Você está na página 1de 14

Aplicação de protocolo de avaliação

do desenvolvimento infantil
realizada por pedagogos em creche:
um estudo a partir do teste Denver II
Leticia Massa Thomé de Souza
Graduanda em Pedagogia no Centro Universitário Teresa D'Ávila
lemts@hotmail.com

Maria Aparecida Ribeiro Chagas


Graduanda em Pedagogia no Centro Universitário Teresa D'Ávila
machagas30@gmail.com

Marcia Regina Moscato Amoroso


Mestre em Fonoaudiologia – Docente do Centro Universitário Teresa
D'Ávila
marciarmoscato@gmail.com

Resumo
A atuação do pedagogo não está mais restrita ao simples ato de conduzir
uma sala de aula, pois o conhecimento deste profissional permite um leque
de atividades a serem praticadas. Dentre elas, a aplicação de protocolos de
avaliação do desenvolvimento é algo a ser tomado como instrumento de
trabalho pelos pedagogos, com o intuito de identificar possíveis atrasos
em diversos aspectos do desenvolvimento infantil, de modo que os
resultados obtidos poderão contribuir tanto para a criança, quanto para
o pedagogo, o qual será capaz de desenvolver atividades mais coerentes
com a necessidade e o nível de desenvolvimento em que cada criança se
encontra. Dessa forma, buscamos responder as seguintes questões: A
aplicação de protocolo de avaliação do desenvolvimento infantil, realizada
por pedagogos, possibilita a compreensão da fase evolutiva que a criança se
encontra, ampliando desta forma a atuação pedagógica dentro da creche?
Quais as dificuldades que o pedagogo pode encontrar na aplicação do
teste? O objetivo geral deste estudo é avaliar o nível de desenvolvimento
neuropsicomotor de crianças em idade pré-escolar, matriculadas em
uma creche pública situada no município de Lorena, São Paulo, Brasil,
por meio da aplicação do teste Denver II. O objetivo específico, por sua
vez, é identificar os principais fatores que podem auxiliar na melhoria do

70
processo pedagógico, a partir dos resultados obtidos com a aplicação do
teste. A pesquisa atua de modo a auxiliar os educadores na avaliação do
desenvolvimento dos alunos e, consequentemente, no planejamento das
atividades a serem aplicadas, de modo que estas sejam mais específicas,
de acordo com a necessidade de cada criança e o nível do desenvolvimento
infantil apresentado para cada uma delas. Trata-se de uma pesquisa
de campo, cujos dados foram analisados de forma qualitativa. Como
instrumento de pesquisa, utilizou-se o teste Denver II, o qual foi aplicado
por duas graduandas do curso de Pedagogia, com o auxílio da professora
responsável pelas crianças matriculadas na creche. A partir dos resultados
obtidos com a aplicação do referido teste, pôde-se constatar que as
quatro crianças avaliadas apresentaram resultados não normais em três
dos quatro aspectos analisados: pessoal-social, motor fino-adaptativo e
linguagem; no aspecto motor-grosseiro, por sua vez, o resultado foi normal
em todos os casos. Conclui-se que a aplicação do teste Denver II garante
resultados concretos no que diz respeito ao desenvolvimento infantil e,
uma vez adotado, é capaz de ampliar a concepção que os educadores têm
de seus alunos, garantindo assim instrumentos capazes de engrandecer
seu trabalho como profissional da educação e ampliando as possibilidades
dentro de sua atuação como corresponsável pelo desenvolvimento da
criança.

Palavras-chave:
Teste Denver II; Desenvolvimento Infantil; Pré-Escolar; Creche;
Educadores.

