Você está na página 1de 11

Quem eu sou e o que vim fazer aqui?

Vez ou outra me faço essas perguntas que ficam a borbulhar em


minha cabeça, de onde vim e o que vim fazer aqui. Tudo parece tão
confuso e complexo, às vezes bate a curiosidade de mergulhar dentro de
mim, outras vezes bate o medo de não gostar do que ver por lá. Tentando
fingir que tudo está bem, mas me sinto desconexa e distante desse
mundo ao mesmo tempo me sinto ligada a isso tudo, sinto que tenho algo
a cuidar aqui e isso é o que me mantém presa e esse lugar essas pessoas.

Longe de mim se sentir especial ou melhor do que qualquer pessoa,


me sinto desesperada por não ter com quem contar, com quem desabafar.
Digo para mim mesma que não sou daqui, é só uma passagem repito, isso
anestesia a dor que sinto por dentro. Pensar que tudo é passageiro me
mantém sã, faz com que eu não me desespere. Porém, as emoções são
volúveis, vivendo internamente entre extremos, mas externamente
mantendo firme o controle, uma hora ou outra tudo explode.

Tão nova lutando contra a ansiedade e pensamentos depressivos e


suicidas. Tendo que lutar todos os dias com inúmeras vozes na minha
cabeça além da minha. Muitas delas me dizem que eu não vou conseguir,
que eu sou um fracasso, que sou alguém que ninguém deseja ter por
perto, que eu não sou amada. Lá no fundo, no fundo mesmo, há uma voz
que me diz para continuar, que eu sou forte e essa voz me da esperança
de que nem tudo está perdido. Tento conversar com essa voz que se diz
ser meu amigo, eu penso estar enlouquecendo e eu sei que preciso de
ajuda. Quem irá me ajudar? Ninguém entende meus conflitos internos
além de eu mesma. Então me calo, a solidão me faz companhia e aprendo
a arte do silêncio com ela. Tudo vai ficar bem e eu sei que um dia terei
orgulho de mim.

A zona de conforto te deixa satisfeito, tudo está ruim, mas está tudo
bem. Você não evolui nela, é o caminho mais fácil que não leva a caminho
algum. Viver na zona de conforto é como viver de forma vegetativa para o
espírito, acredita. São tantas e tantas pessoas que vivem assim, sempre
se escorando nas relações, no trabalho, nos amigos, não saem do mesmo
ciclo, passa a vida inteira vivendo da mesma forma, isso me dá um
desespero, não tenho certeza de muito, mas o pouco que tenho certeza é
que não quero viver assim. Eu gosto dos desafios, eu gosto das mudanças.
Alguns empurrões são necessários para nos colocar no lugar certo.
Pensamos que o mundo vai desmoronar, mas ficamos mais fortes, mais
espertos, mas livres, sempre encontramos o nosso caminho em meio aos
tormentos. É nesses momentos que descobrimos a pessoa que estava
escondida por dentro esse tempo todo, que possui uma força tamanha
chamada alma.

Sentir a energia de todos que me rondam não foi uma escolha, queria
fugir, mas não consigo. Dizem que os sensitivos são anjos na terra e
trabalham diretamente com Deus. Vemos o que os olhos não vêem para
transformar o mundo num lugar melhor, mudamos a energia dos
ambientes, nos conectamos com o todo e vemos a energia de Deus no
todo. Nas plantas, nos animais, nas flores, no cheiro da chuva, na terra
molhada. Ser sensitiva para mim é uma dor, às vezes prefiro ter os olhos
fechados, a ignorância é uma benção, as pessoas são mais alegres vivendo
na ilusão. E quando tento intermediar alguma situação acabo como a
"chata", a "certinha", ou aquela que só olham com os olhos arregalados.
Tem pessoas que se sentem invadidos com minha presença, me olham
como se estivesse julgando e então fogem, se afastam. Ser Empata é um
dom e um tormento ao mesmo tempo.

Esse conflito entre o externo e o interno é continuo. O externo reflete o


interno, então não devo mudar o mundo, mas a mim mesma e dessa
forma meu mundo muda no mesmo movimento. Estou perdida e não
quero um caminho dado, eu quero descobrir por contra própria. Sem
mapa, sem bússola que aponta para o norte, sem religião para me ditar o
que acreditar. Sair em uma aventura dentro de mim, me descobrir, me
mergulhar. O que eu tenho a perder? Nada. Aliás, ou eu luto ou deixo
toda essa energia negativa que me ronda me engolir. Me vejo em frente a
um precipício onde não tenho como recuar. Eu pulei, e quando pulei
descobri que tenho asas. Então eu entendi o que significa a palavra
liberdade.

