ,

ou

seja,

PROF. RENATO MADEIRA

MATEMÁTICA

MÓDULO 10

PROMILITARES AFA/EFOMM/EN

EXERCÍCIOS DE COMBATE

1.

a)

b)

c)

d)

e)

A solução da equação

x x 2k k

 

x

k

ou



x k

 

4

x

k



 

4

 

k

x

2

tgx

tgx

1 sen2x

1

 

1

, onde

k

x  2  tgx  tgx 1 sen2x 1   1 , onde k

, é:

2.

A área do polígono, cujos vértices são a representação no ciclo trigonométrico das soluções da equação

senx sen2x sen3x

2

cosx cos2x cos3x

2

1,

é:

 

1

a)

2

b)

1

c)

2

d)

3
3

2

e)

3 3
3
3

4

3.

(EsPCEx 1998) A soma das soluções da equação

π

a)

6

π

b)

3

π

c)

2

2π

d)

3

5π

e)

6

2

625 cos x

25 cosx

1

, para

0

x

2

é:

PROF. RENATO MADEIRA

MATEMÁTICA

MÓDULO 10

PROMILITARES AFA/EFOMM/EN

4. (EsPCEx 2001) O número de soluções da equação

a)

b)

c)

d)

e)

infinito

4

2

1

0

sen x cos x 1

4

4

, satisfazendo a condição

0 x 2

, é

5.

medida w, ambos pertencentes ao 1º quadrante, pode-se afirmar que todos os valores de w que satisfazem

essa condição pertencem ao intervalo

(EsPCEx 2002) Se o cosseno de um ângulo de medida k é o dobro do cosseno de um outro ângulo de

a)

b)

c)

d)

e)

0,15

15,30 30,45 45,60 60,90

6. (EsPCEx 2005) Dadas as funções reais

fxsen2x

e

interseções entre os gráficos de f e g é:

a)

6

b)

2

c)

1

d)

4

e)

8

7.

(EsPCEx 2010) O número de arcos no intervalo

a)

1

b)

2

c)

3

d)

4

e)

5

0, 19 

 

 

6

g

x

1

2

tal que

x0,2

. Então, o número de

cujo valor do cosseno é igual a

1

é

2

9

PROF. RENATO MADEIRA

MATEMÁTICA

MÓDULO 10

PROMILITARES AFA/EFOMM/EN

8. (EsPCEx 2015) 18) A soma de todas as soluções da equação

contidas no intervalo

0,2

, é igual a

a)

b)

c)

d)

e)

23

4

5

6

2cos

3

x cos

2

x 2cos x 10,

que estão

9. (EN 2003) O número de soluções reais da equação

sen

1

 

 

x

 

x

2

é igual a n; assim, pode-se concluir que:

n a) n 1 b) n 2 c) n d) n  0  
n
a)
n 1
b)
n 2
c)
n
d)
n
 0
  3 3
e)
1
cosx
2
1
cosx
3
0  x  4
1
cosx
2
10. (EN 2004) O número de soluções da equação
2
4
quando
é
a)
1
b)
2
c)
3
d)
4
e)
6
A (x1, y1)
B (x2 , y2)
11.
(EN
2005)
Os
pontos
e
são
soluções
do
sistema
de
 sen (x
y)
sen (x
y)
2
x [0, 2].
onde
A distância desde A até B é:
 
sen x
cos y
2
a)
2
3
b)
2

para x real,

equações

PROF. RENATO MADEIRA

MATEMÁTICA

MÓDULO 10

PROMILITARES AFA/EFOMM/EN

c)

d)

e)

23

12. (EN 2006) No intervalo

a)

b)

c)

d)

e)

15

2

117

10

15

2

117

5

[0, ]

a equação

sen

4

x

cos

4

x

5

8

possui soma dos inversos das raízes igual à:

2

x

1

ln

  

x

tg

1

1

ln

 

,

k

.
.

