Você está na página 1de 4

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO

CENTRO DE CIÊNCIAS JURÍDICAS E ECONÔMICAS


DEPARTAMENTO DE BIBLIOTECONOMIA

BRUNO NICCHIO

WELINGTON SANTOS

Trabalho este em si dizendo, com estes


parágrafos inicias a importância do que
foi a literatura e de sua morte tanto na
grafia e mesmo porque das atitudes sob
qual foi imposta a cultura indígena de
uma vez por todas deixando de viver e
habitar seu local de origem. Trabalho
apresentado à disciplina de Cultura
Brasileira ministrada pela professora

Professora: Nicole Soares Pinto pelo


curso de Biblioteconomia da
Universidade Federal do Espírito Santo.

VITÓRIA
2019
A Carta Guarani Kaiowá e o direito a uma

literatura com terra e das gentes.

Contanto segundo relatos feitos a partir da Carta Guarani-Kaiowá envolvendo-se


estudiosos da época ou até mesmo das próprias lideranças indígenas, a prática de
injustiças contra estes povos foi constadas que ao invés de a carta ser de descobrimento
como a feita por Pero Vaz de Caminha, neste caso foi para relatar um extermínio em
massa e não algo que deverias se comemorar.

Para se ter uma ideia a Carta que em seu bojo era para estar: “o direito a uma
literatura com terra e das gentes” foi Assinada por cinquenta homens, cinquenta
mulheres e setenta crianças de uma das comunidades desta tribo dos Guarani - Kaiowás,
e o que impressiona que um povo como este , assolados por cerca de 511 anos não se
obteve sequer alguma resposta a tudo que os envolve e suas terras que delas precisavam
para ter o seu sustento, nisto que um dos principais relatos apresentados na carta era o
desrespeito ao direito e a dignidades destes que não importam sua raça cor , orientação
de gênero , porem nada mais que estes foram os primeiros habitantes do Brasil e não
houve algo de efetivação dizendo mais completa a respeito disto. Sendo que se fosse
discutir com a Oficialidade que se permite quem por direito possa vir a requisitar o que
está na Constituição por direitos e obrigações de cada cidadão deste pais poderia se
atribuir e em primeiro lugar o que comprova o dito é pela carta Magma Oficial que tudo
lá está em pauta, devolução , terras invadidas , desrespeito a quem é dono legítimo e
tem que ser banido, sem mais nem menos nasceu e viveu para que alguém com outras
certas ambições ocupe seu lugar. E o pior de tudo como andam as coisas a lei não se
cumpriu, o tempo passou, as coisas terríveis ainda continuam acontecendo e tudo que se
tem é que a lei tanto no caso da Constituição e outras demais não passa de letra – morta
nesses casos.

E para finalizar a meu ver, e modo de entender as coisas a carta foi mais do que
um apelo onde citações até mesmo poéticas tinham a intenção de fazer com que quem a
lê-se pudesse refletir melhor em algo que causa certo apelo de comoção se for observar
bem seu conteúdo, os índios estão se despedindo e se propondo a tal maneira que para
eles se era para ter uma morte, queriam que seus corpos fossem depositados na mesma
terra em forma de ironia, terra esta da qual estão sendo expulsos e banidos uma vez que
desta mesma forma nada melhor do que lembrar de seus antepassados que ali restaram e
jazem seus restos mortais. Tudo ficou na lembrança dos que foram sepultados a muitos
anos e a única certeza que resta era que os parentes já falecidos, estes sim eram os que
cuidavam com zelo e com puro carinho e afeto das localidades e de forma que nunca
poderiam imaginar depois de mortos o quanto de problemas que atravessariam as
próximas gerações , problemas pelo que passam os Guarani – Kaiowás de hoje e fariam
o possível para ajudarem de alguma maneira para que este elo de ligação entre passado
e presente não terminasse assim de maneira tão vã e cruel . Uma vez que é de tamanha
mesquinharia se for parar para imaginar o tanto de relatos e apelos dos índios, trechos
estes que a própria Carta mostra para apenas garantir por pouco tempo até que algo de
concreto ressurgisse e assim os poucos que restarem de cada tribo ainda poderiam
desfrutarem ali mesmo de maneira, feita até então , poderem delas tirar o cultivo que
sempre forneceu, fazer dali sua subsistência inclusive como não tem outros meios de
obterem remunerações diversas se tratando que nunca haviam crescido nas cidades
antes e sim foram para lá obrigados. Enfim, nunca se pensou-se que para terem seus
direitos reivindicados não somente os Guaranis e também os kaiowás que eram muito
próximos e tinham a realidade semelhantes e servindo de exemplo para outras
comunidades indígenas espalhadas por todos os cantos do Brasil.

Como citado bem acima esta mesquinhez que não tem tamanho foi o motivo de
maior gravidade em que os índios se sentiram mais prejudicados , é que interesses
digamos exclusos a eles gritaram com maior entonação a partir de interesses pessoais no
quesito de riquezas que a região possuía fez com que certos grupos oligárquicos e até de
fazendeiros que só pensavam através de devastações queriam mais do que tudo explorar
de forma comercial a região e fariam o que fosse preciso para ter o seu sucesso a todo
custo e de forma cruel com muito suor e sangue dos que ali estavam primeiro fosse
derramado , não foram capazes de respeitarem a dignidade humana e assim foram
responsáveis por o maior número possível de extermínio de indígenas e para não dizer a
exclusão dos que ao invés de morrerem ficaram sem lar e entregues a própria sorte e
viriam a morrer por outros motivos.

Pois através de séculos esses grupos não mereciam fim tão trágico, vindo de uma
história fantástica de existência e luta pela sobrevivência e que puderam da própria terra
se atribuir de uma cultura não antes vista pelo colonizador que aqui os encontrou.
Servindo de patrimônio mundial os índios infelizmente ao invés de serem aplaudidos
por muitos de perto não tiveram este privilégio assim como eram considerados como
selvagens, até uns dizem que não possuíam alma. Mas que na verdade o que era preciso
e a carta tinha este objetivo de fazer com que as autoridades enxergassem devido a
todos os aspectos positivos que mesmo no período de descobrimento muitos dos
ancestrais de qualquer que seja as tribos que poderiam ser contadas espalhadas pelo pais
a dentro, merecem sim terem suas terras como forma de retaliação das barbáries pelo
que passaram e garantir maiores atos punitivos aos seus agressores para o caso de
episódios lastimáveis como este não voltarem a acontecer novamente.

Interesses relacionados