Você está na página 1de 14

UNIVERSIDADE ZAMBEZE

FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA


CURSO DE CIÊNCIAS ACTUARIAIS

Elementos de Física

Discente

Alberto Júnior Mutende

Cristóvão I. Marcelino Rupia


Iranilde Rodrigues Patricio

Nizia da Ilda Manuel Marrengula

Sebastião Mosse Bieta

DOCENTE:

Sandro Paes

Beira, Setembro de 2019

1
Índice
1. Introdução ........................................................................................................................................1
1.1. Objetivo geral ............................................................................................................................1
1.2. Objectivos específicos ...........................................................................................................1
2. Metodologias de pesquisa ...............................................................................................................2
O aquecimento global e o efeito de estufa..........................................................................................3
3. O Efeito de Estufa.........................................................................................................................3
3.2. Gases do efeito de estufa .............................................................................................................4
3.2.1. Dióxido de carbono (CO2) ......................................................................................................4
3.2.2. Metano (CH4) .............................................................................................................................4
3.2.3. Ozono (O3) .............................................................................................................................5
3.2.4. Vapor de água ....................................................................................................................5
3.2.5. Clorofluorcarbonetos (CFCS)......................................................................................................5
3.2.6. Óxido Nítrico ..........................................................................................................................5
4. Aquecimento global .................................................................................................................6
4.2. Causas do aquecimento global .....................................................................................................6
4.2.1. Desmatamento ......................................................................................................................6
4.2.2. Emissão dos gases indústrias e usinas termoeléctricas .............................................................7
4.2.3. Poluição das águas .................................................................................................................7
4.4.4. Grandes emissores de gases de efeito estufa ....................................................................7
4.2. Consequências do aquecimento global ...............................................................................8
4.4.4. Alterações na disponibilidade de recursos hídricos ..................................................................8
4.2.5. Mudanças nos ecossistemas ..................................................................................................9
4.2.6. Interferências na agricultura......................................................................................................9
4.2.7. Desertificação ........................................................................................................................9
4.3. Impactos na saúde e bem-estar da humanidade....................................................................... 10
4.4.As possíveis soluções para minimizar os efeitos do aquecimento global .............................. 10
5. Considerações finais ..................................................................................................................... 11
Referências bibliográficas ................................................................................................................. 12
1. Introdução

Devido às mudanças climáticas globais é muito comum a ocorrência de catástrofes e isso


acontece porque o homem tem alterado a composição da atmosfera através das diversas
actividades que realiza, ou seja emitindo os gases de efeito de estufa.
Daí que a temática que envolve as mudanças climáticas, foi ganhando espaço no mundo da
ciência, pois os cientistas acreditam que daqui alguns anos o nosso planeta poderá não ser
mais habitável. Tudo começou em 1968 quando vários cientistas reuniram- se em Roma para
discutir a conservação dos recursos naturais e crescimento populacional, ao final da discussão
decidiu - se divulgar os problemas ambientais em nível planetário, e com isso foi realizada
no Estocolmo em 1971 a primeira Conferência Mundial do Meio Ambiente Humano, que
teve como tema, a poluição ocasionada principalmente pelas indústrias.
Sendo assim o presente trabalho, faz uma abordagem sobre o aquecimento global e o efeito
de estufa, com maior enfoque na questão :" de que forma o homem contribui para o
aquecimento global e o efeito de estufa?"

1.1. Objetivo geral

Desenvolver sobre o aquecimento global e o efeito de estufa e de que forma o homem


contribui para a mudança do clima.

1.2. Objectivos específicos


● Contribuir para o conhecimento do aquecimento global e o efeito estufa.
● Desenvolver sobre as causas do aquecimento global e efeito de estufa.
● Dar a conhecer sobre as consequências do aquecimento global.
● Contribuir para o conhecimento das acções de mitigação do efeito de estufa.

1
2. Metodologias de pesquisa

Para que a realização do trabalho fosse possível, o trabalho foi realizado em três fases:
pesquisa, compilação e digitação. O trabalho foi realizado em 6 dias, em aproximadamente
18 horas. Para a nossa pesquisa utilizamos livros, sites da internet, dissertações, teses e
monografias.