3

4

1

,

13. (EN 2007) O conjunto de todos os valores de

x

, 13. (EN 2007) O conjunto de todos os valores de  x  , é

, é

a) 1,

b)

 

,

 

 

4

2

c) 1, 

 

2

 

d)  ,e

 

2

 

0,

que satisfazem ao sistema

e) e,

14. (EN 2008) Sejam f e g funções reais definidas por

f

x 2sen x 6cosx e

2

gxk cos2x

Se

f

  3

 

g   7 4 

 

19

2

, então a soma das soluções da equação

fxgx

no intervalo

   21 11

,

   é

16

5

a)

13 6

PROF. RENATO MADEIRA

MATEMÁTICA

MÓDULO 10

PROMILITARES AFA/EFOMM/EN

b)

c)

d)

e)

13

7

3

3

25

6

16

3

15. (EN 2009) O termo de mais alto grau da equação biquadrada

que duas das raízes dessa equação são, respectivamente, o termo central do desenvolvimento de

tem coeficiente igual a 1. Sabe-se

Bx0

 1   2
1
 
2

1 5   
1
5
  

6

e a quantidade de soluções da equação

sen x 6senxcosx 8cos x 0

2

2

no intervalo

0,2

.

Pode-se afirmar que a soma dos coeficientes de

a)

b)

c)

d)

e)

9 6

3

7

12

Bx

vale

16.

(EN

2011)

Sejam

A

e

B

conjuntos

respectivamente, o domínio da função

f

x

de números   1 2senx  1  2senx
de
números
 
1
2senx
1
 2senx

reais

tais

que

seus

no universo

0,2

elementos

constituem,

e o conjunto solução da

inequação

1

1

0

para

0 x 

, com x

. Pode-se afirmar que

B A

é igual a

 
 

cossecx

secx

2

a)

b)

c)

d)

e)

 

,

 

6

4

5

 

6

,

6   

7

  

,

6

  

5

6

4

,

  

   5 4

,

11

6

 

11

   7 6

,

6

 

PROF. RENATO MADEIRA

MATEMÁTICA

MÓDULO 10

PROMILITARES AFA/EFOMM/EN

17.

(EN

2012)

Considere

4sen x 5senx 4cos x 5cosx 0

3

3

S

,

a

soma

, no intervalo

 

0,

  

2

das

raízes

. Qual o valor de

da

equação

tgS cossec2S

?

trigonométrica

a)

2

b)

1

c)

0

d)

1 2

 

e)

18.

(EN 2014) A soma das soluções da equação trigonométrica

a)

b)

23

 

c)

5

d)

3

 

10

e)

3

19.

(EFOMM 2010) Considere a equação de incógnita real

x

uma de suas soluções e

desse cubo, em

x0

2

, é igual a

cm

:

cos2x 3cosx 2

, no intervalo

0,2

é

é

centímetros é a medida da diagonal de um cubo, então a área da superfície total

2cos x 2cos x 1cos4x

4

2

. Se

x0

0;

a)

b)

3

8

1

2

2

2

c)

d)

6

27

8

2

e)

6

2

20. (EFOMM 2014) Seja

possíveis valores de

tgx

x0,2

tal que

 

1

. Então, o produto

 

senx cosx

P

e

a soma

S

 

5

 

são, respectivamente,

de todos os

PROF. RENATO MADEIRA

MATEMÁTICA

MÓDULO 10

PROMILITARES AFA/EFOMM/EN

a)

b)

c)

d)

e)

21.

P

P

P

P

P

1 1

e

e

1 1

1

e

S

S

e

e

S

  0 5

S 0

S 5

5

(AFA 2000) Os valores de

a) 2 1m1 m 2 b) 0m 2 c)  2 m 2 d)
a)
2 1m1 m 2
b)
0m
2
c)
2 m
2
d)

m

m 2 b) 0m 2 c)  2 m 2 d) m  para os quais

para os quais a equação

2
2

senx cosx

2

m 2

admite soluções, são

22. (AFA 2000) A inequação

pertencentes a

2

senx

2

 

 

3



, com

x0,2

e



log 2 log2  log3
log
2
log2
 log3

, tem como solução os valores de x

a)

0, 323,2

 0 ,  3    2  3,2  
 0 ,  3    2  3,2  
 

b)

0, 232,2

 0 ,  2    3  2,2  
 0 ,  2    3  2,2  

c)

0, 656,2

 0 ,  6    5  6,2  
 0 ,  6    5  6,2  

d)

0,4 356,2

 0 , 4  3    5  6,2  
 0 , 4  3    5  6,2  

23.

