Você está na página 1de 160
COLECAO SABER ELETRONICA ‘CIRCUITOS & INFORMACOE ave)e PME NEWTON C. BRAGA [micro TRANSMISSOR DE FM. + tem un aleance de aproximadamente 50m e care Stone um alto-falante comuum de 8 ohms X Bem. ter ipo sada para transistores com wer tre 200 « 7000 chins, L1 tem 3 espiras de fie 26 AWG em form Sem ndeleo, O capacitor Cy é um trimer coma NEWTON C. BRAGA COLECAO SABER ELETRONICA CIRCUITOS & INFORMACOES VOLUME | Editora Saber Ltda. Rua Jacinto José de Arau, oe ee Tatuapé Sao Paulo Copyright by EDITORA SABER LTDA. 1 Edigao — Maio/85 2? Edigao — Maio/86 3* Edigao — Abril/87 4? Edigao — Abril/88 5? Edigao — Outubro/89 6# Edig&o — Agosto/91 Todos os direitos reservados. Proibida a reproducao total ou parcial, por qualquer meio ou processo, especialmente por sistemas grafi- cos, microfilmicos, fotograficos, reprogréficos, fonograficos, video- graficos, atualmente existentes ou que venham a ser inventados. Vedada a memorizacao e/ou a recuperacao total ou parcial em qualquer parte da obra em qualquer programa juscibernético atual- mente em uso ou que venha a ser desenvolvido ou implantado no futuro. Essas proibigdes aplicam-se também as caracteristicas gré- flicas da obra e a sua editorago. A violagéo dos direitos autorais é punivel como crime (art. 184 e paragrafos, do Cédigo Penal, cf. Lei n° 6.895 de 17/12/80) com pena de prisdo e multa, conjuntamente com busca e apreensao e indenizacées diversas (artigo 122, 123, 124, 126, da Lei n° 5.988, de 14/12/73, Lei dos Direitos Autorais) APRESENTACAO No projeto, repara¢éo ou montagem de qualquer aparelho eletrdnico, so necessarios conhecimentos e informagGes de diversos tipos, que nem sempre sdo disponiveis facil e imediatamente, Do mesmo modo, os que trabalham com a eletrdnica ou a tem como hobby, precisam de sugestSes constantes sobre confi- guragGes, circuitos e projetos j4 desenvolvidos, para a elaboracao de seus préprios projetos com mais seguranga e facilidade. Ter em mios todas as informacOes para a elaboracao de projetos ou todos os circuitos basicos, é um problema de dimensdes s6 avaliadas por quem jétentou soluciona-lo. A Editora Saber, visando sua entrada no setor de publicacdes técnicas didéti- cas, comeca justamente com um trabalho que, pela nossa longa experiéncia no contacto com os leitores da Revista Saber Eletrénica, julgamos faltar: um Verda- deiro manual (de consulta permanente), com circuitos e informagdes que sao absolutamente necessdrios a todos que praticam eletronica conscientemente. E claro que n3o podemos nos vangloriar de ter colocado neste livro todas as informagGes que existem. Na verdade, nado podemos ter esta pretensdo, pois elas seriam infinitas e o espaco disponivel nao daria para tal, No entanto, como esta- mos constantemente, pela natureza de nosso trabalho, reunindo circuitos e infor- macées, na data da saida deste primeiro volume, o segundo ja estaré pronto, com novos Circuitos e informacGes, e assim por diante, na busca de tudo que possa ser Util aos leitores que praticam eletronica. O contetdo deste trabalho visa os praticantes de eletronica de todos os niveis. Acreditamos que os estudantes terao seu aproveitamento maximo, com uma gran- de quantidade de circuitos férmulas, fatos e informagdes que néo conhecem; mas os técnicos avancados e engenheiros néo poderdo dizer que nao o aprovei- tarao. Neste trabalho, estes poderao encontrar aquele dado importante sobre um componente, um circuito ou um célculo que sua memoria pode se negar a forne- cer no momento exato que eles mais precisarem. Os circuitos sao do tipo basico, comprovados pela prépria experimentacao ou pela sua consagragao, na sua maioria montados pelo proprio autor ao longo de sua experiéncia no projeto e publicagdo de artigos técnicos. Sao circuitos que podem ser usados independentemente, ou como parte de projetos mais comple- xos. Partindo das idéias basicas destes circuitos, os leitores poderdo ter uma eco- nomia de tempo considerével na busca de uma configuracdo que atenda suas necessidades. Sao 150 circuitos selecionados, neste primeiro volume, com as mais diversas caracteristicas e finalidades. As informagGes sao divididas em quatro categorias. Em primeiro lugar temos informagdes sobre as caracteristicas dos compo- nentes mais comuns no nosso mercado. Sao diodos, transistores e circuitos inte- grados de diversos fabricantes. Sao dadas caracter/sticas como os limites opera- cionais, pinagem, equivaléncias, enfim o basico para a elaboraco de um proje- to ou 2 busca de um equivalente. Em segundo lugar temos tabelas e codigos. Sao tabelas sobre caracterfsticas de circuitos, relacdes entre grandezas usadas em eletronica, conversdes de unidades, todas de grande utilidade na elaboracao de projetos ou quando se deseja encon- trar um valor fixo para um calculo. Os cédigos referem-se a leitura de valores de componentes, muito importante para os iniciantes, estudantes e técnicos. Temos em terceiro lugar as formulas, absolutamente necessdrias aos estudan- tes que precisam de seu conhecimento imediato, principalmente nas vésperas de provas ou para a elaboracao de trabalhos, ou que desejam fazer seus projetos e precisam de valores néo dados nos diagramas basicos. Neste primeiro volume comecamos com uma sequéncia das formulas mais usadas e, na maioria das ve- zes, acompanhadas de exemplos de aplicacao. Finalmente, temos informacGes diversas, tais como curvas t{picas de compo- nentes, curvas especiais de radiacSes diversas, comprimentos de onda e frequén- cias das faixas de telecomunicagdes, macetes para a utilizag¢o de componentes, técnicas para testes e reparacao, simbologia, pontes de medida, filtros, caracteris- ticas de circuitos digitais, multiplicadores de tensdo, etc. Enfim, a finalidade deste livro é ser uma fonte permanente de consulta, um trabalho que acreditamos sera compensado pela facilidade que levaré 2 todos que praticam eletrdnica. E, a nossa maior satisfagéo serd encontrar este livro na bancada de cada estudante, técnico ou engenheiro, ajudando-o da forma mais completa possivel, pois isso significaré que nosso objetivo foi atingido. E, se as informacdes que o leitor espera ainda n3o foram encontradas neste primeiro volume, nao foi falha nossa, pois, como dissémos, nosso trabalho conti- nua na sua reuniao, e elas certamente estaro presentes no segundo ou num ter- ceiro volume. Newton C. Braga Maio — 1985 Circuitos ncionador seletivo (BC548) Alatmes com SCRs (MCR106/TIC106) Alarme integrado de luz (741) Alarme de temperatura (SCR/BC548) Alarme de umidade (SCR/BC548) Alarme de baixa corrente - 60 uA (SCR/BC548) Alarme com 0 741 Alarme de umidade (741) Ampliticador TBA82OL (2,2W) Amplificador de SW (BD135/BD136) Amplificador AM-FM (BF494) Amplificador de 3V (BC548) Amplificador 741 (1-100 ganho) Amplificador TBAB 10S Biestavel como 741 Biestavel 741 - sem fonte simétrica Casador de impedancias (BC548) Contador até 99 (7490) Contador até 10 com 0 4017 Conversor de 12V para 6V ou 9V (2N3055) Conversor tensao/frequéncia (2N2646) Conversor analégico-digital (2N2646) Controle seqencial por relé (4017) Cronémetro neon Detetor de umidade (SCR) Detetor de prioridade (MCR106) Detetor de mentiras (BC548) Dimmer com SCR Dimmer com Triac Disparo de SCRs por CMOS Duas poténcias com Triac Eletroscépio (MPF 102) Eliminador de pilhas (BD/TIP) Estabilizador paralelo (2N3055) Etapa de dudio simples (|) (TIP/2N3055) Etapa de audio simples (|!) (BC548) Etapa de 2 transistores (75 dB) Etapa de 2 transistores (2M) Etapa FET (2N3819) Filtro contra interferéncias Fonte de 12V x 2A (2N3055) Fonte de M.A.T. (MCR106) Fonte sem transformador Fonte de 1000V (BD 135) Foto oscilador | (2N2646) Foto multivibrador (BC548) Foto oscilador ll (8C548/BC558) Fotémetro simples (LDR) Gerador de rufdo branco (BC548) INDICE 61 23 58 114 115 116 152 183, 26 38 52 67 132 139 135 136 125 gg Gerador de barras para TV (BF494) Gerador de tons para rédio controle (BC548) Nluminacao de emergéncia Interruptor de toque | (MCR 106) Interruptor crepuscular (MCR106) Interruptor de toque Il (MCR 106) interrupter temporizado (MCR106) Interruptor noturno (MCR106) Interruptor de onda completa com SCR Interruptor SCR (liga/desliga) Interruptor SCR (somente liga) Inversor de pequena poténcia Jogo da velocidade (SCR) Lampada magica (MCR106) Leds em CA Leds ritmicos (MCR106/TIC106) Limitador de ruldos para tones Luz ritmica (MCR106) Luz rlimica de 12V (2N3055) Luz estroboscépica (xenénio) Medidor de intensidade de campo Metrénomo (BC557) Micro transmissor de FM (BF494) Micro radio Micro amplificador (BC548) Mini buzzer (2N2646) Mini temporizador (MCR106) Mixer-mic (741) Miébile ritmico (MCR 106) Monoestével (C548) Multivibrador em audio (BC548) Nervo teste com choque Orgao eletrGnico simples (2N2646) Oscilador multi-usos (BC547/BC548) Oscilador UJT (2N2646) Oscilador duplo T (BC548) Oscilador de relaxacao com 741 Oscilador de relaxagao com SCR Oscilador de éudio (BC548/BC558) Oscilador RF (BF494) Oscilador 1 KHz (BC548) Oscilador 600 kHz (BF 494) Oscilador TTL de dudio Oscifador de relaxagdo modulado (2N2646) Oscilador disparado (7400) Oscilador ultra-s6nico (BC548) Oscilador 1 kHz (741) Oscilador 500 Hz - 5 kHz (741) Oscilador para praticar telegrafia (741) Oscilador de poténcia (741/8D135/6) 102 104 83 10 10 16 21 68 118 119 120 24 32 129 74 127 187 22 29 60 11 45 56 84 29 73 126 148 40 122 76 27 41 63 65 69 7 62 96 112 123 130 133 134 137 138 Oscilador dente de serra (2N2646) Oscilador sensivel a luz (741) Pequeno inversor (2N3055) Pisca-pisca/Seméforo (BC548) Pisca-pisce (7400) Pisca-pisca simples (BC548/BC558) Pisca-pisca de poténcia (2N3055) Pisca-led (2N2646) Pisca-neon Pirégrafo (TIC226) Ponte de capacitancias Pré para microfone dinaémico (BC548) Protecdo para fontes (SCR) Pulsador fluorescente (MCR106) Pulsador de poténcia (MCR 106) Pulsador com SCR (MCR106) Radio de 3 transistores (BC548/BD 135) Radio sensivel com 3 transistores (8548) Receptor de radio controle (BF/8C) Reed switch em controle de poténcia (MCR 106) Reforcador de sinais (BF494) Relaxacdo com dois transistores (8C548/BC558) Relé eletrénico (BC548) Relé de luz (8C548) Relé driver (1 transistor - ganho 100) Relé driver (2 transistores) Reostato (2N3055) Sensivel interruptor de toque (SCR) Seqdenciador para 6 ou 12V (MCR106) Simples estroboscépio (MCR106) Simples detetor de mentiras (BC548) Simples etapa amplificadora (BC548) Sintonizador AM (BC548) Sirene simples (1 tom) (BC548/2N3055) Sirene de dois tons (555) Sirene 7400 Sismégrafo (MCR 108) ‘Som remoto Temporizador (2N2646) Termémetro eletrénico (BC548) Timer 10 minutos (2N2646) Timer 1 hora (BC548/MCR106) Transmissor para radio controle (BF494) Transmissor de radio controle (BF 494) Transmissor de FM com eletreto (BF494) Transmissor de radio controle modulado (6C/BF) Transmissor AM (BC548) Transmissor de ondas curtas (BF494) Triac + UJT = controle de poténcia TV oscilador (BF494) VU de leds (BD135/8C548) Formulas Alfa x Beta 150 151 87 12 54 66 106 108 109 105, 156 33 34 128 142 14 31 77 39 158 94 Bt 44 146 147 155 70 64 18 154 143 1 9 49 97 86 124 62 103 143 441 35 40 $9 75 90 107 17 88 55 116 Associagao de pilhas Auto inducdo de uma bobina (ndcleo de ar) Célculo de protecao de fontes Calculo de tempo para o unijuncao. Capacitores em paralelo e em série Circuito RLC paralelo Circuito RC paralelo Circuito RC série Comprimento de onda x freqdéncia Conversao de temperaturas Decibels Efeito Joule (dissipagao de poténcia em forma de calor) Filtro passa baixas Filtro acionador seletivo Filtros passa baixas e passa altas FreqUéncia do multivibrador astavel FreqUéncia de um circuito LC paralelo Frequiéncia do oscilador unijungo Freqéncia x periodo Freqiéncia do duplo T Freqiiéncia do astavel 555 Fungdes trigonomeétricas (mpedéncias (RL e RC) Indutancias pequenas Lei de Ohm Lei de Coulomb Oscilador de relaxagao (neon) Ponte de Wheatstone Ponte de Wien Resistores em paralelo e em série Resisténcia de um condutor