Você está na página 1de 71

AULA 23 - DIA 30/10/2018

CAPACIDADE DE CARGA DE ESTACAS – PROVA


DE CARGA ESTÁTICA

PROF. RAIMUNDO LEIDIMAR BEZERRA


DEC/CCTS/UEPB
leidimarbezerra@gmail.com 1
PROVA DE CARGA EM ESTACA
CARREGADA À COMPRESSÃO

 OBJETIVOS
 TIPOS

2
3
PROVA DE CARGA ESTATICA (NBR 12131)

4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
PROVA DE CARGA ESTATICA
DISPOSITIVO DE APLICAÇÃO DE CARGA
 É CONSTITUÍDO POR UM MACACO HIDRÁULICO
ALIMENTADO POR BOMBAS ELÉTRICAS OU MANUAIS,
ATUANDO CONTRA UM SISTEMA DE REAÇÃO ESTÁVEL.
CAPACIDADE  10% > Pmax CURSO DO ÊMBOLO 
COMPATÍVEL COM OS DESLOCAMENTOS ESPERADOS.

16
17
PROVA DE CARGA EM ESTACAS: FINALIDADE E TIPOS
 FINALIDADE
 VISA FORNECER ELEMENTOS PARA AVALIAR O
COMPORTAMENTO CARGA X DESLOCAMENTO DE ESTACAS (OU
TUBULÕES) E ESTIMAR SUAS CARACTERÍSTICAS DE
CAPACIDADE DE CARGA
 TIPOS
 PROVA DE CARGA DINÂMICA (NBR 13208)
VISA VERIFICAR O COMPORTAMENTO DA INTERAÇÃO
ESTACA-SOLO DURANTE A APLICAÇÃO DE UMA FORÇA DE
IMPACTO NO SEU TOPO. A ANÁLISE É FUNDAMENTADA NA
TEORIA DA EQUAÇÃO DA ONDA.
 PROVA DE CARGA ESTÁTICA (NBR 12131)
 LENTA (SLOW MAINTENED LOAD – SML);
 RÁPIDA (QUICK MAINTENED LOAD – QML).
18
19
20
21
PROVA DE CARGA EM ESTACAS: FINALIDADE E TIPOS
 PROVA DE CARGA LENTA (SML)
 O ENSAIO LENTO É O QUE MELHOR REPRODUZ O
CARREGAMENTO IMPOSTO À ESTACA PELA ESTRUTURA
FUTURA NOS CASOS MAIS CORRENTES (EDIFÍCIOS,
SILOS, PONTES, ETC.).
 COMO A ESTABILIZAÇÃO DOS RECALQUES SÓ SE
COMPLETARIA A TEMPOS MUITO LONGOS, A NORMA FIXA
UM CRITÉRIO CONVENCIONAL, NO QUAL SE CONSIDERA
QUE O RECALQUE ESTABILIZOU QUANDO O SEU VALOR
LIDO ENTRE DOIS TEMPOS SUCESSIVOS NÃO ULTRAPASSA
5% DO RECALQUE TOTAL DO ESTÁGIO DE CARGA. AS
LEITURAS SÃO FEITAS EM TEMPOS DOBRADOS (1MIN,
2MIN, 4MIN, 8MIN, 15MIN, 30MIN, ETC.), SENDO QUE
MESMO QUE A ESTABILIZAÇÃO ACONTEÇA NAS PRIMEIRAS
LEITURAS, O TEMPO MÍNIMO PARA APLICAÇÃO DE UM
NOVO ESTÁGIO É 30 MINUTOS.
22
PROVA DE CARGA EM ESTACAS: FINALIDADE E TIPOS
 PROVA DE CARGA LENTA (SML)
 O CARREGAMENTO INCREMENTAL É APLICADO ATÉ QUE SE
ATINJA O DOBRO DA CARGA DE TRABALHO DA ESTACA.
 A NORMA AINDA RECOMENDA QUE O ÚLTIMO ESTÁGIO DE
CARGA SEJA MANTIDO POR PELO MENOS 12 HORAS ANTES
DO DESCARREGAMENTO, QUE DEVERÁ SER EFETUADO EM 4
A 5 ESTÁGIOS IGUAIS.
 A PROVA DE CARGA LENTA É PREFERIDA QUANDO SE
DESEJA OBTER INFORMAÇÕES MAIS DETALHADAS SOBRE OS
RECALQUES DA ESTACA.
 POR OUTRO LADO, QUANDO A PRINCIPAL INFORMAÇÃO A
SER OBTIDA DO TESTE É O VALOR DA CARGA DE RUPTURA
OU DISPÕE-SE DE POUCO TEMPO PARA EXECUÇÃO DO
TESTE, PODE-SE OPTAR PELA REALIZAÇÃO DA PROVA DE
CARGA TIPO RÁPIDA.
23
24
25
PROVA DE CARGA EM ESTACAS: FINALIDADE E TIPOS
 PROVA DE CARGA RÁPIDA (QML)
 NESTE CASO, CADA ESTÁGIO DE CARGA É MANTIDO POR
APENAS 5 MINUTOS, FAZENDO-SE AS LEITURAS NO
INÍCIO E NO FINAL DO ESTÁGIO.
 O CARREGAMENTO TOTAL, GERALMENTE EM 10 ESTÁGIOS,
PROSSEGUE ATÉ O DOBRO DA CARGA DE TRABALHO
PREVISTA PARA A ESTACA. NESTE CASO, O
DESCARREGAMENTO É EFETUADO LOGO APÓS O ÚLTIMO
ESTÁGIO DE CARGA.

