Você está na página 1de 31

CÂNCER

Prof. Ernani Castilho


ORGANIZAÇÃO DOS SERES VIVOS
 ÁTOMOS
(Carbono, Oxigênio, Nitrogênio, Hidrogênio)
 MOLÉCULAS
(água, oxigênio, carbono, açúcares, lipídeos, proteínas,
ácidos nucleicos, nucleotídeos, ácidos graxos, etc).
 SUBSTÂNCIAS
 ESTRUTURAS SUB-CELULARES
(sistemas de membranas, hialoplasma, retículo
endoplasmático, complexo de Golgi, lisossomos,
mitocôndrias, cromossomos, núcleo, nucléolo, etc).
 CÉLULAS
(epiteliais, conjuntivas, musculares, nervosas, hepáticas,
linhagem sangüínea, gametas, etc).
 TECIDOS
Tecido epitelial (epiderme, derme, tecido glandular);
Tecido conjuntivo (cartilaginoso e ósseo); Tecido muscular
(liso, estriado, cardíaco); tecido nervoso , etc.
 ORGÃOS
(cérebro, estômago, intestino, pulmão, coração, fígado,
rim, pâncreas, ovário, testículo, supra-renais, tireóide, etc).
 SISTEMAS
(nervoso, digestivo, respiratório, circulatório, excretor,
reprodutor)
 INDIVÍDUOS
EFEITOS BIOLÓGICOS DAS
RADIAÇÕES IONIZANTES
Esses efeitos podem ser divididos em quatro estágios.
O primeiro estágio ocorre durante o fenômeno físico
da ionização e da excitação do átomo quando a
radiação é absorvida pelo corpo. Quando ocorre o
processo de ionização o elétron e ejetado do átomo e
na excitação o elétron ganha energia passando a uma
orbita mais energética.
Raio-X

elétron ejetado da sua radiação característica de


órbita baixa energia
O segundo estágio, é chamado de físico-químico, que
ocorre nas ligações químicas das moléculas, elas
são rompidas formando assim radicas livres.
O terceiro estágio acontece quando radicais livres
que foram criado anteriormente acabam se ligando
a moléculas importantes das células.
E o quarto estágio acontece por efeitos bioquímicos
e fisiológicos, produzindo alterações morfológicas
e funcionais nas células.
Radical Livre

 Esquema de um Radical Livre: o átomo apresenta o


mesmo número de prótons e de elétrons porém o
elétron da última camada eletrônica encontra-se
desemparelhado; na natureza este tipo de
instabilidade é rapidamente eliminada pela
combinação com outro átomo complementar ou por
uma estrutura molecular que lhe ceda o elétron
necessário à sua estabilização.
Características gerais dos efeitos
biológicos das radiações ionizantes

 Especificidade
 Os efeitos biológicos das radiações ionizantes podem
ser provocados por outras causas que não as
radiações, isto é, não são característicos ou
específicos das radiações ionizante. Outros agentes
físicos, químicos ou biológicos podem causar os
mesmos efeitos. Exemplo: O câncer é um tipo de
efeito que pode ser causado tanto pelas radiações
ionizantes como por outros agentes.
Fatores que aumentam a
produção de radicais livres
Além disso, o stress oxidativo também é
bastante aumentado pelo excesso de
bebidas alcoólicas, de exposição a
poluentes atmosféricos, raios solares e
raios X, assim como pela ingestão
excessiva de gorduras, frituras e carnes
vermelhas.
A principal fonte externa de radicais
livres é a fumaça do cigarro.
Fatores que aumentam a produção
de radicais livres
 Os fatores de risco de câncer podem ser encontrados no meio ambiente ou podem
ser herdados. A maioria dos casos de câncer (80%) está relacionada ao meio
ambiente, no qual encontramos um grande número de fatores de risco. Entende-se
por ambiente o meio em geral (água, terra e ar), o ambiente ocupacional
(indústrias químicas e afins) o ambiente de consumo (alimentos, medicamentos) o
ambiente social e cultural (estilo e hábitos de vida).
 As mudanças provocadas no meio ambiente pelo próprio homem, os 'hábitos' e o
'estilo de vida' adotados pelas pessoas, podem determinar diferentes tipos de
câncer.
 Tabagismo
 Hábitos Alimentares
 Alcoolismo
 Hábitos Sexuais
 Medicamentos
 Fatores Ocupacionais
 Radiação solar
Mitose
 O processo denominado mitose, durante o qual uma célula (célula-mãe) se
divide em duas, recebendo cada nova célula (célula-filha) um jogo cromossômico
igual ao da célula mãe.
Ciclo Celular
Tumor - Neoplasia
 Inicialmente usada para designar qualquer
aumento de volume localizado, independentemente
de sua causa. Mas, atualmente, tumor geralmente
significa neoplasia, isto é, uma massa de tecido
originada pela proliferação celular descontrolada.
 As neoplasias podem ser benignas ou malignas.
Câncer
 É o termo geralmente usado para designar as
neoplasias malignas.
 Câncer é o nome dado a um conjunto de mais
de 100 doenças que têm em comum o
crescimento desordenado (maligno) de células
que invadem os tecidos e órgãos, podendo
espalhar-se (metástase) para outras regiões
do corpo.
 Os diferentes tipos de câncer correspondem aos vários
tipos de células do corpo. Por exemplo, existem diversos
tipos de câncer de pele porque a pele é formada de
mais de um tipo de célula. Se o câncer tem início em
tecidos epiteliais como pele ou mucosas ele é
denominado carcinoma. Se começa em tecidos
conjuntivos como osso, músculo ou cartilagem é chamado
de sarcoma.

