Você está na página 1de 5

Linhas de Hartmann e Curry

19/05/2014

Foi na década de 50, que o cientista e médico alemão, Dr. Ernest Hartmann constatou
que há sobre a terra uma malha energética de dimensões variáveis de 1,80 m a 2,30 no
sentido NORTE/SUL e 2,50 m a 3,20 no sentido LESTE/OESTE. Em direção ao Equador,
estas distâncias aumentam. Nos cruzamentos dessa malha, se encontram os pontos
de “tensão geopática”, que quando em desequilíbrio, causam vários danos a saúde e
ao meio ambiente. Porém há 5.000 anos os chineses já conheciam o perigo
dos cruzamentos dessas linhas e não permitiam a construção de casas sem antes ser
feita a verificação do terreno, pois essa malha é comparadas aos “meridianos de
acupuntura” do planeta, e se elevam como paredes invisíveis, com altura que não
exclui os prédios e com largura de 20 a 60 cm, variando com a Lua.
Mas além da rede Hartmann, existe também a rede Curry, descoberta por outro
médico alemão, Dr. Alfred Curry, que ao estudar os efeitos das linhas de Hartmann
chegou à conclusão de que havia também linhas diagonais entre as linhas paralelas
estudadas por Hartmann. Pelas suas pesquisas constatou que elas são mais nocivas
que as linhas paralelas, pois possuem uma frequência vibratória mais baixa que a Rede
de Hartmann, agindo no psiquismo humano de frequente e determinante. A
polaridade “positiva” nos faz sentir conforto e tranqüilidade, e a polaridade “negativa”
nos faz sentir desconforto e cansaço físico, o que nos deixa com uma sensação de não
ter descansado durante o sono. Os raios telúricos que formam a rede Curry (0,50 m)
são alternadamente positivos e negativos e seus pontos de cruzamento também o são.
Essa rede segue a direção Nordeste/Sudoeste e Sudeste/Noroeste, e possuem um
distanciamento de aproximadamente 4m nos dois sentidos. Seus cruzamentos
também são nocivos.
Mas os locais MAIS nocivos e causadores de danos a saúde em pouco tempo são os
pontos de cruzamento entre as linhas Hartmann e as linhas Curry, tendo efeitos de
carga ou descarga, devendo ser evitado a todo custo a permanência nestas
intersecções (permanência de mais de 2 horas ao dia, como cama, cadeira do local de
trabalho…). Porém pode ficar pior… quando alinhados a esses dois cruzamentos,
houverem falhas geológicas, corrente de água subterrânea, cavidades, lençóis
freáticos, ou outros vários itens (um cadáver, uma bateria de carro enterrada, etc.…).
Se essas linhas só causarem insônia, já abrangem os seguintes efeitos colaterais dela:
 Produtividade;
 Concentração;
 Memória;
 Risco de Acidentes;
 Desequilíbrio das Emoções;
 Irritabilidade;
 Impaciência;
 Cansaço;
 Ansiedade e Depressão.
A cada dia torna-se mais evidente que uma enfermidade não tem uma só causa;
muitos fatores atuam para o desenvolvimento de uma doença, o que significa que
essas radiações vindas do subsolo, os pontos geopatogênicos, não são causadores e
sim facilitadores das doenças, pois são fatores que desequilibram o sistema
imunológico e debilitam o metabolismo, tornando-o mais vulnerável e propício ao
desencadeamento de algumas doenças, por isso muitas enfermidades como alergias,
distúrbio do sono, câncer e outras podem estar associadas às alterações telúricas.
Harmonizar espaços através da geobiologia
"Geobiologia”, palavra que significa "terra” ("geo”), "vida” ("bio”), é a ciência que
estuda a influência da terra sobre a vida. Permite identificar energias telúricas e
eventuais geopatias no solo, campos eletromagnéticos, falhas geológicas, redes
telúricas, chaminés cósmico-telúricas, águas subterrâneas, entre outros.