26
27
28
29
30
PROVA DE CARGA ESTATICA: INTERPRETAÇÃO

 QUANDO OCORRER RUPTURA NÍTIDA NA CURVA CARGA X


RECALQUE, A CAPACIDADE DE CARGA É PERFEITAMENTE
DEFINIDA  Padm = Pult/2.

31
32
PROVA DE CARGA ESTATICA: INTERPRETAÇÃO
 QUANDO NÃO OCORRER RUPTURA NÍTIDA DEVIDO A:

 NÃO SE PRETENDER LEVAR A ESTACA À RUPTURA

 LIMITAÇÃO DE REAÇÃO

 DEVE-SE EXTRAPOLAR A CURVA CARGA X


RECALQUE PARA SE AVALIAR A CARGA DE
RUPTURA, O QUE DEVE SER FEITO POR
CRITÉRIOS CONSAGRADOS NA MECÂNICA DOS
SOLOS SOBRE UMA CURVA DE PRIMEIRO
CARREGAMENTO.

MÉTODOS DISPONÍVEIS PARA EXTRAPOLAÇÃO


- MÉTODO DE MAZURKIEWICZ
33
- MÉTODO DE VAN DER VEEN
PROVA DE CARGA ESTATICA: INTERPRETAÇÃO

34
35
36
PROVA DE CARGA ESTATICA: EXTRAPOLAÇÃO
VAN DER VEEN
 A EXTRAPOLAÇÃO DE VAN DEER VEEN BASEIA-SE
NUMA EQUAÇÃO MATEMÁTICA (EXPONENCIAL), QUE É
AJUSTADA AO TRECHO QUE SE DISPÕE DA CURVA
CARGA-RECALQUE.


Q  Qrup 1  e  w

 A EXPERIÊNCIA ADQUIRIDA POR VELLOSO E LOPES
(2002), COM EXTRAPOLAÇÕES USANDO O MÉTODO DE
VAN DER VEEN, AO LONGO DE DÉCADAS, INDICA
QUE ESSE MÉTODO É CONFIÁVEL SE O RECALQUE
MÁXIMO ATINGIDO NA PROVA FOR, AO MENOS, 1%
DO DIÂMETRO DA ESTACA.

37
PROVA DE CARGA ESTATICA: EXTRAPOLAÇÃO
VAN DER VEEN

38
PROVA DE CARGA ESTATICA: EXTRAPOLAÇÃO

39
PROVA DE CARGA ESTATICA: EXTRAPOLAÇÃO

40
PROVA DE CARGA ESTATICA: EXTRAPOLAÇÃO

41
INTERPRETAÇÃO SIMPLIFICADA

42
43
44
PROVA DE CARGA ESTATICA: INTERPRETAÇÃO
 QUANDO A ESTACA É CARREGADA ATÉ APRESENTAR UM
RECALQUE CONSIDERÁVEL, MAS A CURVA CARGA X
RECALQUE NÃO INDICA UMA CARGA DE RUPTURA NÍTIDA,
MAS UM CRESCIMENTO CONTÍNUO DE RECALQUE COM A
CARGA, A CARGA DE RUPTURA É CONVENCIONADA COMO
AQUELA QUE CORRESPONDE NA CURVA CARGA X RECALQUE.
AO RECALQUE OBTIDO CONFORME EQUAÇÃO ABAIXO.