71
INTRODUÇÃO outro lado, intervenções realizadas no ambiente
familiar e escolar em cada fase do ciclo de vida da
A partir da publicação da Lei de Diretrizes
criança poderão influenciar na qualidade de seu
e Bases da Educação Nacional, nº. 9.394/96,
desenvolvimento durante toda sua vida. Desse
as creches passaram, oficialmente, a integrar
modo, é fundamental que uma atenção especial
o sistema de ensino. Estabeleceu-se então
seja dada no que diz respeito ao desenvolvimento
que a Educação Infantil tem como objetivo
de cada criança, mas será que a aplicação de
supervisionar e promover o desenvolvimento
protocolo de avaliação do desenvolvimento
global da criança do nascimento até os seis anos
infantil, realizada por pedagogos, possibilita a
de idade, complementando ações da família e da
compreensão da fase evolutiva que a criança
comunidade.
se encontra, ampliando desta forma a atuação
Sendo a infância uma fase da vida que requer
pedagógica dentro da creche? E quais as
maior atenção nos aspectos físico, emocional,
dificuldades que o pedagogo pode encontrar
cognitivo, pedagógico e de saúde, faz-se
durante a aplicação do teste?
necessário que instrumentos eficazes para a
Inúmeros são os métodos empregados para
avaliação do desenvolvimento infantil sejam
avaliação do desenvolvimento infantil; escalas e
empregados desde a vivência na creche, uma
testes são utilizados mundialmente, na tentativa
vez que tais resultados serão tidos como base
de quantificar e qualificar o desenvolvimento da
durante todo o período escolar da criança. Vale
criança. O Denver II é o teste de rastreamento de
ressaltar que ao apresentar um desenvolvimento
risco de desenvolvimento infantil mais utilizado
adequado e saudável nos primeiros anos de vida,
no Brasil, sendo empregado também em diversos
a criança terá maiores chances de progressão no
países. Este instrumento inclui avaliação de
futuro.
comportamento social e pessoal, linguagem
Ao atuar em uma creche, o pedagogo se
e habilidades motoras preconizadas como
depara com crianças em idade pré-escolar,
típicas do desenvolvimento. O desenvolvimento
período do desenvolvimento compreendido entre
cognitivo da criança é avaliado pela capacidade
o terceiro e o final do quinto ano de vida, fase que
de compreensão de instruções, conceituação
a criança conquista importantes habilidades,
de palavras, nomeação de figuras e habilidades
principalmente em relação à linguagem e à
pessoal-social.
socialização, o que contribui para que se torne
A padronização do teste de Denver na
mais independente e com capacidade de afirmar
população brasileira foi realizada por Drachler,
sua personalidade de forma única e peculiar.
Marshall e Carvalho-Leite (2007) em um estudo
O desenvolvimento infantil engloba aspectos
realizado em Porto Alegre, Rio Grande do Sul.
físicos, emocionais, sociais e cognitivos, e
Os autores avaliaram 3.389 crianças com idades
refere-se ao período compreendido entre zero
abaixo dos cinco anos, permitindo, então, o
a seis anos de idade. Os fatores biológicos
ajuste do teste de desenvolvimento de Denver
de uma criança podem influenciar no seu
II ao contexto cultural brasileiro. Segundo Brito
desenvolvimento a curto e longo prazo, uma vez
et al. (2011) vale ressaltar que o desenvolvimento
que interferem na formação e maturação dos
infantil é acompanhado por organizações
diversos sistemas desde a fase pré-natal. Por
nacionais e internacionais e indica o índice de

