Você está na página 1de 15

Realizações das DDS

Turno C

ITEM Temas Presentes Assinatura/Data


1 Use EPI sempre

2 Álcool no Local de Trabalho

3 Higiene no local de Trabalho

4 Segurança Em Ambientes Com


Atmosfera Explosiva

5 Como prevenir incêndios

6 A importância da Sinalização de
Segurança

7 Como armazenar líquidos


inflamáveis

8 Primeiros Socorros:
procedimentos iniciais
SIGNIFICADO DE DDS

O DDS – Dialogo Diário de Segurança, tem por finalidade instigar no colaborador a


conscientização envolvendo suas atividades cotidianas referentes à sua segurança,
meio ambiente, saúde e qualidade.

Este tempo é reservado para discussões e instruções básicas de assuntos


relacionados à prevenção de acidentes associados à saúde e segurança. A ferramenta
de DDS teve sua origem na década de 90.

OBJETIVO DO DDS

O objetivo do DDS nada mais é do que alertar aos trabalhadores sobre os


procedimentos de segurança do trabalho.

O DDS também abrange temas sobre saúde, meio ambiente, qualidade e higiene
ocupacional.

COMO É REALIZADO O DDS E QUAL O TEMPO DE DURAÇÃO?

O diálogo é realizado antes de iniciar as atividades e tem duração de até 20 minutos


dependendo da importância da prosa.

O DDS pode ser diário, como ratifica a sigla, mas nada impede que você encontre uma
periodicidade mais apropriada para todos.

Várias empresas, além do DDS ser realizado diariamente, também fazem um geral
durante o mês com a participação das diversas áreas e turmas.

QUEM DEVE MINISTRAR O DDS?

Normalmente este diálogo é feito por um profissional de segurança do trabalho.

Ele também pode ser realizado por alguém que detenha conhecimento em determinado
assunto.
O importante é que todos absorvam e apliquem o que foi passado durante a reunião.

SEGURANÇA EM AMBIENTES COM ATMOSFERA EXPLOSIVA

Ambientes com atmosfera explosiva são áreas de risco e devem receber uma atenção
dobrada. Em caso de acidente nessas áreas, os danos podem ser irreversíveis para
empresa e fatais para os trabalhadores.

Uma atmosfera explosiva pode ser classificada como um ambiente que em contato
com o oxigênio, uma proporção tal de gás, vapor, poeira ou fibras, onde uma faísca
proveniente de um circuito elétrico ou o aquecimento de um equipamento pode ser
fonte de ignição e provocar uma explosão.

Por isso, é importante planejar com muita atenção a instalação de equipamentos


elétricos nesses ambientes. Deve-se isolar a fonte de ignição para que esta não tenha
contato com o oxigênio, que é inflamável.

Segundo a NR 19, considera-se explosivo material ou substância que, quando iniciada,


sofre decomposição muito rápida em produtos mais estáveis, com grande liberação de
calor e desenvolvimento súbito de pressão

COMO PREVENIR INCÊNDIOS:

5 DICAS

Você já parou para pensar no quanto todos nós perderíamos no caso de um incêndio
grave?

Neste DDS vamos refletir um pouco sobre esta questão.

Se nossas instalações fossem danificadas o prejuízo da empresa seria muito


grande!
Isso sem contar com possíveis acidentes graves.

Dependendo do incêndio as perdas são irreparáveis.

Então temos que ter consciência do que isto significa e procurar ter alguns cuidados.

Porque o incêndio também pode ocorrer em nossas casas e, uma vez iniciado, o
prejuízo certamente será grande.

Assim, o que pode ser feito em relação a incêndios?

Primeiro temos de compreender que o controle de incêndio depende de nosso


conhecimento sobre algumas coisas básicas.

Para existir fogo, é necessário ter combustível, calor e oxigênio (presente no ar que
respiramos).

Vamos ver exemplos e cada um desses elementos:

1. Combustível: papel, madeira, óleo, solventes, gasolina, gás, etc.


2. Calor: uma fonte de calor para aquecer os materiais que irão, em seguida, "pegar
fogo"
3. Oxigênio: não há fogo sem ar. O oxigênio existe no ar que respiramos.