homogéneo de secgdo constante RLC - impedancias e defasagens (|) ALC - impedancias e defasagens (|) Reatancias indutiva e capacitiva Componentes 741 - amplificador operacional 4001 ou CD4001 7400 7402 7404 7410 7420 7430 7442 7486" 7490 1N4001 2 1N4007 1N4148 e 1N914 1N5411 © 40583 - Diacs 1N43, 1N34, 1N34A etc. - diodos 2N2646 2N3055 288370 - 250170 4017 ou CD4017 151 113, 33 16 140 141 142 95 70 127 7 61 117 13 46 49 120 107 106 98 15 27 87 123 s7 9g 55 96 102 108 109 110 115 1 105 150 25 28 148 78 AA119 - AAZ18 - diodos de germanio BAZI6, BA219 etc. C547, BCS48, 5C546, BC549, BCSSO C327 - BC328 BC337 - BC338 D135, BD137, BD139, TIP29 BD138, BD140, BD136 BD331 80332 BD433 BD434 BF245 - BF410 - Fets de canal N BF494 BZX79 - diodo zener MPF 102 MCR106 TP31 TIC106 TIP30 TIC226 TIP41 TIP42 TBA810 TBAS20 NTC (B8 320, TD11, TD6, TDS) Pré-amplificadores integrados Tabelas e Cédigos Canais de TV e suas frequéncias Capacitores de poliéster metalizado Circuitos iégicos ‘Cédigo Morse Cédigo europeu de semicondutores Cédigo SINFO Comprimento maximo de fios (som) ‘Constantes de tempo RC Conversdo de capacitancias e de correntes Conversdo bindrio x decimal Corrente de fusdo de fios Constantes dielétricas Corrente maxima num resistor para 50% de sua dissipagdo Correntes de motores elétricos Equivaléncia de integrados (741, MC 1310, LM104) Freqiéncias de radioditusao e TV Leitura de capacitores ceramices Nomes de faixas de radiocomunicagdes Poténcias de 10 - prefixos Ponto de fusdo de ligas, metais outras substancias Resistores (cédigo de cores) Resistividade de alguns materiais Rigidez dielétrica em kV/cm 41 103 31 69 24 65 133 134 135 136 149 35 72 30 39 92 125 126 139 147 4 132 51 71 138 145 24 8 a 146 126 112 47 37 19 Reatancias capacitivas x frequéncias ‘Série galvanica Som - freqdéncias e comprimentos de onda Série tribo-elétrica Tabela de resistividade Unidades e abreviaturas Unidades usadas em fotometria e radiometria Valores padrdo de resistores Velocidade do som em alguns materiais Velocidade do som em liquidos Alfabeto fonético internacional Antenas de rddio Caracteristicas do seguidor de tenséo Caracteristicas das subfamflias TTL Caracteristicas dos operacionais {termos) Circuitos retificadores Constantes fisicas Curva caracteristica do diodo zener Curva tipica de impedancia de um alto-talante Dobradores e triplicadores de tensao Efeitos fisiol6gicos da corrente elética Especificaces e freqdéncias das subfamilias TTL Espectro de algumas fontes emissoras Espectro de |Ampadas de carvao Faixa de audio Fonte simplesionte simétrica para AO Freqdéncias de radio controle Mono-estével 555 Multiplicador de tensao Medidas de corrente e tensdo em resistores Padrdo de irradiag&o de um ‘tansmissor RC Prova de diodos Prova de transformadores Prova de eletroifticos Prova de transistores (com multfmetro) Prova de fones Quadruplicadores de tensdo ‘Simbolos eletronicos (I) ‘Simbolos eletrénicos (I!) Terminais de um potenciémetro (ligagSes) Terminais de um relé (RU 101006/12) Termos ingleses para caracteristicas de pulsos Teste de zeners Tipos de capacitores Valores em sendides 33 69 121 144 28 42 101 129 130 50 58 59 118 153 74 12 122 chal 119 18 124 26 104 100 143 75 131 155 137 152 157 86 76 67 154 156 52 SIRENE SIMPLES (1 TOM). A tonalidade desta sirene 6 determinada por C1 e C2 que podem ter seus valores alterados. A poténcia de safda para 12V 6 da ordem de 2W com alto-fa- lante de 4 ohms. O transistor Q4 deve ser montado em dissipador e R5 deve ser aumentado se for notado excessivo aquecimento de Q3 ou 04. Um interruptor de pressdo pode ser usado entre o circuito e a fonte de ali- mentacao para que a sirene seja usada como buzina eletrdnica. Esta sirene serve também para alarmes. LiiTES: R<100Kx/} — {/3 00 TRANSISTOR USADO! REM OHMS: CEM FARADS Newton C. Braga 9 (inteRruptor CREPUSCULAR_______] O SCR dispara acendendo L1 quando a luz deixa de incidir no LDR. O re- sistor R4 pode ser necessario nos casos em que o SCR permanecer constante- mente ligado, como por exemplo com o TIC 106. Seu valor estara entre 470R e 1k. Se a la@mpada for de até 40W o SCR no precisara de dissipador, mas se sua poténcia for maior, este elemento deve ser usado, P1 serve para ajustar a sensibi- lidade do circuito. Lembramos que o controle da carga é em meia onda e que este circuito pode causar interferéncia em receptores de radio proximos. R2 or c106 0/220 300K 3N4002 IR106 CA TIC 106 SUPERFICIE SENSIVEL ISULFETO DE cADMIO} Lor INTERRUPTOR DE TOQUE C1 tem uma tensdo de trabalho de 250V se a rede for de 110V e de 350V se a rede for de 220V. S1 é um interruptor de presso que rearma 0 circuito. O resistor R2 deve ser usado nos circuitos em que o SCR tender ao disparo sozinho, como por exemplo o T!1C106. Seu valor estara entre 470R e 2k2. 10 Circuitos & Informacdes O elemento sensfvel pode ser uma vareta de metal de até 40cm ou entéo uma placa de metal de 20 X 20cm ou menor. O cabo de ligacéo do elemento sensfvel ao SCR deve ser curto. Para lampadas até 40W o SCR n@o precisa de dis- sipador. Para cargas maiores o SCR deve ser montado em dissipador. Se com o toque o circuito nao disparar, inverta a tomada. Dt ESaeehoen nov ou “E Benen ad ELEMENTO SENSIVEL Re 1N4001 A 1N4007 (010008) CORRENTE meia onda onda completa 0,6 1,25 0,6 1,25 0,6 1,25 0,6 1,25 0,6 1,25 0,6 1,25 0,6 1,25 Varn = tensdo inversa de pico maxima Veg = tensdo mdxima em circuito retificador de meia onda com carga capacitiva Newton C. Braga W ESTABILIZADOR PARALELO O transistor deve ser montado em dissipador de calor e 0 diodo zener deve ser de tipo para 400mW ou 1W. Outras tensdes de sada e de entrada podem ser obtidas com alteragdes nos valores dos componentes. os o+ oe ES ey ESTABILIZADO os 2 CURVA CARACTERISTICA D0 01000 ZENER VivoUTs) REGIAO DE OPERACAO. _PISCA PISCA / SEMAFORO____———_—d A frequéncia deste circuito é determinada pelos capacitores C1 e C2. Para uma operacao répida, como pisca-pisca, seus valores podem ficar entre 22uF e 220uF. Para operac3o lenta, como seméforo, os valores ficardo entre 470uF e 1 000uF. As lampadas sao do tipo Philips 7121D ou qualquer tipo de 6V X 50mA. 12 Circuitos & Informagées FREQUENCIA PARA C1 = C2 = 100uF — EXEMPLO DE CALCULO si ~ 1,38xRxC R1=R2=R =15 x 10° C1 =C2=C=100 x 10-° f= 1 1,38 x 15 x 10° x 100 x 10~° vo lace ailin se ee NS 2070 x 10 207 f = 0,48 Hz ou aproximadamente 1 piscada a cada 2 segundos FREQUENCIA DE UM CIRCUITO LC PARALELO 1 2nVLxe T=3,14 Lem Henries Cem Farads F em Hertz f= RADIO DE 3 TRANSISTORES Este radio tem excelente sensibilidade para as estagdes locais. A antena deve ter de 2 a 15m dependendo da poténcia das estagdes locais. R2 pode ser substitu{do por um potenciémetro de mesmo valor que atuaré como controle de volume. Para D1 pode ser usado qualquer diodo de uso geral de germanio ou mesmo silfcio. Q3 eventualmente precisaré de um pequeno dissipador de calor. Siem FIO 28AWG DETECTOR DE UMIDADE Este circuito dispara uma lampada ou cigarra quando gotas de 4gua umide- cem © sensor. Pode ser usado como detector de chuva, vazamentos, umidade, etc. R3 sera necessario para determinados SCRs que precisam de uma polari- zacdo que os mantenha na condicao de nao disparo. Seu valor situa-se entre 470R e 2k2 para os SCRs do tipo TIC106. Os outros SCRs nao precisam deste elemento, P1 é 0 ajuste de sensibilidade. Para rearmar o circuito deve-se retirar 0 sensor e substitul-lo por um seco. 14 Circuitos & Informecdes Newton C. Braga SENSOR RESISTORES EM PARALELO ar RESISTORES EM SERIE RI Re Ea CIGARRA INTERRUPTOR DE TOQUE () Um toque no elemento sensivel e o SCX dispara acionando uma l4mpada ou buzzer de baixa tensdo. O circuito pode ser alimentado com 6 ou 9V devendo L1 ou o buzzer ter a tenséo correspondente com 2V a menos de queda no SCR. O sensor é uma vareta de metal de 20cm ou uma placa de 20 X 20cm de metal, ligada por fio de ndo mais de 1m ao SCR. R2 cujo valor estara entre 470R e 2k2 deverd ser usado com SCRs do tipo TIC106 ou quando sem toque o mesmo ficar permanentemente ligado. S1 rearma 0 circuito. 1Na148 ne +o 6 ous | SENSOR CAPACITORES EM SERIE cr ce c si - 4 1 c aes ci ca CAPACITORES EM PARALELO C1 i —+ = 4 c=ci+c2 16 Circuitos & Informacées (Fittro CONTRA INTERFERENCIAS_______] A comutacao répida de SCRs e triacs em aparelhos eletrdnicos causa inter- feréncias em radios e TV. Com este filtro a interferéncia que se propaga pela rede de alimentacdo pode ser reduzida. O fio de L1 e L2 deve ter espessura compati- vel com a corrente do aparelho interferido ou interferente. 10cm 100nF 100nF 40 A 60 VOLTAS DE FIO 16 OU 18 AWG APARELHO h ANTERFERIDO nor220v Se Fis RO a0 INTERFERENTE FILTRO PASSA-BAIXAS (FORMULA) L nat eh, fe= AVC T= 3)4 i. EM Ee FREQUENCIA DE CORTE INFERIOR = 0 © EM FARAD fo= FREQUENCIA SUPERIOR DE CORTE (Hz) Newton C. Braga 7 [simpces ESTROBOSCOPIOL_____————_—d Piscadas lentas, de uma em cada 10 ou 15 segundos até algumas por segun- do, podem ser conseguidas com este circuito, R3 pode eventualmente ser reduzi- do se o SCR negar-se a disparar. E, para os tipos como o TIC 106 que precisam de polarizacéo adicional, deve-se usar para R4 um resistor entre 470R e 2k2, Para cargas até 40W o SCR no precisaré de dissipador. Para mais, um bom dissipador deve ser empregado. P1 ajusta a velocidade das piscadas. ut ATE 400w SCR 1 NERI06 1Nao02 C106 >! TICIO6 Sp s ESPECTRO DE ALGUMAS FONTES EMISSORAS LAMPADA NEON LEO (Boas) LAMPADA INCANOESCENTE 2500° K = Luz 00 SOL. = 2 s z 06 0.8 COMPRIMENTO DE ONDA (yp) 18 Circuitos & Informacées DIMMER COM SCR Com este circuito controla-se o brilho de uma lampada de 0 até aproxima- damente 50% do maximo (meia onda). R2 deve ser usado com o TIC106 se a lampada permanecer acesa ‘‘direto’’. Para poténcias até 40W o SCR néo precisaré de dissipador. Um filtro deve ser intercalado entre o circuito e a rede se houver interferéncias em radios e TV. nos 220v CA RESISTORES (CODIGO DE CORES) Cor 1° anel 2° anel 3° anel 4° anel Preto - 0 x1 a Marrom 1 1 x10 1% Vermelho 2 2 x 100 2% Laranja 3 3 x 1000 3% Amarelo 4 4 x 10000 4% Verde 5 5 x 100 000 = Azul 6 6 x 1000 000 = Violeta 7 7 = = Cinza 8 8 7 = Branco 9 9 = = Prata = = x0,01 10% Ouro = — x01 5% — a ee 19 Lb immer COM Brn cae Este controle opera em onda completa suportando cargas que dependem dos triacs usados. Para os tipos indicados até 400W em lampadas podem ser con- trolados. Os triacs devem ser montados em dissipadores de calor. L1 consiste em aproximadamente 40 voltas de fio 16 ou 18 num basto de ferrite de 1cm de diametro. u Mov ou 220V CA TBI 40431(710V) 40432 (220v) TIC216 TERMINAIS DE UM POTENCIOMETRO (LIGAGOES) DIMINUI & AUMENTA A RESISTENCIA AO RESISTENCIA AO GIRAR NESTE GIRAR NESTE SENTIOO y SENTIOO Y 20 Circuitos & Informacées ==aay NTERRUPTOR TEMPOR | A lampada L1 permaneceré acesa por um intervalo de tempo fixado por Ri e C1. O capacitor C1 deve ter uma tensdo de trabalho de 250V ou mais para a rede de 110V e de 350V ou mais para a rede de 220V. R2 seré necessdrio no caso dos SCRs do tipo TIC106, ficando seu valor entre 1k e 22k. O SCR deve ser dotado de dissipador de calor se L1 for de mais de 40W. novou S SCR 220VC.A. = MCRIO6 C106 TICIO6 CONSTANTES DE TEMPO RC TEMPO CAPACITANCIA (MICROFARADS) (SEGUNDOS) 7 ; 03 04 0,1 333k 250k 0,2 666k 500k 05 : , 1,67M 1,25M 10 3,33M 2,50M 15 K 5,0M 3,75M 20 6,66M 5,0M 30 10M 7,5M EX.: para obter uma constante de tempo de 3 segundos com um capacitor de 0,2 uF ou 200 nF precisamos de um resistor de 15M. Nowtan © Rrana 21 LUZ RITMICA. A lampada L1 piscara no ritmo da musica de um sistema de som. O cir- cuito tem sua entrada ligada as safdas do aparelho de som. R1 depende da potén- cia do aparelho de som segundo a tabela: até 10W — 47R X 1W de10a30W -— 100R X 1W de 30W a50W — 220R X 1W de 50W 2100W— 470R X 1W maisde 100W — 1k X 1/2W R3 deve ser usado no caso dos SCRs TIC106. T1 é um transformador de saida para radios a vdlvula, O SCR deve ser montado em dissipador de calor para poténcias acima de 40W. ej