Você está na página 1de 40

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E

ORÇAMENTÁRIA (AFO)
PROFESSOR LEANDRO RAVYELLE

CURSO MODULAR
PROFESSOR LEANDRO RAVYELLE 1
LEGISLAÇÕES

• CONSTITUIÇÃO FEDERAL
• LEI 4320/64
• LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL (LRF) – LC 101/2000
• LEI 10.180/01
• PPA 2016-2019
• ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO PLURIANUAL 2016-2019
• LDO 2018 E PLDO 2019
• LOA 2018
• DECRETO 93.972/86
• PORTARIA 42/99
• MTO 2019
• MCASP 7ª EDIÇÃO

PROFESSOR LEANDRO RAVYELLE 2


MÓDULO 1
• INTRODUÇÃO

• DIMENSÕES DO ORÇAMENTO

• NATUREZA JURÍDICA

• TIPOS DE ORÇAMENTO

• TÉCNICAS ORÇAMENTÁRIAS

• FUNÇÕES DO ORÇAMENTO

PROFESSOR LEANDRO RAVYELLE 3


A atividade pública é aplicada no âmbito Federal, estadual e municipal consiste em:

• obter recursos:

• despender os recursos:

• gerir e planejar os recursos:

• criar crédito:

PROFESSOR LEANDRO RAVYELLE 4


Dimensões do Orçamento

• Dimensão jurídica

• Dimensão econômica

• Dimensão política

PROFESSOR LEANDRO RAVYELLE 5


PROFESSOR LEANDRO RAVYELLE 6
Natureza jurídica

PROFESSOR LEANDRO RAVYELLE 7


APROFUNDANDO…
Cabe fiscalização abstrata de constitucionalidade de normas orçamentárias?
De início, sob o fundamento de que as leis orçamentárias revelam-se como atos normativos de efeitos meramente concretos,
sendo lei apenas em sentido formal, entendia-se serem incabíveis as ações de controle concentrado que impugnavam este
tipo de lei. Entendia-se, nesse primeiro momento, que a impugnação de lei orçamentária não representaria, a rigor, o ataque
a um ato normativo, mas a um ato político-administrativo concreto de destinação de recursos, que apenas formalmente se
reveste como lei. Seria descabido o controle de constitucionalidade, portanto, por não se tratar de ato normativo. Foi o que
restou assentado, verbi gratia, no julgamento da ADI 1.640, ReI. Min. Sydney Sanches, DJ de 03.04.1998.
Uma nova interpretação judicial do texto constitucional, porém, passou a ser amplamente afirmada pelo Tribunal em estágio
posterior, superando aquele restritivo entendimento inicial. Um importante marco neste processo foi a ADI 4.048-MC, reI.
Min. Gilmar Mendes, Tribunal Pleno, DJe de 21.08.2008, quando se impugnava Medida Provisória que abria crédito
extraordinário. Logo, o entendimento que atualmente predomina é o da possibilidade de impugnação, por meio das ações
de controle de constitucionalidade abstrato e concentrado, das leis orçamentárias. Embora, ainda hoje, é comum que, nas
informações que as autoridades do Executivo prestam nessas ações, seja alegada a impossibilidade de controle judicial da
matéria, postulando -se um retomo àquele primeiro entendimento jurisprudencial. Entretanto, tais pedidos têm restado
rechaçados. Também em sede da doutrina constitucionalista, tem se defendido amplamente a possibilidade de que leis
orçamentárias sejam objeto da fiscalização abstrata de constitucionalidade, quando houver, em suas impugnações, questão
constitucional suscitada em abstrato, independentemente de seu caráter geral e abstrato, ou específico e concreto.

PROFESSOR LEANDRO RAVYELLE 8


APROFUNDANDO…
O STF, ao julgar a ADI 2925, em 2003, mudou o seu posicionamento acerca da possibilidade de controle de
constitucionalidade de leis orçamentárias. Até então o posicionamento era pela impossibilidade devido a natureza de lei
formal destas normas. Contudo, na ADI 2925, vislumbrou-se a existência de NORMAS ABSTRATAS inseridas na lei
orçamentária de 2003, o que abriu, assim, espaço para controle de constitucionalidade.