PENSE COMIGO:

Para acender uma churrasqueira, é comum vermos pessoas usando ventilador ou


"abanando" o carvão. Isso serve para jogar mais oxigênio e acelerar a combustão.

Para extinguir um incêndio, é necessário apenas remover um dos itens essenciais para
sua manutenção, o que pode ser feito por:

1. Arrefecimento - redução da temperatura e calor;


2. Isolamento - redução ou eliminação do combustível;
3. Sufocação - redução ou eliminação de oxigênio.

Os incêndios são classificados de acordo com o que estão queimando.


Os incêndios de classe A envolvem combustíveis em geral, como a madeira, tecidos,
papel ou entulhos.

Para este tipo de incêndio usa-se a água para resfriar o material.

Os incêndios de classe B envolvem fluidos inflamáveis como a gasolina o óleo diesel,


a graxa, a tinta e etc.

Para combater este tipo de incêndio, usa-se o dióxido de carbono ou pó químico seco
que serão responsáveis em sufocar o oxigênio da reação.

Os incêndios de classe C envolvem equipamentos elétricos e geralmente são


controlados pelo dióxido de carbono (CO2) e pó químico seco da mesma maneira que
o anterior.

E COMO PODEMOS EVITAR INCÊNDIOS?

Vamos ver alguns exemplos:

1. Manter uma área de trabalho limpa evitando o acúmulo de entulhos;


2. Colocar trapos sujos de óleo e tinta em recipientes metálicos tampados;
3. Observar os avisos de não fumar;
4. Manter todos os materiais combustíveis afastados de fornalhas ou outras
fontes de ignição;
5. Relatar qualquer risco de incêndio que esteja além do nosso controle,
especialmente os elétricos.

Finalmente alguns pontos a serem lembrados:

 Cuidado na arrumação, limpeza e ordenação de produtos inflamáveis;

 Saiba onde estão os extintores de incêndio e o tipo de cada um onde podem ser
aplicados e como operá-los;

 Em caso de princípio de incêndio, aja imediatamente, pois debelar o fogo no seu


início é mais fácil, ou procure auxílio imediatamente;
 Use o equipamento de combate portátil para controlar o fogo até que chegue ajuda.

A IMPORTÂNCIA DA SINALIZAÇÃO DE SEGURANÇA

Você acha a sinalização de segurança importante para a empresa?

Ela é mesmo necessária?

Será que vale a pena investir em placas, faixas e luzes?

A sinalização de segurança é obrigatória em todas as empresas que admitam


empregados como trabalhadores.

Isso significa que não importa o tamanho da empresa...

... ou a quantidade de colaboradores...

... é indispensável que ela tenha todas as indicações de perigos, riscos,


obrigatoriedades e também indicações dos caminhos a serem traçados.

Mas, vamos com calma!

Para entender o porquê a sinalização é importante e necessária, é preciso entender o


que ela é.

O que é sinalização de segurança?


A sinalização de segurança é um conjunto de estímulos visuais e sonoros que servem
para informar e orientar os indivíduos dentro da empresa sobre a melhor forma de agir
perante uma situação desconhecida, como um novo setor ou rota de fuga ou fora de
controle como um princípio de incêndio ou explosões, por exemplo.

Ela serve, portanto, para orientar os trabalhadores e visitantes acerca de informações


importantes a respeito daquele local, setor ou ambiente.

A importância

Mas afinal, porque ela é importante?

Imagine que você está entrando em na sua empresa ou em uma empresa


desconhecida pela primeira vez. Você é informado pelo porteiro ou recepcionista que
deve caminhar até o RH. Depois você é orientado a seguir para o seu novo setor.
Alguns minutos depois te solicitam para seguir para um novo setor para desenvolver
uma determinada atividade.
Como você vai saber sobre quais EPI’s são obrigatórios naquele setor? Isso mesmo!
Através da placa que está sob a parede.

Na volta, você está caminhando por novos corredores e passando pelo estoque
quando ouve de longe um apito. Ao olhar para o lado você percebe que existe trânsito
de empilhadeira naquele setor. Como não ficar no caminho, mantendo-se seguro e
evitando acidentes graves? Olhando para o chão e identificando o caminho traçado
para pedestres.