2
O aquecimento global e o efeito de estufa

3. O Efeito de Estufa

3.1. Conceito
A atmosfera – a fina camada de gases que envolve o planeta Terra – é constituída
principalmente por Nitrogênio (N2) e Oxigênio (O2) que, juntos, compõem cerca
de 99% da atmosfera. Alguns outros gases encontram-se presentes em pequenas quantidades,
incluindo os conhecidos como “gases de efeito estufa”. Tais gases, contudo, são essenciais
para a manutenção do clima e dos ecossistemas terrestres. Dentre estes, estão o dióxido de
carbono (CO2), o metano (CH4), o óxido nitroso (N2O) e também o vapor de água (H2O).
Esses gases são denominados gases de efeito estufa por terem a capacidade de reter o calor
na atmosfera, do mesmo modo que o revestimento de vidro de uma estufa para o cultivo de
plantas o faz. O vapor d’água e o dióxido de carbono têm a propriedade de permitir que as
ondas eletromagnéticas que chegam do Sol atravessem a atmosfera e aqueçam a superfície
terrestre. Contudo, esta mesma camada dificulta a saída de calor (radiação infravermelha)
emitida pela Terra impedindo que ocorra uma perda demasiada de calor irradiado para o
espaço. Isso mantém a Terra aquecida. O efeito estufa é um fenômeno natural que acontece
há milhões de anos e é necessário, pois sem ele a temperatura média da Terra seria 33ºC mais
baixa e a vida no planeta, tal como a conhecemos, não seria possível.

Efeito de estufa: é um processo que ocorre quando uma parte da radiação solar reflectida
pela superfície terrestre é absorvida por determinados gases presentes na atmosfera. Como
consequência disso, o calor fica retido não sendo liberado para o espaço.
A atmosfera aquece por por absorver radiação infravermelha proveniente da superfície
terrestre aquecida pelo sol. Por este motivo quanto mais gases de efeito de estufa houver,
tanto menos radiação poderá escapar na terra em direcção ao espaço e mais aumentará a
temperatura do planeta.

3
3.2. Gases do efeito de estufa

As principais substâncias indutoras do efeito de estufa são: dióxido de carbono (CO2),


metano (CH4), (O3), valor de água, clorofluorcarbonetos (CFCS) e óxido nítrico (N2O).

3.2.1. Dióxido de carbono (CO2)

O dióxido de carbono não és o só um elemento natural, mas também é um poluente produzido


quando os combustíveis fósseis são queimados, quando os seres humanos e animais respiram
ou quando os planetas entram em decomposição. As plantas e os oceanos absorvem enormes
quantidades de dióxido de carbono, o que impede que os níveis de dióxido de carbono
aumentem ainda mais rapidamente.

3.2.2. Metano (CH4)

O metano é liberado por arrozais, turfeiras e gado bovino, mas também por veículos, casas e
fábricas. É um dos mais impu gases do efeito de estufa: embora, em média uma molécula de
um metano permaneça na atmosfera menos de uma década, consegue absorver durante esse
período entre 20 a 25 vezes mais energia infravermelha que uma molécula de dióxido de
carbono em um século.

4
3.2.3. Ozono (O3)

A formação do Ozono na atmosfera é resultado de uma série de processos que envolvem a


absorção de radiação solar. Moléculas de oxigénio (O2) são dissociadas em átomos de
oxigénio após absorverem radiação solar de ondas curtas (ultravioleta). O ozono é formado
quando um átomo de oxigénio colide com uma molécula de oxigênio em presença de uma
terceira molécula (M) que permite a reacção mas não é consumida no processo. A presença
do ozono pode atingir níveis prejudiciais para a saúde quando se acumula ar estagnado junto
à superfície terrestre.

3.2.4. Vapor de água

O vapor de água é um dos mais variáveis gases na atmosfera. Nos trópicos húmidos e quentes
constitui não mais de 4% do volume da baixa atmosfera, enquanto sobre os desertos e regiões
polares pode constituir uma pequena fração de 1%.
O vapor de água também tem grande capacidade de absorção, tanto de energia radiante
emitida pela terra (em ondas longas), como também de alguma energia solar. Portanto, junto
com o dióxido de carbono o vapor atua como uma manta para reter calor na baixa atmosfera.