Autoconhecimento é necessário para se tornar feliz

Coisas que a gente sente, mas que não fala para ninguém:
- As lutas internas contra nossos fantasmas a noite na cama. Parece que vamos
morrer, pensamos que não vamos aguentar, choramos como uma criança, mas logo
passa e ao amanhecer já estamos bem. As batalhas entre a fé e o medo, a luz e a
escuridão.
- Quando olhamos para o céu e nosso peito se enche de emoção ao sentir que no
momento presente estamos aqui, que a vida é especial. Olhamos para o infinito que
existe sobre nossos olhos, a imensidão de estrelas, e sabemos que fazemos parte
disso tudo, que estamos conectado de alguma forma com algo além.

Uma das coisas que nossos guias nos ensinam é que tudo tem seu tempo e
não há como apressar, nem pular etapas no processo do amadurecimento
espiritual.
Quando enxergamos que as coisas não acontecem quando nem como queremos,
passamos a ter uma compreensão mais humilde da vida.
Diminuindo a força da criança mimada dentro de nós, criamos oportunidade para o
desenvolvimento do sábio que dorme nas profundezas da nossa alma.
Ruptura da religião para iniciar a espiritualidade
Descobri no direito que espiritualidade é um direito inviolável, como a
LIBERDADE de consciência e de crença. Aprendi que saúde não é apenas a
ausência de doença física, mas um conjunto de determinantes físicos, mentais,
sociais e espirituais. Em uma das minhas sessões de coaching eu desenhei
uma roda, separada em pizza, cada parte era uma área importante da nossa
vida que eu tinha que preencher de acordo com o meu desenvolvimento
nessas áreas e uma dessas partes era espiritualidade, uma área influenciava
todas demais e para ter equilíbrio na vida era preciso todas estarem no mesmo
nível.
A espiritualidade é importante para o desenvolvimento e autonomia do
indivíduo, não é a religião que estou falando. Existem pessoas com religião e
sem espiritualidade, os fanáticos. É a importância do autoconhecimento, de
você descobrir seus males e enfrentá-los, de você descobrir respostas dentro
de você e não precisar procurá-las fora. A espiritualidade é parte importante do
bem estar.
Eu já passei por períodos cética, pensava comigo mesma que não precisava
de uma fé para me sentir bem. Hoje eu vejo o quanto eu estava errada. O
quanto minha vida mudou desde que aprendi a meditar, mudei minha visão de
mundo, eu parei de culpar o mundo pelos problemas, eu enfrentei meus
medos, eu aprendi a olhar para as pessoas com outro olhar, de alma para
alma. Antes eu julgava a sociedade por tudo, agora eu sei que o outro é
espelho, então eu devo olhar para mim. Eu parei de sentir ódio pelo mal que
me acontecia, eu passei a vê os males como lições que me fazia evoluir. O
ceticismo faz você levar a vida como um grande tanto faz, você não dá o
devido valor as outras pessoas, você fica pessimista, sem nenhuma
perspectiva de vida. Vê um mundo de forma cinza, vira um grande nilista e
pensa que as pessoas são uma grande bosta. Quando descobrimos a
espiritualidade vimos que os nossos pensamentos interfere na realidade.
Vimos que todos temos qualidades e defeitos, é preciso paciência e
principalmente tolerância com o outro. Eu descobri crença e ideologia faz parte
da liberdade da consciência.
Todo mundo procura algo para preencher seu vazio, eu descobri na
espiritualidade que somos completos e me preenchi de mim mesma.