Nessa mesma empresa, ocorreu uma situação diferente. Devido às fortes chuvas com
vento, uma árvore caiu sobre os fios elétricos, interrompendo o fornecimento de
energia para a empresa. Por algum motivo ainda não identificado, foi constatado o
início de princípio de incêndio e a Brigada foi acionada.

O alarme está soando. O que fazer? Como chegar ao ponto de encontro no escuro?

A melhor e correta forma de se orientar é seguir as indicações de rota de fuga,


orientando-se pelos pictogramas (aquelas setas e placas com bonecos que indicam o
caminho).

Agora vamos analisar outra situação comum: você entra por um corredor ou em uma
sala de piso frio, cai ao chão, pois ele está escorregadio. Qual a primeira coisa que
você vai pensar? “Poxa, porque não colocaram uma placa indicando que o chão está
úmido?”

Os pictogramas, as placas de EPI, placas de identificação de extintor ou mangueiras ou


mangotes, pictogramas com rota de fuga, placas indicando proibição de fumar, correr
ou outras informações importantes, etc, são alguns exemplos de sinalização de
segurança.

Elas servem para promover a segurança dos trabalhadores nos ambientes laborais,
bem como informar os visitantes acerca dos caminhos e riscos ou outras informações
importantes.

Além dessas, existem também as sinalizações que são colocadas em caminhões que
transportam cargas. Elas são indispensáveis para se identificar quais os produtos que
estão sendo transportados, bem como saber como agir em caso de derramamento,
acidente ou incêndio.

COMO ARMAZENAR LÍQUIDOS INFLAMÁVEIS

O tema deste diálogo de segurança é: armazenamento de líquidos inflamáveis.

Muitas instalações industriais e estabelecimentos comerciais compram líquidos


inflamáveis em tambores de 200 litros.

Para o uso rotineiro eles transferem estes líquidos para recipientes menores.

Os tambores devem satisfazer os rígidos padrões do INMETRO.

... Só assim eles podem estar qualificados como recipientes para transporte de líquidos
inflamáveis.

Porém, estes padrões não servem para qualificar os tambores como recipientes de
armazenamento de longo prazo.

Muitos usuários assumem que é seguro armazenar tambores fechados exatamente


como foram recebidos.

Um tambor para ser seguro para armazenamento deve ser protegido contra a
exposição a riscos de incêndio e explosão.

O ARMAZENAMENTO EXTERNO DEVE SER PREFERIDO EM


RELAÇÃO AO INTERNO.

Porém, os tambores devem ser protegidos contra a luz solar direta e


contra outras fontes de calor.

O tampão deve ser substituído por um respiro de alívio vácuo-pressão, tão logo o
tambor fechado seja aberto.

Este tipo de respiro deve ser instalado num tambor de líquido inflamável vedado.
Se houver qualquer possibilidade de que ele seja exposto a luz solar direta, ou for
danificado de qualquer maneira, seu conteúdo deve ser imediatamente transferido para
um recipiente em bom estado em que seja limpo ou que tenha sido usado para guardar
o mesmo líquido anteriormente.

O recipiente substituto deve ser do tipo que satisfaça as exigências necessárias de


segurança.

Todo tambor deve ser verificado quanto à presença do rótulo identificando seu
conteúdo.

É importante que este rótulo permaneça claramente visível para evitar confusão com
outro inflamável e também facilitar o descarte seguro.

Talvez o equipamento mais comum para armazenar pequenas quantidades de líquido


inflamável sejam os portáteis variando de 1 a 15 litros.

Os recipientes seguros são feitos de várias formas.

Recipientes especiais podem ser usados para líquidos viscosos como os óleos
pesados.

Os recipientes para o uso final também são fabricados de muitas formas, para
diferentes aplicações.

Somente os recipientes de segurança reconhecidos FM ou UL devem ser considerados


aceitáveis para o manuseio de líquidos inflamáveis, seja para o armazenamento,
transporte ou utilização final.