EIE - nº 02 | vol 01 | 2018 72


desenvolvimento de um país, bem como o nível Erikson (1998) afirma que durante a fase do
de atenção à saúde, a educação e as condições desenvolvimento infantil compreendida entre
sanitárias. zero e seis anos de idade, a criança parece
A creche foi o local escolhido pelos dotada de uma energia interminável, que é
pesquisadores para desenvolver o presente extravasada principalmente através do brincar
estudo, por se tratar de um ambiente que agrega e de atividades motoras (correr, pular, subir,
crianças em fase inicial de seu desenvolvimento, e descer, entre outras). A criança está aprendendo
envolve o pedagogo de modo que seja necessário também como funciona o mundo social e como
um conhecimento básico mediante o nível de ela funciona dentro dele.
desenvolvimento de cada criança, de acordo com Em seu trabalho, Barbosa (2004) diz que
a faixa etária em que a mesma se encontra. os primeiros anos de vida da criança são
O objetivo geral deste estudo é avaliar o fundamentais para seu desenvolvimento, pois
nível de desenvolvimento neuropsicomotor das envolvem de forma significativa os aspectos
crianças em idade pré-escolar, matriculadas em físico, emocional, cognitivo e espiritual, os quais
uma creche pertencente à rede pública de ensino, servirão como alicerces para sua aprendizagem
situada no município de Lorena, São Paulo, e interação com o mundo físico e social. Porém,
Brasil, através da aplicação do teste Denver II. deve ser considerado não apenas a possibilidade
O objetivo específico, por sua vez, é identificar de a criança se tornar bem sucedida no futuro,
os principais fatores que podem auxiliar na mas, principalmente, o fato de proporcionar à
melhoria do processo pedagógico, a partir dos criança espaços onde ela possa se desenvolver de
resultados obtidos com a aplicação do teste. maneira plena e viver sua vida hoje.
Nota-se a importância deste trabalho para a Segundo Souza (2008), as concepções
atuação dos pedagogos, no que diz respeito em de educadoras de creche, referentes ao
obter resultados mais precisos referentes ao desenvolvimento de crianças em fase pré-escolar,
desenvolvimento neuropsicomotor dos alunos. têm ênfase no ambiente e na prática profissional,
Desta forma, poderão ser pré-estabelecidas isto é, as educadoras acompanham e avaliam o
atividades mais coerentes com a necessidade desenvolvimento infantil através da observação
de cada criança, de acordo com o nível do diária, estabelecendo comparações entre as
desenvolvimento infantil em que a mesma se próprias crianças e destas com parâmetros pré-
encontra. Além disso, os resultados obtidos após estabelecidos referentes ao comportamento
a aplicação do teste Denver II, irão beneficiar a esperado para crianças de faixa etária equivalente.
própria criança em seu desenvolvimento motor/ Diante das dificuldades infantis, inclusive
intelectual/social, pois caso seja diagnosticado relacionadas a bebês com necessidades especiais,
algum tipo de déficit em alguma destas áreas, as educadoras tomam iniciativas próprias e em
com o auxílio dos pais ou responsáveis e dos sua rotina de trabalho não há tempo nem espaço
educadores, ela poderá desenvolver atividades dedicados exclusivamente para realização de
que influenciem positivamente no seu um planejamento; dessa forma suas ações são
desenvolvimento. baseadas na resolução imediata dos problemas,