Não procuramos a salvação, sempre estamos a salvo. Não precisamos que


nos dêem respostas, descobrimos elas no nosso interior. A nossa
espiritualidade vai muito além da culpa e de sacrifícios. Não seguimos dogmas,
seguimos a intuição. Não queremos mostrar que estamos certos, pois sabemos
que a única verdade absoluta que temos é o Aqui e o Agora. Não procuramos
milagre, somos gratos ao que temos. Não culpamos o demônio nem o outro,
sabemos que tudo foi planejado para nossa evolução. Não esperamos um
paraíso, porque sabemos que céu e inferno são sensações da alma. Não
odiamos o errado, sabemos da nossa própria imperfeição. Recusamos vê o
outro pela aparência, enxergamos a alma, muitas pessoas não nos entende.
Entendemos a dualidade de todas as coisas, temos coragem de enfrentar
nossa sombra. Nós não sabemos de tudo e estamos relaxados com isso. Não
nos prendemos a bens, pessoas, lugares, pois sabemos que estamos de
passagem. Não dividimos o que é do homem e de deus, sabemos que o
homem e deus nunca esteve separado. Não julgamos, vivemos, sorrimos,
amamos.
Somos os seres de luz, estamos na terra nesse momento decisivo para ensinar
uma nova forma de viver pautada no desapego material, no amor ao próximo,
na liberdade e na guerra contra o ego e a ilusão.
Jesus e Buda foram espíritos que estavam em uma evolução avançada, talvez
Buda conseguiu alcançar uma evolução maior do que a de Jesus. O que me
chama mais atenção é que nenhum dos dois eram pessoas adoradas enquanto
vivas, só passaram a ter seguidores após a morte. As pessoas se conectam
pela energia, espíritos elevados incomodam por onde passam, incomodam o
ego e confunde a mente. Quem não está na mesma dimensão de consciência
deles, só repetem os ensinamentos como papagaios, mas não entende nada.
Jesus disse "antes de Abraão eu sou", mas isso está errado para a grande
parte das pessoas, ora, na dimensão que ele estava e está não existe o tempo.
Mas cada um entende e fala de uma forma diferente o que está escrito, porque
eles leem com mente material, não com a consciência do espírito.
Osho diz que ego não tem a ver com poder, ricos tem grandes egos por suas
posições, os pobres tem grandes egos porque sonham em se tornar ricos.
Porque Jesus conseguiu mais seguidores do que Buda? Porque os budistas
não adoram e se ajoelhar perante a imagem de Buda se os dois foram
igualmente evoluídos? Tem um grande detalhe que causa uma grande
diferença entre o budismo e o cristianismo. Jesus foi crucificado e o povo pediu
sua morte, o remorso e a culpa tomou conta das pessoas até chegar a um
número grande da massa. "Jesus morreu pelos seus pecados, ele se deu em
sacrifício a você". Quem não se render a isso tem um coração de pedra, deve
ser muito amor dele morrer para que você tivesse a vida eterna. Sendo que
inúmeros mestres e gênios foram mortos durante toda a história por ousarem a
pensar diferente da maioria, mas o cristianismo se alimenta da culpa e isso faz
as pessoas se tornarem fanáticos porque elas são impuras e precisam se
redimir por salvação. É um pensamento muito louco, mas que domina a
sociedade por milhares de anos.
Jesus ensinou algo mais simples "amar o outro como a si mesmo" e que "Deus
é o amor", uma ideia tão simples não ia trazer fiéis. As pessoas que se dizem
cristãs é pela culpa. Falam-se tanto sobre a volta de Jesus, se o mesmo
voltasse, penso eu, se naquela época sofreu tanto imagine agora, numa
sociedade movida por dinheiro e status, o ego nunca imperou tanto no
mundo... Seria pior. Essas pessoas que o seguem o rejeitaria.
Mas o que os cristãos nunca vão entender que o Cristo não é um homem
material, é uma energia, a energia cristica. Cristo não retornará vindo do céu
num trenó com uns anjos voando. O Cristo está em todos nós. A volta do Cristo
é o despertar coletivo da consciência, a ascensão da consciência cristica.
Dharma
Calma, nem tudo é karma
Yin yang
Qual o sentido de existir a energia negativa? A ideia de equilíbrio não procede,
não existe harmonia onde existe conflito. Os seres das dimensões superiores
já sobressaíram a dualidade por já haverem expandido a um nível alto de
consciência. A energia negativa é a base para abrir a consciência, para ver o
arco-iris é necessário passar por uma tempestade. As energias negativas são
positivas, é a mesma energia transmutada. Para você aprender a ter paciência,
e principalmente, aprender a arte da aceitação é necessário passar por um
longo período de estresse. Para aprender a arte da gratidão é necessário
passar pela falta. Para aprender a ter auto estima é necessário passar pela
culpa, pela não aceitação de si, pela vergonha. Para aprender amar é