ATE 400W Ri 47R AIK | TT TICI06 R2 of} 47K — Naoo2 | R3 ud EFEITO JOULE {DISSIPACAO DE POTENCIA EM FORMA DE CALOR) P = poténcia dissipada (Watts) R =resisténcia (Ohms) V = tensdo (Voits) | = corrente (Ampéres) 22 Circuitos & Informacées ALARMES COM SCRs O primeiro circuito dispara um relé quando qualquer um dos elementos sensores (fios finos) é interrompido. O segundo circuito dispara quando os inter- ruptores sao fechados. O relé deve ser de acordo com a tensa0 de alimentacao que ficaré entre 9 e 12V. Para o segundo circuito pode ser necessdrio um resistor de 1k entre a comporta e o catodo do SCR para manté-lo desligado na posicao de espera. + 1N4148 TICIO€ MCRIO6 106 TIci06 TERMINAIS (RELE) SCHRACK RUI01 006 — 6V RUIO1 O12 — 12V Newton C. Braga 23 [inversor DE PEQUENA POTENCIA_____] Este circuito fornece uma alta tensdo entre 200 e 400V (dependendo das caracteristicas do transformador e do ajuste de P1) sob regime de muito baixa corrente (baixa poténcia total). A alimentacao pode ser feita com pilhas sob tensSo de 3 ou 6V. O rendimento do circuito é ajustado em P1. BD135 — BD137 — BD139 NPN-SOT32 DRIVER, SAIDA DE AUDIO, TV BD135 | BD137 | BD139 | Vena ee 45 60 100 Volts Veco ie: 45 60 80 Volts PrOT max 8 8 8 Watts hee 40 40 40 min 250 160 160 max lo max 1 1 1 Ampére : TIP29 === NPN - SILICIO AMPLIFICACAO DE POTENCIA, COMUTAC AO | TIP29 | TIP29A | TIP29B | TIP29C Veo méx 40 60 80 100 Volts VcEO max 40 60 80 100 Volts Pro max 30 30 30 30 Watts hee 15 15 15 15 | min 75 75 75 75 max 'o max Ampére 24 Circuitos & Informacdes FOTO-OSCILADOR (1) A tonalidade do som emitido por este oscilador depende da quantidade de luz incidente no LDR e do valor de capacitor C1 que pode estar entre 33nF e 220nF. A alimentagao do circuito é de 6 a 9V. Em lugar de R1 pode ser usado urn potencidmetro de 100k para ajuste de funcionamento. INVOLUCRO. £ to-18 Tensdo inversa de emissor (max) . 5 a - WV 35V Corrente de pico de emissor (max) ... . 5 e », 2 Corrente eficaz de emissor (max) . . . : - 50mA Dissipagdo méxima 300 mW n (relagao intrinseca) 0,56 a 0,75 Reg (resisténcia entre bases) . 4,72 91kQ Newton C. Braga 25 CL AmPLiFicabor TBA820L (ATE 22W)______] Este amplificador, dependendo da tensdo de alimentacdo, pode fornecer poténcias entre 300mW e 2,2W. A alimentagao pode ficar entre 4,5V e 12V sendo as poténcias dadas pela tabela: 12V — 2,2W 9V — 1,3W 6V — 580mW 4,5V — 300mW [D teaszo 4 cy roonF ENTRADA It ~ Pr 100K FAIXA DE AUDIO GRAVES MEDIOS AGUDOS 26 Circuitos & Informacdes OSCILADOR MULTI-USOS. Este oscilador produz um sinal de boa poténcia para excitar um alto-falan- te. Sua operacdo na faixa de audio tem a frequéncia ajustada por P1 e na depen- déncia de C2. A alimentacao deve ser feita com tensdes entre 3 e 6V e o transfor- mador € de safda para transistores com impedancia de primério entre 200 e 1000 ohms. RESISTENCIA DE UM CONDUTOR HOMOGENEO DE SECCAO CONSTANTE < samr2an R =resisténcia total (Ohms) 2 = comprimento (m) rt =raio (mm) D =diametro (mm) S = secco transversal (mm?) p = resistividade g Riese Newtan C Rrana 27 to | TABELA DE p Aluminio 0,029 Antim6nio 0,417 Bronze ... 0,067 Chumbo . . 0,22 Cobre puro 5 0,162 Constantan .. . : : F : ‘ 5 z 5 0,5 Estanho ..... i$ F Z 2 E 5 0,115 Grafite ... 13 Ferro puro 5 a : 4 _ a 0,096 Latior: “BG. bri: eee P - 5 - r 0,067 Merciirio . 2. 2.5 ee S E 6 Ee 3 E 0,96 NichomOws ..heaie eels cede F 5 ri z . 5 Ag Niquel 0,087 Ouro 0,024 Prata 0,0158 Tungsténio 2N3055 NPN DE SILICIO DE ALTA POTENCIA EMISSOR COLETOR To-3 Base VISTO POR BAIXO hee : 28 Circuitos & Informagdes (Oe TaPA DE AupIO SiMpLes___————d (1) Esta etapa de dudio pode fornecer poténcias de algumes dezenas de mili- watts com 3V de alimentacao, até 1 ou 2W com alimentacdo de 12V. Para ten- sGes até 6V podem ser usados para Q2 transistores de média poténcia, como o TIP29 ou BD135, Para tensGes de 9 ou 12V transistores mais potentes com dis- sipador, como o TIP31 ou 2N3055, devem ser usados. O+3aAI2v ENTRADA (3) VER TEXTO MINI-BUZZER, Este circuito pode ser usado como alarme experimental de baixa poténcia ou como um “espanta mosquitos”. A frequéncia é ajustada em P1 e a cdpsula ex- citada pode ser um fone ou microfone de cristal. C1 determina a frequéncia média de operacao. FONE OU CAPSULA DE CRISTAL LUZ RITMICA DE 12V Este circuito pode ser usado no carro com lampadas de até um total de 2A, C1 tem valores entre 100pF e 22nF e determina a resposta do circuito em fun- co de graves e agudos. R1 é de 47 ohms para poténcias até 10W, de 100 ohms para poténcias até 25W e de 220 ohms para poténcias maiores. P1 faz o ajuste de sensibilidade do circuito. Q2 deve ser montado num bom dissipador de calor. Newton C. Braga 23 as ARE f = frequéncia (Hz) R = resisténcia (Ohms) C = capacitancia (Farads) f (independe de Vgg)* * Uma variacdo de Vag de 10% causa uma variagdo de 1% em f INVGLUCRO TIP31 To-66 | TIP31 | TIP31A | TIP31B TIP31C 30 Circuitos & InformacSes RADIO SENSIVEL DE 3 TRANSISTORES Este radio capta as estacdes locais sem a necessidade de antena externa. O fone deve ser de cristal e P1 funciona como controle de volume. A bobina con- siste em 70 voltas de fio esmaltado 28 AWG a partir de (1), uma tomada (2) e mais 20 voltas de fio até o ponto (3). O bastdo deve ter pelo menos 12cm de comprimento e 1cmde diaémetro. O varidvel 6 do tipo comum para ondas médias. C2 —_ 100pF c € NPN-USO GERAL Voces max VcEO max ‘om (pico) Prot fr hee Newton C. Braga nu JOGO DA VELOCIDADE Quem é 0 mais répido? Este circuito utiliza lampadas de 6V X 50mA para detectar a velocidade de acionamento de S1 ou S2. Para alguns SCRs, como TIC106, pode ser necessdrio o uso de R3 e R4 que tero valores em torno de 1k. $1 e S2 so interruptores de pressdo e S3 é um interruptor simples. = MCR106 SCR DE USO GERAL mE i Ig — corrente de disparo 1,4 — corrente de manutengdo CAG MCR106-1 | MCR106-2 | MCR106-3 | MCR106-4 | MCR106-6 VrrRM 30 60 100 200 400 |v ‘7 (RMS) 4 4 4 4 4 la Igt max | 500 500 500 500 500 | yA ly 5 5 5 5 5 | ma 32 Circuitos & Informacées [_____ protecdo bE Fontes_____———_d Quando a corrente de carga ultrapassa certo valor o relé desliga a fonte e ao mesmo tempo acende a lampada L1 de alerta. Para rearmar basta pressionar $1. Orelé deve ter bobina de acordo com a tensdo da fonte e R1 é fixado pela corrente de disparo segundo a seguinte tabela de valores aproximados: 100mA — 6,8 ohms 200mA — 3,3 ohms 300mA — 2,2 ohms 500mA — 1,3 ohms 1A — 0,68 ohms 2A — 0,33 ohms ENTRADA saiDA (UH) VER TEXTO. CALCULO DE R1 Vv. Ri=— ! V =0,6V — tensdo de disparo do SCR | = corrente de disparo Newton C. Braga 33 [ putsapor FLUORESCENTE___ A frequéncia das piscadas depende tanto dos valores de R1 e C1 como do ajuste de P1, Para SCRs como o TIC106 pode ser necessério o uso de R3 que ter4 valores entre 1k e 47k. T1 é um transformador de for¢a com primdrio de 220V e secundério de 6 — O — 6V e corrente entre 100 e 250mA. A lampada é de pequena poténcia, mas mesmo fluorescentes velhas de 15 a 60W devem funcionar neste circuito. 01 Ry INS00 2K2 A ‘4K7 (ow) 350V nos220v CA. C1 ce —4 + n 220 6 no 6 merio6 ° C106 Ly ae rites aue + Re phy a1 Tes ud V=RxI LE! DE OHM =F V = tenséo (Volts) R = resisténcia (Ohms) | = corrente (Ampéres) say cincuto macico Cy) DR LE! OE OKM Circuitos & Informacées [ TRANsmissor PARA RADIO CONTROLE______] Este circuito modulado em tom opera em torno de 27MHz. L1 consta de 7 espiras de fio 24AWG em forma de 1cm de didmetro sem nucleo. Cv é um trimer comum. A frequéncia de modulacdo é determinada por C4 e C5 que podem ser comutados num sistema de diversos canais. O alcance é da ordem de 50m com uma antena telescépica de 50cm. o+ Sousv ce 1OOvF BF494 TRANSISTOR NPN DE SILICIO PARA RF cee Vego (méx) : - 30v Veo (max) ve 20V Ie eM a a ce eee eR IN 30mA ProT (méx) 500 mw HEE (tipico) .- 115 frifypechiae was - .. 260MHz Newton C. Braga 35 ( Etiminapor DE PiLHASSaa== O transformador tem um secundério de 6 + 6V para tenses de safda de 6V, 9 + 9V para tensdes de 9V e 12 + 12V para tensdes de 12V. O zener é de acordo com a tensSo desejada. O transistor deve ser montado num irradiador de calor. A corrente do transformador pode ficar entre 150mA e 500mA conforme o consumo do radio ou gravador alimentado. O+ 1 14002 B135 6 Tipas nov zv a) | 1000pF TIP3t 100pF CONVERSAO DE CAPACITANCIAS 1 mF = 1000nF = 1000 000pF 1 nF = 1000pF = 0,001nF 1 pF =0,001nF = 0,000001 uF CONVERSAO DE CORRENTES 1A = 1000mA = 1000 000nA 1ImA = 1000HA =0,001A 1yA = 0,001 mA = 0,000001A 36 Circuitos & Informagdes ETAPA DE AUDIO SIMPLES. (i) Este amplificador que fornece algumas dezenas de miliwatts pode ser use- do como etapa de dudio de radios experimentais de AM, FM e VHF, O transfor- mador T1 € do tipo safda para transistores com impedancia de primério entre 200 ohms e 1k. R2 determina 0 ganho da etapa impulsora, podendo variar entre 2k2 e 10k conforme a intensidade do sinal disponfvel na entrada, para que nao haja distorcao. cr 220nF ENTRADA POTENCIAS DE 10 — PREFIXOS VALOR PREFIXO SIMBOLO 1.000 000 000 000 Tera ar 1.000 000 000 Giga 1000000 Mega 1000 Quilo 100 Hecto 10 Deca 0,1 Deci 0,01 Centi 0,001 Mili 0,000001 Micro 0,000 000 001 Nano 0,000 000 000 001 Pico est gZgn0absrr20 Newton C. Braga 37 AMPLIFICADOR DE 5W Este amplificador pode servir para um sistema econdmico de alta fideli- dade. Um transformador de 12 + 12V X 500mA serviré para a fonte com uma retificagéo de onda completa. Os transistores de saida devem ser montados em dissipador de calor. A sensibilidade do amplificador para safda maxima é de 400mV e sua corrente de repouso é de 25mA. v ts }0OnF + RI 680K RS 10k O +18v 03 OMBwWK>=o 18 2,0 24 27 3,0 — 10% — 20% 10% 10% — 20% 10% 10% — 20% 10% — 10% — 20% — 10% — 10% — 20% — 10% — 10% — 20% = 10% 8 Circuitos & Informacdes ——= REED-SWITCH EM CONTROLE DE POTENCIA____] Os reed-switches suportam correntes de algumas centenas de miliampéres apenas. Com um SCR cargas maiores podem ser controladas. Para cargas de mais de 1A o SCR deve ser montado em dissipador, Para SCRs como o TIC106 um resistor de 1k deve ser ligado entre o catodo e a comporta. 1Na002 Cac SCR PARA USO GERAL TIC106Y | TICIO6F | TICIO6A | TIC106B | TIC106C carga resistiva em DC Newton C. Rraaa 39 [- TRaANsMissoR DE RADIO CONTROLE_____] Este transmissor sem modulacdo (portadora pura ou CW) tem alcance da ordem de 50m usando uma antena de 60cm de comprimento. L1 consta de 7 es- piras de fio 26 AWG com tomada central. Cv é um trimer comum onde se ajusta a frequéncia. O diametro da bobina é da ordem de 1cm e ela néo usa nucleo de ferrite. PBrisitizgg2 22 255322232553 ee ese 2 2 8 eS R Sp rreouinca aageggkstt2an foe See SS See we S62 5/8 8 8 S08 BS Pes Z § § 3g 8 — Z | con oa sanoeinore Bi okt | BB ipimnzeat Avantena ie geioone teres las =. ee f —H— 3 $ MULTIVIBRADOR EM AUDIO Este circuito pode ser usado em misica eletrdnica produzindo sinais de 220 ou 440Hz. Os transistores so comuns € 0 ajuste de frequéncia é feito tanto em fungdo de P1 como pela troca dos capacitores. A forma de onda se aproxima da retangular. 