45
Figura - Critério de ruptura convencional da ABNT NBR 6122/2010.
46
PROVA DE CARGA EM ESTACAS: FINALIDADE E TIPOS
 RUPTURA FÍSICA - É DEFINIDA COMO O LIMITE DA
RELAÇÃO DO ACRÉSCIMO DO RECALQUE DA PONTA DA
ESTACA PELO ACRÉSCIMO DE CARGA TENDENDO AO
INFINITO.
Pult = P (CARGA) para  / P  ∞

 RUPTURA CONVENCIONAL - É DEFINIDA COMO SENDO


A CARGA CORRESPONDENTE A UMA DEFORMAÇÃO DA
PONTA DA ESTACA (OU TOPO) DE UMA % DE SEU
DIÂMETRO:
 ESTACAS DE DESLOCAMENTO  Pult = P p/  =
10% de 
 ESTACAS ESCAVADAS
p/ ARGILAS  Pult = P p/  = 10% de 
47
p/ AREIAS  Pult = P p/  = 30% de 
PROVA DE CARGA EM ESTACAS: CONCEITO DE RUPTURA

RUPTURA CONVENCIONAL (NBR 12131)

 A CARGA ADMISSÍVEL NÃO PODE SER SUPERIOR A


1/1,5 DAQUELA CARGA QUE PRODUZ O RECALQUE
ADMISSÍVEL, MEDIDO NO TOPO DA ESTACA OU DO
TUBULÃO

RUPTURA ESTRUTURAL

 É DEFINIDA COMO SENDO A CARGA QUE PROVOCA


A RUPTURA ESTRUTURAL DO ELEMENTO DE
FUNDAÇÃO.
48
PROVA DE CARGA ESTATICA:SISTEMA DE REAÇÃO

49
PROVA DE CARGA ESTATICA:SISTEMA DE REAÇÃO

50
PROVA DE CARGA ESTATICA: DISPOSITIVO DE MEDIDAS
 NA PROVA DE CARGA SÃO, OBRIGATORIAMENTE,
REALIZADAS MEDIDAS DAS CARGAS APLICADAS, DOS
DESLOCAMENTOS DO TOPO DA ESTACA E DO TEMPO DE
REALIZAÇÃO DE CADA MEDIDA. EVENTUALMENTE, PODEM
SER MEDIDOS OS DESLOCAMENTOS E DEFORMAÇÕES AO
LONGO DA ESTACA ENSAIADA, VISANDO CONHECER A
TRANSFERÊNCIA DE CARGA.

 MANÔMETRO  Lmax  Lmax PREVISTA

 CÉLULAS DE CARGA  PERMITE UMA MAIOR ACURÁCIA DOS


RESULTADOS

 EXTENSÔMETROS  SENSIBILIDADE = 0,01 mm (USA-SE 4


PARA CARREGAMENTO AXIAL E 2 PARA CARREG.
TRANSVERSAL)
 SÃO APOIADOS EM PEÇAS FIXADAS AO SOLO DISTANTES
51
5 DA MAIOR SEÇÃO TRANSVERSAL OU 1,5 m NO MÍNIMO
PROVA DE CARGA ESTATICA: DISPOSITIVO DE MEDIDAS

52
PROVA DE CARGA ESTATICA: DISPOSITIVO DE MEDIDAS

53
PROVA DE CARGA ESTATICA: DISPOSITIVO DE MEDIDAS

54
DETALHES DO RELÓGIO COMPARADOR - EXTENSÔMETRO

55
CASOS DE OBRA

56
CASOS DE OBRA

57
CASOS DE OBRA

58
CASOS DE OBRA

59
CASOS DE OBRA

60
CASOS DE OBRA

61
CASOS DE OBRA

62
EXERCÍCIO 1

63
EXERCÍCIO 1

64
EXERCÍCIO 1

65
EXERCÍCIOS

66
EXERCÍCIO 1

67
EXERCÍCIO 1

68
EXERCÍCIO 2

69
EXERCÍCIO 2

70
EXERCÍCIO 2

71