Você está na página 1de 18

A REPÚBLICA VELHA

1- CRONOLOGIA

1889 Implantação da 1894 Apogeu da 1922 Crise da 1ª 1930


1ª República 1ª República República

Fase Militar Fase Oligárquica Fase de Questionamento ao


Domínio Oligárquico

Ruptura
2- POLÍTICA:
O novo regime tem dois momentos básicos: no primeiro o poder político
pertence aos militares e, no segundo, passa para as mãos da oligarquia cafeeira.

2.1- Governo Provisório → Marechal Deodoro da Fonseca → medidas:


- separação da Igreja Católica;
- permissão para que estrangeiros residentes no país adotem a cidadania
brasileira;
- criação do Registro Civil e obrigatoriedade do casamento civil;
- substituição das Províncias em Estados Federados;
- convocação da Assembléia Constituinte;
- Aplica a política do Encilhamento→medidas:
• ampliação dos meios circulantes em função do pagamento de salários;
• facilidades creditícias visando estimular a criação de indústrias;
• autorização aos bancos para emitir papel moeda na proporção de três
vezes sem
• lastro ouro.

1
Conseqüências:
• aumento da dívida interna e externa;
• aparecimento de empresas fantasmas;
• aumento da inflação;
• falências
• desvalorização da moeda.
- Características da Constituição de 1891:
• adoção do federalismo;
• representação na câmara proporcional ao número de habitantes do estado;
• voto aberto, para homens, maiores de 21 anos, alfabetizados;
• criação da Comissão de Verificação dos Poderes;
• religião católica deixou de ser oficial;
• liberdade de reunião; liberdade de imprensa e de habbeas corpus;
• existência de apenas 3 poderes.
2. 2- Governo Constitucional:
♦ Deodoro da Fonseca é eleito presidente contra a vontade dos cafeicultores.
Seu centralismo e autoritarismo o colocam em choque com a câmara →
conseqüência→ renúncia→ assume → Floriano Peixoto →revoltas:
♦ Revolução Federalista →Rio Grande do Sul:
•Republicanos (favoráveis ao governo) X Federalistas (contrários às
intromissões do governo no estado e possuem afinidades com a
monarquia)
♦ Revolta da Armada → causa → ressentimento da Marinha com os
privilégios concedidos ao Exército

2
•Marinha + federalistas →resultado → vitória de Floriano Peixoto com o
apoio da força policial de São Paulo → conseqüência → início do
governo civil.

2.3- Sistema Político


- Política do café-com-leite → revezamento de MG e SP na presidência da
República
- Coronelismo → grandes proprietários de terras possuíam o domínio político
de sua localidade ou região.
- Política dos Governadores → era uma troca de favores entre o governo
federal e as oligarquias estaduais, na qual o governo dava autonomia ás
oligarquias e estas garantiam a eleição do candidato oficial à presidência ,
através de fraudes eleitorais e “voto de cabresto”.

3- ECONOMIA
3.1- Caracterização:
• economia periférica → fornece gêneros primários e consome produtos
industrializados;
• café → principal produto → canaliza recursos e investimentos do país;
• setor industrial → crescimento significativo, porém, descontínuo;
• desequilíbrio financeiro → déficits crônicos na balança de pagamentos;
• crescimento de investimentos estrangeiros.
3.2- Funding Loan
• Elaborado pelo Ministro da Fazenda Joaquim Murtinho, durante o
governo de Campos Sales;
• Medidas:

3
- compra de nossa dívida pelos Rothchild;
- concessão de novo empréstimo ao Brasil;
- moratória por três anos e redução do serviço da dívida;
- imposto sobre as exportações seriam cobrados em ouro;
- aumento das exportações de borracha entre 1890 e 1910.
• Garantias do empréstimo
- apropriação da renda da alfândega do Rio de Janeiro;
- apropriação das receitas da Estrada de Ferro Central do Brasil e do
Serviço de Abastecimento de Água do Rio de Janeiro.
• Conseqüências:
- corte de crédito à indústria;
- diminuição dos gastos públicos;
- aumento dos impostos;
- contenção de salários.
3.3- Política de Valorização do Café:
• Café → produto líder das exportações brasileiras desde o Segundo
Reinado;
• século XX → café começa a enfrentar crises de superprodução → oferta
maior que a procura → queda dos preços → acúmulo de estoques →
solução → Convênio de Taubaté (1906):
♦ Medidas:
- garantia de preço mínimo por saca;
- excedentes seriam comprados pelo governo e estocados;
- compra seria feita através de empréstimos externos;