Os recipientes devem ser pintados de vermelho e ter rótulos claramente visíveis e


legíveis que identifiquem os conteúdos e indiquem os riscos existentes.

O aço inoxidável ou recipiente não pintado pode ser usado para líquidos corrosivos de
tinta.

Os líquidos inflamáveis geralmente são comprados em pequenos recipientes com


tampas e roscas.
Embora eles satisfaçam rígidos padrões para se qualificarem como recipientes para
transporte, não oferecem necessariamente proteção contra o fogo.

O que é exigido de recipientes para armazenamento e transporte de líquidos


combustíveis e inflamáveis.

Consequentemente recomenda-se que em cada caso em que um grau maior de


segurança deva ser obtido, todos os líquidos inflamáveis sejam transferidos para
recipientes “reconhecidos”, tão logo os recipientes de transporte sejam abertos.

Nunca tente abrir um recipiente usando maçarico ou outro objeto sem que tenha sido
feito a desgaseificação.

Procure orientação em caso de dúvida com a equipe de segurança do trabalho.

PRIMEIROS SOCORROS: PROCEDIMENTOS INICIAIS

Todos estão sujeitos a sofres algum tipo de acidente, seja no ambiente de trabalho,
seja na vida pessoal/social. E por causa disso é preciso saber o mínimo necessário de
primeiros socorros, para saber de que forma agir diante de um acidente.

Antes de tudo, vamos descobrir o que significa primeiros socorros.

É uma série de procedimentos simples com o intuito de manter vidas em situações de


emergência. Os procedimentos são realizados por pessoas comuns, que detenham os
conhecimentos, até a chegada de atendimento médico especializado. Então, primeiros
socorros resume-se a realização de procedimentos temporários à vítima até que o
auxílio profissional chegue ao local.

Cabe também aqui o entendimento da diferença entre emergência e urgência.


• Emergência: É uma condição imprevisível ou inesperada, que requer ação imediata,
pois há risco de vida.

• Urgência: É necessário que algo seja feito com rapidez, porém não há risco de vida
imediato.

Nunca se esqueça de que o atendimento de primeiros socorros não é suficiente para


salvar a vítima, o correto é acionar ajuda profissional para que a vítima seja
encaminhada ao hospital, para receber os socorros específicos.

Além disso, é necessária uma conduta adequada diante de uma situação de acidente:

• Mantenha a calma;

• Afaste curiosos;

• Isole e sinalize o local;

• Avalie o risco da cena;

• Tome cuidado para não se contaminar (caso esse seja o caso);

• Não manipule a vítima aleatoriamente, pois pode agravar a situação;

• Solicite auxílio profissional.

Após esses procedimentos, faça a avaliação inicial da vítima:

• A→ Abertura das vias aéreas (verificar se encontram abertas e sem obstrução) e


estabilização da coluna cervical (com um colar cervical).

Obs.: Para a colocação do colar cervical, o ideal é que a pessoa tenha um


conhecimento do processo, pois caso realize algum movimento errado pode acabar
prejudicando a vítima.

• B →Boa ventilação/respiração: Checar se a respiração está presente. Se estiver


ausente, iniciar respiração artificial.

• C → Circulação: Controlar hemorragias.

• D → Déficit neurológico: Determinar o nível de consciência da vítima.


• E → Exposição da vítima: Retirar as vestes para encontrar possíveis lesões e prevenir
a hipotermia.

Para avaliar o nível de consciência da vítima siga o passo a passo:

• A → Alerta: Se a vítima está ou não acordada.

• V → Verbalizando: Se a vítima é capaz de falar (nome, idade, dia, etc.).

• D → Dor: Se a vítima sente dores ou não.

• I → Inconsciência: Se a vítima não responde aos itens anteriores.

Há ainda alguns mitos que as pessoas creem se tratar de verdades a respeito de


primeiros socorros. Vamos desvendá-los agora!

• Caso uma pessoa seja picada por uma cobra, nunca chupe o local para retirar o
veneno, pois você não sabe a prática correta desse procedimento e poderá também se
contaminar com o veneno do animal. Também não é aconselhável o uso de
torniquetes, pois por barrar a circulação pode gangrenar o local, causando a perda do
membro.

