Você está na página 1de 123

COBOL

Participante : ___________________________________
Treinamento: ___________________________________
Período : ___________________________________
Sala : ____________Horário: _______________ Instrutores
:____________________________________
____________________________________

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 1
Cobol

1. LEGENDA DOS COMPONENTES ORIENTATIVOS............................6


2. INTRODUÇÃO.......................................................................................7
2.1 Sistema Operacional..............................................................................................................................7

2.2 Programas..............................................................................................................................................7

2.3 COMPILAÇÃO.....................................................................................................................................8

3. O QUE É COBOL?.................................................................................8
3.1 Como editar um programa...................................................................................................................9

3.2 Comentários num programa................................................................................................................9

3.3 Palavras ...............................................................................................................................................10


3.3.1 Constante figurativa.......................................................................................................................10
3.3.2 Palavras opcionais.........................................................................................................................11
3.3.3 Palavras-chave...............................................................................................................................11

3.4 Caracteres............................................................................................................................................11

3.5 Estrutura da linguagem......................................................................................................................11


3.5.1 Divisões ........................................................................................................................................12
3.5.2 Seções............................................................................................................................................12
3.5.3 Parágrafos......................................................................................................................................12
3.5.4 Sentenças.......................................................................................................................................12
3.5.5 Programa Cobol.............................................................................................................................13

4. IDENTIFICATION DIVISION................................................................15
5. ENVIRONMENT DIVISION..................................................................17
5.1 CONFIGURATION SECTION.........................................................................................................18
5.1.1 SPECIAL-NAMES........................................................................................................................18

5.2 INPUT-OUTPUT SECTION..............................................................................................................19


5.2.1 FILE-CONTROL...........................................................................................................................19
5.2.2 I-O-CONTROL.............................................................................................................................20

6. DATA DIVISION...................................................................................21
6.1 FILE SECTION...................................................................................................................................22
6.1.1 Níveis especias (2 tipos)................................................................................................................23
6.1.2 FILE DESCRIPTION (FD)...........................................................................................................24
6.1.3 CLÁUSULA PICTURE (PIC)......................................................................................................26
6.1.4 CLÁUSULA FILLER...................................................................................................................28
6.1.5 CLÁUSULA VALUE...................................................................................................................28

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 2
Cobol
6.2 WORKING-STORAGE SECTION..................................................................................................29
6.2.1 OPÇÃO COMPUTATIONAL (COMP).......................................................................................29
6.2.2 CLÁUSULA JUSTIFIED..............................................................................................................30
6.2.3 CLÁUSULA REDEFINES...........................................................................................................30
6.2.4 CONSTANTES FIGURATIVAS..................................................................................................31

6.3 LINKAGE SECTION.........................................................................................................................31

7. PROCEDURE DIVISION.....................................................................34
7.1 CLÁUSULA OPEN.............................................................................................................................35

7.2 CLÁUSULA READ.............................................................................................................................35

7.3 CLÁUSULA WRITE..........................................................................................................................36


7.3.1 OPÇÃO ADVANCING................................................................................................................37
7.3.2 OPÇÃO AFTER POSITIONING..................................................................................................37

7.4 CLÁUSULA CLOSE..........................................................................................................................39

7.5 CLÁUSULA STOP RUN....................................................................................................................39

7.6 CLÁUSULA GOBACK......................................................................................................................39

7.7 CLÁUSULA GO TO...........................................................................................................................40

7.8 CLÁUSULA MOVE............................................................................................................................40


7.8.1 CLÁUSULA OF no COMANDO MOVE....................................................................................41

7.9 CLÁUSULA ADD...............................................................................................................................43


7.9.1 OPÇÃO ROUNDED.....................................................................................................................45
7.9.2 OPÇÃO ON SIZE ERROR...........................................................................................................46

7.10 CLÁUSULA SUBTRACT ...............................................................................................................46

7.11 CLÁUSULA MULTIPLY (multiplicação)......................................................................................48

7.12 CLÁUSULA DIVIDE (divisão)........................................................................................................49


7.12.1 OPÇÃO REMAINDER...............................................................................................................51

7.13 CLÁUSULA COMPUTE..................................................................................................................51

7.14 CLÁUSULA DISPLAY....................................................................................................................52

7.15 CLÁUSULA ACCEPT......................................................................................................................53

7.16 CLÁUSULA IF..................................................................................................................................55


7.16.1 TESTE DE CONDIÇÃO DE CLASSE.......................................................................................57

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 3
Cobol
7.16.2 TESTE DE NOME-DE-CONDIÇÃO.........................................................................................57
7.16.3 TESTE DE CONDIÇÃO DE RELAÇÃO...................................................................................58
7.16.4 TESTE DE CONDIÇÃO DE SINAL..........................................................................................59

7.17 CLÁUSULA PERFORM..................................................................................................................60


7.17.1 PERFORM - TIMES...................................................................................................................62
7.17.2 PERFORM – UNTIL...................................................................................................................64
7.17.3 PERFORM – VARYING............................................................................................................65

7.18 CLÁUSULA EXIT............................................................................................................................66

7.19 CLÁUSULA (BLANK WHEN ZERO)...........................................................................................66

7.20 CLÁUSULA (SYNCHRONIZED – SYNC)....................................................................................67

7.21 OPERADORES LÓGICOS..............................................................................................................68


7.21.1 TESTES COMPOSTOS..............................................................................................................69

7.22 DATA E HORA DO SISTEMA.......................................................................................................70

8. ARQUIVOS DE ACESSO DIRETO......................................................73


8.1 UTILIZANDO ACESSO DIRETO – LEITURA SEQUENCIAL..................................................74
8.1.1 I-O..................................................................................................................................................75
8.1.2 CLÁUSULA REWRITE...............................................................................................................76
8.1.3 CLÁUSULA START....................................................................................................................77

9. TABELAS.............................................................................................80
9.1 CLÁUSULA OCCURS.......................................................................................................................80

9.2 TABELA SUBSCRITA ......................................................................................................................81

9.3 CLÁUSULA SET................................................................................................................................84

9.4 CLÁUSULA SEARCH.......................................................................................................................85

9.5 TABELA INDEXADA .......................................................................................................................86

10. CLASSIFICAÇÃO DE DADOS...........................................................90


10.1 CLÁUSULA SELECT (SORT)........................................................................................................91

10.2 CLÁUSULA RELEASE...................................................................................................................92

10.3 CLÁUSULA RETURN.....................................................................................................................93

10.4 CLÁUSULA SORT...........................................................................................................................93


10.4.1 INPUT PROCEDURE e OUTPUT PROCEDURE....................................................................94

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 4
Cobol
10.4.2 USING e OUTPUT PROCEDURE ............................................................................................96
10.4.3 INPUT PROCEDURE e GIVING...............................................................................................98
10.4.4 USING e GIVING.....................................................................................................................100

11. OUTRAS CLÁUSULAS ...................................................................103


11.1 CLÁUSULA EXAMINE / INSPECT - REPLACING.................................................................103
11.1.1 Regras para EXAMINE.............................................................................................................104
11.1.2 Exemplos de EXAMINE...........................................................................................................105

11.2 CLÁUSULA TRANSFORM..........................................................................................................106


11.2.1 Regras para o TRANSFORM....................................................................................................107
11.2.2 Exempos de TRANSFORM......................................................................................................107

11.3 CLÁUSULA EXHIBIT...................................................................................................................108

11.4 CLÁUSULA READY/RESET (TRACE)......................................................................................109

11.5 CLÁUSULA STRING.....................................................................................................................110


11.5.1 Regras para STRING.................................................................................................................111
11.5.2 Exemplos de STRING...............................................................................................................111

11.6 CLÁUSULA UNSTRING...............................................................................................................113


11.6.1 Regras para UNSTRING...........................................................................................................114

11.7 RETURN-CODE.............................................................................................................................114

11.8 ABENDAR PROGRAMA ............................................................................................................115

11.9 FILE STATUS.................................................................................................................................116


11.9.1 Alguns insucessos em operações de I/O....................................................................................119

12. EXERCÍCIOS...................................................................................121
12.1 Programa 1.......................................................................................................................................121
12.1.1 Nome do programa ...................................................................................................................121
12.1.2 Arquivos utilizados neste programa:.........................................................................................121
12.1.1 Layout dos arquivos...................................................................................................................122
12.1.2 Procedimentos:..........................................................................................................................122

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 5
Cobol

1. Legenda dos Componentes Orientativos.

DICA

LEIA

TOME NOTA

ATENÇÃO

CURIOSIDADE

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 6
Cobol

2. Introdução

Este manual de Cobol oferece informações e conceitos


essenciais para o desenvolvimento de programas na linguagem
Cobol.

2.1 Sistema Operacional

- programas de controle;
- supervisão de sistema;
- supervisão dos arquivos;
- supervisão dos job´s.

2.2 Programas

- tradutores de linguagem (metaprogramas);


- programas de serviço (utilitários);
- programas de aplicação.

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 7
Cobol
2.3 COMPILAÇÃO

-> programa fonte feito pelo programador

-> rotina do sistema operacional (tradutor)

-> módulo objeto

-> rotina do sistema operacional (LINKAGE-EDITOR)

-> módulo de carga

-> execução do programa

3. O que é Cobol?

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 8
Cobol
COBOL significa Common Business Oriented Language, isto é, Linguagem
Comum Orientada para o Comércio.

O Cobol é um subconjunto de palavras da língua inglesa, isto é, um


número limitado de palavras inglesas sujeitas a uma sintaxe própria. É uma
linguagem que lida com problemas comerciais, envolvendo os arquivos de
dados de apreciáveis proporções.

3.1 Como editar um programa


É necessário usar uma estrutura definida da maneira de escrever.

O compilador Cobol possui características posicionais, isto é,


necessitamos da ordenação de palavras, divisões e seções, usando a seguinte
estrutura:

Coluna de 1 a 6

Essas colunas são usadas para numerar as linhas de um programa. A


numeração é uma ordem crescente. Opcionalmente podem deixar de serem
preenchidas ou incluir outros caracteres.

Coluna 7

É usada para um hífen (-), que significa a continuação de não numéricos,


asterisco (*), usado para a inclusão de comentários e a barra (/) para o salto de
página.

Coluna de 8 a 72

São usadas para as entradas (palavras ou literais) do programa. Estas


colunas estão agrupadas em duas margens ‘A’ (coluna 8 a 11) e margem ‘B’
(coluna 12 a 72).

As entradas da margem ‘A’ são:


- títulos das divisões, seções e dos parágrafos;
- descrição dos arquivos;
- títulos especiais na Procedure Division;
- os números de nível, como o ‘77’.
As entradas da margem ‘B’ são:
- espaços entre as margens (com o objetivo de comunicação visual);
- continuação das entradas.

3.2 Comentários num programa


O comentário não é considerado pelo compilador, servindo somente para
documentação.

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 9
Cobol
O asterisco (*) na coluna 7, determinará que toda a linha ficará como
comentário.
A barra (/) na coluna 7, saltará uma página e gravará o comentário logo em
seguida.

Um programa deve sempre ter o máximo de informações


que auxiliem a compreensão do mesmo, portanto, é aconselhável
utilizar os recursos de comentários.

Para auxiliar na estética da listagem do programa, podemos usar a instrução


‘SKIP’ e ‘EJECT’ para pular linhas e folhas.

Digita-se na coluna 12:

EJECT  pula 1 folha


SKIP1  pula 1 linha
SKIP2  pula 2 linhas
SKIP3  pula 3 linhas

3.3 Palavras
Em comprimento, uma palavra não deve exceder a 30 caracteres. O
espaço em branco não é um caracter permitido para a formação de palavras.
Uma palavra não pode começar nem terminar com hífen (-).

Exemplo: IMPOSTO-DE-RENDA.

Há palavras que são reservadas do Cobol, com propósitos próprios.

3.3.1 Constante figurativa


É uma palavra associada a um valor particular.
Exemplos:

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 10
Cobol
ZEROS, ZERO, ZEROES  valor zero
SPACE, SPACES  valor brancos
QUOTE, QUOTES  apóstrofe
ALL ‘LITERAL’  um ou mais ocorrências de literal
HIGH-VALUE, HIGH-VALUES  maior valor (hexa FF)
LOW-VALUE, LOW-VALUES  menor valor (hexa 00)

3.3.2 Palavras opcionais

Seu uso é opcional:


Exemplo:
IF CPO-A IS GREATER THAN 10
é igual a IF CPO-A GREATER 10
logo IS e THAN são opcionais.

3.3.3 Palavras-chave

Determinar a função da cláusula ou comando


Exemplo: ADD, READ, WRITE, IF
Verbos : seu uso está contido na Procedure Division, comparado aos verbos
de gramática, já que levam a algum tipo de ação (exceto IF).

3.4 Caracteres
Há um conjunto de caracteres válidos no Cobol, como:

- De ‘0’ a ‘9’;

- De ‘A’ a ‘Z’;

- Espaços, parênteses, menor que, maior que, ponto, sinal de mais, sinal de
menos, dólar, E comercial, arroba, igual, vírgula, barra, asterisco, apóstrofes.

3.5 Estrutura da linguagem


A linguagem Cobol é estruturada em:
- Divisões;

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 11
Cobol
- Seções;
- Parágrafos;
- Sentenças;
- Cláusulas (nas três primeiras divisões);
- Comandos (na Procedure Division).

3.5.1 Divisões

As divisões do Cobol para a estruturação do programa e suas funções são


quatro:

- Divisão de identificação (IDENTIFICATION DIVISION);

- Divisão de equipamento (ENVIRONMENT DIVISION);

- Divisão de dados (DATA DIVISION);

- Divisão de procedimentos (PROCEDURE DIVISION).

3.5.2 Seções

Podemos identificar dois tipos de seções:

- definidos na ENVIRONMENT DIVISION e DATA DIVISION conforme


requeridos.

Exemplo:
CONFIGURATION SECTION.
WORKING-STORAGE SECTION.
- na PROCEDURE DIVISION para especificar a segmentação do programa.

3.5.3 Parágrafos
Na PROCEDURE DIVISION é utilizada para agrupar sentenças, permitindo a
alteração do fluxo lógico.

3.5.4 Sentenças
As sentenças são formadas por uma ou mais cláusulas ou comandos, e
terminado por um ponto.

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 12
Cobol
3.5.5 Programa Cobol

divisões

seções

parágrafos

sentenças

comandos cláusulas

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 13
Cobol

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 14
Cobol

4. IDENTIFICATION DIVISION

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 15
Cobol

Identifica o programa fonte (informação obrigatória), e


outras informações como autor, instalação, etc.

É a primeira das 4 divisões.

É utilizada para identificar o programa.

Os dados introduzidos pela ‘IDENTIFICATION DIVISION’ são tratados pelo


compilador Cobol como comentários, não sendo traduzidos em linguagem de
máquina. Formato opcional:

IDENTIFICATION DIVISION.

PROGRAM-ID. (nome do programa)

AIUTHOR. (nome do programador)

INSTALLATION. (local de uso ou geração do programa)

DATE-WRITTEN. (data em que foi escrito o programa)

DATE-COMPILED. (data em que foi compilado o programa)

REMARKS. (comentários sobre o programa. Utilizado o REMARKS em


programas desenvolvidos em Cobol ANS, isto é, Cobol I).