 Outras características que diferenciam os diversos tipos


de câncer entre si são a velocidade de multiplicação
das células e a capacidade de invadir tecidos e órgãos
vizinhos ou distantes (metástases).
Apoptose
 Qualquer célula pode ativar seu programa de
autodestruição quando acontecem grandes
modificações em seu DNA, como ocorre durante o
aparecimento de um câncer. O câncer se origina do
clone de única célula que se multiplica e vai
acumulando mutações, até adquirir malignidade.
Assim, para formar o clone maligno, a célula pré-
cancerosa tem que, alem de outros obstáculos,
vencer seu programa apoptótico.
Fisiopatologia do Câncer
 O câncer se inicia
quando uma célula
anormal é
transformada por
mutação genética do
DNA celular,
ocorrendo assim à
replicação e a
proliferação de modo
anormal.
Fisiopatologia do Câncer
 Com características
invasivas as células têm
alterações em tecidos
circunvizinhos, tendo,
acesso aos vasos
linfáticos e sanguíneos
se disseminando para
outras áreas do
organismo o que
desencadeia a
metástase.
Metástase
Fisiopatologia do Câncer
 As células alteradas são
denominadas neoplásicas,
apresentam crescimento
acelerado e
descontrolado, formando
uma protuberância (uma
massa tecidual), sendo
denominada neoplasia.
Um conjunto de células
neoplásicas é conhecido
por tumor, porém a
literatura substitui este
termo por câncer
Proliferação
 O processo de divisão e reprodução celular é
denominado proliferação. Nas células cancerosas
essa divisão e reprodução ocorrem de modo
acelerado e desordenado. Entretanto as células
malignas e benignas diferem em muitos aspectos
específicos de crescimento celular como: método e
velocidade de crescimento, metástase ou
disseminação, efeitos gerais, destruição celular e a
capacidade de ocasionar a morte.
Oncogênese
 Os oncogêneses são denominados genes que
causam o câncer e são derivados dos proto
oncogenes que provocam o crescimento e
diferenciações normais das células, que promove a
indução do tumor.
Angiogênese
 O termo angiogênese refere-se à formação de
novos vasos sanguíneos, sendo assim, o aumento da
vascularização faz com que ocorra o crescimento
do tumor e aumenta o risco de sofrer metástase.
 No caso de ausência de angiogênese o tumor não
poderá ultrapassar de 1 a 2 mm de diâmetro, pois
é necessário para o seu crescimento a
vascularização.
Angiogênese
Células Benignas
 Bem diferenciadas, semelhantes às células normais
do tecido onde se originou o tumor. As células
benignas são determinadas pelo fator de
crescimento lento e progressivo que podem manter-
se e regredir, por sua expansão, presença de
cápsula fibrosa bem definida que são derivadas
do estroma do tecido nativo em conseqüência da
atrofia das células parenquimatosas, devido a
pressão sob o tumor em expansão, que não
invadem os tecidos circunvizinhos e nem sofrem
metástase.
Células Benignas
 Geralmente os tumores benignos não sofrem
mudanças degenerativas, como as células malignas
e não causam a morte a menos que interferem nas
funções vitais dependendo da sua localização.
Porém pode causam alterações nas funções das
estruturas adjacentes, devido à pressão exercida
sobre os tecidos, vasos sanguíneos a necrose.
Células Malignas
 As células malignas têm um crescimento rápido
devido a sua anaplasia; promovem um processo de
infiltração e destroem os tecidos vizinhos, diferentes
das células benignas, são bem indiferentes e sofrem
metástase para outros locais. Também podem
causar isquemia e necrose tissular.
Alterações da célula cancerosa
 O grau de diferenciação aumenta a malignidade,
dificultando a identificação do tecido de origem.
As principais características das
células malignas são:
 Sua velocidade é variável, depende do nível de
diferenciação, quanto mais anaplásico, mais rápido é o
crescimento.
 Gera efeitos generalizados como: anemia, astenia.
 Provoca lesões teciduais extensas à medida que o tumor
supera seu suprimento sanguíneo.
 Pode provocar a morte, a menos, que o crescimento seja
controlado.
 As células malignas promovem a Angiogênese (neoformação
vascular), através da secreção de moléculas que estimulam o
crescimento de vasos sanguíneos capilares.
FIM...