necessário passar pela rejeição muitas vezes na sua vida. Só temos
consciência da energia positiva no seu oposto negativo, só temos consciência
do que é a alegria quando estamos tristes, só temos consciência do que é a
felicidade quando estamos infelizes.
A energia negativa da raiva pode vir como uma atitude impulsiva, destrutiva,
uma agressão... Ou... essa energia pode ser transmutada na energia da ação,
é pela raiva - transmutada em ação que tomamos a decisão que devemos ter
tomado antes, a raiva transmutada nos dá o impulso para mudar ou acabar o
que não mais está servindo.
A energia negativa não se exclui, ela é a base, ou você a transmuta ou você
deixa ser engolido por ela.
A guerra entre o Ego e o Ser
Velho ego, pequeno ator coadjuvante, hoje como sempre, mais um dia em
busca de prazer e satisfação.
Esse idoso viajante, hoje percorreu terras longínquas, foi ao passado várias
vezes, e claro, aos anseios futuros.
Ainda não compreendeu que problemas, são para o corrigir, não para se
amargurar. Não vê que os inimigos o ensinam a se tornar forte e não inseguro.
Traz consigo na maioria das vezes remorso e tristeza por não receber o que
desejava ou por perder algumas das suas "posses". Enquanto o ego se
apresenta no palco o Ser dorme na plateia.
De forma nítida esse vovô, cheio de opiniões, julgamentos e paradigmas, "vive"
diariamente insatisfeito com o AGORA, pois viaja incessantemente ao passado
e ao futuro.
Viaja ao que pode ou não acontecer, trazendo consigo grande ansiedade,
gerando profunda angústia.
Sabe que está perto de sucumbir, e que a qualquer momento o Ser pode
acordar. O Ser, a Essência, observa o show em silêncio na plateia.
O ego, ótimo ator, atua manifestando uma realidade distorcida, cheio de
ilusões, anseios, e se perdendo em suas crises existenciais.
Busca incansavelmente reconhecimento e riquezas materiais. Crê que com
isso, a felicidade inundará sua “existência”.
Desfrutar de riquezas e realizações de anseios, gera grande prazer
momentâneo, mas não felicidade. Por isso, o gigante em soberba, o "eu"
resmungão, vive insatisfeito. Felicidade é um estado de espírito, não uma
conquista.
É necessário saber separar o joio do trigo. Compreender a existência de uma
inteligência existencial anterior ao "eu" criado pela mente, é profundamente
libertador. Rompe as correntes da personalidade artificial mundana que
aprisionam a verdadeira Essência, o real EU.
O Ser compreende que pensamentos são apenas pensamentos, e que não
necessariamente é sua verdadeira identidade. A partir daí, o ser, o
personagem principal da história, realmente entra em ação. Aquele que
contempla o belo, que está presente, que está no AGORA, que tem posse de
paz e felicidade grandiosa e que tem acesso ao amor divino e incondicional.
Finalmente, então, o Espiríto atinge sua plenitude no AGORA, tornando-se
personagem principal de sua história.
Vinho dos mortos
Shiva e Brahma
Enfrentando meus demônios internos
Detox espiritual
Ultimato: Em mim habita apenas o amor e a verdade
Mestra Rowena me ensinou a importância da disciplina da mente, ninguém
está livre de Maya e seus efeitos, a mente quando não adestrada usa dos teus
medos contra você, cria situações e sentimentos inexistentes, vira seu pior
inimigo. A mente adestrada, virará tudo a seu favor, transformará a energia
negativa em positiva. Não temos ideia de quão poderosa é nossa mente, nem
do nosso potencial porque estamos limitados na terceira dimensão e por isso
nos deixamos enganar por tantas coisas. Porém, aqui e agora é nos dado uma
chance de evoluir e devemos abraçar isso com toda gratidão. Deus nunca vai
desistir de nós, podemos confiar. Precisamos rasgar o véu da ilusão a nossa
frente e vê o quão grande somos, não há nada a temer. Diz assim Rowena,
somos a união de corpo e alma, ao se desligar, nosso corpo é da terra e a terra
voltará, nossa alma é de deus e a deus voltará; Lembre sempre antes de
qualquer pedido falar em nome do Deus celeste, da deusa terrena e do cristo
libertador. É assim que tem que ser e assim será. Somos amor, essa é a
verdade, tudo além disso é mentira.
Amor próprio é de comer?
O perdão é liberdade
Minha maior inimiga sou eu (auto piedade e auto
sabotagem)
As pedras no caminho são muitas(crenças limitantes)
Substituindo a razão pela consciência
Minhas emoções não são minhas
Se tudo está ruim prepare o exército e vamos à luta
Aqui agora eu sou
Equilíbrio da balança divina
Consciência cristica
Atraímos exatamente o que emanamos
Aceitação e Gratidão
O que sentiu o primeiro homem que subiu no everest? Sentiu vontade de voltar
ao solo e não passou nem 2 min em cima, os pulmões dele não aguentaria