Exemplo:
<...+....1....+....2....+....3....+....4....+....5....+....6....+....7...
000001 IDENTIFICATION DIVISION.
000002 PROGRAM-ID. DEMPB012.
000003 AUTHOR. ANA PAULA NUNES.
000004 INSTALLATION. SAO-CENTRO.
000005 DATE-WRITTEN. 03/08/1997.
000006 DATE-COMPILED.
000007 SECURITY. ESTE PROGRAMA UTILIZA ARQUIVOS DE BACK-UP COMO
000008 SEGURANCA.
000009 REMARKS. O PROGRAMA EMITE RELATORIO A PARTIR DO ARQUIVO P-112.
000010

Obs: a opção DATE-COMPILED não deve ser preenchida, pois é o sistema


operacional que fará isso.

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 16
Cobol

5. ENVIRONMENT DIVISION

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 17
Cobol

É a definição do ambiente físico.


Especifica o equipamento usado para compilação e
execução do programa, além de associar os arquivos do programa
aos diversos periféricos, técnicos especiais de entrada/saída.

É a segunda divisão do Cobol.


Identifica a máquina que está sendo usada. Contém a descrição do
computador e a designação dos arquivos para as respectivas unidades de
configuração do computador.
É dividida em duas seções:

- CONFIGURATION SECTION;
- INPUT-OUTPUT SECTION.

5.1 CONFIGURATION SECTION


Esta seção é utilizada para fornecer informações sobre o computador.
É dividida em 3 parágrafos:

- SOURCE-COMPUTER. (nome-do-computador).
- OBJECT-COMPUTER. (nome-do-computador).
- SPECIAL-NAMES. (nome-da-função IS nome-simbólico).

5.1.1 SPECIAL-NAMES
Este parágrafo relaciona funções existentes no compilador Cobol com nomes
simbólicos dados pelo programador.

Exemplo:

SPECIAL-NAMES.
DECIMAL-POINT IS COMMA.

SPECIAL-NAMES.

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 18
Cobol
DECIMAL-POINT IS COMMA
C01 IS CANAL-1.

O ‘DECIMAL-POINT IS COMMA’ define que o ponto decimal dever ser a vírgula.


O canal de controle da impressão (CANAL-1) está no intervalo C01 a C12.

5.2 INPUT-OUTPUT SECTION


Define arquivos utilizados pelo programa efetuando ligações com o
equipamento da máquina.

Está dividida em 2 parágrafos:


- FILE-CONTROL.
- I-O-CONTROL.

5.2.1 FILE-CONTROL
É o controle de arquivos.

Cada arquivo descrito na “DATA DIVISION” deverá ter seu nome simbólico de
arquivo descrito após o “select”.

5.2.1.1 SELECT

O Select tem a função de designar um arquivo para um dispositivo de


entrada/saída. É necessário um “Select” para cada arquivo.
Exemplo:

ENVIRONMENT DIVISION.
INPUT-OUTPUT SECTION.
FILE-CONTROL.
SELECT (nome-arquivo) ASSIGN TO(classe-organização-nome).

Nome-do-arquivo -> é dado pelo programador. É o nome

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 19
Cobol

pelo qual o arquivo será reconhecido na “DATA DIVISION” e


“PROCEDURE DIVISION”.

Classe -> especifica o tipo de dispositivo:

DA = acesso direto (discos magnéticos)

UT = utility (fitas e discos magnéticos)

UR = registros unitários (leitoras, impressoras)

UP = registro unitário (perfuradoras).

Organização -> indica a organização do arquivo:


S = arquivos sequenciais
D = arquivos de acesso direto
W = arquivos de acesso direto quando o comando
“REWRITE” é usado no programa
I = arquivos de organização indexada
Nome -> é o nome pelo qual o arquivo será reconhecido pelo
cartão “DD” do “JCL”. Não deve ter mais que 8 caracteres, e nem
começar com caracter numérico.

5.2.2 I-O-CONTROL.
O “I-O-CONTROL” tem a finalidade de auxiliar na gravação de arquivos
variáveis.
Há operação de CHECK-POINT, ou seja, para trabalhos com arquivos de
grandes quantidades de registros, garantindo a execução do serviço já executado
caso ocorra algum erro de “I-O”. Ele salva o que já foi feito até o instante numa área
estipulada pelo programador.
Pode ser utilizado para a mesma definição de uma “FD” para vários arquivos
que possuam o mesmo lay-out.

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 20
Cobol

6. DATA DIVISION

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 21
Cobol

Define a estrutura lógica dos arquivos e das áreas de


trabalho. Descreve os dados que o programa aceitará como
entrada e os que serão produzidos como saída.

A DATA DIVISION tem a função de descrever os arquivos e seus registros.


Assim como qualquer área de traballho necessária ao programa.

Essa divisão possui 5 seções que devem aparecer na ordem especificada.


Caso alguma não seja necessária, deve ser omitida:
1 – FILE SECTION.
2 – WORKING-STORAGE SECTION.
3 – LINKAGE SECTION.
4 – COMMUNICATION SECTION (estabelece ligações entre o programa cobol
e programa de controle de teleprocessamento).
5 – REPORT SECTION (descreve relatório que o programa deve emitir).

6.1 FILE SECTION


Descreve o conteúdo e a organização dos arquivos.
O primeiro nível na “FILE SECTION” é por intermédio de uma entrada (FD –
FILE DESCRIPTION).
Cada “FD” descreve o arquivo do Select.
O segundo nível é descrito por uma entrada “01”.

Indicador Uso
FD descrição de arquivos
SD descrição de “sort-files”
RD descrição de relatórios
CD descrição de comunicação

O formato dos números e níveis servem para estruturar logicamente o registro.

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 22
Cobol
As subdivisões de um registro são “itens elementares” (não possuem
subdivisões) e “itens de grupo”.

Os números de níveis começam em 01 ou 1 e vão até 49. Exemplo:


<...+....1....+....2....+....3....+....4....+....5....+....6....+....7...
FD CARTOES
XXXXXXXXXXXXXXXXX.

01 RECIBO.
02 IDENTIFICACAO.
03 PREFIXO PIC X(02).
03 RESTO PIC X(05).
02 NUMERO PIC 9(03).
02 FILLER PIC X(50).

(FD)  indicador
(01), (02), (03)  números de nível
(IDENTIFICACAO), (RECIBO)  itens de grupo
(PREFIXO), (RESTO), (NUMERO), (FILLER)  itens elementares

6.1.1 Níveis especias (2 tipos)


Níveis:
(77)  designa itens da “WORKING-STORAGE SECTION” que não são
subdivisores de outros e por sua vez não são subdivididos. Quando aparecerem
devem ser descritos obrigatoriamente dentro da “WORKING-STORAGE SECTION”.
O item (77) serve para definir acumuladores e áreas auxiliares.
Exemplo:

WORKING-STORAGE SECTION.
77 ACU-LIDOS PIC 9(05) VALUE 0.
77 AUX-NOME PIC X(20).

(88) -> especifica condições que devem ser associadas a valores particulares.

Exemplos:
1 WRK-REG.
02 WRK-SEXO PIC X(01).
88 FEMI VALUE ‘F’.

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 23
Cobol
88 MASC VALUE ‘M’.

77 WRK-REG PIC 9(05) VALUE ZEROS COMP-3.


88 MASC VALUE 0 THRU 10.
88 FEMI VALUE 15 THRU 30
35 THRU 40.
88 FEMI VALUE 50.

Os valores definidos no nível “88” devem estar em ordem crescente.

6.1.2 FILE DESCRIPTION (FD)


É a descrição do arquivo.
Formato:

FD NOME-DO-ARQUIVO
BLOCK CONTAINS (quantidade de blocos)
RECORD CONTAINS (tamanho do registro lógico)
RECORDING MODE (formato do arquivo)
LABEL RECORD (formato do label)
DATA RECORD (nome do registro).

6.1.2.1 BLOCK CONTAINS

(BLOCK CONTAINS 9999 RECORDS)


Especifica o tamanho do registro físico.
Se for colocado zero (0), assume informações do cartão “DD”.
Se não for colocado “RECORDS”, assume “CHARACTERS”.

6.1.2.2 RECORD CONTAINS

(RECORD CONTAINS 9999 CHARACTERS)


Especifica o tamanho do registro lógico.
Se esta cláusula for colocada, é feita uma conferência pelo compilador,
somando a quantidade de bytes da definição do registro.

6.1.2.3 RECORDING MODE

(RECORDING MODE IS X)

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 24
Cobol
Designa o formato do arquivo:
- (F) -> comprimento fixo
- (V) -> comprimento variável
- (U) -> indefinido
- (S) -> estendido (spanned)
Se não for colocada a cláusula “RECORDING MODE”, o compilador
determinará pelo cartão “DD” ou catálogo.

Para arquivos sequenciais usar : F, V ou S;

Para arquivos de acesso direto usar: F, U ou S.

6.1.2.4 LABEL RECORD

(LABEL RECORD IS XXXXXXXX)


Especifica o formato do label.
Quando omitido assume “LABEL STANDARD”.
- STANDARD -> padrão
- OMITTED -> omitido
Para impressora, leitora de cartões, perfuradoras, usar “OMITTED”, pois não
possuem “LABELS”. Os demais casos usar “STANDARD”.

6.1.2.5 DATA RECORD

(DATA RECORD IS NOME-DO-DADO-1)


(DATA RECORD ARE NOME-DADO-1, NOME-DADO-2, ...)
Serve apenas como documentação, identificando os registros do arquivo pelo
nome.
Exemplo:
<...+....1....+....2....+....3....+....4....+....5....+....6....+....7...
DATA DIVISION.
FILE SECTION.
FD FITA
RECORDING MODE IS F
LABEL RECORD IS STANDARD
RECORD CONTAINS 80 CHARACTERS
BLOCK CONTAINS 20 RECORDS

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 25
Cobol
DATA RECORD IS RECIBO.

01 RECIBO.
02 NOME PIC X(30).
02 VALOR PIC 9(03)V9(02).
02 FILLER PIC X(05).

6.1.3 CLÁUSULA PICTURE (PIC)

É usada para descrição de informações sobre itens, tais como: tamanho, sinal,
tipo (numérico, alfanumérico ou alfabético).
Picture possíveis:

- ALFABÉTICO -> é representado por letras mais o espaço, e o carácter


usado é a letra “A”.
Exemplos:
77 DADO1 PICTURE IS AAA VALUE ‘ABC’.
77 DADO2 PIC IS AAA VALUE ‘ABC’.
77 DADO3 PIC A(3) VALUE ‘BCD’.

- ALFANUMÉRICO -> é representado por letras, números e caracteres do


Cobol. O caracter usado é a letra “X”. A representação de dados não pode
exceder a 120 caracteres.
Exemplos:
01 DADO1 PIC XXX VALUE ‘ANO’.
01 DADO2 PIC X(04) VALUE ‘KKKK’.

- NUMÉRICO -> usa-se para representação exclusiva de itens numéricos. Os


caracteres usados são: “9”, “V”, “P”, “S”.

“9” = é utilizado para indicar a posição do campo que contém


um dígito de “0” a “9”.

“V” = é usado para mostrar a posição da vírgula decimal. O


ponto decimal, se colocado, não faz parte do item.

“P” = representa um dígito numérico zero (0).

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 26
Cobol

“S” = indica a presença de sinal, deve ser colocado antes do


“9”.

- EDIÇÃO -> utiliza-se para itens que devem ser impressos ou enviados para
tela de programas on-line. São definidos na “WORKING-STORAGE
SECTION”.
O formato é representado por qualquer combinação dos seguintes
caracteres:
(9), (V), (P), (.), (Z), (*), (CR), (DB), (,), (0), (B), ($), (+), (-)

(9), (V), (P) -> são usados de maneira semelhante ao uso dos itens numéricos;
(.) -> o ponto decimal, quando usado, é inserido na posição indicada;
(Z) -> indica a supressão de zeros não significativos;
(*) -> é usado como proteção de um número impresso;
(CR), (DB) -> significam CR (crédito) e DB (débito). Usa-se somente quando o
número for negativo. Caso o número seja positivo, não aparecerá nada;
(,), (0), (B) -> são símbolos de edição que são inseridos na impressão;
($), (+), (-) -> são impressos na posição indicada.

OBS: O símbolo (-) não dever ser o próximo sinal após o ponto. Caso isso
ocorrer, definir mais um (-). Exemplo:

01 CAMPO PIC --.---.---,99.

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 27
Cobol

Definição Picture Valor Real Na memória


9(04) 9999 502 502
9V9(2) 9V99 1,25 125
9(03) 999PP 43700 437
S9(02) S99 -21 21-
9(05) 99.999 10.987 10987
9(04)V99 Z.ZZZ,99 25,50 002550
9(03) ZZZ 000
9(03) **9 422 422
9(03) *** *** 000
S9(03)V99 999,99CR 800,00CR 80000(-)
9(04) 990099 110025 1125
9(06) 99B99B99 12 13 15 121315
9(03) $999 $371 371
S9(02) -99 -15 15(-)
S9(02) -99 16 16
S9(02) +99 15 15(-)
S9(02) +99 +16 16(+)
S9(02) 99- 15- 15(-)
S9(04) -.--9 -12 0012(-)

OBS: caso tenha que utilizar o caracter ‘, para se fazer


entendido ao Cobol, define-se dentro das aspas duplas.

Exemplo:

77 ASPA PIC X(01) VALUE “ ’ ”.

6.1.4 CLÁUSULA FILLER


É usada para um item elementar ou um item de grupo, e nunca será
refenciado. Pode ser usada na “DATA DIVISION” e suas “SECTIONS”.
Exemplo:

01 REGISTRO.
02 FILLER PIC X(100).

6.1.5 CLÁUSULA VALUE


É usada para definir um valor inicial para um item da “WORKING-STORAGE
SECTION”. Não pode ser usada na “FILE SECTION”.
Exemplo:

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 28
Cobol
1 CABEC.
02 FILLER PIC X(10) VALUE SPACES.
02 FILLER PIC X(06) VALUE ‘FOLHAS’.
02 DATA PIC X(10) VALUE SPACES.

6.2 WORKING-STORAGE SECTION

Esta seção descreve informações sobre as áreas de


trabalho, descrição de tabelas, área para DB2, lay-out, etc.

6.2.1 OPÇÃO COMPUTATIONAL (COMP)


Só podem ser usados para itens numéricos (COMP, COMP-1, COMP-2,
COMP-3, COMP-4).

6.2.1.1 COMP ou COMP-4 (binário):

Bytes = 2 se tamanho do campo com COMP for de 1 a 4;


Bytes = 4 se tamanho do campo com COMP for de 5 a 9;
Bytes = 8 se tamanho do campo com COMP for de 10 a 18;
Se quiser valorizar um campo binário este deve estar em formato decimal.
Exemplo:
01 VALOR1 PIC 9(03) COMP.
01 VALOR3 PIC 9(04) COMP VALUE 1234. (Memória = 04D2)
01 VALOR5 PIC 9(07) COMP VALUE 499701. (Memória = 00079FF5).

6.2.1.2 COMP-1 e COMP-2 (ponto-flutuante):

Usados para ponto flutuante interno.


É usado nos registradores = 0,2,4,6.

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 29
Cobol
COMP-1 = 4 bytes de precisão simples.
COMP-4 = 8 bytes de precisão dupla.