40 Circuitos & InformacSes DIODOS DE GERMANIO AAI19; 935 e AAZIB8} 180 20 Uso geral e comutagao 9A70 50 15 | Detetor de video OASS 50 90 Uso geral AAIIZ 25 60 Detetor AM/FM AAIIG 45 20 Detetor AM/FM AA117| 500 75 ‘Uso geral 1N34 18, 60 Uso geral 1N60 40 50 Uso geral = __OSCILADOR a a] Este oscilador de relaxacZo pode operar na faixa de frequéncia que vai dos 0,01Hz até perto de 10kHz, servindo para uma infinidade de aplicagGes praticas. Temos 3 formas de ondes disponiveis e os capacitores usados podem ter valores entre 10nF e 1000uF. Maior capacitor implicaré numa menor frequéncia de operacdo. Para a faixa de médios o capacitor C poderd ser de 47nF. Mawnan © Reana 41 6AISV RI Re BOX 560R Pr sz hy) 220k f = 2N2646 s3 =— sue — R3 100R UNIDADES E ABREVIATURAS Tensio: Volt — V Frequéncia: Hertz — Hz quilovolt — kV quilohertz — kHz milivolt — mV megahertz — MHz microvolt — nV Capacitancia: Farad — F Corrente: Ampére — A microfarad — FF miliampére — mA nanofarad — nF microampére — uA picofarad — pF Indutancia: henry — H Resisténcia: ohm — Q milihenry — mH quilohm — kQ microhenry — 2H megohm — MQ Poténcia: Watt — W miliwatt — mW microwatt — yW quilowatt — kW 42 Circuitos & Informacdes (SS Ss ONTE 12V x || Com esta fonte vocé pode alimentar radios e toca-fitas de carro. O tran- sistor Q1 deve ser montado num dissipador de calor. O transformador deve ter um enrolamento primédrio de acordo com a rede local e secundario de 12 + 12V com corrente de 2A. 1N4004 12+I2V 28 aN4004 10/220 CA BZX79 — DIODO ZENER DE 400 mW eae tensdo corrente mine tenséo | corrente (Vv) (mA) (Vv) (mA) BZX79 C4V7 47 10 BZX79 C20 20 BZx79 C5V1 5, 10 BZX79 C22 22 BZX79 C5V6 56 10 BZx79 C24 24 BZX79 C6V2 62 10 BZX79 C27 27 BZX79 C6V8 68 10 BZX73 C30 30 BZX79 C7V5 75 10 BZX79 C33 33 B2Xx79 C8V2 82 10 BZX79 C36 36 BZX79 C9V1 91 10 BZX79 C39 39 BZx79 C10 10 10 BZX79 C43 43 BZx79 C11 "1 5 BZX79 C47 47 BZX79 C12 12 5 BZX79 C51 51 BZx79 C13 13 5 BZX79 C56 56 BZX79 C15 15 5 BZX79 C62 62 BZX79 C16 16 5 BZX79 C68 68 BZX79 C18 18 5 BZX79 C75 75 Jn Simcksecrs ©) Hien RELE DE al Quando um feixe de luz incide no LDR o relé é acionado. A sensibilidade do circuito é ajustada em P1. Com a ligac&o, do LDR nos pontos A e B e do potencidmetro ao + da alimentacdo teremos a invers8o de fun¢&e do circuito com um alarme de corte de luz. Este circuito pode ser usado em alarmes e brin- quedos. o+ oS RUIOI006 MCZRCI 6v 0 - 1N914 — DIODO DE SILICIO DE USO GERAL Va ' FREQUENCIA X PERIODO f =FREQUENCIA (Hz) ___—_ T=PERIODO (s) 44 Circuitos & Informacées MICRO TRANSMISSOR DE FM Este transmissor tem um alcance de aproximadamente 50m e caracterize-se por usar como microfone um alto-falante comum de 8 ohms X 5cm. A antena tem 15cm e o transformador T1 € do tipo safda para transistores com impedan- cia entre 200 e 1000 ohms. L1 tem 3 espiras de fio 26 AWG em forma de icm, sem nucleo, O capacitor Cy é um trimer comum. FREQUENCIAS DE RADIODIFUSAO E TV Faixa de | Numero de Largura de frequéncias canais cada canal Radio AM 535-1 605MHz 107 10 kHz {ondas médias) Rédio FM 88-108MHz 100 200 kHz TV VHF 54-88MHz 6 MHz (canais baixos) 12 TV VHF 174-216MHz 6 MHz (canais altos) TV UHF 470-890MHz 6 MHz Newton C. Braga 45 [oscitapor DUPLO | Este oscilador produz um sinal senoidal cuja frequéncia depende dos valo- res dos componentes do duplo T. Estes componentes tem valores que devem manter a seguinte relagdo: C1 = C2 = C3/2e R1 = R2 = 2Rx. O trim-pot P1 faz 0 ajuste fino do ponto de oscilagao. Para os valores indicados a frequéncia estara em torno de 1kHz. Ra 5K6 6 SEE RV R2 100K 100K = 4 Ste Sn ni ni Bcs4a y atSt T I RS me 10K 1onF R3+PIZRx FREQUENCIA DO DUPLO T 1 ca {| +l c= £2 pizore ah }+—_ 106 1 fo= By E °= “g7rrace es 108 oe R2 27ERICT fo=FREQUENCIA EM Hz C1=C2=CAPACITANCIAS EM pF R RESISTENCIAS EM 7053.14 & Circuitos & informagdes [conversor 12V PARA6 OU 9V_____| Este circuito pode ser usado no carro com cargas de até 2A. O transistor Q1 deve ser montado em dissipador de calor e Vz é escolhido de acordo coma tensdo de saida desejada. Este zener pode ser de 400mW. Os eletroliticos tem uma tensao de trabalho de 15V ou mais. R1 é de 1/4W. NOME DAS FAIXAS DE RADIOCOMUNICACOES Faixa de Subdiviso métrica frequéncias correspondente 3-30kHz ondas miriamétricas 30-300kHz ondas quilométricas 300-3 000kHz ondas hectométricas 3-30 MHz ondas decamétricas 30-300MHz ondas métricas 300 -3 00OMHz ondas decimétricas 3-30GHz ondas centimétricas 30-300GHz ondas milimétricas 300-3 000GHz ondas decimilimétricas Abreviacdo (conve RSOR TENSAO/FREQUENCIA______] Variagdes de tensdo de entrada podem ser convertidas em variag6es da fre- quéncia de saida. P1 é o ajuste de sensibilidade e ponto de funcionamento. P2 ajusta a faixa de variacao de frequéncias. A frequéncia central de operacdo do circuito é determinada pelo capacitor C1 cujo valor pode estar entre 22nF e 1uF. As safdas tm duas formas de ondas poss{veis, devendo ser usado um am- plificador para excitar um alto-falante. Newton C. Braga a7 CODIGO MORSE Ay See B T- c Uw Dp — eo 6 == — Hi. zZ-- \ A. J .--- Ds Re 3 + 4) M 5... N 6 fe) 7 Rs 8 Q 9 R .- 0 Virgula ——..—— Interrogacao . Erro . Espere .— 48 Circuitos & Informacées SIRENE DE 2 TONS Este circuito serve de base para uma sirene modulada, Sua safda deve ser ligada 4 uma boa etapa amplificadora ou ent&o ao alto-falante conforme mostra o proprio circuito, caso em que a poténcia sera pequena. Os ajustes de frequén- cia e modulac&o sao feitos em P2 e P1. C1 e C2 determinam as frequéncias de modulacao e tom respectivamente. O+6 Al2v RS. k7 R1 560R a 2N2646 ae 5 2 exsss 3} saipa . Ly Re a 47R Toor ic 100nF an o- 555 — ASTAVEL +Vec jae = IW FREQUENCIA AIDA Fe nas (Ri+2R21.ci vec 1k > IMPEDANCIA DE ENTRADA (Zin) = RY £o=-G-Ein 58 Circuitos & Informagées TRANSMISSOR DE FM COM ELETRETO Este transmissor tem um alcance de 50 metros aproximadamente e opera na faixa de FM com microfone de eletreto de dois terminais. O alcance depende da tensao de alimentacdo que, pelas caracter{sticas do transistor, esta limitada em 6V. A bobina L1 consta de 3 ou 4 voltas de fio esmaltado 24 ou 26 em for- ma de 1cm, sem nucleo, com espacamento entre espiras de Imm. A antena tem de 20 a 25cm de comprimento sendo ligada na segunda espira a partir do lado da alimentacao. Cv é um trimer comum. cy c2 RI R2 peor = pul c | | u abe ci 100nF 33nF ee Q) 2 3A6v + (oan mic 3K ee I sR A: Wee CARACTERISTICAS DO SEGUIDOR DE TENSAO —O+ AS IMPEDANCIA DE ENTRADA (Zin)=1MO 0 (SAIDA) ot Ein (ENTRADA) ys = GANHO =1 Eo =Ein Newton C. Braaa 59 OSCILADOR DE RELAXACAO COM 741 A frequéncia deste oscilador é dada por P1/R1 e C1, e 0 ajuste de funcio- namento é feito em P2. A intensidade do sinal de saida é feita através do poten- ciémetro P3. Para a alimentac&o exige-se uma fonte simétrica cuja tensdo pode estar entre 6 e 12V. FONTE SIMPLES — FONTE SIMETRICA (PARA AMPLIFICADORES OPERACIONAIS) a YZ 22 AMPLIF. oF R1— DEPENDE OE V,Vz21,Vz2 E DA CORRENTE DE CONSUMO 00 CIRCUITO VALORES COMUNS ENTRE 47m E 470R Circuitos & Informacées ACIONADOR SELETIVO Dependendo dos valores de L e C este circuito aciona um relé com um sinal de dudio, podendo funcionar em circuitos de radio controle. O potencié- metro P1 ajusta a sensibilidade do sistema em funcao do nivel de sinal de entrada. O+sv RUINS MC2RC1 ENTRADA DE SINAL, EXEMPLO DE CALCULO f = 1kHz = 10°Hz C = 100nF = 100 x 10-° = 10°*F L=? 1 ——- anVL-C 1 fIeVviocet. E> or ger Ped4n-L-C=1 te 1 ~ 10~* « 4(3,14)? - 108 eee Serer 10°. 4-9,8- 10° L 5 =0,025+ 10°? Beale ee ~ 39,2 - 10' L =0,25 x 107! x 10°? = 0,25 x 10°* ou 0,25mH Newton C. Braga 61 mS | Este temporizador permite disparar o SCR e o relé com retardos varidveis entre alguns segundos e quase uma hora, O tempo é determinado basicamente pelo valor de C1 e ajustado em P1. O relé depende da tensao de alimentacao, podendo ser usados os da série RU101 de 6 ou 12V. O resistor R4 ndo é neces- sdério em alguns casos, podendo se eliminado. Seay, 4 p2 “3 ee ; mt Cu 220pF 2N2646 TICIOS D1 angi4g 1 474 1000pF “J CALCULO DE TEMPO EM FUNGCAO DE R(R1+P1) £ C1 T=Re C T = perfodo (segundos) R = resisténcia (ohms) C = capacitancia (Farads) EX.: R = 1M (max) = 10° C =1000uF =1 x 107° T=? T=R-C T = 10° x 107% T = 10° = 1000 segundos 62 Circuitos & Informacées ES __OSCILADOR DE RELAXACAO COM scr______] O resistor R1 e o capacitor C1 determinam a frequéncia deste oscilador. O capacitor C1 em conjunto com o ajuste do trim-pot determinam a intensidade dos impulsos produzidos e também de certo modo influem na frequéncia. Este oscilador é recomendado para a producao de pulsos a razdo de um a cada 10 minutos até frequéncias de algumas centenas de Hertz. +40 A1SOVO- t+ = ae PI 10x 4 100K of nae Nom06 R08 Fre CIRCUITOS LOGICOS EQUACKO TABELA PORTA iMBOLO se BOOLEANA VERDADE, A 5 EXCLUSIVE 4 oR (OUEXCLUSIvo) 8 =SAle Newton C. Braga np SEQUENCIADOR PARA 6 OU 12V. As lampadas acendem em sequéncia e em intervalos determinados pelos ajustes dos potencidmetros e pelos valores dos capacitores. Estes capacitores podem ter valores entre 10uF e 220uF. As lampadas sao de acordo com a tensao de alimentacdo e 2 capacidade de corrente dos SCRs. A Ultima etapa pode ter um relé em lugar da lampada para desligar momentaneamente a alimentacdo e permi- tir 2 repeticdo do ciclo de acendimento. 6 oux2 ay 10K Sent scR2 ScR3 scRn a MCRIOS MCRIOS MCRIOG, MCRIOS 220% ae RS Rn Tox 2 OK BS vox Pe 220K 220K 220K cz cs cn Ln ue we us Sd) = bee FUNCOES TRIGONOMETRICAS 8 sen? A + cos*A=1 sec? A —tg*A=1 cossec* A — cotg?A =1 sen(A + B) = senA cosB + cosA senB cos(A + B) = cosA cos B — senA senB tgaA+tgB —tgAtgB _ cotgA cotgB —1 cote eS cotgB + cotgA sen(A — B) = senA cosB — cosA senB cos(A — B) = cosA cos B + senA senB tgA—tgB 1+tgAtgB _ cotgAcotgB +1 tg(A — B) = —=—_— eotgt ) cotg B — cotgA tg(A + B) => tg(A — B) = 64 Circuitos & Informacdes OSCILADOR DE AUDIO. Este oscilador produz um sinal bastante forte para excitar com bom volu- me um alto-falante, servindo como alarme, sirene, etc. A frequéncia é dada por C1 e pelo ajuste de P1. O transistor Q2 pode ser do tipo BC558 ou equivalente para tensdes de alimentacdo até GV. Para tensGes maiores deve ser usado ur transistor de maior poténcia como o BD136 ou TIP30. O+3A12V (IVER TEXTO BD136 — BD138 — BD140 PNP DE SILICIO DE MEDIA FOTENCIA INVOLUCRO. SOT-32 & ih BD136 BD138 BD140 —Vepo (max) 45 60 100 v —Vceo (max) 45 60 80 v —leom (max) 1,5 15 15 A Pror (max) 8 8 8 w TJ (max) 150 150 150 2G h 40 40 40 min fe 250 160 160 max FF (tipica) 75 75 75 MHz Newton C. Braga 6 PISCA-PISCA SIMPLES A frequéncia das piscadas é determinada pelo ajuste de P1 e pelo capacitor C2 cujo valor pode ficar entre 104uF e 220uF. A lampada é de pequena corrente, 50mA com tensdo de acordo coma alimentacdo. Para correntes desta ordem Q2 pode ser do tipo BC558. Para correntes um pouco maiores e tensdes entre 9V e 12V o transistor deve ser de média poténcia como o BD136 ou TIP30. (3) VER TEXTO ace ce 10 A 220pF TRANSISTOR PNP DE MEDIA POTENCIA | tip30 | Tip30a | TiP30B TIP30C Vec le Pr (max) hee Fr (min) —40 —40 1 30 15 19, 3 —60 —60 1 30 15 75 3 —100 —100 1 30 15 Circuitos & Informagdes Co ampciricapor a ee) Este circuito pode ser usado como amplificador para escuta de deficientes auditivos ou como estetoscopio eletronico. A safda é feita num fone de alta im- pedancia ou entdo num fone de baixa, tendo por intermediério um transformador de safda para transistores. O microfone é de eletreto e o controle de volume é& feito em P1. aaa O+ 470R PI Ra R6 q 4aK7 ca 3 a7pr aK RS SADA RY 56K ALTAZ 2 ie 8 {lt 3 af scs48 air 3v ay ca BC548 47pF i Mic cs ELETRETO 1OPF o- TERMOS INGLESES PARA CARACTERISTICAS DE PULSOS AMPLITUDE OVERSHOOT ly TRAILING EDGE AMPLITUDE PREPULSE. DISTORTION Newton C. Braga BACKSWING 67 INTERRUPTOR NOTURNO Ao anoitecer, este dispositivo faz acender automaticamente a luz de sua varanda ou vitrine, As lampadas apagaréo automaticamente ao amanhecer. A sensibilidade 6 controlada em P1. R3 cujo valor esta entre 1k e 2k2 sera usado se o SCR for do tipo TIC106. Para os outros, este resistor ndo serd necessdrio. Para cargas até 40W o SCR nao precisa de dissipador de calor. SCR cis vio/220v S| R2 01 MCRI06 ta aod Fi wwaooe cto = (46) VER TEXTO CONVERSAO BINARIO X DECIMAL 00000000 16 00010000 00100000 00110000 00000001 17 00010001 00100001 00110001 00000010 18 00010010 00100010 00110010 00000017 00010011 00100011 00110011 00000100 00010100 00100100 00110100 00000101 00010101 00100101 00110101 00000110 00010110 00100110 00110110 00000111 00010111 00100111 00110111 00001000 00011000 00101000 00111000 00001001 00011001 00101001 00111001 00001010 00011010 00101010 00111010 00001011 00011011 00101011 00111011 00001100 00011100 00101100 00111100 00001101 00011101 00101101 00111101 00001110 00011110 00101110 00111110 00001111 00011111 00101111 00111111 68 Circuitos & Informagées a ee Este oscilador pode produzir sinais na faixa dos 27 MHz aos 150MHz, dependendo da