Você está na página 1de 3

EXMº GENERAL COMANDANTE-GERAL DA GUARDA NACIONAL

REPUBLICANA

REQUERIMENTO

Nome do Cabo, Cabo de Infantaria nº xxx/xxxxxx, colocado no Posto


de xxxxxx do Comando Territorial da Guarda Nacional Republicana de xxxx,
vem requerer a sua integração no nível remuneratório que considera
correspondente ao seu posto e categoria, de acordo com a tabela
remuneratória constante do anexo I do Dl 298/2009 de 14 de Outubro, que
aprovou e consagrou o regime remuneratório aplicável aos militares da
Guarda Nacional Republicana, o que faz com os seguintes fundamentos:

DE FACTO:

O requerente é Cabo de Infantaria.

Para efeitos de vencimento, encontra-se posicionado no xº. Escalão desde


xx de xxxx de 20xx.

Conforme Ordem de Serviço nº. 247 de 28DEC10 do Comando Territorial de


xxxxx foi promovido ao posto de Cabo-Mor, entre outros, o seguinte militar:

nº xxxxx , Cabo xxxxxx – Posto Territorial de xxxxxxx;

O referido militar, entre outros, por ocasião das suas promoções, foram
colocados nos níveis remuneratórios correspondentes aos seus postos e
categorias, já integrados nas novas tabelas remuneratórias.

Verifica-se, pois, que os Militares promovidos com vagas de 2010, foram


posicionados nos novos níveis remuneratórios, enquanto que o requerente
manteve-se no sistema remuneratório anterior, escalões.

DE DIREITO:

Considera o ora requerente que a situação acima exposta é violadora dos


seus direitos pelo seguinte:

Não ignora o requerente que o posicionamento nos novos níveis


remuneratórios resulta do cumprimento de um imperativo legal, mais
precisamente, da conjugação do estabelecido no art.º 111º do EMGNR e no
art.º 17º, nº1 Decreto-Lei n.º 298/2009 de 14 de Outubro.

O cumprimento daquele imperativo legal, implica a salvaguarda dos valores


acima mencionados, sob pena de violação dos princípios mais elementares
de qualquer instituição militar, e ainda, do princípio da igualdade.

Ora, é a própria lei (Estatuto Remuneratório), que fazendo uma correcta


ponderação dos valores e interesses em presença, impõe uma solução de
modo a evitar a situação acima descrita. Essa solução está prevista no art.º
14º, nº 3, do Decreto-Lei n.º 298/2009
de 14 de Outubro.

Se do imperativo legal acima referido decorria o dever de colocar os


militares promovidos nos novos níveis remuneratórios, não menos devido
era a emissão do competente despacho do Exm.º General Comandante-
Geral, que determinasse a transição dos restantes militares para os mesmos
níveis remuneratórios.

10º

Não tendo este despacho sido emitido, e tendo-se verificado a colocação de


militares nos novos níveis, houve, salvo melhor opinião, violação de lei por
omissão.

PEDIDO:

Face ao exposto, e para reposição da legalidade e dos seus direitos, o


ora requerente, solicita a emissão do competente despacho, com produção
de efeitos à data em que os militares acima referidos foram colocados nos
novos níveis remuneratórios, ou seja, 01 de Janeiro de 2010.

Quartel em xxxxx, xx de Janeiro de 2011.

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
Cabo Infantaria nº xxx/xxxxxxx