3.2.5. Clorofluorcarbonetos (CFCS)

São responsáveis pela destruição da camada de ozono da estratosfera e são poderosos agentes
de efeito de estufa por possuírem uma longevidade. Os CFCS são mais pesados do que o ar,
mas misturam - se com facilidade na atmosfera. Uma vez chegados à atmosfera, permanecem
aí o tempo suficiente para causar danos. Os CFCS são também gases de efeito de estufa,
possivelmente responsáveis por cerca de 19% do aquecimento do ser humano.

3.2.6. Óxido Nítrico

O óxido nítrico é um poluente de origem industrial. Embora sua concentração seja apenas
300 partes por milhar de milhão, tem um efeito de 300 vezes superior ao do dióxido de
carbono ao longo da sua centenária. As principais fontes de emissão de ácido nítrico são :
queima de combustíveis, produção e uso de fertilizantes, queima de resíduos agrícolas,

5
processos industriais ( produção de ácido nítrico e produção de ácido adípico) e manipulação
da agricultura e de animais.

4. Aquecimento global

4.1. Conceito
Aquecimento: é o aumento da temperatura de um corpo provocado pela transparência de
energia térmica de um corpo.
Aquecimento global: é um fenômeno climático que estabelece o aumento da temperatura
média da superfície terrestre.
Bem como pode ser entendida como sendo o aumento da temperatura de terra provocada pela
maior retenção, na atmosfera da radiação infravermelha por ela reflectida, em decorrência do
aumento de determinados efeitos de estufa.

Os gases do efeito de estufa são transparentes à luz, mas opacos para comprimentos de onda
irradiados pela terra. Portanto esses gases transmitem a luz do sol para terra, mas atrasam a
perda de energia em forma de calor, para o espaço. Enquanto retida, essa energia na forma
de calor é absorvida e emitida continuamente, aquecendo a baixa atmosfera. Conforme as
concentrações desses gases de estufa aumentam, mais energia em forma de calor permanece
na atmosfera, aumentando a temperatura, consequentemente ocorre o aquecimento global.

4.2. Causas do aquecimento global

As principais causas do Aquecimento Global estão relacionadas, com as práticas human


as realizadas de maneira não sustentável, ou seja, sem garantir a existência dos
recursos e do meio ambiente para as gerações futuras. Assim, essas causas resumem-
se em: queimadas, o desmatamento, emissão de gases pelas indústrias e usinas
termoeléctricas, poluição da água.

4.2.1. Desmatamento

O desmatamento das áreas naturais contribui para o aquecimento global no sentido de


promover um desequilíbrio climático decorrente da remoção da vegetação que tem como
função o controle das temperaturas e dos regimes de chuva. As florestas são grandes
fornecedoras de humidade para a atmosfera, provendo um maior controle das
6
temperaturas e um a certa frequência de chuvas, por isso, a remoção das florestas
contribui para o aumento das médias térmicas e para a redução dos índices de
pluviosidade.

4.2.2. Emissão dos gases indústrias e usinas termoeléctricas

A emissão dos gases de estufa também são responsáveis pelo aquecimento global e
os principais elementos são: o dióxido de carbono (CO2), gerado em maior parte pela
queima de combustíveis fósseis; o gás metano (CH4), gerado na pecuária, na queima
de combustíveis e da biomassa e também em aterros sanitários; o óxido nitroso (N
2O), produzido pelas fábricas; além de gases com flúor, tais como os fluorídricocarbonos
e os perfluorocarbonos.

4.2.3. Poluição das águas

A poluição das águas também é um factor relacionado com o aquecimento global.


No caso dos oceanos, existem seres vivos responsáveis pela absorção de gás carbónico e
emissão de oxigénio: os fitoplânctons e as algas marinhas. Portanto, a destruição de
seus habitats interfere directamente na dinâmica atmosférica global.