REFERENCIAIS TEÓRICOS

73 EIE - nº 02 | vol 01 | 2018


o que provoca nestas profissionais uma sensação trabalho faz com que este profissional, muitas
de sobrecarga e exaustão no final de cada vezes, não seja capaz de realizar uma análise
expediente. mais precisa e detalhada, no que diz respeito ao
Em um estudo realizado por Silva (2003), as desenvolvimento infantil.
educadoras entrevistadas afirmaram que a creche Tal problema é abordado por Melchiori e
é vista pela sociedade como um ambiente criado Alves (2001) em uma pesquisa realizada com
com uma única finalidade: a permanência de educadoras de creches, na qual elas subestimam
crianças que se encontram na ausência dos pais sua influência perante o desenvolvimento dos
enquanto estes trabalham. Nesta circunstância, bebês que ficam sob seus cuidados, sendo esta
vale-se destacar a grande influência que o considerada menor do que as mães exercem. Isso
educador tem sobre o desenvolvimento infantil, ocorre apesar de as mesmas estarem cientes do
uma vez que este profissional interage durante tempo que passam com as crianças, o qual varia
horas com as crianças, acompanhando-as em entre quatro e dez horas por dia.
diferentes aspectos de seu desenvolvimento. Souza (2008) afirma que o educador deveria
Tais ideias se relacionam com o estudo de Eltink estar ciente quanto à importância de sua função
(1999), no qual o educador é apontado como peça educativa junto à criança pequena e quanto à
fundamental para o bom atendimento dentro importância da creche como espaço de promoção
da creche, sendo este o principal responsável do desenvolvimento e de prevenção de seus
pela observação constante, pela pesquisa, pelo distúrbios. Se além do educador, a comunidade na
diálogo e pelo planejamento, de modo que esta qual a creche está inserida também fosse capaz
interação com as crianças e com a comunidade de compreender este fator, talvez se verificasse
lhe propicie certa autonomia na hora de analisar maior empenho em tornar o atendimento à
a realidade em que está inserido e na busca por criança pequena algo mais elaborado e, portanto,
soluções viáveis. Dessa forma, é possível afirmar mais adequado.
que muito além do cuidado diário, o educador Dessa forma, verifica-se a necessidade
pode e deve desenvolver atividades voltadas real para solução deste problema, ou seja, por
para a promoção do desenvolvimento infantil, meio da aplicação de protocolos de avaliação
organizadas mediante um planejamento, no do desenvolvimento infantil, no caso, do teste
qual se faz necessário uma reflexão prévia das Denver II. O Teste de Denver é uma escala
atitudes a serem tomadas, ao invés das decisões de triagem utilizada para verificar o atraso
imediatistas que permeiam a realidade das no desenvolvimento infantil; o mesmo foi
creches. desenvolvido por Willian K. Frankenburg em
Por outro lado, será que os próprios educadores 1967, na universidade de Colorado, Denver. Sua
reconhecem tamanha responsabilidade e aplicação se dá em crianças desde os quinze dias
influência que possuem sobre o desenvolvimento até os seis anos de idade. Segundo o próprio
dos alunos? Ou ainda, utilizam métodos e nome indica, este é um teste para triagem
instrumentos adequados para acompanhar e não para diagnóstico de anormalidades
o desenvolvimento das crianças? A falta de de desenvolvimento, e tem como objetivo a
recursos que proporcionem ao educador maior
credibilidade e segurança no desenvolver de seu

EIE - nº 02 | vol 01 | 2018 74


identificação precoce de algum possível desvio ampla. Estes itens são administrados diretamente
e acompanha o desenvolvimento de todas as à criança e em alguns deles é solicitado que a mãe
crianças, sejam elas de risco ou não. informe se a criança realiza ou não determinada
De acordo com os critérios de avaliação tarefa (HALPERN et al, 1996).
previstos no manual do teste, sua interpretação Os itens avaliados são apresentados em forma
global é feita como — normal, não normal, de gráfico, e em cada marco do desenvolvimento,
questionável e não testável. É importante é possível observar os respectivos limites mínimo
ressaltar que por se tratar de um teste de triagem, e máximo da idade de aparecimento. Os itens são
um resultado não normal alerta para um risco codificados individualmente em passa, falha, ou
potencial que deve ser confirmado mediante recusa (não testável), de acordo com a habilidade
testes diagnósticos. Além disso, a avaliação do da criança em realizar determinado item.
desenvolvimento em um único momento não A amostra de crianças avaliadas pertence a
permite que se determine de forma definitiva faixa etária que varia entre 2 anos e 3 anos e 1
um atraso no desenvolvimento da criança. mês de idade. Trinta é a totalidade de crianças
Através desta identificação precoce pode ser desta turma. Estabeleceu-se que quatro
possível o estabelecimento de programas de crianças seriam os sujeitos da pesquisa: duas
intervenção que visem à prevenção de distúrbios crianças deveriam apresentar, aparentemente,
no desenvolvimento (HALPERN et al., 1996). desenvolvimento típico e as outras duas
deveriam apresentar, aparentemente, algum
MATERIAL E MÉTODO tipo de alteração em seu desenvolvimento. A
professora da sala selecionou, a partir desse
Trata-se de uma pesquisa de campo, cujos
critério, as quatro crianças. As duas crianças
dados foram analisados de forma qualitativa.
com desenvolvimento aparentemente típico
Como instrumento de pesquisa utilizou-se o
pertencem ao sexo masculino e ao sexo feminino
teste Denver II, o qual foi aplicado por duas
respectivamente, o mesmo equivale para as
graduandas do curso de Pedagogia, com o
crianças que aparentemente apresentam alguma
auxílio da professora responsável pelas crianças
alteração em seu desenvolvimento. As crianças
matriculadas no Maternal I, em uma creche
foram observadas individualmente, seguindo a
pública situada no município de Lorena, São
tabela de aplicação do teste Denver II segundo
Paulo, Brasil.
Beteli (2006), de modo que, para cada criança
O teste Denver II consiste em 125 itens que
houve uma tabela equivalente.
são divididos em quatro grupos: a) Pessoal-
Após a assinatura do TCLE e autorização da
Social: aspectos da socialização da criança
instituição com parecer substanciado pelo CEP,
dentro e fora do ambiente familiar; b) Motor
CAAE nº. 50387915.5.0000.5431, as crianças
adaptativo: coordenação olho-mão, manipulação
foram avaliadas por meio do instrumento teste
de pequenos objetos; c) Linguagem: produção de
de triagem Denver II (Figura 1). As respostas
som, capacidade de reconhecer, entender e usar
foram anotadas e avaliadas, seguindo os
linguagem e d) Motor Grosso: controle motor
procedimentos pré-estabelecidos para aplicação
corporal, sentar, caminhar, pular e todos os
do referido teste.
demais movimentos realizados pela musculatura