4
- seria cobrado um novo imposto, por cada saca de café exportada, para
pagar os juros dos empréstimos externos;
- intensificação da propaganda no mercado externo, visando aumentar a
exportação.
♦ Efeitos:
- expansão das produções brasileiras e mundial.
♦ 1924 → criação do Instituto do café → teria o direito de reter a
produção de café, sem limite de quantidade → provoca aumento de
produção.
♦ Quem lucra → agentes financiadores das operações de valorização.
3.4- Outros produtos agrícolas:
a) O Açúcar
• Até 1830 → principal produto da pauta das exportações → perde posição
privilegiada.
→ causas:
♦ concorrência do açúcar de beterraba → produzido na Alemanha,
Bélgica e França;
♦ produção de açúcar de cana nas ex-colônias espanholas dominadas
pelos Estados Unidos (Cuba, Porto Rico) → contava com capitais
norte-americanos e gozava de tarifas preferenciais nos Estados
Unidos;
• Açúcar passa a ser vendido, basicamente, no mercado interno
brasileiro.

b) O Algodão:

5
• De 1821 a 1830→algodão ocupava 2º lugar na pauta das exportações
brasileiras.
• Decadência → causa → forte concorrência da produção algodoeira dos
Estados Unidos
causas:
♦ menor distância entre os Estados Unidos e a Europa→propicia
barateamento dos custos do transporte:
♦ melhor qualidade do produto → contava com recursos técnicos e
grande disponibilidade de mão-de-obra e terras.

c) A Borracha:
• A partir de 1840 → borracha produto de crescente procura nos países
industrializados→servia de matéria-prima para a fabricação de pneus;
• Maior reserva→Amazônia;
• 1891-1918 → período de progresso da região amazônica;
• Preços altos → dificuldade de acesso aos seringais nativos → produção
insuficiente para suprir demanda de mercado;
• Inglaterra e Holanda → investiram no plantio de seringais na Malásia,
Ceilão e Indonésia → desenvolvem plantio planejado;
• Superam o primitivo extrativismo praticado nos seringais brasileiros →
resultado → a partir de 1920 praticamente não houve mais lugar para a
borracha no mercado internacional.
d) O Cacau:
• Cultivado no sul da Bahia.
• Sua produção cresce paralelamente ao aumento de consumo de
chocolates na Europa e Estados Unidos;

6
• 1889-1930 → auge da exportação de cacau;
• Ingleses investiram na produção de cacau na região africana da Costa
do Ouro → declínio do cacau brasileiro.
3.5- A indústria
- Fase colonial e imperial→ideologia de que o Brasil era um país de vocação
exclusivamente agrária;
- 1785 → foram proibidas manufaturas têxteis → contrariavam os interesses da
Metrópole;
- Período Brasil Reino Unido e após 1822 → industrialização não pôde se
desenvolver porque contrariava os interesses capitalistas da Inglaterra.

Resultado: Brasil agrícola

Solução

- Café→♦ conceder à ala progressista do setor agrário acúmulo de


capitais→investimento em outras atividades econômicas
♦ superprodução → aumento dos produtos importados → solução →
produzi-los no Brasil → substituindo produto importado pela
produção nacional.
- São Paulo → principal centro de industrialização → porque → maior número
de cafeicultores:
♦ crise de superprodução leva produtores a investirem parte de seus
lucros na indústria;
♦ imigrantes → largam o campo → mão-de-obra para indústria.

7
- 1928 → renda industrial superou a renda agrária.
- Classe média e proletariado industrial → tornam-se forças sociais expressivas
→ desestabilização da hegemonia das tradicionais oligarquias agrárias.
4- SOCIEDADE
4.1- Rebeliões na República Velha
a) Revoltas Messiânicas:
- Messianismo
* usado para designar os movimento sociais comandados por um líder
religioso;
* líder → qualidades → dom de fazer milagres, realizar curas e profetizar
acontecimentos;
* desenvolveu-se em áreas rurais pobres;
* componentes básicos → religiosidade do sertanejo e seu sentimento de
revolta contra a miséria, a opressão e as injustiças da república dos coronéis;
exemplos do messianismo foram:

• A Revolta de Canudos (1893-1897):