bobina L1. A bobina sera feita com fio 22 ou 24 em forma de 4m, sem nucleo, segundo a seguinte tabela que também da os valores de C2 correspondentes: F (MHz) 27-54 54 — 100 100 — 150 22pF 4,7pF ~O +34 6V 27k ca 1OpF za SERIE GALVANICA material Magnésio Zinco 1,03V Aluminio 0,75V (*) Aco sem estanho 0,55V (*) Bronze 0,4Vv Cobre 0,36V Niquel 0,2V (*) Valor que depende da liga considerada — valor médio Newton C. Braga 69 (sensiver INTERRUPTOR DE Toaue_____] Um toque no sensor (placa de metal de 10 X 10cm ou fio desencapado) e a lampada L1 acende. O relé pode também ser disparado. O ajuste de sensibilida- de 6 feito em P1 eo resistor R4 com valor entre 1k @ 2k2 serd usado se o SCR for do tipo TIC106. O relé é de tipo de acordo com a tenséo de alimentacdo, podendo ser usado os da série RU. +6 A12v ee ue ee ta RU101006(6v) RU101012(12V) MC2RC1(6V) me2Rceii2v) scr MeRI06 cre Ticios O sensor CONVERSAO DE TEMPERATURAS C = Celsius Abie F = Fahrenheit aid) (Eis 22) K = Kelvin R = Reamur F -(2¢} +32 4 C=K — 273,16 R=—c K=C + 273,16 . =R-2 ° 4 5 5 K =| -9 (F — 32)| + 273.16 K=($R) + 273,16 9 4 F =| E(k — 273,16)| + 32 R = (K — 273,16) 70 Circuitos & Informagdes OSCILADOR 1kH Este multivibrador produz um sinal retangular de frequéncia aproximada 2 1Hz. A precisdo da frequéncia depende, evidentemente, da preciséo dos compo- nentes usados, podendo ser ligado em série com R3 um trim-pot de 10k para um ajuste fino de frequéncia se assim for necessdrio. Bcses CAPACITORES DE POLIESTER METALIZADO 19 algarismo: Preto 0 Marrom 1 Vermetho 2 Laranja 3 Amarelo 4 Verde 5 Azul 6 Marrom 0 Violeta 7 Vermelho 00 Cinza 8 Laranja 000 Branco 9 Amarelo 0000 29 algarismo r— numero de zeros tenséo nom.. Vermelho — 250V Amarelo — 400V Azul — 630V Valor em pF Newton C. Braga 71 ( ELETROSCOPIO O sensor é uma pequena esfera de metal que sera aproximada dos proje's que possuam cargas elétricas a detectar. Os diodos D1 e D2 sao de protect ajuste do ponto de funcionamento é feito por P1. O instrumento é ui VU mum de 200uA. MPF 102 TRANSISTOR DE EFEITO DE CAMPO-DE JUNCAO —CANAL N © — DRENO {aeast S—FONTE { INTERCAMBIAVEIS G — Gate 10mA 310mW 2000-7 500j1s (+) admitancia 72 Circuitos & Informacdes EMPORIZADOR. MIN O tempo de retardo dado por este temporizador depende de P1 e do valor de C1. A lampada pode ser de qualquer tipo de acordo com a tensdo de alimen- tacdo, ou ento pode ser usado um relé comum, sens(vel. O interruptor duplo de pressio rearma o circuito desligando o SCR e descarregando completamente o capacitor C1. + ineies RUIOIOOS Mice RCT c2 1OpF sip REARMA — F sales ce 6 ov sv CV ATE YooopF Newton C. Braga 73 LEDs EM C.A. Qs leds ndo podem ficar submetidos a tensGes inversas de mais de 5V. O circuito dado permite sua alimentagdo em C.A. Os valores de R sao funcdo do numero de leds que multiplicado por 1,8 deve resultar em valor menor que a tensdo de alimentacdo da corrente circulante. A tabela 6 a seguinte: Vrms R para 20mA R para 50mA, n@de leds 6 100 (1/2W) 47 (2W) 3 9 180 (2W) 68 (2W) 5 12 270 (2W) 100 (2) 7 110 2k7 (10W) 1k2 (20W) 40 220 5k6 (20W) 2k2 (40w) 80 D1 rncoos : ° CONSTANTES FISICAS Velocidade da luz no vdcuo (c) — 2997 925,0 m/s Carga elementar (e) — 1,6021917 x 107°C Constante de Avogrado (Na) — 6,022 169 x 10° mol7! Constante de Faraday (F) — 9,648670 x 10* C/mol Constante de Rydberg (Roo) — 1,09737312 x 107m! Constante dos Gases (R) — 8,31434J » K7! mol"! Constante gravitacional (G) — 6,6732 x 107! N + m?/kg? 74 Circuitos & Informagées TRANSMISSOR DE RADIO CONTROLE MODULADO. (0 alcance deste transmissor chega aos 50 metros na faixa dos 27 MHz. A antena é uma vareta de metal (telescdpica) de 40 2 80cm, e L1 consta’de 5 espi- ras de fio esmaltado 22 ou 24 AWG em forma sem nticleo de icm de diaémetro. C3 e C4 que podem ser alterados 4 vontade determinam a frequéncia de modu- lacdo do transmissor. R3 influi também na poténcia, ndo devendo entretanto ser reduzido para menos de 470R. PADRAO DE IRRADIACAO DE UM TRANSMISSOR DE RADIO CONTROLE NULO 1 MAXIMO MAXIMO ANTENA TRANSMISSOR 75 Nowtan C. Braaa CL orGAO ELETRONICO SIMPLES=— | O teclado pode ter até 16 trim-pots e teclas que sdo afinadas independente- mente. A faixa de som é determinada basicamente por C1. O transistor Q3 even- tualmente deve ser montado em dissipador de calor. + o+ at al es pe 1 R2 RS Cee lentil es, [ate [tt iF if Pw 6 ou ov c2 TECLADO AonF acsas ca { 1SoyF 13,8MHz Vppt MAX) = 15V pp (10) = 100 pA, ee 78 Circuitos & Informagdes FONTE DEM. Este circuito permite obter uma tensdo continua entre 5000V e 20000V sob regime de muito baixa corrente. O ponto de funcionamento é dado por P1 e pelo valor de C1 ao qual esta ligado 4 poténcia de operacao. R1 também pode ser sensivelmente alterado para se otimizar o funcionamento. T1 € um fly-back comum, sendo usado seu secundério. O primério sera refeito constando de 10 a 20 espiras de fio comum encapado. D3 é um retificador de alta tensdo e Cx um capacitor que usa como dielétrico uma folha de vidro de 20 X 20cm. O resistor R4 pode ser necessdrio se o SCR usado for o TIC106. RV 22K -10W {220V) 14007 70K-10W (T1OV) PONTE DE WHEATSTONE conoicéo vo EOUILIERIO (tg =o! [_"mepipor DE INTENSIDADE DE CAMPO___ Este sens{vel medidor de intensidade de campo usa como medidor um VU comum ou entéo um miliamperimetro O-1mA. A bobina L é de acordo com a frequéncia que se deseja monitorar. Para a faixa dos 27MHz esta bobina consis- te em 7 espiras de fio 22 ou 24em formade 1cm, sem nucleo. O ajuste do ponto de funcionamento é feito em P1. RESISTIVIDADE DE ALGUNS MATERIAIS (A 20°C) (em microhms cm?/cm) Preata Terate eae tects diskette okt Cobre cru . Ouro Aluminio Magnésio . . Zinco . Ferro .... Platina ... Niquel ... Estanho Chumbo . . Ligas: Bronze (1,5% Sn) . . Duraluminio .. . Bronze Fosforoso Niquelina (67%Cu, Constantan . . Nicromo .. Grafite ... Constantan: 53% Cu e 47% Ni Nicromo: 62% Ni, 15% Cr e 23% Fe 80 Circuitos & Informacées RELE ELETRONICO Este circuito aumenta a sensibilidade de um relé comum que pode ser acionado por correntes de microampéres. Transdutores ligados entre 1 e 2 acio- nam o relé pela diminuigdo da resisténcia. Transdutores ligados entre 2 e 3 acio- nam pelo aumento da resisténcia. P1 controla a sensibilidade e o relé usado, de série RU, depende da tensao de alimentac3o que pode ficar entre 6 e 12V. +5A12V tae 1a1as, Kr RUIOIXXX mez RCx ¢3 a7pF Ar oo . Papel seco . . Alcatréo . Breu.. Parafina : Borracha . . . Benzol .. Mica. . Nylon. . . Polietileno . . se. 2,264 2,3: Polistireno . . at . 24226 Vidro . * 3210 Cloreto de Polivinil Porcelana Quartzo ... Glicerina 5 Esteatite .. . Mérmore.. . Baquelite Alcool .... Poliuretano . Newton C. Braga 81 [SS SS Sorc taponei hi A bobina L1 consta de 35 espiras de fio 28 AWG enroladas num bastao de ferrite de 0,8 a 1cm de diametro com 5 ou 6cm de comprimento. Alteracdes pequenas na frequéncia podem ser obtidas através de um nucleo mével ou entdo com um variavel de 210pF ligado em paralelo com a bobina. RIGIDEZ DIELETRICA EM kV/cm Amianto . . = . : Baquelite .... : Ri ee ersteteieatein rina, a 20 E22 Madeira seca . . Borracha Ebonite Mérmore . . Mica Parafina Porcelana . Quartzo Circuitos & Informacdes JLUMINAGAO DE EMERGENCIA. Uma bateria de carro de 6 ou 12V é permanentemente mantida em carga lenta. Ao faltar energia, um relé é acionado, fazendo a bateria alimentar um sis- tema de luzes de emergéncia. O relé 6 de 6 ou 12V conforme a bateria, e o trans- formador € de 6 ou 12V conforme o caso, com corrente de 200 ou 500mA. ana Zan Nacoz oe ne saipa 18002 220v cal fa = = cow i KI RU101006 ou 012 CIRCUITOS RETIFICADORES a ONDA ONDA COMPLETA PONTE DE GRAETZ ——— Ay HANNE vefstivm Newton C. Braga 83 FOTO-MULTIVIBRADOR A frequéncia deste oscilador varia de acordo com a luz incidente no ele- mento sensivel que é 0 LDR. A frequéncia média de operacdo é dada tanto por C1 como por C2 cujos valores ficam entre 10nF e 100nF. Para a faixa de audio um valor em torno de 47nF é recomendado quando a frequéncia estaré em torno de 1kHz. + O+3A12v 3. 100pF MICRO AMPLIFICADOR Este amplificador de pequena poténcia pode ser usado em radios experi- mentais, seguidores de sinais, etc. T1 é um transformador de safda para transis- tores com primério entre 200 e 1000 ohms de impedancia. R4 pode ter seu valor entre 560R e 220R para se obter mais poténcia em fun¢o do transformador usado, Cireuitos & Informagées DOBRADOR EM CASCATA 1 Vm DOBRADORES DE TENSAO RS ce e=Vm senwt DOBRADOR CONVENCIONAL Rs vm = VALOR DE PICO + cbs a vm i" [ a Ke i L~j+—_+;—_+ e@ =Vm sent 2Vm AL TENSAO DE TRABALHO 00 CAPACITOR INVERSA DE PICO (PIV) PELO MENOS 2Vm RS OS RS ° DOBRADOR EM PONTE Vm sencvt ms o———+ [Jr DIODES COM TENSAO Sars es = Vn TRIPLICADOR EM CASCATA 2vm Newroni@tirens. SISMOGRAFO Sips Sa) VibracGes fazem o sensor fechar o circuito com o acionamento do SCR e 2-relé. A sensibilidade depende da flexibilidade do arame do sensor e do peso sado. O relé deve ser do tipo sensivel de acordo com a tensio de alimentacéo. ma vez disparado este circuito, para rearmé-lo é preciso desligar a alimentacdo. RU101006(6v) | Dp RV pues RuIOI0IZ (12v) 47k Mc2RC1(6v) 6 Ai MC2RC2(12V) ; scr MCRIOS 106 SENSOR . SENSOR QUADRUPLICADORES DE TENSAO cr c2 > QUADRUPLICADOR DE MEIA ONDA QUADRUPLICADOR DE ONDA COMPLETA 36 Circuitos & Informagdes eee r-oo ENO INVERSOR Este inversor opera com tensdes entre 6 e 12V e pode acender um lampac fluorescente pequena, mesmo do tipo “‘gasto’’. O transformador T1 tem um pI mario de 110V e secundario de 6 ou 12V conforme a tensdo de alimentacdo corrente de 100 a 500mA. Os capacitores C1, C2 e C3 eventualmente devem s alterados para casar as caracteristicas do circuito com o transformador. ( transistores devem ser montados em dissipadores de calor. a1 2N305S < See 220F 220 3 ole | - +6 Al2v no on 47pF R Rw Vat 4+ w22 R 90 OT z= Z=WL 8 3 InN c Seal z=Vr2+w212 1 2c. a, we to = wt teY=—wcR 7 ISCILADOR Este circuito pode ser usado em geradores de barras, TV jogos, e em outras alicacGes que envolvam a recepcdo de um sinal num televisor. A bobina indi- ada permite a captacao dos sinais entre os canais 2 e 5, e o ajuste fino é feito no imer Cv. 1 3 tem Flo 22 ou 24 R.L.C. — IMPEDANCIAS E DEFASAGENS {I!) L BB Circuitos & InformacSes FOTO-OSCILADOR (un) A frequéncia deste oscilador depende da luz incidente no LDR. Tanto P1 como o valor de C1 determinam a frequéncia central de operac3o do circuito. Para tensdes de alimentacao até 6V, Q2 pode ser um BC557 ou BC558. Para ten- sGes maiores deve-se usar para Q2 um transistor de média poténcia como o BD136 ou TIP30. O+3 AI (3) VER TEXTO TRANSISTOR PNP DE SiLiclo DE PEQUENA POTENCIA BC327 E BC328 CBE INVOLUCRO TO-92 Vee (max) 'c (max) Prot (max) fr hee Newton @. Braaa 89 [ _TRANSMISSOR AM Os sinais deste transmissor podem ser captados em qualquer radio de on- das médias a uma distancia de alguns metros. A antena é telescopica e Cv é um variavel comum para ondas médias. O microfone deve ser obrigatoriamente de cristal. As caracteristicas de L1 determinam a frequéncia. Se n3o houver osci- laco inverta os fios 3 e 4 na montagem. + 0,8 A 1em FIO AWG 28 TRANSISTOR NPN OE SILICIO DE PEQUENA POTENCIA BC337 E BC338 CBE INVOLUCRO TO-92 Vceo (méx) ' (max) Pror (max) 90 Circuitos & Informacées SINTONIZADOR AM. Ligado a um amplificador comum, este circuito possibilita a captacdo das estacdes de ondas médias locais. Cv é um varidvel comum para ondas médias. A safda para o amplificador deve ser feita com a ajuda de fio blindado. co0ea Lcem — FiO 2eawe CORRENTE MAXIMA NUM RESISTOR PARA 50% DE SUA MAXIMA DISSIPACAQ 10 ohms IW 10 ohms 47ohms .. oe 47 ohms . 100 ohms 100 ohms . 