75 EIE - nº 02 | vol 01 | 2018


Figura 1 - Teste de
Triagem Denver II
Fonte: BETELI, V. C.
Acompanhamento
do desenvolvimento
infantil em creches.
Dissertação de
Mestrado em
Enfermagem –
Universidade de
São Paulo, 2006.

DISCUSSÕES E RESULTADOS
Os resultados encontrados na aplicação do teste foram avaliados
individualmente. As crianças foram nomeadas, para efeito de análise, como
A, B, C e D. Vale ressaltar que A e B eram consideradas pela professora,
aparentemente, com alguma alteração em seu desenvolvimento e, C e D
eram consideradas com desenvolvimento aparentemente típico.

EIE - nº 02 | vol 01 | 2018 76


Criança A: Com 2 anos e 11 meses, pertencente ao sexo feminino, A
mostrou-se, no momento da aplicação do teste, alegre, sociável com as
outras crianças, e discretamente retraída com os adultos. Apresentou-se
calma e um pouco desatenta, mas logo se interessou e, aparentemente,
gostou de realizar o teste. Seu histórico familiar é aparentemente adequado:
os pais são casados e pareceram ser atenciosos e carinhosos. A apresentou
resultados não normais em três dos quatro aspectos analisados: pessoal-
social, motor fino-adaptativo e linguagem. No aspecto motor-grosseiro o
resultado foi normal.

77 EIE - nº 02 | vol 01 | 2018


Criança B: Com 2 anos e 10 meses, pertencente ao sexo masculino,
B mostrou ser uma criança alegre, que se socializa bem com as outras
crianças e com os adultos; segundo a professora, B. é bagunceiro e meio
desatento, um pouco agitado e prestativo. Quanto ao histórico familiar,
os pais são separados; B. mora com sua mãe, e com irmãos adolescentes
de outro casamento. No momento da aplicação do teste mostrou-se
desatento e com pouco interesse nas atividades propostas. B. apresentou
resultados não normais em três dos quatro aspectos analisados: pessoal-
social, motor fino-adaptativo e linguagem. No aspecto motor-grosseiro o
resultado foi normal.

EIE - nº 02 | vol 01 | 2018 78


Criança C: Com 2 anos e 6 meses, pertencente ao sexo feminino, C mostrou
ser uma criança muito alegre, e sociável com crianças e adultos. Segundo a
professora, C. é uma criança calma, esperta e não aprecia dividir os brinquedos.
Seu histórico familiar é de uma família aparentemente adequada: os pais são
casados e parecem ser atenciosos e carinhosos. No momento da aplicação do teste
se comportou bem, se distraiu muito pouco na hora de responder as perguntas e
demonstrou interesse constantemente; fez perguntas sobre os objetos utilizados
durante o teste e, aparentemente, gostou de realizá-lo. C. apresentou resultados
não normais em três dos quatro aspectos analisados: pessoal-social, motor fino-
adaptativo e linguagem. No aspecto motor-grosseiro o resultado foi normal.