4.4.4. Grandes emissores de gases de efeito estufa

Historicamente, os países industrializados foram responsáveis pela maior parte das


emissões globais de gases de efeito estufa, sendo os Estados Unidos o país líder de
emissão destes gases. Entretanto, na actualidade, vários países em desenvolvimento,
entre eles China, Índia e Brasil, também se encontram entre os grandes emissores.
Mesmo assim , os países em desenvolvimento continuam tendo emissões muito mais
baixas do que os países industrializados.
Em relação à fonte da emissão, também pode se observar um padrão global. Enquanto
a maior parte das emissões decorrentes da queima de combustíveis fósseis provém dos
países industrializados, as emissões decorrentes das mudanças no uso da terra têm como seus
maiores responsáveis os países em desenvolvimento. No que respeita o efeito de estufa,
as emissões d e um país afectam todos os outros. Os agentes poluidores mais comuns
dispersam-se em poucos dias e tendem a afectar também as zonas vizinhas. .

7
4.2. Consequências do aquecimento global

Além do aumento da temperatura no planeta, existem e prevê-se alguns dos impactos


como consequência do aquecimento global:

4.2.1. Aumento na frequência da ocorrência de eventos climáticos extremos

Deverá ocorrer um aumento na frequência e intensidade de eventos climáticos extremos,


tais como enchentes, tempestades, furacões e secas. Ainda, o El Niño, um evento
climático que ocorre regularmente a cada 5 a 7 anos, poderá se tornar mais intenso
e frequente, provocando secas severas e chuvas torrenciais em algumas regiões.

4.2.2. Elevação do nível do mar

O nível do mar deverá subir, o que implicaria o desaparecimento de muitas ilhas (em
alguns casos países inteiros), com danos fortes em várias áreas costeiras, além de
causar enchentes e erosão.

4.2.3. Perda de cobertura de gelo

O Árctico já perdeu cerca de 7% de sua superfície de gelo desde 1900, sendo que
na primavera esta redução chega a 15% de sua área. Nos próximos anos, poderá
haver uma diminuição ainda maior na cobertura de gelo da terra tanto no Árctico,
quanto na Antártica. Algumas projeções indicam ainda o desaparecimento quase total
do gelo marinho árctico no final do verão, em meados do século XXI, embora os
processos de derretimento deste gelo sejam lentos.

4.4.4. Alterações na disponibilidade de recursos hídricos

Ocorrerão mudanças no regime das chuvas, onde áreas áridas poderão se tornar ainda mais
secas. Na Amazônia, as chuvas poderão diminuir em 20% até o final deste século.
Poderá ocorrer também o avanço de água salgada nas áreas de foz de rios, além de
escassez de água potável em regiões críticas, que já enfrentam esse problema hídrico.
As áreas, como os Andes e o Himalaia, que dependem do derretimento de neve
armazenada no inverno, podem sofrer impactos significativos na disponibilidade de água.

8
4.2.5. Mudanças nos ecossistemas

As alterações climáticas previstas certamente afectarão os ecossistemas e poderão


colocar em risco a sobrevivência de várias espécies do nosso planeta. Como
consequência do aquecimento global, a biodiversidade de vários ecossistemas deverá
diminuir e haverá mudanças na distribuição e no regime de reprodução de diversas
espécies. A antecipação ou retardamento do início do período de migração de pássaros
e insectos e dos ciclos reprodutivos de sapos, a floração precoce de algumas plantas,
a redução na produção de flores e frutos de algumas espécies da Amazônia, e a
extinção de espécies nativas, são alguns exemplos dos impactos da mudança climática
global sobre a biodiversidade do planeta.

4.2.6. Interferências na agricultura

Nas regiões subtropicais e tropicais, mudanças nas condições climáticas e no regime


de chuvas poderão modificar significativamente a tendência agrícola de uma região.
À medida que a temperatura muda, algumas culturas terão que migrar para regiões
com clima mais temperado, ou com maior nível de humidade no solo e taxa de precipitação.
Estudos mostram que para aumentos da temperatura média entre 1 a 3º C, prevê -se
que a produtividade das culturas aumentará levemente nas latitudes médias a altas, e
diminuirá em outras regiões. Nas regiões tropicais, há previsão de que a produtividade das
culturas diminua até mesmo com aumentos leves da temperatura (1 a 2ºC). Com o
aumento da vulnerabilidade da produção de alimentos às mudanças climáticas, cresce
também o risco da fome atingir um número muito maior de pessoas no mundo. Isto
ocorreria principalmente nos países pobres, os quais são os mais vulneráveis aos
efeitos do aquecimento global e os menos preparados para enfrentar seus impactos.