6.2.1.3 COMP-3 (compactado)

É decimal interno (compactado). Campos até 18 dígitos ou 10 bytes. 1 byte usa


2 dígitos ou 1 dígito mais o sinal.
Exemplos:
01 VALORA PIC 9(05) COMP-3 VALUE 4321. (Memória = 04 32 1F)
01 VALORB PIC S9(05) COMP-3 VALUE +486. (Memória = 00 48 6C).

6.2.2 CLÁUSULA JUSTIFIED


Posiciona itens alfabéticos ou alfanuméricos a direita no campo receptor.

Quando item emissor maior será truncado a esquerda e quando menor


preenchidos com brancos.
Exemplos:
01 DADOS PIC X(10) JUSTIFIED RIGHT.
01 DADOS PIC X(10) JUST RIGHT.

MOVE CAMPOX TO DADOS

CAMPOX = JOAO DADOS =40 40 40 40 40 40 D1 D6 C1 D6

6.2.3 CLÁUSULA REDEFINES


É usada para redescrever uma área.
A redefinição deverá conter a mesma quantidade de bytes do campo ou área
anterior e estar no mesmo nível.

1 REGISTRO.
03 ALPINO PIC X(06).
03 BETA.
05 LETRA PIC X(04).
05 NUM PIC 9(02).

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 30
Cobol
03 ALFA REDEFINES BETA.
05 AUT PIC 9(01).
05 LIVRE PIC X(05).
03 ZUM PIC X(08).

6.2.4 CONSTANTES FIGURATIVAS


São constantes definidas pelo compilador.

Constantes figurativas Picture aplicáveis

ZERO ALFANUMÉRICAS
ZEROS OU
ZEROES NUMÉRICAS

SPACE ALFABÉTICAS
SPACES OU ALFANUMÉRICAS

HIGH-VALUE (MAIOR VALOR) ALFANUMÉRICAS


HIGH-VALUES

QUOTE (APÓSTROFE) ALFANUMÉRICAS


QUOTES

ALL ‘CARACTER ALFANUMÉRICO’ ALFANUMÉRICAS

LOW-VALUE (MENOR VALOR) ALFANUMÉRICAS


LOW-VALUES

6.3 LINKAGE SECTION


É utilizada para pegar dados pelo “PARM.GO” ou ligar o programa a outros
programas.
- são válidas as regras referentes as apresentadas na “WORKING-STORAGE
SECTION”;
- a cláusula VALUE somente pode ser especificada para itens de nível “88”;

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 31
Cobol
- assume-se que para cada item passado tem que ser de nível “01” ou nível
“77” (limite de full-word);
- pelo PARM pode ser passado até 100 caracteres (bytes).
- para definição da “LINKAGE SECTION”, quando for pego algum dado pelo
“PARM”, os dois primeiros bytes devem ser definidos como binário, pois
estes bytes conterão o tamanho do “PARM”.
Exemplo:

LINKAGE SECTION.
01 PARAMETROS.
03 TAMANHO PIC 9(04) COMP.
03 DATA-PARM PIC 9(08).

- quando se faz ligação entre programas, o programa chamado, deve conter a


cláusula “LINKAGE SECTION”, e seus referidos campos de definição.
Quanto ao programa chamador, este deve conter os mesmos campos da
“LINKAGE” na “WORKING-STORAGE”, sendo obrigatório os campos a
serem passados, estarem na mesma ordem do programa chamado.
- No exemplo acima, os dados serão jogados do “PARM” para
“PARAMETROS” após a cláusula “PROCEDURE DIVISION USING
PARAMETROS”.

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 32
Cobol

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 33
Cobol

7. PROCEDURE DIVISION

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 34
Cobol

Contém comandos executáveis do programa, isto é, os


procedimentos a serem executados.

7.1 CLÁUSULA OPEN


Abre arquivo de entrada e saída. Formato:

OPEN INPUT (NOME-ARQUIVO-1) (NOME-ARQUIVO-2)


OUTPUT (NOME-ARQUIVO-3)
I-O (NOME-ARQUIVO-4)

INPUT -> arquivos de leitura


OUTPUT -> arquivos de gravação e impressão
I-O -> arquivos de acesso-direto (leitura e gravação)

7.2 CLÁUSULA READ


Ler um registro do arquivo de entrada.
Formato:

READ (NOME-ARQUIVO).
ou
READ (NOME-ARQUIVO) INTO (AREA-LAYOUT).
ou
READ (NOME-ARQUIVO) INTO (AREA-LAYOUT)
AT END
GO TO 100-99-FIM.

- NOME-DO-ARQUIVO -> definido por uma descrição na “FD”


- INTO -> faz com que o registro seja lido e movido para área definida dentro
da “WORKING-STORAGE” ou “LINKAGE SECTION”.
- AT END -> é uma das opções para o controle de fim de arquivo.

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 35
Cobol

7.3 CLÁUSULA WRITE


Transfere um registro do programa para um arquivo de saída ou impressora de
relatórios.
Formato:

WRITE (NOME-REGISTRO) FROM (AREA-1)


AFTER/BEFORE ADVANCING (INTEIRO) LINES

- FROM -> faz com que uma área seja movida da “WORKING-STORAGE
SECTION” para o registro, e seja gravado ou impresso.
- ADVANCING -> refere-se ao controle do posicionamento vertical de cada
linha, se não for usado o salto automático de linhas no programa. Não podem ser
usados os dois controles no mesmo programa.
- AFTER ou BEFORE -> é o controle de salto. O “AFTER” indica que primeiro
pula a quantidade de linhas especificadas ou (salta de página) para depois imprimir.
O “BEFORE” primeiro imprime para depois saltar de linhas ou (pular de página).
Exemplos:

WRITE RELATORIO FROM CABEC1 AFTER ADVANCING 2 LINES.


WRITE AREA-ATUAL.
WRITE CADASTRO FROM REG-CAD.

O “WRITE” só deve ser dado em cima do nível “01”.

WRITE SAIDA FROM AREA-1.

FILE SECTION.
01 SAIDA.
XXXXXXX

WORKING-STORAGE SECTION.

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 36
Cobol
01 AREA-1.
XXXXXXXXXXXX

7.3.1 OPÇÃO ADVANCING

C01 até C09 Salto do canal 1 até 9


C10 até C12 Salto do canal 10, 11 e 12

Se um número inteiro for usado (1 a 100) serão saltadas tantas linhas quantas
forem o valor do inteiro.
Exemplos:

WRITE RELATORIO FROM CABEC1 AFTER ADVANCING CANAL-1.

WRITE RELATORIO FROM LIN-DET1 AFTER ADVANCING 2 LINES.

7.3.2 OPÇÃO AFTER POSITIONING


Deve ser declarada como caracter alfanumérico (PICTURE X).

Por exemplo, na impressão do cabeçalho de um relatório:

FD IMPRESSAO
LABEL OMITTED
RECORDING F
BLOCK 0.

1 RELATORIO.
2 CARRO PIC X(01).
02 FILLER PIC X(132).

WORKING-STORAGE SECTION.
1 CABEC1.
2 FILLER PIC X(01) VALUE ‘1’.

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 37
Cobol
02 DATA PIC X(10) VALUE SPACES.
02 FILLER PIC X(40) VALUE SPACES.
02 FILLER PIC X(30) VALUE
‘PROGRAMA DE INCLUSAO DE TITULOS’.
02 FILLER PIC X(44) VALUE SPACES.
02 HORA PIC X(08) VALUE SPACES.
.............
PROCEDURE DIVISION
.........
WRITE RELATORIO FROM CABEC1 AFTER POSITIONING CARRO.

WRITE RELATORIO FROM CABEC1 AFTER POSITIONING 2 LINES.

WRITE RELATORIO FROM CABEC1.

Branco ‘ ‘ Espacejamento simples


Zero ‘0’ Espacejamento duplo
Menos ‘-‘ Espacejamento triplo
Mais ‘+’ Supressão do espacejamento
‘1’ a ‘9’ Salto do canal 1 a 9
‘A’, ‘B’, ‘C’ Salto do canal 10, 11 e 12

- No POSITIONING, o máximo de linhas que se pode pular são 3 (três);

- Não deve-se utilizar “AFTER” e “BEFORE” no mesmo programa.

- AFTER = salta primeiro, depois imprime;

- BEFORE = imprime primeiro, depois salta a linha.

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 38
Cobol

7.4 CLÁUSULA CLOSE


O CLOSE é utilizado para fechar os arquivos que foram abertos. Quando este
comando não for utilizado, o próprio sistema se encarregará de fechá-los. Formatos:
- CLOSE normal p/ disco e fita:

CLOSE CARTAO

7.5 CLÁUSULA STOP RUN


Termina o processamento de um programa.
Formato:

STOP RUN.

Este comando é obrigatório, podendo existir mais de um comando dentro do


mesmo programa.

7.6 CLÁUSULA GOBACK


Termina o processamento de uma ligação entre programas, ou pode ser
utilizado como o “STOP RUN”.
Muito utilizado em programas on-line e módulos.
Formato:

GOBACK.

Exemplo:
IDENTIFICATION DIVISION.
...............
LINKAGE SECTION.
...............
PROCEDURE DIVISION.
..............
GOBACK.

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 39
Cobol
7.7 CLÁUSULA GO TO
Permite a transferência da parte do programa que está sendo executada para
uma outra.
Formato:

LEITURA.
......... AT END
GO TO FIM-LEITURA.
.............................
FIM-LEITURA.

Indica-se para uma melhor estruturação da lógica e do


programa, não executar o comando GO TO para desviar para fora
da rotina em que foi colocado.

7.8 CLÁUSULA MOVE


Este comando faz a movimentação de dados dentro do programa.

Formato 1:
MOVE (CAMPO-1) TO (CAMPO-2) (CAMPO-3)

Exemplo:
WORKING-STORAGE SECTION.
01 DADO-A PIC X(05) VALUE ‘ABC’.
01 DADO-2 PIC X(05).
01 DADO-3 PIC X(05) VALUE SPACES.
01 DADO-4 PIC X(05).
...........................
PROCEDURE DIVISION.
MOVE DADO-A TO DADO-2.
MOVE DADO-A TO DADO-3 DADO-4.

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 40
Cobol
Formato 2:
MOVE CORRESPONDING (CAMPO-1) TO (CAMPO2)
MOVE CORR (CAMPO-1) TO (CAMPO2)

O MOVE CORRESPONDING ou MOVE CORR movimenta dados entre itens


elementares de mesmo nome, bastando para tanto, citar os itens de grupo
correspondentes.

Exemplo:
WORKING-STORAGE SECTION.
1 CAMPO-1.
03 NOME PIC X(05).
03 ENDER PIC X(10).
1 CAMPO-2.
03 ENDER PIC X(10).
03 NOME PIC X(05).
....................
PROCEDURE DIVISION.
MOVE CORR CAMPO-1 TO CAMPO-2.

Exemplo com literais figurativas:

MOVE SPACES TO WS-AREA-LIVRE


MOVE ZEROS TO DATA-8
MOVE 120 TO NUMERO-FIXO
MOVE ‘CREDITO’ TO WS-CONTABIL
MOVE ‘FAVOR’ TO WS-CABEC1 CABEC2.

7.8.1 CLÁUSULA OF no COMANDO MOVE


Usa-se esta cláusula para campos com nomes iguais, definidos em itens de
grupo com nomes diferentes.

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 41
Cobol
Formato:
MOVE WS-MES TO MES OF REGISTRO-1.

Exemplo:

WORKING-STORAGE SECTION.
1 TABELA-1.
03 NOME PIC X(05).
03 ENDER PIC X(10).
1 TABELA-2.
03 ENDER PIC X(10).
03 NOME PIC X(05).
01 SELECIONADO PIC X(10).
....................
PROCEDURE DIVISION.
MOVE ENDER OF TABELA-2 TO SELECIONADO
MOVE SELECIONADO TO ENDER OF TABELA-1.
....................

Na movimentação de itens “não-elementares”, é tratado no


Cobol como item alfanumérico, isto é, todo item de grupo é um
item alfanumérico.

Se o item receptor for alfanumérico, alfanumérico de


edição ou item alfabético:
- as posições não preenchidas pelo conteúdo do campo
emissor, são preenchidas automaticamente com espaços;
- Se o tamanho do campo emissor for maior que o campo
receptor, os caracteres em excesso serão truncados;
- Se o item emissor possuir sinal, o valor absoluto será
adotado pelo item receptor.

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 42
Cobol
Se o item receptor for numérico ou numérico de edição:
- O caracter ponto decimal (.) será alinhado;
- Os caracteres são preenchidos pelo item emissor com
zeros, exceto quando os zeros forem substituídos por
caracteres de edição;
- O valor absoluto do item emissor será aceito da maneira
que o item receptor estiver formatado, a direita ou a
esquerda do ponto decimal. Os dígitos em excesso serão
truncados;
- Se o item emissor for não-numérico, os resultados serão
imprevisíveis.
Quando um comando “MOVE” é executado, qualquer
conversão da representação de dados, quanto possível, é feita.

7.9 CLÁUSULA ADD

Esta cláusula é válida somente para itens elementares numéricos.


Por ela, são somados dois ou mais operandos e o resultado guardado numa
variável definida pelo programa.

Formato 1:
ADD (IDENT-1) TO (IDENT-2).

Nesta forma, soma-se o conteúdo do IDENT-1 e do IDENT-2. O resultado da


soma ficará no IDENT-2.

Formato 2:
ADD (IDENT-1) (IDENT-2) TO (IDENT-N)
ADD (NUM-1) (NUM-2) ROUNDED (IDENT-N) ON SIZE ERROR
(sentença imperativa).
Os campos IDENT-1 e IDENT-2 serão somados e o resultado ainda será
somado em IDENT-N.

Formato 3:
ADD (IDENT-1) (IDENT-2) (IDENT-3) GIVING (IDENT-N).

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 43
Cobol

Os conteúdos dos campos IDENT-1, IDENT-2 e IDENT-3 serão somados


(IDENT-1 + IDENT-2 + IDENT-3) e o resultado ficará em IDENT-N.

Formato 4:
ADD CORRESPONDING (IDENT-1) TO (IDENT-2)
ADD CORR (IDENT-1) TO (IDENT-2).

Neste caso, IDENT-1 e IDENT-2 são itens de grupo. Os itens elementares


contidos nestes itens de grupo serão somados e o resultado ficará em IDENT-2.
Nesta opção, os itens elementares dentro dos níveis de grupo só podem ser
somados, caso haja correspondência de nomes.

Exemplo:
1 CAMPO-1.
03 A PIC 9(03)V(02).
03 B PIC 9(04).

1 CAMPO-2.
03 A PIC 9(03)V9(02).
03 B PIC 9(04).

ADD CORR CAMPO-1 TO CAMPO-2.

Efetuará as seguintes operações:


(A do CAMPO-1 + A do CAMPO-2 )= S1
(B do CAMPO-1 + B do CAMPO-2 )= S2
No CAMPO-2 serão armazenados os resultados:
A do CAMPO-2 = S1
B do CAMPO-2 = S2

Outros exemplos:

Suponhamos A = 1, B=2, C=3 e D=4.

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 44
Cobol

ADD A B TO C D.
(Cálculo 1 = A + B + C = S1 / Cálculo 2 = A + B + D = S2
C = S1 = 6 / D = S2 = 7)

ADD A TO B.
(A + B = S1 / B = S1 = 3)

ADD A C GIVING D
(A + C = S1 / D = S1 = 4)

- Nos casos acima os identificadores que sucedem a “TO”


ou “GIVING” podem ser itens elementares numéricos de
edição.
- O tamanho máximo de cada operando num campo
numérico é de 18 dígitos.

