Você está na página 1de 2

OBSERVAÇÕES SOBRE OS DONS ESPIRITUAIS

Podemos dizer que os dons espirituais são capacidades sobrenaturais concedidas pelo
Espírito Santo, essenciais para o serviço na igreja de Cristo, e precisam ser exercitados. Eu
teria escrito assim: (Podemos dizer que os dons espirituais são capacidades sobrenaturais
concedidas pelo Espírito Santo, essenciais para o serviço na igreja de Cristo. Paulo apóstolo
nos convida a buscá-los com zelo.I Co 12:31; I Co 14:39. Considerando que é o Espírito
Santo quem no-los concede segundo Sua vontade perfeita – e não a nossa - essa busca deve
significar que os mesmos dons precisam ser exercitados, uma vez recebidos.)
A palavra ‘dom’ vem do vocábulo grego charisma, significando “donativo de caráter
imaterial dado de graça”, e todo aquele que é ‘nascido de novo’ recebe pelo menos um
dom. “A cada um porém, é dada a manifestação do Espírito para o proveito comum” (Ico
12:7). A manifestação de dons espirituais ao contrário da apresentação do fruto do Espírito,
não mede a espiritualidade e a maturidade cristã daquele que o exerce, mas é instrumento
para a edificação da Igreja e para o cumprimento de sua missão na terra.
Não existe um dom que seja melhor do que outro, todos são
necessários e importantes para Deus e Sua Igreja. A partir do texto de
Efésios 4 :7 podemos ver que o corpo bem ajustado, no qual cada parte
exerce a sua função, aumenta e edifica a si mesmo. Logo, o
conhecimento e a boa utilização dos dons só trazem benefícios tanto
para o indivíduo como para o corpo de Cristo. Quando nos tornamos
conscientes do dom(dons) que recebemos, nos sentimos mais livres para
‘sermos nós mesmos’ no corpo. Da mesma maneira, identificar os dons
que não temos, nos ajuda a deixar de lado uma carga que não
deveríamos estar carregando. Quando descobrimos nossos dons
reforçamos nossa identidade cristã, uma vez que percebemos a vontade
particular de Deus para nossa vida. Isso também facilita o trabalho em
conjunto, ajudando a neutralizar tanto a vaidade e o ciúme, quanto a
apatia ou falsa modéstia. A conscientização de que o corpo só funciona
com a participação de todos os membros, e que cada um tem uma
função específica, também ajuda na eliminação de atitudes de auto-
depreciação e de auto-suficiência (na verdade, duas facetas da mesma
moeda, qual seja o foco da fonte de significado apontando para a
própria pessoa), tão danosas para a vida da Igreja de Cristo.
Certamente que o espaço para que todos possam exercitar os seus
dons precisam (precisa) existir institucionalmente. No entanto, só isso
não basta. Cada um precisa se envolver no processo de descobrimento
e utilização tanto dos seus próprios dons como dos (de seus) dons dos
irmãos. E estar envolvido nesse processo implica em estar engajado nos
diferentes serviços e ministérios da Igreja. O aperfeiçoamento do dom
acontece a partir do exercício desse dom e a identificação de um dom
também se dá pelo reconhecimento no contexto do corpo. (Não faz o
menor sentido Deus dar a alguém um dom que não seja útil para o
Corpo de Cristo.)
Um efetivo exercício dos diferentes dons existentes no nosso meio vai
tornar nosso ministério, enquanto Igreja de Deus na terra, muito mais
produtivo.
Que o Espírito Santo nos ajude a entender melhor, ensinar e exercitar
os dons que Ele graciosamente nos deu para a obra do ministério de
Cristo Jesus!

No serviço dEle,

Rita Scardine Lopes