A ementa:
"PROCESSO OBJETIVO - AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE - LEI ORÇAMENTÁRIA. Mostra-se adequado o
controle concentrado de constitucionalidade quando a lei orçamentária revela contornos abstratos e autônomos, em
abandono ao campo da eficácia concreta. LEI ORÇAMENTÁRIA - CONTRIBUIÇÃO DE INTERVENÇÃO NO DOMÍNIO
ECONÔMICO - IMPORTAÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO DE PETRÓLEO E DERIVADOS, GÁS NATURAL E DERIVADOS E
ÁLCOOL COMBUSTÍVEL - CIDE - DESTINAÇÃO - ARTIGO 177, § 4º, DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL. É inconstitucional
interpretação da Lei Orçamentária nº 10.640, de 14 de janeiro de 2003, que implique abertura de crédito suplementar
em rubrica estranha à destinação do que arrecadado a partir do disposto no § 4º do artigo 177 da Constituição Federal,
ante a natureza exaustiva das alíneas "a", "b" e "c" do inciso II do citado parágrafo."
Registre-se que, atualmente, o STF admite o controle de constitucionalidade de lei, independemente de ser apenas lei
em sentido formal - ADI 4048 e ADI 4049. (VER TAMBÉM A ADI 5449-MC DE 10.03.2016)

PROFESSOR LEANDRO RAVYELLE 9


APROFUNDANDO…
Conforme Teori Zavascki, “leis orçamentárias que materializem atos de aplicação primária da
Constituição Federal podem ser submetidas a controle de constitucionalidade em processos
objetivos.” Segundo a decisão da ministra Rosa Weber nos dois mandados de segurança, o
Executivo somente está autorizado a promover ajustes nas propostas enviadas pelos demais
poderes quando as despesas estiverem em desacordo com os limites estipulados pela lei de
diretrizes orçamentárias. Inexistindo incompatibilidade, não há amparo no ordenamento jurídico
para a sua alteração, ainda que sob o pretexto de promover o equilíbrio orçamentário ou obtenção
de superávit primário. Ainda segundo a ministra, concluída a fase de apreciação legislativa e
submetido o projeto de lei orçamentária anual à Presidência da República há possibilidade de
veto total ou parcial. Em suma, o Executivo somente está autorizado a promover ajustes nas
propostas enviadas pelos demais poderes quando as despesas estiverem em desacordo com os
limites estipulados pela lei de diretrizes orçamentárias.