79 EIE - nº 02 | vol 01 | 2018


Criança D: Com 2 anos e 6 meses, pertencente ao sexo masculino, D mostrou
ser uma criança muito alegre, que se socializa bem com as outras crianças e com
os adultos. Segundo a professora, é uma criança calma e muito esperta, com todos
os comportamentos típicos de sua idade. Seu histórico familiar revela mãe usuária
de drogas ilícitas e ausência de registro de quem seja seu pai. D é criado por sua tia
sendo que ambos moram na mesma casa de sua mãe. No momento da aplicação do
teste se comportou muito bem, mantendo-se concentrado na hora de responder as
perguntas e realizar os testes; demonstrou interesse e gostou de fazê-los. D apresentou
resultados não normais em três dos quatro aspectos analisados: pessoal-social, motor
fino-adaptativo e linguagem. No aspecto motor-grosseiro o resultado foi normal.

EIE - nº 02 | vol 01 | 2018 80


Diante de tais resultados, evidencia-se a atividades, de modo a serem trabalhados com
semelhança nas respostas das quatro crianças mais frequência em prol do desenvolvimento
analisadas. Por estarem todos os dias, durante integral das crianças.
muitas horas numa mesma classe, dentro No que diz respeito à aplicação do
da creche, as crianças apresentam níveis de protocolo de avaliação, por se tratar de um
dificuldades semelhantes na realização das teste desenvolvido para população americana
atividades. Isso mostra que as atividades que e caracterizado pela cultura deles, apenas
promovem o desenvolvimento da coordenação traduzido para o português, foram encontradas
motora grossa das crianças estão sendo dificuldades na compreensão de algumas
aplicadas constantemente, entretanto, questões, como por exemplo, “Coloca bloco na
atividades responsáveis por desenvolver a caneta”, devido ao fato de não apresentar uma
linguagem das crianças devem ser exercitadas explicação pertinente nas Instruções do Teste
com maior frequência, como por exemplo, de Desenvolvimento Denver II. Apesar disso,
contar histórias oralmente ou através de teatro o teste tido como instrumento de pesquisa se
de fantoches, dentre outras. mostrou bem simples e objetivo na hora de
Também foi possível perceber que todas sua aplicação, depois de recebidas as devidas
as crianças apresentaram resultados abaixo orientações.
do esperado no fator pessoal-social, mais Klausing et al (2004) em seu estudo, discute
especificamente em atividades relacionadas as principais dificuldades encontradas durante
à autonomia. Dessa forma, os resultados a aplicação do teste Denver II, agrupando-as
comprovam a necessidade das educadoras em três categorias, a saber: as relacionadas
permitirem que as crianças desenvolvam suas ao Teste de Denver II em si, a habilidade em
autonomias por meio de atividades simples lidar com as crianças e as dificuldades em
como escovar os dentes ou se vestir, mas de relação à estrutura da creche. Quanto às
forma individual, isto é, sem o auxílio de um “dificuldades relacionadas ao teste em si”, está
adulto. a clareza dos itens da tabela, que se dá devido
Por fim, no aspecto motor fino-adaptativo ao fato de a tabela ser uma tradução do inglês,
as crianças também apresentaram algumas podendo apresentar possíveis dificuldades no
dificuldades na realização das atividades, entendimento de alguns de seus itens. Porém,
porém, em níveis diferentes. Dessa forma, tal dificuldade poderia ser amenizada através
nota-se a necessidade de explorar de forma da leitura sistemática do manual que explica
constante atividades que auxiliem neste detalhadamente todos os itens assim como o
aspecto, como por exemplo, desenhar, pintar acesso a ele durante a aplicação.
utilizando os dedos ou pincéis, montar Na questão “habilidade em lidar com as
blocos, manusear peças pequenas ou realizar crianças”, a dispersão das mesmas se mostrou
atividades utilizando massinha de modelar. frequente, também observado em um dos casos
Sugere-se que os aspectos que apresentaram apresentado no presente trabalho. Tal fator
resultados abaixo do esperado devem ser pode estar relacionado com a inexperiência
repensados no momento do planejamento das do aplicador com o teste, já que a condução
deste protocolo requer certa habilidade do