470 ohms . Newton C. Braga 91 (buaspotenciascomTRiac____——t Na posicéo 1 a carga recebe apenas metade dos semiciclos da alimentacao. Na posi¢do 2 a carga recebe a alimentacao total. O triac deve estar de acordo com a corrente exigida pela carga e eventualmente deve ser utilizado filtro contra interferéncias. O triac deve ser montado em dissipador de calor. CRRA pp 0 1S0R Nie waoos aw novezove=f> aie 4 1 cee TIc226 6 MT) 2 TIC226 MT Mz 6 TRIAC OE SILICIO TIC226B TIC226D IRM T (RMS) 'GTM (max) (______FONTE SEM TRANSFORMADOR____————d A capacidade de corrente desta fonte é determinada basicamente pelo va- lor de C1 (nao polarizado, de poliéster ou dleo) e pelo diodo zener. Valores entre 1uF e 2,2uF permitem obter tensGes entre 3 e 9V sob correntes de até 50mA. Os diodos zener devem ser de 1W de acordo com a tensdo desejada. Esta fonte nao apresenta isolamento da rede, o que limita suas aplicacdes praticas e exige cuidados no manuseio. -— a pF A 2.2pF aN4007 O+3a9v REATANCIAS CAPACITIVAS X FREQUENCIAS f = frequéncia em kHz C = capacitancia em pF Frequéncia Capacitancia 60Hz 1kHz 150kHz 1,5MHz 1nF 2,65M 159k 1,06k 106k 10nF 265k 15,9k 106 10 100nF 26k 1,6k 10 1 uF 2,6k 159 1 0, 10uF 260 16 0; 0,01 Xc= 9 RELAXACAO COM 2 TRANSISTORES_______] Dois transistores complementares substituem um unijuncdo neste circuito. \ frequéncia é dada conjuntamente pela resisténcia de R1e P1 e pelo capacitor "1. Uma forma de onda dente-de-serra pode ser obtida no emissor de Q1. PONTO DE FUSAO DE LIGAS, METAIS E OUTRAS SUBSTANCIAS (°C) Aluminio .......+- . 658,7 Alco! metilico Mercurio a ove Alcool etilico . . CobreWe. 24.5.5 ol ee Calcio... Glicerina Ouro .. Potdssio Manganés Sodio .. Naftaleno Prata .. Niquel . Bismuto Ferro .. Antiménio Cromo . Magnésio ... 650 Platina .. Gri) saute. caceeen boa Ne 800 Tungsténio ..........- 3300 —— 94 Circuitos & Informagées DISPARO DE SCRs POR CMOS. O disparo de um SCR pode ser feito com o circuito dado a partir dos nf. eis logicos de um integrado CMOS como o 4017. R2 tem valor proporcional 2 tensdo na faixa dada e R4 sera necessario se o SCR for do tipo TIC106. Seu valor estara entre 1k e 2k2 provavelmente. Dependendo da carga o SCR deve ser dota: do de dissipador de calor. Veja que o negativo comum ao circuito de alta e baixe tensdo deve ser mantido. O+6 A 15V aa os CARGA a0K K Besse McRIO6 fe weooe cros _ 04017 nor TICIO6 oH r REDE CA chy — R2 I 330R AIK OH T COMPRIMENTO DE ONDA X FREQUENCIA \ = comprimento de onda (m) V = velocidade (m/s) f = frequéncia (Hz) V = 300000000 m/s — para ondas de radio V = 340 m/s — parao som no ar Newton C. Braga OF (Cosciapor TTL DE Aupio____| A frequéncia deste oscilador é determinada por C1 e C2 que para a faixa de dudio pode ter os valores do diagrama. A alimentacao é feita com 5V e o cir- cuito usa apenas duas das 4 portas NAND do 7 400. Outro oscilador idéntico pode ser montado com as outras duas portas deste integrado. cy nF 3 47 A 220 v4 ui 7400 47 A 220nF| + RV R2 1K5 1KS: ri 5v 7404 — TTL aay HEX INVERTER ee ey [ee 96 Circuitos & Informacées (__ —_ — saeensipeNE soe A frequéncia bdsica é determinada por C2 e a modulacao por C1. A etapa de poténcia formada por Q1 pode ter alimentacdo independente, com o negativy comum, de maior tensdo (até 9V) para maior poténcia de audio. Neste caso Q1 deve ser dotado de dissipador de calor. a 330R c2 i 220nF 13. 10 7400 Jou 7400 jo® 12 3 7410 — TTL 3 PORTAS NANO DE 3 ENTRADAS i a3 [ee 1 p10 2 3 4 5 CORRENTE POR UNIDADE — 6mA Newton C. Braga 97 PONTE DE CAPACITANCIAS Este circuito indica nulo no instrumento quando Cref é igual a Cx. O ajuste do ponto de equilibrio da ponte por meio de P1 permite saber qual é a relacdo existente entre Cx e Cref para o caso de serem diferentes. O transformador tem um enrolamento primdrio de acordo com a rede local e secunddrio de 6 + 6 ou 12 + 12 X 100mA ou mais. M1 é um VU comum de 0-200pA. Ike JOnF A 1p RY Re a 1K 12k my zeK nov ou 220v 82 Ni 4x 1Na148 PONTE DE WIEN R2R3—RIRG cle RIR3C2 se n=; ci=c2 € R3=R4 ENTAO: ENTRADA ©. cle 1 _s— BTRSCT 98 Circuitos & Informacdes (_contapor ATE 10 COMO 4017] Os leds acendem conforme a sucessdo de impulsos aplicados 4 entrada no pino 14. A alimentac&o pode ser feita com tensdes entre 6 e 9V. A comutacao ocorre quando a entrada é levada momentaneamente ao potencial O (nivel LO). ENTRADA 4001 OU CD4001 — CMOS 4 PORTAS NOR DE 2 ENTRADAS. sp aS SV € Vop € 15V (CORRENTE QUIESCENTE DE ALIMENTACAO (75V1 — Ima Newton C. Braga 99 ( rontede tov Este simples inversor com multiplicador de tenséo pode fornecer até perto de 1000V sob regime de muito baixa corrente. A tensao de alimentacdo é de 6V e 6V é a tensdo do secundario de T1 cujo primario deve ter uma saida de 220V. Os capacitores de C5 até C8 devem ter tensdes de trabalho de pelo menos 400V. A corrente de secunddrio de T1 pode ficar entre 100 e 250mA, D1 A D4=1N4004 cs | ce Py 100nF | 100nF 4 7) J220 1 I { 10 Lod 03 \go4 + ° cv ce 100nF 100nF MaT ee MULTIPLICADOR DE TENSAO [aaa e vm c3 cs Rs 2 =Vm senwt o 100 Circuitos & Informagdes FOTOMETRO SIMPLES. O ajuste de funcionamento é feito em P1 no qual pode ser colocada uma escala de acordo com a finalidade do aparelho (escala de abertura, ASA, etc.). O instrumento M1 é um VU-meter comum de 0-200uUA se bem que um miliamperi- metro de 0-1mA possa ser usado com a reducdo de Ri para 470R. UNIDADES USADAS EM FOTOMETRIA E RADIOMETRIA Medida Radiométrica Fotométrica Uso emissdo total poténcia: watts lumens luz de lampadas emissdo num angu-| intensidade: watts/| intensidade lurino-| estrelas lo sdlido de uma| estéreo-radiano sa: candela = lumen/ fonte puntual estéreo-radiano emissdo total rece-| poténcia: watts lumens detectores bida iluminancia: lumen/ | detectores m? = metro-candela emissSo por unida- de de 4rea irradiéncia; W/m? Newton C. Braga 101 — ____GERADOR DE BARRAS PARA | A separacao das barras é determinada por P1 e também por C1 que pode ser alterado segundo & vontade do montador. A bobina L1 tem 4 espiras de fio 22 ou 24 AWG em forma, sem niicleo, de 1cm de diémetro para captacSo nos canais baixos. O ajuste do canal é feito em Cv que é um trimer comum. O apare- Iho nao precisa de antena nem de conexdo ao televisor, bastando sua aproximacao. + ~O+60u9v Ri R2 10K S60R LHe tt cs 220K ee TOpF or ca 2N2646 1opF oes Fm 3o0r R3 47R if te 2 PORTAS NANO DE 4 ENTRADAS 7420 — TTL CORRENTE POR UNIDADE — 4mA alelelolalel= 102 Circuitos & Informagées TERMOMETRO ELETRONICO. O sensor deste termometro simples é um diodo BA315 cuja resisténcia no sentido inverso diminui com o aumento da temperatura. O nulo da escala ou ajus- te de escala é feito em P1. O instrumento é um VU comum. Pode ser usado um miliamper{metro de 0-1mA com a reducao de R1 para 10k e de R2 para 330R. DIODOS DE SILICIO Tipo VE (ma) VaR (v) Aplicagdes BA218 75 uso geral BA219 100 uso geral BAX16 200 comutacdo BY126 1000 retificagdo BY127 1000 retificagao BY176 2500 retificagao MAT BYX55/600 1200 retificagdo BYX38 6000 retificagao retificagdo [-Gerapor DE TONS PARA RADIO CONTROLE____] A frequéncia de cada canal é ajustada num dos trim-pots. A frequéncia média € determinada pelos capacitores C1 e C2, Mais canais podem ser usados desde que as frequéncias selecionadas nado sejam harmGnicas. 555 — MONO ESTAVEL Valor méximo de R — 3,3MQ Valor minimo de R — 1k Valor minimo de C — 500pF Valor maximo de C — depende da fuga 104 Circuitos & Informacdes [ =) _PIROGRAFO_ sd O transformador T1 com primério de 110V ou 220V e secundério de 12V ou 6V para 2A é modificado. O secundario é retirado e em seu lugar sd0 enro- ladas de 10 a 15 espiras de fio 12 esmaltado. A intensidade da corrente na ponta é determinada pelo ajuste de P1. A ponta é feita com arame grosso e 0 seu fio de ligacdo deve ser grosso e curto, apresentando baixa resisténcia. anaMie GROSSO nov ou 220v CA. 1N5411 E 40583 — DIACs ASPECTO 1N5411 simBOLO Ls pisca-Pisca DE POTENCIA_____—_| Este circuito pode ser usado no carro, em sinalizac&o, com lampadas de boa poténcia. O transistor Q3 deve ser montado em dissipador de calor. P1 per- mite o ajuste da frequéncia, a qual tem sua faixa determinada por C1 e C2. O+12v c3 100pF OSCILADOR DE RELAXACGAO +vo—_{_} R 1 f= V-V, 2s +2 R-C inf = f = frequéncia em Hz &n = logaritmo natural V = tensdo de alimentacdo (V) Vs = tensdo de disparo da lampada (V) Vim = tensdo de manutengéo (V) 106 Circuitos & Informacées TRANSMISSOR DE ONDAS CURTAS. Este transmissor tem um alcance entre 15 e 50 metros dependendo da faixa de operacao. L1 tem 40 espiras para a faixa de 3,5MHz, 20 espiras para a faixa dos 7MHz e 10 espiras para a faixa dos 14MHz. O ntcleo da bobina é um bastao de ferrite de 1cm de didmetro e 5cm de comprimento. O fio é 28 AWG. O capacitor Cv é um trimer comum e a antena é telescopica de 30 a 80 cm de com- primento. Na modulacdo temos um transformador de safda para transistores com primario de 200 a 1000 ohms e o microfone é um alto-falante comum. LEI DE COULOMB ie 4m E> Q,, Q, = cargas em Coulombs d = distancia em metros N-m? 1 2 rs =9x 10) er — lconstante) Newton C. Braga 107 = aapsCctEp eae A intensidade das piscadas do led é determinada basicamente pelo valor de C1. A frequéncia ajustada em P1 também depende de C1. Os pulsos séo de curta duracdo, conforme a descarga do capacitor, e so de boa intensidade. +6A15V 7430 — TTL PORTA NANO DE 8 ENTRADAS 1S ANIS) Tash! TIN TOMO! ce ey ey ve Te +5V NC Ne__NG D ~ Qi Co oe aaa) 2S 3S) aes CORRENTE POR UNIDADE — 2mA SAIDA LO OU O PARA TODAS ENTRADAS HI OUT NAS OUTRAS CONDICOES A SAIDA E HI OUT 108 Circuitos & Informacées PISCA-NEON. A alimentacdo deve ser feita com tensdo acima de 80V e a frequéncia é controlada em P1. O capacitor C1 determina em conjunto com P1 a faixa de fre- quéncias de operagdo. Com valores baixos de C1 este circuito produz sinais na faixa de dudio. 80 A 250V 7442 — DECODIFICADOR TTL BCD PARA 1-DE-10 ENTRADAS sainas Bore ce Se? Ve 7. Uma entrada 1=LO 2=LOoO 0011 =3 dd uma sada LO no terminal 4 — 3=HI as outras saldas permanecem HI 4=HI Corrente por unidade — 28mA Corrente maxima por saida — 16mA Entrada 1001 faz todas safdas HI Newton C. Braga 109 (cronometro NEN | Na posicao 1 0 capacitor C1 carrega-se. Na posic&o 2 temos a descarga em tempo que depende do ajuste de R3. Este tempo é monitorado pela lampada NE-1 que permanece acesa até que sua tensdo de manutencdo seja atingida. Con- forme a rede e o valor de C1 teremos faixas de tempo diferentes que podem ser marcadas numa escala de R3. 4 PORTAS EXCLUSIVE-OR DE 2 ENTRADAS 4 3 12 Ww 1 S 8 yf 3 vat £ Dy Ei 7 jm 3 if ie ce SI Se Yel air) CORRENTE POR UNIDADE - 30mA o > a =|=Je[e]> =o[-lo[e o|=|=/ola 110 Circuitos & Informagées ___METRONOMo__ id A frequéncia deste metronomo é controlada em P1 e depende também do valor de C3 que poderé ficar entre 10uF e 470uF. O transformador T1 é de safda para transistores com impedancia de primario entre 200 e 1000 ohms. O alto-fa- lante 6 comum, de 8 ohms. + 3agv a Ac 1OpF EFEITOS FISIOLOGICOS DA CORRENTE ELETRICA 1mA — limiar da sensagao 8mA — sensacdo desagraddvel 10mA_ — sensagdo de panico 20mA_ = — paralisia muscular 40mA — perturbagdes na respiracdo 70mA = — dificuldade extrema em respirar 90mA_ — fibrilagdo ventricular 100mA — morte 111 ia Siainse seach: [ ___OSCILADOR DE RELAXACAO MODULADO____] A frequéncia de modulacao é dada por C1 e seu controle por P1. A profun- didade de modulagao é dada por P2. P3 controla a:tonalidade do som, a qual também depende de C4. As duas safdas possiveis deste circuito sio mostradas com formas de onda dente-de-serra, +9A78V cs PI 100K Re 470R a 1OOpF RI 2anr SAiDa 10K 1 an 2N2646 a TOA RS TP opr TOOR LEITURA DE CAPACITORES CERAMICOS ALGARISMOS. ————{70 0000 pF NUMERO DE ZEROS —————_ 0U 100nF ALGARISMOS ————{22 000 oF NUMERO DE ZEROS ———— ou 22nF ALGARISMOS NUMERO DE ZEROS 112 Circuitos & Informagées TIMER 10 MINUTOS. Este timer permite obter intervalos de tempo até 10 minutos dependendo da qualidade do capacitor C1 que deve ter um minimode fugas. O ajuste do tem- po é feito em P1. Para rearmar o circuito é preciso desligar momentaneamente a fonte de alimentacdo e se um novo ciclo tiver de comecar.em seguida sera conve- niente curto-circuitar os terminais de C1 para descarregd-lo completamente. O relé tem uma bobina de acordo com a tensao da fonte de alimentacao. o+ D1 wanes ce a 