PROFESSOR LEANDRO RAVYELLE 10


Orçamento autorizativo x impositivo

PROFESSOR LEANDRO RAVYELLE 11


PROFESSOR LEANDRO RAVYELLE 12
Orçamento Executivo x Legislativo x Misto

PROFESSOR LEANDRO RAVYELLE 13


PROFESSOR LEANDRO RAVYELLE 14
FUNÇÕES DO ORÇAMENTO PÚBLICO

1. ALOCATIVA

PROFESSOR LEANDRO RAVYELLE 15


FUNÇÕES DO ORÇAMENTO PÚBLICO

2. DISTRIBUTIVA

PROFESSOR LEANDRO RAVYELLE 16


FUNÇÕES DO ORÇAMENTO PÚBLICO

3. ESTABILIZADORA

PROFESSOR LEANDRO RAVYELLE 17


TÉCNICAS ORÇAMENTÁRIAS / TIPOS DE ORÇAMENTO

1. TRADICIONAL / CLÁSSICO

PROFESSOR LEANDRO RAVYELLE 18


TÉCNICAS ORÇAMENTÁRIAS / TIPOS DE ORÇAMENTO

2. DESEMPENHO / FUNCIONAL

PROFESSOR LEANDRO RAVYELLE 19


TÉCNICAS ORÇAMENTÁRIAS / TIPOS DE ORÇAMENTO

3. BASE-ZERO / ESTRATÉGIA

PROFESSOR LEANDRO RAVYELLE 20


TÉCNICAS ORÇAMENTÁRIAS / TIPOS DE ORÇAMENTO

4. PLANNING PROGRAMMING BUDGETING SYSTEM (PPBS)

PROFESSOR LEANDRO RAVYELLE 21


TÉCNICAS ORÇAMENTÁRIAS / TIPOS DE ORÇAMENTO

4. PLANNING PROGRAMMING BUDGETING SYSTEM (PPBS)

PROFESSOR LEANDRO RAVYELLE 22


TÉCNICAS ORÇAMENTÁRIAS / TIPOS DE ORÇAMENTO

4. PLANNING PROGRAMMING BUDGETING SYSTEM (PPBS)

PROFESSOR LEANDRO RAVYELLE 23


TÉCNICAS ORÇAMENTÁRIAS / TIPOS DE ORÇAMENTO

5. PROGRAMA

PROFESSOR LEANDRO RAVYELLE 24


TÉCNICAS ORÇAMENTÁRIAS / TIPOS DE ORÇAMENTO
5. PROGRAMA
Segundo James Giacomoni, são características do Orçamento Programa:
 o orçamento é o elo entre o planejamento e o orçamento;

 a alocação de recursos visa à consecução de objetivos e metas;

 as decisões orçamentárias são tomadas com base em avaliações e análises técnicas de alternativas
possíveis;

 na elaboração do orçamento são considerados todos os custos dos programas, inclusive os que
extrapolam o exercício;

 a estrutura do orçamento está voltada para os aspectos administrativos e de planejamento;

 o principal critério de classificação é o funcional- programático;

 utilização sistemática de indicadores e padrões de medição


do trabalho e de resultados;

 o controle visa avaliar a eficiência, a eficácia e a efetividade das ações governamentais.

PROFESSOR LEANDRO RAVYELLE 25


TÉCNICAS ORÇAMENTÁRIAS / TIPOS DE ORÇAMENTO

6. PARTICIPATIVO

PROFESSOR LEANDRO RAVYELLE 26


TÉCNICAS ORÇAMENTÁRIAS / TIPOS DE ORÇAMENTO

7. INCREMENTAL

PROFESSOR LEANDRO RAVYELLE 27


PROFESSOR LEANDRO RAVYELLE 28
PROFESSOR LEANDRO RAVYELLE 29
PROFESSOR LEANDRO RAVYELLE 30
QUESTÕES
INÉDITA 2018

Marque a alternativa incorreta dentre as afirmações relacionadas ao Presidente da República e à lei orçamentária anual.
A) A competência do Presidente da República para enviar a lei orçamentária anual pode ser considerada privativa, de
acordo com a Constituição Federal.

B) A competência do Presidente da República para enviar a lei orçamentária anual pode ser considerada exclusiva por ser
indelegável.

C) Os projetos de lei do plano plurianual, da lei de diretrizes orçamentárias e da lei orçamentária anual são de iniciativa
vinculada.

D) A competência do Presidente da República para enviar a lei orçamentária anual pode ser considerada concorrente.

E) Se um Presidente da República atentar contra a lei orçamentária estará cometendo crime de responsabilidade.
GABARITO. D

PROFESSOR LEANDRO RAVYELLE 31


QUESTÕES

CESPE 2016 TCE-PA (AUDITOR DE CONTROLE EXTERNO)


Acerca da programação e execução orçamentária e financeira, julgue o item subsecutivo.
Considerando-se a definição dos termos crédito e recurso no contexto da técnica orçamentária, é correto afirmar
que a execução financeira trata da utilização dos créditos consignados na LOA.
CERTO ERRADO

CESPE 2016 TCE-PA (AUDITOR DE CONTROLE EXTERNO)


No âmbito da execução orçamentária, o termo crédito não se confunde com o conceito de recurso.
CERTO ERRADO

2013 CESPE CNJ - AJAA


O orçamento é um plano em que se expressa, em termos de dinheiro, para um período de tempo definido, o programa
de operações do governo e os meios de financiamento desse programa.
CERTO ERRADO

GABARITO. E C C

PROFESSOR LEANDRO RAVYELLE 32


QUESTÕES
(FCC – ANALISTA LEGISLATIVO – CONTABILIDADE – ASSEMBLEIA LEGISLATIVA/PE – 2014)
Em relação ao Orçamento Programa, considere:
I. O orçamento é elo entre o planejamento e as funções executiva da organização.