81 EIE - nº 02 | vol 01 | 2018


aplicador para direcionar a atenção da criança representação visual de aspectos relacionados
ao item testado; porém, é algo que pode ao desenvolvimento infantil, notados
ser aperfeiçoado caso o teste seja aplicado anteriormente, devido ao convívio com as
constantemente pelos pedagogos nas creches. crianças. Dessa forma, vale ressaltar que o teste
A categoria “dificuldades em relação à auxilia toda equipe pedagógica na elaboração
estrutura da creche” está relacionada ao fato de do planejamento das aulas, de modo a promover
as creches, em alguns casos, não disporem de uma reflexão mediante as atividades a serem
um local apropriado para a realização do teste aplicadas em prol do desenvolvimento integral
e devido à falta de tempo, o que pode ocorrer das crianças, considerando as áreas onde elas
pela dinâmica de horários destinados ao sono, apresentam maior dificuldade.
alimentação, chegada e saída de cada creche, Mediante tais fatores, a concepção que as
o que acaba reduzindo o tempo de contato educadoras da creche têm sobre as crianças se
do aplicador com as crianças. Percebemos torna mais ampla e precisa, de modo que seja
também esta dificuldade na aplicação do teste, possível detectar as áreas onde os alunos se
o que caracteriza a falta de um planejamento apresentam abaixo do esperado de acordo com
que priorize a aplicação de protocolos de a idade em que se encontram.
avaliação do desenvolvimento infantil. Tais No que diz respeito à questão do pedagogo
fatores vão de acordo com o estudo realizado se apropriar de instrumentos de avaliação
por Souza (2008), o qual destaca a atuação mais eficazes e devidamente validados, e
do pedagogo dada por meio de alternativas estar ciente de sua responsabilidade sobre o
e decisões imediatas, isto é, uma rotina de desenvolvimento das crianças pequenas, vale
trabalho caracterizada pela realização das destacar que, de fato, a aplicação de protocolos
atividades cotidianas de modo automático. beneficia o seu trabalho, de modo a garantir
a concretização daquilo que se observa
CONCLUSÃO diariamente, em relação ao desenvolvimento
das crianças, em seus diferentes âmbitos.
Foram avaliados os níveis de
O teste Denver II, apesar de apresentar
desenvolvimento neuropsicomotor das
algumas dificuldades no momento de sua
crianças em idade pré-escolar, matriculadas
aplicação, pode ser definido como um protocolo
no maternal I em uma creche pública no
simples e completo, capaz de garantir uma
município de Lorena, São Paulo, Brasil.
visão global de cada aluno, possibilitando a
A aplicação do teste utilizado como
rápida visualização das áreas onde a criança se
instrumento de pesquisa possibilitou a
encontra abaixo do esperado, as quais devem
identificação de alguns fatores que podem
ser mais bem trabalhadas a fim de promover a
auxiliar na melhoria do processo pedagógico,
evolução constante da criança.
dentre eles cabe citar os resultados obtidos
Vale ressaltar que a reaplicação do teste
com precisão em relação às quatro áreas do
é fundamental para o acompanhamento
desenvolvimento infantil, sendo elas: pessoal-
contínuo, possibilitando, assim, melhores
social, motor adaptativo, linguagem e motor
resultados no desenvolvimento das crianças.
grosso, o que possibilitou a equipe escolar uma
Portanto, todos educadores são capazes de se