7.9.1 OPÇÃO ROUNDED


Quando a opção ROUNDED for colocada, haverá uma aproximação para dígito
menos significativo do operando. Será somado um (1) a este dígito, se o dígito, mais
significativo a ser truncado for maior ou igual a cinco (5). Esta opção só é válida para
casa decimal.
Exemplos:
CAMPO-1 = 1,99
CAMPO-2 = 0,3
Dividindo o CAMPO-1 pelo CAMPO-2, teremos: 6,6333... o campo receptor
ficará = 6,63.

CAMPO-3 = 1,25
CAMPO-4 = 0,3
Dividindo o CAMPO-3 pelo CAMPO-4, resultaria em 4,2666...., ficando o
campo receptor = 4,27.

Formato:

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 45
Cobol

ADD CAMPO-3 TO CAMPO-4 ROUNDED.

A opção ROUNDED deverá preceder o campo receptor.

7.9.2 OPÇÃO ON SIZE ERROR


Se antes do ponto decimal, o valor do resultado exceder o número de dígitos
disponíveis do operando definido para conter o resultado, será desviado para
sentença imperativa e os valores permanecerão inalterados.
Exemplo:

ADD A TO B GIVING C ROUNDED


ON SIZE ERROR GO TO ERRO.

A opção “ON SIZE ERROR” deve sempre preceder o campo receptor.

7.10CLÁUSULA SUBTRACT

Esta cláusula é utilizada para subtrair um ou somar dois ou


mais itens numéricos para subtrair o resultado de outro ou mais
itens numéricos.

Formato 1:

SUBTRACT A FROM B
No cálculo acima, faz-se = (B – A) e o resultado fica em “B”.

Formato 2:

SUBTRACT (IDENT-1) (IDENT-2) ....


FROM (IDENT-M) ROUNDED (IDENT-N)

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 46
Cobol
ON SIZE ERROR (SENTENÇA IMPERATIVA).

Formato 3:

SUBTRACT (IDENT-1) (IDENT-2) FROM (IDENT-M)


GIVING (IDENT-N).

Fomato 4:

SUBTRACT CORR (IDENT-1) FROM (IDENT-2)


CORRESPONDING

No formato 2, todos os identificadores (IDENT-X) antes da palavra FROM são


somados, e o total é subtraído dos identificadores “M” e “N”. O resultado fica em “M” e
“N”.

Exemplo:
SUBTRACT A B FROM D C.

São feitas as seguintes operações para o comando acima:


1) D – (A + B), o resultado é colocado em “D”.
2) C – (B + A), o resultado é colocado em “C”.

No formato 3, todos os identificadores (IDENT-X) que precedem a palavra


FROM são somados, o resultado subtraído do operando após a palavra FROM. O
resultado é colocado no operando após a palavra GIVING.
Exemplo:

SUBTRACT H I J FROM L GIVING N.

Operações efetuadas acima:


L – (H + I + J), o resultando colocado em “N”.

No formato 4, temos como exemplo:

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 47
Cobol
1 A.
02 B PIC 9(04).
02 C PIC 99.
01 D.
02 B PIC 9(04).
02 C PIC 99.

SUBTRACT CORR A FROM D.

Operações que serão efetuadas:


1) B(D) - B(A), e o resultado é colocado em B(D)
2) C(D) - C(A), e o resultado é colocado em C(D).

7.11CLÁUSULA MULTIPLY (multiplicação)

Esta cláusula é usada para multiplicar um item numérico


por outro numérico.

Formato 1:

MULTIPLY A BY B.

A multiplicação é feita “A” por “B”, e o resultado é colocado em “B”.

Formato 2:

MULTIPLY A BY B GIVING C.

A multiplicação é feita “A” por “B” e o resultado é colocado em “C”.


O campo “C” pode ser uma picture numérica de edição.

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 48
Cobol

Formato 3:

MULTIPLY (IDENT-1) BY (IDENT-2)


ROUNDED ON SIZE ERROR (SENTENÇA IMPERATIVA).

Formato 4:

MULTIPLY (IDENT-1) BY (IDENT-2) GIVING (IDENT-3)


ROUNDED ON SIZE ERROR (SENTENÇA IMPERATIVA).

7.12CLÁUSULA DIVIDE (divisão)

Esta cláusula é utilizada para efetuar o comando de


divisão entre campos de itens numéricos.

Exemplo/formato 1:

DIVIDE A BY B.
Dividendo = A
Divisor = B
Quociente = B

Operações que serão efetuadas acima = (A / B) = R1


B = R1

Exemplo/formato 2:

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 49
Cobol
DIVIDE A INTO B.
Dividendo = B
Divisor = A
Quociente = B

Operações que serão efetuadas acima = (B / A) = R1


B = R1

Exemplo/formato 3:

DIVIDE A BY B GIVING C.

Operações que serão efetuadas acima = (A / B) = R1


C = R1

DIVIDE A INTO B GIVING C.

Operações que serão efetuadas acima = (B / A) = R1


C = R1

Formato 4:

DIVIDE (IDENT-1) BY (IDENT-2)


ROUNDED ON SIZE ERROR (SENTENÇA IMPERATIVA).
DIVIDE (IDENT-1) INTO (IDENT-2)
ROUNDED ON SIZE ERROR (SENTENÇA IMPERATIVA).

Formato 5:

DIVIDE (IDENT-1) BY(ou INTO) (IDENT-2) GIVING


(IDENT-3) ROUNDED REMAINDER (IDENT-4).

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 50
Cobol
7.12.1 OPÇÃO REMAINDER

É utilizada para colocar o resto da divisão.

Exemplos:

DIVIDE A INTO B REMAINDER C.


DIVIDE A INTO B GIVING C REMAINDER D.
DIVIDE A BY B REMAINDER C.
DIVIDE A BY B GIVING C REMAINDER D.

7.13CLÁUSULA COMPUTE

Operandos que a cláusula compute pode executar:


- Adição (+);
- Subtração (-);
- Multiplicação (*);
- Divisão (/);
- Exponenciação (**).

Suponhamos que desejamos calcular uma taxa cujo valor é de 5 percentuais


do capital:

COMPUTE TAXA = 0.05 * CAPITAL

Outros exemplos:

COMPUTE VALOR-A = TAXA * 0.15 + NUM / DIV.

COMPUTE RESULTADO = B * B * A.

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 51
Cobol

COMPUTE EXPON = B ** 2.

COMPUTE CAMPO = CMP ** 3.1 + COS / SEN * B.

COMPUTE Z = (A / B) * C.

COMPUTE RESULT1 RESULT2 RESULT3 = BRUTO * 3 / (15 – CALC).

Formato 1:
COMPUTE (N) ROUNDED (M) ROUNDED...= (EXPRESSÃO ARITMETICA)
ON SIZE ERROR (SENTENÇA IMPERATIVA).

No compute, as operações obedecem a hierarquia das


operações. Caso se queira efetuar uma operação de nível mais
inferior antes de uma superior, deve-se colocar a de nível de
interesse primeiro entre parênteses.

Exemplo:

IF (CAMPO / 4 * 6) EQUAL (CAMPO2 * 2) / 4


MOVE CAMPO TO SAI-CAMPO.

As operações aritméticas seguem a sua hierarquia, exceto quando estiverem


entre parênteses.

7.14CLÁUSULA DISPLAY

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 52
Cobol

Esta cláusula serve para escrever dados em um dispositivo


de saída.

Formato 1:
DISPLAY ‘TOTAL DE REGISTROS LIDOS = ‘ TOTAL-LIDOS.

Formato 2:
DISPLAY ACUM-GRAVADOS ‘REGISTROS GRAVADOS’ UPON CONSOLE.
SYSPUNCH.

Quando for omitido “UPON” assume-se “SYSOUT” e deverá ser colocado o


cartão “//SYSOUT” no JCL.

Quantidade de caracteres (bytes) para cada tipo:


- Console = 100 bytes;
- Syspunch = 72 bytes;
- Sysout = 120 bytes.

7.15CLÁUSULA ACCEPT

Esta cláusula executa uma operação de entrada.

Formato:
ACCEPT (IDENT) FROM SYSIN.
CONSOLE.
(NOME-MNEMONICO).

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 53
Cobol
(NOME-MNEMONICO) = executa uma operação de entrada do computador
para um campo definido na “WORKING-STORAGE SECTION”.

Exemplos:

ACCEPT WS-DATA FROM DATE.


ACCEPT DADOS FROM SYSIN.
ACCEPT DATA-R FROM CONSOLE.

Exemplos para pedir data pelo CONSOLE:

DISPLAY ‘DIGITE A DATA DO DIA:’ UPON CONSOLE.


DISPLAY ‘NO FORMATO DD/MM/AAAA’ UPON CONSOLE.
ACCEPT DATA-DO-DIA FROM CONSOLE.

1 DATA-DO-DIA.
03 DIA PIC 9(02).
03 FILLER PIC X(01).
03 MES PIC 9(02).
03 FILLER PIC X(01).
03 ANO PIC 9(04).
Ou
01 DATA-DO-DIA PIC X(10).

Exemplo:

01 REG-CAD.
03 CAD-NOME PIC X(40).
03 CAD-DATA PIC 9(08).
..........
ACCEPT REG-CAD FROM SYSIN.
............

O “SYSIN” é utilizado para pegar dados de um arquivo “SYSIN DD”.

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 54
Cobol
//........
//SYSIN DD *
ARQUIVODT4573
Ou
//SYSIN DD DSN=V.POOL.ARQDATA(0),DISP=SHR

7.16CLÁUSULA IF

Esta cláusula indica a decisão de um programa.

Formato:

IF (CONDIÇÃO) (SENTENÇA-1) ELSE (SENTENÇA-2)

Exemplo:

Um programa Cobol poderia testar o rendimento mensal da seguinte forma:

IF RENDIMENTO EQUAL 1000,00 OR GREATER 1000,00


GO TO DESCONTO-MAX
ELSE
GO TO DESCONTO-MIN.

Neste exemplo, o programa indica a existência de uma decisão escrevendo a


palavra “IF”, seguida de palavras que contenham um teste e o que fazer conforme o
resultado do teste significando uma frase condicional.

Outros exemplos:

IF VALOR IS NEGATIVE
GO TO FIM-ROTINA

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 55
Cobol
ELSE
GO TO INICIO-ROTINA
END-IF

IF NOME NOT EQUAL ‘PEDRO’


NEXT SENTENCE
ELSE
ADD 1 TO CONT-NOME-IGUAL.

MOVE CONT-NOME-IGUAL TO RELATORIO-NOME-IGUAL.

O “NEXT SENTENCE” determina que nada será feito e


deve-se continuar o processo após o primeiro ponto final ou “END-
IF” encontrado.

Toda sentença condicional possui 4 elementos:

IF TESTE
AÇÃO VERDADEIRA
ELSE
AÇÃO FALSA.

Tipos de testes:
- teste de condição de classe;
- teste de nome-de-condição;
- teste de condição de relação;
- teste de sinal.

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 56
Cobol
7.16.1 TESTE DE CONDIÇÃO DE CLASSE
Testa o conteúdo de um campo, se é alfabético ou numérico.

Formato:

IF (IDENT) IS NUMERIC
IS NOT ALPHABETIC

Exemplo:
IF CONTA IS NUMERIC
COMPUTE SALDO = SALDO-TOTAL – TAXAS
ELSE
DISPLAY ‘CONTA NÃO NUMÉRICA, DIGITAR NOVAMENTE’.

Quando testar se um campo é numérico, e este for


compactado, tomar cuidado com o sinal (C). Nestes casos, colocar
o indicador de sinal (S) na frente dos 9’s.

Exemplo:

01 CAMPO 9(08).
01 CAMPO 9(05) COMP-3.
01 CAMPO S9(07) COMP-3.

7.16.2 TESTE DE NOME-DE-CONDIÇÃO


Efetua comparação usando palavras significativas, associadas a um nível “88”.
Definição:

1 WS-AREA.
03 NOME PIC X(30).
03 CODIGO PIC 9(06).
03 STATUS PIC 9(01).
88 HOMEM VALUE 1.

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 57
Cobol
88 MULHER VALUE 2.
88 ERRO VALUE 3 THRU 9.
.................
PROCEDURE DIVISION.
IF HOMEM
GO TO PROCED-HOMEM.
IF MULHER
GO TO PROCED-MULHER.
IF ERRO
GO TO PROCED-ERRO.

7.16.3 TESTE DE CONDIÇÃO DE RELAÇÃO


Efetua comparação entre dois (2) operandos.

Formato:

IF (IDENT-1) ou (LITERAL-1) ou (EXPRESSÃO ARITMÉTICA-1)


OPERADOR DE RELAÇÃO
(IDENT-2) ou (LITERAL-2) ou (EXPRESSÃO ARITMÉTICA-2)

OPERAÇÃO DE RELAÇÃO SIGNIFICADO


IS (NOT) GREATER (THAN) MAIOR QUE OU NÃO MAIOR QUE
IS (NOT) >
IS (NOT) LESS (THAN) MENOR QUE OU NÃO MENOR QUE
IS (NOT) <
IS (NOT) EQUAL TO IGUAL OU NÃO IGUAL
IS (NOT) =

Exemplos:

IF AC-LINHA GREATER 50
GO TO ROTINA-CABECALHO.

IF CODIGO = 2
MOVE CODIGO TO REG-CODIGO.

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 58
Cobol
IF VALOR NOT LESS SALDO
PERFORM ROT-GRAVA.

7.16.4 TESTE DE CONDIÇÃO DE SINAL


Sua função é determinar o valor algébrico de um operando aritmético.
Formato:
IF (IDENT-1) IS POSITIVE
IF (EXPRESSÃO ARITMÉTICA) IS NOT NEGATIVE
ZERO (ZEROS)
Exemplo:

IF VALOR IS POSITIVE
MOVE VALOR TO SAI-VALOR
ADD VALOR TO AC-VALOR.

Exemplo 1 cláusula IF:

IF NUMERO GREATER THAN B ** 2 – 1


NEXT SENTENCE
ELSE
GO TO ROT-MOVIMENTA.

IF NUM-2 IS NEGATIVE
GO TO ERRO.

IF VALOR – 3 EQUAL SALDO


MOVE SALDO TO SALDO-SAIDA.

Exemplo 2 cláusula IF:

IF VALOR IS NUMERIC
IF VALOR IS ZEROS
IF DADO IS NEGATIVE
MOVE ‘CAMPO VALIDO’ TO MENSAGEM
ELSE

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 59
Cobol
GO TO ROT-LEITURA
ELSE
NEXT SENTENCE
ELSE
GO TO INICIO.

7.17CLÁUSULA PERFORM

Esta cláusula ocasiona a execução de um ou mais


procedimentos.

Após a execução dos procedimentos (parágrafos), o controle volta para a


instrução seguinte a do “PERFORM”.

Formato (simples):

PERFORM (PARAGRAFO-1) THRU (FIM-PARAGRAFO-1).


PERFORM (PARAGRAFO-1) THRU (PARAGRAFO-2).
PERFORM (PARAGRAFO-1).

Exemplo:
IDENTIFICATION DIVISION.
ENVIRONMENT DIVISION.
DATA DIVISION.
PROCEDURE DIVISION.
PERFORM ROT-ABC THRU FIM-ROT-ABC.
MOVE A TO B
STOP RUN.
.....
ROT-ABC.