♦ ocorreu no governo de Prudente de Morais;
♦ líder → Antônio Conselheiro → contra casamento civil → por isso
identificado como fanático religioso;
♦ motivos → a vontade escapar da fome e da violência;
♦ Canudos → * velho arraial no sertão baiano → transformou-se em
uma das cidades mais povoadas da Bahia → 30 mil
habitantes;
* só não havia propriedade privada dos bens de uso
pessoal;

8
* não havia impostos, polícia, prostituição e venda de
bebidas alcoólicas.
♦fazendeiros passam a temer o poder de Antônio Conselheiro →
exigem que o governo federal acabe com o arraial → um exército de 7
mil homens organizado pelo ministro da Guerra destrói Canudos →
05/10/1897 → Canudos é destruída juntamente com toda sua
população.
• Guerra do Contestado (1912-1916):
♦ fronteira entre o Paraná e Santa Catarina → região contestada
(disputada) pelos dois Estados.
♦ situação → grande número de sertanejos sem terra e famintos que
viviam sob a exploração dos fazendeiros e de duas empresas norte-
americanas;
♦ líder → monge João Maria → morre → surge → José Maria → reuniu
mais de 20 mil sertanejos;
♦ objetivos → * pedaço de terra;
* vida mais justa.

♦ ”Monarquia do Contestado”: * governo próprio;


* normas igualitárias;
* não obedecia às ordens das
autoridades da República velha.
♦ Sertanejos foram violentamente perseguidos pelos coronéis-
fazendeiros e pelos donos das empresas multinacionais → apoiados
pelas tropas do governo → objetivo → destruir a organização
comunitária dos sertanejos e expulsá-los das terras que ocupavam;

9
♦ 1912 → José Maria Morto em combate;
♦ Núcleo arrasado por 7 mil homens armados de canhões e até alguns
aviões de bombardeio.
b) A Revolta da Vacina (1904):
- Local → Rio de Janeiro
- Período → 12 e 15 de novembro de 1904
- Causas:
♦ pobreza, desemprego, lixo amontoado nas ruas → resultado →
doenças como a febre amarela, peste bubônica e varíola → solução →
demolição de cortiços e casebres → população desalojada e expulsa →
passa a morar em barracos, morros e bairros da periferia;
♦ para combater epidemias → Osvaldo Cruz → forma um exército de
funcionários da Saúde Pública → destroem focos de ratos e mosquitos;
♦Rodrigues Alves decreta a lei da vacinação obrigatória → diversos
setores da sociedade reagiram contra;
- Conseqüências:
♦ revolta popular com passeatas e comício em praças;
♦ pedradas contra a polícia e os funcionários da saúde;
♦ carroças e bondes tombados e incendiados;
♦ lojas saqueadas
- Governo domina a revolta usando tropas do corpo de bombeiros e da
cavalaria → centenas de participantes foram presos e deportados para o Acre.
c) A Revolta da Chibata:
- Governo → Nilo Peçanha
- Período → 22/11/1910

10
- Líder → Marinheiro João Cândido
- Acontecimentos:
♦ revoltosos tomaram o comando do navio encouraçado Minas Gerais
→ mataram o comandante do navio e mais 3 oficiais que resistiram;
♦ outros marujos assumiram o controle dos navios São Paulo, Bahia e
Deodoro;
♦ apontaram canhões para a cidade do Rio de Janeiro e enviaram um
comunicado ao Presidente da república explicando razões da revolta e
fazendo exigências;
- Causas:
♦ terríveis e humilhantes punições;
♦ castigos físicos;
♦ má alimentação;
♦ miseráveis soldos;
♦ queriam mudanças no código de disciplina da Marinha, que punia as
faltas graves com 25 chibatadas.
- Conseqüências:
♦ governo responde que ia atender às exigências → marinheiros
acreditaram no governo → entregam os navios → governo não cumpre
as promessas → esquece a anistia e decreta a expulsão de vários
marinheiros e a prisão de alguns líderes.
- 09/12 → ♦ explode outra rebelião de marujos
♦ governo reage violentamente, dezenas de marinheiros são
mortos, centenas foram presos e mandados para a Amazônia, mais
de mil foram expulsos da Marinha.