EIE - nº 02 | vol 01 | 2018 82


apropriarem de protocolos de avaliação como ERIKSON, E. H. (1998). O ciclo de vida
este, o que carece apenas é a conscientização completo. Porto Alegre: Artes Médicas, 1998.
HALPERN, R., BARROS, F. C., HORTA, B. L.
do profissional da educação responsável
et al. Desenvolvimento neuropsicomotor aos
pelos anos iniciais sobre sua influência neste 12 meses de idade em uma coorte de base
processo e, consequentemente, a busca populacional no Sul do Brasil: diferenciais
constante por novos conhecimentos, o que lhe conforme peso ao nascer e renda familiar.
Cadernos Saúde Pública, 1996, vol.12 supl.1,
possibilitaria maior sucesso em seu trabalho.
p.73-78.
KLAUSING, K. R, DUCA, M. F., NEVES, M.
REFERÊNCIAS C., Dificuldades Encontradas na Aplicação
do Teste de Triagem de Desenvolvimento
BARBOSA, Silvia Néli Falcão. Nas tramas do
de Denver pelos Alunos do Projeto Creche
cotidiano: adultos e crianças construindo
das Rosinhas. 2004. 08f. Dissertação Área
a educação infantil. 2004. 09 f. Dissertação
Temática de Saúde - Universidade Federal de
(Mestrado em Educação) - Pontifícia
Minas Gerais, 2004.
Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio
MELCHIORI, Lígia Ebner; ALVES, Zélia Maria
de Janeiro, 2004.
Mendes Biasoli. Crenças de Educadoras
de Creche sobre temperamento e
BETELI, V. C. Acompanhamento do
desenvolvimento de bebês. Psicologia Teoria e
desenvolvimento infantil em creches. 2006.
Pesquisa, Brasília, vol. 17, nº 3, p. 10. Set. 2001.
88f. Dissertação de Mestrado em Enfermagem
SANTOS, D. C. C. Atenção ao Desenvolvimento
– Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006.
Infantil em Creches de Piracicaba. In: Mostra
BRITO, Cileide Mascarenhas Lopes et al.
Acadêmica UNIMEP, 6ª, 2008, Universidade
Desenvolvimento neuropsicomotor: o teste
Metodista de Piracicaba. Ciência Tecnologia
de Denver na triagem dos atrasos cognitivos
e Sociedade: Responsabilidade Social.
e neuromotores de pré-escolares. Cad.
Universidade Metodista de Piracicaba, 2008,
Saúde Pública,  Rio de Janeiro ,  v. 27, n.
01-05.
7, p. 1403-1414, Jul,  2011 .   Available from
SILVA, Cristiane Ribeiro. Concepções de
<http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_
Educadoras infantis sobre o seu trabalho
arttext&pid=S0102-311X2011000700015&lng=
com bebês no cotidiano de Creches. 2003.
en&nrm=iso>. access on  18  Nov.  2015.  http://
86 f. Dissertação de Mestrado - Universidade
dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2011000700015.
Federal do Paraná, 2003.
BRITO, C.M.L., VIEIRA, G. O., COSTA,
SOUZA, Nelly Narciso. Concepções
M.C.O., OLIVEIRA, N.F. Desenvolvimento
de educadoras de creche sobre o
neuropsicomotor: o teste de Denver
desenvolvimento da criança na faixa etária
na triagem dos atrasos cognitivos e
de zero a três anos. 2008. 99f. Dissertação
neuromotores de pré-escolares. APUD:
de Mestrado em Educação – Universidade
DRACHLER, M.L, MARSHALL, T., CARVALHO-
Federal do Paraná, Curitiba, 2008.
LEITE, J.C. A contínuos-scale measure of
child development for population-based
epidemiological serveys: a preliminary study
using Item Response Theory for the Denver
Test. Paediatr Perinat Epidemiol. 2007. 21:138-
53.
ELTINK, C. F. Indícios utilizados por
educadores para avaliar o processo de
adaptação de bebês a uma creche. 1999. 15 f.
Dissertação de Mestrado. Universidade de São
Paulo, Ribeirão Preto, 1999.

83 EIE - nº 02 | vol 01 | 2018