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 60
Cobol
MOVE CAMPO-1 TO SAI-CAMPO
COMPUTE SAI-VALOR = (B * 2)
FIM-ROT-ABC.
ROT-DEF.
COMPUTE .....
FIM-ROT-DEF.
Podemos ter um PERFORM dentro de outro PERFORM:

INICIO.
PERFORM ROT-A THRU ROT-C.
..........
ROT-A.
.............
.............
ROT-B.
PERFORM ROT-D TRHU ROT-E.
ROT-C.
..........
..........
ROT-D.
.........
.........
ROT-E.
...........

Quando dividimos os parágrafos em “SECTION”, o CONDITION-CODE de


retorno estará na próxima SECTION ou no final da PROCEDURE.

Neste caso, você só poderá usar o GO TO para desvios dentro da mesma


SECTION, pois assim, não haverá o risco de destruir o CONDITION-CODE de
retorno.

Exemplo:

00-INICIO SECTION.

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 61
Cobol
00-00-A.
MOVE 1 TO AC-VALOR.
PERFORM 10-LEITURA-CARTAO.
IF CHAVE-FIM EQUAL ‘NAO’
GO TO 00-00-A.
.............
00-99-FIM.
EXIT.

10-LEITURA-CARTAO SECTION.
READ REGCAD AT END
MOVE ‘FIM’ TO CHAVE-FIM
GO TO 10-99-FIM.
ADD 1 TO AC-LIDOS.

IF TIPO EQUAL 4
PERFORM 15-TIPO-4.

10-99-FIM.
EXIT.

15-TIPO-4 SECTION.
.............
15-99-FIM.
EXIT.

7.17.1 PERFORM - TIMES


É um complemento da cláusula PERFORM.

Como o PERFORM, esta cláusula desvia-se da sequência normal de execução


para realizar um ou vários procedimentos.

Formato:

PERFORM (NOME-PROCEDIMENTO-1) THRU (NOME-PROCEDIMENTO-2)

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 62
Cobol
(NUM-INTEIRO)
(NOME-DADO) TIMES.

Com a opção TIMES , os procedimentos são realizados no número de vezes


especificados por “NOME-DADO” ou “NUM-INTEIRO”.

Em seguida, passa-se ao comando seguinte ao comando “PERFORM”.

Se “NOME-DADO” ou “NUM-INTEIRO” for de valor negativo ou zero, o


comando “PERFORM” que conter a opção “TIMES”, não será executado e o
processamento continuará após o “PERFORM”.

Exemplo:

PERFORM CALCULAR THRU CALCULAR-FIM 5 TIMES.


.......................

ou

PERFORM CALCULAR THRU CALCULAR-FIM


VALOR-NUM TIMES.
..........................

CALCULAR.
.............
..............
CALCULAR-FIM.

O parágrafo CALCULAR, será executado 5 vezes ou dependendo do valor


contido em VALOR-NUM.

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 63
Cobol

7.17.2 PERFORM – UNTIL

Com a opção “UNTIL”, os procedimentos serão executados


até que a condição após o “UNTIL” seja verdadeira.
No programa, ao encontrar a cláusula “UNTIL”, primeiro é
verficado se a condição do “UNTIL” já está satisfeita e depois
executa o “PERFORM”.

Formato:

PERFORM (NOME-ROTINA-1) THRU (NOME-ROTINA-2)


UNTIL (CONDIÇÃO)

ou

PERFORM (NOME-ROTINA-1) UNTIL (CONDIÇÃO)

Em seguida ao PERFORM UNTIL, é executado o comando seguinte ao


“PERFORM”, se a condição já estiver satisfeita.

Quando a condição já estiver satisfeita, no momento em que é encontrado o


comando “PERFORM” referente a condição, os procedimentos chamados pelo
“PERFORM” não serão executados.

Exemplo:
PERFORM ROT-A THRU FIM-ROT-A
UNTIL WS-NUM IS NEGATIVE.
ROT-A.
.................
SUBTRACT 1 FROM WS-NUM.
FIM-ROT-A.
EXIT.

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 64
Cobol
7.17.3 PERFORM – VARYING
Formato:

PERFORM (NOME-PROC-1) THRU (NOME-PROC-2)


VARYING (NOME-DADO-1)
FROM (LITERAL-NUMERICO-1)/(NOME-DADO-2)
BY (LITERAL-NUMERICO-2)/(NOME-DADO-3)
UNTIL (CONDIÇÃO-1)

São executadas as seguintes etapas de operação:

1- “NOME-DADO-1” é colocado no valor inicial (FROM) pelo “LITERAL-NUMERICO-


1” ou “NOME-DADO-2”;
2- A “CONDICAO-1” é testada para determinar se ela foi satisfeita. No caso de ter
sido cumprida, o comando seguinte ao comando “PERFORM” será executado;
3- No caso da condição não ter sido satisfeita, os procedimentos do “PERFORM” são
realizados;
4- Em seguida, “NOME-DADO-1” é modificado por “LITERAL-NUMERICO-2” ou
“NOME-DADO-3”;
5- As etapas 2, 3 e 4 são repetidas até a condição ser satisfeita.

Exemplo:

....................
WORKING-STORAGE SECTION.
....................
01 INDICE PIC 9(02) VALUE ZEROS.
1 TABELA.
02 VENDAS-PROD OCCURS 4 TIMES.
03 VALOR PIC 9(05).
.............
.............
PROCEDURE DIVISION.
.................
PERFORM ZERA-TAB

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 65
Cobol
VARYING INDICE
FROM 1 BY 1
UNTIL INDICE GREATER 4.

ZERA-TAB.
MOVE ZEROS TO VALOR(INDICE).
ZERA-FIM.
EXIT.

7.18CLÁUSULA EXIT
É um ponto comum de finalização para uma série de procedimento(s).

NOME-PARAGRAFO. EXIT.

A cláusula “EXIT” deve ser precedida por um nome de parágrafo e deve ser
única cláusula do parágrafo.

O programa poderá ter vários EXIT’s associados com PERFORM’s.

Exemplo:

INICIO.
PERFORM A-1 THRU A-99.
FIM-INICIO.
EXIT.
A-1.
.........
A-99.
EXIT.

7.19CLÁUSULA (BLANK WHEN ZERO)


Indica que o item descrito deve ser preenchido com espaços, sempre que um
valor for zero.

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 66
Cobol
Esta cláusula deve ser apenas para itens elementares numéricos ou numéricos
de edição.

Exemplo:

1 LINHA.
2 VALOR PIC 9(05) BLANK WHEN ZERO.

MOVE CAMPO-NUM TO VALOR.

Quando o campo for movido para VALOR e todo o conteúdo dele for zero,
então será substituídos os caracteres iguais a zero, por espaços.

7.20CLÁUSULA (SYNCHRONIZED – SYNC)


Utilizada para obter alinhamento de um item elementar em uma das limitações
próprias da memória (HALF-WORD) – (FULL-WORD).

Formato:

(SYNCHRONIZED) (LEFT)
(SYNC) (RIGHT)

Esta cláusula assegura a eficiência das operações aritméticas das cláusulas


COMP, COMP-1, COMP-2. Para as demais cláusulas, é interpretada como
comentário.

A necessidade da “SYNC”, é pelo fato de não existir alinhamento em tempo de


compilação para descrição de itens binários para nível superior “01”. No exemplo
abaixo, os campos A e B necessitam ser alinhados:

1 REGISTRO.
2 NOME PIC X(20).
02 FILLER PIC X(01).
02 A PIC S9(07) COMP.
02 CODIGO PIC 9(02).

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 67
Cobol
02 B PIC S9(04) COMP.

Se usarmos a SYNCHRONIZED (SYNC), não precisamos nos preocupar com o


problema do alinhamento.
Exemplo:

1 REGISTRO.
2 NOME PIC X(20).
02 FILLER PIC X(01).
02 A PIC S9(07) COMP SYNC.
02 CODIGO PIC 9(02).
02 B PIC S9(04) COMP SYNC.
....................
ADD 10 TO A B
SUBTRACT 5 FROM B.

7.21OPERADORES LÓGICOS

Existem no Cobol 3 (três) operadores lógicos:

OPERADOR LÓGICO SIGNIFICADO


OR Se ao menos um for

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 68
Cobol
verdadeiro, o resultado
será verdadeiro.

AND Se todos forem


verdadeiros, o resultado
será verdadeiro.

NOT Negação lógica.

Pode ser utilizado parênteses tanto para esclarecer o sentido das


comparações, quanto para obter outros efeitos.

IF VALOR = 100,00 OR 200,00 OR 400,00


GO TO OK.

7.21.1 TESTES COMPOSTOS


Ocorre o teste composto, quando aparece os conectores lógicos no “IF”, como:
“AND”, “OR” ou “NOT”.

Exemplo:

IF NOME = SPACES AND ENDERECO = SPACES


GO TO CAMPOS-BRANCO
ELSE
IF CODIGO LESS 2 OR CODIGO-2 GREATER C
MOVE 1 TO INDICE.

IF (A LESS B GREATER D) AND


(B / 2 EQUAL E) OR
(F NOT EQUAL ZEROS)
GO TO MOVER-DADOS.

IF CAMPO IS NUMERIC AND


CAMPO LESS 500,00
NEXT SENTENCE

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 69
Cobol
ELSE
MOVE CAMPO TO SAI-CAMPO.

IF (TAXA GREATER 70 AND LESS 100) OR


(CODMAT = ‘P’ OR ‘B’) AND
(FIRMACOD LESS 40)
NEXT SENTENCE
ELSE
GO TO CONFIRMA.

7.22DATA E HORA DO SISTEMA


Do sistema, pode-se obter:

- DATE = AAMMDD (6 bytes)


- DAY = AADDD (5 bytes) -> data juliana
- TIME = HHMMSSDD (8 bytes)

Exemplos:

ACCEPT CAMPO-DATA FROM DATE.


ACCEPT CAMPO-DIA FROM DAY.
ACCEPT CAMPO-HORA FROM TIME.

Definindo os campos acima na “WORKING-STORAGE SECTION”:

01 CAMPO-DATA PIC 9(06).


01 CAMPO-DIA PIC 9(05).
01 CAMPO-HORA PIC 9(08).

ou

1 CAMPO-DATA.
2 ANO PIC 9(02).
02 MÊS PIC 9(02).
02 DIA PIC 9(02).

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 70
Cobol
.................

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 71
Cobol

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 72
Cobol

8. ARQUIVOS DE ACESSO DIRETO


Na ENVIRONMENT DIVISION, definindo o arquivo:

FILE-CONTROL.
SELECT CADASTRO ASSIGN TO DA-I-DDCADAST
ACCESS MODE IS RANDOM
RECORD KEY IS CAD-CHAVE
NOMINAL KEY IS W-CHAVE.

ACCESS MODE IS RANDOM –> deve ser utilizado para

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 73
Cobol

arquivos cuja organização é direta (D) ou indexada (I).

NOMINAL KEY IS (NOME-DA-WORKING) -> campo


definido na “WORKING-STORAGE SECTION” no qual deve
ser movido a chave de pesquisa do arquivo.

RECORD KEY IS (NOME-DO-REGISTRO) -> campo


definido no registro, na qual contém a chave de pesquisa.

FD CADASTRO
LABEL STANDARD
RECORDING F
RECORD 130
BLOCK 10 RECORDS.

1 REG-CADASTRO.
03 CAD-CHAVE PIC 9(06).
03 CAD-NOME PIC X(40).
................
WORKING-STORAGE SECTION.
01 W-CHAVE PIC 9(06) VALUE 2456.

8.1 UTILIZANDO ACESSO DIRETO – LEITURA SEQUENCIAL

FILE-CONTROL.
SELECT CADASTRO ASSIGN TO DA-I-DDCADAST
ACCESS MODE IS SEQUENTIAL
RECORD KEY IS CAD-CHAVE.
........
..............
FD CADASTRO
LABEL STANDARD
RECORDING F

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 74
Cobol
RECORD 130
BLOCK 10 RECORDS.

01 REG-CADASTRO.
03 CAD-CHAVE PIC 9(06).
03 CAD-NOME PIC X(40).
..................
..............

READ CADASTRO
AT END
GO TO FIM-PROCESSAMENTO.
.....................
..................

Obrigatoriamente deve-se usar na leitura sequencial:

- ACCESS MODE IS SEQUENTIAL = usado para arquivos cuja organização é


DA-I-XXXXXXXX e leitura sequencial;
- RECORD KEY IS (NOME-CAMPO) = define a chave do arquivo. Campo da
FD;
- BLOCK CONTAINS 10 RECORDS = define o fator de BLOCK do arquivo.

8.1.1 I-O
Formato no OPEN:

OPEN I-O (NOME-DO-ARQUIVO)

No OPEN, a opção “I-O” (input-output) deve ser declarada para arquivos que
possuem organização “DIRETA”, e quanto utilizada a cláusula “REWRITE”. Caso
contrário, abrir somente com a opção “INPUT” para leitura ou “OUTPUT” para
gravação.

Formato no READ:

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 75
Cobol
READ (NOME-DO-ARQUIVO) INTO (AREA-IDENTIF)
INVALID KEY (SENTENÇA IMPERATIVA)

A opção “INVALID KEY” aciona os dispositivos de programação no sentido de


verificação do conteúdo das chaves, o que normalmente é substtuído pelo teste de
FILE STATUS.

Exemplo:

MOVE 150190 TO WS-CHAVE. (->nominal-key)

READ CADASTRO.

IF WS-FS-CADASTRO EQUAL ‘23’


DISPLAY “REGISTRO NÃO ENCONTRADO”
STOP RUN.

Formato no WRITE:

WRITE (NOME-DO-DADO, REGISTRO) FROM (AREA-IDENTIF)


INVALID KEY (SENTENÇA IMPERATIVA)

8.1.2 CLÁUSULA REWRITE


Sua função é substituir o registro código de um arquivo de acesso direto, se o
conteúdo da “NOMINAL KEY” associada for válido.

A cláusula “READ” deve ser dada antes da cláusula


“REWRITE”.

Formato:

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 76
Cobol
REWRITE (NOME-DO-DADO, REGISTRO) FROM (AREA-IDENTIF)
INVALID KEY (SENTENÇA IMPERATIVA)

Exemplo:

MOVE CAR-CHAVE TO WS-CHAVE (-> nominal-key)

REWRITE REG-CADASTRO.

IF WS-FS-CADASTRO NOT EQUAL ZEROS


DISPLAY ‘FILE STATUS = ‘ WS-FS-CADASTRO
DISPLAY ‘ ERRO NO REWRITE ’
STOP RUN.

DISPLAY ‘OK, REGISTRO REGRAVADO’.

8.1.3 CLÁUSULA START


A cláusula START é utilizada, quando se quer agilizar a leitura de um arquivo
de acesso direto e método de acesso sequencial.
Posiciona-se em algum registro cuja chave de acesso seja satisfeita e daí para
frente, lê-se o arquivo sequencialmente.

Formato:

START (NOME-DO-ARQUIVO) KEY IS (EQUAL TO)


(GREATER THAN)
(NOT LESS THAN)
(NOME-DO-CAMPO)
INVALID KEY (SENTENÇA
IMPERATIVA)

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 77
Cobol

OU

START (NOME-DO-ARQUIVO)
INVALID KEY (SENTENÇA IMPERATIVA)

Nota-se que o START, só posiciona e não traz para a área de leitura o registro.
Somente no primeiro READ é que acontecerá de trazer o registro.