A Geobiologia fazia parte do conhecimento das civilizações antigas. Por exemplo, no


período megalítico, os menires eram implantados em pontos precisos da terra e as
pedras funcionavam como acupuntura para criar um enorme aumento vibracional
adequado a um lugar sagrado. Também na Roma antiga, no Egipto e na Índia, os
arquitetos dispunham de conhecimentos que ligavam saúde com os lugares de
permanência. Na China, o lugar era analisado e só se construía de forma a permitir
gerar saúde.
Terá sido nos últimos séculos, com o advento tecnológico, que esse conhecimento se
distanciou de quem constrói e quase se perdeu. Atualmente a consciência da
interligação do Homem com a Terra tem voltado, devido à real existência de doenças
associadas aos espaços.
O stress geopático pode trazer graves complicações à saúde e é fundamental
diagnosticar e harmonizar os terrenos onde vivemos. Na Europa, o
conhecimento e a prática estão mais desenvolvidos na Alemanha, França e
Áustria.
Recentemente, algumas descobertas contribuíram para transformar a
geobiologia numa ciência credível, analisada e confirmada com equipamentos
eletrônicos precisos, quando antes apenas era detectável pela sensibilidade de
vedores.

Um impulso notável foi dado pelo Dr. Ernst Hartmann, médico da universidade alemã de
Heidelberg, que descobriu em 1961 a existência de uma gigantesca rede geomagnética
em todo o Planeta, conhecida pelo nome de rede global de Hartmann. Também o médico
Dr. Manfred Curry descobriu a denominada rede Curry presente em todo o Planeta.

É no cruzamento das linhas que se encontram os pontos mais perigosos pois há maior
probabilidade de formarem um "nó" de energia patogênico. Especialmente se
coincidirem com outras ocorrências, como por exemplo uma linha de água.

Antes de construir, é ideal verificar o terreno durante a fase de projeto de


arquitetura para melhor implantar a construção evitando locais problemáticos e
beneficiando do potencial de outros. A própria forma que se escolhe para a
construção vai ter impacto na energia do local podendo adequar-se às tarefas
que ai se irão realizar. Por exemplo, um espaço de oração ou de meditação
pode beneficiar de um ponto do terreno com elevada energia vibratória.
Felizmente, em construções existentes, também é possível analisar e corrigir
fazendo-se as alterações necessárias e a adequada harmonização do espaço.

O trabalho de análise é habitualmente feito por um geobiólogo, através de radiestesia


por meio de varetas ou pêndulos. A harmonização das geopatias pode ser feita através
de uma visita ao local em estudo ou atualmente também através de teleradiestesia
analisando à distância com recurso a uma planta e à localização exata. Hoje em dia
também já se conhecem técnicas eficazes para neutralizar geopatias através de
projeção mental, simplificando muito o processo de harmonização e dando um grande
salto evolutivo que permitirá chegar a um maior número de espaços.

É especialmente importante a harmonização dos locais onde permanecemos


muitas horas como em casa e nos locais de trabalho. Principalmente onde se
encontram a cama onde dormimos os sofás e as secretárias de trabalho, sem
que suspeitemos que alguma energia que não vemos nem sentimos nos está a
afetar durante muito tempo enfraquecendo o sistema imunológico. Se tivermos
problemas geopáticos nestes lugares, no mínimo perderemos alguma da nossa
vitalidade, podendo os efeitos mais graves trazer insônias, tumores, ou outras
complicações, dependendo da sensibilidade de cada individuo.
É por isso muito importante detectar os fatores nocivos e equilibrar o espaço
para que o corpo se recarregue, descanse e vitalize.

Para além das habitações, é útil harmonizar todos os edifícios de uso comunitário que
possam trazer benefícios a muitas pessoas. Por exemplo, clínicas e hospitais, creches e
escolas, lares de idosos, edifícios de escritórios, espaços de lazer, etc. O objetivo é o
bem estar e a Paz.

Sugestões:
- Melhore a vibração dos espaços através da sua intenção positiva.

- Escolha as formas com que a construção ou decoração será feita, prefira


formas orgânicas, harmoniosas, com proporções naturais, universais e com
materiais naturais, que não libertem produtos tóxicos.

- Evite espaços insalubres, úmidos e sem luz natural.

- Confie nas suas próprias sensações na hora de escolher um lugar para


permanecer.
- Se suspeita que podem existir geopatias num lugar onde permanece recorra a
um estudo geobiológico do local.
Catarina Pinto, Arquiteta