100pF 2N2646 6A I5V Ra 1K o- AUTO INDUGAO DE UMA BOBINA (NUCLEO DE AR) a L=1,257 n*s 10° - & L = auto inducéo em H 2 =comprimento da bobina em cm S = drea abrangida por uma espira (cm*) n = numero de espiras ALARME DE TEMPERATURA. O sensor é um NTC que a temperatura ambiente deve ter uma resisténcia entre 20k € 100k. O ajuste de sensibilidade € feito em P1, O relé tem bobina de acordo com a tensao de alimentacao. MCRIOS. cies TICI06 CARACTERISTICAS DE NTCs ASPECTO tipo resisténcia 2 25°C (ohms) dissipacdo (W) B8 320 01A/4E B8 320 01A/50E B8 320 01A/130E B8 320 01A/500E B8 320 01A/1k3 TD11-A004 TD6-A050 TD5-A113 TD5-A150 TD5-C213 114 Circuitos & Informacdes ALARME DE UMIDADE. O sensor deste alarme pode ser duas varetas que serdo enterradas num vaso Ou jardim ou entao duas telas separadas por um pedaco de tecido ou papel poro- so com um pouco de sal. Se o SCR tender a disparar sozinho isso se deve a even- tuais fugas no transistor Q1 que deve ser trocado. O relé tem bobina de acordo com a tensdo de alimentacao. O+s Arey 01 anaias, SENSOR 7490 — TTL CONTADOR DE DECADA (= 10) CORRENTE POR UNIDADE — 32mA MAxIMA FREQUENCIA — 18MHz AVANCO NAS VARIACOES NEGATIVAS DO SINAL 415 ALARME DE BAIXA CORRENTE (60z A). A corrente de repouso deste circuito depende do transistor e esta em torno de 60uA para os casos comuns. A abertura de qualquer dos interruptores S1,S2 ou $3 faz o relé disparar. O relé tem sua bobina de acordo com a tensao de ali- mentacao. ALFA X BETA 1 ~ 6+) Variacdo da corrente de coletor _ Alc ™~ Variacdo da corrente de emissor Ale Variagao da corrente decoletor _ Alc Variacdo da correntede base Alg a<1 B>1 116 Circuitos & Informagées (triac + UJT = CONTROLE DE POTENCIA____] Este circuito permite o controle de cargas de poténcia a partir de baixas tensGes continuas. A faixa de controle é dada por P1 e também por C2. O trans- formador T1 deve ser construido conforme mostra a figura. O triac deve ser de acordo com a poténcia da carga e possuir um dissipador de calor. C1 e R1 serao necessdrios se a carga controlada for indutiva. +9RI8V RS 10K FILTROS PASSA-BAIXAS/PASSA-ALTAS t ENT. c = CONSTANTE ~ K (PASSA-BAIXAS) CONSTANTE — K (PASSA-ALTAS) R R les att tle 1 eA ce f = FREQUENCIA DE CORTE (Hz) R= RESISTENCIA DE CARGA (2) Newton C. Braaa 117 [-interRuptor DE ONDA COMPLETA COM Sscra_—_4] O fechamento de $1 permite a aplicac&o de toda a poténcia da rede em L1 que tem por limite, para o SCR indicado, 440W. Os SCRs devem ser dotados de dissipadores de calor. A corrente em S1 tem sua intensidade dada por R2. MCR 106 106. TICIOS cr 100nF Re 330R Lo nos McR06 Pov TICIO6 Re pet 1 iNao0z Fe CARACTERISTICAS DAS SUB-FAMILIAS TTL sub-familia corrente de sarda corrente de entrada Normal 16mA 1,6mA Low-Power 3,6mA 0,18mA High-Power 20mA 2,0mA Schottky 20mA 2,0mA Low-Power Schottky 8mA 0,4mA CORRENTES POR FUNCAO — TTL NORMAL Cada Hex Inverter... . Portas mais complexas Cada Dual flip-flop 118 Circuitos & Informagdes INTERRUPTOR SCR (LIGA E DESLIGA) Neste circuito, S1 pode ser um reed switch ou um micro-switch, pois a cor- rente de controle é muito baixa. Um interruptor de pressdo também pode ser usado, jé que basta a corrente momentaneamente para acionar L1 ou o relé e manter o circuito ativado. Para desliga-lo deve-se pressionar S2. O relé deve ter bobina de acordo com a tensao de alimentacao. +earsy o were o Rs wy 4K | cz WOpF scr a NcRI06 3k er a? WS TICIO8. DESLIGA ESPECIFICACOES DAS SUB-FAMILIAS TTL Normal 7400 High-Power 74HOO Low-Power 74L00 Schottky 74S00 Low-Power Schottcky 74LS00 FREQUENCIAS DE OPERACAO DAS SUB-FAMILIAS TTL Normal 35MHz High-Power 5OMHz Low-Power 3MHz Schottky 125MHz Low-Power Schottky 45MHz [_ inTeRRUPTOR SCR (SOMENTE LIGA)___] Um toque em S1 e 0 circuito é ativado assim nermanecendo indefinida- mente. S1 pode ser de baixa corrente € o relé, se usado, deve ter tensdo de acor- do com a fonte. Para desativar o circuito é preciso desligar momentaneamente a alimentacao. ~o+ —o ‘ D1 | A o uy alae S |k7 31 9 scr 6A ISV RV c106 3k3, MCRIO6 TICIO6 R2 1K o= INDUTANCIAS PEQUENAS indutancia em uH __R? xn? R =raio de uma espira em polegadas = OR + 250 2 = comprimento em cm n = numero de espiras ae Ex.: 8 espiras em @ + polegada e comprimento 2cm L __RP xn? ~ OR + 252 => 0,0625 x 64 2 Be 2,25 + 50 4 Ls? b= a7 L =0,076uH 120 Circuitos & Informagdes n=8 L SOM REMOTO. Para se evitar perdas de poténcias nas linhas de baixa impedancia este recurso pode ser usado até 5W. Os transformadores sdo de safda para valvulas 6V6 ou 6AQ5 e o potencidmetro funciona como controle remoto de volume. O fio pode ser paralelo com até 100 metros de comprimento. mn h T2 SAIDA DO ne ea * : AMPLIFICADOR = bd an en ATE }OOMETROS SOM — FREQUENCIAS E COMPRIMENTO DE ONDA frequéncia frequéncia (Hz) comp. em metros (Hz) 10 34 2000 0,17 20 17 3000 0,11 40 85 4000 0,085 60 5,7 5000 0,068 80 4,25 6000 0,055 100 3,4 7000 0,048 200 1,7 9000 0,038 300 1,13 10000 0,034 400 0,85 11000 0,031 600 0,57 13000 0,026 900 0,38 16000 0,021 1000 0,34 18000 0,018 1200 0,28 20000 0,017 1400 0,24 30000 0,011 0,23 40000 0,008 comp. em metros NERVO TESTE COM CHOQUE Quando a argola encosta no arame tortuoso uma alta tensdo é induzida no secundario do transformador. A pilha deve ser grande ou média, e o transfor- mador é de safda para radios a vélvula 6AQ5 ou 6V6. Transformadores de 110 X 6V com correntes de 100mA podem também ser usados. 11 81 an 2k A 10k 1,5V CURVA TIPICA DE IMPEDANCIA DE UM ALTO-FALANTE FeO 40 tee 3 | 2a) | £ \ | 2 (IMPEDANCIA) 122 Circuitos & Informagées OSCILADOR DISPARADO S6 ha sinal de safda neste circuito quando S1 for mantido pressionado. A frequéncia do sinal obtido no pino 6 depende do valor do capacitor C1 que pode estar entre 100nF e 10uF para a faixa de audio. A alimentacdo deve ser feita com tensdo de 5V. 70+ C1 1OORF A 10pF REATANCIA INDUTIVA X,_ = reatancia em Ohms m=3,14 f = frequéncia em Hz L = indutancia em H REATANCIA CAPACITIVA 1 Xe = Gar. Xc = reatancia em Ohms 7 =3,14 f = frequéncia em Hz C = capacitancia em F DETECTOR DE PRIORIDADE, O LDR que for iluminado em primeiro lugar faz acender a |ampada cor- respondente, inibindo o disparo da outra lampada. O ajuste da sensibilidade é feito em P1 ¢ P2. As lampadas devem ter tensdes de acordo com a fonte de ali- mentagao. Para os SCRs do tipo TIC106 deve-se enventualmente ligar um resis- tor de 1k entre o catodo e a comporta para evitar o disparo sozinho. O+6A12v u L2 C1 1OpF sci MCRIO6 scre C106 ci06 IRI06 MCRI06 IR106 oO - 3500°K 1500°K oz 04 08 12 14 16 18 20 24 ULTRAVIOLETA —VISIVEL. INFRAVERMELHO 124 Circuitos & Informacdes CONTADOR ATE 99 As saidas deste circuito so em BCD, devendo portanto ser decodificadas para aplicacdo em display. A alimentacao deve ser feita com 5V e da safda do segundo 7490 pode-se excitar um terceiro com a contagem estendida para 999. 01 08 02 04 01 08 a2 04 LU Sr TI CICTCITITI 3 it TIP41 TRANSISTOR NPN DE SILICIO DE POTENCIA | tipa1 | tipaia_| tipaie_|_tipaic | Veg 40 60 80 100 Vv Vee 40 60 80 100 Vv te 6 6 6 6 A Py 65 65 65 65 w 3 3 3 3 M Newton C. Braaa 125 San Ligado na safda de um amplificador este aparelho faz um boneco articu- lado dancar ao ritmo da musica. L é o enrolamento de um transformador de 110 X 6V até 500mA, sem nicleo, e o nticleo mével preso ao boneco por uma mola € um bastao de ferrite ou mesmo um parafuso. T1 é um transformador de saida para valvulas invertido e R1 tem seu valor determinado pela poténcia do amplificador segundo a tabela: até 20W —47 ohms X 1W; 20 a 50W — 100 ohms; mais de 50W — 220 ohms. O resistor R3 de 1k sera necessdrio para o caso do SCR TIC106. RI =a BONECO ARTICULADO Bn 28 SAiD& 00 10K AMPLIFICADOR 1 ci Ui }OnF i 7 we008 1, 1 Irs aA NUCLEO no ou 220v cA TRANSISTOR PNP DE SILICIO DE POTENCIA | i 8 TIP42 TIP42A TIP42B | TIP42c —40 —40 -6 65 3 15-75 126 —100 —100 -6 65 3 15-75 15-75 15-75 Circuitos & Informacdes [ __LEDs RiTmicos____—— sd T1 é um transformador de saida para valvulas GAQ5 ou 6V6, mas pode ser usado um transformador de 110V X 6V X 150mA. R1 e R3 so dados pelas tabelas, enquanto R4 € necessdrio somente se o SCR for do tipo TIC106, poténcia de entrada até 5W 22R X 1W 5a 10W 47R X 1W 10a 25W 68R X 1W 25a SOW 100R X 2W 50 a 100W 220R X 2W R3 até 6 leds 2k2 X 10W 4k7 X 10W 6a 15 leds 1k8 X 10W 3k9 X 10W 15 a 30 leds 1k5 X 10W 2k7 X 10W A saipa 00 AMPLIFICADOR sa DECIBEL P1 = poténcia de safda (W) PL dB =ganho em dB P2 P2 = poténcia de entrada log = logaritmo decimal dB = 10 log [ __PULSADOR DE POTENCIA___————d Este circuito produz 0 som de uma metralhadora cuja velocidade e a inten- sidade é controlada em P1. O valor de R1 também pode ser alterado para modi- ficar o intervalo entre os pulsos e sua intensidade. Este componente nao deve ser reduzido, entretanto. noyzv0v Foy ca INTEGRADOS — EQUIVALENCIAS 741 —amplificador operacional — CA3056, 3741, L141, LH101, LM741, MC1539, 1741, MCH1439, MIC741, N5741, PA424, 7741, RM741,S5741, $N72741, TAA221, TBA221, TOA1741, 1748, UA741, UC4741, 2LD741 MC1310 — decod. FM — CA3090, MC1310 LM104 — regulador de tenséo — LM204, LM304, SFC2104, SFC2204, SFC2304 128 Circuitos & Informagées LAMPADA MAGICA A luz de um fésforo no LDR faz a lampada acender e assim se manter. A lampada Li pode ter de 40 a 100W. Para lampadas até 40W o SCR nfo precisa de dissipador. O resistor R3 deverd ser usado apenas se oSCR for do tipo TIC106. P1 é um ajuste de sensibilidade do circuito. 110 ou 220v CA oF 1Ne002 VELOCIDADE DO SOM EM ALGUNS METAIS E MATERIAIS (ONDAS LONGITUDINAIS) aluminio . . cobre . ebonite vidro . ferro mérmore . . niquel porcelana . tungsténio . OSCILADOR ULTRA-SONICO. Este oscilador produz um sinal em torno de 18kHz que pode ser reprodu- zido por um tweeter comum. O transformador é de saida para transistores com primario de 200 a 1000 ohms. O falante FTE é um tweeter comum, de 8 ohms. A frequéncia do circuito depende de C1 e C2. VELOCIDADE DO SOM EM LIQUIDOS liquide temperatura (°C) velocidade (m/s) acetona 1192 benzeno 1326 Alcool etilico 1180 glicerina 1923 mercdrio 1451 lcoo! metilico 1123 agua comum 1497 agua do mar 1510 a 1 550 (+) dgua pesada 1399 gasolina 1250 (*) depende da salinidade 130 Circuitos & Informagées DETECTOR DE MENTIRAS Pequenas variagGes da resiténcia da pele podem ser detectadas com este aparelho. O potenciémetro P1 ajusta a sensibilidade, enquanto P2 ajusta o fundo de escala de M1 que é um VU comum. O sensor consiste em duas placas de metal sobre as quais o “‘interrogado” apoia as maos, O+sv 70 A a7pF PROVA DE DIODOS 21000 EM PROVA $= DIOD0 EM CURTO [A}(B) — ALTAS = 01000 ABERTO (8) ALTA ~ (A) BAIA = 01000 BOM Newton C. Braga 131 AMPLIFICADOR 741 (1 a 100 — GANHO)__- O ganho deste amplificador de tensGes continuas é fixado por P1, A fonte deve ser simétrica de 9 + SV e a tensdo de entrada ndo deve nunca superar este valor. Este circuito por sua alta impedancia de entrada {normalmente 1M) pode ser usado em instrumentacdo. ENTRADA PRE-AMPLIFICADORES INTEGRADOS Amplificadores | faixa de tensdes (V) | resist. de corrente entrada quantidade (Ka) quiescente (mA) CA3052 4 26 LM381 2 10 LM382 2 10 LM387 2 10 M1303 2 15 132 Circuitos & Informacdes OSCILADOR 1 kHz. A frequéncia deste circuito é dada pelo duplo T. Os capacitores C1, C2e C3 devem manter a seguinte relagdo: Ci = C2 = C3/2. A frequéncia é dada pela formula e a alimentacao deve ser simétrica. P1 ajusta a intensidade do sinal de safda e P2 o ponto de oscilaco. BD331 TRANSISTOR DARLINGTON NPN DE SILICIO INVGLUCRO ‘Complementar BD332 OSCILADOR 500Hz — 5kHz A frequéncia deste oscilador é determinada por C1 e ajustada em P1. A fonte deve ser simétrica e a impedancia de safda do circuito é da ordem de 50 ohms. A forma de onda do circuito é retangular. TRANSISTOR DARLINGTON PNP DE SILICIO. INVOLUCRO. soT~e2 Complementar BD331 134 Circuitos & Informacdes BIESTAVEL COM O 741. Ao se pressionar S2 0 relé é acionado e ao se pressionar S1 € desligado. 0 relé deve ser de 12V se a fonte for de 6 + 6V ede 18V sea fonte for de9 + SV. A fonte deve ser simétrica para esta aplicacao. 