Exemplo:
FILE-CONTROL.
SELECT CADSEQUE ASSIGN TO DA-I-DDCADSEQ
ACCESS SEQUENTIAL
RECORD KEY CAD-KEY
NOMINAL KEY WS-KEY.
.........................
FD CADSEQUE
LABEL STANDARD
RECORDING F
BLOCK 20 RECORDS.

01 CAD-REGISTRO.
03 CAD-KEY.
05 CAD-CODIGO PIC X(02).
05 CAD-NUMERO PIC 9(04)
03 CAD-NOME PIC X(40).
03 CAD-ENDER PIC X(45).
03 CAD-IDADE PIC 9(02).
..................
WORKING-STORAGE SECTION.
77 WS-KEY PIC X(06) VALUE ‘AB1437’.
....................
PROCEDURE DIVISION.
..............
START CADSEQUE

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 78
Cobol
INVALID KEY
PERFORM ROTINA-NÃO-ACHADO.

LEITURA.
READ CADSEQUE
AT END
GO TO FIM-PROCESSA.
......
GO TO LEITURA.
FIM-PROCESSA.

Toda vez que se passar pelo “START”, o registro cuja


chave foi satisfeita será retornado e posicionado para leitura.

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 79
Cobol

9. TABELAS
As tabelas devem ser construídas na ‘”DATA DIVISION”.

9.1 CLÁUSULA OCCURS


Os itens 01 e 77 não podem conter a cláusula OCCURS.
Formato:

OCCURS X TIMES
OCCURS X TO XX DEPENDING ON (CAMPO).

Existem 2 tipos de tabelas:

- TABELA SUBSCRITA;
- TABELA INDEXADA.

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 80
Cobol
As tabelas também podem ser:

- DIRECIONAL;
- BIDIMENSIONAL;
- TRIDIMENSIONAL.

- O tamanho de uma tabela não pode exceder a 131.071


bytes (128K);
- O tamanho de uma tabela que tiver DEPENDING ON não
pode exceder a 32.767 bytes (32K);
- Cada 1K tem em média 1.024 bytes;
- O indexador de uma tabela indexada, pode ser somado
ou subtraído. Ex.: TAB (INDEX + 1) TO X.

9.2 TABELA SUBSCRITA


Pode ser considerada, tabela subscrita, a tabela que você utiliza um índice fora
dela.
Exemplo 1, definição da tabela na WORKING-STORAGE SECTION:

1 TABELA-DE-MESES.
2 TAB-MESES.
3 FILLER PIC X(09) VALUE
‘JANEIRO’.
03 FILLER PIC X(09) VALUE ‘FEVEREIRO’.
03 FILLER PIC X(09) VALUE ‘MARCO’.
03 FILLER PIC X(09) VALUE ‘ABRIL’.
03 FILLER PIC X(09) VALUE ‘MAIO’.
03 FILLER PIC X(09) VALUE ‘JUNHO’.
03 FILLER PIC X(09) VALUE ‘JULHO’.
03 FILLER PIC X(09) VALUE ‘AGOSTO’.
03 FILLER PIC X(09) VALUE ‘SETEMBRO’.
03 FILLER PIC X(09) VALUE ‘OUTUBRO’.

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 81
Cobol
03 FILLER PIC X(09) VALUE ‘NOVEMBRO’.
03 FILLER PIC X(09) VALUE ‘DEZEMBRO’.
02 TAB-MESES-R REDEFINES TAB-MESES OCCURS 12 TIMES.
03 MESES PIC X(09).

1 DATA-DIA.
2 DIA PIC 9(02).
02 FILLER PIC X(01).
02 MES PIC 9(02).
02 FILLER PIC X(01).
02 ANO PIC 9(04).

1 CABEC.
03 FILLER PIC X(28) VALUE
‘RELATORIO EMITIDO EM: ‘.
03 NOME-MÊS PIC X(09).
..................
PROCEDURE DIVISION.
....................
DISPLAY ‘TECLE DATA – FORMATO DD/MM/AAAA’ UPON CONSOLE.
ACCEPT DATA-DIA FROM CONSOLE.
MOVE MESES (MÊS) TO NOME-MÊS.

Exemplo 2:

WORKING-STORAGE SECTION.
.............
77 IND PIC 9(02) COMP VALUE 0 SYNC.
.............
1 LINHA-DETALHE.
2 FILLER PIC X(20)
VALUE ‘TOTAL DO ESTADO DE ‘.
02 ESTADO PIC X(15).
.............
.............

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 82
Cobol
1 TABELA-ESTADO.
2 TAB.
3 FILLER PIC X(17) VALUE ‘SPSAO
PAULO’.
03 FILLER PIC X(17) VALUE ‘BABAHIA’.
..........
..........
03 FILLER PIC X(17) VALUE ‘PRPARANA’.
03 FILLER PIC X(17) VALUE ‘AMAMAZONAS’.
02 TAB-R REDEFINES TAB OCCURS 23 TIMES.
03 SIGLA PIC X(02).
03 DESCRICAO PIC X(15).
...................
PROCEDURE DIVISION.
...................

LER-FITA.
READ ENTRADA AT END
GO TO FIM-LER.
FIM-LER.
EXIT.
..............
PESQUISA-ESTADO.
MOVE 1 TO IND.
LOOP-INICIO.
IF SIGLA(IND) EQUAL ESTADO-FITA
GO TO MOVE-ESTADO
ELSE
ADD 1 TO IND
IF IND = 24
GO TO ROT-ERRO
ELSE
GO TO LOOP-INICIO.
MOVE-ESTADO.
MOVE DESCRICAO(IND) TO ESTADO.

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 83
Cobol
..........

9.3 CLÁUSULA SET


Esta cláusula estabelece pontos de referência na pesquisa de tabelas,
colocando determinados valores nos indexadores associados com os elementos das
tabelas.

A cláusula SET deve ser utilizada quando quisermos


inicializar um indexador antes da execução de uma cláusula
SEARCH. Pode também ser utilizada na transferência dos
conteúdos dos indexadores para outros itens de dados
elementares ou somar ou subtrair conteúdo do indexador.

Formato 1:
SET (INDEX NAME) TO (NUM-INTEIRO)
(IDENTIFICADOR) (IDENTIFICADOR)
(INDEX NAME)

Função: seta o “INDEX NAME” ou “IDENTIFICADOR” com um valor inicial.

Formato 2:
SET (INDEXADOR-A) (INDEXADOR-B)
UP BY (IDENT-1)
ou
DOWN BY (LIT-2)

Neste formato 2, quando o comando SET é executado, o conteúdo do


INDEXADOR-A é acrescido (UP BY) ou decrescido (DOWN BY) do valor que
corresponde ao número de ocorrências representadas pelo LIT-2 ou IDENT-1.

Exemplos:

SET INDEX-7 TO 25.

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 84
Cobol
SET INDEX-C INDEX-D TO INDEX-7.
SET INDEX-1 UP BY 1.
SET INDEX-8 DOWN BY 1.

9.4 CLÁUSULA SEARCH


Esta cláusula é utilizada para pesquisar uma tabela. Ela procura um elemento
que satisfaça certas condições e determina o valor do nome indexado associado ao
índice correspondente do elemento da tabela.

Somente um único identificador da tabela pode ser referenciado por uma


cláusula SEARCH.

Formato 1:

SEARCH IDENT-1 VARYING (IDENT-2) / (INDEX-1)


AT END (SENTENCA IMPERATIVA 1)
WHEN CONDICAO-1 (SENTENCA IMPERATIVA 2)
(NEXT SENTENCE)
WHEN CONDICAO-2 (SENTENCA IMPERATIVA 3)
(NEXT SENTENCE)

Formato 2:

SEARCH ALL IDENT-1


AT END (SENTENCA IMPERATIVA 1)
WHEN (CONDICAO-RELACIONAL-1)
(NOME-CONDICAO-1)
AND (CONDICAO-RELACIONAL-2)....
(NOME-CONDICAO-2)
(SENTENCA IMPERATIVA 2)
(NEXT SENTENCE)

Nos formatos acima, o IDENT-1 não deve ser subscrito ou indexado.

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 85
Cobol
Sua descrição na DATA DIVISION deve conter a cláusula OCCURS associada a
opção INDEXED BY. Não poderemos usar números de vírgula flutuante no IDENT-1.

Quando pesquisamos uma tabela através da cláusula SEARCH, somente o


indexador associado ao nome dado ao IDENT-1 pela opção INDEXED BY é que
varia.

Então, para pesquisas de tabela de mais de uma dimensão, é necessário


executar a cláusula SEARCH repetidamente.

Após cada execução, é necessário que a cláusula SET ajuste os indexadores


associados aos outros níveis da tabela.

Se nas opções AT END e WHEN não existir nas sentenças imperativas nenhum
desvio (GO TO ou PERFORM), o controle de execução passará para a próxima
sentença após a execução so SEARCH.

9.5 TABELA INDEXADA

Tabela indexada é aquela cujo índice está embutido na tabela


através da cláusula INDEXED BY.

Exemplo 1:
WORKING-STORAGE SECTION.
1 TABELA1.
03 TABELA-NOMES.
05 FILLER PIC X(11) VALUE ‘JOAO’.
05 FILLER PIC X(11) VALUE ‘JOSE’.
05 FILLER PIC X(11) VALUE ‘JULIANA’.
05 FILLER PIC X(11) VALUE ‘MARIA’.
05 FILLER PIC X(11) VALUE ‘ANA’.
05 FILLER PIC X(11) VALUE ‘AILTON’.

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 86
Cobol
05 FILLER PIC X(11) VALUE ‘BENEDITA’.
05 FILLER PIC X(11) VALUE ‘SERGIO’.
05 FILLER PIC X(11) VALUE ‘CAMILA’.
05 FILLER PIC X(11) VALUE ‘EVELYN’.
05 FILLER PIC X(11) VALUE ‘SERAFIM’.
05 FILLER PIC X(11) VALUE ‘PEDRO’.
05 FILLER PIC X(11) VALUE ‘LUCAS’.
05 FILLER PIC X(11) VALUE ‘IRACEMA’.
03 TAB-NOM REDEFINES TABELA-NOMES
OCCURS 14 INDEXED BY IND.
05 NOME PIC X(11).

01 AUX-NOME PIC X(11) VALUE SPACES.


..................
PROCEDURE DIVISION.
DAR-DISPL.
DISPLAY ‘TECLE O NOME A SER PESQUISADO’ UPON CONSOLE.
ACCEPT AUX-NOME FROM CONSOLE.

SET IND TO 1.

SEARCH TAB-NOM
AT END
GO TO DAR-DISPL

WHEN
NOME (IND) EQUAL AUX-NOME
PERFORM ROT-ACHOU-NOME.

ROT-ACHOU-NOME.
.....................

Exemplo 2, utilizando “SEARCH ALL”:

DATA DIVISION.

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 87
Cobol
.........
FD CADENTRA
..........
03 CHAVE-COD PIC 9(01).
........
WORKING-STORAGE SECTION.
.........
01 LINHA-IMPRESSAO.
03 FILLER PIC X(20) VALUE SPACES.
03 LIN-MSG PIC X(20).
......
01 TABELA2.
03 TAB-MSG.
05 FILLER PIC X(11) VALUE ‘1DESPREZADO’.
05 FILLER PIC X(11) VALUE ‘2DUPLICADO’.
05 FILLER PIC X(11) VALUE ‘3EXCLUIDO’.
05 FILLER PIC X(11) VALUE ‘4INCLUIDO’.
05 FILLER PIC X(11) VALUE ‘5ALTERADO’.
03 FILLER REDEFINES TAB-MSG.
05 TAB-2 OCCURS 5 TIMES
ASCENDING KEY IS TAB-CODIGO
INDEXED BY IND.
07 TAB-CODIGO PIC 9(01).
07 TAB-MENSAG PIC X(10).
.........
PROCEDURE DIVISION.
.............
SEARCH ALL TAB-2
AT END
MOVE ALL ‘*’ TO LIN-MSG
GO TO SAIDA
WHEN
TAB-CODIGO (IND) EQUAL CHAVE-COD
MOVE TAB-MENSAG(IND) TO LIN-MSG.

OBS: Não é necessário setar o indexador quando utilizar “SEARCH ALL”.

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 88
Cobol

A ordem de sequência das opções do SEARCH ALL devem ser


respeitadas.
1 – OCCURS
2 – ASCENDING KEY IS ou DESCENDING KEY IS
3 – INDEXED BY.

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 89
Cobol

10. CLASSIFICAÇÃO DE DADOS

São quatro (4) os elementos para classificação interna no programa Cobol.

Podemos classificar os arquivos em ordem ascendente ou descendente.

1 - Descrição de dados:
Para cada arquivo a ser classificado, deve existir uma descrição do arquivo
de classificação na “FILE SECTION”.

Exemplo:

SD TRABALHO
DATA RECORD IS TRAB.

1 TRAB.
2 NOME PIC X(40).
02 VALOR PIC 9(06)V(02) COMP-3.
02 ENDERECO PIC X(30).

2 - Comando de Sort:
O comando de sort é um item necessário na “PROCEDURE DIVISION”.

Determina os campos de controle para classificação e indica se


processamentos de entrada e saída devem ser usados.

Exemplo:

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 90
Cobol

SORT TRABALHO DESCENDING NOME VALOR


ASCENDING ENDERECO
INPUT PROCEDURE 100-SELECIONA-SORT
OUTPUT PROCEDURE 500-PEGA-CLASSIFICADO.

3 - Procedimento de entrada:
É usado para tratamento dos registros a serem classificados.
Por exemplo: selecionar, gerar, intercalar registros de um ou mais arquivos
de entrada.

Exemplo:

100-SELECIONA-SORT SECTION.
..........
........
RELEASE TRAB.
.........

4 - Procedimentos de saída:
É usado para tratamento dos registros classificados. Serve para colocá-los
em vários de arquivos de saída.

Exemplo:

500- PEGA-CLASSIFICADO SECTION.


LER-SORT.
RETURN TRABALHO AT END
MOVE ‘*’ TO CHAVE-FIM-SORT
GO TO FIM-SORT.

10.1CLÁUSULA SELECT (SORT)


Esta cláusula fica na “ENVIRONMENT DIVISION” e “DATA DIVISION”, na
descrição dos arquivos.

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 91
Cobol

Formato:

ENVIRONMENT DIVISION.
INPUT-OUTPUT SECTION.

FILE-CONTROL.
SELECT (NOME-ARQ-CLASSIF) ASSIGN TO UT-S-SORTWK01.
.....................
.....................
DATA DIVISION.

SD (NOME-ARQ-CLASSIF)
DATA RECORD IS (NOME-REGISTRO-1 ...).
RECORDS ARE

ou

SD (NOME-ARQ-CLASSIF).

- SD (SORT DESCRIPTION) é obrigatório;

- (NOME-ARQ-CLASSIF):
- não pode dar OPEN, CLOSE, READ e WRITE;
- deve ter um SELECT;

- Cláusula DATA RECORDS é obrigatória em alguns


sistemas. Atualmente, é opcional.

10.2CLÁUSULA RELEASE
Release é um verbo de liberação.

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 92
Cobol
Esta cláusula é usada no SORT, em um procedimento de entrada para
transferir um registro de cada vez para ser classificado.