• Urinar sobre uma queimadura não soluciona nada!

• Manteiga também não melhora queimaduras.

• Não coloque a mão dentro da boca de uma pessoa que está tendo uma crise
convulsiva. A pessoa está inconsciente e pode acabar de mordendo, acidentalmente. O
correto é virar a pessoa de lado, estabilizando a cabeça e retirando objetos próximos,
para que a língua fique para fora da boca.

• Não puxe o ferrão ao ser picado por uma abelha. Ao fazer isso, o veneno se espalha
pelo organismo. Procure socorro médico.

• Em caso de sangramento nasal, não coloque a cabeça pra trás nem entre as pernas.
O correto é pressionar a parte carnosa do nariz, como se fosse prender a respiração
por cerca de dez minutos. Se após 15 minutos ainda houver sangramento, procure
socorro médico.
Esses são os procedimentos iniciais para que os primeiros socorros sejam prestados.
Nunca se esqueça de que você vem em primeiro lugar, e se o risco de socorrer a
vítima for maior do que você acha que pode conseguir administrar, não o faça! Você
está em primeiro lugar, sempre! Decisões inconsequentes de nada adiantam, e em vez
de ajudar, a situação pode acabar se agravando.

Pense antes de agir!

1. USE EPI SEMPRE

Ao sair de casa, nós como profissionais que temos responsabilidades, nos tornamos
porta voz de quem espera nossa volta.

Para que isso aconteça é preciso muita responsabilidade no que se faz.

É preciso deixar os problemas e as preocupações fora da empresa.

É preciso se importar somente com aquilo que nos trará de volta ao aconchego da
familia.

Executar a atividade com cuidado, respeitando os limites, as normas de segurança e


usando os equipamentos de proteção individual, como:

1. Luva - protegendo suas mãos para acariciar o rosto da pessoa amada


2. Óculos de Segurança - Protegendo o bem mais valioso para enxergar as bençãos
da VIDA
3. Calçados de Segurança - Saberemos que voltaremos com os pés no Chão.

Trabalhando com atenção e sabedoria sabemos que iremos poder beijar o rosto dos
filhos e das pessoas que amamos!!!

Fazendo e cumprindo as determinações sabemos que a volta pra casa vai ser tão boa
quanto a vinda para o trabalho.

Para que tudo isso aconteça, é fundamental o uso do EPI, ou seja, o Equipamento de
Proteção Individual.
Hoje no mercado existem inúmeros equipamentos destinados a proteção do
trabalhador, cada um com sua função, mas temos que nos atentar a algumas
informações necessárias para o uso do mesmo.

Será que o equipamento que estou utilizado é realmente o certo para essa atividade?

Será que está me dando a devida proteção?

É importante que o colaborador participe das definições de escolha e de sugestões


para empresa fornecer o EPI.

O EPI deve ser adequado a sua atividade e lhe proteger adequadamente, para isso,
trabalhe em conjunto com os responsáveis do setor de segurança e observe o que de
melhor pode ser feito pela sua segurança.

Trabalhando assim teremos a certeza que a segurança será de melhor qualidade e a


produção nunca será interrompida por um acidente.

O importante da vida é ser bem mais daquilo que podemos ser, é sonhar, é correr atrás
dos objetivos e ser e ter o que queremos, é avaliar a situações e entrar nelas de forma
segura.

Antes de começar sua atividade avalie sua condição física e psicológica, avalie o seu
BEM ESTAR, sua condição de trabalho e veja o que de melhor poderá fazer.

Saber se instalar no seu ambiente, analisar seus riscos, comunicar aos colegas que
sua atividade é de risco e tomar os devidos cuidados ao se aproximar é
importantíssimo para evitar futuras surpresas desagradáveis.

Mantenha o seu local de trabalho sempre organizado, limpo, livre de obstáculos.

Faça dele seu melhor ambiente, isso lhe fará um funcionário de destaque e com
certeza muitos irão seguir seu exemplo.

Com isso o reconhecimento irá aparecer e com certeza aquele tão esperado sonho
poderá se realizar.