II. A alocação dos recursos visa o atendimento ao plano político de governo definido pelo gestor público.

III. O controle visa avaliar a eficiência, a eficácia e a efetividade das ações governamentais.

IV. Na elaboração do orçamento são considerados todos os custos do programa, inclusive os que extrapolam o exercício.

V. A estrutura do orçamento está voltada para os aspectos financeiros e de planejamento.

É correto o que se afirma APENAS em


A) I, II e III.
B) I, III e IV.
C) II, III e IV.
D) II, IV e V.
E) III, IV e V.
GABARITO. B

PROFESSOR LEANDRO RAVYELLE 33


QUESTÕES
(FCC – Analista de Planejamento e Orçamento – SEAD/PI -2013)
No processo de elaboração da proposta orçamentária, um governo estadual, para distribuição dos recursos disponíveis
entre as unidades orçamentárias, parte dos níveis atuais de operações e despesas de cada uma delas e analisa os
acréscimos solicitados e suas respectivas justificativas, tendo por base a classificação por elementos de despesa. Neste
caso, o governo estadual utiliza o

a. Orçamento Tradicional.

b. Sistema de Planejamento, Programação e Orçamento.

c. Orçamento Programa.

d. Orçamento de Base Zero.

e. Orçamento de Desempenho.

GABARITO: A

PROFESSOR LEANDRO RAVYELLE 34


QUESTÕES

(FCC - ANALISTA DE CONTROLE EXTERNO – TCE/AP -2012)

Um plano de governo como instrumento de gestão no qual não se adota programa de trabalho, projetos, atividades, nem
objetivos a atingir e cujo principal critério de distribuição dos recursos a disposição do governo é o montante de gastos do
exercício financeiro anterior, ajustado em algum percentual discricionário, é conhecido como orçamento:

a. clássico ou tradicional.

b. programa.

c. de desempenho.

d. base zero.

e. variável.

GABARITO: A

PROFESSOR LEANDRO RAVYELLE 35


QUESTÕES

(FCC – ANALISTA JUDICIÁRIO - ADMINISTRATIVA – TRF 1ª –2011)


Com relação aos tipos de orçamentos, considere as afirmativas abaixo:
I. No orçamento de tipo tradicional há grande preocupação com a clareza dos objetivos econômicos e sociais que
motivaram a elaboração da peça orçamentária.
II. O orçamento base-zero exige a reavaliação de todos os programas cada vez que se inicia um novo ciclo
orçamentário e não apenas as das solicitações que ultrapassam o nível de gasto já existente.
III. O orçamento-programa considera os objetivos que o Governo pretende atingir, num prazo pré -determinado.
IV. O orçamento de desempenho não pode ser considerado um orçamento- programa, pois não incorpora o
controle contábil do gasto e o detalhamento da despesa.
V. No orçamento-programa a alocação dos recursos para unidades orçamentárias se dá com base na proporção dos
recursos gastos em exercícios anteriores.
Está correto o que se afirma SOMENTE em:
a. I e IV.
b. I, III e IV.
c. II, III e V.
d. I, III, IV e V.
e. II e III.

GABARITO: E

PROFESSOR LEANDRO RAVYELLE 36


QUESTÕES
CESPE – TCE/PA 2016
Julgue o item seguinte, relativo ao orçamento público.
Cabe ao governo executar as funções econômicas exercidas pelo Estado, as quais se dividem em alocativa,
distributiva e estabilizadora.
CERTO ERRADO

CESPE – TCE (SC) 2016


O orçamento público viabiliza a intervenção do governo na atividade econômica com vistas à geração de emprego e
renda.
CERTO ERRADO

CESPE 2017 TCE-PE AUDITOR DE CONTAS PÚBLICAS


Os estados-membros e o Distrito Federal estão impedidos de editar normas gerais acerca da elaboração dos
seus orçamentos, porque a CF atribui tal competência legislativa à União.
CERTO ERRADO

GABARITO: C C E

PROFESSOR LEANDRO RAVYELLE 37


QUESTÕES

CESPE – DPU 2016


A respeito de orçamento público, julgue o item que se segue.
A função alocativa do orçamento visa à intervenção do governo na economia, com o objetivo de diminuir as
desigualdades sociais no que se refere ao acesso a renda, bens e serviços públicos e benefícios da vida em sociedade.
Certo Errado

CESPE – TCE (PR) 2016


A função do orçamento público que visa melhorar a posição de algumas pessoas em detrimento de outras e, com
isso, corrigir falhas do mercado é denominada função
a. controladora.
b. alocativa.
c. distributiva.
d. estabilizadora.
e. econômica.