Formato:

RELEASE (NOME-DO-REGISTRO)

ou

RELEASE (NOME-DO-REGISTRO) FROM (NOME-DA-AREA).

10.3CLÁUSULA RETURN
Return é um verbo de retorno.

O comando RETURN é usado em procedimentos de saída para receber, um


de cada vez, os registros já classificados.

Formato:
RETURN (NOME-DO-ARQ-CLASSIF) INTO (AREA)
AT END
(COMANDO IMPERATIVO).

10.4CLÁUSULA SORT
A função do comando SORT é determinar o arquivo a ser classificado, os
campos de classificação, sua ordem (ascendente e/ou descendente) e se devem ser
executados procedimentos de “ entrada” e/ou “saída”.

Formato:
SORT (NOME-ARQ-CLASSIF) ASCENDING KEY / DESCENDING KEY
(NOME-CAMPO-1...)

USING (NOME-ARQUIVO-1)

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 93
Cobol
INPUT PROCEDURE (NOME-SECAO-1)

GIVING (NOME-ARQUIVO-2)
OUTPUT PROCEDURE (NOME-SECAO-2)
1- (NOME-ARQ-CLASSIF) -> é parâmetro obrigatório e deve ser definido na “SD”;

2 - é obrigatório ao menos uma das opções “ASCENDING” ou “DESCENDING”;

3 - (NOME-CAMPO-1) -> são os nomes dos campos para classificação. Pode-se ter
até doze (12) campos e pode figurar em qualquer parte do registro. O tamanho total
de todos os campos de classificação não pode exceder 256 bytes;

4 - A opção USING é necessária quando não existe processamento de entrada e o


(NOME-ARQUIVO-1) deve ser definido na “FD”;

5 - A opção GIVING é necessária quando não existir processamento de saída. O


(NOME-ARQUIVO-2) deve ser definido na “FD”;

6 - A opção INPUT PROCEDURE é necessária quando usar o processamento de


entrada:
- é uma parte separada dentro da “PROCEDURE DIVISION”;
- só pode ser referenciada pelo comando “SORT”;
- deve conter pelo menos um comando “RELEASE”.

7 - A opção OUTPUT PROCEDURE é como a INPUT PROCEDURE:


- é uma parte separada dentro da “PROCEDURE DIVISION”;
- só pode ser referenciada pelo comando “SORT”;
- deve conter pelo menos um comando “RETURN”.

10.4.1 INPUT PROCEDURE e OUTPUT PROCEDURE

IDENTIFICATION DIVISION.
........
ENVIRONMENT DIVISION.
.....

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 94
Cobol
SELECT ARQENT ASSIGN TO UT-S-ARQENT.
SELECT ARQSORT ASSIGN TO UT-S-ARQSORT.
........
DATA DIVISION.
SD ARQSORT.
1 SRT-REGISTRO.
03 SRT-TIPO PIC X(02).
03 SRT-CODIGO PIC 9(07) COMP-3.
03 SRT-NOME PIC X(30).

FD ARQENT
LABEL STANDARD
RECORDING F
BLOCK 0.

1 ENT-REGISTRO.
03 FILLER PIC X(20).
03 ENT-TIPO PIC X(02).
03 FILLER PIC X(01).
03 ENT-CODIGO PIC 9(07) COMP-3.
03 FILLER PIC X(10).
03 ENT-NOME PIC X(30).
..........
PROCEDURE DIVISION.
..........
PRINCIPAL SECTION.
OPEN INPUT ARQENT.

SORT ARQSORT ASCENDING KEY SRT-TIPO


DESCENDING KEY SRT-CODIGO
INPUT PROCEDURE CLASSIFICA
OUTPUT PROCEDURE CLASSIFICADO.

STOP RUN.

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 95
Cobol

CLASSIFICA SECTION.
READ ARQENT AT END
CLOSE ARQENT
GO TO FIM-CLASSIFICA.

MOVE ENT-TIPO TO SRT-TIPO


MOVE ENT-CODIGO TO SRT-CODIGO
MOVE ENT-NOME TO SRT-NOME

RELEASE SRT-REGISTRO
GO TO CLASSIFICA.

FIM-CLASSIFICA.
EXIT.
CLASSIFICADO SECTION.
RETURN ARQSORT AT END
GO TO FIM-CLASSIFICADO.
..........
FIM-CLASSIFICADO.
EXIT.

10.4.2 USING e OUTPUT PROCEDURE

IDENTIFICATION DIVISION.
........
ENVIRONMENT DIVISION.
.....
SELECT ARQENT ASSIGN TO UT-S-ARQENT.
SELECT ARQSORT ASSIGN TO UT-S-ARQSORT.
........
DATA DIVISION.
SD ARQSORT.

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 96
Cobol
1 SRT-REGISTRO.
03 SRT-TIPO PIC X(02).
03 SRT-CODIGO PIC 9(07) COMP-3.
03 SRT-NOME PIC X(30).

FD ARQENT
LABEL STANDARD
RECORDING F
BLOCK 0.

1 ENT-REGISTRO.
03 ENT-TIPO PIC X(02).
03 ENT-CODIGO PIC 9(07) COMP-3.
03 ENT-NOME PIC X(30).
..........

PROCEDURE DIVISION.
.....
PRINCIPAL SECTION.
SORT ARQSORT ASCENDING KEY SRT-TIPO
DESCENDING KEY SRT-CODIGO
USING ARQENT
OUTPUT PROCEDURE CLASSIFICADO.

STOP RUN.
..............
CLASSIFICADO SECTION.
RETURN ARQSORT AT END
GO TO FIM-CLASSIFICADO.
..........
.........
FIM-CLASSIFICADO.
EXIT.

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 97
Cobol

- O arquivo a ser utilizado na opção USING, deve ser


definido na FD;
- É obrigatório o arquivo utilizado na opção USING ter o
mesmo tamanho do arquivo do SORT;
- Arquivos de tamanhos variáveis não devem ser sorteados
com a opção USING, mas sim pela “INPUT
PROCEDURE”.

10.4.3 INPUT PROCEDURE e GIVING

IDENTIFICATION DIVISION.
........
ENVIRONMENT DIVISION.
........
SELECT ARQENT ASSIGN TO UT-S-ARQENT.
SELECT ARQSAI ASSIGN TO UT-S-ARQSAI.
SELECT ARQSORT ASSIGN TO UT-S-SORTWK01.
........
DATA DIVISION.
SD ARQSORT.
1 SRT-REGISTRO.
03 SRT-TIPO PIC X(02).
03 SRT-CODIGO PIC 9(07) COMP-3.
03 SRT-NOME PIC X(30).

FD ARQENT
LABEL STANDARD
RECORDING F
BLOCK 0.

1 ENT-REGISTRO.
03 FILLER PIC X(20).
03 ENT-TIPO PIC X(02).

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 98
Cobol
03 FILLER PIC X(01).
03 ENT-CODIGO PIC 9(07) COMP-3.
03 FILLER PIC X(10).
03 ENT-NOME PIC X(30).

FD ARQSAI
LABEL STANDARD
RECORDING F
BLOCK 0.
01 SAI-REGISTRO.
03 FILLER PIC X(36).
..........
PROCEDURE DIVISION.
PRINCIPAL SECTION.
OPEN INPUT ARQENT
SORT ARQSORT ASCENDING KEY SRT-TIPO
DESCENDING KEY SRT-CODIGO
INPUT PROCEDURE CLASSIFICA
GIVING ARQSAI.

STOP RUN.
..............
CLASSIFICA SECTION.
READ ARQENT AT END
CLOSE ARQENT
GO TO FIM-CLASSIFICA.

MOVE ENT-TIPO TO SRT-TIPO


MOVE ENT-CODIGO TO SRT-CODIGO
MOVE ENT-NOME TO SRT-NOME
RELEASE SRT-REGISTRO
GO TO CLASSIFICA.
FIM-CLASSIFICA.
EXIT.

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 99
Cobol

- O arquivo a ser utilizado na opção GIVING, deve ser


definido na FD;
- É obrigatório o arquivo utilizado na opção GIVING ter o
mesmo tamanho do arquivo do SORT;
- Arquivos de tamanhos variáveis não devem ser sorteados
com a opção GIVING, mas sim pela “OUTPUT
PROCEDURE”.

10.4.4 USING e GIVING

IDENTIFICATION DIVISION.
........
ENVIRONMENT DIVISION.
........
SELECT ARQENT ASSIGN TO UT-S-ARQENT.
SELECT ARQSAI ASSIGN TO UT-S-ARQSAI.
SELECT ARQSORT ASSIGN TO UT-S-SORTWK01.
........
DATA DIVISION.
SD ARQSORT.
01 SRT-REGISTRO.
03 SRT-TIPO PIC X(02).
03 SRT-CODIGO PIC 9(07) COMP-3.
03 SRT-NOME PIC X(30).

FD ARQENT
LABEL STANDARD
RECORDING F
BLOCK 0.

1 ENT-REGISTRO.
03 ENT-REG PIC X(36).

FD ARQSAI
LABEL STANDARD

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 100
Cobol
RECORDING F
BLOCK 0.

01 SAI-REGISTRO.
03 FILLER PIC X(36).
..........
PROCEDURE DIVISION.
.....................
PRINCIPAL SECTION.

SORT ARQSORT ASCENDING KEY TIPO


DESCENDING KEY CODIGO
USING ARQENT
GIVING ARQSAI.

STOP RUN.

Não se pode dar os comandos OPEN e CLOSE nos


arquivos que se utilizam da opção USING ou GIVING.

*****************************

OBS: Exemplo de JCL para SORT com no máximo 6 SORTWK.


O SPACE pode ser um TRK ou CYL:

//SORTLIB DD DSN=SYS1.SORTILIB,DISP=SHR
//SORTWK01 DD UNIT=DISCO,SPACE=(TRK,(1,1),RLSE)
//SORTWK02 DD UNIT=DISCO,SPACE=(TRK,(1,1),RLSE)

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 101
Cobol
//’’’’’’03’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’
//’’’’’’04’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’
//’’’’’’05’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’
//’’’’’’06’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’’

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 102
Cobol

11. OUTRAS CLÁUSULAS

11.1CLÁUSULA EXAMINE / INSPECT - REPLACING


A função desta cláusula é substituir um determinado caracter num item, por
outro determinado caracter. Semelhante a essa função, temos outra cláusula no
Cobol II, a cláusula INSPECT.

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 103
Cobol
Formato:

EXAMINE (NOME-CAMPO) REPLACING ALL (LITERAL-1) BY (LITERAL-2)


- LEADING -
- UNTIL FIRST -
- FIRST -

EXAMINE (NOME-CPO) TALLYING ALL (LIT-3) REPLACING BY (LIT-4)


- LEADING -
- UNTIL FIRST -
- FIRST -

INSPECT (NOME-CAMPO) REPLACING ALL (LITERAL-1) BY (LITERAL-2)


- LEADING -

REPLACING -> substitui um determinado caracter num item por outro determinado
caracter.

TALLYING -> conta o número de vezes que um determinado caracter figura num item
(sendo possível substituir este caracter por um outro determinado caracter).

Os campos para o EXAMINE e INSPECT só podem estar /


ser zonados.

11.1.1 Regras para EXAMINE


1- Serve somente para campos numéricos zonados, alfabéticos e alfanuméricos;

2- A opção TALLYING gera um número inteiro cujo valor é armazenado num item
binário denominado “TALLY”. Este número representa o seguinte:
- quantas vezes ocorre a LITERAL-3 com o uso da opção “ALL”;
- quantas vezes ocorre a LITERAL-3, antes de encontrar um campo diferente
da LITERAL-3, com o uso da opção “LEADING”;

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 104
Cobol
- número de caracteres diferentes da LITERAL-3 até o primeiro caracter igual
a LITERAL-3 ser encontrado, com o uso da opção “UNTIL FIRST”.

3- No caso de ser usada a opção “REPLACING” (alterando):


- com a opção “ALL”, cada LITERAL-1 (ou LITERAL-3) é substituído pela
LITERAL-2 (ou LITERAL-4);
- com a opção “LEADING” a substituição pela LITERAL-2 (ou LITERAL-4)
termina no momento em que é encontrado um LITERAL-1(ou LITERAL-3);
- com a opção “UNTIL FIRST” a substituição pelo LITERAL-2 (ou LITERAL-4)
termina no momento em que é encontrado um LITERAL-1 (ou LITERAL-3);
- com a opção “FIRST”, a primeira LITERAL-1 (ou LITERAL-3) que aparecer, é
substituído pelo LITERAL-2 (ou LITERAL-4).

11.1.2 Exemplos de EXAMINE


- 1)
EXAMINE/INSPECT CAMPO-A REPLACING ALL ‘7’ BY ‘0’.

CAMPO-A antes = 44 75 72
CAMPO-A depois = 44 05 02

- 2)
EXAMINE/INSPECT IMPORTANCIA REPLACING LEADING ZEROS BY ‘2’.

IMPORTANCIA antes = 00 08 40
IMPORTANCIA antes = 22 28 40

- 3)
EXAMINE CAMPO-B RELACING UNTIL FIRST 5 BY ZERO.

CAMPO-B antes = 44 75 72
CAMPO-B depois = 00 05 72

- 4)
EXAMINE CAMPO-A REPLACING FIRST 7 BY ZERO.

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 105
Cobol
CAMPO-A antes = 44 75 72
CAMPO-A depois = 44 05 72

- 5)
EXAMINE IMPORTANCIA TALLYING ALL ‘,’.

IMPORTANCIA antes = $3 ,4 11 ,2 2. 15
TALLY antes = 00 32
TALLY depois = 00 02

- 6)
EXAMINE INDICACAO TALLYING ALL ‘A’ REPLACING ‘B’.

INDICACAO antes = A8 66 AC
TALLY antes = 00 13

INDICACAO depois = B8 66 BC
TALLY depois = 00 02

- 7)
EXAMINE CONTROLE TALLYING LEADING ZEROS.

CONTROLE antes = 00 08 44
TALLY antes = 00 32
TALLY depois = 00 03
- 8)
EXAMINE NOME TALLYING UNTIL FIRST ‘X’.

NOME antes = ID AX XX BX
TALLY antes = 00 13
TALLY depois = 00 03

11.2CLÁUSULA TRANSFORM

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 106
Cobol

O comando TRANSFORM é usado para transformação de


caracteres conforme uma regra de transformação. Por exemplo: os
caracteres de um campo podem ser transformados em uma outra
sequência.

Formato:

TRANSFORM (NOME-DADO-3) CHARACTERS


FROM (CONSTANTE FIGURATIVA-1) TO (CONSTANTE FIGURATIVA-2)
(LITERAL NÃO NUMERICO-1) (LITERAL NÃO NUMERICO-2)
(NOME-DADO-1) (NOME-DADO-2)

11.2.1 Regras para o TRANSFORM


1- NOME-DADO-3 -> tem que ser um item elementar alfabético, alfanumérico ou um
item de grupo com um comprimento fixo com menos de 257 bytes;

2- A regra de transformação é estabelecida por combinação da opção “FROM” e


“TO”;

3- Para os operandos da opção “FROM” e “TO” valem as seguintes regras:


- literais não numéricas devem estar sempre entre “apóstrofes”;
- na LITERAL-NÃO-NUMERICA ou NOME-DADO-1, o mesmo caracter não
pode figurar mais de uma vez, se for repetido o resultado não é previsível;
- são permitidos como constantes figurativas: zeros, spaces, quotes, high-
values, low-values.