1 DESLIGA 9 TRANSISTOR NPN DE SILICIO DE POTENCIA iNVOLUCRO. SoT-32 Newton C. Braga 135 {BIESTAVEL 741 — SEM FONTE SIMETRICA___] Ao se pressionar $1 0 relé é acionado e ao se pressionar S2 ele é desativado. A fonte € simples e o relé é de acordo com a tens&o, Pode-se fazer funcionar a mesma verséo com tensdes de 9V. O diodo em paralelo com o relé é de silfcio para uso geral como o 1N4148, O +12v $1 Re DESLIGA 10k ° ¢ RI 10k + + [7 01 1N4148 | s2 R3 Tea 10k lio RuUIOIO12 Mc2Rce ov BD434 TRANSISTOR PNP DE SILICIO DE POTENCIA 136 Circuitos & Informagdes OSCILADOR PARA PRATICAR TELEGRAFIA Este oscilador produz um sinal agradavel entre as frequéncias de 400Hz e aproximadamente 5kHz. O ajuste de frequéncia é feito em P1 e¢ esta faixa pode ser sensivelmente alterada pela troca de valor de C1. O manipulador em lugar de ser intercalado entre a fonte de alimentacdo e o circuito também pode ser ligado em série com o pontencidmetro P1. PROVA DE ELETROLITICOS © PONTEIRO SALTA ATE A POSICAO (1) E VOLTA ATE A (2! CAPACITOR EM PROVA Newton C. Braga 137 OSCILADOR DE POTENCIA. Este circuito fornece alguns watts de som a um alto-falante de 8 ohms. Os transistores de sa(da devem ser montados em dissipador. A frequéncia é ajustada em P1 e depende também do valor de C1. O oscilador entra em operacdo ao se pressionar S1. 5 Excelente 5 Nenhum 4 Bos 4 Leve 3 Regular 3 Moderado 2 Pobre 2 Forte 1 Muito ruim 1 Extremo QSA — S$ — intensidade de sinal QRM — | — interferéncias QRN — N — rufdos OSB — F — fading (disturbios de propagacao) QRK — O — meérito final 138 5 Nenhum 5 Excelente 4 Leve 4 Bom 3 Moderado| 3 Regular 2 Forte 2 Ruim 1 Extremo | 1 Muito ruim Circuitos & Informac&es AMPLIFICADOR TBA810S. Este amplificador fornece poténcia de 1 a 8W conforme a tensdo de ali- mentag3o, podendo ser usado em diversas aplicagdes. O circuito integrado deve ser dotado de um bom dissipador de calor e a impedancia do alto-falante pode ser de 4 ou 8 ohms. +4A18V ENTRADA 00k 00pF DISSIPADOR TBABIOS => —_ wopF RL an -O TBA810 Faixa de tensées de alimentacao Poténcia de sa‘da para carga de 4 ohms. . Impedancia de entrada . . . Protecdo de saida . Corrente quiescente .. Distorgaéo harménica em kHz com 14; av e2,5W Newton C. Braga 139 (_conversor ANALOGICO — DIG 4 A frequéncia de safda depende da tensao de entrada neste circuito. A fre- quéncia central de operacdo é determinada por C1 e ajustada em P1. O resistor Ri tem seu valor dado pela faixa de variacdo do sinal de entrada. Para variagdes até 1V o resistor pode ser de 1k. el 100k BR} Cl SAIDA 9 ou lev ane RS Re 100R 160R + 4 o- (#) VER TEXTO - — CIRCUITO RLC PARALELO Less ese e707} ———— —— fl £0 £2 fO= 1 = L 2mVic f2-fl= z I 2° cree 140 Circuitos & Informagdes [ TIMER UMA HORA J O relé sera desarmado depois de até 1 hora de pressionado o interruptor S1 de partida. Este tempo é determinado por C2 e pelo ajuste de P1. O relé deve ser de 12V do tipo sensfvel. Tempos maiores esto condicionados a existéncia de fugas no capacitor eletro!{tico C2 que deve ser de boa qualidade. S$} PARTIDA 1 a a tes O+ scr MCR106 qev PY amM7 « RUIOIONZ cy LS = ese. CIRCUITO RC PARALELO INTENSIDADE R EM OHMS C EM FARADS F&M Hr Newton C. Braga 141 (putsapor comscr____———d A lampada L1 de até 3A de corrente pulsa numa frequéncia determinada pelo capacitor C3 e pelo ajuste de P1. O SCR ligado a lampada deve ser dotado de dissipador de calor se a [ampada exigir mais de 500mA de corrente. A lam- pada tem tensdo de acordo com a alimentacao. —O +6 ar2v CIRCUITO RC SERIE " 1 “27 RC R EM OHMS ¢ EM FARADS #1 EM HERTZ 142 Circuitos & InformacSes (simpces ETAPA AMPLIFIGADORA_______] Este circuito de baixa poténcia tem um ganho de 46dB e pode ser usado em etapas de entrada de amplificadores. +3AI2V 1 1OpF 20 A 100kKHz ENTRADA MEDIDA DE TENSAO EM R ETAPA DE 2 TRANSISTORES: 7548 Esta etapa de dois transistores apresenta um ganho de 75dB. O bom fun- cionamento do circuito depende do ganho individual dos transistores e também de seu nivel de rufdo. R1 permite modificar a impedancia e o ganho do circuito. GANHO=7548 A= 4K7 FAIXA: 40 & SOKHZ SERIE TRIBO-ELETRICA Amianto Fete de copie Amianto + Vidro Vidro ice Amianto + Nylon Vidro | — La Pele de gato See Vidro + Papel Papel + Madeira ; ee Vidro + Papel — Enxofre Circuitos & InformacSes [= en ___ETAPA DE2 TRANSISTORES________] 2M Esta etapa de 2 transistores apresenta uma impedancia de até 2M de entra- da. Sua safda é de baixa impedancia e os transistores devem ser selecionados, principalmente Q1 que deve ser de alto ganho e baixo nivel de rufdo. RI 100K RZ 180K al ENTRADA Zent= 2MA. RS R4 155k ane ies | COMPRIMENTO MAXIMO DE FIOS PARA 5% DE PERDA EM APARELHOS DE SOM 8 ohms 16 ohms Newton C. Braga 145 RELE DRIVER (1 TRANSISTOR — GANHO 100). Este circuito permite aumentar em 100 vezes a sensibilidade de um relé. O valor de R2 é determinado pela resisténcia Ghmica da bobina do relé, situando-se normalmente entre 10k e 100k para os tipos comuns. O transistor usado deve ter um ganho minimo de 100. R2=200 VEZES A RESISTENCIA 00 RELE CORRENTES DE MOTORES ELETRICOS (A) 146 Circuitos & InformacSes RELE DRIVER (2 TRANSISTORES) Um sinal de apenas 0,7V X 50xA pode disparar o relé com este circuito multiplicador de sensibilidade. O relé tem sua tensdo de operacdo de acordo com fonte e os transistores usados devem ser de boa qualidade. O +6A15V Zeecioneionve Boon 7oomv x S0yA BS AMPLIFICADOR OE AUDIO INTEGRADO Faixa de tensdes de alimentacao Poténcia em 4 ohms com 9V Poténcia em 8 ohms com 12V . Impedancia de entrada Protecao contra curto circuito na safda...... Corrente quiescente Distorgao harménica 4 1kHz com 9V x 500mW . Newton C. Braga 147 MONOESTAVEL Para um pulso de disparo de curta duragdo e variacdo positiva obtém-se na safda deste circuito um impulso retangular de 5 segundos de duracdo. O tempo de dura¢ao deste impulso pode ser alterado pela troca de C1. +3A9V RI R3 Re aK es 39K o 1K 20pF 10K 4 Se 0 qNS198 DISPARO 2SB370 / 2SD170 (PNP) — (NPN) TRANSISTORES DE SILICIO DE PEQUENA POTENCIA PAR COMPLEMENTAR DE 7A 2W 8 2SB370 2S8D170 Vv mA mW min-max 148 Circujs yg & Informacées ETAPA FET. Esta etapa apresenta uma impedancia de entrada de 2M. O poténciémetro P1 deve ser ajustado para se obter uma queda de tensdo da ordem de 5,6V sobre O resistor R1. +12 AISV Vee -5.8¥ 1 150nF ENTRADA, GANHO ~ 2148 oo 4k7 Zent -2Mn 2M2 FAIXA — 15 A 250KHz FETs CANAL N Vos Prot 'Gss (max) ‘sss (mineéx) Crs Newton C. Braga 14g SS Sawa LADOR DENTE-DE-SERRA________] Este oscilador produz um sinal dente-de-serra de boa intensidade. A fre- quéncia do sinal é determinada por C1 e ajustada por P1. A linearidade do sinal depende do transistor 02. A faixa de frequéncia para os valores dados é de 5OHz a 6kHz. O+ cr 1OpF 9 oulav o- f= 50H: A 6KH: CARACTERISTICAS DE DIODOS equivalente 150 Circuitos & Informagées OSCILADOR SENSIVEL A LUZ A frequéncia deste oscilador depende da intensidade da luz incidente no LDR. A fonte de alimentagdo deve ser simétrica e o resistor R4 evita uma sobre- carga na safda do circuito integrado. C1 determina a faixa de frequéncia de ope- rac&o do circuito. RESISTENCIA INTERNA E=E, +2 +E3 + rarytrgtes3+- Newton C. Braga 151 ALARME COM 0 741 Este circuito dispara quando a luz deixa de incidir no LDR. A sensibilidade é ajustada no potenciémetro P1 que pode ter valores entre 10k e 100k. Para uma atuac4o positiva, ou seja, quando a luz incide, basta trocar de posicio o LDR com P1e R1. O relé é do tipo sensivel RU101012 com bobina para 12V. + + O+ iR1 10K [E Re 10K R1 1K rev of 2 7 6 741 3 Ra Fal 5 1K2 ¢ sa a nals 10K 4 + on ALTA (A) PROVA DE TRANSISTORES BAIXA (B) 2@ °@ i S g L____»—_, VERMELHA (v) PRETA (P) 77 e Circuitos & Informacdes ALARME DE UMIDADE Este circuito dispara com a agao de umidade no sensor. O relé é de 12V RU101012 ou equivalente, com pelo menos 200 ohms de resisténcia de bobina. 0+ R6 1K2 21 lev Bcsse aS ;° Ke { 01 iwaise Ae a aS = CARACTERISTICAS DOS OPERACIONAIS (TERMOS) Ganho sem realimentacao (Ao) — “‘Open-loop voltage gain” — é 0 ganho maximo de tensdo de um amplificador operacional, podendo ser ex- presso em dB ou no numero de vezes em que a tensdo é amplificada. Valores entre 100 000 ou 100dB so comuns. Impedancia de entrada (Zs) — “Input impedance” — é a impedancia rela- tiva aos terminais de entrada, expressa somente em termos de resis- téncia. Impedancia de safda (Zs) — Output impedance’ — é a impedancia de sa/- da expressa em termos de resisténcia. Rejeicao de modo comum (cmrr) — “Common mode rejection’ — um am- plificador operacional ideal fornece uma saida que é proporcional 2 diferenca entre dois sinais aplicados em sua entrada. Se sinais iguais sao aplicados em suas entradas simultaneamente, ou seja, de modo comum, sua saida deve ser zero. Na pratica, sinais iguais nao cance- lam totalmente a saida, sendo esta capacidade de rejeicdo justamente expressa em termos de dB. Frequéncia de transic¢go — “Transition frequency” — 6 a frequéncia méxi- ma em que teoricamente o amplificador pode ainda funcionar. Newton C. Braga 153 = ___ SIMPLES DETECTOR DE MENTIRAS________| O sensor consiste em duas placas metélicas nas quais 0 interrogado apoia as mos ou os dedos. O ajuste do ponto de funcionamento é feito em R4. O instru- mento 6 um VU comum de baixo custo. O transistor deve ser de boa qualidade, nao apresentando fugas em excesso. - + -O+ R3 1K 4 RS ma aK? ra [Je 10K, ci = SF SENSOR TESTE DE ZENERS Vz 1 1000000 GcRISTAL Newton C. Braga 157 REFORCADOR DE SINAIS. Este circuito pode ser usado para reforcar sinais da faixa de AM, ondas curtas e até mesmo FM. As ligacGes devem ser curtas e feitas com fio blindado na entrada e safda do circuito. Os capacitores sao todos ceramicos. +9AI2v ENTRADA ANTENAS DE RADIO SIMPLES ISOLADOR DIPOLO SIMPLES A=COMPRIMENTO DE ONDA DIPOLO DOBRADO 158 Circuitos & Informagdes BIOGRAFIA Newton C. Braga, nascido em Sao Paulo — SP, & 6 de novembro de 1946, iniciou cedo suas atividades no campo da eletrdnica. Com apenas 11 anos de idade ja elaborou uma série inédita de projetos de eletrénica que foram posteriormente publicados na forma de secao na revista Eletronica Popular, do Rio de Janeiro. Por influéncia dos pais, mal terminava o curso colegial e ja lecionava em escolas preparatérias aos vestibulares, tendo sido fundador de uma delas no municipio de Guarulhos. Posteriormente ingres- sou na USP, tendo cursado o Instituto de Fisica e a Escola Politécnica. Ja, nesta época, mesmo como estudante, escrevia artigos técnicos de eletrénica para diversas publicacdes como a revista Monitor e o jornal a Eletronica em Foco. Foi professor de eletronica do Colégio Objetivo e realizou pesquisas no campo da Bio-eletrénica na Escola Paulista de Medicina. Participou também de importantes associacdes de pesquisas, como a APEX, onde trabalhos sobre eletrdnica, parapsicologia e outras ciéncias foram estuda- dos e analisados. Teve diversos trabalhos publicados no exterior, como por exemplo uma colaboracao constanteno boletim da CBC(Canadiam Broadcasting Co.). Em 1976 foi convidado 2 participar de uma nova publicacdo. Desde entdo, tem sido diretor técnico da Revista Saber Eletrénica, com a divulga- ¢4o, neste orgdo, da maioria dos trabalhos de sua autoria. Além desta pu- blicag3o, também tem a autoria de outro periddico desta mesma editora, a revista Experiéncias e Brincadeiras com Eletrénica Junior, e colabora com a revista Rédio e Eletronica. CIRCUITOS & INFORMACOES Tudo que vocé precisa saber para fazer projetos e mon- tagens eletrdnicas: — 150 circuitos completos informacGes técnicas e componentes tabelas formulas e calculos equivaléncias pinagens cédigos unidades elétricas e conversdes idéias praticas e informacGes Uteis simbologias usos de instrumentos eletronica digital Um livro de consulta permanente, que nao deve faltar em sua bancada. Em suas mos, as informacdes imediatas que vocé tanto precisa. Para o hobista, estudante, técnico e engenheiro.