11
- João Cândido → ♦ preso e afogado numa masmorra da ilha das Cobras;
♦ passou para a história como almirante Negro, que acabou
com a chibatada na Marinha do Brasil.
d) O Cangaço
- o que foi → movimento polêmico → encarado por alguns como expressão
pura e simples de criminalidade e por outros como forma de revolta →
consciente ou não contra a opressão social;
- época → 1879 a 1940
- causas → * exploração do trabalho do sertanejo;
* seca;
* prepotência dos coronéis;
* fome;
* injustiças;
- principal figura → Lampião;
- oposição jagunços X cangaceiros;
* jagunço → braço armado do latifundiário;
* cangaceiro → ameaça ao poder estabelecido.
e) Movimento Operário
- Condições de trabalho do operário na República Velha eram subumanas:
♦ salários baixos;
♦ trabalhavam de segunda a sábado → 15 horas por dia;
♦ às vezes, obrigados a trabalhar domingo;
♦ trabalho feminino e infantil;
♦ não tinham direito a:
* salário mínimo;
* aviso prévio;

12
* horas extras;
* jornada fixa de trabalho;
* garantia de emprego;
♦ péssimas condições das instalações das fábricas → gerando muitos
acidentes → principais vítimas → crianças operárias;
♦ resultados → protestos e reivindicações → surgimento dos sindicatos e
organizações operárias → lutam pelos direitos do trabalhador
anarquismo;
- 1922 → fundação do PCB (Partido Comunista Brasileiro) → representava a
esperança de vida digna e justa para os operários → logo foi fechado.

f) O Tenentismo:
- Década 1920 → crescia o descontentamento social contra o sistema
oligárquico → surge o Tenentismo.
- Tenentismo → movimento político militar que, pela luta armada, pretendia
conquistar o poder e fazer reforma na sociedade.
- Reivindicações → ♦ moralização da administração pública;
♦ fim da corrupção eleitoral;
♦ fim do voto aberto (voto cabresto);
♦ criação de uma justiça eleitoral autônoma e honesta;
♦ defendiam o nacionalismo econômico;
♦ reforma na educação pública para que o ensino se
universalizasse para todos os brasileiros.

13
- Apoio → classe média urbana e proletariado → posteriormente, revelou-se a
incompatibilidade entre os verdadeiros anseios da classe operária e as
propostas do governo tenentista:
* classe operária → mudanças na base das estruturas sociais, sendo
preciso romper com os laços de dominação entre exploradores e
explorados;
* Tenentes → bastava a modernização do antigo regime e sua
participação na vida pública do país.
• A Revolta do Forte de Copacabana
♦ 05/07/1922 → 1ª revolta tenentista;
♦ liderança → 18 tenentes → tropas 300 homens;
♦ causa → impediu a posse do Presidente Artur Bernardes;
♦ conseqüências → * combate corpo a corpo;
* 2 rebeldes escapam com vida;
* conhecida como: Os 18 do Forte.
• A Revolta de 1924:
♦ líderes → * General Isidoro Dias Lopes;
* Juarez Távora;
* Nilo Peçanha
♦ local → São Paulo;
♦ data → 05/07/1924;
♦ conseqüências → governo paulista foge da capital → recebe reforços
do Rio de Janeiro;
♦ General Isidoro decide abandonar a cidade de São Paulo → forma a
Coluna Prestes → objetivo → lutar contra o governo, levando a
revolução para outros estados do país.

14
• A Coluna Prestes:
♦ resultado da reunião da união da “Coluna Paulista” e da “Divisão
Rio Grande”;
♦ seguiu em direção ao sul do país onde se encontrou com outra
coluna militar → líder → comandante Luís Carlos Prestes → o
“Cavaleiro da Esperança”;
♦ percorre mais de 20.000 quilômetros por 12 estados brasileiros →
procura despertar na população a revolta contra o poder das
oligarquias;
♦ governo perseguiu a Coluna Prestes;
♦ 1926 → ingressa em território boliviano e se desfaz;
♦ Luís Carlos Prestes voltou ao Brasil, tornado-se o líder do Partido
Comunista;
4.2- Semana de Arte Moderna (1922)
- Movimento cultural que rompe c/ os estilos importados com atraso e em
circunstâncias diferenciadas daqueles que, na Europa, os originavam;
- Reviravolta nas artes e nas letras brasileiras;
- Revigoramento das raízes da nacionalidade;
- Objetivo → promover uma nova realidade cultural.
4.3- Ruptura da República Oligárquica:
- Marcada pela superprodução do café → provocando queda dos preços no
mercado interno.
- “Quebra da bolsa de valores de Nova York” → retratação das exportações →
resultado → diminuição da compra do café → gera → superprodução → queda
dos preços→ crise do sistema oligárquico → ruptura política entre as
lideranças de Minas Gerais e São Paulo.