11.2.2 Exempos de TRANSFORM


- 1)
TRANSFORM CAMPO-A CHARACTERS FROM ZEROS TO QUOTE.

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 107
Cobol
CAMPO-A antes = 10 70 0A BC
CAMPO-A depois = 1’ 7’ ‘A BC

- 2)
TRANSFORM CAMPO-B CHARACTERS FROM ‘17CB’ TO ‘QRXT’.

CAMPO-B antes = 1X 7X XA BC
CAMPO-B depois = QX RX XA TX

- 3)
TRANSFORM CAMPO-C CHARACTERS FROM CAMPO-X TO CAMPO-Y.

CAMPO-X = X1 7A BC
CAMPO-Y = CB A7 1X

CAMPO-C antes = 1X 7X XA BC
CAMPO-C depois = BC AC C7 1X

11.3CLÁUSULA EXHIBIT

O EXHIBIT tem a finalidade de mostrar o conteúdo dos


campos.

Formato:

EXHIBIT NAMED (IDENTIFICADOR-1) (IDENTIFICADOR-2)...


CHANGED NAMED (LITERAL NÃO NUMERICA)
CHANGED

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 108
Cobol

- NAMED -> imprime / mostra o conteúdo do campo todas as vezes que passar pelo
EXHIBIT;

- CHANGED NAMED -> imprime / mostra o conteúdo do campo somente na troca de


valores;

- CHANGED -> imprime / mostra o conteúdo dos campos somente na troca de


valores em forma de colunas.

- O EXHIBIT não pode ser utilizado para contadores


especiais;
- O EXHIBIT mostra o nome do campo e em seguida o seu
conteúdo.

Exemplos:

EXHIBIT NAMED CAMPO-A.


EXHIBIT CHANGED NAMED CAMPO-A.
EXHIBIT CHANGED CAMPO-A.
EXHIBIT CHANGED CAMPO-1 CAMPO-A CAMPO-G.

11.4CLÁUSULA READY/RESET (TRACE)

O READY tem a finalidade de mostrar os passos do


programa assinalando os parágrafos pelo qual já passou.

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 109
Cobol
Formato:

READY TRACE.
RESET TRACE.

READY TRACE
Imprime / mostra a sequência de parágrafos ou SECTION’s, pelo qual o
programa está passando.

RESET TRACE
Encerra a operação do “READY TRACE”.

Exemplo:
PROCEDURE DIVISION.
A0.
READY TRACE.
.........
A1.
.........
...........
A5.
...........
A99.
EXIT.

Caso ocorra um ABEND, os últimos parágrafos que antecederam o ABEND,


podem não aparecerem.

11.5CLÁUSULA STRING
Formato:

STRING IDENT-1 IDENT-2... DELIMITED BY SIZE


INTO IDENT-7 COMANDO-IMPERATIVO ON OVERFLOW

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 110
Cobol
Na cláusula STRING, os caracteres são transferidos dos campos emissores
(IDENT-1, IDENT-2, ETC) para o campo receptor (IDENT-7) da esquerda para a
direita.
O campo emissor completo, ao qual se deu o primeiro nome (IDENT-1), é
movido para as posições mais a esquerda do campo receptor (IDENT-7). Depois o
campo emissor completo ao qual foi dado o próximo nome (IDENT-2) é movido,
imediatamente, para a direita das posições preenchidas do campo receptor.
Este processo continua até que todos os campos emissores tenham sido
transferidos ou que os campos estejam cheios.

Os campos emissores podem ser colocados em qualquer


lugar e em qualquer ordem na DATA DIVISION. A ordem na qual
eles são nomeados governa a ordem da transferência de dados.
Se ON OVERFLOW não estiver especificado, o próximo
comando seguinte ao comando STRING é executado.
Quando o(s) campo(s) emissor(es) for menor que os
campos receptores, estes não são completados com brancos como
é comum no comando MOVE.

11.5.1 Regras para STRING


1- Todos os identificadores devem ser descritos como USAGE IS DISPLAY;

2- O identificador receptor (IDENT-7) deve ser um item de dados elementar sem


nenhum símbolo de edição;

3- A frase DELIMITED BY SIZE é exigida e significa que a transferência de dados


para quando o campo receptor está cheio, isto é, quando encontra o campo
delimitador.

11.5.2 Exemplos de STRING

FD ARQENTRA
.........
.........
01 REG-ENTRA.

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 111
Cobol
03 DATA-HOJE.
05 DIA-HOJE PIC 99.
05 MES-HOJE PIC 99.
05 ANO-HOJE PIC 99.
...............................
WORKING-STORAGE SECTION.
................
1 LIN-IMPRIME.
03 FILLER PIC X(20) VALUE SPACES.
03 LIN-DATA.
05 LIN-DIA PIC 9(02)B.
05 LIN-DATA-EXT PIC X(40).
.............

1 TABELA-MESEXT.
03 FILLER PIC X(20) VALUE ‘DE JANEIRO DE 19*’.
03 FILLER PIC X(20) VALUE ‘DE FEVEREIRO DE 19*’.
03 FILLER PIC X(20) VALUE ‘DE MARCO DE 19*’.
03 FILLER PIC X(20) VALUE ‘DE ABRIL DE 19*’.
03 FILLER PIC X(20) VALUE ‘DE MAIO DE 19*’.
03 FILLER PIC X(20) VALUE ‘DE JUNHO DE 19*’.
03 FILLER PIC X(20) VALUE ‘DE JULHO DE 19*’.
03 FILLER PIC X(20) VALUE ‘DE AGOSTO DE 19*’.
03 FILLER PIC X(20) VALUE ‘DE SETEMBRO DE 19*’.
03 FILLER PIC X(20) VALUE ‘DE OUTUBRO DE 19*’.
03 FILLER PIC X(20) VALUE ‘DE NOVEMBRO DE 19*’.
03 FILLER PIC X(20) VALUE ‘DE DEZEMBRO DE 19*’.
01 FILLER REDEFINES TABELA-MESEXT.
03 MÊS-EXT PIC X(20) OCCURS 12 TIMES.

PROCEDURE DIVISION.
.............

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 112
Cobol
MOVE DIA-HOJE TO LIN-DIA

STRING MÊS-EXT (MÊS-HOJE) ANO-HOJE DELIMITED BY ‘*’


INTO LIN-DATA-EXT.

O resultado acima será:

DATA-HOJE = 150897
LIN-DATA-EXT = 15 DE AGOSTO DE 1997

ou

DATA-HOJE = 010497
LIN-DATA-EXT = 01 DE ABRIL DE 1997

11.6CLÁUSULA UNSTRING
Formato:

UNSTRING IDENT-1 INTO IDENT-2 IDENT-3...


COMANDO IMPERATIVO ON OVERFLOW

Na cláusula UNSTRING, os caracteres são transferidos dos campos


receptores (IDENT-2, IDENT-3, ETC) para o campo emissor (IDENT-1) da esquerda
para a direita.
O campo receptor ao qual foi dado o nome primeiro (IDENT-2) é
completamente preenchido com os caracteres mais a esquerda do campo emissor.
Então, o próximo campo emissor, este processo continua até que todos os campos
estejam cheios ou o campo emissor inteiro tenha sido transferido.

Os campos receptores podem ser colocados em qualquer


lugar e em qualquer ordem na DATA DIVISION.
A ordem na qual eles estão nomeados governa a ordem da
transferência de dados.

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 113
Cobol

11.6.1 Regras para UNSTRING


1- O campo emissor (IDENT-1) deve ser alfanumérico;

2- Os campos receptores (IDENT-2, IDENT-3, etc) devem ser descritos como


USAGE IS DISPLAY;

3- Os campos receptores podem ser alfabéticos, numéricos ou alfanuméricos.

11.7RETURN-CODE
É uma área que contém um código de retorno qualquer para que este seja
checado pelo STEP posterior ao executado, através do cond do JCL.

Exemplo:

IDENTIFICATION DIVISION.
..........
ENVIRONMENT DIVISION.
.........
DATA DIVISION.
.........
PROCEDURE DIVISION.
OPEN INPUT ARQTESTE.

READ ARQTESTE AT END


MOVE +020 TO RETURN-CODE
CLOSE ARQTESTE
STOP RUN.

IF TIPO EQUAL 1
MOVE +010 TO RETURN-CODE

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 114
Cobol
CLOSE ARQTESTE
STOP RUN.

Deve-se procurar enviar o RETURN-CODE valorizado


sempre ao final do processamento, isto é, antes do STOP RUN ou
GOBACK.

11.8ABENDAR PROGRAMA
Para abendar um programa da maneira que vamos definir neste subcapítulo,
deve-se definir um campo na WORKING-STORAGE SECTION com 4 bytes binários
com qualquer valor, que não ultrapasse a 4095.

Exemplo:

WORKING-STORAGE SECTION.
77 WRK-ABEND PIC S9(04) VALUE +1234 COMP.

PROCEDURE DIVISION.
OPEN INPUT ARQTESTE.

READ ARQTESTE AT END


CLOSE ARQTESTE
STOP RUN.

IF TIPO-TESTE EQUAL 3
DISPLAY ‘ERRO REGISTRO DE ENTRADA ARQTESTE’
DISPLAY ‘0 PROGRAMA AFGT0904 SERÁ CANCELADO’
CALL ‘ILBOABN0’ USING WRK-ABEND.

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 115
Cobol
11.9FILE STATUS
O FILE STATUS permite ao usuário monitorar a execução de operações de
entrada e saída (I/O) requisitadas para os arquivos de um programa.

Após cada operação de I/O, o sistema move um valor para a STATUS KEY
(campo alfanumérico, com 2 caracteres definidos na WORKING-STORAGE
SECTION e especificado na ENVIRONMENT DIVISION, através do SELECT) que
acusa o sucesso ou o insucesso da operação.

Qualquer valor movido para a STATUS KEY diferente de zeros, revela que a
execução não foi bem sucedida.

Alguns exemplos de operações de I/O que podem ser


testadas o FILE STATUS:
- OPEN
- START
- WRITE
- READ
- REWRITE
- CLOSE

Exemplo:

IDENTIFICATION DIVISION.
.............
ENVIRONMENT DIVISION.
............
SELECT ARQ-IN ASSING TO UT-S-ENTRADA
FILE STATUS IS WS-ARQ-IN.

SELECT ARQ-OUT ASSING TO UT-S-SAIDA


FILE STATUS IS WS-ARQ-OUT.
..........

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 116
Cobol
WORKING-STORAGE SECTION.
......
77 WS-ARQ-IN PIC X(02).
77 WS-ARQ-OUT PIC X(02).
77 WS-OPERACAO PIC X(05).
77 WS-FILE-STATUS PIC X(02).
77 WS-ARQUIVO PIC X(07).
77 WS-FIM PIC X(01) VALUE ‘N’.
........

PROCEDURE DIVISION.
PERFORM INICIO
PERFORM PROCESSA UNTIL WS-FIM EQUAL ‘S’
PERFORM FINAL.

INICIO SECTION.
OPEN INPUT ARQ-IN
OUTPUT ARQ-OUT.

IF WS-ARQ-IN NOT EQUAL ‘00’


MOVE ‘OPEN’ TO WS-OPERACAO
MOVE WS-ARQ-IN TO WS-FILE-STATUS
MOVE ‘ARQ-IN’ TO WS-ARQUIVO
GO TO DISPLAY-ERROS.

IF WS-ARQ-OUT NOT EQUAL ‘00’


MOVE ‘OPEN’ TO WS-OPERACAO
MOVE WS-ARQ-OUT TO WS-FILE-STATUS
MOVE ‘ARQ-OUT’ TO WS-ARQUIVO
GO TO DISPLAY-ERROS.
FIM-INICIO.
EXIT.

PROCESSA SECTION.
READ ARQ-IN.

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 117
Cobol
IF WS-ARQ-IN EQUAL ‘10’
MOVE ‘S’ TO WS-FIM
GO TO FIM-PROCESSA
ELSE
IF WS-ARQ-IN NOT EQUAL ‘00’
MOVE ‘READ’ TO WS-OPERACAO
MOVE WS-ARQ-INT TO WS-FILE-STATUS
MOVE ‘ARQ-IN’ TO WS-ARQUIVO
GO TO DISPLAY-ERROS.
.............
WRITE REG-OUT.
IF WS-ARQ-OUT NOT EQUAL ‘00’
MOVE ‘WRITE’ TO WS-OPERACAO
MOVE WS-ARQ-OUT TO WS-FILE-STATUS
MOVE ‘ARQ-OUT’ TO WS-ARQUIVO
GO TO DISPLAY-ERROS.

FIM-PROCESSA.
EXIT.

DISPLAY-ERROS SECTION.
DISPLAY ‘* ERRO ‘ WS-OPERACAO ‘ ‘ WS-ARQUIVO
DISPLAY ‘* FILE STATUS = ‘ WS-FILE-STATUS
STOP RUN.
FIM-DISPLAYS-ERROS.
EXIT.

É aconselhável que se teste a STATUS KEY após cada


operação de I/O.
Se um valor diferente de zero for encontrado, o correto será
terminar o programa e corrigir o erro. Se outra medida for tomada,
é provável que ocorra um abend em uma outra instrução.

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 118
Cobol
11.9.1 Alguns insucessos em operações de I/O

1) FILE STATUS = 90
DD STATEMENT MISSING (PARA ARQUIVO)

2) FILE STATUS = 92
READ APOS AT END

READ ANTES DO OPEN – FILE STATUS 92 NA LEITURA

WRITE ANTES DO OPEN

OPEN COM INPUT PARA ARQUIVO DE OUTPUT

OPEN COM OUTPUT PARA ARQUIVO DE INPUT – FILE STATUS 92 NA


LEITURA.

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 119
Cobol

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 120
Cobol

12. Exercícios

12.1Programa 1

12.1.1 Nome do programa


EXERC001

12.1.2 Arquivos utilizados neste programa:


Entrada = CADASTRO e MOVIMENTO
Saída = CADATU e RELINCL

MOVI
CADAS
MENT
TRO
O

PARM
DD/MM/AAAA
EXERC001

CAD
ATU RELINCL

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 121
Cobol

12.1.1 Layout dos arquivos


Arquivo CADASTRO, MOVIMENTO e CADATU – tamanho de 60 bytes:

AGENCIA CONTA DÍGITO NOME VALOR

Numérico Numérico Alfanum. Alfanumérico Num. Compactado


Tam. 04 Tam. 06 Tam. 01 Tam. 40 Tam. 15 inteiros,
2 decimais, com sinal

Relatório RELINCL:

12.1.2 Procedimentos:

1) Ler os arquivos de entrada CADASTRO e MOVIMENTO.

2) Processar até o final dos arquivos de entrada


2.1) Efetuar comparação das chaves (AGENCIA, CONTA e DÍGITO)
Se existir registro correspondente no CADASTRO e no MOVIMENTO
Mover o VALOR do MOVIMENTO no CADASTRO
Gravar CADATU com base no CADASTRO
Senão
Se existir apenas o registro no CADASTRO
Gravar CADATU com base no CADASTRO
Senão
Se existir apenas o registro no MOVIMENTO
Gravar CADATU com base no MOVIMENTO
Imprimir registro MOVIMENTO no relatório de incluídos (RELINCL).

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 122
Cobol

3) A data do relatório é a data recebida no parm, no formato DD/MM/AAAA.

____________________________________________________________________________________________
Versão 1 123