Você está na página 1de 1

SEGUNDA-FEIRA | 13 ABR 2020 | 15

Ponte dos Moinhos vai ser requalificada por 160 mil euros
Foi publicado, recentemente, o anúncio em Diário da República para a requalificação Região
da Ponte dos Moinhos, em São Roque (Oliveira de Azeméis). O procedimento tem
um preço base de 160 mil euros e um um prazo de implementação de 120 dias. das Beiras

Uma visão da China através


dos seus poetas “underground”
Oliveira de Azeméis Sara F. Costa, poeta cucujanense, lançou um livro com a tradução de 33 poetas da cena literária
chinesa que ajuda a compreender o panorama pós-Revolução Cultural. Uma obra também contra os preconceitos
FOTOS: D.R.
Alberto Oliveira e Silva ruptiva em relação à corrente
Nenhum direito vigente, não só ao nível de con-
A poeta Sara F. Costa, natural adquirido teúdo, mas também a nível es-
de Cucujães, vila do município tético”. Definiu-a como “um si-
de Oliveira de Azeméis, lançou Para controlar a epide- nal de esperança para o pensa-
“Poética Não Oficial, Poesia mia COVID-19, “a China mento crítico e para a criação
Contemporânea Chinesa”, uma impôs grandes restrições, livre num país que carece de-
selecção e tradução de 33 poe- deu ares do seu estado sesperadamente destes dois
tas da cena literária “under- musculado que já todos factores”.
ground”, que considera “de conhecemos”, disse Sara Sara F. Costa é mestre em Es-
maior relevância para com- F. Costa, testemunhando tudos Interculturais: Portu-
preender o panorama literário que o ter ficado “subita- guês/Chinês pela Universidade
da China pós-Revolução Cul- mente sem liberdade de do Minho, em parceria com a
tural”. O livro será distribuído circulação”, que parecia Universidade de Línguas Es-
pela Editora Labirinto e estará ser “uma banalidade” na trangeiras de Tianjin, onde es-
à venda em várias livrarias por sua vida, mostrou-lhe tudou mandarim.
todo o país. que “nenhum direito é Aautora publicou cinco livros
Consciente do momento sen- adquirido”. Acentuou a de poesia e a sua obra tem sido
sível que vivemos, a autora, inevitabilidade da exis- galardoada em diversos pré-
realçando que a obra foi resul- tência de “muita cora- mios literários. Foi várias vezes
tado de “um trabalho de cerca gem” para enfrentar vencedora do prémio de litera-
de dois anos de selecção e tra- esta “tragédia”. | tura sanjoanense “João da Silva
dução do mandarim para o Correia”.
português”, opinou que, em Sara F. Costa publicou cinco livros de poesia e a sua obra foi galardoada em vários prémios literários O seu último livro “A Trans-
face da crise provocada pelo figuração da Fome” obteve o
novo coronavírus, até “há uma Zhai Yongming, em Chengdu”. quinesa”, salientou, expres- Prémio Literário Internacional
pertinência relativa em se falar Assinalou, ainda, que a esco- sando “um interesse visceral Glória de Sant’Anna para me-
um pouco da China neste mo- lha dos poemas “também não pela arte e pelo outro que ul- lhor obra de poesia publicada
mento”. obedeceu a nenhum critério de trapassa o mero interesse aca- em países de língua portuguesa
Lamentou a edificação de importância relativa ao facto démico”. em 2018. Tem poemas tradu-
“preconceitos e atitudes discri- de ser um poema mais ou me- Vincando o carácter “muito zidos e publicados em mais de
minatórias em relação a pes- nos conhecido do autor, em- pessoal” deste projecto, Sara F. sete línguas, em várias publi-
soas só porque são de determi- bora por vezes exista esse Costa disse que o desenvolveu cações literárias por todo o
nada nacionalidade ou origem acaso”. “sobretudo para aprender”, o mundo.
étnica”, mas que, no que diz res- Considerou que, “quem se in- que concretizou lendo bastante, Como poeta europeia emer-
peito à doença provocada pela teressa por poesia”, terá “curio- seleccionando, no esforço de gente, participou no Festival In-
COVID-19, “não passam, como sidade em dar uma vista de tradução e em aprofundamen- ternacional de Poesia e Litera-
todos nós, de vítimas”. olhos naquilo que se anda a fa- to do seu conhecimento linguís- tura de Istambul 2017 e em 2018
Com o livro, tem a expecta- zer naquela parte do mundo tico do mandarim. fez parte da organização do Fes-
tiva de “contribuir para dar a nesta matéria”. Enfatizou que Sobre o panorama literário tival Literário de Macau e do
conhecer” coisas sobre o país “há muito pouco” material lite- chinês no pós-Revolução Cul- Festival Internacional de Lite-
“que a maior parte das pessoas rário em português “sobre poe- tural, explicou que, após o fim ratura entre a China e a União
possivelmente não conheceria sia chinesa contemporânea”, da era imperial e o surgimento Europeia, em Shanghai e Suz-
antes”. pelo que esta obra “pretende ser da República em 1911, dois en- hou, na China. Em 2019 foi au-
Sobre o conteúdo, Sara F. Cos- um ponto de partida, facultan- tusiastas das reformas linguís- tora convidada da segunda edi-
ta vincou que, apesar de se ter do pistas e deixando referên- ticas chinesas, Hu Shi e Cen Du- ção do “Chair Poetry Evenings”
guiado por “um certo enqua- cias”. xiu, “proclamaram a utilização em Calcutá, na Índia. Para além
dramento tanto a nível tempo- Assinale-se que grande parte de uma linguagem vernacular da poesia, escreve ficção e tra-
ral como conceptual”, apostou dos poemas seleccionados não em detrimento do chinês clás- duz literatura chinesa para por-
numa selecção de poetas “que se encontram traduzidos nou- sico na produção literária, na- tuguês e inglês.
tem muito de pessoal”. tras línguas mais amplamente quela que ficou conhecida co- Residente em Pequim, tem
Neste trabalho estão “nomes estudadas por cá, como o inglês mo a Revolução Literária”. Foi coordenado eventos literários
sonantes como Bei Dao, Hai Zi, ou o francês, e que a única também nesta altura que surgiu no colectivo artístico interna-
Gu Cheng”, mas também “no- forma de aceder a esses poe- Obra resultou de “um trabalho de cerca de dois anos” o verso livre. cional Spittoon. Fundou o pri-
mes que só se encontram de- mas é indo directamente à fonte A “poética não oficial opõe- meiro “workshop”de poesia da
ambulando de leitura em leitura em mandarim. contactou, por vezes, o poeta e, autor. “A escolha dos autores se à poesia oficial ortodoxa e cidade e desenvolveu projectos
pela cena literária dos ‘hutongs’, Neste trabalho, a cucuja- noutros casos, o contacto foi veio muitas vezes de longas institucional”, sendo “um tipo e publicações literárias e inter-
em Pequim, ou no bar da poeta nense, que faz vida em Pequim, apenas com os poemas de um conversas literárias na noite pe- de criação poética que é dis- artes. |