Você está na página 1de 5

Tarefa 1

Qualquer matéria existente é passivo de avaliar suas propriedades físicas


quanto densidade, calor específico, coeficiente de expansão térmica,
condutividade térmica e propriedades mecânicas como tensão de escoamento,
resistência mecânica, ductibilidade e tenacidade quando solicitadas.
Conforme o solicitado pela tarefa será comentado apenas sobre as propriedades
mecânicas dos materiais que usualmente utilizamos nas construções.
As principais propriedades mecânicas são: Resistencia mecânica, elasticidade,
ductilidade e tenacidade.
Toda força aplicada através de uma carga ou tração sobre um material gera
deformações nos materiais de forma elástica e plástica de acordo com a
intensidade e tempo em que é aplicado.
Tensões comumente exercidas nas estruturas são: Tração, compressão,
cisalhamento, flexão e torção.
As propriedades mecânicas são avaliadas por ensaios mecânicos a partir de
amostras de material (corpo de prova), todo o procedimento é realizado
conforme as normas técnicas quanto as medidas e a padronização do feitio dos
corpos de prova para que se garanta resultados que possa ser comparáveis uns
dos outros. Os ensaios mais comuns às empresas são:

Ensaio de tração – É aplicado uma carga ou força de tração ao corpo de prova


gradualmente e crescente provocando deformidade progressiva de aumento de
comprimento do material até atingir a ruptura. Esse processo é medido e
registrado passo a passo criando-se um gráfico Tensão X Deformação onde
pode-se avaliar a deformação pela carga aplicada.
Ensaio de compressão – É aplicado uma carga ou uma força de compressão
ao corpo de prova de forma gradual e crescente que com o tempo se contrai.
Esse processo também é medido e registrado passo a passo criando-se um
gráfico Tensão X Deformação onde pode-se avaliar a deformação pela carga
aplicada.

Nos ensaios são analisados os gráficos, o resultado é muito importante para


avaliar a capacidade de elasticidade, plasticidade e maleabilidade dos materiais,
ductilidade.

Elasticidade – É a capacidade de um material que sofre uma força externa pela


ação gravitacional ou de um corpo e se deformar, mas quando sessa essa força
ele volta a forma original. Ex.: Borracha sintética ou natural em geral, o elástico
de borracha como conhecemos é um ótimo exemplo desde que quando esticar
não ultrapasse sua resistência e se rompa.
Plasticidade – É um material que sofre uma deformação, alterando sua forma,
sob um esforço e mesmo que não tenha mais necessidade conserva a forma
posterior a original. Dentro da situação plástica encontra-se duas propriedades
dos materiais que é maleabilidade e ductilidade. Ex.: O plástico como se conhece
ou materiais orgânicos poliméricos sintéticos dotado de alta maleabilidade é um
bom exemplo que processando – o sob calor e pressão se transforma em vasos,
sacola, toalhas, cortinas, roupas, sapatos, bijuterias, etc.
Maleabilidade – É a propriedade que o material tem quando pode ser forjado,
laminado, repuxado ou entortado. Os metais têm essa propriedade que provoca
sua alteração quente ou frio transformando-os em chapas de espessura fina sem
ruptura. A maleabilidade dos metais é diretamente proporcional à temperatura
em que ele é trabalhado. Ex.: Confecção de chapas de aço, chapa de alumínio,
fio e barra de vergalhão de aço para construção, etc.
Para poder continuar a comentar sobre outras propriedades se faz necessário
explicar sobre as propriedades de tração.
Limite de escoamento – É a máxima tensão aplicada no material que ainda o
mantem no regime elástico.

Limite de escoamento.

Fonte: Dalcin, 2007.

Ductilidade - `´E a capacidade de um material de ficar em estado plástico em


decorrência de uma força, mas não se rompem. Ex.: laminação de metais.
Dureza – É uma propriedade determinada pela resistência ao risco ou abrasão.
Quando ocorre ensaio para tal fim determina-se também a fragilidade do material
que é diretamente proporcional à dureza.
Fragilidade – Por ser diretamente proporcional à dureza, quanto mais duro o
material mais frágil.
Tenacidade – É a resistência que um material tem a pancadas, choques,
vibrações, golpes, impactos. Absorção da energia mecânica recebida que leva a
deformações elásticas e plásticas.
Resiliência – É a propriedade que é considerada só na região elástica do
material, tem a ver com a capacidade do material absorver grande energia no
regime elástico por unidade de volume e liberada quando cessa o esforço. Ex.:
Materiais usados para confecção de molas.

Resistência à fadiga – Ocorre em componentes metálicos. A fadiga se dá em


decorrência de solicitações cíclicas em grande quantidade. Devido a fadiga a
ruptura pode ocorrer em tensões inferiores às estudadas em ensaios de
elasticidade.
Resistência ao impacto - Os materiais sofre impacto constantemente até a
fratura onde determina o comportamento dúctil-frágil com a energia absorvida.
Resistência a fluência – É deformação plástica que um material sofre sob
tensão constante ou não, no tempo e temperatura que recebe.

Tratamentos Térmicos
A transformação dos materiais anda junto com o desenvolvimento das
civilizações humanas. Esse processo é responsável pela evolução tecnológica
de moradia, transporte, guerra e paz. Historicamente os metais sempre tiveram
grande importância para a humanidade.
Os metais com variação de temperatura (aquecimento e resfriamento) modifica
sua estrutura variando suas características que convenientemente se prestaria
as finalidades como ferramentas, maquinas e armas de guerra. Hoje os
tratamentos térmicos se dão de forma padronizada e normatizada para cada
necessidade, as mais utilizadas são: Têmpera, Revenimento, Recozimento e
Cementação e Nitretação.
Têmpera – Tratamento térmico de aços que aumenta a dureza e a resistência
dos mesmos. O aquecimento se dá a 727oC.
Revenimento - Tratamento térmico para corrigir a tenacidade e a dureza
excessiva. Eleva a tenacidade dos aços reaquecendo as peças de aço com
temperatura abaixo da linha inferior da transformação do aço ) 140oC à 730oC
conforme a necessidade.
Recozimento – É o processo que visa reduzir a dureza e poder melhorar ao
trabalho de usinagem das peças. Trabalha-se à temperatura de 550oC à 900oC.
Cementação – É um tratamento térmico que visa enriquecimento com carbono
na superfície da peça do aço tornando-a mais dura que o núcleo depois da
tempera e revenimento.
Nitretação – A finalidade do tratamento é o endurecimento superficial da peça
com introdução de nitrogênio na superfície. Esse processo eleva a resistência a
abrasão e ao desgaste das camadas.
Referências:
Material de apoio “Propriedades dos Materiais Sólidos”
https://pt.wikipedia.org/wiki/Pl%C3%A1stico 17 03 2019 12:32hs
Apostila SENAI Espírito Santo, Mecânica de Tratamentos Térmicos, 1997.
Fermac tratamento térmico http://tratamentotermico.com/tempera.html