Você está na página 1de 30

Ciclo de Refrigeração por Compressão de Vapor

Ciclo de Refrigeração por Compressão de Vapor


Ciclo de Refrigeração por Compressão de Vapor
Ciclo de Refrigeração por Compressão de Vapor
Ciclo de Refrigeração por Compressão de Vapor
Ciclo de Refrigeração por Compressão de Vapor
Ciclo de Refrigeração por Compressão de Vapor
Ciclo de Refrigeração por Compressão de Vapor
Resumindo
Ciclo de Refrigeração por Compressão de Vapor
Ciclo de Refrigeração por Compressão de Vapor
Ciclo de Refrigeração por Compressão de Vapor
Ciclo de Refrigeração por Compressão de Vapor
Ciclo de Refrigeração por Compressão de Vapor
Ciclo de Refrigeração por Compressão de Vapor
Ciclo de Refrigeração por Compressão de Vapor
Ciclo de Refrigeração por Compressão de Vapor
Ciclo de Refrigeração por Compressão de Vapor
Ciclo de Refrigeração por Compressão de Vapor
Ciclo de Refrigeração por Compressão de Vapor
Ciclo de Refrigeração por Compressão de Vapor
Ciclo de Refrigeração por Compressão de Vapor
Exemplo 1) Um ciclo ideal de compressão de vapor se comunica
termicamente com uma região fria a 0°C e com uma região quente a
26.72°C. Esse ciclo tem como fluido de trabalho o Refrigerante 134a. O
vapor saturado entra no compressor a 0°C e o líquido saturado deixa o
condensador a 26.72°C. A vazão mássica do refrigerante é 0,08 kg/s.
Determine (a) a potência do compressor, em kW, (b) a capacidade
frigorífica, (c) o coeficiente de desempenho e (d) o coeficiente de
desempenho de um ciclo de refrigeração de Carnot que opere entre as
regiões quente e fria a 26.72°C e 0°C, respectivamente.
Ciclo de Refrigeração por Compressão de Vapor

Desempenho dos Sistemas Reais de Compressão de


Vapor O efeito das irreversibilidades durante a
compressão, sugerido pelo uso de uma linha
tracejada para o processo de compressão do
estado 1 até o estado 2. A linha tracejada é
desenhada para mostrar o aumento na entropia
específica que acompanha uma
compressão adiabática irreversível.
Comparando-se o ciclo 1–2–3–4–1 com o ciclo
1–2s–3–4–1, a capacidade frigorífica seria a
mesma para cada um deles, mas a potência de
acionamento é maior para o caso da
compressão irreversível quando comparada ao
ciclo ideal. Consequentemente, o coeficiente de
desempenho do ciclo 1–2–3–4–1 é menor que
aquele do ciclo 1–2s–3–4–1.
O efeito da compressão irreversível pode ser levado em conta
usando-se a eficiência isentrópica do compressor que é dada por:

Outros desvios da situação ideal têm origem em efeitos de atrito


que causam quedas de pressão enquanto o refrigerante escoa ao
longo do evaporador, do condensador e pela tubulação que conecta
os vários componentes. Essas quedas de pressão não são mostradas
no diagrama T–s e serão ignoradas em discussões posteriores.
Exemplo 2) Reconsidere o ciclo de refrigeração por compressão
de vapor do Exemplo 1, mas inclua na análise o fato de que o
compressor tem uma eficiência isentrópica de 80%. Além disso,
admita que a temperatura do líquido que deixa o condensador
seja de 30°C. Para esse ciclo modificado, determine (a) a
potência do compressor em kW, (b) a capacidade frigorífica (c) o
coeficiente de desempenho
A Fig. 1 mostra um sistema de refrigeração por compressão de vapor
em dois estágios que usa amônia como fluido de trabalho. O sistema
utiliza um trocador de calor de contato direto para promover o inter-
resfriamento. O evaporador tem uma capacidade frigorífica de 30 TR
(105,5 kW) e produz vapor saturado a –28°C na sua saída. No
primeiro estágio de compressão, o refrigerante é comprimido
adiabaticamente até 550 kPa, que é a pressão no trocador de calor de
contato direto. O vapor saturado entra no compressor de segundo
estágio e é comprimido adiabaticamente até 1600 kPa. A eficiência
isentrópica de cada compressor nos estágios é de 85%. Não existe
queda de pressão apreciável à medida que o refrigerante escoa pelos
trocadores de calor. O líquido saturado entra em cada uma das válvulas
de expansão. Determine