4.2.7. Desertificação

A desertificação é principalmente causada pelas actividades humanas e alterações climáticas.


Estima - se que cerca de 135 milhões de pessoas estão sob o risco de perder suas terras por
desertificação.

9
Segundo a Convenção das Nações Unidas para o Combate à Desertificação, a África
poderá perder cerca de 2/3 de suas terras produtivas até 2025, enquanto a Ásia e a
América do Sul poderão perder 1/3 e 1/ 5, respectivamente. Áreas inteiras podem se
tornar inabitáveis, como consequência dos crescentes efeitos do aquecimento global.

4.3. Impactos na saúde e bem-estar da humanidade

Deverá haver aumento na frequência de doenças relacionadas ao calor (por exemplo:


cancro de pele, etc.) e daquelas que são transmitidas por mosquitos, tais como malária e
dengue. Ainda há a possibilidade de ocorrer o deslocamento da população humana em
função das alterações no clima. Acredita-se que a população mais empobrecida e
vulnerável dos países em desenvolvimento seria a mais afectada, uma vez que teriam
recursos limitados para se adaptar às mudanças climáticas.

4.4.As possíveis soluções para minimizar os efeitos do aquecimento global

Decisões de grande escala só podem ser tomadas pelo Estado ou empresas, mas
existem pequenas atitudes individuais que também fazem diferença. Do mesmo modo
que pequenos factores criam grandes problemas climáticos, indivíduos que lutam
contra esses factores podem evitar os efeitos negativos do aquecimento global. Energia
eléctrica e combustíveis são pontos-chave, assim como hábitos de consumo e informação.
Existe também um acordo que trata dessa questão o chamado Protocolo de Quioto é um
acordo internacional voltado para a redução das emissões de gases de efeito estufa. O
protocolo foi o resultado de um longo processo de debate e negociações envolvendo diversos
países de todos os continentes,o principal objetivo é de O objetivo principal Protocolo de
Quioto foi o de estabelecer metas concretas de redução de emissão de
gases causadores do efeito estufa.

10
5. Considerações finais

Durante a realização do trabalho, foi possível notar que o aquecimento global está
diretamente ligado ao efeito de estufa, pois o Efeito de estufa é um fenômeno término natural
que adequa as temperaturas da terra para que ela seja habitável, ao contrário do aquecimento
global que é a intensificação do efeito de estufa devido a maior concentração dos gases de
efeito de estufa.
Podemos perceber que o grande responsável pelo aquecimento global é homem, devido às
suas actividades diárias, desmatamento, as grandes indústrias, poluição das águas,
desertificação, entre outros fatores.
Foi notável que algumas questões sobre o tema, só pode ser respondida pela ciência, como é
o caso das causas do aquecimento global, a influência do homem bem como a previsão do
clima a longo prazo. Contudo algumas questões só envolvem decisões políticas, económicas
e éticas, que é o caso das acções a serem realizadas para a mitigação deste fenômeno.

11
Referências bibliográficas

1. Cossa, Daniel A. e Chelengo, Eunencio A. Efeito de Estufa e Aquecimento Global,


Trabalho de Investigação - Faculdade De Ciências Naturais e Matemática,
Universidade Pedagógica, Maputo 2015.
2. Junges, Alexandre Luis et.al. EFEITO ESTUFA E AQUECIMENTO GLOBAL:
UMA ABORDAGEM CONCEITUAL A PARTIR DA FÍSICA PARA EDUCAÇÃO
BÁSICA -Universidade Federal Rio Grande do Sul, 2018
3. Moutinho, Paulo, et.al., Perguntas e Respostas sobre AQUECIMENTO GLOBAL,
Editora: Vera Feitosa, Brasil: Belém - Pará, 2008.

12