15
- Ruptura → ♦ falta de consenso para indicar o candidato presidencial a
sucessão de Washington Luís;
♦ mineiros apoiavam Antônio Carlos Ribeiro de Andrade →
governador de Minas.

Resultado → rompimento com a “Política do Café-com-


Leite”.
- Nasce a Aliança Liberal → lança como candidato à presidência, o gaúcho
Getúlio Vargas e, para vice, o paraibano João Pessoa → recebem apoio de
vários setores da sociedade;
- Programa da Aliança liberal → ♦ voto secreto;
♦ criação de leis trabalhistas;
♦ incentivo à produção industrial.
- 1930 → Getúlio Vargas é derrotado nas eleições;
- Líderes gaúchos, mineiros e paraibanos não aceitam resultado das eleições →
aumenta a revolta → João Pessoa é assassinado por motivos pessoais e
políticos (25/07) → gota d’água para unir a oposição contra o governo.
- 03/10 → luta armada estourou no Rio Grande do Sul, espalhando-se por
Minas Gerais, Paraíba e Pernambuco;
- 24/10 → deposição de Washington Luís por militares do Rio de Janeiro →
poder entregue a Getúlio Vargas → chefe político da Revolução de 1930;
- Termina a república Velha. Inicia-se o período getulista ou Era Vargas

- AS FRONTEIROS BRASILEIRAS E A ATUAÇÃO DO BARÃO DO RIO


BRANCO

16
José Maria da Silva Paranhos, mais conhecido como Barão do Rio Branco,
exerceu o cargo de ministro das relações Exteriores do Brasil de 1902 a 1912,
período em que liderou de forma absoluta a diplomacia republicana brasileira. Foi
responsável pela incorporação de mais de 500 mil Km² ao território brasileiro,
conquistados pela via diplomática.
Desde fins do império, o barão do Rio Branco desempenhou papel decisivo
na defesa internacional de nossas fronteiras.
• Questão das Palmas (1895) – a região das Palmas, rica em madeira e em erva-
mate, era disputada pela Argentina e pelo Brasil. O governo dos Estados
Unidos, representado pelo presidente Grover Cleveland, foi escolhido como
árbitro para julgar essa questão. Defendida por Rio Branco, a posição brasileira
foi vitoriosa.
• Questão do Amapá (1900) – a região do Amapá era disputada pela França e
pelo Brasil. O árbitro escolhido para essa questão foi o presidente suíço Walter
Hauser. Depois de dois anos de discussões diplomáticas, a disputa terminou
com nova vitória das posições brasileiras, defendidas por Rio B
• Questão do Acre (1903) – a região do Acre era disputada violentamente por
brasileiros e bolivianos. Já como ministro das Relações Exteriores, Rio Branco
assinou com o governo da Bolívia o Tratado de Petrópolis, pelo qual o Brasil,
em troca do Acre, pagou uma indenização de 2 milhões de libras esterlinas e
comprometeu-se a construir a estrada de ferro Madeira-Mármore, que facilitaria
o escoamento das exportações bolivianas pelo Atlântico.
• Questão com o Peru (1904) – a fronteira do Brasil com o Peru foi um problema
controvertido, que gerou diversos conflitos entre peruanos e brasileiros. Através
de Rio Branco, foi negociada a solução para essa questão, ficando fixado que a

17
fronteira entre os dois países seria delimitada pelo rio Javari, até sua confluência
com o igarapé Javerija.
• Questão do Pirara (1904) – a região do rio Pirara era disputada pelo Brasil e
pela Inglaterra, que pretendia anexar essa área à Guiana Inglesa. O árbitro
escolhido para essa questão foi o rei da Itália Vitor Emanuel III. A sentença de
Vitor Emanuel dividiu o território disputado entre os dois países, assegurando,
entretanto, o principal objetivo dos ingleses, que era ter uma saída fluvial em
direção ao rio Amazonas.

• Questão com a Holanda (1906) – a fixação das fronteiras entre o Brasil e a


Guiana Holandesa (atual Suriname) foi resolvida diretamente pelos governos
brasileiros e holandês. Representando o Brasil, o barão do Rio Branco assinou
um acordo que estabeleceu a serra de Tumucumaque como fronteira entre os
dois países.

Cida Vaz

18