muito tempo. O que sentiu o primeiro homem ao chegar na lua? Saudade da
terra, Neil Alden Armstrong falou que a primeira coisa que fez ao chegar na lua
foi avistar a terra e ver o quão bela ela é, ele fez uma comparação, na lua não
existe água, lá é tudo seco e sem vida o contrário da terra, e sentiu orgulho de
morar aqui. Ele voltou para a terra muito contente, pois sabia que esse era o
seu lar.
O que tiramos disso é que não estamos com quem nem onde queremos, mas
estamos exatamente aonde precisamos estar. O nosso ego nunca se contenta,
para ele nada é o bastante e quando realizamos a vontade do ego não
alcançamos a felicidade, sentimos tédio e enjoo. Quando aceitamos que tudo é
como deve ser,aprendemos a sentir gratidão por tudo o que temos. Há
inúmeros lugares e cidades pelo mundo, há 7 bilhões de pessoas, mas você
está aí nesse lugar e se relacionando com essas pessoas, existe um motivo
em especial para sua alma escolher estar aqui. Não existe outras pessoas nem
outro lugar para estar a não ser esse, nesse momento.
O outro sou eu
Nós seres humanos temos uma falha enorme de não perceber quem está do
nosso lado e quem não está e pecamos pela falta de reciprocidade com o
outro. É muito difícil no dia a dia fazer essa distinção porque todas as pessoas,
fora as que ficam claro que não gosta da gente, parece nos tratar de forma
igual, alguns até são mais simpáticos e legais, mas em momento como esse
que eu estou passando agora de realização pessoal eu vejo as pessoas que
realmente gostam de mim é as que estão felizes com minha felicidade. A gente
percebe que seletividade nas nossas relações é que nos mantem mais
confiantes e que são essas pessoas que nos da mais força e determinação
para realizar nossos sonhos.
Há pessoas que sempre vai nos julgar por um erro no passado, mas outras há
a capacidade de reconhecer nosso esforço e o quanto tentamos melhorar e
damos sempre a volta por cima, essas pessoas que devemos manter por perto.
São nossos mentores encarnados.
Rótulos nas relações
O sofrimento das minhas relações são partes de mim que
precisam ser vistas
Construindo relações harmônicas
Se seu coração quer se entregar se entregue! Não sinta medo, não entre na
bolha da crença limitante que tudo vai dar errado como todas as vezes, apenas
deixe fluir. Se entregue ao sentimento, mas se entregue consciente que não é
o outro que vai te fazer feliz, que ele pode e com certeza vai mostrar ser
diferente do que você espera e é preciso aceitação. Se entregue sem
expectativas, sem peso e cobrança. Se entregue consciente que mais tarde
pode receber um não ou ter planos diferentes. Se entregue no presente, sem
lembrar dos sofrimentos do passado e sofrer por um futuro que nem sabe o
que vai acontecer. Se entregue no hoje. Sua felicidade só depende de você, só
é feliz quem tem coragem, quem se arrisca.
Fazendo as pazes com o ego
Hoje eu peço perdão ao meu ego por toda minha auto sabotagem. Por todas
as vezes que acreditei não merecer algo ou não ser capaz. Pelas vezes que
fiquei no meu canto, não passei o perfume forte que gosto, não me maquiei
como queria e preferi não me arrumar tanto para não ofuscar ninguém e causar
inimizade porque acreditei que as pessoas se afastariam de mim se sentissem
menores ao meu lado. Eu peço perdão ao meu ego, por todas as vezes que eu
escondi os meus dons para não aparecer tanto, todas as vezes que me forcei a
ser alguém normal, entrando dentro do molde, quando me sentia maior que a
média em várias atividades. Eu peço perdão ao meu ego por todas as vezes
que recusei elogios e disse que o que eu fazia não era tão bom assim para não
pensarem que sou arrogante. Eu peço perdão ao meu ego por mendigar amor,
atenção e não perceber a mulher maravilhosa que eu sou e que merece
alguém do mesmo nível ao meu lado. Eu peço perdão por todas as vezes que
tentei mostrar ser humilde quando tudo o que mais adoro é chamar atenção
por onde passo. Eu cansei de ta brigando com o ego e o escondendo quando
nunca vou conseguir isto, pois, ele faz parte da minha condicionalidade
humana.
Hoje eu faço as pazes com meu ego e entendi que seres de luz brilha.
A energia sexual
A mulher que habita em mim saúda a mulher que habita
em você
Ancestralidade
Alma e espírito
Deus existe
Einstein dizia que os seres humanos são uma parte do universo que acredita
estar separada do todo, podemos chamar essa separação de individualidade.
O universo experimentando a sí mesmo, de uma forma que não tem
consciência que é o próprio universo.
A grande fraternidade branca
A teoria do caos
O relativismo como forma de ver a vida
Taoismo
Iluminação