(AFA 2002) O conjunto dos valores reais de x que tornam verdadeira a desigualdade

cos

a)

b)

 x  |x   ou x     x  |

x |x   ou x  

 x  |x   ou x     x  | 
 x  |x   ou x     x  | 

x|  x  

 x  |x   ou x     x  | 
a) b)  x  |x   ou x     x 

c)

c)

d)

2

x  

é

24. (AFA 2004) O determinante associado à matriz

y x

2

2x 1

. Então, o maior valor de

a

no intervalo

 

1 0

3

4

sena

1

0,2

é

0

1

2sena

 

é igual ao menor valor da função

PROF. RENATO MADEIRA

MATEMÁTICA

MÓDULO 10

PROMILITARES AFA/EFOMM/EN

 

a)

6

5

b)

6

 

3

c)

4

 

7

d)

4

 

25.

(AFA 2005) Considere

m

a raiz da equação

cotgmsec2m

é

2

cos2x 3sen x senx 30

no intervalo 0,2. O número

a)

0

b)

1

 

c)

1

d)

3
3
 

3

26.

(AFA 2010) Seja a função real f definida por fx

cos4x

sen



2

6x   . Marque a alternativa que possui

a melhor representação, no ciclo trigonométrico, de todas as raízes da função f.

a)

c)

sen 0 cos
sen
0
cos
sen 0 cos
sen
0
cos

b)

sen 0 cos
sen
0
cos

d)

sen 0 cos
sen
0
cos

PROF. RENATO MADEIRA

MATEMÁTICA

MÓDULO 10

PROMILITARES AFA/EFOMM/EN

27. (AFA 2012) Sendo

inequação

x0,2

2

, a interpretação gráfica no ciclo trigonométrico para o conjunto solução da

é dada por

8sen x 10sen x 30

4

da é dada por  8sen x  10sen x  3  0 4 28.

28. (ITA 2009) A soma de todas as soluções distintas da equação

intervalo

0

x

 

, é igual a:

 

2

a) 2

cos3x 2cos6x cos9x 0

que estão no

b) 23

12

 
 

9

c)

6

 

7

d)

6

13

e)

12

29.

(ITA 2007) Seja x um número real no intervalo

0x/2

. Assinale a opção que indica o comprimento do

menor intervalo que contém todas as soluções da desigualdade

PROF. RENATO MADEIRA

MATEMÁTICA

MÓDULO 10

PROMILITARES AFA/EFOMM/EN

1    2 x 1 tg  x  3 cos 2 
1
   2
x
1
tg
x
3
cos
2
2
  
  
2
2
  
a)  / 2

b) / 3

c) / 4

d) / 6

e) / 12

30. Resolvendo a equação

a) 0

b) 1

c) 2

d) 4

e) 8

tgx

sec(x)

0

cotgx

 

1

cos

x



4

, onde

x0,2

, o número de soluções encontradas é:

PROF. RENATO MADEIRA

MATEMÁTICA

MÓDULO 10

PROMILITARES AFA/EFOMM/EN

GABARITO

1. Inicialmente, observamos que

x

2

k

 

1

tgx

1

tgx

 

1

sen2x

1 tgx

1

tgx

 

1

2tgx

1

tg

2

x

,k

1 tgx  1  tgx   1 2tgx 1  tg 2 x ,k

e

tgx 1

, ou seja,

1

tgx

2

1

tgx

1

tgx

1

tg

x

2

x

4

k

 

2 1  tgx 1  tgx 1 tg  x 2 x   4

I) 1tgx 0 tgx 1

II)

1tgx 0

RESOLUÇÃO: C

2.

senx

sen2x

 

x

k

 

,k

 

4

1

1

tgx

1 tgx

 

1

tg

2

x

sen3x

2

cosx

cos2x

1 tg

2

x 1 tg

2

cos3x

2

1

x tgx 0

x k,k

sen

2

x

2

sen 2x

2

sen 3x

2senxsen2x

2senxsen3x

2sen2x sen3x

cos

2

x

2

cos 2x

2

cos 3x

   

1

1

1

2cos 2x

x

cos2x

2cosx

 

1

0

2cosxcos2x

2cos 3x

x

2

2cos x

 

1

2cosxcos3x

2cos 3x

2x

2cos2x cos3x

1

2cosx

  

1

0

2cosx cosx

cosx

x

2

 

0

cosx

,k



1

x 2k  ,k 
x
2k
,k

 

    

k

1

1

0

,k

      k   1 1   0 ,k 
.
.

Representando os pontos no ciclo trigonométrico, encontramos para vértices os pontos B, B’ e A’. Assim, obtemos um triângulo de base 2 e altura 1 e que consequentemente possui área 1.

REFERÊNCIA: KöMaL