Você está na página 1de 17

A internet como meio de difusão do rap

de Macaé

Orientador: Prof. MSc. Gerson Dudus


Orientando: André Sabine Macedo de Oliveira
Introdução
Problematização
O rap é um gênero musical que surge nas periferias,
por isso recebe pouca oportunidade de veiculação em
meios de comunicação como o impresso, rádio e TV.

Em Macaé, isso impede que os rappers tenham a


oportunidade de divulgar produções e eventos.
Hipótese
Diante desse fato, é possível que a internet, por seu
caráter democrático, seja o meio principal em que
os rappers da cidade possuem de disponibilizarem
seus conteúdos.
Capítulos 1 e 2
Pesquisa bibliográfica com assuntos referentes a
internet e cibercultura (Capítulo 1); e ao rap e Hip
Hop (Capítulo 2).

Capítulo 3
Entrevistas em profundidade (máximo 1 hora) com
cinco rappers da cidade de Macaé.
Capitulo 1 (Internet e Cibercultura)
Desenvolvimento de três conceitos: cibercultura,
ciberespaço e internet.

Cibercultura: resultante da interação entre homem e


máquina (computador) (LÉVY, 1999).

Se dá pela interconectividade entre comunidades e


coletividade, de forma interativa e recíproca (LÉVY,
1999).
Cultura colaborativa e cooperativa (BOLSONI, 2014).
Anos 80, com jovens americanos (LÉVY, 1999)

Fusão de várias culturas do mundo real com o e no


virtual (um estar em construção).

Efeitos no mundo físico. Ex: Ocuppy, Primavera Árabe


e Jornadas de junho de 2013.
Ciberespaço: local de troca e compartilhamento de
informações em alta velocidade em qualquer lugar do
mundo.

Constitui-se da comunicação homem-máquina.

Conectado ao espaço real. Interconexão comercial,


social e política. Sociedade em Rede (CASTELLS,
1999).
Local que concentra arquivos de áudio, textuais e
audiovisuais. Computadores interconectados. Acesso a
distância.

Resultado de consequência sociais sobre a tecnologia


(MORENO, 2013) e do contexto histórico
(CASTELLS, 1999).
Internet: é uma rede de interconexão global que
conecta computadores e indivíduos.

Meio democrático. Cidadão comum é receptor e


transmissor de informação.

-Acesso de conteúdo por sites de busca (Google);


-Compartilhamento de conteúdo (YouTube e
SoundCloud);
-Interação social (Facebook e Twitter).
Acessa informação, educação e entretenimento.

Primeira rede de computadores (ARPANET), 1969,


EUA, proteger arquivos militares.

Anos 80 – rede de comunicação entre cientistas.

1987 – Brasil, para pesquisa acadêmica.

Anos 90 – democratização da rede.

Anos 2000 (Web 2.0) – Era do compartilhamento.


Capitulo 2 (Rap e Hip Hop)
Hip Hop: movimento sociocultural surgido no final dos
anos 60, nos EUA, entre as comunidades negras que
viviam nas periferias (ou guetos).

Caracterizado por 3 estilos de expressão cultural: Rap,


Break e Grafite.

Expressão de problemas como racismo, pobreza e


violência. Empoderamento e identidade dos negros.
RAP: estilo musical rimado e falado. MC e DJ.

Surge no final dos anos 60 nos EUA como forma de


expressão identitária e de luta social dos negros.

Inicia em festas nas periferias para animar a população


e apaziguar conflitos entre gangues.

Ascensão comercial no final dos anos 80 com NWA


(Niggers With Atitude – Dr. Dre, Ice Cube). No
Brasil, nos anos 90, com o Racionais MC’s.
Conflitos ideológicos constantes com a mídia

Contra a mídia: Racionais MC’s; Facção Central;


Elemento.

Na mídia: Emicida; Gabriel, O pensador.

Críticas a mídia tradicional pela criminalização do Rap


e exaltação do Rap comercial.

Internet como alternativa de divulgação de trabalhos e


conteúdos.
Capitulo 3 (Difusão do rap macaense)

Entrevistas (Máximo 1 hora): Dom Rhuann, Fiel,


Antônio Rastaman, Kalil e Narciso Beats.

Objetivo: 1) saber como a internet possibilita disseminar


o rap de Macaé para a própria cidade e para outros locais;
2) porquê esse meio foi escolhido para divulgação de
trabalhos e conteúdos.
Percepções:

- Meio democrático;
- Compartilhamento barato ou gratuito;
- Veículos de divulgação sem gastos;
- Maior aproximação do público;
- Rapidez na informação;
- Público mostra interesse (dentro e fora da cidade);
- Possuem pouco dinheiro para divulgação;
- Falta de tempo para produção e divulgação de
conteúdo (estudo ou trabalho);
- Visão crítica da sociedade e da mídia;
- Não veem problema em compartilhar conteúdo na
mídia tradicional;
- Para alguns, a mídia não tem interesse em noticiar
seus conteúdos e eventos;
- Para outros, falta de interesse dos próprios rappers
em procurar a mídia.
- Rappers não são muito unidos, por isso não
conseguem desenvolver seus trabalhos.
Considerações finais
Não há conclusão sobre o problema analisado.

Entrevistados apontam problemas com divulgação e


desinteresse da mídia local, mas também falta de união
entre os grupos de rap de Macaé.

Desenvolver outros trabalhos acadêmicos relacionados


ao rap e Hip Hop em Macaé nas áreas de
educomunicação, antropologia e sociologia.