GABARITO: E C

PROFESSOR LEANDRO RAVYELLE 38


QUESTÕES

CESPE 2017 TCE-PE AUDITOR DE CONTAS PÚBLICAS


Além de disciplinar o Sistema Financeiro Nacional, o direito financeiro regulamenta a atividade financeira do Estado
no que diz respeito a orçamento público, receita pública, despesa pública, crédito público, responsabilidade fiscal e
controle da execução orçamentária.
CERTO ERRADO

Prevalece no Brasil a compreensão de que o orçamento público é lei apenas em sentido formal, visto que é aprovado
pelo Poder Legislativo, mas é substancialmente ato de natureza político-administrativa, insuscetível de hospedar
normas gerais ou abstratas próprias de lei em sentido material.
CERTO ERRADO

Além de apresentar harmonia com o plano plurianual e estar voltado para a redução de desigualdades entre as
diversas regiões brasileiras, o orçamento federal de investimento deve conter as previsões de receitas e despesas de
todas as empresas nas quais a União detenha participação societária.
CERTO ERRADO

GABARITO: E E E

PROFESSOR LEANDRO RAVYELLE 39


QUESTÕES
FCC 2014 – DPE- CE
Ao consolidar a proposta de lei orçamentária anual e encaminhá-la ao Congresso Nacional, o Presidente da República promove
cortes na proposta originalmente encaminhada pela Defensoria Pública da União - DPU, sob o fundamento de que as despesas de
pessoal ali contidas violariam normas de responsabilidade fiscal aplicáveis à União. Diante disso, pretende-se questionar
judicialmente o ato presidencial, com vistas a assegurar que sua proposta original, sem cortes, seja apreciada pelo Congresso
Nacional, como integrante do projeto de lei orçamentária anual. Nessa hipótese, em tese,
a) o ato do Presidente da República somente seria passível de controle jurisdicional perante o Supremo Tribunal Federal, em sede
de controle abstrato de constitucionalidade, a ser desencadeado por qualquer dos legitimados para a propositura de ação direta.
b) nem o ato do Presidente da República, nem o projeto de lei orçamentária seriam passíveis de controle jurisdicional, uma vez
que, embora versem sobre matéria disciplinada expressamente pela Constituição Federal, a atuação judicial, nesse momento, se
traduziria em espécie de controle preventivo de constitucionalidade, não admitido pelo ordenamento vigente.
c) o ato do Presidente da República não é passível de controle jurisdicional, sob pena de ofensa à separação de poderes, por caber
ao Congresso Nacional, nos termos da Constituição Federal, deliberar sobre a proposta orçamentária, tal como encaminhada pelo
chefe do Poder Executivo.
d) caberia impetrar mandado de segurança, perante o Supremo Tribunal Federal, por ser sindicável judicialmente o ato do
Presidente da República, sob a alegação de ofensa a direito líquido e certo assegurado na Constituição Federal, embora, no mérito,
seja improcedente, já que a própria Constituição atribui ao Presidente a função de consolidar a proposta orçamentária, observados
os ditames legais pertinentes.
e) caberia impetrar mandado de segurança, perante o Supremo Tribunal Federal, por ser sindicável judicialmente o ato do
Presidente da República, sob a alegação de ofensa a direito líquido e certo assegurado na Constituição Federal, embora somente
seja procedente, no mérito, caso a proposta originalmente encaminhada pela instituição esteja dentro dos limites estabelecidos
pela lei de diretrizes orçamentárias.

GABARITO: E
PROFESSOR LEANDRO RAVYELLE 40